Você está na página 1de 64
METODOLOGIA DA PEsQUISA E DO TRABALHO CIENTIFICO Heitor Romero Marques José Manfroi Maria Augusta de Castilho Mirian Lange Noal 22 edigao revisada wt UCDB © 2006 Editora UCDB Impresso no Brasil Printed in Brazil 19 Ediggo. Coordenaglo de Editoracao Ereni dos Santos Benvenuti Editoracao Eletrénica Glauciene da Silva Lima Souza Capa Fabio Baptista E permitida a reprodugao parcial desta publicagao, desde que citada afonte. CO ccontetido publicado é de inteira responsabilidade dos autores e 1ndo representa o posicionamento da Editora UCDB. Feito depésito legal na Fundacao Biblioteca Nacional (Decreto n, 10.994, de 14/12/2004). ‘A€Ecitora UCDB é Membro da Associaco Brasileira das Editoras Uni- versitérias ~ ABEU. Os direitos desta edico so reservados Editora UCDB, cadastrada no Sistema ISBN sob 0 n, 7598: ‘Av. Tamandaré, 6000 - Jardim Seminario CEP 79117-900 - Campo Grande-MS Fone/fax: (67) 3312-3373 e-mail: editora@uedb.br__http:// www.ucdb.br/editora METODOLOGIA DA PESQUISA E DO TRABALHO CIENTIFICO wt ucpB Miss8o Salesiana de Mato Grosso UNIVERSIDADE CATOLICA DOM BOSCO Instituigo Salesiana de Educagio Superior Chanceler: Pe. Dr. Afonso de Castro Reitor: Pe. José Marinoni Pré-Reitor Académico: Pe. Jair Marques de Arauijo Catalogagao na fonte: Biblioteca “Pe. Félix Zavattaro” - UCDB Metodologia da pesquisa e do trabalho cientifico / Heitor Romero Marques [et al.]. ~ Campo Grande : UCDB, 2006. 130p. ISBN 85-7598-097-1 1. Pesquisa 2. Ciéncia - Metodologia 3. Trabalhos Clentificos. I. Marques, Heitor Romero, Clélia Takie Nakahata Bezerre Bibliotecdria - CRB n. 1/757 PRIMEIRA PARTE .. 1 CONTEXTUALIZACAO DA METODOLOGIA CIENTIFICAE 3 ALEITURAE INTERPRETACAO DE TEXTOS .. 4 AQUESTAO DAREDACAO . SUMARIO METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTIFICO 2 AHUMANIDADE E OS CAMINHOS PARA A CONSTRUCAO DOCONHECIMENTO .. 2.1 FORMAS E TIPOS DE CONHECIMENTO 2.2 CONHECIMENTO EMPIRICO OU DO SENSO COMUM 2.2.1 Espontaneidade.. 2.2.2 Carater utilitarista 2.2.3 Subjetividade e baixo poder de critica ... (2.2.4 Linguagem vaga 2.2.5 Desconhecimento dos limites de validade 2.3 CONHECIMENTO TEOLOGICO/RELIGIOSO ........ 2.4 CONHECIMENTO FILOSOFICO 2.5 CONHECIMENTO CIENTIFICO 2.5.1 Busca de principios explicativos e visdo uni- taria da realidade. 2.5.2 Divida, investigagao e conhecimento 2.5.3 Ideal da racionalidade ea verdade sintatica. 2.5.4 Ideal da objetividade e a verdade semantica 2.5.5 Linguagem especifica e poder de critica 2.5.6. Carater hipotético do conhecimento cientifico .. 22 2.6 PROCESSO DE PRODUCAO DO CONHECIMENTO. a 3.1 ALGUMAS TECNICAS DE LEITURA 3.2 A QUESTAO DA INTERPRETACAO .. 5.2.2 Abordagens 5.3 AQUESTAO DO METODO ... 5.3.1 Quanto as bases légicas ou de abordagem 5.3.2 Quanto as bases técnicas .. 5.3.3 Quanto aos procedimentos 5.4 TIPOS DE PESQUISA .. 541 nto aos objetivos .. 54.2 Quanto & perticpacio do pesquisador (rela- ‘Go sujelto-objeto de pesquisa) 5.4.3 Quanto a coleta de dados .. 5.5 ALGUNS PROCEDIMENTOS DE COLETA DE DADOS BQeeeesee8 Beane 6.5.1 Conceituagées e finalidades 6.5.2 Estrutura 6.6 ARTIGO TECNICO-CIENTIFICO. 6.6.1 Conceitos e objetives. 6.6.2 Estrutura 6.7 ARTE E TECNICA DE FAZER APONTAMNTOS 6.7.1 Consideracies gerais 6.7.2 Tamanhos de ficha 6.7.3 Estrutura de ficha . 6.7.4 Tiposdefichas SARYIRINRA 6.8 DOSSI 88 6.9 MEMORIAL. 88 6.10 DIARIO DE CAMPO... 89 6.11 ENSAIO .. 90 TERCEIRA PARTE 93 7 PROJETODEPESQUISA. 7.1 QUESTOES CONCEITUAI: 7.2 ESTRUTURA OU ORDEM DE rAGAO 7.3 AORDEM DE ELABORACAO DO PROJETO... 8 NORMAS DA ABNT PARA ELABORACAO DE TRABALHOS ENTIFICOS 8.1 ESTRUTURA DE TRABALHO CIENTIFICO 8.2 ESTRUTURA DE TRABALHO CIENTIFICO COM EXPERI- MENTO OU ESTUDO DE CASO sss 8.3 CONFIGURACAO DE PAGINA E CITACOES. 