Você está na página 1de 22

8. Instrumentação Digital

Conversão analógico-digital

Quantum

Q =

V F

2 n

Relação entrada-saída

v

i

x b = Int Q + 0,5

= Int 2 n V F + 0,5

v

i

Para um conversor A/D com uma tensão mínima

igual a V e máxima igual a V + , é

Q

= V + 2 n V

e

vi V

x b = Int

Q

+ 0,5

   = Int 2 n v i V

V + V + 0,5

v i

x b

a)

x b 7 111 6 110 Função de transferência 5 101 ideal 4 100 3
x
b
7
111
6
110
Função de
transferência
5
101
ideal
4
100
3
011
Q = 1 LSB
010
2
1
001
0
000
0
1/8
2/8
3/8
4/8
5/8
6/8
7/8
Estados da saída
Código digital

v i

Entrada Analógica

δ

da saída Código digital v i Entrada Analógica δ Normalizada + Q /2 - Q /2

Normalizada

+ Q /2 - Q /2

+Q/2

-Q/2

+ Q /2 - Q /2
+ Q /2 - Q /2
+ Q /2 - Q /2

b)

c)

Conversão digital-analógica

Para um conversor D/A com uma tensão mínima

igual a V e máxima igual a V + , é

Q = V + V

2

n

A relação entrada-saída é descrita pela equação

v o = V + x b Q

Exemplo: um conversor D/A de 3 bits com

V + = +1 V e V = 1 V, uma entrada digital de

valor x b = 101 2 produz uma saída de valor

2

v o = 1 + 5× 2 3

= 0,25 V

x b

v o

a)

v o

V F 7/8 Q = 1 LSB 6/8 Função de transferência 5/8 ideal 4/8 3/8
V
F
7/8
Q = 1 LSB
6/8
Função de
transferência
5/8
ideal
4/8
3/8
2/8
1/8
0
000 001
010
011
100 101
110
111
x b
Saída analógica

Código digital de entrada

V F – Fim de escala

b)

Conversão digital-analógica

Para um conversor D/A com uma tensão mínima

igual a V e máxima igual a V + , é

Q = V + V

2

n

A relação entrada-saída é descrita pela equação

v o = V + x b Q

Exemplo: um conversor D/A de 3 bits com

V + = +1 V e V = 1 V, uma entrada digital de

valor x b = 101 2 produz uma saída de valor

2

v o = 1 + 5× 2 3

= 0,25 V

x b

v o

a)

v o

V F 7/8 Q = 1 LSB 6/8 Função de transferência 5/8 ideal 4/8 3/8
V
F
7/8
Q = 1 LSB
6/8
Função de
transferência
5/8
ideal
4/8
3/8
2/8
1/8
0
000 001
010
011
100 101
110
111
x b
Saída analógica

Código digital de entrada

V F – Fim de escala

b)

Conversão digital-analógica

Relação entrada-saída com codificação em binário directo ou em binário complementar

Tensão (V)

Binário Directo

Binário Complementar

V F 1 LSB +3/4 V F +1/2 V F +1/4 V F +1 LSB

9,96

1111 1111

0000 0000

7,50

1100 0000

0011 1111

5,00

1000 0000

0111 1111

2,50

0100 0000

1011 1111

0,04

0000 0001

1111 1110

0

0,00

0000 0000

1111 1111

V F - Fim de escala; de notar que o valor máximo é (12 n )V F ; 1 LSB = 2 n ·V F 0,04 V

Relação entrada-saída com entrada bipolar

Tensão (V)

Binário com deslocamento

Com bit de sina

V F 1 LSB +3/4 V F +1/2 V F

4,96

1111 1111

0111 1111

3,75

1110 0000

0110 0000

2,50

1100 0000

0100 0000

0

0,00

1000 0000

0000 0000

1/2 V F 3/4 V F V F +1 LSB

2,50

0100 0000

1100 0000

3,75

0010 0000

1010 0000

4,96

0000 0001

1000 0001

V F

5,00

0000 0000

1000 0000

Conversão digital-analógica

Exemplo:

