Você está na página 1de 15

PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil

Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

PCC-5302
Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil

Conteúdo da Aula Conceito de SGI (DIAS, 2003)


Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

Empresas construtoras.
Sistemas de Gestão Os diferentes sistemas de gestão da empresa e Entende-se por Sistema de Gestão
Integrada em Empresas sua integração: Sistema de Gestão da Integrada (SGI) o conjunto integrado
Qualidade, Sistema de Gestão Ambiental e dos sistemas de gestão da
Construtoras: Sistema de Gestão de Segurança e Saúde qualidade, do meio ambiente e da
Qualidade, Ambiental e Ocupacional. Responsabilidade Social. Interação
segurança e saúde no trabalho,
entre o sistema de gestão da empresa, o
Segurança do Trabalho sistema de gestão do empreendimento e o incluindo controle de riscos, de
sistema de gestão da obra. custos e de prazos.
AULA 2 Prof. Silvio Melhado junho/2007
Prof. Francisco Cardoso
©Silvio Melhado PCC 5302 2 ©Silvio Melhado PCC 5302 3

Sistemas de gestão integrada Sistemas de gestão integrada


Os SGIs são geralmente baseados em: Os sistemas de gestão integrada devem:
„ normas ISO 9001:2000, ISO 14001:2004 e ILO/OSH
2001 ou OHSAS 18001:1999;
„ Atender aos requisitos das três áreas: meio
ambiente, qualidade, saúde e segurança;
Certificação
da qualidade
„ legislação vigente; podendo ainda compreender outras
„ Criar um comitê de gestão para a empresa como
normas que cada empresa julgar necessária.
um todo e para o empreendimento, que
A implementação de SGI permite otimizar os recursos acompanhará a implementação e aplicação dos
necessários aos sistemas de gestão da qualidade, de sistemas;
saúde e segurança e ambiental. „ Ser compatíveis com a estrutura organizacional.

©Silvio Melhado PCC 5302 4 ©Silvio Melhado PCC 5302 5 ©Silvio Melhado PCC 5302 6

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 1 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

SÉRIE ISO 9000:2000 ESQUEMA DA ISO 9001:2000


ISO 9000:2000
Sistemas de gestão da qualidade –
Fundamentos e vocabulário
Gestão da
ISO 9001:2000 Qualidade no seu
Sistemas de gestão da qualidade – Requisitos
conceito amplo
ISO 9004:2000
Sistemas de gestão da qualidade – Diretrizes
para melhoria de desempenho

©Silvio Melhado PCC 5302 7 ©Silvio Melhado PCC 5302 8 ©Silvio Melhado PCC 5302 10

Partes interessadas O Prêmio Nacional da Qualidade


Um indivíduo ou grupo de indivíduos com
(PNQ)
interesse comum no desempenho da Os oito Critérios de Excelência:
organização e no ambiente em que opera. 1. Liderança
A maioria das organizações possui as 2. Estratégias e Planos
seguintes partes interessadas: (1) os 3. Clientes
4. Sociedade
clientes, (2) a força de trabalho, (3) os
5. Informações e Conhecimento
acionistas e os proprietários, (4) os
6. Pessoas
fornecedores e (5) a sociedade. 7. Processos
(FPNQ, 2003)
8. Resultados

©Silvio Melhado PCC 5302 11 ©Silvio Melhado PCC 5302 12 ©Silvio Melhado PCC 5302 13

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 2 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

Melhoria de processos Qualidade da produção Plano da Qualidade da Obra


Estrutura de sistema da qualidade segundo PICCHI (1993): – Estrutura organizacional
– Cronogramas físico e financeiro
„ ção de procedimentos de execuçã
Qualificaçã
Qualificação execução;
ção;
– Cronograma de suprimentos Modelo atual
„ Planejamento e controle de obra;
„ Análise de unidade protó
Aná protótipo; – Lista de principais fornecedores
„ Controle de pré
pré-montagens; – Listas de principais materiais e serviços
„ Controle da qualidade dos serviç
serviços; – Instruções para inspeções de materiais / serviços /
identificação, manuseio e armazenamento /
„ ção de subempreiteiros;
Qualificaçã
Qualificação equipamentos de medição
„ Planejamento e controle de equipamentos; – Treinamentos necessários
Controle da qualidade do produto final e da manutençã
manutenção
ção da
„
– Leiaute do canteiro e logística da obra
até a entrega ao cliente.
qualidade até
– Equipamentos para execução da obra

©Silvio Melhado PCC 5302 14 ©Silvio Melhado PCC 5302 15 ©Silvio Melhado PCC 5302 16

Ciclo de vida de uma construção


Legislação brasileira
REABILITAÇÃO
„ começa a ter um papel relevante
USO-OPERAÇÃO MANUTENÇÃO „ publicação da Resolução CONAMA no 307 referente à

Gestão PLANEJAMENTO PROJETO CONSTRUÇÃO DEMOLIÇÃO „


gestão dos resíduos da construção civil
exigências dos EIA / RIMA em processos de

