Você está na página 1de 69
Universidade Federal do Piauí Centro de Tecnologia Curso de Eng. Elétrica Eletrônica Digital Profª Fabíola
Universidade Federal do Piauí
Centro de Tecnologia
Curso de Eng. Elétrica
Eletrônica Digital
Profª Fabíola Linard, Msc
Page 1
Tópicos: Contadores Assíncronos: Contadores de módulo < 2 N ; Contador Assíncrono de Década;
Tópicos:
Contadores Assíncronos:
Contadores de módulo < 2 N ;
Contador Assíncrono de Década;
Atraso de propagação: contador assíncrono;
Contador assíncrono decrescente;
Contagem assíncrona crescente/decrescente.
Contadores síncronos:
Contadores síncronos de módulo < 2 N ;
Contadores síncronos decrescentes;
Contadores síncronos crescentes/decrescentes;
Contadores síncronos com carga paralela;
Circuitos Integrados de contadores assíncronos;
Analisando contadores síncronos;
Projeto de contadores síncronos;
Page 2
Contadores Assíncronos x Contadores Síncronos. Os contadores podem ser divididos em: Contadores Assíncronos:
Contadores Assíncronos x Contadores Síncronos.
Os contadores podem ser divididos em:
Contadores Assíncronos:
Os FF não mudam de estado com o mesmo sincronismo;
O CLK é colocado apenas no primeiro FF (LSB);
Há uma atraso entre as mudanças de estado de cada FF;
O atraso é propagado de acordo com o número de FF
conectados em cascata,
Contadores Síncronos:
Os FF mudam de estado com o mesmo sincronismo;
O mesmo CLK é ligado em todos os FF;
Há uma atraso entre as mudanças de estado de cada FF;
O atraso não é propagado de acordo com o número de FF.
Page 3
Contadores Assíncronos ou Contadores Ondulantes. Os contadores são dispositivos de múltiplias e importantes
Contadores Assíncronos ou Contadores Ondulantes.
Os contadores são dispositivos de múltiplias e importantes aplicações
e, na eletrônica digital, são facilmente implementados com flip-flops.
O termo assíncrono se refere aos eventos que não têm uma
relação temporal fixa entre si, e, geralmente, não ocorrem ao mesmo
tempo.
Desta forma, um contador assíncrono é aquele no qual os FFs
que constituem o contador ao mesmo tempo não mudam de estado
exatamente ao mesmo tempo, porque não há um pulso de clock comum,
ou seja, os sinais de clock não trabalham na mesma frequência.
Contadores Assíncronos de 4 bits.
Page 4
Contadores Assíncronos – 4 bits:  Clock aplicado apenas na entrada CLK para flip-flop A;
Contadores Assíncronos – 4 bits:
 Clock aplicado apenas na entrada CLK para flip-flop A;
 J e K são altos em todos os flip-flops;
 A saída de flip-flop A é clock de entrada para o flip-flop B;
As saídas dos flip-flops D, C, B e A são um número binário de 4 bits,
sendo o D o MSB.
Page 5
Contadores Assíncronos – 4 bits:  Após a borda de descida do 15º pulso do
Contadores Assíncronos – 4 bits:
 Após a borda de descida do 15º pulso do clock, os flip-flops do
contador estão na condição 1111.
Page 6
Contadores Assíncronos – Fluxo de Sinal:  Convenção: fluxo de sinal da esquerda para a
Contadores Assíncronos – Fluxo de Sinal:
 Convenção: fluxo de sinal da esquerda para a direita, com as
entradas do lado esquerdo e as saídas do lado direito.
 Pode-se utilizar também o fluxo da direita para a esquerda.
MSB
LSB
Page 7
Contadores Assíncronos – Módulo:  O número MOD (Módulo) é igual ao número de estados
Contadores Assíncronos – Módulo:
 O número MOD (Módulo) é igual ao número de estados pelos
quais o contador passa antes da reciclagem (zerar).
16 estados distintos – 0000 à 1111.
