Você está na página 1de 2

INSTABILIDADE

A CHAVE DO EQUILÍBRIO FUNCIONAL!


Autor: Fátima Ramalho, Janeiro de 2004

São inúmeros os benefícios provenientes da prática de Parede Abdominal - Para além da sua capacidade de
exercícios em superfícies instáveis. Entre eles, podemos mobilizadores do tronco, os abdominais (sobretudo o
destacar o aumento da capacidade de resposta eficaz Transverso e os Oblíquos) co-contraem-se com os
em situações de emergência do dia-a-dia (uma queda) PFMs, o Piriformis ou Piramidal da Bacia (rotador
ou durante as práticas desportivas. externo da coxa), o Obturador Interno (rotador interno da
coxa) para garantir a estabilidade da bacia.
A bola suíça, as plataformas de Core Training e de Slide
da Reebok ou simplesmente um colchão, são alguns Músculos da Massa Comum - Um grupo de músculos
exemplos de equipamentos que exigem um que produz, em conjunto, uma extensão da coluna
reajustamento permanente do sistema neuromuscular, lombar (acção bilateral) e uma flexão lateral (acção
de modo a poder manter um correcto alinhamento unilateral) da coluna. Este grupo muscular tem origem na
postural. superfície posterior do sacro, na crista ilíaca, nas
apófises espinhosas da coluna lombar e nas duas
Há vários anos que este tipo de trabalho é utilizado por últimas vértebras torácicas. Entre os vários músculos
fisioterapêutas para recuperação de lesões, onde a que compõem este grupo, o Multifidus, merece-nos
inactividade prolongada ou o processo cirúrgico principal atenção, pois a sua acção está intimamente
originaram instabilidade articular e falta de força nos ligada com os restantes músculos profundos da bacia,
músculos adjacentes à região lesionada. A mesma influenciando a estabilidade da parte inferior da região
técnica é aplicada em indivíduos com doenças do foro pélvica.
neuromuscular (AVCs, paralisia cerebral, etc.). Ao criar Para além destes, o Grande Dorsal em conjunto com os
uma série de exercícios executados sobre uma músculos que partem da bacia para os membros
superfície que “mexe”, o sistema nervoso central recebe inferiores (Abdutores, Adutores, Grande Glúteo) e
uma série de novas sensações que o obrigam a enviar respectivas Fascias musculares, desempenham um
“ordens” permanentes aos músculos responsáveis por papel fundamental para o equilíbrio do eixo bacia-tronco.
garantir a estabilidade e o equilíbrio articular.

Quem pode realizar treino reactivo?


Quais são os Músculos do “Core”?
1. Indivíduos sedentários ou com pouca experiência de
Há 35 músculos que estão directamente ligados ao sacro exercício - treino de consciencialização corporal, sem
e/ou aos ossos da bacia. Interagem com os ligamentos recorrer a qualquer destes equipamentos, através de
da fascia para produzir movimentos sincronizados e/ou rotinas de treino e de treino de força funcional.
de estabilidade do tronco e das extremidades. Façamos
uma breve revisão de alguns desses músculos. 2. Indivíduos com experiência de treino muscular e boa
consciência corporal Utilização progressiva dos
Músculos do Pavimento Pélvico (PFMs) - Um conjunto equipamentos, sem recurso a resistências externas
de tecido muscular que se estende do osso púbico até (halteres, barras, etc.). Deve privilegiar exercícios na
ao cóccix e que comando o controlo dos esfíncteres. A posição sentada e deitada de modo a favorecer a
co-contracção destes músculos (como uma unidade), adaptação progressiva. A amplitude de movimentos
associados a outros músculos, contribuem para a deverá ser menor, bem como a velocidade de execução
estabilidade da bacia e coluna.

Este artigo foi retirado da Biblioteca Online do Centro Estudos Fitness – www.cefitness.com 1/2
de modo a facilitar a segurança do exercício. A qualidade
da execução técnica deve ser a meta.

3. Indivíduos com pelo menos 8 semanas de adaptação


aos equipamentos instáveis Exploração de todas as
potencialidades deste tipo de exercício respeitando,
sempre, a segurança e o os objectivos funcionais desta
actividade. Não esqueça: não estamos a treinar artistas
de circo!

Numa perspectiva biomecânica, os efeitos de um


programa de treino são, logicamente, influenciados pela
capacidade de envolver os músculos da região central
do corpo (“core muscles”) durante o movimento. Os
músculos do core têm como principal função, a
manutenção do equilíbrio corporal durante as diversas
acções motoras. Quanto maior for a instabilidade
experimentada, maior será a reacção (ou activação) da
musculatura do tronco e cintura pélvica para recuperar
ou estabilizar esta região. Do mesmo modo, a maioria
dos movimentos mais eficientes, tanto ao nível
desportivo como nas actividades diárias, estão
directamente relacionados com a capacidade
estabilizadora dos músculos do centro do corpo,
potenciando, assim, a acção da musculatura das
extremidades superior e inferior.

Infelizmente, os tradicionais métodos de treino de força


não contemplam o condicionamento específico desta
musculatura, ignorando, muitas vezes, a dimensão
funcional do exercício. Assim, os materiais atrás
referidos (bola, colchão, plataformas instáveis)
proporcionam uma forma eficiente de treino
neuromuscular, tanto em aulas de grupo como em
sessões individuais.

Este artigo foi retirado da Biblioteca Online do Centro Estudos Fitness – www.cefitness.com 2/2