Ambiental
licenciamento ambiental
PRODUÇÃO E USO DO „ tendência: aumento das exigências legais e
EDIFÍCIO
EXTRAÇÃO MANUFATURA regulamentares
„ restrições em financiamentos e licitações, criação de
RECICLAGEM
tarifações para a exploração de agregados e para a
(adaptado de SILVA; AGOPYAN; JOHN, 2000) deposição de resíduos

©Silvio Melhado PCC 5302 17 ©Silvio Melhado PCC 5302 18 ©Silvio Melhado PCC 5302 19

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 3 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

Modelos Internacionais de Normas para Sistemas


Aplicação de sistemas de gestão de Gestão (mais conhecidos) e sua Evolução
ambiental em construtoras Qualidade
1994 2000
1979 1987
ISO 9001
(a)monitoramento dos aspectos ambientais da BS 5750 ISO 9001 ISO 9002 e 9003
ISO 9001
parte 1,2 e 3 ISO 9002 e 9003 revisão 1 revisão 2
produção, tais como a gestão de resíduos
sólidos;
(b)atendimento aos requisitos dos clientes com
Certificação Meio Ambiente
1994 1996 2004
ISO 14001

ambiental
BS 7750 ISO 14001
relação ao desempenho ambiental do edifício revisão 2
acabado;
Saúde e Segurança no Trabalho
(c)atenção às reclamações da vizinhança no 1992 1996 1999 2001
SST na
OHSAS ILO-OSH
tangente a ruído, vibração, poeira, sujeira nas HS(G)65 BS 8800
18001 2001
ISO ? NÃO
vias públicas e interferência no tráfego local.
Responsabilidade Social Empresarial
(DEGANI; CARDOSO, 2003)
2001
1997 1998 2004 RES na
SA 8000
SA 8000 AA 1000 NBR 16001 ISO ? SIM
Revisão 1
©Silvio Melhado PCC 5302 21 ©Silvio Melhado PCC 5302 22 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 23

Sistemas de Gestão Ambiental Sistemas de Gestão Ambiental


SISTEMAS DE GESTÃO
AMBIENTAL E A CERTIFICAÇÃO
DE ACORDO COM AS NORMAS DA O que é Sistema de Gestão Ambiental? O que é política ambiental?
SÉRIE NBR ISO 14000:2004
“Parte de um sistema global de “Direção e intenções gerais de
Conceitos da norma NBR ISO 14001 gestão usada para desenvolver e uma organização relacionadas ao
MEIO AMBIENTE: circunvizinhança em implementar a política ambiental seu desempenho ambiental,
que uma organização opera, incluindo da organização e gerenciar seus
ar, água, solo, recursos naturais,
conforme expressas formalmente
flora, fauna, seres humanos e suas aspectos ambientais.” pela alta direção.” (NBR ISO
inter-relações (NBR ISO 14001:2004) 14001:2004)
©Silvio Melhado PCC 5302 24 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 25 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 26

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 4 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

Sistemas de Gestão Ambiental Sistemas de Gestão Ambiental Benefícios potenciais de um


Sistema de Gestão Ambiental - SGA

O que é aspecto ambiental? O que é desempenho ambiental?


Benefícios potenciais internos Benefícios potenciais externos

Sistematização das medidas Melhoria da imagem perante a


“É o elemento das atividades, “Resultados mensuráveis da ambientais já implantadas sociedade

produtos ou serviços de uma gestão dos aspectos ambientais Motivação dos colaboradores Fortalecimento da competitividade

organização que pode interagir de uma organização.” (NBR ISO Prevenção de riscos e prevenção de
responsabilização
Facilidade em bancos e seguradoras

com o meio ambiente.” (NBR ISO 14001:2004) Reconhecimento de potenciais de Facilidades no trato com órgãos
redução de custos ambientais
14001:2004)
Dyllick et al. (2000)

©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 27 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 28 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 29

Sistemas de Gestão Ambiental (ISO / TC 207) Estrutura e forma de um SGA conforme a ISO 14001

MELHORIA CONTÍNUA

Sistemas de Gestão Ambiental


Environmental Management Systems (EMS) POLÍTICA
ANÁLISE CRÍTICA
AMBIENTAL
PELA ADMINISTRAÇÃO
Norma Título
PLANEJAMENTO
Sistema de Gestão Ambiental - Especificação e Estrutura e
ISO 14001:2004 responsabilidades
diretrizes para uso VERIFICAÇÃO E AÇÃO
CORRETIVA Treinamento
Registros IMPLEMENTAÇÃO E
Sistema de Gestão Ambiental – Guia geral de princípios, OPERAÇÃO
ISO 14004:2004 Monitoramento e
Conscientização e
sistemas e suporte técnico Auditoria interna competência
medição
Ações corretivas e Emergências Comunicação
preventivas interna e externa
Controle
Documentação

Sistemas de Gestão Ambiental


(adaptado da NBR ISO 14001:2004) Dyllick et al. (2000)
©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 31 ©Silvio Melhado PCC 5302 39 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 40