Módulo = 2 N (número de estados)
N
4
Para N 
4  MOD 
2
2
16
Adicionando FFs o número MOD irá aumentar.
Page 8
Contadores Assíncronos – Divisão de frequência:  A divisão de frequência - cada FF terá
Contadores Assíncronos – Divisão de frequência:
 A divisão de frequência - cada FF terá uma frequência de saída de
metade da entrada.
A frequência de saída do último contador FF será a frequência do
clock dividida pelo MOD do contador.
f
f
CK
CK
Para N 
4
 f
 f 
(0.0625
 f
)
Hz
N
N
4
4
CK
2
2
Page 9
Contadores Assíncronos – 4 bits. MSB. Divisor de frequência. LSB. f  CK f Q
Contadores Assíncronos – 4 bits.
MSB.
Divisor de frequência.
LSB.
f
 CK
f
Q
0
2
f
Q
f CK
f
 
0
Q
1
2 4
f
Q
f
1
f CK
 
Q
2
2 8
f
Q
f
2
f CK
 
Q
3
2
16
Page 10
 Revisão.  Em contadores assíncronos todos os FFs mudam de estado ao mesmo tempo?
 Revisão.
 Em contadores assíncronos todos os FFs mudam de estado ao
mesmo tempo?
 Resposta: Não.
 Se em um contado de 4 bits.a contagem está em 0101, qual será a
contagem após 27 pulsos de clock?
 Resposta: 0000
 Qual seria o módulo do contador,
se 3 FFs fossem acrescentados?
Para N  7
N
7
MOD 
2
2
128
Page 11
 Atraso de propagação em Contadores Assíncronos.  Os contadores assíncronos são o tipo mais
 Atraso de propagação em Contadores Assíncronos.
 Os contadores assíncronos são o tipo mais simples de contadores
binários, pois requerem poucos componentes para produzir a
operação de contagem desejada.
 Desvantagem: Devido ao fato de que cada FF será disparado pela
transição de saída do FF precedente, há um tempo de atraso de
propagação (t pd ) inerente a cada FF.
Para uma operação adequada é preciso que:
T
 N t
clock
pd
1
f
máx
N
t
pd
N é o número de FFs.
Page 12
 Atraso de propagação em Contadores Assíncronos – Exemplo:  Um contador ondulante de quatro
 Atraso de propagação em Contadores Assíncronos – Exemplo:
 Um contador ondulante de quatro bits seja construído usando flip-
flop J-K 74LS112.
Este FF tem um t PLH = 16ns e t PHL = 24ns como
atrasos de propagação de CLK para a saída Q.
frequência máxima?
Qual será a sua
 Para calcular a frequência máxima devemos considerar o “pior
caso”, ou seja, t pd =t PHL = 24ns
1
1
f
 10,4
MHz
máx
N
t
4
4
ns
pd
Caso aumente o número de FFs?
1
1
f
 6,9
MHz
máx
N
t
6
4
ns
pd
O atraso de propagação total aumenta e f máx diminui.
Page 13
 Revisão.  Por que a frequência limite máxima dos contadores ondulantes diminuie à medida
 Revisão.
 Por que a frequência limite máxima dos contadores ondulantes
diminuie à medida que aumenta o número de FFs do contado?
 Resposta: Cada FF adiciona o seu atraso de propagaçao ao
atraso total em resposta ao pulso de clock.
 Determinado flip-flop J-K tem tpd=12ns. Qual é o contador de maior
módulo que pode ser constituído a partir desses FFs e ainda operar
em uma frequência de até 10MHz?
 Resposta: 256
1
1
1
f
10
MHz
N
máx
N
t
N
12
ns
10
MHz
12
ns
pd
N  8
MOD 
8
2
256
Page 14
Contadores Assíncronos de Módulo < 2 N :  O contador está limitado a módulos
Contadores Assíncronos de Módulo < 2 N :
 O contador está limitado a módulos que são iguais a 2 N , onde N é o
número de FFs, porém ele pode produzir módulos menores do que 2 N ,
permitindo que o contador pule estados que normalmente fariam parte
da sequência de contagem.
