Você está na página 1de 2

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

Processo TC nº 02417/08

Município de Jericó – Poder Executivo – Prestação de


Contas Anuais – Exercício de 2007. Recurso de
Reconsideração interposto pelo Prefeito, Sr. Rinaldo de
Oliveira Souza, contra decisão desta Corte – Acórdão APL
TC 1110/2009. Lei Complementar nº 18/93 (Lei Orgânica do
TCE/PB), Art. 33 c/c Art. 30. Conhecimento. Provimento
Parcial. Irretroatividade de norma punitiva. Adequação do
valor à norma regimental vigente à época dos fatos (LC
18/93. Art. 56 e Portaria 039/06, de 31/05/2006). Redução
do valor da multa.

ACÓRDÃO APL TC 760/2010

RELATÓRIO

Este Egrégio Tribunal Pleno, na Sessão realizada em 16/12/2009, apreciou as contas do


Prefeito Municipal de Jericó, Sr. Rinaldo de Oliveira Souza, referente ao exercício de 2007 e decidiu,
à maioria, através do Acórdão APL TC 1110/2009, aplicar multa pessoal ao mencionado gestor, no
valor de R$ 4.150,00 (quatro mil, cento e cinqüenta reais), por transgressão às normas constitucionais
e legais1, assinando-lhe o prazo de 60 (sessenta) dias para recolhimento.

Inconformado, o Prefeito interpôs o presente Recurso de Reconsideração, contestando o


valor da multa aplicada, porquanto entende deve prevalecer o valor da multa vigente no exercício de
2007.
O Órgão de instrução, após exame da peça recursal, entendeu assistir razão ao recorrente,
não, podendo, pois, ser aplicado multa em decorrência de fatos geradores ocorridos antes da vigência
da Resolução Administrativa RA TC 13/20092;

O Ministério Público Especial junto ao Tribunal opinou pelo conhecimento do recurso e,


no mérito, pelo provimento para desconstituir a multa, ou, se mantida, reduzir seu valor na base de R$
2.805,10 vigente em 2007.

É o relatório, tendo sido determinada a intimação de praxe.

VOTO DO CONSELHEIRO RELATOR

Em harmonia com o entendimento do órgão Auditor e Ministerial, entendo merecer


reforma a decisão consubstanciada através do Acórdão APL TC 1110/2009 que aplicou multa ao
recorrente no valor de R$ 4.150,00.

Com efeito, o recorrente logrou apresentar argumentos capazes de alterar a mencionada


decisão, de modo a, tão somente, reduzir o valor da multa aplicada.

1
Infração à lei de licitações e contratos e lei 4.320/64, bem como sonegação de documentos e outras de menor relevância.
2
Esta resolução fixou o valor individual da multa em R$ 4.150,00; estabeleceu sua gradação em função da gravidade da infração; dispôs
sobre prazo e modo para sua atualização; esclareceu o significado da locução “obstrução ao livre exercício de fiscalização do tribunal”;
disciplinou a atualização de débitos e multa, inclusive quando recolhidas em parcelas e revogou a atualização da Portaria 084/2009.

\\Frc2\c\Meus documentos\Assessoria\PLENO\ACORDAO\RECURSO\reconsideração\JER-PM-02417-08.doc
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
Processo TC nº 02417/08

Dito isto, voto no sentido de que este Egrégio Tribunal:

1) Conheça do Recurso e, no mérito, lhe dê provimento parcial, apenas para reduzir o


valor da multa aplicada passando este de R$ 4.150,00 para R$ 2.805,10, mantidos os demais termos da
decisão atacada.

DECISÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os autos do Processo TC nº 02417/08 que


trata do Recurso de Reconsideração interposto pelo Prefeito Municipal de Jericó, Sr. Rinaldo de
Oliveira Souza, contra decisão deste Egrégio Tribunal, consubstanciada no Acórdão APL TC
1110/2009, e

CONSIDERANDO que, após acolhimento do recurso e exame pelo órgão de instrução,


foi dado constatar que o interessado conseguiu apresentar argumentos capazes de reduzir o valor da
multa aplicada;

CONSIDERANDO o Relatório da Auditoria, o pronunciamento do órgão Ministerial, o


Voto do Relator e o mais que dos autos consta;

ACORDAM OS MEMBROS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA


PARAÍBA, à unanimidade, em sessão plenária realizada nesta data em conhecer do Recurso de
Reconsideração interposto, porquanto tempestivo, adequado e advindo de legítimo e competente
interessado, concedendo-lhe provimento parcial, no sentido de reduzir o valor da multa aplicada,
passando este de R$ 4.150,00 para R$ 2.805,10, mantidos os demais termos do Acórdão guerreado.

Publique-se, registre-se e cumpra-se.

TC- PLENÁRIO MINISTRO JOÃO AGRIPINO, 04 de agosto de 2010.

Conselheiro Antônio Nominando Diniz Filho


Presidente

Conselheiro Fernando Rodrigues Catão


Relator

Marcílio Toscano Franca Filho


Procurador-Geral

\\Frc2\c\Meus documentos\Assessoria\PLENO\ACORDAO\RECURSO\reconsideração\JER-PM-02417-08.doc