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 5 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

Estrutura e forma de um SGA conforme a ISO 14001 Aspecto ambiental e impacto ambiental Objetivos e metas ambientais

Exigências „ Aspecto ambiental é o elemento das „ Objetivo ambiental – propósito ambiental global,
A organização deve estabelecer e manter procedimento
atividades, produtos ou serviços de uma consistente com a política ambiental, que uma
para identificar os aspectos ambientais de suas organização que pode interagir com o organização se propõe a atingir.
atividades, produtos ou serviços que possam por ela meio ambiente; precisam ser identificados
e documentados. „ Meta ambiental – requisito de desempenho
ser controlados e sobre os quais presume-se que ela detalhado, aplicável à organização ou partes dela,
tenha influência, a fim de determinar aqueles que resultante dos objetivos ambientais e que
tenham ou possam ter impacto significativo sobre o „ Impacto ambiental é qualquer modificação necessita ser estabelecido e atendido para que
meio ambiente. tais objetivos sejam atingidos.
EXTERNOS do meio ambiente, adversa ou benéfica,
A organização deve assegurar que os aspectos que resulte, no todo ou em parte, das Objetivos e metas precisam ser mensuráveis,
relacionados a estes impactos significativos sejam atividades, produtos ou serviços de uma consistentes com aos requisitos legais e outros e
considerados na definição de seus objetivos organização. comprometidos com a melhoria contínua.
ambientais. INTERNOS NBR ISO 14001 NBR ISO 14001 NBR ISO 14001:2004

©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 51 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 52 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 54

IMPACTOS AMBIENTAIS

MACRO ATIVIDADES ASPECTOS AMBIENTAIS solo


meio físico
ar água
meio bióti meio antrópico
Matriz de Aspectos e Impactos Ambientais (A & I) Base
gestão suprimentos (escritório/almoxarifado)

aumento despesas município / empresa


atividades de manutenção e reabilitação

alt eração nas condições de segurança


alteração qualidade águas superficiais

alteração dinâmica dos ecossit emas

aumento volume aterros de resíduos


comportamento usuários / vivência

alteração das propriedades físicas

alteração regimes de escoamento


recebimento materiais no canteiro

alteração qualidade paisagística

alteração tráfego nas vias locais


det erioração da qualidade do ar

pressão sobre serviços urbanos


aument o quantidade de sólidos

alt eração condições de saúde

interferência drenagem urbana


esgotament o jazidas minerais

incômodo para a comunidade


poluição águas subterrâneas
indução processos erosivos

ASPECTOS AMBIENTAIS:
descarte efluent es líquidos

escassez energia elétrica

geração emprego e renda


descarte resíduos sólidos

dinamização econômica
danos a bens edificados
atividades de desmonte
invest igação do t erreno

atividades de produção

contaminação química

interferencias na fauna
preparação do terreno

perda de solos férteis


interferências na flora

Fontes:
poluição sonora

escassez água
gestão RH

geração resíduos tóxicos supressão da vegetação


geração resíduos sólidos rebaixamento do lençol freático
Clarice Menezes DEGANI. Sistemas de gestão desperdício de materiais remoção de edificações
X X XX X geração resíduos tóxicos X X X X X X
ambiental em empresas construtoras de edifícios. lançamento não monitorado emprego de mão de obra
descarte de recurso renovável risco geração faíscas - dispersão
Dissertação de Mestrado. PCC.USP, agosto de 2003.
X X X
X X X geração resíduos sólidos X X X X X
X X X
X desperdício de mat eriais X X

X
X X
X X X
lançament o não monitorado
X X descarte de recurso renovável
X X X X X X X X X X X X X X
X
X X X
X
emissão de vibração gás
X
X
X X
X X
X
X X
X emissão de vibração
X emissão ruído dos equipos diversos
X
X
X
X
X X
X X
X X
emissão ruído dos equip/os diversos mudança de uso do imóvel
X
X
impermeabilização do solo
X lançament o de fragmentos
X
X X
X
Thomas DYLLICK-BRENZINGER; Herren Paul GILGEN; impermeabilização do solo risco vazamento CFC
X X X X emissão material particulado X X X
lançamento de fragmentos desprendimento gases, fibras, e
X
X
X X
X X
X
X
X
X X
X consumo e desperdício de água
X X consumo e desperdício de energia
X consumo rec.nat urais e manufaturados
X
X
X
X
X
X
X
X
X
Beat HÄFLIGER; René WASMER. Guia da série de emissão material particulado outros
X X X