 Uso o
Assíncrono do FF para reiniciar a contagem.
CLEAR
 Projeto - Se desejo contar até X:
 Determinar o menor número de FFs necessários (2 N maior ou
igual a X);
 Conecte a saída de uma porta NAND ao
CLEAR
de todos os
FFs;
 Determine quais os FFs que estão em nível alto na contagem
X e conecte na porta NAND.
Page 15
Contadores Assíncronos de Módulo < 2 N : Page 16
Contadores Assíncronos de Módulo < 2 N :
Page 16
Contadores Assíncronos de Década:  Em muitos casos é necessário que a contagem seja em
Contadores Assíncronos de Década:
 Em muitos casos é necessário que a contagem seja em
sequências de 10 pulsos (ou décadas), a base atual de numeração.
 Desde que 10 não é porência inteira de 2, pode ser usado o artifício
com uma porta NAND com a saída conectada nas entradas CLEAR
dos flip-flops.
Page 17
Page 18
Page 18
Contadores Assíncronos Crescentes – Diagrama de Transição de Estados Page 19
Contadores Assíncronos Crescentes – Diagrama de Transição de
Estados
Page 19
Circuitos Integrados de Contadores Assíncronos. Page 20
Circuitos Integrados de Contadores Assíncronos.
Page 20
 Contadores Assíncronos Decrescente. Antes de analisar o circuito de um contador decrescente, vamos analisar
 Contadores Assíncronos Decrescente.
Antes de analisar o circuito de um contador decrescente, vamos analisar a sequência
de contagem decrescente para um contador decrescente de três bits:
CBA
1
1
1
Qual conclusão
podemos tirar ?
1
1 0
1
0 1
1
0 0
0
1
1
0
1 0
0
0 1
0
0 0
Page 21
Page 22
Page 22
Exercícios 1 - Contador Assíncrono: Mostre como um contador assíncrono pode ser implementado tendo um
Exercícios 1 - Contador Assíncrono:
Mostre como um contador assíncrono pode ser implementado tendo um módulo de 12
com uma sequência binária de 0000 a 1011.
Quantos FFs são necessários?
4
Reset
Por que?
Com 3 FFs podem produzir no máximo 8 estados, 4 FFs são necessários para
produzir qualquer módulo maior que 8 mas menor ou igual a 16.
Quando o contador atinge seu ultimo estado, 1011, ele reinicializa (volta para 0000) em
vez de passar para seu próximo estado normal (1100), conforme ilustrado a seguir:
Page 23
Exercícios 1 - Contador Assíncrono: Mostre como um contador assíncrono pode ser implementado tendo um
Exercícios 1 - Contador Assíncrono:
Mostre como um contador assíncrono pode ser implementado tendo um módulo de 12
com uma sequência binária de 0000 a 1011.
Page 24
Reset
Exercícios 2 - Contador Assíncrono: Projete um contador Assíncrono de divisão por 8 (contará de
Exercícios 2 - Contador Assíncrono:
Projete um contador Assíncrono de divisão por 8 (contará de 0 – 7) e a seguir,
reiniciará em 0.
Reset
Page 25
Contadores Síncronos (paralelo): Os problemas encontrados com os contadores assíncronos são provocados pelo
Contadores Síncronos (paralelo):
Os problemas encontrados com os contadores assíncronos são provocados pelo
acúmulo dos atrasos de propagação dos FFs. Essa limitação pode ser superada com o
uso de contadores síncronos ou paralelos, nos quais os FFs são disparados
simultaneamente (em paralelo) pelos pulsos de um mesmo clock de entrada.
QUESTÃO:
Visto que os pulsos de clock de entrada são aplicados em todos os FFs, algum
recurso tem que ser usado para controlar o momento em que um ou mais FFs
deve(m) comutar, e o momento em que um ou mais FFs deve(m) permanecer
inalterado(s) quando ocorrer a borda ativa de clock.