Considere um conversor D/A com as seguintes características: código de entrada em binário directo; número de bits n = 10; tensão de fim de escala, V F =

10 V. Calcule o valor do quantum Q e determine a relação entrada-saída. O valor de Q é

Q =

V F

2 n

=

10

2 10

10

= 1024 9,8 mV

n1

O valor da tensão de saída é dado pela expressão v o = Q

A tabela correspondente é

i=0

2 i K i

 

Entrada

 

Saída

Saída

 

n-1

(V)

K 9 K 8 K 7 … K 1 K 0

v o

= Q 2 i K i

i=0

1

1

1

1 1

 

1023Q

9,9902

1

1

0

0 0

(512+256)Q

7,5000

1

0

0

0 0

 

512Q

5,0000

0

0

0

1 0

 

2Q

0,0195

0

0

0

0 1

 

Q

0,0098

0

0

0

0 0

 

0

0

Sistemas de Aquisição de Dados

Organização geral

Sinais

analógicos de

entrada Placa A/D e D/A Sinais analógicos de
entrada
Placa
A/D e D/A
Sinais
analógicos de

saída

a)

Computador Computador
Computador
Computador

Comunicação

com computador

a) Computador Computador Comunicação com computador Sistema autónomo de aquisição de dados b) A. Campilho

Sistema autónomo de aquisição de dados

b)

Sistemas de Aquisição de Dados

O andar de entrada

Sistema monocanal

Sistema multicanal

O andar de entrada Sistema monocanal Sistema multicanal Sinal de entrada analógico Palavra Digital de Saída

Sinal de entrada analógico

monocanal Sistema multicanal Sinal de entrada analógico Palavra Digital de Saída Sinais analógicos de entrada A/R:

Palavra Digital

de Saída

Sinal de entrada analógico Palavra Digital de Saída Sinais analógicos de entrada A/R: Amostrador-retentor −

Sinais analógicos

de entrada

A/R: Amostrador-retentor − Saída − Entrada + + C
A/R: Amostrador-retentor
Saída
Entrada
+
+
C
A/R: Amostrador-retentor − Saída − Entrada + + C AMP A/R Palavra digital de saída MUX

AMP

A/R

Palavra digital

de saída

MUX

MUX

MUX
MUX

1

2

N
N

Condicionamento

de sinal

Sistemas de Aquisição de Dados

Organização geral de uma placa de aquisição de dados

+ 12 MUX Conv. AI A/R Memória A/D − 12 Barramento de controlo e de
+
12
MUX
Conv.
AI
A/R
Memória
A/D
12
Barramento
de controlo e de dados
Conv.
D/A
TEMPORIZADOR
Conv.
D/A
INTERFACE COM
CONTADOR
COMPUTADOR
TEMPORIZADOR
Barramento do computador
Saída/
Saída/
Entrada
Entrada
Saída
Digital
Contador
analógica
IN analógico

Aquisição de Dados

Aquisição de Dados A. Campilho 8. Instrumentação Digital 10

Aquisição de Dados

Aquisição de Dados A. Campilho 8. Instrumentação Digital 11

Conversores A/D

Tensão de referência

V Tensão de entrada R 3 V + 4 C 3 − R b 1
V
Tensão de entrada
R
3
V
+
4
C
3
R
b
1
Lógica
1
V
+
2
C
de
2
R
Codificação
b
1
0
V
+
4
C
1
R
Entrada
C
C
C
b
b
3
2
1
1
0
0 a V/4
0
0
0
0
0
V/4 a V/2
0
0
1
0
1
V/2 a 3V/4
0
1
1
1
0
>3V/4
1
1
1
1
1

Conversor paralelo

D/A V c Comparador V i V g Contador
D/A
V c
Comparador
V i
V g
Contador
Conversor paralelo D/A V c Comparador V i V g Contador Tensão de Referência Tensão de

Tensão de

Referência

Tensão de

Entrada

V i V g Contador Tensão de Referência Tensão de Entrada a) Saída Início de conversão

a)

