Você está na página 1de 37

1.

O Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania - PRONASCI

1.1. Conceito

O Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) destina-se à prevenção, controle e
repressão da criminalidade, atuando em suas raízes socioculturais, além de articular ações de segurança
pública com políticas sociais por meio da integração entre União, Estados e Municípios, bem como
organizações da sociedade civil de interesse público – OSCIP’s.

1.2. Objetivos

 Melhorar os sistemas de segurança pública e prisional e valorizar seus profissionais;


 Ressocializar as pessoas com penas restritivas de liberdade e egressos do sistema prisional, por
meio da implementação de projetos educativos e profissionalizantes;
 Permitir o acesso a adolescentes e jovens em situação de desagregação familiar às políticas sociais
governamentais, em territórios de descoesão social;
 Garantir o acesso à justiça para a população dos territórios de descoesão social;
 Intensificar e ampliar as medidas de enfrentamento ao crime organizado e à corrupção policial;
 Garantir, através de medidas de urbanização, a recuperação de equipamentos: espaços públicos
seguros;
 Promover os direitos humanos, considerando as questões de gênero, étnicas, raciais, de
orientação sexual e de diversidade cultural.

1.3. Características peculiares

O Pronasci é uma sistemática inovadora, uma vez que atua de forma coordenada no enfrentamento à
violência, de modo que mapeia todas as causas da violência e investe pontualmente na negativação destas,
ao promover ações que permeiam áreas afetas à educação, cultura, esporte, entre outros, indo até ao
reaparelhamento e valorização profissional do sistema de segurança pública.

Para tanto, mobiliza não só um órgão específico, mas tantos quantos forem necessários para o
cumprimento do objetivo do Programa, que é o alcance da paz social por meio da promoção da cidadania.
Nesse sentido, o Ministério da Justiça, órgão responsável pelo Pronasci, tem o envolvimento de todas as
suas unidades: Secretaria Executiva, Secretaria de Assuntos Legislativos, Secretaria Nacional de Justiça,
Secretaria de Reforma do Judiciário, Secretaria Nacional de Segurança Pública, Secretaria de Direito
Econômico, bem como os Departamentos de Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Penitenciário
Nacional.

Indo além, possui ainda como seus parceiros externos: Casa Civil, Ministério da Fazenda, Ministério do
Planejamento, Orçamento e Gestão, Ministério da Educação, Ministério da Saúde, Ministério da Ciência e
Tecnologia, Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome,
Ministério da Cultura, Ministério do Esporte, Ministério das Cidades, Gabinete de Segurança Institucional,
Secretaria Nacional Anti-Drogas, Secretaria Geral da Presidência da República, Secretaria Nacional de
Juventude, Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Secretaria Especial de
Direitos Humanos, Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Caixa Econômica Federal, entre
outros.

1.4. Foco

O Pronasci desenvolverá políticas específicas de enfrentamento e prevenção à violência para os seguintes


públicos:

2
 Adolescentes em conflito com a lei: adolescentes infratores cumprindo medidas de proteção ou
sócio-educativas
 Jovem preso: jovem condenado a penas privativas de liberdade
 Jovem egresso do sistema prisional: jovens que cumpriram pena no sistema prisional
 Jovem oriundo do serviço militar: jovens que concluíram o serviço militar obrigatório
 Jovem em situação de alta vunerabilidade: jovem em situação infracional ou em conflito com a lei,
com baixa escolaridade, baixo acesso ao mercado de trabalho, com atividade sexual precoce e de
risco e expostos à violência doméstica e urbana.

1.5. Condicionalidades junto aos parceiros do Pronasci

 Instalação com garantia de pleno funcionamento do Gabinete de Gestão Integrada Municipal –


GGI-M;
 Elaboração e implementação do Plano Municipal de Segurança Pública;
 Formação continuada das guardas municipais;
 Estruturação e implementação do Conselho/Fórum Municipal de Segurança Pública;
 Garantia através de medidas de urbanização e recuperação de equipamentos, os chamados
“espaços públicos seguros”;
 Promoção dos Direitos Humanos, considerando as questões de gênero, étnicas, raciais, orientação
sexual e diversidade cultural;
 Compartilhamento das ações de política social e de segurança nas áreas conflagradas;
 Mobilização dos mecanismos de comunicação e informação para incentivo à participação social e
divulgação do programa;
 Priorização e implementação, em consonância com o MJ, com os ministérios parceiros e com o
governo do estado a execução dos Programas Território de Paz e ações estruturantes.
 Instituição de mecanismos que garantam a conscientização e o acesso das comunidades e dos
jovens ao Sistema Nacional de Defesa do Consumidor – SINDC;
 Implementação nas políticas municipais de segurança pública, ações garantidoras dos direitos das
mulheres vítimas de violência.

1.6. Estrutura legal e técnica do Pronasci

O Pronasci foi instituído pela Lei n° 11.530, de 25 de outubro de 2007 e foi organizado no Plano Plurianual -
PPA em 9 ações orçamentárias e 2 ações não-orçamentárias. São nestas 11 ações do PPA que se encontram
organizadas/subordinadas as conhecidas ações Pronasci.

Ações Orçamentárias Ações Não-Orçamentárias

 Bolsa-Formação  Financiamento a Policiais para


 Apoio à Construção de Estabelecimentos Penais aquisição de Imóveis
Especiais*  Marco Normativo do Pronasci
 Apoio à Implementação de Políticas de Segurança
Cidadã*
 Apoio à Implementação de Políticas Sociais* (*) Ações que compreendem transferência
 Fortalecimento das Instituições de Segurança de recursos e que estão disponibilizadas
Pública* no SICONV.
 Gestão e Comunicação do Pronasci
 Modernização de Estabelecimentos penais*
 Valorização dos Profissionais e Operadores de
Segurança Pública*
 Campanha do Desarmamento

3
1.7. Relação Federativa

Em atendimento às condicionalidades do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania –


Pronasci, o Ministério da Justiça conta hoje com as seguintes adesões:

Estados Plenos
É o conceito Pronasci dado aos Estados em que as regiões metropolitanas apresentam índices
consideráveis de crimes violentos, letais e intencionais. Tais Estados passam a ter acesso a
recursos/investimentos, com a condicionalidade de que realizem investimentos nos territórios deflagrados
que receberão as ações do Programa, tanto estruturantes quanto programas locais (que engloba o conceito
de Território de Paz).

Municípios Plenos
É o conceito Pronasci dado aos Municípios inseridos nas regiões metropolitanas dos Estados Plenos e
podem ter acesso ao conceito do Território de Paz.

Estados Estruturantes (parciais)


É o conceito Pronasci dado aos Estados que não possuem os mesmos índices de violência, entretanto, por
características específicas, se inserem no Programa.

Municípios parciais
É o conceito Pronasci dado aos Municípios que não possuem os mesmos índices de violência, entretanto,
por características específicas, se inserem no Programa.

4
1.8. Território de Paz

É o conceito Pronasci dado aos territórios que recebem a intervenção de um escopo de ações que, juntas,
atuam na coesão social e na diminuição dos índices de criminalidade violenta. As ações são:

Ação 05/PI 3006S – implantação de bases de Polícia Comunitária


Ação 07/PI 3004C – Aquisição de equipamentos de infraestrutura e sistemas de gestão – GGIM’s e Videomonitoramento
Ação 47/PI 3002B – Praça da Juventude (Ministério dos Esportes)
Ação 51/PI 3006F – Canal Comunidade
Ação 52/PI 3006 – Monitoramento Cidadão
Ação 53/PI 3006H – Geração Consciente
Ação 55/PI 3006I – Formação de Núcleos de Justiça Comunitária
Ação 87/PI 3006Q – Efetivação da Lei Maria da Penha
Ação 61/PI 3006J – Mulheres da Paz
Ação 62/PI 3006K – Protejo
Ação 73/PI 3002L – Pintando a Cidadania (Ministério dos Esportes)
Ação 75/PI 3002M – Programa de Saúde da Família (PSF)
Ação 77/PI 3002O - Economia Solidária (Ministério do Trabalho e Emprego)
Ação 78/PI 3002P – Assistência Jurídica ao Preso e familiares pela Defensoria Pública
Ação 84/PI 3002T – Pontos de Cultura (Ministério da Cultura)
Ação 85/PI 3002U – Pontos de Leitura (Ministério da Cultura)
Ação 88/PI 3002X – Telecentros (Ministério da Ciência e Tecnologia)
Ação 89/PI 3002Z – Praça de Esporte e Lazer na Cidade - PELC (Ministério dos Esportes)

5
2. O Sistema de Convênios do Governo Federal – SICONV

No intuito de disciplinar, modernizar e padronizar os instrumentos de transferência voluntária entre a União


e demais pessoas jurídicas, tanto públicas quanto privadas, o Decreto n° 6.170/2007 instituiu o Sistema de
Gestão de Convênios e Contratos de Repasse – SICONV – cujas regras foram posteriormente detalhadas
pela Portaria Interministerial n° 127/2008. Ambos os diplomas legais já foram aperfeiçoados,
respectivamente, pelos Decretos n° 6.329/2007, n° 6.428/2007, n° 6.619/2008 e pelas Portarias
Interministeriais n° 165/2008, n° 342/2008 e n° 404/2009.

