Você está na página 1de 5
EM TESTE Feature Name PRODUTOS FRAU MAIS UMA VEZ COMO TESTAMOS Os produtos testados são

EM TESTE

Feature Name

PRODUTOS FRAU MAIS UMA VEZ

COMO TESTAMOS

Os produtos testados são comprados anonimamente nas lojas. Não aceitamos amostras grátis de fabricantes. Os laboratórios que fazem as análises são independentes e não têm seus nomes revelados. Nos testes, usamos as normas que melhor retratam os interesses do consumidor, sejam nacionais ou estrangeiras. E comparamos os produtos para dizer qual o melhor, inclusive na relação qualidade/preço.

OS NOSSOS TÍTULOS

O MELHOR DO TESTE

O

MELHOR DO TESTE

Produto com os melhores resultados nos testes.

A ESCOLHA CERTA

A

ESCOLHA CERTA

Produto com a melhor relação entre a qualidade e o preço.

O BARATO DO TESTE

O

BARATO DO TESTE

Produto com uma qualidade ainda aceitável e um preço muito vantajoso.

COMO AVALIAMOS

A Muito Bom

B Bom

C Aceitável

D Fraco

E Ruim

VEJA AQUI
VEJA AQUI

Resultado de teste com 20 marcas de azeite extravirgem.

Resultado de teste com 20 marcas de azeite extravirgem.
Vantagens que

Vantagens que

o

consumo desse

alimento pode trazer ao organismo.

Dicas de como conservar o produto de forma correta. Receita que promete
Dicas de como
conservar o produto
de forma correta.
Receita que promete

realçar e incrementar

o sabor do azeite.

Entre os avaliados, quatro nem sequer podem ser considerados azeite. Outro problema reincidente: tem marca por aí que diz ser extravirgem, mas não é.

proteste.org.br

Shutterstock

DADOS

Shutterstock DADOS POUPE R$ 8,33 proteste.org.br P ara manter a saúde em dia, além da caminhada
POUPE R$ 8,33 proteste.org.br
POUPE
R$ 8,33
proteste.org.br

P ara manter a saúde em dia,

além da caminhada matinal,

o aposentado José Marcos de

Souza, de Nepomuceno (MG),

procura seguir uma refeição balanceada. E, no cardápio, um ingrediente não pode faltar. “Sempre soube que azeite faz bem. Consumo diariamente”, comenta. Entretanto, quem, assim como ele, deseja desfrutar dos benefícios trazidos

por esse alimento, deve ficar atento. Mais uma vez encontramos produtos que, embora tenham a palavra extravirgem estampada no rótulo, nem poderiam ser classificados como azeite. Esse é o caso de Pramesa, Figueira da Foz e Tradição. Eles foram eliminados do teste após nossa análise em laboratório comprovar adulteração. Na prática, isso significa que ao azeite (proveniente da azeitona) foram adicionados outros óleos vegetais, o que não é permitido por lei. Dessa forma, ao adquirir um desses produtos, você e sua família vão consumir uma mistura de óleos longe de oferecer ao organismo as mesmas vantagens que o verdadeiro extravirgem

é capaz de fornecer. Essa não é a primeira vez que Figueira da Foz e Tradição desapontam. Em nosso

último estudo (PROTESTE n o 130, nov/13), eles também foram desclassificados, pois detectamos fraude. Se nem podem ser considerados azeites, é de se esperar que

a qualidade deixe a desejar. Nessa análise, levamos em conta a umidade, as impurezas e a presença de metais, entre outros parâmetros. Verificamos ainda se outras substâncias foram utilizadas na fabricação dos produtos. Como trazem óleos vegetais em sua composição, Pramesa, Figueira da Foz e Tradição foram tidos como de má qualidade, diferente dos demais colocados na berlinda. Com exceção dos eliminados, todos os produtos foram bem ou muito bem avaliados no quesito estado de conservação, o que indica que eles vêm sendo armazenados corretamente. Vale destacar que azeites de boa qualidade, em condições adequadas, sofrem pouca deterioração. Já quando se trata de uma mistura de óleos, ela está mais propensa à oxidação. Ou seja, a chance de essas misturas de óleos que se dizem azeite sofrer alteração é bem maior se comparada à possibilidade de isso acontecer com um autêntico azeite.

