Você está na página 1de 146
Teoria das Midias Digitalis Ve ff Luis Mauro S4 Martino Teoria das Midias Digitais 3 g | | LINGUAGENS, AMBIENTES, REDES Dukstneracionis de Catalogo na Publicaco (CIP) (Cimars Brasileira do Livro SP Brasil) Marina Lab Maw lo: Mis Dia ingagens,ambints eles oS: Marioo.— Teel RJ Noes, 2014, | pata. Raves ies | ees 2st de comuniigho 3 Mii dias Rede oo Tb, | | 14-0005 eop-02 250285 i ~ Tncapas loge anemia i) EDITORA ss: many VOzES Pebpote 4, bora Nos Ln, ow re ts, 10 25699. 00 Pepi RJ nas: epics com bt Basi Tilo once ese, Neshura prce desta ara poder ser Viopor qualquer forma loa quisquermeios Torun ¢ gravacto) ou arulvada em enc prea ects cor sprotuns ours et ew ines nde ier seman ded Discior editoeal Ft Anim Moser akores Aline don anton Caracio ‘Jone Maia da iva iio Peet Marilac Loraine Olek Sccretiro execotivo ‘Joka Batica Krew einai Mata da Conceigto Bde Sous Dispense: Slander Desens, Griico Cape ErcoLabedenco ISBN 978.85.326-4740.5, Edad confoee» novo acordoortogricy, Ibe lam ft np sto c impesto pela Editors Wes Led, Par me fi Laas, om odes as vans de as era, asc raticande eas tori. Sumario oi 1. Gonceion bison, 19 1 Gro const de Noxbere Wiest, 21 2 Bide infomaco e mii iia, 24 3, Gaereulut, ecologic Piet Livy, 27 4 Acalerad converges de Hen Jenkins 34 5, Michal Heim: Blo do mundo seal onecead, 40 6 Howard Rhsingold eo conceited comida via, 44 7 Gibereaeurae Exe Curis: Paya Nayar, 49 Rees yociais, 55 ‘Alguns conceit nici 39 (estado poo de.A. Bares, 60 ‘scsruura sem cent: ators devel de Pal Baran, 6 ‘fou dos ago acs a Teoria das Rees de ase Grover Capial sociale pale 0 modo de combiario de ede de Merc, 72 A copacidade da cone em ee: o xpeimeno de Sate Gravee, 7 Como as res rece: a penpetva de Albee-Lisls Barbi, 79 IL Midas cigs espace pico e democracy, 85 As poles do vial, 85, Aes Pia eee 9 A police de sci ean rode: Mend Castel 99 a Efers Public sees abla: Pte: Dahlgren, 108 ‘fers Pabieaconeceia de Yok Benker, 112 6 Oc imies a ates Pblis vie: Zs Papachats, 116 1. Amiens vida conceal, 121 1A Teta Sal Canc ce Sherey Tl 123 2 Realy at elt otians: Le Seg 127 5 Taina simi Ee de Human Lane, 130 4 Anco ado ido vidas isos pas de Cine Linke, 153 5 "Ee Rama Jor tse rp: proponta de Wellman, 137 6 Aegon em gap: Chay Shirky, 143 Calera oes das iin digits, 149 1 Gamo narnna cones 131 2 Du aoa tak mbna pti cbeaea don do fal, 157 5 iy Tesi 168 4: Bag atv o public opi, 109 5 Galebaade, microslide, weeds, 1 4 Maree vin, eplcglere culo, 177 VA Tora do Mei: do cos As mentagens NS 1 Thoda do Ma, 185. 2 Hn + hi de i cao hii cl elear, 184 3 McLaugh mura aia global, 193 4 Aine, al, ngage ayia para Jn Meo, 199 5 Aranen copmecrlog: DerkedeKeekhon, 204 ‘Vl. tinguagens © que at mits digits ttm adie, 209 1 Aslingungens dsr ga em Lev Manovich 211 2 A Ton da Remain de Baer € Gain, 221 3 lorcet, sei aingugem digital, 226 4 ter as ngayon gta um ai dam ary, 230 ‘VII. Mago e meditzao da wide, 233 1 Mediagies & meiaczno: explora reneno conclu 235. 2 A Tena ch Median de Sg Hara, 239 3 Arata media: Sonia Langone es modigto de ede, 205 4 Bemis a Medias, 247 1X A crsca ds iis, uma ha de 3.000 anos 250 1 Plats oie da ecole couric, 253 2 Rasrg iglnc, cnt: enre o pre 0 pivad, 256 3 O salar do re ane do viral, 24 4 Ocul dosioador«persectivaapalpis de Anew Kee, > Da - nn Windom moa noes fais, 271 ni, 273, Introducao [Em um texto de 2001, 0 pesqusndorcanadense Barry Welln now ‘um curio paradoxo: quando debs de charar a stengio exe eounam ie ‘ais, as miias se comm realmente importantes. Se sua aticulaio com 0 ‘cotiiano aking um nivel muito ako a prdpea vida we transforma. No poe ‘conta da mia rm si, mas plas lags humanaslgadas ca, ste no € um lv sole tecnologia, méquinas ou aplicatvos, £ sobre 2a relaghesenzre seres hursasosconectades pot mda digits, em um pro ‘ceo responsive por aero ques enende por poli ‘ulura.E também a mancima como oser humano encende asi mesmo, seus relacionamenos, problemas limitaées. As mics dgiss, e 0 ambience tao a pati de suas conene, eto aiclados com 2 vila humana — 00 ‘que ela tem de mais sublime e mais compleso. E quase um exercicio de imaginagio pensir 0 cotidiano sem a presenga ‘las midis digitais, Das aividedes mais simples, como marear wm jncar ‘om amigos, as complesos meandro ds polite interacial, bos pare da vida humana est ligada is relagdsariculads com mia digits. Elas (tio ali trocando uma quanidade quase infnta de dado code inscamte, ‘em geral 36 quan falham que voltames a perebé-la 1. WELLMAN, B "Pps Pc and per thei of pone ae inal lof Ur an Rea adh 252/20 es ‘Como lembra Terry Flew, € importance procusar um equilibria entre Juas poses excrermas quando se ili crm mis digital, o "hype" €0 "cone truhype’, teferindo-se ao encususmo excess, bem como & desconfing encrlizal, coat as mica dh tas € a ivernee. Hi evidécias diponvcis pra suscentar qualquer posi. AS midis dipicas permiceam inimeras formas de elacionarsenton hu ‘anos, mas € posivel qoeseionar até que poneo esa intrfténcia ni fo ote; a expanio do nimero de ubuércs no tem peecelentes, mas a ‘barccira digital” entre camectas e desconectadoscoatinus; a “exchsio digital” & um problema de origns ¢ consequéacias econdmicas, polities € soci, embora formas de inegracio das mais wrisdas procure dimiir se impacto, Pensuras midis digas exige un trabalho conseance de auroandise para evar a tentacdo do “ano aero", no sentido de pensir que rudo mudou, assim como a perspectiva de que tudo continu igual, apenas em outro ambience. Seres humanos contiauten sendo ses humans, em toda sua paradox corplexidade, mas conectados de uma mancia diferente a paste sis mits dixials.Até onde se pode i elas nto so melhores ou pores do _qve os individuos, comunidades e sociedad que as cara ¢ wan O que sio midis digitsis? Como inimeras oucris perguntas teéricas, hi uma quaatidade consi derdvel de respascas disponives, nem setnpce dlogando entre si. Como Jembram Chandler € Munday em sua obra de refertcia, 0 termo “miias digas” €s vezes incercarbiado com “ova midis, “aorae midis", “novas tecuologias”e expresses derivadas. De slgum modo, esas expresdes o> Crom estabelecer uma diferena entre os chamados ‘meioe de comanicagio de massa" ou “midis analgias", come a teleisa,o cinema, o rd, jee ais revstas impress, dos melon eletonices, As midis anakicas, em linbas geras,caham uma base material: ema tum disco de vii, o som era gravid em pequenos gules sobre uma super fcie de vail ¢ quando uma agulha passava sobre es5essulcos, 0 som era 2 SLOW. Aw la tad, Oxf OFF 208 S.GIANDUER,D. MUNDAY Dita of Nal and Comin. Oskrts OUR 10 reproduside, Da mesma mancis, na fotografia € no cinema, uma pelicula fava, a parti de ceages quimicas, a luz que chepava através da lence de turn cimers. No caso do rio eda teleiso, ondas prods «pani de saci lsc era langads no ae captadas pr antenas [Nas midia dgiais, esse spore fico praticamene desparece, ¢ dae ‘dos so converidos em sequéncias numérica on de digits — de onde i- shal ~inrerpretados por um procesadorcapuz de realza cieulos dex ‘ema complexitade em frags de segundo, computador. Asim, em una rida digital, codes of dado, jam cles sons, imagens, letras ou qualquer ‘utsoclementos80, na verdad, sequins de ndmeros. Ess arate permite o compartihamento, aemarenamento¢ converse de dads, [Dados transformados em sequéncis de mimes interests por um computador: uma das coractericaspricipais das mics digits. Esa transformacdo, por sun ver, gra uma série de caracteriticas pec ineristentes 205 macios analogicas ¢ que, a0 longo do empo, vem sec ‘acerizando como conceits-chae, como destaca Blew esses mens. Vale a pena, «partir de sua proposa, dstacar alguns dees: Algunsconceioe-chave pars mis digits fal Ditweope de eens scope mi ira, ben coo ‘elu desea eos abies, veld pele scat econo Tapagp de nr isn xo de dey iam ees — de compucadoces staal por no ser locaixdve a0 espago, mas micmanepacdin Tomeg Ranga ne cons Wr de cononagn iH Sieg ences ilanconssnuns Tapani Pata de ues niu ear poe d b= _culeura, sca recetsndo comteidos fh exsteoes, sa pounds Scion Tacha Rnd een nio ee s lees teaherineo