Você está na página 1de 1

COMPARAO DO PERFIL DE EFICINCIA NEUROMUSCULAR DE ATLETAS DE

VOLEIBOL PROFISSIONAL E DA CATEGORIA DE BASE: RELATO DE CASO.


Natlia Pereira Marques
Marcela Niccio Medeiros
Nahra Santos Rebouas
Rmulo Lemos e Silva
Pedro Olavo de Paula Lima
Rodrigo Ribeiro de Oliveira.

INTRODUO: A eficincia neuromuscular (ENM) indica que quanto mais eficiente um


msculo, menos ativao muscular ele precisa para exercer a mesma fora absoluta, ou seja,
produz os mesmos nveis de fora recrutando menor quantidade de unidades motoras. Assim,
para avaliar essa qualidade deve-se levar em considerao o torque exercido e a ativao
mioeltrica (EMG). Nos jogos esportivos alguns grupos musculares esto sendo constantemente
solicitados, como quadrceps femoral e squiostibiais. Esses grupos so responsveis por diversas
habilidades esportivas, como corrida; salto; passes e arremates; alm de exercer um importante
papel na estabilidade articular. OBJETIVO: Comparar a ENM de atletas de voleibol
profissional e da categoria de base. METODOLOGIA: A amostra foi composta por dois atletas
ambos do sexo masculino e destros, dos quais o individuo 1 era do vlei profissional com 38
anos, e o individuo 2 era do vlei da categoria de base com 21 anos. Para a avaliao da ENM
foram utilizados dois equipamentos, o eletromigrafo de superfcie (Miotec) e o dinammetro
isocintico (Biodex). O protocolo estabelecido foi de contraes concntricas de
extenso/flexo do joelho a 60/s e 300/s com cinco e trinta repeties, respectivamente, com
um intervalo de repouso de um minuto. Os sinais de atividade eltrica da musculatura foram
coletados simultaneamente a coleta do dinammetro. RESULTADOS: O indivduo 1, com 91
kg e 1,92m de altura, assim como o individuo 2, que pesa 80 kg e tem 1,80m de altura no
apresentaram dor aguda no dia do teste. O IMC (ndice de Massa Corporal) de ambos os
indivduos foi de 24,6 kg/m. A ENM para extenso a 60/s do individuo 1 foi 0,47V/N.m para
o joelho dominante e 0,54V/N.m para o no dominante e do individuo 2 foi 0,67V/N.m para
extenso do joelho dominante e 0,75V/N.m para o no dominante. A ENM para extenso a
300/s do individuo 1 foi 0,96V/N.m para o no dominante e do indivduo 2 foi 1,10V/N.m
para o joelho no dominante. CONCLUSO: Os achados nessa amostra sugerem que h
diferena nos padres de ativao muscular entre atletas profissionais e atletas ainda em
formao. Um estudo com amostra relevante deveria ser conduzido para explicar melhor essas
variveis.

PALAVRAS-CHAVES: Fisioterapia. Equilbrio postural. Fora Muscular. Atletas.

An da Jor de Fisiot da UFC. Fortaleza, 2011; 2(1):50

Você também pode gostar