Nem todos são extravirgens

Não é apenas devido às propriedades saudáveis do azeite que José Marcos insiste em colocar o alimento no prato. “Tem a questão do sabor que ele traz à

TESTE Azeites extravirgens

do sabor que ele traz à TESTE Azeites extravirgens Pensando na saúde, José Marcos não abre
do sabor que ele traz à TESTE Azeites extravirgens Pensando na saúde, José Marcos não abre

Pensando na saúde, José Marcos não abre mão de incluir o azeite no cardápio. Porém, não pode ser qualquer azeite. O aposentado preza pela qualidade do alimento consumido

comida”, salienta. Esse foi um dos pontos observados na análise sensorial, que também levou em conta aspectos como aroma e textura. Cada um dos produtos passou por três painéis de especialistas treinados pelo Conselho Oleico Internacional (COI). E, segundo eles, seis marcas não podem ser classificadas como extravirgem. São

elas: Qualitá, Beirão, Carrefour Discount, Filippo Berio, Figueira da Foz e Tradição. As quatro primeiras foram consideradas virgens. As outras duas, que, como já mencionado, apresentaram fraude, possuem características de azeite lampante, o qual só deve ser destinado para uso industrial. Campeão nas vantagens para a saúde, o extravirgem

é ideal para a finalização de pratos e

saladas. Já o virgem é mais apropriado para o preparo de alimentos quentes – como refogados e cozidos –, enquanto o lampante nem poderia ser levado à mesa devido a sua acidez intensa.

Nesse caso, você acaba comprando gato por lebre, pois paga o equivalente

a um determinado produto, mas leva

comprando gato por lebre, pois paga o equivalente a um determinado produto, mas leva Setembro 2016

Setembro 2016 161 PROTESTE

23

TESTE Azeites extravirgens Azeites extravirgens

 

PREÇO (R$)

CARACTERÍSTICAS

 

RESULTADOS

   

Azeites

 

Classificação sensorial (real)

           

extravirgens

Análise sensorial

Estado de conservação

AVALIAÇÃO FINAL

Junho de e 2016 (entre

)

Rotulagem

Acidez

Qualidade

Fraude

FF

COCINERO

10,15 - 21,49

extravirgem

A

B

A B

 

A

A

91

 

OLIVE

9,79 - 28,98

extravirgem

A

A

A A

 

A

A

86

 

CARDEAL

11,50 - 38,90

extravirgem

A

A

A A

 

A

A

86

 

GALLO

18,04 - 45,99

extravirgem

A

A

A B

 

A

A

85

 

LA ESPAÑOLA

14,50 - 21,75

extravirgem

A

A

A B

 

A

A

85

 

BORGES

10,98 - 19,80

extravirgem

A

A

A B

 

A

A

85

 

SERRATA

15,59 - 24,90

extravirgem

B

A

A A

 

A

A

80

 

TAEQ

7,49 - 16,90

extravirgem

B

A

A B

 

A

A

77

 

LA VIOLETERA

7,65 - 15,89

extravirgem

B

A

A B

 

A

A

77

 

ANDORINHA

12,72 - 24,75

extravirgem

B

A

A B

 

A

A

76

 

SELMI RENATA SUPERIORE

14,90 - 23,90

extravirgem

B

A

A B

 

A

A

75

 

CARBONELL

11,09 - 24,59

extravirgem

B

A

A B

 

B

A

71

 

QUALITÁ

14,90 - 23,90

virgem

D

A

A B

 

A

A

30

 

BEIRÃO

18,48 - 31,55

virgem

D

A

A B

 