O Portal de Convênios <www.convenios.gov.br> concebido para dar efetividade ao SICONV entrou em


operação na rede mundial de computadores no dia 1° de setembro de 2008. Foi nessa data, portanto, que
passou a ser determinante a exigência de que os atos preparatórios para a celebração de convênio ou
contrato de repasse sejam realizados em meio eletrônico, diretamente pelo Portal, conforme artigo 3° da
Portaria n° 127/2008.

Antes mesmo da formulação de uma proposta, será necessário que o interessado promova o seu
credenciamento junto ao sistema, e no caso do Pronasci, também será necessário que o interessado
promova o seu cadastramento, ambos disciplinados, respectivamente, no artigo 14 e nos artigos 17 a 19 da
Portaria Interministerial n° 127/2008.

Credenciamento Cadastramento

É ato simplificado pelo qual o proponente É ato distinto e complementar ao


ingressará no SICONV. Trata-se de condição credenciamento, representam etapas fisicamente
básica para atuar junto ao Portal de distintas. O proponente deve, assim que possível,
Convênios, inclusive para apresentação de proceder ao cadastramento - indispensável para
propostas. O proponente deverá informar o o cadastramento de propostas no Pronasci - ato
seu nome, endereço da sede, endereço em que serão confirmados os dados relacionados
eletrônico, inscrição no CNPJ e a indicação do à representação dos documentos estabelecidos
responsável que será o signatário do nos artigos 17 a 19 da Portaria Interministerial n°
convênio ou do contrato de repasse. 127/2008.
Para concluir esta etapa, não será necessário
enviar original ou cópia de qualquer Por ser uma etapa que exige a presença física,
documentação, basta informá-los pelo Portal adotou-se a utilização das Unidades
de Convênios. Após preencher os dados, será Cadastradoras do SICAF, com presença em todo
fornecido login e a senha de acesso. o território nacional.

Importante também observar que para as


entidades públicas as condições necessárias
serão examinadas pelas informações existentes
no Cadastramento Único de Convenentes
(CAUC) nessa fase e quando da celebração dos
convênios ou contratos de repasse.

Conforme artigo 4° da Portaria Interministerial n° 127/2008, o Portal de Convênios se destina a ser o grande
campo de informação para as transferências voluntárias dos recursos federais submetidos ao SICONV.

Por isso mesmo, a referida Portaria estabelece que os órgãos e entidades da Administração Pública Federal
que pretenderem executar Programas, Projetos e Atividades que envolverem a transferência de recursos
deverão divulgar anualmente no SICONV a relação dos programas a serem executados de forma
descentralizada e, quando couber, critérios para a seleção do convenente ou contratado. É o que se chama
de Divulgação dos Programas.

6
Compreende as seguintes informações:

 Descrição dos programas, identificando-se principalmente os objetos e as finalidades, bem


 como os principais aspectos relacionados a sua execução;
 As exigências, os padrões, os procedimentos e os critérios de análise das propostas;
 As especificações adotadas por cada programa, notadamente as de caráter técnico e
econômico, a fim de revelar os tipos de ações e as despesas admitidas no contexto do
repasse de verbas.

No caso do Pronasci, em decorrência de suas características peculiares, bem como pela forma em que o
Programa foi legalmente/tecnicamente instituído – considerando a sua composição plurianual (PPA) e
orçamentária – a Divulgação dos Programas foi consubstanciada por meio das suas ações orçamentárias,
ações estas que possuem modalidade de aplicação descentralizada, ou seja, destinada aos Estados e
Municípios.

São estas ações orçamentárias que agregam as linhas de transferências voluntárias – objetos de convênios
ou contratos de repasse no SICONV – conhecidas como Ações Pronasci.

OBSERVAÇÃO: é importante observar que as AÇÕES ORÇAMENTÁRIAS do


Pronasci (PPA) são os PROGRAMAS divulgados no SICONV, que por sua vez
agregam as popularmente conhecidas AÇÕES PRONASCI (Programas Internos
Orçamentários – PI’s) como OBJETOS de convênio ou contrato de repasse
(linhas de transferências voluntárias) no SICONV.

Uma vez divulgados os Programas, os Proponentes1 farão o registro de suas propostas, sendo que no caso
do Pronasci será indispensável a apresentação já do Plano de Trabalho, consubstanciado por toda a
documentação necessária (anexos) à sua perfeita compreensão, que citamos, como exemplo - no caso de
serviços e compras em geral – o Termo de Referência, conforme artigo 23 da Portaria Interministerial.
Outros anexos necessários serão devidamente relacionados nas respectivas ações.

O Plano de Trabalho será analisado quanto à sua viabilidade e adequação aos objetos do Programa pelos
órgãos responsáveis pelas ações PRONASCI. Qualquer irregularidade ou imprecisão constatada quando da
análise do Plano de Trabalho pelas equipes técnicas responsáveis, será comunicada ao proponente, por
meio de “solicitação de complementação”, que deverá saná-las no prazo determinado, conforme
disposições constantes neste Guia.

É fundamental que o proponente desenvolva com especial cuidado o Plano de Trabalho, haja vista que
servirá como principal parâmetro para avaliar a execução do Convênio ou Contrato de Repasse, ou seja,
será o instrumento que fornecerá os elementos para apreciar se houve de fato o avanço da execução das
atividades, organizadas em metas e etapas, bem como os resultados parciais e finais esperados.

1
Denominação dada às entidades públicas e privadas que estão na fase de propositura de projetos, anterior à fase de
celebração dos instrumentos, quando estes passarão a ser chamados de convenentes (no caso de Convênio) ou
contratados (no caso de Contrato de Repasse).
7
3. Orientações gerais para o preenchimento da proposta no âmbito do Programa Nacional de
Segurança Pública com Cidadania

No intuito de primar pela qualidade dos projetos, bem como pela boa gestão dos recursos a serem
destinados para os parceiros do Programa, é extremamente importante que os proponentes façam a
devida apresentação das propostas, não só no intuito de atender às funcionalidades da sistemática de
convênios (SICONV), mas também as diretrizes e objetivos do Pronasci.

Para tanto, visando orientar a composição da proposta, segue abaixo as orientações que deverão ser
rigorosamente cumpridas para o devido encaminhamento dos projetos, conforme a estrutura da proposta
no Sistema de Convênios do Governo Federal:

3.1. Selecionar programa e incluir proposta

Para a inclusão da proposta, o primeiro passo é a seleção do programa. Após a verificação da convergência
de interesses do Programa Federal e da Proposta a ser apresentada, o proponente deverá realizar o
seguinte procedimento:

Após a realização da pesquisa, o proponente deverá “selecionar objetos/preencher valores”. Neste


momento, o proponente selecionará a regra de contrapartida em que o mesmo se qualifica, bem como
relacionará os objetos de seu interesse e incluirá os valores do projeto.

Importante destacar que, havendo seleção de dois ou mais objetos, o proponente deverá demonstrar, no
projeto, os recursos que caberão para cada um dos objetos selecionados, uma vez que cada um detêm uma
programação orçamentária diferenciada no Pronasci.

8
Finalizada a seleção, o SICONV abrirá, para preenchimento, a aba de dados, que deverá conter,
obrigatoriamente, as seguintes informações, nos campos destacados:

Justificativa: conforme Art. 15, inciso II, da Portaria Interministerial n° 127/2008, o proponente deverá
incluir informações contendo a caracterização dos interesses recíprocos, a relação entre a proposta
apresentada e os objetivos e diretrizes do programa federal e a indicação do público alvo, do problema a ser
resolvido e dos resultados esperados. Fora tais dados, o programa entende que é importante a inclusão de
um indicador físico padrão, para posterior acompanhamento da execução, bem como todo e qualquer dado
que perfaça o diagnóstico do problema apontado, como estatísticas, relatórios, etc. Por fim, é importante
relacionar os objetivos gerais e específicos do projeto, bem como, sendo possível, o estabelecimento de
indicadores de resultados, que possam ser auferidos e demonstrados ao final da execução. Pelo fato do
SICONV limitar o campo em 5000 caracteres, havendo a necessidade, o proponente poderá inserir uma
resenha de tais dados e anexar a justificativa completa na aba “anexos”, fazendo menção ao anexo no
campo de justificativa.

