Você está na página 1de 9
ONTOLOGIA lermenéutica da faticidade) Fs ¢ f Martin Heidegger a eer ors ed Bessa ene ‘uo cg ne On mee Ft) sm erpgengerzo== om ae een spheres ema ct arte ascites ees rate Some Souci soup retest Dados moa aan a ant (CI) rain hemendn do ftcade) / cine et ease tors, 2013 — (eats eis ree “gt Ole erent de Fatt) Tce yo ogo senate 1-Gnlsoga Peete IIT ate io fl compos empress pela Eatoa Vores Le Introducao, 7 § 1. O titulo “ontologia”, 7 refaclo ~ Hermeneutica da fticidade, 11 Parte |. Caminhos de interpretacgo do ser-af ocasional, 13 1 Hermenéutica, 15 '§ 2. O conceitotradiclonal de hermenéutica, 15, §§ 3. Hermenéutica como autointerpretagao da fatcidade, 21 2 Adela de faticidade e o conceito de “homem”, 28 §4. 0 conceito de "homer na tradicdo biblica, 29 § 5. 0 conceto teoligicoe 0 concelto de "animal rationale”, 34 §§ 6. A faticidade como serai em sua ocasionaidade. O hoje, 37 3 A interpretagio hodiema do hoje, 42 §7.A interpretacéo do hoje na conscléneia histérica, 42 §§8.A Interpretacao do hoje na filosofia hodierna, 47 '§9. Suplemento sobre “dialética” e fenomenologia, 50 §§ 10. Olhar sobre o percurso da interpretacao, 54 4. Antlse do ser relacionado da interpretagso ocasional em ‘sua objetualidade, 57 § 11. A interpretagao do sera na consciénciahistérica, 58 § 12. A interpretacdo do serai na filosoia, 64 4513, Outras tarefas da hermeneutica, 70 quer dizer “ror80", mas fala, converse, Portanto, ¢ homem & © hte que tem seu rundo ao moda do que ¢falado”. Eno esto Glsmo que comeca fa tivllizarsetal conceit e,a pati disso, ‘5 Surgem 08 concetos de Adyos [raz80}, aap (sabedora], (0- 2 ‘ng ferenga] como conceitos hiposalizados ne especulacdo © Aideia de faticidade e o conceito or “homem"22 Os conceitos de homer uilzados hoje em dia possuem sua co omer crigem nos concetos Indicados, de modo que devemos Votar para ambos as fonts edesenvolvera Idea de pessoa com base fm Kant edo ideallsmo slemao, que se desenvve aves da + g2¢80 com a teologia medieval Na deteinagdo indica que fieros do tema da herme] nin, ou ae, dn Satildade - noose seed propo em aoe Renee EES oe § 4. 0 conceito de “homem” na tradicio biblica tan" ou ber do homer" A explcago de lade homem como pessoa, conceto que Bs a> grcga pov Myor Hv, ¢ una dos pesvegens ques onverteram num dos clslcos de telogia cr em mos a ects: Genesis 1.26, LXX (Septunginin): nat cfney 6 Dede eufouney dvOponov ear elxbvautepcy wel tel? tury F cnse Deus: Focamon homer a nossa imagem e semnelhan- Br As pelwac el (imagem] etpotoots(semeengel po jem um sentido praticamente deo, (0s conceitos de “homem’, a saber: 1) ser vivo dotado de ra 280 € 2) pess0e, personalidade, provem da experiencia e visd0 ‘de um mundo cujas condigdes abjetunis nos $80 dadas de ante mao e ocasionalmente de uma maneita determinada. A primeira forma pertence ao contexto tematico que pode serndicado pelo, numero de objetualidades: planta, animal, homem, deménio, Deus. (Em principio, nao ha necessidade de pensar sobre uma experiénciabiologica especfica de tipo bioldgico ou centiico-nati (Adela de Deus, obtidoa partir de um olhar do homer; situa ralem sentide moderno.) A segunda forma do conceito de homem io rellglosa ocasional Ver ambos os aspectos.) Cf. Kuhn: ser rnasce com a exposigio crsta das qualidades originals do h al sensvel (natura (natureza], obo{a [esséncia, ser|) ~ um mem como eriatura de Deus, baseada na revelacao veterotesta “pessoal” (Snoataats [hipéstase], substantia [substancla]), ‘mentaria. Em ambas as determinacSes conceptuais, © que est pax alicujus veritatis de deo" et “licujus amoris del™ [‘capaz «em jogo € a fixacao dos elementos que configuram ou compoe obter verdades ce Deus” e “capazde algum amor de Deus"). algo previamente dado, que posteriormente, em funcio de tais clementos, atrbuise um modo de ser ou se deixa na indiferenca (eum ser veal A histria da interpretagto desta passagem do Genesis come jcom Paulo, ICor 11,7: vip viv yep ox ec. Koraxcreoa ea, clay xo Sg qeou- wJpaveewn [ homer no Por outro lado, & necessario tomar cuidado com o conceit fe cobrit sua cabeca, porque é imager e glia de Devs] de "ser dotado de raz30", uma vez que tal conceito perde o deck tivo