A

A

30

 

CARREFOUR DISCOUNT

10,50 - 31,98

virgem

D

A

A B

 

A

A

30

 

FILIPPO BERIO

10,00 - 29,90

virgem

D

A

A B

 

A

A

30

 

PRAMESA

13,90 - 34,92

extravirgem

B

A

A D

 

D

E

X

 

FIGUEIRA DA FOZ

14,99 - 25,75

lampante

E

B

A C

 

D

E

X

 

TRADIÇÃO

11,25 - 38,57

lampante

E

A

A C

 

D

E

X

- 38,57 lampante E A A C   D E X outro para casa. E apesar

outro para casa. E apesar de o Pramesa ter sido indicado como extravirgem na análise sensorial, lembre-se de que ele apresentou adulteração. Em algumas situações, o óleo de sementes bem refinado não tem cheiro ou sabor. Assim, quando misturado ao extravirgem, prevalecem o cheiro e o sabor do segundo, o que impede o óleo de ser detectado pelos provadores. Por isso, não se engane. Com boas opções por aí, não vale a pena apostar nesse produto. Frente a tantos problemas, uma

isso, não se engane. Com boas opções por aí, não vale a pena apostar nesse produto.
O MELHOR DO TESTE
O
MELHOR
DO TESTE

excelente notícia: percebemos a melhora de algumas marcas. Em nosso último teste, La Española, Carbonell, Serrata, Gallo e Borges foram tidos como virgens. Desta vez, contudo, eles provaram ser

A ESCOLHA CERTA
A
ESCOLHA
CERTA

extravirgens. Embora não interfira no sabor ou no cheiro do azeite, a acidez é outro parâmetro usado na classificação desse alimento. Nenhum dos produtos decepcionou – todos os que passaram

24 PROTESTE 161 Setembro 2016

todos os que passaram 24 PROTESTE 161 • Setembro 2016 Boa qualidade Não compre X Eliminado
todos os que passaram 24 PROTESTE 161 • Setembro 2016 Boa qualidade Não compre X Eliminado

Boa qualidade

passaram 24 PROTESTE 161 • Setembro 2016 Boa qualidade Não compre X Eliminado A NOSSA ESCOLHA

Não compre

X
X

Eliminado

A NOSSA ESCOLHA

91

BOA

QUALIDADE

Cocinero

R$ 10,15 a R$ 21,49

PRÓS Autêntico azeite extravirgem, apresentou qualidade excelente, além do melhor custo-benefício entre os produtos

avaliados em nosso teste. CONTRAS Embora não tenha pecado no quesito estado de conservação, o fato de sua embalagem ser de plástico pode ser apontado como ponto negativo, pois garrafas de vidro escuro tendem a conservar melhor o alimento. O rótulo precisa de adequações, uma vez que não informa a data de envase do produto.

proteste.org.br

Atenção: eles não são azeites PRODUTOS FRAUDADOS Pramesa, Figueira da Foz e Tradição foram eliminados.

Atenção: eles não são azeites

Atenção: eles não são azeites PRODUTOS FRAUDADOS Pramesa, Figueira da Foz e Tradição foram eliminados. Isso
Atenção: eles não são azeites PRODUTOS FRAUDADOS Pramesa, Figueira da Foz e Tradição foram eliminados. Isso
Atenção: eles não são azeites PRODUTOS FRAUDADOS Pramesa, Figueira da Foz e Tradição foram eliminados. Isso

PRODUTOS FRAUDADOS Pramesa, Figueira da Foz e Tradição foram eliminados. Isso porque eles não são azeites, mas sim uma mistura de óleos vegetais. Além de mais propensos à deterioração, esses produtos não trazem ao organismo os mesmos benefícios fornecidos pelo autêntico extravirgem. Além disso, os dois últimos apresentaram características de lampante, sendo esse tipo de azeite apropriado apenas para uso industrial.