X X
X
X X
queima de combustíveis não renováveis
uso da via pública
supressão da vegetação X
X X
X
X X X X X
X
X
X
normas ISO 14001. Sistemas de gestão ambiental. consumo e desperdício de água troca de gases insuficiente
X X rebaixament o do lençol freático X
Blumenau: Edifurb, 2000. 144p. consumo e desperdício de energia consumo e desperdício de gás
X X remoção de edificações X X X X X X X
X X X X X X X X X emprego de mão de obra X X X consumo rec. naturais e perfuração redes públicas
X X X X risco geração faíscas - dispersão gás X
X
X
X mudança de uso do imóvel
X X risco vazto CFC X X
X manufaturados risco desmoronamento
X
X
desprendiment o gases, fibras, e outros
troca de gases insuficient e
X
X
X
X
queima de combustíveis não vazamento produtos químicos
X X X X
X consumo e desperdício de gás
X perfuração redes públicas X
X
X X X X
X
renováveis estímulo ao comércio local
X X X risco desmoronamento X X X
uso da via pública
©Silvio Melhado
X X vazamento produtos químicos X X
PCC 5302 X X
60
Degani (2003) ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 61 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 64
X X X estímulo ao comércio local X X
Degani (2003)

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 6 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

Matriz de Aspectos e Impactos Ambientais (A & I) Base Matriz de Aspectos e Impactos Ambientais (A & I) Base Objetivos e metas ambientais
IMPACTOS AMBIENTAIS: IMPACTOS AMBIENTAIS:
OBJETIVOS AMBIENTAIS:
Meio antrópico: redução do volume de resíduos sólidos;
Água: alteração qualidade paisagística
„

alteração qualidade águas „ aplicação da coleta seletiva;


Meio físico: escassez energia elétrica reutilização de resíduos;
Solo: superficiais alteração condições de saúde
„

„ disposição controlada de resíduos;


alteração das propriedades aumento quantidade de sólidos incômodo para a comunidade „ seleção de recursos renováveis;
físicas poluição águas subterrâneas alteração tráfego nas vias locais „ seleção de insumos com menor impacto na aplicação, uso e
contaminação química alteração regimes de durabilidade;
pressão sobre serviços urbanos
indução processos erosivos escoamento alteração nas condições de segurança
„ melhor relacionamento com a vizinhança no tangente à emissão
escassez água de ruído, vibração, poeira e obstrução de tráfego;
esgotamento jazidas minerais danos a bens edificados „ recuperação da cobertura vegetal;
Ar: aumento volume aterros de resíduos „ educação ambiental de funcionários;
Meio biótico:
deterioração da qualidade do geração emprego e renda „ avaliação em uso;
interferencias na fauna aumento despesas município / empresa segurança e saúde nos canteiros;
ar
„
interferências na flora interferência drenagem urbana „ conservação de energia e de água;
poluição sonora alteração dinâmica dos controle da erosão; dentre outros.
perda de solos férteis „

ecossitemas
dinamização econômica
©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 Degani (2003) 65 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 Degani (2003) 66 ©Francisco
Silvio Melhado
Cardoso PCC 5302 Degani (2003) 69

Estimativa mundial de acidentes de Taxas de acidentes fatais na construção


trabalho fatais (2003) (# fatais por 100.000 trabalhadores)

Segurança e 60

50

Saúde
Total 355.000
Construção 60.000 40

30

Ocupacional 20

10
Construcao
0
Alberto López-Valcárcel
USA Franca Brasil Costa Coreia Argentina Panama
International Labour Office – ILO (2003) Rica
Alberto López-Valcárcel
©Silvio Melhado PCC 5302 70 ©Silvio Melhado PCC 5302 71 International Labour Office – ILO (2003)

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 7 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

Normas de SGSST
ILO guidelines on OSH management systems
CERTIFICAÇÃO ILO-OSH 2001
„ Compatível com outros sistemas de gestão
OHSAS 18001:1999
BS 8800:1996 Sistemas de Gestão
Guia para Sistemas de
Gestão de Saúde e
de Segurança e Saúde „ Não tem caráter legal e nem a intenção de substituir
Ocupacional
Segurança Industrial
Requisitos normas regulamentadoras e legislações nacionais

„ Reflete os princípios adotados pela ILO tais como o


tripartismo e as Convenções Internacionais sobre
Guia ILO-OSH:2001 OHSAS 18002:2000 SSO
Guia para Sistemas de Guia para a
Gestão de Saúde e implementação
Segurança do Trabalho da OHSAS 18001 „ Não exige certificação, mas permite que ela seja
estabelecida como mecanismo de reconhecimento de
BS - British Standard boas práticas
OHSAS - Occupacional Health and Safety Assessment Series
©SilvioOIT – Organização Internacional do Trabalho
Melhado PCC 5302 (BENITE, 2001) 73 ©Silvio Melhado PCC 5302 74 ©Silvio Melhado PCC 5302 75

ILO-OSH 2001 Elementos principais Políticas voltadas a: Políticas voltadas a:


„ apoiar o desenvolvimento dos Recursos „ identificar os riscos, bem como destinar
„ Política
Humanos; recursos para o seu controle;
„ Organização „ apoiar as iniciativas de qualidade, „ reconhecer que acidentes, incidentes e doenças
segurança e saúde destinadas à melhoria são originados em falhas nos sistemas de
„ Planejamento e
contínua; gestão e não apenas em falhas dos
implementação trabalhadores;
Avaliação
„ reduzir perdas financeiras derivadas
„ „ desenvolver uma cultura sólida em saúde e
dos acidentes;
segurança.
„ Ações de melhoria