Como fazer isso ???
Projetando as equações de entrada dos FFs !
Page 26
Contadores Síncronos (paralelo): ContadorContador AssíncronoAssíncrono dede 44 bitsbits (módulo(módulo 16)16)
Contadores Síncronos (paralelo):
ContadorContador AssíncronoAssíncrono dede 44 bitsbits (módulo(módulo 16)16)
ContadorContador SíncronoSíncrono dede 44 bitsbits (módulo(módulo 16)16)
CLKCLK
Page 27
Contadores Síncronos (paralelo): FF A: J=K=1 Page 28
Contadores Síncronos (paralelo):
FF A: J=K=1
Page 28
Contadores Síncronos (paralelo): ContadorContador AssíncronoAssíncrono dede 44 bitsbits (módulo(módulo 16)16) 1
Contadores Síncronos (paralelo):
ContadorContador AssíncronoAssíncrono dede 44 bitsbits (módulo(módulo 16)16)
1
f
,
sendo N o número de FFs.
máx
N
t
atraso
ContadorContador SíncronoSíncrono dede 44 bitsbits (módulo(módulo 16)16)
1
f
máx
t
t
atraso
_
FF
atraso
_
AND
Page 29
Contadores Síncronos (paralelo):  Exemplo: DeterminarDeterminar ff maxmax parapara oo contadorcontador
Contadores Síncronos (paralelo):
 Exemplo:
DeterminarDeterminar ff maxmax parapara oo contadorcontador abaixoabaixo sese oo tt pdpd parapara cadacada FFFF éé 5050nsns ee oo tt pdpd parapara cadacada portaporta
ANDAND éé 2020nsns CompareCompare esteeste valorvalor comcom ff maxmax parapara umum contadorcontador assíncronoassíncrono dede módulomódulo 1616
ContadorContador Síncrono:Síncrono:
1
1
f
 14,3
Mhz
máx
t
t
50
ns
20
ns
atraso
_
FF
atraso
_
AND
ContadorContador Assíncrono:Assíncrono:
N
4
MOD 
2
16
2
 N 
4
1
1
f
 5
MHz
máx
N
t
4
50
ns
Page 30
atraso
Contadores Síncronos (paralelo):  Exemplo: OO queque devedeve serser feitofeito parapara converterconverter
Contadores Síncronos (paralelo):
 Exemplo:
OO queque devedeve serser feitofeito parapara converterconverter esteeste contadorcontador emem umum queque tenhatenha módulomódulo 3232??
DeveDeve--sese adicionaradicionar umum FFFF
AA entradaentrada CLKCLK dodo novonovo FFFF devedeve serser conectadaconectada aosaos pulsospulsos dede entradaentrada
AsAs entradaentrada JJ--KK serãoserão acionadasacionadas pelapela saídasaída dede umauma portaporta ANDAND cujascujas entradasentradas sãosão
A,A, B,B, CC ee DD
QualQual aa frequênciafrequência máximamáxima parapara oo contadorcontador síncrono?síncrono?
PermanecePermanece 1414,,33MHz,MHz, poispois aa frequênciafrequência máximamáxima dede umum contadorcontador paraleloparalelo éé
independenteindependente dodo númeronúmero dede FFsFFs
Page 31
Contadores Síncronos de Módulo < 2 N : Utiliza-se as entradas assíncronas CLEAR para gerar
Contadores Síncronos de Módulo < 2 N :
Utiliza-se as entradas assíncronas CLEAR para gerar contadores síncronos de módulo < 2 N . De
forma semelhante aos contadores assíncronos, observa-se spikes ou glitches nas formas de
onda da saída de alguns FFs.
