Você está na página 1de 12
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Alex Francisco de Sousa Ferreira 11075015 Caio Marinelli Teixeira 11004814

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC

Alex Francisco de Sousa Ferreira

11075015

Caio Marinelli Teixeira

11004814

Camila Padilha Batista

21080914

Daniel Silveira

11111612

João Victor Contin

11077614

Métodos Experimentais em Engenharia Relatório Experimento 1 - Dimensões e Densidades de Sólidos

Profa Dra Ana

Paula Romani

São Bernardo do Campo

2017

SUMÁRIO

1 RESUMO E CONTEXTUALIZAÇÃO…………………………………………………

3

2 DESCRIÇÃO EXPERIMENTAL E METODOLOGIA…………………………………. 4

2.1 Materiais e Equipamentos………………………………………………………. 4

2.2 Metodologia………………………………………………………………………

4

2.3 Cuidados Experimentais………………………………………………………

5

3 RESULTADOS E DISCUSSÕES………………………………………………………

6

4 CONCLUSÃO……………………………………………………………………………

8

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS……………………………………………………

9

APÊNDICE I - FÓRMULAS UTILIZADAS……………………………………………

10

APÊNDICE II - QUESTÕES……………………………………………………………… 11

APÊNDICE III - DETERMINAÇÃO DO VOLUME DE UM SÓLIDO NÃO GEOMÉTRICO…………………………………………………………………………… 12

1 RESUMO E CONTEXTUALIZAÇÃO

Materiais sólidos possibilitam a medição de suas dimensões para determinação, por exemplo, de volume e densidade. A partir de dados como estes é possível estimar de qual material o sólido em questão é formado. Os objetivos da experiência foram aprender os conceitos básicos e fundamentais da metrologia, aprender a utilizar paquímetro, micrômetro e balança digital através da realização de medidas diretas de dimensões de sólidos e descobrir o possível material de um sólido com base na sua densidade. Foi sorteada uma esfera de um conjunto de sólidos contendo cilindro sólido, cubo, lâmina, esfera e cilindro oco. Foram tomadas suas dimensões de massa e diâmetro. O volume calculado foi (2728 ± 16).10-3 cm3 e sua densidade (7,95 ± 0,06) g/cm3 . De acordo com tabela 1, os cálculos da densidade indicaram que a esfera é constituída, em sua maior parte, pelo elemento ferro.

2 DESCRIÇÃO EXPERIMENTAL E METODOLOGIA

2.1 Materiais e Equipamentos

● Peça sólida sorteada: Esfera

● Balança digital modelo BL 3200 AS-BI com fundo de escala de 3200g, resolução de 0,01g e incerteza instrumental de 0,10g.

● Régua Waley com fundo de escala de 600mm, resolução de 1mm e incerteza instrumental de 0,5mm.

● Paquímetro Analógico Cosa com fundo de escala de 200mm, resolução e incerteza instrumental de 0,02mm.

● Micrômetro Analógico com fundo de escala de 25mm, resolução e incerteza instrumental de 0,001mm.

2.2 Metodologia

A figura 1 apresenta o fluxograma utilizado para a realização do experimento.

O diâmetro da esfera foi medido com cada um dos instrumentos (régua, paquímetro

e micrômetro) e as medições foram realizadas por cada integrante do grupo, bem como a medida da massa do sólido.

integrante do grupo, bem como a medida da massa do sólido. Figura 1: Fluxograma Experimento 1.

Figura 1: Fluxograma Experimento 1.

Todos os valores obtidos foram anotados nas tabelas disponibilizadas no

roteiro do experimento, bem como as incertezas associadas a cada instrumento de medição. Foram realizados os cálculos de média, desvio padrão da média e incerteza combinada (Tipo A e Tipo B) [1, 3].

A partir das medidas diretas (diâmetro e massa) foi possível obter o volume e

a densidade (medidas indiretas). Para o cálculo do volume da esfera foi utilizada a seguinte fórmula:

V = πd³ / 6 Onde V = volume (mm³); π = Constante PI de valor 3,141592654; d = diâmetro da esfera (mm).

Para o cálculo da densidade foi utilizada a seguinte fórmula:

D = m / V A partir da medida da densidade, converteu-se o valor obtido de g/mm3 para g/cm3 e estimou-se o material da esfera através da tabela 1 [2].