©Silvio Melhado PCC 5302 77 ©Silvio Melhado PCC 5302 78 ©Silvio Melhado PCC 5302 79

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 8 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

Desdobramento de uma Meta - Diagrama de Ishikawa Estrutura de um SGSST


ILO-OSH 2001
A C Participação dos trabalhadores Melhoria do (BENITE, 2001)
AUMENTAR
Desempenho em
EM 10%
a
3.16 Análise Crítica SST
OS c pela Direção 3.1 Política de SST
TREINAMEN-
TOS
„ Essencial para um eficaz planejamento e Análise
b Política
REDUZIR EM AUMENTAR
EM 7% AS
a
implementação do Sistema de Gestão de SSO Crítica
PERIGOS de SST
15%
REUNIÕES
Consulta, informação e treinamento para todos os
OS
DE
FATORES DE „
REDUZIR RISCO SEGURANÇA c Monitoramento
EM 10%
OS
aspectos, incluindo a formulação da Política e ações Planejamento
AUMENTAR corretivas
ACIDENTES AUMENTAR
Tempo e recursos para participação devem ser
a
EM 8%
EM 15% USO
„ 3.2 Levantamento de Perigos
3.12 Medição e
EQUIPAMEN e avaliação de riscos
PALESTRAS monitoramento do
DE
TOS
alocados desempenho Implementação 3.3 Legislação e exigências
de SST
SEGURANÇA b 3.13 Acidentes,
3.4 Objetivos e metas
„ O efetivo funcionamento do Comitê de SSO é incidentes, não-
conformidades, ações
3.6 Funções, Responsabilidades e Autoridades
3.7 Treinamento, conscientização e
3.5 Planos de gestão de SST

importante para garantir a participação corretivas e


preventivas
competências
3.8 Consulta e Comunicação
3.15 Auditoria do 3.9 Controle de documentos e dados OHSAS 18001:1999
sistema 3.10 Controle operacional
b
e
B D ©Silvio Melhado ©Silvio Melhado
3.11 Preparação e atendimento a emergências
B PCC 5302 81 PCC 5302
3.14 Controle de registros ILO-OSH:200182
(ADAPTADO DE: SHERIQUE, 2003)

TENDÊNCIA:
Sistemas de Gestão Integrada: Sistemas de gestão integrada
Qualidade + Segurança +
Sistemas de Controle Ambiental Relação entre a ISO 9001:2000 (qualidade) e a ISO
14001:2004 (meio ambiente):
Sistema de Gestão da Organização
Gestão
„ A integração entre essas duas normas pela mesma
política é natural
Sistema de
Gestão da Sistema de Alguns elementos da ISO 14001 não estão claramente

Integrada
„

Qualidade Gestão Ambiental Sistema de Gestão explicitados na ISO 9001 mas podem ser incluídos,
da Higiene, Saúde e como, por exemplo, legislação, responsabilidades e
Segurança no
Trabalho procedimentos de emergência.
( DIAS, 2003 )

©Silvio Melhado PCC 5302 84 ©Silvio Melhado PCC 5302 86

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 9 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

Sistemas de gestão integrada Sistemas de gestão integrada QUALIDADE


ISO 9001:2000 versus ILO/OSH 2001 ISO 14001:2004 versus ILO/OSH 2001 CERTIFICAÇÃO
„ Alguns elementos da ILO/OSH 2001 devem ser „ ISO 14001:2004 - riscos em relação ao meio ambiente
acrescentados, em relação à ISO 9001: „ ILO/OSH 2001 - medidas de prevenção e controle dos
riscos da saúde e segurança
participação do trabalhador (3.2); NBR ISO 9004:2000 NBR ISO 9001:2000
„ É difícil distinguir os riscos ao meio ambiente dos riscos Sistemas de Gestão Sistemas de Gestão
responsabilidade, preparação e emergência
à saúde e segurança; da Qualidade - da Qualidade -
(3.10.3); relações de trabalho, doenças, Diretrizes para Requisitos
„ Por exemplo, produção de poeira no canteiro de obras
acidentes e seus impactos na segurança e é risco à saúde dos trabalhadores e também afeta o
Melhoria de Desempenho
saúde (3.12). ( DIAS, 2003 ) meio-ambiente e a população em geral. ( DIAS, 2003 )

©Silvio Melhado PCC 5302 87 ©Silvio Melhado PCC 5302 88 ©Silvio Melhado PCC 5302 89

MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE


OCUPACIONAL Clientes

ISO 9001
CERTIFICAÇÃO e 9004 Partes
CERTIFICAÇÃO Interessadas Partes
Interessadas
ILO-
ILO-OSH 2001 OSH
NBR ISO 14004:2004 Guia para a 2001 e
Sistemas de Gestão NBR ISO 14001:2004 implementação OHSAS 18001
Sistemas de Gestão Sistemas de Gestão Funcionários OHSAS
Ambiental - diretrizes
gerais sobre princípios, Ambiental - Especificação de Segurança e Meio Ambiente 18001
e diretrizes para uso Saúde Ocupacional
sistemas e técnicas ISO 14001
de apoio
e 14004 Partes
Occupational Health and Interessadas
Safety Management Systems
©Silvio Melhado PCC 5302 90 ©Silvio Melhado PCC 5302 91 ©Silvio Melhado PCC 5302 92