Saída

Início de conversão V i - Tensão de entrada

V c - Saída do conversor D/A

b)

t

1

tempo de

t

2

 

conversão

V g - Saída do comparador

t 1 - início da conversão t 2 - fim da conversão

Compensação directa

Conversores A/D

Conversores A/D V c Tensão de Referência D/A Comparador Lógica de Controlo g Gerador de impulsos
Conversores A/D V c Tensão de Referência D/A Comparador Lógica de Controlo g Gerador de impulsos

V c

Tensão de

Referência

Conversores A/D V c Tensão de Referência D/A Comparador Lógica de Controlo g Gerador de impulsos

D/A

Comparador

Lógica de

Controlo

de Referência D/A Comparador Lógica de Controlo g Gerador de impulsos Saída Fim de conversão V

g

Gerador de

impulsos

Saída

Fim de

conversão

V i

Tensão de

entrada

de impulsos Saída Fim de conversão V i Tensão de entrada Início de conversão 7 V

Início de conversão

7 V F 1 1 1 Conteúdo do 8 7 V registo de F 1
7
V
F
1
1
1
Conteúdo do
8
7
V
registo de
F
1
1
1
8
3
V
1
1 0
controlo
F
4
3
V
1
1 0
F
5
4
V
1
0 1
F
8
5
V
F
1
0 1
8
1
V
1
0 0
F
2
1
V F
1 0 0
2
3
V
0
1
1
F
8
3
V
0
1
1
F
8
1
V
0
1 0
F
4
1
V
0
1 0
F
4
1
V
0
0 1
F
8
1
V
0
0 1
F
8
0
V
0
0 0
F
1ª Comparação
2ª Comparação
3ª Comparação

5

3,75

2,5

1,25

0

-1,25

-2,5

-3,75

-5

1ª comp 2ª comp 3ª comp 4ª comp 1110 1101 2,61 V 1100 1100 V
1ª comp
2ª comp
3ª comp
4ª comp
1110
1101
2,61 V
1100
1100
V c
1000
Início da conversão
Fim da conversão

Conversor de aproximações sucessivas

Conversores A/D

V i

C R v p Comparador Contador v o V Início/Fim s
C
R
v
p
Comparador
Contador
v
o
V
Início/Fim
s

Visor

v o v o V s V s t t T T v p v
v o
v o
V s
V s
t
t
T
T
v p
v p
t
t
t a
t
a
a)
b)
Conversor tensão-frequência

Conversores A/D

C V S R 1 i _ Detector Gerador de S 2 v de zero
C
V
S
R
1
i
_
Detector
Gerador de
S
2
v
de zero
impulsos
+
o
Lógica
Contador/
temporizador
Visor
Tensão de
referência
Início

v

o (t) t' d T t d V i V c V' i > V
o (t)
t' d
T
t
d
V
i
V
c
V' i >
V i
V' i
V'
c

t

Conversor de dupla-rampa

Conversores D/A

Diagrama de blocos de um DAC

−

Saída de

Corrente

Inter- face Digital
Inter-
face
Digital
Interru- ptores
Interru-
ptores

Malhas

de

resis-

tências

+

Saída de

tensão

Referência
Referência

Circuito de um DAC

R f

MSB − v R n-1 v + o v 2 R n-2 LSB v 2
MSB
v
R
n-1
v
+
o
v
2 R
n-2
LSB
v
2 n−1 R
0
MSB – Most significant bit
LSB – Least significant bit
E
ref

Equações relativas ao DAC

v

o

R

f

=

v

R f

o

= E ref

v

n

- 1

R

( K n-1

R

+

+

K n-2

2R

v o

v o

= V F

2

= Q

( K n-1

n1

+

K n-2

2 + ··· +

2 i K i = Q x b

i=0

x b =

n1

2 i K i

i=0

v

n

- 2

2

R

+ ··· +

K 0

2 n−1

+

···

+

K

0

2

n−1

R

)