9
Sugestão de apresentação da Justificativa (roteiro) – Por tópico
Objeto do Projeto
Resumo do projeto, o que está sendo solicitado. Exemplo: capacitação dos profissionais das GMs e
aquisição de equipamentos para o desenvolvimento de tais e tais ações de prevenção da violência.
Caracterização dos interesses recíprocos e a relação entre a proposta apresentada e os objetivos e
diretrizes do programa federal
Neste aspecto deverá ser demonstrada a convergência de interesses entre o proponente e o
concedente, característica fundamental para o instituto do convênio/contrato de repasse.
Diagnóstico
Deverá ser contextualizado o ambiente a receber a intervenção – área geográfica, problemas da região,
principais crimes e ocorrências policiais, características sociais, econômicas e políticas do
município/estado, população, prováveis causas que originaram o problema apresentado. Se o projeto
for uma continuidade informar os dados do projeto anterior (estatísticos, etc).
Justificativa
Deverá apresentar argumentos que embasem a intervenção; explicitar a necessidade das aquisições
e serviços solicitados para a diminuição do problema apresentado no diagnóstico.
Objetivos Gerais e Específicos
Apresentar, de forma objetiva, quais são os objetivos gerais do projeto, bem como o desdobramento
dos objetivos gerais em objetivos específicos.
Metodologia de intervenção
Explicar, como o projeto será desenvolvido, detalhar como as diferentes etapas serão implementadas e
qual a inter-relação entre as mesmas, indicar os mecanismos de acompanhamento e avaliação do
projeto. É imprescindível informar o critério de seleção das pessoas capacitadas ou que farão parte das
oficinas de prevenção, sendo o caso.
Resultados esperados
Indicar metas e ações a serem realizadas de modo a permitir a verificação de seu desenvolvimento e
cumprimento; descrever quais os possíveis impactos e desdobramentos do Projeto.
Mensuração dos resultados esperados
Ferramenta a ser utilizada para medir o resultado do que se espera: Utilizar impactos razoáveis e de fácil
mensuração. Ressalta-se que as metas propostas deverão ser mensuradas tendo em vista um espaço
temporal e territorial. O Proponente deverá indicar também quais mecanismos utilizará para mensurar
os impactos compatíveis ao proposto na ação, demonstrando, ao final da execução, a efetividade da
implementação da ação, ou seja, resolução do problema diagnosticado.
Público Alvo
Demonstrar, de forma sucinta, quem será o público-alvo da ação, de forma direta e indireta,
apresentando, inclusive, o quantitativo a ser beneficiado (obrigatório para o público-alvo direto).
Acompanhamento da implementação (indicador físico)
Designar o indicador físico padrão, a fim de que o mesmo seja demonstrado nos relatórios trimestrais de
acompanhamento.

Objeto do Convênio: neste campo deverá ser incluído o objeto de convênio, de forma objetiva, sucinta e
clara, uma vez que a justificativa para tal objeto já conterá o detalhamento da proposta.

Capacidade operacional e gerencial: neste campo o proponente deverá informar ao concedente o que o
legitima a gerir corretamente os recursos e o que o legitima a atingir os fins propostos no projeto. Quanto à
capacidade operacional, a mesma diz respeito aos meios, ou seja, a capacidade/estrutura que o convenente
detêm e que o legitima a executar a ação. Quanto á capacidade gerencial, a mesma diz respeito aos fins, ou
seja, a capacidade intelectual/institucional que legimita o proponente a cumprir o objeto do convênio e
atingir a finalística proposta. Fora tais dados, o proponente deverá inserir a declaração, conforme sugestão
constante no presente Guia, no campo disponível na aba de “dados” do SICONV.

3.2. Preenchimento das demais abas

Um vez cadastrada a proposta, o proponente deverá preencher as demais abas, das quais relacionamos os
principais pontos a serem observados:

10
Crono físico
Metas significam, em essência, os resultados devidamente quantificados que se pretende
atingir, ou conforme dispõe o Parágrafo Único do Artigo 25 da Lei n° 4.320/64, são “os
resultados que se pretendem obter com a realização de cada programa”.

As metas deverão representar as parcelas quantificáveis do objeto do convênio, de forma que o


concedente poderá compreender a seqüência lógica da sua execução.

Importante destacar que toda meta inserida deverá ser detalhada em, pelo menos, uma etapa.

Crono Desembolso
Nesta aba o proponente deverá informar, diante dos recursos demandados, o quanto será gasto
do recurso a ser empregado, tanto do concedente, quanto do convenente, diante do
cronograma físico previsto na aba anterior.

Interessante destacar que o programa, por trabalhar com projetos de durabilidade máxima em
24 meses, geralmente realiza um único cronograma de desembolso, com a exceção dos
Contratos de Repasse, já que o cronograma é definido junto à instituição mandatária.

Outro ponto que merece especial atenção é o cronograma do convenente, que deverá ser
rigorosamente cumprido, havendo a celebração de convênio.

Plano de aplicação detalhado


Aba anteriormente chamada de “bens e serviços”, no Plano de Aplicação detalhado deverão
constar, de forma clara e singular, todo e qualquer bem e serviço que venha a ser
adquirido/contratado no âmbito do convênio. Tal aba terá uma repercussão direta na aba
“Projeto básico/Termo de referência” pois, obrigatoriamente, havendo bens e serviços, os
mesmos deverão ser complementados com os respectivos termos de referência, dos quais
sugerimos modelo, conforme informações constantes do GUIA.

Havendo divergência na classificação da despesa, o proponente deverá incluir o código que


corresponda ao seu sistema orçamentário, conforme orientação do Ministério do
Planejamento. Tal fato deve ser comunicado no campo “observações”, a fim de que o
concedente saiba desta divergência e homologue a classificação do proponente.

IMPORTANTE: A fim de facilitar o mapeamento do plano de aplicação, solicita-se que o


proponente, diante do valor de sua contrapartida, sinalize o bem/serviço que será integralmente
custeado com o seu recurso. Tal sinalização deverá constar na especificação do bem/serviço, ao
final de sua descrição, conforme exemplo abaixo.

Anexos
Neste campo o proponente deverá incluir toda e qualquer informação que propicie ao
concedente uma melhor compreensão do projeto.

Importante destacar que é obrigatório incluir na aba anexos a declaração de contrapartida e a


delegação de competência para firmar instrumentos junto a união, nos casos em que se aplica o
disposto no § 5°, Art. 1°, da Portaria Interministerial n° 127/2008.

Projeto básico/Termo de Referência


Neste campo deverão ser inseridos os termos de referência para todos os bens e serviços
relacionados na aba “plano de aplicação detalhado”, bem como, tratando-se de obra, do
Projeto Básico. Quando se tratar de Termo de Referência, o PRONASCI exigirá o seu
encaminhamento e aprovação antes da celebração do convênio, em consideração ao Art. 23 da
Portaria Interministerial n° 127/2008.

11
Feito o cadastro da proposta e o respectivo envio para análise, torna-se importante o conhecimento quanto
aos trâmites que a mesma terá quando da sua análise pela equipe técnica do Pronasci.
Num primeiro momento, a proposta será analisada pela Secretaria Executiva do Programa e
posteriormente colocada em análise, desde que atendidos os focos social, etário e territorial do Pronasci.
Após a triagem, as propostas serão encaminhadas às equipes gestoras, responsáveis pelas ações, a fim de
que seja garantida a viabilidade finalística e técnica do projeto por meio de suas análises.

Após aprovação do Plano de Trabalho pelas áreas, os projetos serão remetidos à Secretaria Executiva do
Programa, que ficará com a responsabilidade de submetê-las ao Comitê Gestor do Programa, colegiado
responsável pela decisão quanto à aplicabilidade de recursos e o direcionamento finalístico de atuação do
Programa.

Havendo a aprovação do projeto por todas as instâncias, a Secretaria Executiva do Programa encaminhará
os projetos às equipes gestoras, a fim de que seja gerado o convênio e que sejam realizados os
procedimentos decorrentes de sua celebração.

Importante destacar que o SICONV estabelece níveis de atores (perfis) no sistema, tanto para o
proponente/convenente/contratado quanto para o concedente/contratante. Para tanto, o Guia dispõe,
havendo necessidade/dúvidas por parte do proponente, os contatos dos responsáveis pelas ações Pronasci.