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 10 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

Gestão Integrada Gestão Integrada Objetivos: Gestão Integrada Objetivos:


Clientes
•Qualidade •Aumentar o grau de
ISO 9001 ISO 9001 •Avaliação dos ISO 9001 satisfação dos clientes
e 9004 Partes e 9004 impactos e riscos e 9004 •Reduzir os custos de
Interessadas execução de obras
(durante execução e durante
ISO 14001 ISO 14001 uso, operação e ISO 14001 •Eliminar atividades com
e 14004 Meio Ambiente
e 14004 manutenção) e 14004 alto grau de risco
•Atendimento da •Reduzir o número de
ILO-OSH 2001 ILO-OSH 2001 Legislação e das ILO-OSH 2001 acidentes de trabalho
e OHSAS Funcionários
e OHSAS Normas (Ministério do e OHSAS •Reduzir a produção de
entulho
18001 18001 Trabalho, CLT, CONAMA, 18001
CETESB, ABNT, etc.) •ETC.

©Silvio Melhado PCC 5302 93 ©Silvio Melhado PCC 5302 94 ©Silvio Melhado PCC 5302 95

SGI - CONCEITOS PONTOS EM COMUM DAS NORMAS PONTOS EM COMUM DAS NORMAS

SGI ELEMENTOS COMUNS DAS


Requisitos / Descrição Recurs os, regras,
Seção Planejamento do sistema Programas de Programas de
NBR ISO 9001:2000 NBR ISO 14001:1996 OHSAS 18001 NBR 16 001:2004 5.4.2 4.3.4 4.3.4 3.3.4 respons abilidades e
da qualidade gestão ambiental gestão de SSO
4.1 Requisitos gerais 4.1 Requisitos gerais 4.1 Requisitos gerais autoridade

Norma Sistema Propósito Objetivos


4.2
NORMAS
Requisitos de documentação - -
Documentação do
3.5
Requisitos de
documentação
5.5.1

5.5.2
Responsabilidade e
autoridade
4.4.1
Estrutura e
res pons abilidade
4.4.1
Es trutura e
responsabilidade
ISO Sistemas de Satisfação do Realização do produto 4.2.1 Generalidades 4.4.4 Sistema de Gestão 3.5.1 Generalidades
5.5.3 Comunicação interna 4.4.3
9001 Gestão da cliente segundo exigências do Ambiental
4.4.4 Documentação Manual do sistema de Análise crítica pela Análise crítica Análise pela
Qualidade - cliente Documentação do 5.6 Análise critica pela direção 4.6 4.6 3.6.6
gestão da direção pela direção administração
4.2.2 Manual da Qualidade 4.4.4 Sistema de Gestão 3.5.2
SGQ responsabilidade
Ambiental Es trutura/res ponsa Estrutura/res pons
social 6 Gestão de recursos 4.4.1 4.4.1
ISO Sistemas de Prevenção da Respeitar as regras Controle de Controle de Controle de bilidade abilidade
14001 Gestão poluição ambientais 4.2.3 Controle da documentação 4.4.5 4.4.5 3.5.3 Treinamento, Treinamento, Competência,
documentos documentos e dados documentação
Competência, consciência
Ambiental - 6.2.2 4.4.2 conscientização e 4.4.2 conscientização e 3.4.1 treinamento e
Registros e gestão de e treinamento.
SGA 4.2.2 Controle dos registros 4.5.3 Registros 4.5.3 3.5.4 Controle de registros competência competência conscientização
registros
BSI Sistemas de Ambiente de Estabelecimento dos Implementação e Implementação e
Responsabilidade da Estrutura e Estrutura e 4.4 4.4
OHSAS Gestão da trabalho seguro e objetivos de segurança e 5 4.4.1 4.4.1 operação operação
direção responsabilidade responsabilidade 7 Realização do produto
18001 Segurança e saudável saúde ocupacional, para Controle Controle
Saúde no cada função e nível Comprometimento da Estrutura e 4.4.6 4.4.6 3.4.3 Controle operacional
5.1 4.4.1 operacional operacional
direção responsabilidade
Trabalho relevante da organização Aspectos
Planejamento para 4.3.1
Aspectos da Determinação dos ambientais Requisitos legais
identificação de
NBR Sistemas de comprometimento -promoção da cidadania; 5.2 Foco no cliente 4.3.1 Aspectos ambientais 4.3.1 3.3.1 responsabilidade
perigos e avaliação e 7.2.1 requisitos relacionados ao 4.3.2 Requisitos legais 4.3.2 e outros
16001 Gestão da com a ética e o -promoção do controle de riscos social
produto Controle requisitos
Responsabilida desenvolvimento desenvolvimento Deve incluir 4.4.6
operacional
de Social sustentável -transparência das comprometimento ético e
5.3 Política da qualidade 4.2 Política ambiental 4.2 Política de SSO 3.2.1 Comunicação com o
atividades de desenvolvimento 7.2.3 4.4.3 Comunicação 4.4.3 Comunicação 3.4.2 Comunicação
sustentável cliente
5.4 Planejamento 4.3 Planejamento 4.3 Planejamento 3.3 Planejamento Controle de dispositivo de
Monitoramento e Monitoramento e
Objetivos e metas e 7.6 medição e 4.5.1 4.5.1
5.4.1 Objetivos da qualidade 4.3.3 Objetivos e metas 4.3.3 Objetivos 3.3.3 medição medição
programas melhoramentos
©Silvio Melhado PCC 5302 96 ©Silvio Melhado PCC 5302 97 ©Silvio Melhado PCC 5302 98
(OLIVEIRA; BORGES, 2005) (OLIVEIRA; BORGES, 2005) (OLIVEIRA; BORGES, 2005)