Extravirgem? Só se for no rótulo

para uso industrial. Extravirgem? Só se for no rótulo TESTE Azeites extravirgens O TÉCNICO RESPONDE Juliana
para uso industrial. Extravirgem? Só se for no rótulo TESTE Azeites extravirgens O TÉCNICO RESPONDE Juliana
para uso industrial. Extravirgem? Só se for no rótulo TESTE Azeites extravirgens O TÉCNICO RESPONDE Juliana
para uso industrial. Extravirgem? Só se for no rótulo TESTE Azeites extravirgens O TÉCNICO RESPONDE Juliana

TESTE Azeites extravirgens

Só se for no rótulo TESTE Azeites extravirgens O TÉCNICO RESPONDE Juliana Dias Nutricionista da

O TÉCNICO

RESPONDE

O TÉCNICO RESPONDE Juliana Dias Nutricionista da PROTESTE Azeite faz bem, mas deve ser consumido com

Juliana Dias Nutricionista da PROTESTE Azeite faz bem, mas deve ser consumido com moderação.

Quais benefícios o azeite pode trazer ao organismo?

O consumo usual ajuda a

equilibrar os níveis de colesterol no sangue, diminuindo o ruim (LDL) e mantém o bom (HDL). A presença de antioxidantes combate os radicais livres responsáveis pelo

envelhecimento das células.

O efeito disso é a proteção

contra várias doenças, entre elas, as cardíacas. Porém, não exagere. O azeite é uma gordura e, assim, calórico. Para usufruir dos benefícios, recomenda-se ingerir duas colheres de sopa diariamente.

Embora de vidro, a embalagem do Qualitá é transparente. Esse tipo de recipiente é inadequado. Para melhor conservação do produto, o ideal é que ele seja armazenado em embalagem preferencialmente de vidro escuro. Vale lembrar que, além desse problema, esse azeite foi apontado como virgem em nossa análise sensorial. Por isso, não aconselhamos sua compra.

INFORMAÇÃO ENGANOSA Embora tragam a palavra extravirgem na embalagem, Qualitá, Beirão, Car- refour Discount e Filippo Berio foram apontados como virgens em nossa análise sensorial. Isso significa que, na hora da compra, você paga por um extravirgem, mas leva um produto diferente para casa. Vale destacar que, enquanto o extravirgem é ideal para ser usado em saladas e finalização de pratos frios, o virgem é mais bem aproveitado no preparo de alimentos quentes, como refogados e cozidos.

proteste.org.br

Setembro 2016 161 PROTESTE

25

TESTE Azeites extravirgens AZEITE AROMATIZADO Quer deixar o azeite ainda mais saboroso e com um

TESTE Azeites extravirgens

AZEITE AROMATIZADO

Quer deixar o azeite ainda mais saboroso

e com um toque especial? Então coloque

a mão na massa e prepare essa deliciosa

receita. Prática, ela é ideal para ser servida, principalmente, com pães e saladas.

Ingredientes

3 15 colheres de sopa de azeite de oliva

extravirgem

3

3

3

2 colheres de chá de alecrim seco

1 colher de café de pimenta calabresa seca

1 alho pequeno picado

Como fazer Em fogo brando, aqueça o azeite juntamente com os outros ingredientes, por um minuto. Deixe esfriar e armazene em um pote de vidro (de preferência escuro) com tampa. O tempo entre o preparo e o consumo não deve ser demorado.

O tempo entre o preparo e o consumo não deve ser demorado. Mantenha o azeite em
O tempo entre o preparo e o consumo não deve ser demorado. Mantenha o azeite em

Mantenha o azeite em local seco e fresco

Assim você preserva as propriedades saudáveis do alimento e ainda colabora para manter a qualidade do produto por mais tempo. Veja abaixo outras dicas que também contribuem para isso:

FIQUE ATENTO à data de validade e consuma o produto o quanto antes. De preferência, dentro do seu próprio ano de fabricação.