do sentido de EGov Aéyov Ex0v [ser vivo dotado de razao]u NNaflosofiacientifiea classica grega (Aristoteles),Abyoc nuneé *Semestr e vero de (19124 me” (odorado mas ade por edeaoe. Saas eo Die cristione Ler won der gbtichen Gnade, pas. Tabingen, 1868, 0 Cr, 2Cor 3,18; Rm 8.29: 671 ods npoéyws, Kal nposipraey cxmdpgoug Tig éIxévoe 100 vi0d abrod, cig 70 elvan adTOV nporéroxoy fy woDdoTs aScAgeTs [Aqueles que conheceu de an- temo, também os predestinou a serem conforme a imagem de seu Filho, para que este seja 0 primogénito de muitos inmaos) Problema: a mulher, 0 que é? Taciano (cerea de 150), em seu Adyos npac"FAAnvas: 5v0s 8 8 G&Opunos cid elny wal Spoluars TOG Oeod, Ney BE puny ad Tov Ghote: Tote Cots mpdrTovra (nao enquanto {ov {um animal}, GAR Tov wdppw eV THe dvopunsrnTOS, ‘pig abrov 32 rb Osby xeupyxéra (de maneica mais avanca: 4a)" [Sermao aos gregos: Somente o homem é imagem e serne- Thanga de Deus, quero dizer, o homem que far coisas similares ao animal, isto €, nao age como um animal, mas daquiem diante fest4 no caminho da humanidade ao aproximar-se do propria Deus]. Estdo definidas aqui claramente as duas maneiras funda: _mentais de entender o homem, Agostinho: Et dxit Deus, Faciamus hominem ad imaginern et similtudinem nostram. Et hic animadvertenda quaedam et conjuncti, et discretio animantium. Nam eodem factum hom rem dieit, quo bestins. Sunt enim simul omnia terrena animantia; «et tamen propterexcellentiam rations, secundum quam ad ima: 4gine De et similtudinem effictur homo, separatim de ilo dicitur, postquam de caeters terrenis animantibus solite conclusum est ‘dicendo, Et vidit Deus quia bonum est” [E disse Deus: “Facamos ‘© homem a nossa imagem e semelhanca". Devernos observar ‘como os animais s80 aqui agrupados e, ao mesmo tempo, man- tidos separados. A Escrtura diz que o homem fol felto no mesmo dia em que os animais, pos eles 840 todos como animais terres: tres, No entanto, por conta da exceléncia da raza0, segundo @ qual o homem é feito & imagem e semelhanca de Deus, ela fala 31. Texte und Untemchangen sur Geschichte dr aliaichen Lira oi Ov. Gebhardt A Hamar, vl IV 1, aps. 1888-1883 cop 15 (08), PI6. fragments 1316 Da. De canes a team npr ther, Mane, RV, a1, ‘cap. 16,55, p, 241, me Ontlogia(Hermentutea da actiiade) PA ei de atitade oo conceit de "homem a ele em separado, depois que Deus acabou de falar dos outros fnimais terrestres da meneira habitual, dizendo: “E Deus viu que fra bom’. (Em vez de: Et factum est [E ele fol fit] e: et fect Deus [e Deus fez]. Da mesma forma: Faciamus [Facamos) ~ Frat” (Facasel.) Tomas dle Aquino: de fine sve produetionls hominis prout d- citurfectus ad imaginem et similtudiner Det” [sobre o fm ou fermo da pradugéo do homem, na medida em que € dito te sido feito & imagem e semelhanca de Deus}. ‘Quia, sicut Damascenus dict, ib 2 oth. Fi, cap. 12, prin, homo factus ad imaginem Del dctur, secundum quod per imagt hem significatur intellectual, et arbltrioliberum, ef per se po- festativum, postquam praedictum est de exemplari, sleet de Deo, et de his quae processerunt ex dvina potestate secundum ‘jus voluntatem, restat ut consideremus de ejus imagine, idest, {de homine: secundum quod et ipse est suorum operum principi- lum, quasi lberum arbitrium habens, et suorum operum poteste tem™ [Pois, como nos dia Damasceno (De fide orthodoxa, livro 2, capitulo 12), 0 homem foi feito & imagem de Deus, uma vez {que [sso implica ser ele nceligente e livre para Julgar e senor {le si mesmo, desse modo, portanto, temos de concordar agora fue Deus €a causa exemplar das coisas e que © homem possti, f partir de seu poder, o pensamento sobre sua vontade; assim, {eontinuamos a elhar para esta Imagem, isto 6, 0 home como Jonte das agbes que Ihe s20 proprias e que e2em sob sua respon: Iobildade © controle). Este pardgrafo contém toda a estrutura Inetodolagica interne da obra principal da teologia medieval Zwinglio: “ouch da8 er [der menseh] sin ufsehen hat uf ott und sin wort, zeigt er klarlich an, daB er nach siner natur et: vas gott naher enetborn, etwas mee nachschiagt, etwas 2a 1ugs 2a jm hat, das ales on 2wyfel allen darus ft, daB er nach 99. Cl De Trintate, Magne wl XL, Pris, 141, Uber,