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 11 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

PONTOS EM COMUM DAS NORMAS

Estrutura da documentação de sistemas de


Procedimentos Únicos
8

8.2.2
Medição análise e
melhoria
Auditoria interna
4.5.1

4.5.4
Verificação e ação
corretiva
Auditoria interna 4.5.4 Auditoria
3.6

3.6.4
Medição análise e
melhoria
Auditoria interna
gestão
8.2.3
Medição e melhoramentos
de processos Monitoramento e
„ Descrição da tarefa ou atividade
Medição e melhoramentos
4.5.1
Monitoramento e
medição
4.5.1 mensuração do
desempenho
3.6.1
Monitoramento e
medição
MANUAIS DE GESTÃO (procedimento de execução e controle),
8.2.4
de produtos
PLANOS DE GESTÃO materiais e equipamentos necessários

documentos
8.3
Controle de produtos não-
conformes
Acidentes, 3.6.2
Avaliação da
conformidade Nível 1
Não-conformidades
4.5.2 ações preventiva e 4.5.2
incidentes, não-
conformidades e
Não-conformidades „ Pontos de verificação da qualidade (controle
Ação preventiva ações preventiva e
da qualidade)
8.5.2 3.6.3
corretiva ações corretivas e
corretiva
preventivas
8.5.3 Ação corretiva
Programa de gestão Programa de
PROCEDIMENTOS
8.5.1 Melhoria contínua 4.3.4
ambiental
4.3.4
gestão de SSO „ Pontos de verificação da segurança
Nível 2 e 3 INSTRUÇÕES (individual e coletiva)
„ Pontos de verificação do impacto ambiental
(controle ambiental)

registros
FORMULÁRIOS E
Registros “CHECK-LISTS”
AUDITORIAS INTERNAS
ATAS DE REUNIÃO
©Silvio Melhado PCC 5302 99 ©Silvio Melhado PCC 5302 101
(OLIVEIRA; BORGES, 2005)

Vantagens da Gestão Integrada Características da norma SA 8000


A estrutura da SA 8000 foi elaborada com base em:
„ Confiabilidade para os clientes ampliada „

Convenções e Recomendações da ILO (International


Labour Organization); Declaração sobre os Direitos da
„ Redução de custos para implementação, RESPONSABILIDADE SOCIAL Infância e Convenção Internacional dos Direitos da
certificação e manutenção Infância da ONU
Para obter a certificação: eliminar trabalho infantil e e
„ Redução de custos e maior eficácia de „

trabalho escravo; dar liberdade de associação e direito à


auditorias internas e treinamentos contratação coletiva; eliminar discriminações; respeitar
SOCIAL ACCOUNTABILITY – SA 8000:2001
ORIGEM: 1997 – EUA – CEPAA procedimentos disciplinares e horário de trabalho;
„ Simplificação da documentação (manuais, (Council on Economic Priorities Accreditation Agency), estabelecer critérios de retribuição; respeito das leis
procedimentos, instruções de trabalho e organização sem fins lucrativos, atualmente nacionais em vigor.
registros), reduzindo a “burocracia” SAI-Social Accountability Internacional „ A organização deve garantir que seus fornecedores
respeitem os mesmos requisitos (compromisso escrito).

