Você está na página 1de 6

Nossas procuras e nossas escolhas

Muitos de nós nascemos com a sensação de que

sabemos o que estamos procurando nesta vida, o que viemos fazer aqui.

E isso bem pode ser verdade

muitos estudos que já fiz em diversas correntes de pensamento, filosofias de vida e religiões, temos muitas encarnações vivendo uma "única vida".

uma vez que, segundo

Uma vez encontrado o que se procura

caminho que acaba

este

resta agora: o caminho da

escolha.

é

um

A que me refiro, exatamente? não é tudo a mesma coisa?

Até pode ser que seja, mas eu vejo como coisas diferentes entre si, embora façam parte de um mesmo todo.

Normalmente, o que todo ser humano busca é ser feliz ao lado de sua "alma gêmea", como muitos chamam a pessoa com a qual temos anseio de viver uma vida de companheirismo e construções.

Muitas pessoas

companheiro(a) ideal um motivo para continuar vivendo

e enfrentando as tribulações que lhe acontecem.

fazem

desta

busca

pelo(a)

Temos ainda, em nossas sociedades ao redor do globo terrestre, um tipo de educação social que nos leva a fugir de nós mesmos, mascarar a pessoa que verdadeiramente somos.

Uma das coisas que considero mais importantes na vida é

o comprometimento com a verdade de nosso coração.

Importante que pensemos acerca disso e, mais, que lembremos do quanto nosso coração puro de crianças ansiava por determinadas coisas que, à medida que fomos crescendo e "sendo educados", esquecemos ou deixamos guardadas em algum cantinho desse mesmo coração, como se fossem sonhos (inalcansáveis???).

Importante, também, que se procure relembrar as muitas coisas que fomos deixando guardadas ou simplesmente esquecidas à medida que fomos crescendo, porque elas, com muita certeza, nos trarão à lembrança o que realmente viemos fazer nesta vida, qual nossa missão, com quem viemos nos encontrar, e muitas coisas mais.

Pode não ser fácil para pessoas que não acreditam em temas como reencarnação, ou simplesmente: missão de vida, sequer ler a respeito do que tento passar aqui, mas, com certeza que seus corações tem para si mesmos uma mensagem especial, cifrada, codificada, que apenas elas

mesmas entendem resposta(s).

e anseiam por encontrar a(s)

Não quero aqui fazer com que ninguém se sinta perdido ou menos ainda, compreendendo sua própria vida muito pelo contrário: o que quero expressar nestas poucas linhas é que temos, com a certeza que nasce conosco, em nossos corações, as chaves para bem trilhar o nosso próprio caminho de vida.

Falo em procuras e em escolhas. Pois bem: quando nosso coração tem a certeza de haver encontrado alguma das coisas que veio buscar, resta a ele analisar o que encontra à volta dessa procura, que pessoas, que momentos fazem parte do momento atual em que conseguiu entender o que seu coração dizia e aceitou essa colocação do mesmo e, enfim: enxergou o que precisava.

À partir disso, resta saber se o que encontra nesse momento vale a pena ser mantido como está e enfrentar ou se, seja pelos motivos que seja, a escolha deverá ser de outro tipo.

É mais provável que se escolha continuar lutando pelo que sempre se procurou no contexto em que se encontra, apenas que de forma diferente da imaginada antes.

Há ocasiões em que se reconhece a "alma gêmea", mas ela está tão incluída em outras situações de vida

diferentes das nossas que ela não nos enxerga

até pressente mas, de verdade, não nos coloca em sua

ou então,

vida.

Neste importante momento há que se escolher a maneira de enfrentar essa situação, sempre buscando entender o que o nosso coração nos diz acerca disso tudo.

Lutar não quer dizer desfazer o que existe de forma abrupta, mas sim. colocar novos parâmetros a serem observados e vivenciados, de forma a uma reeducação pessoal total.

Buscas são necessárias e escolhas são mais ainda principalmente se nossas opções e próximas ações dependem desse importante aspecto.

Não tenhamos medo de escolher o que nosso coração nos pede, geralmente vai contra determinadas "regras sociais" justamente porque essas regras já não fazem mais parte de nosso mundo atual, visto que foram criadas por alguém que provavelmente estava desiludido com sua condição e apenas subsistiram porque outras pessoas, também desiludidas, começaram a falar do mesmo modo.

Como hoje temos como sociedade uma consciência de vida diferente, temos o dever de modificá-las de acordo com nossas escolhas e atuais condições de vida.

As pessoas são sempre diferentes uma das outras e, mais que isso, são sempre um todo, um conjunto completo de anseios, aspirações, desejos, sonhos, opções de vida.

O que se deve aprender com urgência é a escolha ao respeito a quem somos como unidade pessoal e a respeitar o todo individual de cada ser humano.

Leatrice Coli Ribeiro Pedroso

Cad. Nº 24 Academia Santanense de Letras

Permitida a reprodução desde que mantidos os créditos