) = V F

n1

i=0

2 in K i

v 0

2

n

1 R

Multímetros Digitais

Pinça amperimétrica e multímetro digital

Digitais Pinça amperimétrica e multímetro digital Diagrama de blocos Fonte de corrente Atenuador AC
Diagrama de blocos Fonte de corrente Atenuador AC Saídas Conversor Digitais AC-DC Ω + V
Diagrama de blocos
Fonte de
corrente
Atenuador AC
Saídas
Conversor
Digitais
AC-DC
+
V ac
Conversor
Atenuador DC
AD
V dc
A
Visor
Resistência
s

Wattímetro Digital. Medição de potência

Wattímetro Digital

Digital. Medição de potência Wattímetro Digital a) Corrente e tensão instantâneas u ( t ) =

a)

Corrente e tensão instantâneas

u(t) = U cos wt

i(t) = I cos (wt - ϕ)

u b) i π/2 π 3π/2 2π t ϕ
u
b)
i
π/2
π
3π/2
t
ϕ

Potência instantânea

p(t) = u(t) × i(t)

p(t) = U I [cos ϕ + cos(2wt- ϕ)]

p P + + ϕ _ π/2 π _ 3π/2 2π
p
P
+
+
ϕ
_
π/2
π
_
3π/2
cos(2 wt- ϕ )] p P + + ϕ _ π/2 π _ 3π/2 2π t

t

Potência média ou

potência activa

P 0 = <p(t)> = < u(t) × i(t)> = U ef I ef cosϕ

Potência aparente

Factor de potência

S = U ef I ef

cosϕ = P 0 /S

Wattímetro Digital. Medição de potência

Diagrama de blocos

Wattímetro Digital. Medição de potência Diagrama de blocos A. Campilho 8. Instrumentação Digital 19

Wattímetro Digital. Medição de potência

Influência de offset nos canais de medição de tensão e corrente u(t) = U off + U cos wt

i(t) = I off + I cos (wt - ϕ)

p(t) = U off I off + U off I cos(wt-ϕ) + U I off cos(wt) + U I [cosϕ +cos(2wt-ϕ)]

p(t) = duas componentes contínuas de amplitude U off I off e UIcosϕ,

duas componentes de frequência w de amplitude U off I e UI off

uma componente de frequência 2w, de amplitude UI/2.

O filtro passa-baixo que retém a componente contínua, vê passar uma componente adicional, não desejável, de valor U off Ioff. Para eliminar esta componente de erro, o wattímetro deve anular a contribuição de U off ou I off (basta um deles) através da inserção de um filtro passa-alto num dos canais

Medição de potência trifásica

Medição com 4 fios

P 1 1 W P 2 2 W P 3 3 W N p =
P
1
1
W
P
2
2
W
P
3
3
W
N
p = u 1 i 1 + u 2 i 2 + u 3 i 3

Medição com 3 fios

P 1 1 W P 2 2 W 3
P
1
1
W
P
2
2
W
3

p

p

p

= u 13 i 1 + u 23 i 2

= u 1 i 1 + u 2 i 2 u 3 (i 1 + i 2 )

= u 1 i 1 + u 2 i 2 + u 3 i 3

Já que

P 1 = U 13 | I 1 = U 13 I 1 cos (30° − ϕ 1 )

P 2 = U 23 | I 2 = U 23 I 2 cos (30° + ϕ 2 )

i 3 = (i 1 + i 2 )

Medição de potência trifásica

Medição com 3 fios

P 1 1 W P 2 2 W 3
P
1
1
W
P
2
2
W
3
 

P

-90º

-60º

capacitiva

60º

indutiva

ϕ

óhmica

P 1 = U I cos (30°− ϕ) P 2 = U I cos (30° + ϕ)

P = P 1 P 2 = 3 U I cos ϕ P 1 P 2 = U I sen ϕ

P r =

(P 1 P 2 ) = 3 U I sen ϕ

tan ϕ

 

P r

3
3

P 1 P 2

=

=

 

P

P 1 + P 2