Contador
Síncrono de
módulo 6
Page 32
Contadores Síncronos de Módulo < 2 N : Abaixo mostra-se exemplos de diagramas de transição
Contadores Síncronos de Módulo < 2 N :
Abaixo mostra-se exemplos de diagramas de transição de estados para um contador síncrono
de módulo 2 N , e a mudança que ocorre no diagrama de transição de estados quando se passa
para um contador de módulo < 2 N .
contador síncrono de módulo 2 N
contador síncrono de módulo < 2 N
Page 33
Contadores Síncronos Decrescentes: No estudo dos contadores assíncronos, observamos que em um contador crescente
Contadores Síncronos Decrescentes:
No estudo dos contadores assíncronos, observamos que em um contador crescente
usamos a saída de um FF de ordem mais baixa para controlar a comutação de um FF de
ordem imediatamente superior, já em um contador decrescente usamos a saída invertida
de um FF de ordem mais baixa para controlar a comutação de um FF de ordem
imediatamente superior.
Nos Contadores Síncronos, ocorre algo semelhante: no contador crescente usa-se a saída
de um FF de ordem mais baixa para controlar a comutação de FFs de ordem superior, no
contador decrescente usa-se as saídas invertidas de cada FF para controlar a comutação
dos FFs de ordem superior.
Sugestão: comprove essa afirmação realizando o Projeto das equações de entrada dos
FFs de contadores crescentes e decerescentes!
Page 34
Contadores Síncronos: EXEMPLO Contador Crescente E para selecionar o sentido da contagem ? Contador
Contadores Síncronos:
EXEMPLO
Contador Crescente
E para
selecionar o
sentido da
contagem ?
Contador Decrescente
Page 35
Contadores Síncronos Crescente/Decrescente: ALTO BAIXO Controla-se as saídas normais ou invertidas dos FFs são
Contadores Síncronos Crescente/Decrescente:
ALTO
BAIXO
Controla-se as saídas normais ou invertidas dos FFs são conectadas nas
entradas J-K
Page 36
Contadores Síncronos com Carga Paralela: Muitos contadores síncronos (paralelos) disponíveis na forma de CIs são
Contadores Síncronos com Carga Paralela:
Muitos contadores síncronos (paralelos) disponíveis na forma de CIs são projetados para serem
contadores com carga paralela (presettable): podem ser inicializados com qualquer
contagem inicial desejada de forma assíncrona (independente do sinal de clock) ou sincrona (na
transição ativa do sinal do clock).
1
0
1
0
1
0
1
0
1
1
0
1
0
1
0
01
CARGACARGA ASSÍNCRONAASSÍNCRONA
Page 37
Contadores Síncronos com Carga Paralela: CARGACARGA SÍNCRONASÍNCRONA Muitos CIs de contadores paralelos usam carga
Contadores Síncronos com Carga Paralela:
CARGACARGA SÍNCRONASÍNCRONA
Muitos CIs de contadores paralelos usam carga síncrona, em que o contador é carregado na
transição ativa do mesmo sinal de clock usado para a contagem. O nível lógico aplicado na
entrada determina se a transição ativa do clock carregará o contador ou se será contada
PL
como uma operação normal de contagem.
Exemplos de CIs contadores que usam carga síncrona incluem os 74ALS160, 74ALS161,
74ALS162 e 74ALS163 da família TTl, e os equivalentes CMOS 74HC160, 74HC161, 74HC162
e 74HC163.
ComoComo operamoperam essesesses CircuitosCircuitos IntegradosIntegrados ??
Page 38
Cicuitos Integrados de Contadores: A série 74ASL160-163 / 74HC160-163 Saídas Entradas CLR tem precedência sobre
Cicuitos Integrados de Contadores:
A série 74ASL160-163 / 74HC160-163
Saídas
Entradas
CLR tem
precedência sobre
os outros sinais !
permite
interligar
contadores
PerceberamPerceberam queque esteeste CICI sósó fazfaz contagemcontagem crescentecrescente ??