Analista Técnico
Ator responsável pela análise técnica e aprovação dos dados da proposta - que consiste na
justificativa da celebração do convênio ou contrato de repasse e na descrição do objeto, período
de execução e valores totais de contrapartida e de repasse – que serão contrapostos à finalidade
e aos objetivos do Pronasci. É responsável também pelo registro de parecer técnico e por
consultas.

Apresentados os aspectos fundamentais do SICONV, no âmbito do Pronasci, cabe destacar as


condicionantes básicas para a aceitação das Propostas, que relacionamos abaixo.

Principais vedações instituídas pela Portaria Interministerial n° 127/2008 (Artigo 6°)

 Proposta com valor abaixo de R$ 100.000,00, prevalecendo o princípio da eficiência e


da economicidade, pois há um custo de gestão que torna irrazoável o repasse até
este valor.
 Entidades sem fins lucrativos que tenham como dirigentes, proprietários ou
controladores, membros do poder executivo, judiciário, legislativo, do Ministério
Público ou do Tribunal de Contas da União, servidor público vinculado ao órgão
concedente, bem como os respectivos cônjuges, companheiros, e parentes em linha
reta, colateral ou por afinidade, prevalencendo o principio da moralidade, sob pena
de nulidade dos atos praticados.
 Órgão ou entidade, publico ou privado, que esteja em mora, inadimplente com
outros convênios ou contratos de repasse. Neste contexto, cabe destacar a ressalva
quanto aos órgãos públicos, em decorrência da funcional de segurança pública ser
excepcionalizada por Lei de qualquer vedação temporária.
 Pessoas físicas ou entidades privadas com fins lucrativos.
 Entidades públicas ou privadas cujo objeto social, conforme previsto no seu ato
constitutivo, não se relacione às características do programa federal, no caso, o
Pronasci.

12
4. A divulgação de Programas do Pronasci no SICONV

4.1. Apresentação da divulgação e dica de acesso

Conforme disposição anterior, o Pronasci está divulgado no SICONV por meio das suas ações
orçamentárias – PPA, em que os objetos são os Programas Internos Orçamentários que contemplam a
descentralização de recursos, na figura das conhecidas Ações PRONASCI.

Como dica de acesso aos Programas do Pronasci no SICONV, de forma direta, digite na consulta de
Programas o código da unidade 30000 (que pertence ao Ministério da Justiça) e o código do Programa,
conforme objeto de convênio ou contrato de repasse desejado.

Na descrição das ações Pronasci, o proponente terá acesso às informações qualitativas e técnicas que
circundam o objeto a ser pactuado, bem como o órgão responsável pela sua condução na estrutura do
Pronasci e a equipe técnica responsável pela sua tramitação no SICONV, bem como informações
complementares, que por ausência de campo no SICONV, merecem destaque.

4.2. Os programas e os objetos Pronasci no SICONV

O Pronasci está divulgado no SICONV da seguinte forma:

Número do Programa Nome do Programa


3000020100099 PRONASCI - Ação 8853 – Apoio à Implementação de Políticas Sociais
3000020100100 PRONASCI - Ação 8855 – Fortalecimento das Instituições de Segurança Pública
3000020100101 PRONASCI - Ação 8857 – Apoio à Implementação de Políticas de Segurança
Cidadã
3000020100102 PRONASCI - Ação 8858 – Valorização dos Profissionais e Operadores de
Segurança Pública

13
Número do Programa no SICONV
3000020100099
PRONASCI - Ação 8853 – Apoio à Implementação de Políticas Sociais

Finalidade PPA
Garantir o acesso dos moradores de territórios de descoesão social, especialmente os adolescentes e
jovens em situação de risco social ou em conflito com a lei, às políticas sociais do Governo.

Descrição PPA
Estabelecimento da articulação entre os entes da Federação e entidades da sociedade civil de forma a
apoiar a implementação de projetos de formação cidadã do PRONASCI e garantir recursos para a
execução das diversas iniciativas no âmbito social.

Objetos disponíveis no SICONV


Ação 76/PI 3002N - Fortalecimento e apoio às ações de prevenção à violência (pg. 16)
Ação 78/PI 3002P - Assistência Jurídica ao Preso e familiares pela Defensoria Pública (pg. 17)

Prazo para recebimento de propostas


De 2 a 21 de junho de 2010

Tipo de instrumento a ser celebrado


Convênio e Contrato de Repasse (Caixa Econômica Federal)

Proponentes habilitados para inclusão de proposta


Estados e Municípios que possuem Acordo de Cooperação Federativa firmado com o Pronasci.

14
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 76/PI 3002N - Fortalecimento e apoio às ações de prevenção à violência
Contextualização
Apoiar ações de prevenção à violência e criminalidade nas áreas infra-urbanas indicadas pelo Pronasci.
Apoio a entidades do poder público no desenvolvimento de ações de Prevenção à violência e disseminação
da cultura da paz, que tenham por objetivo reduzir a vulnerabilidade criminal de adolescentes e jovens.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 1 e 2 anos.
 São anexos indispensáveis à análise da proposta o projeto básico e o plano de ensino, se integrante
da estrutura do projeto.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download
na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar
na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia
Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o número da
proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja iniciada a fase de
análise pelo concedente.
 Os critérios norteadores para a seleção dos projetos são a qualidade da proposta, pontualidade
quanto aos atendimentos e diligências, clara demonstração da convergência de interesses do
projeto com as diretrizes do programa e a disponibilidade orçamentária-financeira do concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 (cinco) dias
úteis.
 Não serão analisados, nesta Ação Pronasci projetos que tratem de praça da juventude, inclusão
digital, pontos de leitura, esporte e lazer na cidade, pontos de cultura, geração de emprego e renda
e projetos voltados à área de saúde (PSF), pois tais temas terão os programas divulgados pelos
Ministérios parceiros do Pronasci, após descentralização interna de recursos do Pronasci a tais
Ministérios parceiros. Toda e qualquer informação, nesse sentido, deverá ser obtida junto à
Coordenação de Assuntos Institucionais e de Prevenção, no telefone (61) 2025.35.20.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pela Ação Pronasci


Secretaria Nacional de Segurança Pública

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Cátia Emanuelli catia.emanuelli@mj.gov.br (61) 2025.8988
Ibéria Onofre iberia.onofre@mj.gov.br (61) 2025.9285
Kelly Tavares kelly.tavares@mj.gov.br (61) 2025-8961
Dahir Azeredo dahir.azeredo@mj.gov.br (61) 2025-8961

15
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 78/PI 3002P - Assistência Jurídica aos Presos e seus familiares pela Defensoria
Pública

Contextualização
Nesta ação são disponibilizados recursos financeiros para fortalecer e modernizar a estrutura da Defensoria
Pública no Brasil, tendo como objetivo à prestação de assistência jurídica integral e gratuita aos presos,
presas e seus familiares.
As principais diretrizes são: informação aos detentos (as) e seus familiares quanto a sua situação prisional,
seus direitos e deveres; fomento à criação e fortalecimento de núcleos especializados, coordenados por
Defensores Públicos com dedicação exclusiva para o projeto; adequação de estrutura física e de pessoal, no
intuito de viabilizar o atendimento pessoal em todas as penitenciárias e locais de encarceramento
provisório; atendimento especializado para as mulheres apenadas, com atuação nos processos sobre
guarda de filhos e pátrio poder, fiscalizando o cumprimento de pena em presídio feminino e o direito a
trabalho adequado à condição da mulher; bem como outras medidas judiciais cabíveis para a tutela jurídica
integral.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010;


 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 16 a 20 meses,
devendo considerar o período para os procedimentos administrativos;
 São anexos indispensáveis à análise da proposta: Projeto Básico, Plano de Trabalho e Termos
de Referência;
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para
download na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório
constar na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no
Guia Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o
número da proposta, por e-mail, para o endereço eletrônico
assistenciajuridicapresos.srj@gov.br, a fim de que seja iniciada a fase de análise pelo
concedente.
 Os critérios norteadores para a seleção dos projetos são a qualidade da proposta,
pontualidade quanto aos atendimentos e diligências, clara demonstração da convergência de
interesses do projeto com as diretrizes do programa e a disponibilidade orçamentária-
financeira do concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5(cinco)
dias úteis.
 Itens financiáveis: aluguel de espaço físico, aquisição de veículo, contratação de equipe
multidisciplinar, estagiários, equipamentos de informática, mobiliário de escritório, cartilhas,
folders, cartazes e etc;
 Itens não financiáveis: Construção ou reforma do núcleo de atendimento, contratação de
advogados, diárias com viagens, hospedagens, gratificações, combustível, Seguro de bens,
despesas administrativas como água, luz, telefone e etc;

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria de Reforma do Judiciário

16
Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Anete Soares lemes assistenciajuridicapresos.srj@mj.gov.br (61) 2025 9118 e 2025
9561

17
Número do Programa no SICONV
3000020100100

Finalidade PPA
Apoiar a modernização das instituições de segurança pública para garantir uma atuação adequada do
Estado a fim de restabelecer a convivência pacífica nos territórios de descoesão social.