dual de ourra sles ei man ns pate Toversvdade toe conten edi L oman digi om i " —$$_— —_—— ee reopen nasa come apart de pont de eras aa agave” te dps wns mld a de kris cleus nr Pon de weno de dle {ipa ot ula ints pope i Senna lincin wing ec deprive Peng ssa, midis geal conse em ors ad otek coca cn qualquer aco tempo. rae deen de dso ids gai ical om mens denier cial, pres Neietade ‘Dos dv dis dgtah exie de mana inkpendente de mre fa, pan ve deacovolys « piny Niwas equals bars dee po OSE Habra rain spk 09, ooo Gn Her OOH ‘tern Langue) ¢ Caer Ma 2010, Midas digitale Internet ‘A posible de comperedhar dados na forma de dgieos combinada coma incegrago de processors em rede de alta velocidad estabeleceu a conde, ao longo do século XX, para o desenvolvimento de uma teia de conexsesdescenvalzadas qu veo as trnar& internet, Oxginalmente eseovalvide como pare de uma rede de operasies militares aorce-ame- rieanas durante 0s anos de 1950 ¢ 1960, no perodo da chamada "Guet rio sitema passou pouco 2 pouco pata so comum, primeirumente nas Universidade em seguia, par opblico em get Em 1991, Tim Beenes-Le seus cleges no Cento Europeu de Pesquisis [Nuckaresdeseolvem a "Word Wide Web", niin acriago dos pines tat ~ até eat, o compaclhamento de dados ea fio peitcralmente & ice ours formas de comunicagao etree como as BAS "Boer Bulle tin System", ou em eadugio lie, Laas de mensigens) ee ai A xpansio de rdessociss¢ formas de producio colaboraiva a partie. once dos anos de 2000 (se bem que sua oigem se misture& da internet msi evo a um ep mais denso de conexdes na chamada Web 2.0, emo ‘unbado por Tio O'Reily* em 2005 para define alto grau de incerati- SOME Ha 8520" glen ardor ace 2 vidale,colaboragho © produciolas(consume de coneids pelos préprios, Touro. Em oposicio a caries "fx" da Web 1.0, que operava ao redor otbrecudo de “paginas” com elementcsslaivamente estes, como Hl, Frvegadoces,transpesgia de contelsafline para 0 digital, a Web 2.0 6 Tpreseneava como uma placaforma dinimica, cm constante transform sera pelsincerages entre suis, As ees soca, 0 Gash «48 peo {es colaboratvas seriam exemplos dese ceniio, Embora ermo a0 ja ijn de consens0 vest, por exermplo, a dscussbes de Keen? seu uso Jogo x elsseminow para além das pesqustsacadénias. ‘Apré-histria da internet et fartamene documenta, mas, para este leer arbieatiamente um ponto de parti, seria pssivel dice que, no Bra, ‘por volea de 1994-1995 que aredecomeyaa gana expaco no ceidiano, A psa de aquisio de computadores por parcelas cada ez alors de epulago contribu par crecmenco dour dared no pal. vale lembar que até 0s ance de 1990 computadores pestoas rim, por ssn dizer, peatcamenceinscessiveis A maior pare a populacto ~ am pro- ‘lama que sera atencio nas pesquisas com onome de “barra digital’ sto sa diferenga de oportunidades e possibilidades de acesso hs teenologias Aig e as seus ambienescultwss. 'A partir de 1995, de maceira cada vez mais rip, 5 mia dsitis © asioernee passam a fase pct docoidann, expalbande-se m0 apends no iso de computadores, mas também, em won segundo momento, em cells tes. manphone €outasequipanents, cotiduno se conect, eco le & necessidace de a pent, em rermosterics e conceiuai ‘que significa 1s midias digicis. Aerooragods tors roc teepnta nee oslo X%, pesquisa dx ee nameless eis sides relagSes com 0 cotidiano, Hd uma considerivel veriedade de ceorias € con- tcc scm es do be ae vo eo este pn devia inns sob A SORSSRURDRS Cae deem de speech cs do problem, éconsidersve S.KEEN, A. Teo fe amt acs ND Fas 208, 3 —<_—$$— > [Nao € poracaso que tancas conccitosceorias ten sido desenvovidos. [Na pritic, iso pode ser entencido como decorrence da complexidade das elas entre minus digits e sociedad. Cada teoria, nese sentido, pro- ‘curt exphear um pequent grupo de fcos em alguns cass, um vico fto ‘Objet do live apresenear algumas das principasceovas das miias ligisi,eesuleedo do trabalho de pesquisadores que, desde meads do sé culo XX, comecaram a construir as ideas, concetos e poncos de vista que tesulariaen no esto das nia digi, ‘Assim como no caso das Teorias da Comanicao, ao parece existe mui co conseaso a respico de qua ators, conceit ¢ ideas formam as teosas «que explicam as midias digits. Assim, Ioage da pretensio de exgotarcodo ‘campo terico, olive procurou esclber as teorias a parce de dois crté= ios ~ a imporciacia dos cats e dos oj etude [Em primeio lugar. aimportncia do conceto nos esudos de comunica- ‘cu e midis dias. Nogbes coma “eberespago", “ibecultura”, “conver boca" afin, em to por perce de ernpo igus ou superioes a dez anos, ugerem que eses coceitastém algo de iveressante pata se pensie Segundo, ceorias sobre assuntosespeicos, como game, vir, a culture dos ise o problema das interfaces. Se o preva crtéio se guia pla re- levincia dos cnceios, ete aqui leva em consideragho & importincia dos objec de pesquisa ‘A proposta aqui é “apresentat, no crticar ou dscutir — existem ex- ceentes tabalhos, de pesquisadores beaeios ¢eserangeitos, debatendo 4 ideas cemasexpostos equi. No e tata de resumi ou discutit, mas mostrar as quests a patie do ponto de vista de cada autor, evitando & repetigio de "Segundo o autor” ou “de acondo com 0 autor” (s capitulos podem sr ldos de manciea independent, Sempre que pos- sive, ao final, foram colocada sugesset com ea eturas, vere exc, ara quem cveriteresse om pescusse mais sobre oassunto. A propusta spconumar os conceitos apresentados ds vida covidiana, No caso das midias «digits, parece haver um problema: Como dat exempls se 0 cenirio da tnccmete das inceragieseovdianas mada a cada minuto? ‘A dindmica concetual das midis digits Pure evar isso, partindo do exemplo de outros livros sobre 0 axsuato, foram evitadis sempre que pussvel mengdes diets a sts ou redes socials 4 ee ce. Afi ce rile ud pies Sama aamene ap 9 uch eS pt ye Suncom fm cu pls ss pce de apo ia ct dee me parce de eva om trast de nt, sno mors. Oven no er, qu lian se ocr erctis ans dl hao eno gaz ee ‘Cron prtadaci, Un ecto econ lad prs de Sal por exemple un ae dead u¢o ‘acoso Varad narod "cn, San eet ci, mn de si, ogo dire ces memo meso fom iach end epi shee soil pleat wip ome cpa nos coed mom qt tt me poland de too por ened Pewee mee tans, Teton le are ur ham apices di gta, utara ura pene eto oe Tlepcc decedent en hoc on humans Cmte, oo pl pre os Sc Puss rapeo de ume nbn sexe pen cme dco. serpin ee sori en mrp, Ho xno. ono deve ies de parr bra nce te ete pt ct oat ‘eos posure baleen dar cna do penser ea Torco dene spin iii wo iz para entendé-las também se ceracteriam pela diversidade. O lio procurs wren lacechieto alo Sie Iota ees pono dea om aoe agin eu, penta amas ‘ae ‘Vale lembrar que ceorias, em geral, sto explicagdes ee de ios aspectos da realidade, Cacia uma delas lida com won ee oan weep cera ede penne, tenons era nde eatin ec ms —— «completa sobre wm sesunto ~ dai que, em ger vale «pora anlar de pert teoias ou ideas que prometem explicar, com um tinico eoncito, tds 4 complesade do mundo rea. ‘Como ssc decairem certo exquematismo, vale indicar um breve roteiro os principnis temas, autores e ideas relacionados is midis gia Alguns civos teméticor na Teoria das Midias Digits na comun tas [Rao i et lore is A, Le ie al i [rote faci [i fi L _!