Page 39
Contador Síncrono (paralelos): Page 40
Contador Síncrono (paralelos):
Page 40
 Circuitos Integrados Contadores: AA sériesérie 74ASL19074ASL190--191191 // 74HC19074HC190--191191 Page 41
 Circuitos Integrados Contadores:
AA sériesérie 74ASL19074ASL190--191191 // 74HC19074HC190--191191
Page 41
 Circuitos Integrados Contadores: ContadorContador dede MúltiplosMúltiplos Estágios.Estágios. Muitas saídas de
 Circuitos Integrados Contadores:
ContadorContador dede MúltiplosMúltiplos Estágios.Estágios.
Muitas saídas de CIs contadores foram projetadas para facilitar a conexão de múltiplos CIs para
criar circuitos com uma extensão de contagem mais ampla.
ComoComo analisaranalisar oo circuitocircuito contadorcontador ??
Page 42
 Analisando Contadores Síncronos: Contadores síncronos são casos particulares de circuitos sequenciais síncronos,
 Analisando Contadores Síncronos:
Contadores síncronos são casos particulares de circuitos sequenciais síncronos, podendo
ser analisados através de ferramentas já vistas, e podendo ser projetados de modo
personalizado para gerar uma sequência de contagem qualquer através do procedimento de
projeto já visto.
Caso tenhamos disponível o esquemático do circuito de um contador síncrono desconhecido
que desejamos analisar – compreender o funcionamento – temos as tabelas e os diagramas
de transição de estados como ferramentas muito úteis para realizar esta análise.
Neste caso, o primeiro passo para gerar a tabela de transição de estados é escrever a
expressão lógica para a entrada de controle de cada FF – a partir dessas expressões, é
possível prever os comandos para cada FF e o próximo estado resultante.
EXEMPLOEXEMPLO ??
Page 43
 Analisando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO EXPRESSÕES: J  A  B C K  C
 Analisando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO
EXPRESSÕES:
J
A
B
C
K
 C
C
J
 
A
B K
B
J
 
C
A K
A
Page 44
 Analisando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO J  A  B C K  C C
 Analisando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO
J
A
B
C
K
 C
C
J
 
A
B K
B
J
 
C
A K
A
Estado ATUAL
Entradas de Controle
PRÓXIMO estado
C
B
A
J
C
B A
K C
J B
K B
J A
K A
C
0
0
0
0
0
1
0
1
0
0
1
1
1
0
0
1
0
1
1
1
0
1
1
1
Page 45
 Analisando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO J  A  B C K  C C
 Analisando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO
J
A
B
C
K
C
C
J
A
B K
B
J
C
A K
A
Estado ATUAL
Entradas de Controle
PRÓXIMO estado
C
B
A
J
K
J
K
J
K
C
B
A
C
C
B
B
A
A
0
0
0
0
0
0
0
1
1
0
0
1
0
0
1
1
1
1
0
1
0
0
0
0
0
1
1
0
1
1
1
0
1
1
1
1
1
0
0
0
1
0
0
0
0
1
0
1
0
1
1
1
0
0
1
1
0
0
1
0
0
0
0
1
1
1
1
1
1
1
0
0
Page 46
 Analisando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO J  A  B C K  C C
 Analisando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO
J
A
B
C
K
C
C
J
A
B K
B
J
C
A K
A
Estado ATUAL
Entradas de Controle
PRÓXIMO estado
C
B
A
J
K
J
K
J
K
C
B
A
C
C
B
B
A
A
0
0
0
0
0
0
0
1
1
0
0
1
0
0
1
0
0
1
1
1
1
0
1
0
0
1
0
0
0
0
0
1
1
0
1
1
0
1
1
1
0
1
1
1
1
1
0
0
1
0
0
0
1
0
0
0
0
0
0
0
1
0
1
0
1
1
1
0
0
0
1
1
1
1
0
0
1
0
0
0
0
0
1
0
1
1
1
1
1
1
1
0
0
0
0
1
Page 47
 Analisando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO J  A  B C Observa-se que se trata
 Analisando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO
J
A
B
C
Observa-se que se trata de um
contador de módulo 5.