Descrição PPA
Apoio à implementação de processos de modernização da gestão policial; adequação da infra-estrutura
física das unidades de segurança pública, inclusive de imóvel capaz de se constituir em sede da Força
Nacional de Segurança Pública; apoio à aquisição de equipamentos para as unidades de segurança pública
(viaturas e demais materiais necessários para a atividade de policiamento); apoio à construção de canis
para cães farejadores; apoio à estruturação das ouvidorias e das corregedorias de polícia; instalação de
laboratórios de tecnologia contra a lavagem de dinheiro nos estados. Desenvolvimento de projeto para
controle de rodovias pela Polícia Rodoviária Federal. Implementação de uma nova matriz de policiamento
para padronizar o tempo de atendimento a qualquer tipo de ocorrência policial nas rodovias federais.
Contratação de empresas especializadas, institutos, universidades, ONGs, OCIPs e organismos
internacionais para identificar tipologias na prevenção e controle de ilícitos contra a administração
pública.

Objetos disponíveis no SICONV


Ação 07/PI 3004C - Aquisição de equipamentos de Infraestrutura e Sistemas de Gestão (pg 19)

Prazo para recebimento de propostas


De 2 a 21 de junho de 2010

Tipo de instrumento a ser celebrado


Convênio e Contrato de repasse (Caixa Econômica Federal)

Proponentes habilitados para inclusão de proposta


Estados e Municípios que possuem Acordo de Cooperação Federativa firmado com o Pronasci.

18
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 07/PI 3004C - Aquisição de equipamentos de Infraestrutura, Sistemas
de Gestão

Contextualização
Aquisição de viaturas, motocicletas, coletes balísticos, armas letais e não letais, computadores, impressoras
e monitoramento eletrônico, a serem distribuídos nas delegacias de polícia, batalhões da polícia militar e
bases de guardas municipais, bem como a estruturação dos gabinetes de gestão integrada municipal e
apoio à estruturação das instituições de ensino de Segurança Pública.
.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 1 e 2 anos.
 São anexos indispensáveis à análise da proposta: Projeto Básico, Plano de Trabalho e Termos
de Referência;
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para
download na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório
constar na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no
Guia Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar
OBRIGATORIAMENTE o número da proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s)
responsáveis, a fim de que seja iniciada a fase de análise pelo concedente .
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 (cinco)
dias.
 As propostas encaminhadas em desacordo com as Ações divulgadas pelo PRONASCI e em
desacordo com o Decreto 6.170/2007 e suas alterações, bem como os da Portaria nº 127/2008
e suas alterações, serão rejeitadas.
 RECOMENDAÇÕES: 1) Os estados e municípios deverão incluir nos Termos de Referência
mais de uma cotação de preço e não deverão inserir na relação de bens e serviços marcas ou
nome de empresas para definir o bem/serviço a ser adquirido/contratado, e sim o seu nome
técnico; 2) colocar o nome do projeto compatível com o seu conteúdo; 3) Evitar
detalhamentos exagerado na solicitação dos bens, a fim de evitar direcionamento no processo
licitatório; 4) Aos estados e municípios não é permitida a inserção nos projetos de despesas
operacionais (papel, cartuchos/toner para impressoras, bobina para fax, clips, grampeador,
luvas, fronhas, lençóis, caneta etc); e 5) Aos Estados e Municípios que optem, seguindo o
princípio da economicidade, por aquisições de bens com características/especificações simples
(sem luxo ou ostentação) e de valor módico.
 RESTRIÇÕES: não serão patrocinados pelo PROGRAMA, 1) Fuzis (de qualquer tipo); 2)
carabinas de calibres diversos ao .40, .30 e 5.56 (observando-se a destinação para grupos
ordinários e especiais); 3) Pistolas de calibre diverso do .40; 4) Metralhadoras de calibre diverso
do .40, ou deste, mas com rajada contínua/total; 5) viaturas descaracterizadas e 6) é vedada a
celebração de convênios e contratos de repasse, com órgãos da administração pública direta e
indireta dos Estados, Distrito federal e Municípios cujo valor seja inferior a R$ 100.000,00 (cem
mil reais) e 7).

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria Nacional de Segurança Pública

19
Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Geral Keila Silveira Vasconcelos keila.vasconcelos@mj.gov.br (61) 2025.9166
Geral Tânia Maria Alves Georgii tania.georgii@mj.gov.br (61) 2025.3743
Geral Ramon Luciano Camargo de Abreu ramon.abreu@mj.gov.br (61) 2025.9166
Perícia Wagner Augusto da Silva Costa wagner.costa@mj.gov.br (61) 2025.3380
Pefron/GGIM Wilquerson Felizardo Sandes wilquerson.sandes@mj.gov.br (61) 2025.3339
Aeropolicial Cleverson Lautert Cruz cleverson.cruz@mj.gov.br (61) 2025.3386
Municípios Catia Simone Gonçalves Emanuelli Catia.emanuelli@mj.gov.br (61) 2025.9125
Municípios Ibéria Onofre iberia.onofre@mj.gov.br (61) 2025.9285

20
Número do Programa no SICONV
3000020100101

Finalidade PPA
Garantir o acesso dos moradores de territórios de descoesão social, especialmente os adolescentes e
jovens em situação de risco social ou em conflito com a lei, às políticas que visam garantir o exercício da
justiça e da cidadania.

Descrição PPA
Implementação de centros de reabilitação de agressor (Lei Maria da Penha), construção de núcleos de
polícia comunitária, formação de núcleos de justiça comunitária, implantação de juizados de violência
doméstica e familiar contra a mulher, de delegacias especializadas e núcleos especializados das
Defensorias. Fortalecimento dos Conselhos Tutelares e dos Conselhos Comunitários de Segurança
Pública. Capacitação e treinamento em prevenção e combate à corrupção e à lavagem de dinheiro;
capacitação de Conselheiros Municipais; desenvolvimento da política nacional de enfrentamento ao
tráfico de pessoas e ao desenvolvimento de núcleos de enfrentamento ao tráfico de pessoas. Promoção
da utilização de sistema eletrônico de alienação de bens no âmbito da administração pública e da justiça
federal e estadual. Capacitação de profissionais de justiça em temas específicos, tais como direitos
humanos, violência doméstica e urbana, e atendimento a grupos vulneráveis. Corte do fluxo financeiro no
exterior de organizações criminosas. Proteção dos direitos dos consumidores mediante incentivo à
iniciativas tais como: "Monitoramento Cidadão", "Canal Comunidade" e "Geração Consciente".
Implementação de ações para garantia dos direitos dos cidadãos. Implementação das iniciativas
"mulheres da paz", "reservista cidadão" e "jovem cidadão". Emprego da Força Nacional nos territórios de
descoesão social. Elaboração de diagnósticos para implementação de planos municipais de segurança
pública.

Objetos disponíveis no SICONV


Ação 10/PI 3006D - Elaboração e Implantação dos Planos Municipais de Segurança Pública
Ação 41/PI 3006M - Desenvolvimento de Núcleos de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas
Ação 48/PI 3006E - Estruturação com Equipamentos para os Conselhos Comunitários de Segurança Pública
Ação 51/PI 3006F - Canal Comunidade
Ação 52/PI 3006G - Monitoramento Cidadão
Ação 53/PI 3006H - Geração Consciente
Ação 55/PI 3006I - Formação de Núcleos de Justiça Comunitária
Ação 58/PI 3006B - Implantação de Núcleos nas Defensorias Públicas
Ação 61/PI 3006J - Mulheres da Paz
Ação 62/PI 3006K - PROTEJO - Jovem Cidadão
Ação 87/PI 3006Q - Efetivação da Lei Maria da Penha

Prazo para recebimento de propostas


De 2 a 21 de junho de 2010

Tipo de instrumento a ser celebrado


Convênio

Proponentes habilitados para inclusão de proposta


Estados e Municípios que possuem Acordo de Cooperação Federativa firmado com o Pronasci.

