Você está na página 1de 1

ANTES DO COMEO

Rudos confusos, claridade incerta.


Outro dia comea.
Um quarto em penumbra
e dois corpos estendidos.
Em minha fronte me perco
numa plancie vazia.
E as horas afiam suas navalhas.
Mas a meu lado tu respiras;
ntima e longnqua
fluis e no te moves.
Inacessvel se te penso,
com os olhos te apalpo,
te vejo com as mos.
Os sonhos nos separam
e o sangue nos rene:
Somos um rio que pulsa.
Sob tuas plpebras amadurece
a semente do sol.
O mundo
No entanto, no real,
o tempo duvida:
S uma coisa certa,
o calor da tua pele.
Em tua respirao escuto
as mars do ser,
a slaba esquecida do Comeo.

(Trad. Antnio Moura)

Irmandade
Homenagem a Claudio Ptolomeo

Sou homem: duro pouco


E enorme a noite.
Mas olho para cima:
As estrelas escrevem.
Sem entender, compreendo:
Tambm fui escrito
E neste mesmo instante
Algum me soletra.