K
C
C
J
A
B K
B
J
C
A K
A
Observa-se ainda que se trata de
um contador autocorretor, caso
um dos estados indesejados seja
Atingido, ele retorna para um estado
válido (sem spikes)
.
Estado ATUAL
Entradas de Controle
PRÓXIMO estado
C
B
A
J
K
J
K
J
K
C
B
A
C
C
B
B
A
A
0
0
0
0
0
0
0
1
1
0
0
1
0
0
1
0
0
1
1
1
1
0
1
0
0
1
0
0
0
0
0
1
1
0
1
1
0
1
1
1
0
1
1
1
1
1
0
0
1
0
0
0
1
0
0
0
0
0
0
0
1
0
1
0
1
1
1
0
0
0
1
1
1
1
0
0
1
0
0
0
0
0
1
0
1
1
1
1
1
1
1
0
0
0
0
1
Page 48
 Analisando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO EE parapara projetarprojetar umum contadorcontador
 Analisando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO
EE parapara projetarprojetar umum contadorcontador síncronosíncrono ??
Page 49
 Projetando Contadores Síncronos: Muitas configurações diferentes de contadores estão disponíveis como CIs
 Projetando Contadores Síncronos:
Muitas configurações diferentes de contadores estão disponíveis como CIs assíncronos,
síncronos e combinações assíncrono/síncrono. A maioria deles realiza a contagem segundo
uma sequência binária normal.
Entretanto, em muitas aplicações pode-se precisar de um contador que gere uma sequência
que não seja a normal.
SOLUÇÃOSOLUÇÃO ??
Realizar o projeto do circuito sequêncial.
Page 50
 Projetando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede
 Projetando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
Um motor de passo gira em passos discretos, geralmente 15 o por passo, em vez de girar em
movimento contínuo. Os enrolamentos dentro do motor devem ser energizados e
desenergizados em uma sequência específica para produzir movimentos em passos discretos.
Page 51
 Projetando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede
 Projetando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
Um motor de passo gira em passos discretos, geralmente 15 o por passo, em vez de girar em
movimento contínuo. Os enrolamentos dentro do motor devem ser energizados e
desenergizados em uma sequência específica para produzir movimentos em passos discretos.
Page 52
 Projetando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede
 Projetando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
Passo Completo:
Page 53
 Projetando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede
 Projetando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
• Meio Passo:
Page 54
 Projetando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede
 Projetando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
Deseja-se projetar um contador síncrono que gere sinais digitais a serem
utilizados para controlar a corrente em cada enrolamento do motor.
Page 55
 Projetando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede
 Projetando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
Deseja-se projetar um contador síncrono que gere sinais digitais a serem
utilizados para controlar a corrente em cada enrolamento do motor.
TabelaTabela dede transiçãotransição dede estadosestados
Estado ATUAL
Entradas de Controle
PRÓXIMO
D
B
A
J
K
J
K
B
A
B
B
A
A
0
0
0
0
X
1
X
0
1
0
0
1
1
X
X
0
1
1
0
1
0
X
1
0
X
0
0
0
1
1
X
0
X
1
1
0
1
0
0
1
X
0
X
1
0
1
0
1
0
X
X
1
0
0
1
1
0
X
0
1
X
1
1
1
1
1
X
1
X
0
0
1
Page 56
 Projetando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede
 Projetando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
Deseja-se projetar um contador síncrono que gere sinais digitais a serem
utilizados para controlar a corrente em cada enrolamento do motor.
Page 57
 Projetando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMAPROBLEMA:: ControleControle dede umum MotorMotor dede
 Projetando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMAPROBLEMA:: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
Page 58
 Projetando Contadores Síncronos: EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede
 Projetando Contadores Síncronos:
EXEMPLOEXEMPLO DEDE PROBLEMA:PROBLEMA: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
ULN2003ULN2003
Page 59
 Projetando Contadores Síncronos: DRIVERS:DRIVERS: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso OBS:OBS:
 Projetando Contadores Síncronos:
DRIVERS:DRIVERS: ControleControle dede umum MotorMotor dede PassoPasso
OBS:OBS: UsandoUsando oo 28032803 podepode--sese
controlarcontrolar doisdois (2)(2) motoresmotores dede
passo!!!passo!!!