| sc NTIS im 199,200; Gane, 208 Fw 200, Nagi 301; Rigs DO 16 ‘cael ge de ser omplet dui da penpexinas eau poses pena sen ne soma eka ew updo tons cas sus erase oes parr dat lose que enon yrs a tech » quo dis mis digo ed emers e fro vais fn, A iin € cont mona du beer prt ener fgets de ur cainho ead plans pce sands deen ‘eas, aualmente se avencurs 4 iavencatineligéncis. Alguns con pec cia 10s a explora aqui pluralidade de cess, Distogos de origem O liveo & resultado de quave seis anos de cabal, desde a concepsio ‘inital at sua coaclusio. A imersto no asunto haviacomnegado ainda em 2008, durante um ano passado na Inglcera como pesquistdorbolista na Universidade de Fase Anglia, Durance «escrita do lio Tria da Coma ‘agi, langado em 2008, fi postvel near que umn mepeamenco das to sins relacionadas &cibeculeur,cultum dgial, internet ou mia digits ‘ocuparia outro livre ~ e escrevil imediaeament te tornou una iia, No encanto, 0 trabalho fi iaterrompid pela exci de ousrox dois lives: Ce ic eidetidade,editado pela Paslus em 2008, ¢ The Madatcation of Puig, publicado pela editor inglesa Ashgate em 2013. © incenivo final para escrev-loassceu em julho de 2011, em wen de logo com Lido Peet, editoe da Vous, em ume livaria da Rus Haddock ‘Lobo, em Sio Paulo, stivaros alan sobre projetos, quando coment ~ Sabe, Lido, gostaia de let um Heo com as torts da internet e das iia digiais, ~ Por que no ecreve um? Doi facores foram decisivos paca que ele dese se escrito 0 espaco da sala de aula eo trabalhos de pesqust ao lado de alunos, amigos ecolegas foi fundamental pare que ese livro tomasse forms. Dar © nome de todos a quem devo wm “obrigsdo" ocuparia mutis pains 7 ee rl mts 080 mena HRC, 208 py si tau um aa is aan etna om qu € piel gu ni 9 0 ae etre tenbxm la vey ues ese cit ve i cme ¢ con ‘Unvented Ene Ang, onde es lado an professors Juba Sect c Lee Marsden, da Escola de Estudos a ‘elves Sea ntacon Sanna frorn da soa de Five os, com a0 DF. Pit pl ap einen 40 oa ets Si Wet pel dg i spt neyo pa a Nanbemanber-humoros momen daguse ana Prefesor Moron fun, deur ana ee Ne Wale da Bus 00 Rex Dre hoo, aga. Aves h Er Vins, ods qu contrib pare queese aba I tho oe lange drm rum / | ; ‘OvamigceReatade Abuquerie Thus Arete, Rican Sense, D- Conceitos basicos sl Baembei, Miro Con, José Ova Q. Burbs, Fbio Camarne- fe Gina Bass tm sid andar deve o tempo em qv 0 n80| > Biome pr telnet mde. ts deve ie alum cis sobre tows Hae ‘ox ps, Antonio Ctl Vera Lic, plo apoio inondional da- rane wl reine que compara, de pete de loge, spare sonde no acne. E Anna Carolina € a0 Lcas, por me darem sempre vontude de volar para ea, Noi mara de 2014 a © Pera concer os estas ™ \ FELINTO, E. “Sem mapas pare esses cerrtérios:« cibercultura como campo de ee ‘onhcieeeo. J FREIRE FILHO, J. & HERSCHMANN, M. (rg), Ne ( - no a sbra nites, Ri de Joni: Manad X, 2007 } / fo {EAO. L "Mapas enitvion explorando os abirinss da informa no ce Sereapas"s Io: BRASIL, A ea. Cala om flxr: Novas medias ery ee fo ‘Belo Horvonte: PUC-MG, 2004. a RODIG FAs soins de cturcutwra. Porto Alegre: Sulina, 2011, | 1 Cyber, o conceito de Norbert Wiener prefixo “ciber” & uma daquals expresses quate micas que, agra «ds oucraspalavas, imediatamente muda seu valor, geralmente atrbuindo tu sentido novo © contemporinee (mesmo que a expresso sea de 1948), star conectado a0 ciberespas, local daciberculeua, a partt de urn ciber- ‘af, laborardiveros cipos de ciberestos ou interugir can clas de cibe- rare, descobritcéenicas para a construgto de eiborgs. Forum seis paras com “ciber” na dima frase, ea lista podeta see berm maior De maneiza is vezes um poucovaga, 0 sentido de “ber” desde oadven- to ds incemet ¢ das midis digits, € steclado a ambientes € cecnologies. “Clhecalguma-cost” parece implica a conexio em rede, o digital eo espa © e ligagio entre computadores & hi um seacdo aiso: a nogio original de bern, *cibernia”, fi uma elaboeacioeeériea da relagio ene in- formato, comunicnao e conta em sistemas expecico. ‘A palavra a defiigto foram propostas ela primeira vez pelo macemé- ‘ico radicado norre-americano Norbert Wienct ern sou livro Cybele 1988, A palavea *cibcenéica™ xem do geego kira, “contol”. palavra "governc” als, vem de uma taductoltina um pouco obligua de Arn. A cibernética €a érea do saber que dedica a estudar as laches entre in Formagio e controle em um sisters A bse & uma concepeio instrumental de informatio: so dados que alt ‘mentam um sistema e permite a tomada de deciées que, por sia ver, ¥30 ‘etroagir sere esse sistema alterndo potenialmente seu funcionamento, © ‘sim por diane, A cibemniea procura compreender como ainformacio pode Ser usaca para entender e prever os acontecimentos dena de um sistema. Em rermos bastante gerss, wm sistema pode se defini coro um con- jncodelimitado de elementos em interacio, Aodigitar um texto, ocompur a indo para que palavras squina cambém gera, em, tn sens com ars vam ecas na ela Mas a incrago com & aan rca um Stema- 0 funda, ois prcesadores de informa, sip bearer eo tbe do wir, eto iareragindo em um ss tema ciclo. Pe ‘ fancoranenc de qualuer tema depende, er bos medida, dint cen pres, qu psi, ca momen hr 4 fee Ds chet fundamental da ikxmagio como uniadebisica aa cibemética. A crc de informaes nt elements de um sea €.0 moror a pate (b qul sas aud se ergnirarm. Quan mais for pose prever fou eorrlar a infra, a ero contrle do Funcionamento do Sstema e peer 0 que ve aconecer. © process, poctanto, depend das ilormages em cli. Nie por acso, Winer baiou ss aovadtea do saber de “eibernét- cats contol do stems € dervado o tempo todo da retolimentacio de oformages Un das ogi facamenns da eric & aici de retraimenca- «ou como é de wo nis comm, felch. A noc de adhd ecfer-se to lx conauo de informagiserespstas trades ence os elementos em sistema ma coordenaci de suas ae. Iso mio se plea apenas a lemenos lenis: aode quer que exa um sera, sa oganizagio leper a quale do fu tread care es components (ato de anda, pata utr um exemplo do pepo Wiens, pode see pene ‘slo uo um problema cident, A rant de da alga pasos, tans sma pelo creo, clocem af odo sistema Icomorot Que, par fo fnconaento, pecs report ‘Escenas omen nem mee Se vio em cer eta, op cou Sra uma constant roa de infor ‘mage, om o feb inceraid cm os eis em una eroaloentes se consane; x odem ceebal “recat misclo x” geraarspota “ines bs, poe sua vez, ger ua nova onder, ado de outro fadbat,“istendido, ave assim por dane, 2 ‘Wiener foi um dos primeicos a parecer sugeit uma equivilnci entre 0 processamento de informasles pelo cérebro humana © por compucalores, ‘sentido de que, nos dois cass, hi uma entrada Gap) sad (output) de ddados incet medias por sucesivos fadhack (Quando se disita uma pslavea no Grd a em uma rece sociale imei ‘amence aparecem andncos relacionados so que et escrito, 0 dominio & da dernética: wr Fp fo decoifcadoe gerou um fdisk que, por sua we, rendea gerar novas ages — colocar os aniacios na tla Wiener talvez nto tvesse plemaideia do acance de sua ciao, masintuia cater decisivo que cibenéeica tena na elaboragio de sistemas de infor- magi ~ uma das pedeas fundamenais da tecnologia e, de certo modo, da cukuca dos solos XX e XX © Para ter um feedback [EPISTEIN, 1. Cdeitcs weumia. So Plo: Cass, 1973. WIENER, N. iki clade, Su Palo: Cali, 1975. 2 2 Bits de informacao e midias digit ‘Umm dos conceits princpas para xe compreender as micas digits € a ocio de infrmagi, Embora no uso cocdiano essa palaera se wsada As ‘ez como sindnima de “camunicagio” ou mesmo de “conhecimento", no ‘estado das midis ela tem um significado especfico. Em linhas geras, uma informagio pose ser eatendda como qualquer dao novo que aparece em tum sistema. Um alano novo, a chegar em uma sala de aul, poderia ser entendido como “informasio” na media em que agrega algo nove, sua pre~ senga, sum stem jf stabelecid, asl, Ursa informagio, poraneo, ese vinculada, ence outas coisas, & noi de algo nov, pelo menos em relaco uma suai jd existene. Ao ser inserido em umm sistema, esse dado ou informaci tende a geese um fect especifin. [No entanto, a nog de informasto vai além dito, Tatase de quar dai novo, por mais simples ou poqueno que sa, Cada letra deste texto, por exerplo,padera ser encendida como uma nia minima de informa- (io que, 20s jantarem, vio formando sistemas que ganham em coniplesi- dade ~ feasts, pacdgratos, capiclo, 0 livro. No eatanto, cada simples lecta i cem, ems, uma carga de inormagéo, ‘Ao se comer alpuma ois, por exemplo, of sentidos so inundados por informases. A cexcura da comida, sua temperatura, o sabor, 0 tamanho do plago, assim por dante. Além de introduzirem dads novos no sistema — ‘corp no caso ~asinformagoes também sio cruise para que oorganiseno ‘ara Ly, pasan-se em uma ée epeo- tence seus porcine, Pa 9 a ‘Se: oben einai dee se ecb com 0 aécima stirmagées dado, Bem como do respi aos outros paripances, Eno Ce da comuinks vans cue sentry anes ‘Gr etberealrara ~ se possvel oga em as alavs, a dimensio “culcura" semi das pitas sci, que se etabelecem nests espagos €m uma cada reipocide. 