Tabela 1- Densidade típica de alguns materiais

Material

Densidade (g/cm3 )

Alumínio

2,70

Latão

8,93

Ferro

7,87

Cobre

8,92

Acrílico

1,19

Polipropileno

0,91

PVC rígido

1,40

Nylon

1,12

Polietileno

0,95

Vidro

2,0-2,9

2.3 Cuidados Experimentais Utilizar traje adequado de acordo com as normas de segurança para os laboratórios. Paquímetro: garantir um contato suave com as superfícies da peça a ser medida e manter a posição correta em relação à peça, a fim de alterar as medidas. Limpar as superfícies de encosto antes de realizar as medidas. Micrômetro: a catraca aplica uma pressão padronizada na peça, portanto não deve-se utilizar força para realizar a medida. Não exceder o limite máximo de medida do equipamento. Não deixar o micrômetro aberto e nem com as esperas pressionadas. Balança digital: zerar a balança antes de cada medição apertando a tecla "tara" e posicionar a peça no centro do prato.

3 RESULTADOS E DISCUSSÕES

As medidas de massa e diâmetro são apresentadas das Tabelas 2 e 3. Tabela 2- Medida da massa da esfera

Medida

Massa (g)

 

1 21,68 ± 0,10

 

2 21,68 ± 0,10

 

3 21,68 ± 0,10

 

4 21,68 ± 0,10

 

5 21,68 ± 0,10

Média

21,68 ± 0,10

Notou-se que a medida da massa não apresentou variação, devido a precisão da balança digital, que possui resolução de 0,01g (uma medida com poucas casas decimais consideradas). Desta maneira, a incerteza possui um valor alto quando comparado a incerteza de uma balança analìtica, por exemplo. Alguns fatores que influenciam na precisão da balança digital são a falta de portas de vidro corrediças que protegem o instrumento de correntes de vento para uma melhor leitura e a bancada onde fica posicionada quanto ao nivelamento e tipo de superfície [4].

Tabela 3 - Diâmetro da Esfera

 

Régua

Paquímetro

Micrômetro

Medida

Diâmetro ± Incerteza (mm)

Diâmetro ± Incerteza (mm)

Diâmetro ± Incerteza (mm)

 

1 16,0 ± 0,5

17,30 ± 0,02

17,452 ± 0,001

 

2 15,0 ± 0,5

17,32 ± 0,02

17,454 ± 0,001

 

3 16,8 ± 0,5

17,30 ± 0,02

17,453 ± 0,001

 

4 17,0 ± 0,5

17,30 ± 0,02

17,452 ± 0,001

 

5 17,0 ± 0,5

17,30 ± 0,02

17,450 ± 0,001

A partir da tabela apresentada, notou-se que há uma variedade de

instrumentos para medir uma grandeza física, o comprimento. Assim, foi possível

obter diferentes valores do mesmo objeto para serem comparados devido a resolução de cada instrumento. As medições com a régua foram as que obtiveram maior variação, pois encontrou-se grande dificuldade de definir a medida sem fixar a esfera. A incerteza da medição é um parâmetro que caracteriza a dispersão de valores que podem ser atribuídos ao mensurando, pode ser um desvio padrão ou múltiplo deste. A incerteza compreende muitos componentes que podem ser estimados através da distribuição estatística dos dados e confere uma confiabilidade maior aos resultados [5]. As incertezas do tipo A foram calculadas utilizando as fórmulas de Média Aritmética, Variância e Desvio Padrão da Média contidos no Apêndice I, assim como a Incerteza Combinada da medida e são apresentadas na Tabela 4 [3]. As incertezas do tipo B observadas foram as incertezas instrumentais, a paralaxe do operador e a uniformidade da esfera, porém apenas as incertezas associadas aos instrumentos foram consideradas para o cálculo da incerteza combinada.

Tabela4- Incertezas das medições do diâmetro

     

Desvio padrão da média

Incerteza

Instrumento

Média

Variância

combinada

Régua

16,36

0,75

0,39

0,64

Paquímetro

17,34

1,4.10-3

1,7.10-2

2,6.10-2

Micrômetro

17,45

2,7.10-6

7,3.10-4

1,3.10-3

A medição indireta é um método pelo qual o valor a grandeza desejada, como por exemplo volume e densidade, é obtido através de cálculos realizados com os valores resultantes de medições diretas de grandezas como o diâmetro e a massa [5]. Os cálculos das incertezas das medidas indiretas, volume e densidade, foram feitos com propagação de incertezas (Apêndice I).

4 CONCLUSÃO

O método utilizado teve bom funcionamento, pois além das medidas terem sido efetuadas com instrumentos de alta precisão, erros como paralaxe podem ser evitados, considerando que o paquímetro e também o micrômetro são capazes de fixar as extremidades do sólido, diferentemente da régua. Comparando as medidas realizadas por cada integrante do grupo, aquelas obtidas pelo micrômetro foram as que mais divergiram o algarismo duvidoso, devido à resolução do instrumento. A incerteza gerada por estas variações poderiam ser reduzidas aumentando-se o número de medições. Os resultados obtidos mostraram que a utilização do paquímetro teve uma alta precisão devido a baixa variação entre as medições. Com as medições do paquímetro foram obtidos experimentalmente o volume de (2728 ± 16).10-3 cm3 e uma densidade de (7,95 ± 0,06) g/cm3 e comparando com os valores teóricos disponíveis na tabela 1 pode-se afirmar que a esfera é composta por ferro.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] BARATTO, A.C.; JAILTON, C.D.; JOÃO ANTONIO, P.A.; TROTA, J.F.; PAULO COUTO, R.G.; SÉRGIO, P.O.; Avaliação de dados de medição — Guia para a

expressão de incerteza de medição. JCGM 100:2008, São Paulo, 1 ed., p.4-21, set.