21
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 10/PI 3006D - Elaboração e Implantação dos Planos Municipais de
Segurança Pública
Contextualização
A ação visa contribuir para o incremento da efetividade da ação de segurança pública em nível municipal,
centrada no estabelecimento de metas a partir de planejamento estratégico cientificamente
fundamentado e no contínuo aperfeiçoamento das ações e políticas executadas a partir do monitoramento
dos resultados alcançados.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 1 e 2 anos.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download
na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar
na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia
Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o número da
proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja iniciada a fase de
análise pelo concedente.
 Os critérios norteadores para a seleção dos projetos são a qualidade da proposta, pontualidade
quanto aos atendimentos e diligências, clara demonstração da convergência de interesses do
projeto com as diretrizes do programa e a disponibilidade orçamentária-financeira do concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 (cinco) dias
úteis.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pela Ação Pronasci


Secretaria Nacional de Segurança Pública

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Andreia de Oliveira Macedo andréa.macedo@mj.gov.br (61) 2025.9236
Luciane Patrício Braga de Moraes luciane.moraes@mj.gov.br (61) 2025-9644

22
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 41/PI 3006M - Desenvolvimento de Núcleos de Enfrentamento ao
Tráfico de Pessoas
Contextualização
Apoiar os Estados, Distrito Federal, Municípios e entidades da sociedade civil, organismos
internacionais e outros parceiros na instalação e desenvolvimento de núcleos multissetoriais de
enfrentamento ao tráfico de pessoas, fortalecendo a atuação conjunta e articulada entre todas as
esferas de governo e a sociedade civil.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 1 e 2 anos.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download
na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar
na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia
Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o número da
proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja iniciada a fase de
análise pelo concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 (cinco) dias.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto

Secretaria Nacional de Justiça

Equipe técnica do Pronasci responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Ricardo Rodrigues Lins ricardo.lins@mj.gov.br (61) 2025.3038

23
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 48/PI 3006E - Estruturação com Equipamentos para os Conselhos
Comunitários de Segurança Pública
Contextualização
A capacitação e a preparação das lideranças comunitárias são fundamentais para a implantação dos
conselhos comunitários, habitando-os para o exercício da cidadania e da participação nos temas da
segurança pública. Num segundo momento, é necessária a aquisição de equipamentos para a consecução
dos trabalhos dos Conselhos. Os equipamentos auxiliarão nas atividades de gestão dos Conselhos e
elaboração de projetos pelo próprio Conselho em parceria com órgãos públicos e privados.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 1 e 2 anos.
 São anexos indispensáveis à análise da proposta: o projeto básico e a comprovação da instalação
do Conselho e do funcionamento regular do mesmo.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download
na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar
na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia
Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o número da
proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja iniciada a fase de
análise pelo concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 05 dias úteis.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria Nacional de Segurança Pública

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Cristiano Curado Guedes Cristiano.guedes@mj.gov.br (61) 2025.3465
Juliana Dias Machado Juliana.machado@mj.gov.br (61) 2025.3465
Erisson Lemos Pita Erisson.pita@mj.gov.br (61) 2025.3465

24
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 51/PI 3006F - Canal Comunidade
Contextualização
Instituir mecanismos para garantir o acesso das comunidades Sistema Nacional de Defesa do Consumidor -
SNDC.

Para tanto, serão implantados procedimentos, desenvolvidos junto às comunidades, que permitam, de
forma rápida, simples e direta, apresentar reclamações de caráter coletivo, por meio de: (i) formulário
próprio, eletrônico ou manuscrito; (ii) audiência pública comunitária, com registro dos principais pontos; (iii)
audiência no próprio órgão de proteção e defesa do consumidor.

Mediante a execução desta ação, o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor procurará


sensibilizar os moradores das comunidades sobre o exercício dos direitos de consumidor, sobretudo
aqueles relacionados aos serviços essenciais.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo máximo para a execução do convênio é de até 2 anos.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download
na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar
na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia
Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o número da
proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja iniciada a fase de
análise pelo concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 (cinco) dias
a partir do recebimento.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria de Direito Econômico

Equipe técnica do Pronasci responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Tâmara Costa tamara.costa@mj.gov.br (61) 2025- 3354
Luciana Melo luciana.melo@mj.gov.br (61) 2025.9170

25
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 52/PI 3006G - Monitoramento Cidadão
Contextualização
Vocalizar as demandas dos cidadãos apresentadas nos Procons, promover seus devidos encaminhamentos
e acompanhar seus resultados, nos temas relacionados ao direito do consumidor, especialmente nos
serviços públicos essenciais, como também nas demandas “extra-procon”, que constituem questões alheias
à relação de consumo encaminhadas aos órgãos de defesa do consumidor.

Para tanto, as demandas da comunidade serão tratadas por meio de: (i) sistematização das informações; (ii)
instituição de procedimentos para encaminhar os casos e (iii) estabelecimento de mecanismos para
acompanhar as respostas e resultados para os cidadãos.

Tal ação será realizada por meio da sistematização das demandas de serviços essenciais e “extra-procon”
em parceria com os Procons integrados ao SINDEC; da regulação ou proposição de regulamentação de
procedimentos horizontais (governo federal) e verticais (federação) e da instituição de indicadores para a
transparência dos resultados.
Pretende-se utilizar a articulação do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor como
coordenador do SNDC para vocalizar as demandas dos cidadãos corretamente e com isto, ter a legítima
expectativa de produzir os seguintes efeitos: (i) empoderar o cidadão; (ii) preservar ou resgatar a sua
integridade; e (iii) combater a violência.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo máximo para a execução do convênio é de até 2 anos.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download
na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar
na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia
Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o número da
proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja iniciada a fase de
análise pelo concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 (cinco) dias
a partir do recebimento.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria de Direito Econômico

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Tâmara Costa tamara.costa@mj.gov.br (61) 2025- 3354
Luciana Melo luciana.melo@mj.gov.br (61) 2025.9170

26
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 53/PI 3006H - Geração Consciente
Contextualização
Capacitar jovens multiplicadores, nas áreas de risco, para o exercício dos seus direitos, manutenção da sua
integridade e sentimento de pertencimento.

Para tanto, pretende-se, por meio da Escola Nacional de Defesa do Consumidor, a formação de
multiplicadores que serão representados por lideranças jovens na comunidade ou escolas. A capacitação
desses jovens abrangerá formação teórica e aplicada sobre seus direitos de consumidores para que, em
momento posterior, esse conhecimento seja difundido entre os demais jovens da comunidade.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo máximo para a execução do convênio é de até 2 anos.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download
na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar
na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia
Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o número da
proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja iniciada a fase de
análise pelo concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 (cinco) dias
a partir do recebimento.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria de Direito Econômico

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Tâmara Costa tamara.costa@mj.gov.br (61) 2025- 3354
Luciana Melo luciana.melo@mj.gov.br (61) 2025.9170

27
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 55/PI 3006I - Formação de Núcleos de Justiça Comunitária
Contextualização
A ação tem como objetivo fortalecer a cidadania e consolidar a mediação comunitária como um
instrumento de resolução alternativa de litígios, contribuindo para a democratização do acesso à justiça.
Para tanto, conta com a atuação voluntária de Agentes Comunitários, seguindo as seguintes diretrizes: a)
conscientização da população sobre os seus direitos; b) mediação comunitária; c) animação de redes
sociais, transformando o conflito, por vezes aparentemente individual, em oportunidades de mobilização
popular.
A atuação dos Agentes Comunitários é acompanhada por uma equipe multidisciplinar composta de
advogado, psicólogo, assistente social e estagiários.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 Para que o Núcleo de Justiça Comunitária possa funcionar adequadamente, é necessário que
possua a seguinte estrutura física: espaços para atendimento ao público, para o trabalho das
equipes multidisciplinares, para a realização de mediações, bem como locais para a realização de
oficinas, cursos, dinâmicas de grupo e atividades culturais.
 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° julho de 2010.
 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 12 a 18 meses.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download
na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar
na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia
Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 São itens financiáveis: contratação de equipe multidisciplinar, estagiários, auxílio financeiro para os
agentes comunitários, aluguel de imóvel, computadores, impressoras, mesas, cadeiras, quadro
branco, cartilhas, folders, cartazes e etc.
 São itens não financiáveis: construção, reforma, diárias, passagens, combustíveis, despesas com
água, luz, telefone e etc.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o número da
proposta, por e-mail, para o endereço eletrônico justicacomunitaria.srj@mj.gov.br a fim de que
seja iniciada a fase de análise pelo concedente
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 (cinco) dias
úteis.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria de Reforma do Judiciário

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Thais Elena Iba Souza justicacomunitaria.srj@mj.gov.br (61) 2025 9118 ou 2025 9561
Julia Marques Dalla Costa justicacomunitaria.srj@mj.gov.br (61) 2025 9118 ou 2025 9561