7 = i con “forma” ‘noc de “inedigtni", nese cao, ao se confunde com “ora sem com “erudsie", mas com a dindmica da tansfrmacSo dos sabetes eno ds pris rls hamanas. A inceligéncacoletv, a0 que pa tee, nica qu vale deur cobccimento depende do contexto no qual seen. Se alguim ec com vides sobre 0 sec da vid respota pode vi dle um grande pensdor ~ um lio de Sartre 00 Schopenhauer pode fcil- nent resolver questo (ou ports oss) Quem est com vidas sobre como inialr una tomada um video 0 YouTube tend soluciona 0 cso Cala conheciment €valoraad deco de seu coatexto espe, sem ne cessaramente implica na desqaicagio ds Ov omnis, ht uma equiparaso ence os diveroy tpos de saberes dentro de uma sociedad, divs ao mah de ancemio em cacgoria dines Calera unvesitra« cukurapopul’, “escola x meread"), mas reco ‘erados em sua uniade para erm ulieads quando necessrio = 96 ‘essa, no cnetento, €4 medida do valor principio exposto por Lévy ¢ Michael Auer em seu eos de bce, io fata eras Pere Lévy sobretudo por sua alegada fala de pers sia etc em relatos problemas sci econdmicos que, de algo- ‘ma manera, esto rpre primes das discusses a respeico do ambiente tn esd swe camo sgn “iis es no poe a uma lcd generatasda com os dispescvos, mes, de fato, parece ‘yarn dum lop se tera ct see ‘nos ¢ da criagio entre eles, : wane 2 Para secomectar BICUDO, M.A. & ROSA, M, Realdad bread, Cana; Ura, 208 LEMOS, A ileal so Alegre: Sulina, 2002 LEWY, P.O gn ral. So Puls 34, 2003, ibtrenton. $0 Pas: 34, 1988. 3 4 ‘cultura da convergéncia de Henry Jenkins Yim meas de 2010, ost de videos Viner lngou um desafo piblico mx internet. A idea ea eflar incegralmene Star Wars, de George Lucas 3° tread er 1977. O fle sera fo pols pep incemautas, no esto que (guess, no formato que acastem methoe. Os aurores, de qualquer parte do mundo, deveriam enviar sua versio que, aa monragem fal saris no ms- ‘imo quine segundos ce caca um do mes. © resulta 60 tong Sar Wars ‘Una, Sioa pari da ineragio ener fis aneimos, are relat ee filme, além de saber operar programas de edigio de video ou equipaientor para flmagem ou animagio, ere preciso um nivel complexn de inerago ente os fis ~ era preciso que os autores, sem se co- ecetesn ens eetivestem ém sinooia a espeice de camo filma, ys lag ene pessoas qe no x conhecem, mas dividem as mesmas sefernciae,recrando as mensagens da midis (ecornando-se, eas mesmas, produtoras)ecompartifbando ideas espalhada ene virios meos de comu- nicagio em vias placformas € um das clement do que Henry Jenkins -dencmina cline de comegici io se cata, € bom explicar logo de sida, da reunito de véras Fungées em um Gaico aparelbo. Ess € apenas uma das dimensie,tlves nem mes- smo a mais importante, do que aoatece. ‘A convegéncia culcural econtece a incracio entre indviduos que, #2 ‘omparharcm mensagens, seis, valores € mensagens, atescentam S85 rips contribuiges 9 isso, eranfoemande-oee langando-os de volta mst sees, Nao € porque um teefone cem dezenas de fungiesalém de fazet amadas que se poets alc em "convergénca’: ela acontec, de fa, 90 Fy momento em que relocias a lr de igen vers, dicérias, seinem poe conc de una ree i porextrapo. ama pessoa ou le urn grupo soil — fs, A tiem dines acpi & haa por Jenkin dec da cite nnd cme expla gem ar mn dap stivo— “spt — cesar lga de odes o ote, suet tclevisio, computador, elefone, cimera, © asim por diante. Se, por urn lad, exit parelos que gra fangs sterorment fis pr i postive dienes, por ob isto to ¢o gue curate cular da ConvergocnE pena um dees spect A conergncia € um proces carl que acotee na mente dos in vidves na mea em qu podem ser etal cones ene see. tmenas de clara ca iis, eis mrss Gu cial os is de comunicso, rede ain. Em seu nite mas mpl pan ald a peston nau ach prea com lau fesonagem de ua ste de Tum mores de conti asciun damengem <4 TV com ua pst elem un proc gure em minha mee ‘Aconvergénca, porant, no existe exlsivamence por conta dis teeno= Jogiss ~embora cenham imporencia para sto, A tecnologia cia s possi lidades, mas depende de um. oot for pare gaaha um com mais primo da produgao humana ~ sua dimcrsio clara culturas (Qualque divisdo da cultura em “ves ‘uct ou “cultura letra” em opsio a um cle massa" perde sua indo desc no conceto de "Calera da Convergéncis" ‘na medida em que esas separagies (‘aa “méda,"baina", popalaresca") ‘no se sustencam historicareme ~ 0 que ere “populares” hi triacs anos pode se ornar cut agora, sres de TV e filmes sto adapeados de casos a ceracura,¢ assim por dianee. Par cultura da converts, «noi de ‘culeua”é dindmica e pla, com tacos de vias culcurs se rcombinaa doe modifcando a cada instante Outra premissa importante, além da questo eecnaigica ¢ cakual ¢ 8 faco dos inviduos etarem acostamades 3 loguagen don meios digits, tu sea, a maneira parcicula de coifcar « mensagem naquele racio, No inicio de uma conversa elena o arendee a uma chamada, deve dee no Sendo de pensar “lta cul cuaca popular" ou cultura 35 sai" “pronto”, “quem fla? 00 express semelhances. Ja sbereura de im proama devi ipl acum pe daca home ro ois sna i Neem io so fares do public, ‘A linguagem dos meios de comunicagio, seus cigs € modelos de pro- dogo so refeénciascompatthadas pelos indvdos ¢ grupos, sbrindoes- ago pra formas de exiagio, Aska de rei coma cv dome bata abrangent, ere dade as niin de mas, como o cag © 4c Wis, mis igs a ners d ciberespcn. A converging valid um ici i, mas to sifien que um meio ao desi 0 i fevende que ambos se mica muament uma ated qual tmergern nor ania Asin uma mela cn a.um og deft pla eles, po xem, éesar dame de ura mii de as, wend lo plano de wcordo com os porimecs ds insta curl. No ent, qt nid compar Trans eis digs sexs omens epi do qe vt a eaperitca de ‘eres Eater ~ ai, dade ee eos ri ets, um to Ge open “vee seein, mas races, bre de dsc reimaginas + mensagem, qe sc eis compara com ours esas. ‘ess mani, ania deconvergncs pce do principio de que a d- feet mis cde as apceaascesgiicadas na cxeriencia don indie, gern noes aisacek na mania como ess Fendnnos so venice (0s process de convert 0 dink, € sonst 29 momento aio indivi rer, em sa vide covdans, 9 mennagens © ase sgn em cojueo com a8 mensagens gue ckesum da min ~e que él or soa ver pede “r-ro.Acaura da conengncia epesenta ua alrai, as, a mines como o individu € wit na process de com sic, FE destaada uma overs cancepsia do procesto de comunicesio: embors * indstriacueural continue exstindo e produaindo mensagens dentro de uma lies empresirial, os receprores tornam-se capanes de elebocatecel- bora suas préprias mensagens, compartthando ot cédigos da culeura dd % nia, mas tambien reciand ets elementos conforme ¢ pomvelcabort «pati de mits digits O eeepor se torn, na Cal cura de Convetzéncia, alguém produio, que nao apens vai rimtesprear as mennygens da mia confoeme seus céigo clturas, mas tan va remarires EDSED ants de ola 0 espago pba pa ia dos eis digas ‘nna das premisas mais importances do concito de Culeuts da Conve _acia cle respeito possibtade de ca individu se potenialmente un prolucor de mensagens. Nece panto, o fate das tecnologia digits esta ‘em presentes no cotdian facts o eral de rio (ou eecrigi0) por indkviduos fora do ciecuito da inddatia cultural. Esses prodtos sumer uma enorme quanidae de format, desde a edcio de um teecho de alzum ‘flme hollywoodiano com outea erika sonora, aé a criagio automa de videos, dudion eeexeos ima caracrristica dessa producio que te alia com 4 nocio de convcr- atacia € 0 fat de muitas dels, mesmo eases, buscatem de alguma na ‘ica enlar a culrura dos meio de comunicaglo ~o estilo detlejormais, de Programas de cidio ou sims de enreenimenta & sempce um modelo post ‘el para aclaborago das mensagens pelo piblica. A auditnca produciva da culrura da convergéncia no deixa dese basear nox cédigos que vi, uve leu wa toda, cemperados com suas propras icin ¢concepsies, quando iar suas prpriasproctes, Com alguns programas simples de eign de video, uma pestoa pode te= (0 nimero de rie em uma rede Se mula exponencstnente a cada spontvameto