FECHE BEM a garrafa após usar. Isso evita o contato com o ar e, consequentemente, a oxidação. Lembre-se ainda de mantê-la longe de cheiros intensos.

Lembre-se ainda de mantê-la longe de cheiros intensos. PARA CONSERVAR melhor o produto, guarde-o em local

PARA CONSERVAR melhor o produto, guarde-o em local seco e fresco, protegido da luz e do calor. Tenha em mente que embalagens de vidro escuro são as mais indicadas, pois previnem a migração de componentes para o azeite.

NÃO COLOQUE o azeite na geladeira. Isso pode modificar o sabor do produto. Além disso, por causa da baixa temperatura, é possível que ele mude de consistência e até mesmo de aspecto.

por nosso crivo respeitam os limites exigidos pela legislação.

nosso crivo respeitam os limites exigidos pela legislação. Rótulos podem melhorar No geral, os produtos se

Rótulos podem melhorar

No geral, os produtos se saíram bem em relação aos rótulos. No entanto, encontramos alguns problemas. A maioria deles não traz o prazo de conservação após a abertura da embalagem e alguns pecam quando o assunto é

estreitar e facilitar a interação entre o consumidor e a empresa: falta e-mail

e telefone para contato. Além disso,

alguns itens obrigatórios por lei foram desconsiderados: o Cocinero deixa de informar a data de envase e nem todos os importados possuem o país de origem estampado na embalagem.

Entre os membros da família, José Marcos não é o único fã de azeite. Esposa, nora e genro também não abrem mão dele e o consumo costuma ser de um litro por mês. “Até a sopa do meu neto, de 1 ano e 4 meses, leva um pouquinho de azeite”, diz. Dessa forma, não é à toa que o aposentado se preocupa com a qualidade do produto. Após ter acesso ao nosso último

teste, ele não hesitou em deixar de lado

a marca que já estava acostumado a

adquirir. “A PROTESTE mostrou que não se tratava de um azeite extravirgem, mas virgem. Então deixei de comprar e passei

a consumir uma das marcas que foi bem

avaliada”, conta. Se você também quer incluir um produto de boa qualidade na alimentação, confira os resultados na tabela da pág. 24. O Cocinero ganhou o título de o melhor do teste e o de a escolha certa, já que apresentou o melhor custo-benefício. Ao optar por ele, e não pelo mais caro – o Beirão –, que nem foi considerado extravirgem, é possível não apenas levar para casa um azeite melhor como economizar pouco mais de R$ 8 (comparação entre os preços mínimos).

pouco mais de R$ 8 (comparação entre os preços mínimos). NOSSO ALERTA Maria Inês Dolci Coordenadora

NOSSO ALERTA

NOSSO ALERTA Maria Inês Dolci Coordenadora institucional Devido às infrações, pedimos a retirada de sete produtos

Maria Inês Dolci Coordenadora institucional Devido às infrações, pedimos a retirada de sete produtos do mercado.

Em nosso teste, detectamos adulteração, caracterizada pela adição de outros óleos vegetais em três produtos: Figueira da Foz, Tradição e Pramesa. Além disso, seis produtos foram mal avaliados na análise sensorial. Qualitá, Beirão, Carrefour Discount, Filippo Berio, Figueira da Foz e Tradição foram classificados como virgens, embora tragam a denominação extravirgem na embalagem, o que leva o consumidor a pagar mais por um produto de qualidade inferior. Ambos os casos são infrações gravíssimas que

infringem o Código de Defesa do Consumidor e outras legislações, que tratam de crimes de consumo. Dessa forma, pedimos ao Ministério da Agricultura, ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) e ao Ministério Público a retirada de todas as sete marcas do mercado. Também denunciamos os problemas às associações de supermercados. Desaconselhamos ainda a compra dessas marcas, enquanto não readequarem seus produtos.

26 PROTESTE 161 Setembro 2016

proteste.org.br