28
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 61/PI 3006J – Mulheres da Paz – Capacitação e Formação de Lideranças
Comunitárias Femininas
Contextualização
Capacitar mulheres atuantes nas comunidades, que façam parte da rede social e de parentesco dos jovens,
das jovens e dos adolescentes em situação de risco social, em conflito com a lei ou no itinerário do crime.
Tornar estas mulheres mediadoras sociais para que construam, nos Territórios da Paz, redes de prevenção e
enfrentamento à violência que estes jovens e adolescentes estejam vulneráveis, acompanhando-os ao
longo do percurso social formativo, proporcionando a integração e a efetivação das políticas de resgate e a
respectiva inclusão social na família e na comunidade.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 1 e 2 anos.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para
download na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório
constar na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no
Guia Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o
número da proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja
iniciada a fase de análise pelo concedente e para o e-mail ensino.senasp@mj.gov.br.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 dias.
 Não poderão fazer parte das propostas os gastos com Coffee-break, coquetéis, medalhas,
brindes, etc.
 Justificativa para alimentação e deslocamento de profissionais: Fundamentar a justificativa
para a alimentação, a necessidade de convidar docentes/palestrantes/consultores de outra
Unidade da Federação. Esse campo só deverá ser preenchido havendo a necessidade dos itens
alimentação e docência/palestrantes/discentes de origem distinta.
 Resultados Esperados com a implementação do projeto: Descrever quais os possíveis
impactos e desdobramentos do Projeto. Utilizar impactos razoáveis e de fácil mensuração.
 Mensuração do Resultado: Indicar os mecanismos que o Proponente utilizará para mensurar
os impactos compatíveis ao proposto no Objeto Geral.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria Nacional de Segurança Pública

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Gestora
Nome E-mail Telefones
Neusa Muller Neusa.muller@mj.gov.br (61) 2025.9753

29
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 62/PI 3006K - PROTEJO - Jovem Cidadão
Contextualização
Apoio a Projetos voltados ao diagnóstico, mobilização e sensibilização dos jovens moradores de territórios
de descoesão social e em situação de alto nível de exposição à violência, com vistas a promover a
integração de políticas públicas que visam garantir o exercício da justiça e da cidadania. Proporcionando
aos mesmos atividades e práticas de cultura, esporte, lazer e oficinas para desenvolvimento de temas
como: direitos humanos, gênero, etnia, juventude, orientação sexual, entre outras. O programa PROTEJO
também deverá propiciar a oportunidade de desenvolvimento de práticas de cidadania supervisionadas em
projetos voltados para a comunidade e protagonizados por esses jovens.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 1 e 2 anos.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para
download na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório
constar na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no
Guia Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o
número da proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja
iniciada a fase de análise pelo concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 dias.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria Executiva do Pronasci

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Geraldo Passos Bittencourt Geraldo.bittencourt@mj.gov.br (61) 2025.9047
Dâmaso Rômulo e Silva Lages Damaso.lages@mj.gov.br (61) 2025.3292

Gestora
Nome E-mail Telefones
Neusa Muller Neusa.muller@mj.gov.br (61) 2025.9753

30
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 87/PI 3006Q - Efetivação da Lei Maria da Penha
Contextualização
Por esta ação apóia-se a implementação dos serviços especializados preconizados pela Lei Maria da Penha
(Lei 11.340/06), especialmente: a) Juizados / Varas de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; b)
Núcleos Especializados de Defesa da Mulher na Defensoria Pública; c) Promotorias Especializadas e
Núcleos Especializados no Ministério Público; d) Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher; e)
Centros de Referência de Atendimento às Mulheres; f) Casas Abrigo; g) Instituto Médico Legal. São
apoiados, ainda, Cursos de Capacitação / Formação para operadores do direito e agentes de segurança.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

Com o objetivo de integrar a atuação dos serviços de prevenção e combate à violência contra a
mulher e consequente efetivação da Lei 11.340/2006, o apoio da Secretaria de Reforma do
judiciário tem as seguintes diretrizes:

• Juizados / Varas de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, constituídos ou a serem


constituídos pelos Tribunais de Justiça dos Estados, em pleno cumprimento da Lei Maria da
Penha, o apoio consiste em:

I) Contratação de Serviços: equipes de atendimento multidisciplinar (psicólogos e assistentes


sociais); estatísticos; estagiários (direito, psicologia, assistência social, estatística e informática);
profissionais de apoio administrativo; serviços gráficos (cartilha, cartaz, folder, banner etc.);
produção, gravação, locução, edição, finalização de mídias sobre o trabalho do Juizado / Vara;
aluguel de espaço físico para funcionamento do Juizado / Vara;

II) Aquisição de equipamentos: veículos; material de informática; mobiliário; itens para


composição de brinquedoteca (espaço provido de brinquedos e jogos educativos, destinado a
estimular as crianças e seus acompanhantes a brincar, criando um ambiente acolhedor).

• Núcleos Especializados de Defesa da Mulher na Defensoria Pública constituídos ou a serem


constituídos pelas Defensorias Públicas dos Estados, o apoio consiste em:

I) Contratação de Serviços: equipes de atendimento multidisciplinar (psicólogos e assistentes


sociais), estatísticos, estagiários (direito, psicologia, assistência social, estatística e informática),
profissionais de apoio administrativo, serviços gráficos (cartilha, cartaz, folder, banner etc.),
produção, gravação, locução, edição, finalização de mídias sobre o trabalho do Núcleo, aluguel de
espaço físico para funcionamento do Núcleo;
II) Aquisição de equipamentos: veículos; material de informática; mobiliário; itens para
composição de brinquedoteca (espaço provido de brinquedos e jogos educativos, destinado a
estimular as crianças e seus acompanhantes a brincar, criando um ambiente acolhedor).

• Promotorias Especializadas e Núcleos Especializados no Ministério Público constituídos ou


a serem constituídos pelos Ministérios Públicos dos Estados, o apoio consiste em:

I) Contratação de Serviços: equipes de atendimento multidisciplinar (psicólogos e assistentes


sociais); estatísticos; estagiários (direito, psicologia, assistência social, estatística e informática);
serviços gráficos (cartilha, cartaz, folder, banner etc.); produção, gravação, locução, edição,
finalização de mídias sobre o trabalho da Promotoria ou Núcleo; aluguel de espaço físico para
funcionamento da Promotoria ou Núcleo;

31
II) Aquisição de equipamentos: veículos; material de informática; mobiliário; itens para
composição de brinquedoteca (espaço provido de brinquedos e jogos educativos, destinado a
estimular as crianças e seus acompanhantes a brincar, criando um ambiente acolhedor).

• A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° julho de 2010.

• O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 16 e 20 meses.

 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da


Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para
download na aba “anexos” do Programa.

 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório
constar na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no
Guia Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.

• São itens não financiáveis com recursos da ação: construção, reforma, diárias, passagens,
combustíveis, despesas com água, luz, telefone etc.

• Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o


número da proposta, por e-mail, para o endereço eletrônico mariadapenha.srj@mj.gov.br a
fim de que seja iniciada a fase de análise pelo concedente.

• Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 dias
úteis.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria de Reforma do Judiciário

Equipe técnica do Pronasci responsável pela tramitação SICONV

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Marcelo Schmidt mariadapenha.srj@mj.gov.br (61) 2025-9118 ou 2025- 9561
Lany Cristina Silva Brito mariadapenha.srj@mj.gov.br (61) 2025-9118 ou 2025- 9561

32
Número do Programa no SICONV
3000020100102

Finalidade PPA
Promover a valorização dos profissionais e operadores de segurança pública para atuação qualificada do
Estado nos territórios.

Descrição PPA
Implementação do projeto de saúde para os policiais civis, militares e corpo de bombeiro e familiares; apoio
à ampliação e consolidação da rede nacional de educação a distância (EAD); apoio à rede de altos estudos
em segurança pública (RENAESP); apoio à formação e aperfeiçoamento dos profissionais de segurança
pública nas mais diversas áreas, tais como: policiamento comunitário e resolução de problemas,
inteligência policial, condução de cães farejadores, em todas as áreas relativas à perícia, no uso
tecnologias não letais e uso proporcional da força, bem como em sistemas de comando de incidentes para
as instituições de segurança pública, atendimento a grupos vulneráveis. Apoio à realização de seminários,
simpósios e jornadas de direitos humanos, entre outros. Apoio à capacitação para investigação criminal
para corregedores de polícia e implementação dos cursos de tecnólogo em gestão penitenciária para
agentes, cursos de formação de agentes comunitários sobre o sistema de segurança pública e mediação de
conflitos, e implementação de cursos de formação continuada de agentes penitenciários e guardas
municipais. Capacitação de magistrados, promotores e defensores públicos em Direitos Humanos.