eeabvecida, cree tanedo palmate ovtras conexdes € per erin aumento iastantnco de formas de contaro€circuagio de infor. rs res soils ma interne a informaces poser traces mo pot 32800 - Galt ent um fximero muito grande de pesos cm um espago de tempo febrivamence curt. O resultado, nas edes online, € um uso ininterrupeo te dado geados, produziose eprocuidos entre os participants Luma das exes € sua propria concep da interne, entendida como ona mia an quel se artic tress inrerpessnas € 2 comunicasto de tras, Ou, ns palavas de Merkle, comunicago incempessoel de mass ‘hs concaesctabelecids entre stores das ede conteros espns no se dstanciam desalogica, Nese aspect pesquisaor destaca ts carsc- teria especicas das reves soca olin (Possible de rar um espaco pessoal de apesenraio desi mesmo, conde se pode colar disposigio de todos as imagens © 08 textos que se cxcolber (2)A posiidad de acest ot penis de oueas pessoas, senundo as ca- ractriticase possibiidades de cada rede soci (6) Chunce de estabeecerrelagdes com outros partcipantes da rede, oa cobserago de seus perf a paride incereseseafindades comuns ‘As reds seins permitem a criagio de “identdades eransparentes", ex tabelcidas em conexdesinterpesoais desevolvidas a pari da inteacio ‘nee pert, Ao mesmo tempo, convivers também “identidades carava- esas” ~ noses das misars de carnaval e das mudangss de identi de ~ mas quai as pojeies de si mesmo ¢ a zelagbes desconhecidas ou pro- positalmente falas, os perfis ike, gurantem cipos diferentes de exposicio ‘esi, consequemtement, de interac ‘A expressio “rede soias online, esse sentido, reere-se a umn airnero ‘onsidecivel de formas de interacio entre indviduos a partir da construgio 4c ptinas ow de perfis. Cada um desss,sisim como cada uma das rees, ‘co suse proprascaracteristces e, por conta disso, permite tps diferentes ee interac, tees soca nas quis as pessoas comparilham fatos de sew cotiian | 4 mera € fsa em termos de quantidadelqualidade das reds dig ‘as claicadas a reunie pessoas que goscam detricota. Os tipo de interag80 4 varia conform a possibildade de pertencer a uma rede , de fao, intera- zi com 08 outros membros, ‘A andlisecombinatéria das relacdes nas reds sociis auxin « compecen- der 0 volume € a velocidade da eroca de dados € conceides, faciliando 2 percepgio das possibilidadesefecivas de 4 chepar a compecender 0 que, de fito, significa uma relagio social valine, sua capacidade quese incalculivel cde multiplcagio de contetidos esaberes~e, porque nio, de poderes 7s 6 A capacidade das conexdes em rede: 0 experimento, de Sacks e Graves ‘Um experimenco para cestare exempliiaralgumas dss peincpaiscaac ‘erica de uma rede social digital ft fio pelos pesquisadores norte-ame- ‘icanos Michael Sacks e Nikki Graves. A partir de um trabalho realizado om estudantes de graduacio foi posivel observas, ma pritica, como alge mas das propridades das midas digits se manifesta no coxidiano.. les estipularam uma sri de tres relaconando ee propriedades das reds soca com as caracterstica de tr reds digisis, Fado, Linkedly € Tut, destacando, meses ier € alicativos, de que maneira esas din micas podem ser encontradas e compreendids Em termes ceric, 0 objecivo era buscar ums compreensio de come elementos concetuais sobre edessociis podem ser aplicados nas intergies lees, seja nas eases pesos, seja no mbito profssional, Ox espagos de ‘omunicagio nas reds socius podem, dessa mancia, ser obscrvados pair «de uma perspectiva de sua atuacto ceidiana ‘Tamanho, qualidade ecistincia socal ‘Uma das primeinscaracterstcas«observarem uma rede é seu tamanho, ‘to €, 0 mimero de conexdesdiretas de um de seus ares. A extensto de ‘uma rede est lgada dirtamence & capacidade de umn individuo adguisie ‘novasinformacies a partir de seus coneates. Em um espaco de aimentao «continua de informagoes como o Fazbat, um nimero de conexdes est szado diretamente 20 nimero de dads postados na sinelie de um usulto. ‘Quanto maior o ximero de pessoas conhecides, mas novidades disponives. No entanto, isso significa uma demanda de tempo coasiderivel para t= Adar de todos esses contats e manté-os em di Em outras palavras, ante 76 _——™ ‘os bons felacionamencos, com os quais ¢ possivel ter confianca a respeito Solar nr ne em nee mp0 no sencdo de oxgsizar todas esas informa, verter qe tl ¢edecd sem oma hirarquia. Em outras plays, ala um tsalhe de ape ou gunrda do portio" ~ nos estudes de Jornlismo, agente seleionador das informagies que dever se publiadss. Iso leva a segunda crater,» glad don elacionsmentos dentro deme rede social, A queaidae de coneaes, bem como «fre expecta de agama, parece nio serum for determinate pra sce de urn indtluo on grupo, O nim de nformagies em euealgi em un foe om grande aumero de cones pode se alto. mas ao team emp de aiguma manera implica uma patito contnte dos membrs dessa tele no sented ane ea aida ara clocar isso em pétic, Sacks e Graves pedir «seus alunos pata fase won “mapa de conexées” de cca um. Um dos alunos, nameae "Es tudante 199", ol aponeado porque rts or cla como um “conto frequents”, enquantoouto, 0 “Extadate 182", ib um nico amigo a sah (as iplicasesemoioai doo foram leva rm conergio) "Noentano, ao condi do que parece, embors 99 exit sempre ap Lae obre 0 gue se pasar nla, conmeia ma bs parte desu tempo onverando com colega dato da ede, exqunte pan 1B2 ber emo sufciente par sale contin fra a sala eal Transerndo 0 foco pats um spore profsins, Sac € Graves wl zaram o Lindl par observa ota carer dat rede, a chamada dicincie sal de eos patipancs. A nolo de dca aca parte do ‘lncipo de que inivducnrendem judas com mais equa psoas ‘om quem mantém lignes disar, ou de “primeira onde to 6 seus ttrigas Tssadaetocia vi uentando confrme os gas vio w romano ‘mas tansparenes~ gages de segunda onlem (emigos dos amigo’) € de cerceita (“amigos dos amigos dos amigos”) bo etapas em uma escala des: ‘cendence acé a virtual inexiseéncia de qualquer lago. Quanto mais conexdes orem necssra para angi uma psson, ma ao stoi, cone swentemente, menor a ance de alguna relia Em seu ead, of autores fiers uma lisa ce figuras pices como 2 ‘imvie-dama dos Exados aio, Miche Oba, optic nort-ame- tang Joba McCain eo presidente ds Aft co Sul, Jacob Zuma, iam 7 nein ao estudantes que fitsem wna lista. de seus contatos de segunda @ terceea onlom que poseriam licks aalgume das figuras escolhides Bou parce dos esaanres conseguiu encontrar alum tipo dé 1a¢0 com pelo menos uma das pesioas. Repetindo a experiécia no Linked, foi pos. sive igualmente observar as relacGes de discincia social existenes ener og Estudantes eas personaidades publicas~ algo menor do que 2 imaginava, Alia, na medida em que ox contaros de segunda ececeira ordem, em eral consieados menos importantes, dever ser mais bem observados no sent- ode se angie pesooseparentemente distances tm ems socials. [No esrudo das redes soca, nogio de difuao est rlacionada veloc dade ¢ akance de uma inforeagio dentro de uma rede, Um dos Fatores crux clas vinclados ist eth complvidede da mensagem em si: quanco mais ‘complexa for uma informagio, menor seri sua dfusio, impicando inclusive ‘um mie tempo de espaeta [No cate, ox studantes de Sucks e Graver deveriam ober resposa, via “Titer, & das perguncas a respeico das condigs climaeicas na cidade de ‘Anchorage, no Alsca, A primeira era uma questo geal sobre o tempo, Os sno inham ré minutos pas conseguir A segunda requeri informagies dicioais, como a velcidadee a diego do venco e a prcvsho pata as p= xmas seis horas. © prazo era de cinco minuros. Embora qusse todos os estudantes tenbam se sudo bem aa primei- 14 questo, eceberdloinformacbes confiveis a respeito do clima, poucot conseguiam qualquer dado adicional,indicand uma relagio dizetaentie & simplicdade dos dadose a velcidade/quaidade da dito, incuind af 0 tempo ele respostaaecesiio om cada uma das perguntas, Embora 0 estudo de Sacks ¢ Graves poss tes eventualmence um alcance limitado, seu objetivo nio ¢ efecivamente dicate questies testis, mas ‘ofereer um panorama de aplicacio dis principaiscaracteristicas das reds fem sua aplicastocotdiana. Algo ave pensar na interagto teoca-prtic. 