ULNULN20200303
ULNULN28280303
1616 PINOSPINOS
1818 PINOSPINOS
Page 60
 Projetando Contadores Síncronos: Projetar um contador de Código Gray de 3 bits: Passo 1:
 Projetando Contadores Síncronos:
Projetar um contador de Código Gray de 3 bits:
Passo 1: Diagrama de Estados:
Page 61
 Projetando Contadores Síncronos: Projetar um contador de Código Gray de 3 bits: Passo 2:
 Projetando Contadores Síncronos:
Projetar um contador de Código Gray de 3 bits:
Passo 2: Tabela do Próximo Estado:
???
Page 62
 Projetando Contadores Síncronos: Projetar um contador de Código Gray de 3 bits: Passo 2:
 Projetando Contadores Síncronos:
Projetar um contador de Código Gray de 3 bits:
Passo 2: Tabela do Próximo Estado:
Estado Atual
Próximo Estado
Q
Q
Q
Q
Q
Q
2
1
0
2
1
0
0
0
0
0
0
1
0
0
1
0
1
1
0
1
1
0
1
0
0
1
0
1
1
0
1
1
0
1
1
1
1
1
1
1
0
1
1
0
1
1
0
0
1
0
0
0
0
0
Page 63
 Projetando Contadores Síncronos: Projetar um contador de Código Gray de 3 bits: Passo 3:
 Projetando Contadores Síncronos:
Projetar um contador de Código Gray de 3 bits:
Passo 3: Tabela de Transição de Flip-Flop:
Page 64
 Projetando Contadores Síncronos: Projetar um contador de Código Gray de 3 bits: Passo 4:
 Projetando Contadores Síncronos:
Projetar um contador de Código Gray de 3 bits:
Passo 4: Mapas:
Page 65
 Projetando Contadores Síncronos: Projetar um contador de Código Gray de 3 bits: Passo 4:
 Projetando Contadores Síncronos:
Projetar um contador de Código Gray de 3 bits:
Passo 4: Mapas.
Page 66
 Projetando Contadores Síncronos: Projetar um contador de Código Gray de 3 bits: Passo 5:
 Projetando Contadores Síncronos:
Projetar um contador de Código Gray de 3 bits:
Passo 5: Expressões Lógicas para as entradas dos Flip-flops.
A partir dos mapas de Karnaugh otém-se as seguintes expressões para as
entradas J e K de cada flip-flop.
Page 67
 Projetando Contadores Síncronos: Passo 6: O passo final é a implementação da lógica combinacional
 Projetando Contadores Síncronos:
Passo 6: O passo final é a implementação da lógica combinacional a
partir das expressões para as entradas J e K e a conexão dos flip-flops
para formar o contador de código Gray completo de 3 bits.
Page 68
Bibliografia Básica:  Tocci, R. J., Widmer, N. S., Moss, G. L.; Sistemas Digitais -
Bibliografia Básica:
 Tocci, R. J., Widmer, N. S., Moss, G. L.; Sistemas Digitais -
Princípios e Aplicações - 11ª Ed, Editora Pearson, 2011.
 Floyd, Thomas L.; Sistemas Digitais Fundamentos e
Aplicações - 9ª Ed, Editora Bookman, 2007.
 Pedroni, V. A.; Eletronica Digital Moderna e VHDL, Editora
Elsevier, 2010.
 Milos
Ercegovac;
Tomas
Lang;
Jaime
H.
Moreno;
Introdução aos Sistemas Digitais, Editora Bookman, 2000.
Material da Disciplina:
 SIGAA – Sistema Integrado de Gestão de Atividades
Acadêmicas.
Page 69