2008.

Roteiro:

Experimento #1 Dimensões e densidades de sólidos. Universidade Federal do

[2] CONSONNI, D.; TEIXEIRA, J.C.; ESCOTE, M.T.; MALMONGE, S.M

ABC. Edição do quadrimestre 2017.2.

[3] VUOLO, J. H. Avaliação e Expressão de Incerteza em Medição. Instituto de

Física, USP. Revista Brasileira de Ensino de Física, vol. 21, no. 3, Setembro,

1999.

[4] ANDRADE; J.C.; CUSTODIO; R. O uso da Balança Analítica. Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Química. Chemkeys, 2000.

[5] NETO, E. F.; et al. Instrumentação - Metrologia Básica. SENAI, ES, 1999.

APÊNDICE I - FÓRMULAS UTILIZADAS

Média Aritmética

Média Aritmética

Densidade

Densidade

Propagação da incerteza do volume

Propagação da incerteza do volume

Propagação da incerteza da densidade

Propagação da incerteza da densidade

Volume da esfera

Volume da esfera

Incerteza combinada

Incerteza combinada

Variância

Variância

Desvio Padrão da Média

Desvio Padrão da Média

APÊNDICE II - QUESTÕES

Questão 1: Analisando seus dados e as dificuldades encontradas, quais são suas conclusões sobre a precisão e as limitações das medidas realizadas com a régua, o paquímetro e o micrômetro? Como o objeto utilizado no experimento foi a esfera, a maior dificuldade encontrada foi durante a medição do diâmetro com a régua, já que a esfera precisava ser segurada com a mão, atrapalhando a leitura da medida. Além deste instrumento possuir o maior valor na menor unidade de medida. Portanto, o instrumento que gerou a maior incerteza foi a régua. Com o paquímetro e com o micrômetro, instrumentos mais precisos e que possuem trava, a incerteza foi menor e a facilidade de fazer a leitura foi maior. Portanto, atingiu-se valores esperados segundo as incertezas associadas a cada instrumento.

Questão 2: Como as imperfeições mecânicas das peças afetaram as medidas das dimensões? Elas foram consideradas como incerteza tipo B? As imperfeições mecânicas das peças afetaram as medidas das dimensões, pois elas fazem com que o valor medido seja ainda mais distante do valor verdadeiro. Essas imperfeições são incertezas do tipo B, porém não foi estipulado um valor para as mesmas durante o cálculo.

Questão 3: No caso da peça cilíndrica, como a incerteza no valor do raio afeta a incerteza no valor do volume? A incerteza no valor do volume é a mesma para qualquer valor de R? No caso da peça cilíndrica, a incerteza no valor do raio afeta a incerteza no valor do volume, pois o volume é uma medida indireta dependente das medidas diretas do raio e da altura do cilindro. A incerteza do volume é calculada através do método de propagação das incertezas, assim, a incerteza no valor do volume é alterada pelo valor da incerteza de R, não sendo a mesma para qualquer valor de R.

APÊNDICE

GEOMÉTRICO

III

-

DETERMINAÇÃO

DO

VOLUME

DE

UM

SÓLIDO

NÃO

Procedimento Experimental De acordo com o tamanho do material, escolher uma vidraria com mínima precisão como um béquer graduado ou uma proveta. Colocar o sólido no recipiente e completá-lo com água até um volume conhecido. Anotar o valor inicial. Após, retirar o material cuidadosamente e verificar o volume final. O volume do material é obtido a partir da fórmula:

V sólido= V inicial- V final

É importante ter uma espátula para diminuir a perda de água.

Mensurando Volume de um objeto sólido sem formado geométrico definido calculado a partir da diferença de volume que o material causa em um recipiente com água em temperatura ambiente.

Grandezas de Influência Paralaxe do operador ao medir o volume de água inicial e final; Temperatura; Calibração da vidraria; Tipo de material que compõe o sólido.

Avaliação do Método

A repetitividade e a reprodutibilidade são médias pois ao utilizar instrumentos

ou operadores diferentes os valores obtidos podem alterar com facilidade aumentando a incerteza da medida. Porém o método é de simples reprodutibilidade.