7 7 ‘Como as redes crescem: a perspectiva de Albert-Liszlé Barabisi ‘Um dos lugares-comuns mais conkecds sobre a internet & que, una ver conectics, todos 0s usuirios esto praicamente em pe igualdade © ‘hm as mesmas oportunidades de conexdo, Esta visi paste do presbupesto de que # qualidade ea quantdade de cones entre as pessoas tend a ser mais ou menos a mesma, € que basta estar conectad,crar wma pagina tim te para ser visto, coshecidoe diva, A eealidade parece ser bem diferente, a julgar pelos trabalhos do pes uisador Albere-Lésol6 Barabisi. Estudando a etrucura das conexses hi pelo menos vince anos, ele chservou uma sie de elementos constantes er virion spas de redes, das gages biolgics ene clus aé a arquterara interne e das redessciaisconectadss. Dente esis consantes, uma das rai importances di respeico uma persistence desigualdede entse 0s as ‘qe compen uma rede (© senso comum tende a ver reds como uma aruitetors horizontal isco 4 a qual todos 0s links tena meta iemportnca para conectar os ss. uma rede, cada né esis ligado de manceaaeavia com diversos cues. Porconta dso, rors op ns era 0 mesmo peso construc ds Ligue, petmitindo uma eroca de informagoes livre de hierarquis ou focos espect 0, Alm diso es liga alestria gatante que, mesmo quando um n6 € dsconectado, os outs podria continua funcionand da mescoa mancica, (© modelo proposto por Barbi coloca esa vido em xeque a0 propor ‘qe um pequeno nimeco de née & responsive por uma quanilae imensa de concxes e que esses ns, urna vee desceneetados,levariam junto indie ros outros, em uma esécie de reag80 cm cadea sem limites — data propo: sigio de Barabisi see denomineda "reds fora de escala” ul re mtr. n ode Babi prove ne de ule ce, © mde Bab pre eile ma rede, seja bioldgica, comercial, afetiva esau de ot pre pe cando consideravelmen.- ‘nv, em toro de algumas conenes, uments tesa importnca, Ess as (rf mais importants agtezam dio « tnformagies crucial de sere os responsive, mUitAS ETE, por ineermatiarnn um nme cnsderivel de rela que no exstram se no fst poe ls. Na ees soi ese ipo den sto ators (pesons, organics, em. reas) com um alto mimeo de conesbes, que ransitim sem problemag Ente vrs gros, conus, ls mesma, um poten 6 pars rung pesoas de universe scat dierentes qu, ce out mancira, coeinriam Saas uns aos outios Na nee, so paginas como o Gog, 0s prin ips porta de ors 00 tes de jogos online em mas, por exempl, ‘Gu, por sua etrtura,foram-zeconends preerenciais para um grande Aimer de peo coaeeadas em roma de umn 6 ga ‘A perspec de Bara enteoutas cos, parece dest idea de que bn cee todov slo iguais. Ao concriri, aparentemente & quant: dade de conexds tende & mostrar ume coasiderivel desigualdade — 9 inimero de acess e cones um te de noc tende a ser maior do «que oF de um oscuro e dsconbecdo pessoal. Asim, a ciao de un ‘io ¢ gaan de vide na rede 0 mimeo de conextes pace set for rail de expos. (© dette accion € que ht uma tendénci, em reds fora de exca, que 0s nds com mais conexdes sem cambén os primes seem procures, pars nov ligagies. O nimero de conntes, de agus mancirs, cor toma especie de nde de sce, Quando um grupo consierivel de pessoas estéacessanco um determine o portal, por exemplo, hi uma rendéncia de que seus conhecidos também ‘© inceressem por isso, sumentando de manera expoaencal « audiéncs & partir de conexdesramificades, nto horizontais. Iso ajuda a explcas, pot ‘exemplo, o eeecimento tipo ce vias: quanto mais uma informacéo € divulgeda, maior seri sua civulgasSo, em uma perspctiva circu. Quanto ‘mais um liv ¢ ldo e comentado, mais er ldo e comentado A estrutura se rumifca «partic de uns poucos 6s que ligam todos os oo ‘tos. Um video viel, por exempo,rora-se o centro a partir do qual se rat ‘cam indmeras outs conexies com isa atti ainda mais pili. Se wt ‘Brupo de pessoas. es acessndo determinado portal, sso rende a grat 80 — coments de ead pessoa do grupo xa pny 4 sctivade que hi algo itersante par ver, aumentando exponencament a a putencialdade de aceso. ‘Os nbs prncpais st esponsvcs por articular a lds ene oon omando-s, Com iso, peae-chave aa manutengn da seein derma rele Gragas a iso, lembra Barabisi, uma rede ccnde a continua fare onio smeama que boa parte de seus ns ja desta, conta que o& mas or taares, ito, aquees com maior aero de conexées,contnuem ittaces ‘A ma: noticia records o autor, é que bsta dese eses nds, no entanto, para colocarsbaixo qualquer rede, sam a conexiesenzimitics de uma Celuay ea tcemnee, Se, neste exato moment, um obscure pescl de un individ for a ado por huker © sit do as, provavelmente ninguém além dele © de seus poucos liters vai nota, internet seguir seu camino, No entanto, 4 0 ste wackeado foro do maior mecaaisma de buses on oda maior roe scl, crise ser generalizaca~ uma pare da inveret, Iteralente, et desligue A diferenga nos efecs esté na importincia deorrente do niimero de co exis de cada um: enquanto o boy 56 € vico por ums poucis pessoas, 0 rmecanismo de busca eo ite de reds socials slo cesados por miles de estos todos os dase conseguem espontancamenc cad ver mais conexes. No undo, a incermeresrurur-s a redor de um nimerotelativamente pe -queno de sites acesades pela imensa maria ds esse, enquanto, ao mes ‘mo tempo, uma quantidadeincalealivel de ses permanece dexconhecida ‘Ao aproximar a questo das res de uma perspectiva matemitica, Bara- ‘sabre caminho para aformlagio de hipscess 2 eespeio das posibilida- dese limes desse tipo de conexin, mostrndo qu, para além de uailqvee jogo aleavi, as relagbes ern rede cendem a apreseaar reulardades em, © bende BARABASI, At. Links a nova cigncia dos wswors, Sao Paul: Leopard, 2009. a ML Midias digitais, espaco publico e democracia 1 As politicas do virtual ‘Aextensio do conceito de “plitia” nas midis digas e no cberespago Eo grande quanto no mundo afin. Eo primo problem nasce das pos sibilidads de uso dessa palara ‘politica’, como no caso da maior pare dos conceit, é usada de manceas diferentes por virion pesqusadores Fm sentido comum, a nogio de politic égeralmence relaionada a p dos e governos em sua relagio com as organizages de sociedad. De forma restrica, est ligada 2 edministeac das coisas pablics, ligada ndo apenas tes responsiveis por iso, masa todos os envolvidos, 8 cidadios ‘De mancia ampliada, a nogio de politica esté igada is questées de poder « diteizo na vide cocidiana, Neste ileimo sentido, a ras de grupos min: cris por reconhecimento e expresso, ov mesmo questbes de dearidade so pensadas como atos politicos ~afial, et uma identidade, em alguns ‘aor, significa lutar pelo dire e pela psiildade de ser quem se & n0 et- igo piblico. ‘As midis digtsispossibilcaram 20 meson tempo uma eransposigio € ‘uma transformagéo dessas noes de politica. Na medida em que se mis- ‘tram com a vida e ateram as slags sci, se articulam eambézn com ‘4s posibildades de agi politica os viiossentidos da palavra, agregando nova dimensies a questio. ‘Tras dimensBes do conceto A concepsio das relagies entre pais, mda dsias eciberespaco vara conforme o foco de pesquist: 0 que &“poltca’ para alguns aucores ni € pata outros ~ em alguns cxsos, no sriaconsderado talver digno de ater- ‘io dentro dessa esfera de estudos, No caso das midias digas, iso pode set verificado na quantidade de temas cabalhudos dentro esse assunto, Jndicando as vis faces do que se entende por “politica”. 