©Silvio Melhado PCC 5302 102 ©Silvio Melhado PCC 5302 103 ©Silvio Melhado PCC 5302 104

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 12 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

RESPONSABILIDADE SOCIAL Conceitos da NBR 16001 Conceitos da NBR 16001


„ Promoção da cidadania; „ CONCEITO DE ASPECTO DA
CERTIFICAÇÃO? „ Promoção do desenvolvimento sustentável; RESPONSABILIDADE SOCIAL:
“elemento das relações, processos, produtos
„ Transparência das atividades da organização.
e serviços de uma organização, que podem
„ VOLTADA ÀS “PARTES INTERESSADAS” E AO interagir com o meio ambiente, contexto
NBR 16001:2004 ATENDIMENTO DA LEGISLAÇÃO
econômico e contexto social”
Responsabilidade social – „ CONCEITO DE AÇÃO SOCIAL:
Sistema de gestão – A PARTIR DOS ASPECTOS: impacto,
“atividade voluntária realizada pela organização em „
Requisitos
áreas tais como assistência social, alimentação, objetivos e metas da responsabilidade social
saúde, educação, esporte, cultura, meio ambiente e para a organização (ou parte dela)
desenvolvimento comunitário”

©Silvio Melhado PCC 5302 106 ©Silvio Melhado PCC 5302 107 ©Silvio Melhado PCC 5302 108

Conceitos da NBR 16001


„ Baseada no uso do PDCA (plan-do-check-
action), analogamente a outras normas de
sistemas de gestão Interação entre
„ CONCEITO DE DESEMPENHO DE gestão da empresa,
RESPONSABILIDADE SOCIAL:
“Convém ressaltar que duas organizações do empreendimento
que desenvolvam atividades similares, mas
que apresentem níveis distintos de e da obra
desempenho de responsabilidade social,
podem, ambas, atender aos seus requisitos
(da norma)” (ABNT, 2004)

©Silvio Melhado PCC 5302 109 ©Silvio Melhado PCC 5302 110 ©Silvio Melhado PCC 5302 111

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 13 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

ISO 10006:1997 Planejamento da Qualidade do


Sistemas de gestão integrada Empreendimento (PQE)
Gestão da qualidade em projetos
Para alcançar os objetivos de redução da
ISO 9001:2000 versus ISO 10006:1997
poluição ambiental, dos acidentes do CARACTERÍSTICAS DO PQE:
„ a maioria dos elementos é coberta pela ISO
Îconstituir “empresas-empreendimento”;
trabalho e das doenças profissionais, e 9001;
Îestabelecer um “SGQ do empreendimento”;
melhorar a qualidade das construções, „ elementos não cobertos: características do
Îdesignar um coordenador;
ações devem ser tomadas desde a fase de empreendimento; prazos relativos aos
Îintegrar os SGQ dos agentes;
projeto e planejamento dos processos; custos relativos aos processos;
riscos relativos aos processos e subcontratos Îdesdobrar em: PQE-Projeto; PQE-Execução;
empreendimentos (fornecedores e subempreiteiros). PQE-Uso, Operação e Manutenção.
( DIAS, 2003 )

©Silvio Melhado PCC 5302 112 ©Silvio Melhado PCC 5302 113 ©Silvio Melhado PCC 5302 114

Planejamento da Qualidade do
Empreendimento (PQE) Sistemas de gestão integrada Implementação dos SGIs
Plano da Qualidade Etapas prováveis de implementação:
Devem ser estabelecidos requisitos dos
Normas e legislações

Exigências (e sistema

equipes de execução e
Diagnóstico (incluindo sistemas existentes);
empreendedor
de gestão) do

fornecedores sistemas de gestão integrada: „

„ Programa de educação para a qualidade,


„ para serem considerados na contratação; segurança e proteção ambiental e social
equipe de equipe de
coordenação
da obra
projeto „ para serem considerados durante a fase (funcionários, fornecedores, subcontratados,
de projeto e planejamento; etc.);
análise dos aspectos sociais, ambientais, de segurança e da „ Melhoria e desenvolvimento de processos;
„ e na fase de execução (canteiro de obras).
qualidade; análise de riscos; normas, legislações, procedimentos „ Introdução desde planejamento e projeto;
de execução e controle; controle, análise crítica e validação; „ (eventual: uso, operação e manutenção) „ Monitoramento, avaliação e retroalimentação.
formas de comunicação e divisão de responsabilidades

©Silvio Melhado PCC 5302 115 ©Silvio Melhado PCC 5302 116 ©Silvio Melhado PCC 5302 117

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 14 Prof. Francisco F. Cardoso
PCC-5302 - Gestão da Produção em Empresas de Construção Civil
Sistemas de Gestão Integrada - Junho 2007

EVOLUÇÃO A PARTIR DOS SGQs Exercício:


Em grupos de três alunos, estabeleçam a política
de gestão de uma empresa construtora de
ƒ Substituir a palavra edifícios fictícia.
"qualidade“ por “gestão”; Construam um cenário de atuação, identifiquem
as atividades que desenvolve e produtos que gera a
ƒ Substituir "clientes” por empresa.
Determinem os requisitos principais para o sistema de
"clientes, trabalhadores e gestão integrada e, correspondentemente, os
população". objetivos e metas a eles associados, coerentes com
a atuação da empresa.
( DIAS, 2003 )
©Silvio Melhado PCC 5302 118 ©Silvio Melhado PCC 5302 119 ©Silvio Melhado PCC 5302 120

Escola Politécnica da USP Prof. Silvio B. Melhado


Depto. de Engenharia de Construção Civil 15 Prof. Francisco F. Cardoso