8.4 COMO ORGANIZAR AS REF REFERENCIAS OS AUTORES.. PRIMEIRA PARTE 1 CONTEXTUALIZACAO DA METODOLOGIA CIENTIFICA E METO- DOLOGIA DO TRABALHO CIENTIFICO Contextualizar um assunto ou tema de discussio € essencial- mente localizé-lo em um dado momento histérico e circunscrevé-lo a um espaco geogréfico, ‘Abordar a questo do método propriamente dito, no contexto histérico, é tarefa complexa, visto que o seu significado esta sujeito a muitas variagBes e submetido a condicionamentos por vezes ideol6gi 05, econdmicos, filoséficos, religiosos, et. Assim, se pode dizer, ainda que grosso modo, que o método no sentido etimolégico se refere a "metd " = além de..., “odds " = cami- ‘iho, caminhada, Quando se agrega a palavra método o sufixo "logia ", ‘com 0 significado de estudo e conhecimento, tem-se no sentido se- ‘méntico 0 conceito de metodologia enquanto uma caminhada que se faz para se ir além do conhecimento que se tem aqui e agora. Ento, a partir desse conceito € possivel inferir que 0 conhecimento, ainda ue resultante de processos cientificos, é naturalmente provis6rio do Ponto de vista da possibilidade de sua superaco por meio de novas Pesquisas e avangos tecnolégicos. Da mesma forma pode-se dizer que 0 método, no universo da roduico de conhecimento, no tem sido o mesmo, ao longo da histéria.. ‘A partir da provisoriedade do conhecimento e do método pode- se dizer das rupturas conceituais enquanto eixos paradigmaticos, me- diante o surgimento de novas necessidades advindas dos mais distin- tos segmentos constituintes da estrutura social. Nesse sentido é ilus- trativo lembrar que o método da especulagio filoséfica, adotado como procedimento de produco de conhecimento durante a Idade Média, sofreu um duro golpe, em vista do chamado "método cientifico” utiiza- do no universo das ciéncias naturais. Na especulagio filoséfica, a regra basica partia da concepgéo de que diante um problema qualquer era sempre possivel aplicar, apés oestabelecimento de hipdteses, 0 raciocinio dedutivo, para dele con- cuir novas verdades. J4 no "método cientifico”, apés hipotetizar solu- .g6es a0 problema em questo, implica raciocinio indutivo, para o que indispensdvel a observacdo e a experimentacao, de cujos procedi- rmentos buscam-se as evidéncias para aproximar-se das verdades, di- tas cientifica. Entretanto, 6 necessério compreender que na atualidade hé ‘outros procedimentos metodolégicos cuja indugo néo implica ne- cessariamente experimento, como, por exemplo, no universo das ci- ncias humanas, incluidas as ciéncias da educagao e juridicas. Nesses casos a indugéo é compreendida a partir de anélises feitas sobre as bases reais da sociedade, ou seja, os dados para a andlise so obtidos diretamente do universo social, educacional e juridico. Outro modo de diferenciar a metodologia cientifica e a metodo- logia do trabalho cientifico parte das suas finalidades, na tradico uni- versitaria e académica, quais sejam: 1) a metodologia cientifica é mais, restrta ao universo da iniciago cientifica levada a efeito em distintas ‘oportunidades nos cursos de bacharelado e licenciatura e 2) a meto- dologia do trabalho cientifio esté mais voltada para o universo da pés-graduagéo, tanto lato sensu quanto stricto sensu. Todavia é necessério destacar que a metodologia cientifica e a metodologia do trabalho cientifico no so excludentes entre si, mas complementares, qual seja, uma esté implicitamente contida na outra. Metodologia da Pesquisa © do Trabalho Centiico 2 AHUMANIDADE E OS CAMINHOS PARA A CONSTRUCAO DO CONHECIMENTO © homem é um ser jogado no mundo, cond n 10 mundo, condenado avi Sua ensténci, Por sr enstenca, tom que interes vor 20 mundo em que vive, atribuindo-hes sigitcarao. Cee me teecalnente representagSes stnifeatvas da reaadek SSiRsreresertaes chamamos conhecmento (ROCHE, ‘Ao longo de sua evoluco, a humanidade gerou diversas formas de conhecimento, as quais possuem diferentes caracteristcase lim. tes na explicaclo dos fenémmenos que se apresentam ao ser humano, em seu dia-a-dia. 2.1. FORMAS E TIPOS DE CONHECIMENTO Com o desenvolvimento do ‘conhecimento humano e da lingua- ‘gem necesséria 8 sua transmisséo, surgiram duas formas de conheci- mento que dominaram a humanidade Por milhares de anos: conheci- mento empirico (senso comum) e conhecimento religioso. Poste- rlormente surgiram os eonhecimentos filoséficos seguidos da cién-