8s runs oy pesan «pica cre sie gore ean com tao, 8 prton eo gover; smi dps rara3e um Tearineam fied oc toons at eer ete ams fre a scene. As eampuihas plas via ttn! ara pane “spun eltor, eam o wo de to ip de tt, da rin de pes de candids ns ees dias et lg de pecs ey ae paride de pbs ‘Nucor mia d onc, ensand pai como lg aio a Linum pb, + pouiade de ocpuranc ds ace oernamenn ver prmieds novos formes de engaameno police fon cdi mcraeeon, Aus pica de amuntonioaimente pub rma ma co ur noi, vides, un Thun ei gtaraeengi os ado pose 6 led rm una tedenldig eds mae eno mately apo mit ia acl auacom a dens mca e age eed pea S) Fitch sgn ev pn po pn ‘Eesat rocande nl pesto eagshneatn mas ables ws tas opt apiece Upc arts po cr jeaakor pclos. romper csc scl pat an how ip ce cada devi deer errdie cms um nb plio 1 desde, tm pblcn ona um problem poi, Politica, entre o Direito ea Economia Hi ainda ouras guestesvinculadas a elements poiticas nas mia dix sais, prximas de quesesecondmicas, sci jurdicas. ‘De um lado, desigualdade de aceso internet, 2 chamada “exchusio d= stl", ¢ um problema trabalhado por diverscs autores desde a liberacio co- _mercial da rede, ainda nos anos de 1990. O fato de existir uma rede mundial de compucares einformagées ao significa que todos renham acesso a ela ‘Ao contin, iso rem um custo ~ pelo menos um computador e uma conexio ‘com a ince, algo longed ser universal A procura pea incluso digital, ico 6 2 cago de mecanismos que permitam 0 aumento do nimero de pessoas ‘om aces &interet 6 um problema polcco ma medida cm que implica, ent utr cui, a rag de politica pablcas que fcitem esse aceso 86 {Umm segundo problema referee 20 que vem dep do acess, at 6, 0.080 dda rede a diferenca entre comperéias, ve essa Guna palavracortta par ravegar Ness sent, ter acesso€ apenas uma parte; saber utara rece, encontear informa ¢ tranformé-las em cunhimento também pe ser tum fara de exclusio digital, e nem sempre relacionado a problemas er tmicos, mas cambsim a outs, como a faa era, por excmplo ~ algumas funas earias tem mais Fcliade para lala com of ambientes digiais do ‘que overs Bn seu live Gamanicaiedomsraia, Wilson Gomes ¢ Rewsiley “Maia apontam algumasdesas qustics, que, com o rise de qualquer site se, poem ser pensados em ums tabla Seperac do mies de empo esque | lntemagto phic qualia urea parepacio poles |[iscenoc qualidade do eroque de | Dengue deacon, infrenaons ati. [Goer con comentncne [Ga at Fulda extensto do am [Or mee de man contvaen | prodatisand, Sem Has nem conrles ssi pals conan lad uber «contre [0 pandpcco ea dberaneaga gerade etree [Oporcanidade pra vous minnie ou xh, |GONES, Wa MATA, RG ca So Pa Pk, 2p EID ‘Outra dimensio das questdes politics ma intemec di respeico aos pro- ‘lemas relacionados cambém wo Disco. A aividade backer, por exemple, tende a ser penssda coma crime dentro das nogoes de Direito, mas, em ou- tru letra, pode ser uma forma extrema de aivisimo politico dentro da rede Do mesmo modo, as questées relacionadas & viola de direitos anro- ‘ni na dstribuici iegal de conteddo na internet ~a prataria de misica, ‘les, jogos e aplicerivos de computador ~ esté na confluéncia de deci= sis poitcas, legis e coments. Ox reflexnsecondmicos dessa aivaes| ‘lo deixa de Ser mosteadopelasndiseas da cultura so mostrarem quanto Perdem por conea disso, Alée disso, 0 mesmo tempo em que procuram a7 criarbarrirase formas de cibir esses ato, desemvolvem estratégias pay, ftmplemener a disribuigio de conteis oti, procurando Ocuparespeoy ‘comerciaiscambsm dencro das midis iiss Finalmente, a excesiva vibldade, a auséncia de privacidad ea vigil, cia exstente nas nis digits cberespagosioigualmence um probe rma econimico, sociale politico “Econdmico,enee outros fatotes, aa vendailegal de informacies pessoas alguém se cadestra em um sie de compeas, por exemplo, au, além de ven. der a mercidorn para © consumidar, vende ou teansfere 08 dados do per esse consumidor pars outa emprest Socal, nese cao, por conta das ateragies que a excesivavisibiliade pode razr para a relagSs socias 0 mismo de wisiildade pode signifiar ‘ansparéaciaeseguranga, mas também controle ¢vigilincis Neste tkimo aspect, o dominio dos terres da incermete do uso de iiss digas ¢polcco: © controle universal do acesso (com 0 U0, por ‘evemplo, de uma senha pessoal ligida ao documento de ident) limi- ‘ara © anonimato da rede. Isa é vise por alguns como uma possbildace de ibis crimes no Gberespaco ao garantie a posblidade de easresmenro se cds os acess, links ests visirados,enquanto outros entender que 0 fim do anonimato seria o fim de um tipo de iberdade de exprestio ques ‘ete na imerne por cone dessa auséncia de ideniticacto. © panorama dos estudos das questes relacionados & politics naldas sigs digitised interne mostra urn campo em pleno desenvolvimen: 0, no qual questies de poder presents aoe eapacosofintse entrccruzam) ‘com as possibilidedes de divulgacio evisbikdade piblica de questoes, mas ‘também de anonimato e vgilinci de aevidades, Nio muito discante dss polices no mundo concrero~ mas com outras poencialidades, © Para ir mats longe BRUNO, F."Monicorament, castigo e contsle nos cisposicivas de vi ‘inci digi”: AUTOUN, H. ong.) Wi 2.0. Rio de Janivo: Movad Xe 2008, ‘CAZELOTO, E. Incas dia, Sto Pus: Sensc, 2010. FRAGOSO, §.& MALDONADO, AE. Ihr nz Arcs Latina, Porto Al ‘re: Salina, 2011 08 GOMES, WES MAIA, B. Comerica e demas So Palo; Pauls, 2008, GOMES, Ws MAIA, R. & MARQUES, FJ. Ire pla we Bra. Porto ‘alegre: Sulina, 2012. 29 2 AEsfera Pablica ea internet ‘Aparentemente sera entador pensar na inceee como uma elaboracio ‘contemporinen da Bsfera Publica, eaten, 3 principio, como o espego songz E por que um bem imarerial como a informagao se teveste dessa im- Dorincia? A respons pe ser leads nas carecteriticas do capalismo ‘antemporinea em comparagéo com 0 de outtas épocas. 101 ‘Se, ms Revolugio Industral, a informagBes ram usads para controlar tecnologia e pura acriagao de bens, era Castells, na Revolucto da lfey. macio as informacSes sin usadas pura proiuit mais informacies — desde og bens simbdlcos produridos pela indistia cultural até os produtos de consy. smo cotdiano,adaptados a gostose necesidaieseapecfics, Globatzagbo esociedade em rede Outro mare importante neste context & 0 alance global das aces po. tics ¢ econfmics ~ um fenimenobatzado postesiormente de gbulzai Em um munco gloalzado, of fxs de toca de produos, de consumo ¢ do capital nio epi feneias naconsis;ariculamse, nem sempre de rmancta tanqua, com cules locus, cia mows hie ¢ imps a login d coma ode todasospeaosem gu for pastel cepa ‘demands por iformagies esa economia eenase nto moe qua snus amplofrem os espagos de ago do captalismo, A economia em rede ‘mpi madangas ane interna quanto exes nas organizes €empre- a4, Amslincional’, vero que slgumas ves serve de fei par ckesigna empresas com sees mato bem estaba em um pa, inser se emma tonete de inforagies casierive,esponsivel por seu suc 01 fracas em pouces segundos ~ nas criss ccodenicas glob iso pode ser facnene vein (sues de rabalho, na econosa da informa, so Frige, we frmen- doe desmanchsndo com 1 velocidad dos fux05 de dados. A migragio do capital, onenado pelos fanotdeinformacio, no parece se peeacupa com os astos que de. , mais ind, na media em que se estrtura sbee eds de ifr soe suas supranaonas, dervadas em alguma medida da expansio pia de mercads, a globukzacio ebarea em reitncis —c, 8 poe guns rots naconss podem te pedi o sentido, pare outros 56 sigicados gana rns fora dato da no de emda, Identidades,cedes e economia da informagso © sparente triunfo do capitalism ocdenal, no final do século XX, 90 ‘entanto, logo se vu dance do desafio de lida com identiadesloeais em ut ‘mundo global. O final da Guerra Fria deu mais espago parao problern dos fudamentalismos, que se apresencam, em certa media, como wma espécié 102 de aes a globalaaio nio cbse wilvatemsse, em alguns can, seoemas resis de informacio * ‘Ali & descentralizagio dos fundamentalism, © akanee local com acprcssio lobal de algumas de sas aces es locas penranee pends a uma sociedace em rede, levantendo um pevblees x aie Senidade etidades, sam pestons ow colts, cstumam se ngunizar patie de viaclos que reine indvioos apart de algun tego, mats fone os in eco, em comm. Além dio, so organizadas também sores 1430 Ue difoene 0 slum porque aie algum outro. A disrenga ca. tebe o limites da identiae- Ess lies podem se bastante fic, teansformando-te de acordo com a experinia do indivi, sus lenis fs resin de wd, ‘uma sociedad em rede, glabu, reafmaio ds clement de iden tad co estabelecimento de ont bases na cifeenca ganar im petra na medida em que elementos fundamen de dente, como Alu, aae eas prvi soins negra em espctva global ‘A mestiggens,o bibl © w mechs so un weaoedo des nico Ini, ofandamentalmoe mesme «vic