Objetos disponíveis no SICONV


Ação 23/PI 3007H - Formação e Aperfeiçoamento Prof. Segurança Pública - Tecnologias não-letais
Ação 32/PI 3007Q - Formação e Aperfeiçoamento Prof. Segurança Pública - Guardas municipais

Prazo para recebimento de propostas


De 2 a 21 de junho de 2010

Tipo de instrumento a ser celebrado


Convênio

Proponentes habilitados para inclusão de proposta


Estados e Municípios que possuem Acordo de Cooperação Federativa firmado com o Pronasci.

33
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 23/PI 3007H - Formação e Aperfeiçoamento Prof. Segurança Pública -
Tecnologias não-letais
Contextualização
Capacitação e aperfeiçoamento de profissionais de segurança pública com vistas ao emprego de
tecnologias menos-letais e uso progressivo da força, como forma de desenvolver um novo paradigma de
emprego proporcional do uso da força, baseada na evolução da capacidade técnico-profissional dos
profissionais de segurança pública, ampliando o senso de responsabilidade com relação a preservação da
vida. Garantir a integridade física seja do profissional de segurança pública, como do cidadão. Apoio à
realização de Cursos, Seminários, Simpósios e Jornadas que contemplem a temática citada.

Observações gerais para o cadastramento de proposta


 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.
 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 1 e 2 anos.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da Proposta,
sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download na aba
“anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar na
proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci,
disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 5 dias.
 Não poderão fazer parte das propostas os gastos com Coffee-break, coquetéis, medalhas, brindes,
etc.
 Justificativa para alimentação e deslocamento de profissionais: Fundamentar a justificativa para a
alimentação, a necessidade de convidar docentes/palestrantes/consultores de outra Unidade da
Federação. Esse campo só deverá ser preenchido havendo a necessidade dos itens alimentação e
docência/palestrantes/discentes de origem distinta.
 Conteúdo Programático: O proponente deverá apresentar o nome do curso, o nome das disciplinas,
cada uma contendo: objetivos, ementas, carga-horária, número de alunos a serem capacitados,
metodologia, bibliografia básica e valor da hora-aula. Deve ainda assinalar qual a articulação do
curso com a Matriz Curricular Nacional, a modalidade do curso e expor o critério de avaliação. O
campo pode ser replicado de acordo com o número de disciplinas/cursos.
 Quanto à articulação com a Matriz Curricular Nacional (MCN), o Proponente deverá indicar quais os
eixos articuladores que se relacionam com os cursos solicitados. São eles: (1) Sujeito e Interações no
contexto de Segurança Pública; (2) Sociedade, Poder, Estado, Espaço Público e Segurança Pública;
(3) Ética, Cidadania, Direitos Humanos e Segurança Pública; e (4) Diversidade, conflitos e Segurança
Pública. Ou, no caso de não possuir articulação com a MCN, responder “não possui”.
 No que diz respeito à modalidade do curso, o Proponente deve assinalar se o curso é de (1)
Formação; (2) Atualização; (3) Aperfeiçoamento; (4) Especialização; (5) Seminário; (6) Oficina de
trabalho; ou (7) Outra ação formativa.
 Resultados Esperados com a implementação do projeto: Descrever quais os possíveis impactos e
desdobramentos do Projeto. Utilizar impactos razoáveis e de fácil mensuração.
 Mensuração do Resultado: Indicar os mecanismos que o Proponente utilizará para mensurar os
impactos compatíveis ao proposto no Objeto Geral.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria Nacional de Segurança Pública

34
Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV – Para projetos de Estado

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Eric Pereira eric.pereira@mj.gov.br (61) 2025.3620
Ademárcio Moraes ademarcio.moraes@mj.gov.br (61) 2025.3837

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV – Para projetos de Município

Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Cátia Emanuelli catia.emanuelli@mj.gov.br (61) 2025.8988
Ibéria Onofre iberia.onofre@mj.gov.br (61) 2025.9285
Kelly Tavares kelly.tavares@mj.gov.br (61) 2025-8961
Dahir Azeredo dahir.azeredo@mj.gov.br (61) 2025-8961

35
Ação Pronasci/Objeto SICONV
Ação 32/PI 3007Q - Formação e Aperfeiçoamento Prof. Segurança Pública -
Guardas municipais
Contextualização
Apoiar e promover a educação qualificada e continuada dos profissionais das guardas municipais, bem
como identificar e propor novas metodologias e técnicas voltadas ao aprimoramento das suas atividades,
considerando como marco instrucional a Matriz Curricular de Formação das Guardas Municipais da Senasp.

Observações gerais para o cadastramento de proposta

 A proposta deverá ter o início de vigência do objeto a partir de 1° de julho de 2010.


 O prazo mínimo e máximo para a execução dos objetos é, respectivamente, de 1 e 2 anos.
 São anexos indispensáveis à análise da proposta: o projeto básico e a comprovação da instalação
do Conselho e do funcionamento regular do mesmo.
 Quanto à Declaração de Capacidade Técnica e Gerencial, constante na aba de “dados” da
Proposta, sugere-se a utilização do modelo constante no Guia Pronasci, disponível para download
na aba “anexos” do Programa.
 Quanto aos bens e serviços constantes da aba “Bens e Serviços” do SICONV, é obrigatório constar
na proposta os Termos de Referência; sugere-se a utilização do modelo constante no Guia
Pronasci, disponíveis para download na aba “anexos” do Programa.
 Após o cadastro da proposta, quando do envio à análise, o proponente deverá enviar o número da
proposta, por e-mail, ao(s) analista(s) técnico(s) responsáveis, a fim de que seja iniciada a fase de
análise pelo concedente.
 Caso a proposta sofra alguma diligência, o prazo para o respectivo atendimento é de 05 dias úteis.

Unidade do Ministério da Justiça responsável pelo Objeto


Secretaria Nacional de Segurança Pública

Equipe técnica responsável pela tramitação SICONV


Analista Técnico
Nome E-mail Telefones
Cátia Emanuelli catia.emanuelli@mj.gov.br (61) 2025.8988
Ibéria Onofre iberia.onofre@mj.gov.br (61) 2025.9285
Kelly Tavares kelly.tavares@mj.gov.br (61) 2025-8961
Dahir Azeredo dahir.azeredo@mj.gov.br (61) 2025-8961

36
Está disponível na aba “anexos” de todos os programas, o modelo (sugestão) de Declaração de Capacidade
Técnica e Gerencial, que deverá ser assinado pelo responsável pelo órgão, digitalizado e inserido no campo
“capacidade operacional e gerencial” conforme funcionalidade de upload do SICONV.
DECLARAÇÃO DE CAPACIDADE TÉCNICA E GERENCIAL

O XXXXXXXXXXX, Brasileiro(a), Casado(a), portador(a) da CI nº XXX.XXX-SSP/XX, e CPF nº


XXX.XXX.XXX-XX, residente e domiciliado(a) a Rua Tal, nº XX, DECLARA, sob pena de responsabilidade civil, penal e
administrativa, nos termos da PI nº 127/2008, art. 15, V, que é responsável por qualquer informação ou documentação
apresentada, que não corresponda à verdade formal e material, pela Secretaria de Estado de Segurança Pública / pelo
Município de XXXXXXX-XX:

1. Dispõe de toda a estrutura e recursos necessários para execução dos convênios, em especial as seguintes:
1.1. Administrativa;
1.2. Técnica;
1.3. Operacional;
1.4. Experiência (informe algum convênio e/ou projeto executado pelo órgão na mesma área do convênio: executado
convênio SENASP/MJ nº 235/2002, prestação de contas aprovada);
1.5. Pessoal qualificado (informe a qualificação do pessoal que atuará na execução do convênio: assistente social,
psicólogo, pedagogo, músico, educação física, etc.);
1.6. Estrutura organizacional (demonstra a estrutura da Diretoria, Coordenação, Seção, etc que executará o convênio);
1.7. Instalações (demonstre quais são as instalações disponíveis para a execução do convênio: sala de aula, quadra de
esportes, galpão para oficinas, ginásio, etc.);
1.8. Equipamento (descreva os equipamentos que possui e serão usados no convênio);
1.9. Tecnologia;
2. Dessa forma, encontra-se apta à perfeita execução das Metas especificadas no Plano de Trabalho constante do
SICONV.
____________________________________________________
Local e Data

_______________________________________________________________
Assinatura e carimbo do Dirigente máximo ou outra autoridade,
por delegação de competência

37