conta ocfsente abe podem ser consequtnca extemas does elaho de na visto de mundo, Acltura da vieuaidade rea ‘As represcotagScs que os steshumanosfirem da resi sio wm dos pricipas lementos responsive pura constugo dss mesma realidad ‘Atumanidade ese imersaem uma tama simbilca de representagies [Na medida em que ess cama ndo exe, d fo, se mo omo smbolos comparthados ence serethumanos, sa telidade sempre fo, de algura ‘modo, virtual. Assim, falar de wma “eliade van” srs fala de toda a ‘sca do imaginiio humano. A cicrengaespecfica de umn era puta ma comnicasio mediads po om tadoréa maneis como todas esas represents pcm sr apeopiads no in digs. A realidad se co mundo conreto quate ds representa © serrata, ¢capuradaerecrgaizc ns midis digas, romando- parte de 8m ihega unveso de conendc,rabuls¢iformaghs— principale, ‘olandoafzer pare da realidad onde wi. Es Tigi continua ene rea. vial édeoominada por Cases era da vteslidade real 103 ‘Mais do qu seria uma “ealnade virual”, na qval 0 individuo 36 poderiy ‘etrat com o auxtio de am dispositive eletinico, a nogto de “virualidade teal” parte do principio de que no existern froaciras entre esses dois te. nos, “virtual” “real”: no precsamos de nenhum equipamento de gig cientfca para estar li basta estarmos prOximos de uma cla cigital sje do computidor, do salt ou do cetula. ‘Ea qucbea permite uma concinea migragio de ideas, pric € cones. tos entre os mundos “eal” vireual”, em uma ineraso no isenta de con tradices, e sempre esburrando em outras questOes, como v control poiticy cae ages econlimicas presences nas redes. No sistema modular das midis digits, dados imporcantes dspuram «spago com coments indcuos, noticias relevantes para rod uma come dade esto lac lado com oucras de qualquer espécie. Essa confluéncis ROU, Flor). Midi: represezaioedomoctata, So Paul: Hue, 2010 5 ‘A Esfera Pablica conectada de Yochai Benkler ‘A producio¢divlgacio de qualquer mensagem sempre tem algum cus ‘to, Excrever um bilhete, por exerspo, implica algum gusto com papel e lipis valor que no sesustaria muico nem o mais avarento dos avarentos. are passat uma mensigem para milhares de pessoas, ao entanto, 0 custo ‘omega a aumentarexponencialmente. A publicidade nos veiculos de mas- sa, como atlevisioe revista, sempre fi carsima, Com isso, 0 aimero de pasoas que pode aparecer ness espao ica redurid, Na internet © nas mids digits, no entato, a economia da informacio muda: com custo psf ao dem ile, qualqser pessoa potencialmente pode diseminar ‘uma mensagem por miles de inks. ssa wa ds premissas que levam Yochai Beakle, um dos pincpais pes: ‘uisadores nome arericanos das laces entre eles digas e pola, a pro- por dia da internet como uma “EsferaPiblicaconectada". Se, no passa, ‘custo deser ouvido a Efera Piblica era consderavelment alto, o que prs- ticamence imped 0 cidaio comum de participa om vor ativa dos debates, piblios na midi, a incemet permite que aovas voues enter em ciculag, sumentando uercilene a czpaciade da Sociedade civil dese manifesta Benkler, em sew lwo The wxalth of maworks (A ciquera das cedes), em \redugio lize, wabelha com as possbilidades que a internet abre para 2 precpasio demacritica das pestous nas casas e debates de seu interes Longe de pensar que qualquer um se corna um atvsta apenas pelo fato de ‘tar conectado,o autor mostra como é preciso pensar em lice dferentss puta compreender a aividade politica dentro das rede. © principio € relacivamence simples; a arquieture das midias de mass impediao receptor de rater a mensagem em termos de igualdade. Certar ‘mente uma pessoa asistindo tlevisio sempre pode discordar do que via € 1 pin expe S08 icon gue tee pr pers; no et ry mua isdne sx dod aap smi ns as AMEN! eos tomar enbecinet denn opines eff Plia cone xpi Bel argued ira Senin tb ow didn coueooer ee taimenn oe ce ees, fac com gw pense dat eo ‘anda cm un epg pb, es herve da menage de ‘apa ea 0 Ope em gure anc hore Mid auc de ee ‘Em ver dea mensagem ser transmiida de um nico polo para uma gran de sudigncia, com custo bastance algo, a mensagem é divulgada de forma ‘amis nos viros ns, ln e conenbes existences na tee. Ter uma op) tio sobre wm assunco nunca fi um problema, ea EsferaPiblicaconectada permite que ess opin sjaporencialment ouvid, ‘opespacos da democracia De certa maneia, isos aticulaeambém com as egzas da democraca ‘A possblidade dos cidadics coaversarem entre s sobre assuntos que os in- teresam diminui, oa mesmo elimina, a dependéacia em relagio midi de ‘massa para ter conhecimenta dos aconeecimentos do mundo. ‘Agena politica da sociedade, em outraspalavias, corns parcialmen: te independence da agenda remacica dos meios de comunicagdo ~ no € porque as cedes de televsdo cto divulgando o assunto x que as pessoas falar sobre ese xem rede, um assunto, mesmo que ignorado pela midis de massa, pode se tornar o assunco mais comentsdo nas redes. Em outras palsvras «agenda politica da sociedade ganna inependéncia relativa dos ‘sountosdiscuidos nos meios de comunicesi. Vale destaar,reconda Benker, ue a formacio de uma Esfera Pilea Conectada depende de pestoas; € 4 conexio entre individuos, a formacio de nse links, que permire o debare de questées de inceresse pblico, A inceraee erin as possibilidades de participagto em wma Esfera Pblics, mas ‘io torn, imediatament, todos 0s cidacios em pessoas interessias ao8 Problema caletivos, Hum outro elemento nessa questi. Saber o que esti aconcecendo é uma das premises bisics da democra- ‘la excalhere vorar dependem, em alguma medida, do conhecimenco que 13 cs citados ten dos problemas e questdes de uma regido ou de um grupo, [Nese sentido, #arquitenura em rede permite uma maior ciculagio de in. oxmacbe, opinisese pontos de vista que Seriam impossiveis nas midis de ‘massa por uma simples questo de espago. ‘Benkler precua, ness ponto, destacar como parte do pocencial democré. ico da Esera Piblica conectada em telacio a algumaserticas ‘Sem diids 6 simento indieriminado de vores pode levar nio ao debate, nas cacofonia, um situacio na qual todos falam e ninguém escuta. Igual mente, © peso das grandes corporacies de midia também pode ser sentido re intemer, sobretudo quando se pens, por exemplo, nos geankes porais e informagio. [No entante,destacao aor, #arquiterara cm rede permite informasiy ireulas por outros caminbs ale desses; 0 peso econdmico das empresas de midis nio impede que os individuos participem, explocem trihasalernat ‘ase Se asociem em coo de causase interesses comuns. ‘A capacidade de organizagio da sociedade civil no ambiente das redes ligt carniaha em uma via paralela che wenes distant do que seria dees perar nas miias de massa, Dependendo da importincia da questio,o grat de engajamento anline pode ser alto 0 sficiete paca Se opor a decisSes po iia ¢econdmicas, em como a grandes coxporagées, a partir da aividede ‘onjunea dos individus conectados, A partic de estudes de caso, Benkler mostra que, assim como hi vivo ives de atividade na internet, héciversas maneiras de se conectar ¢ pa ticpar de debates politicos: assim como no cotdiano as pesoas fsa as informagies ecebidas,cambém nas conexses vieuais nem todos o&sssuntcs recebem a mesma atengo, A aparent cacofonia do se manifesta em codos os nveis de conexio, de manciea que assuntos mis importantes parecem trabalhar em um nivel espcifio, com maior grau de engajamento e co0e- ‘es — paticipar de um debate online com dezenas de pessoas € diferente de ‘conversar com um amigo em wma rede social sobre a vida aha A posiblidade de partcipacao politica crada pelas redes digitalis sbre ‘aminhos para se pensar a mogio de democraiae sua relago com a crcula- ‘Go de informases¢ a produgio de conhetimento, Na andlize da economit policica da informacio na srquiterira das reds, Benkler indica os potenciis de engajamento dos individuos em questes publicas, trazendo novos stores nos espagos democetices "4 0 Para ler SHIVEIRA, S.A. Coma dial contrac de comarons, Sao Polo: Pers sawamo, 2010, *Converséncia dial, diverse cull eEsfera Pala". Ins SIL YVEIRA, S.A. & PRETTO, N (orgs). Alin das rks de nln. Sulvaclor: UFBA, 2008, 15