Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CAMPUS JOÃO MONLEVADE

Renata Del Rio Vieira Monteclaro Cesar Sabrina Guedes Lacerda

PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUÇÃO I Estudo de Caso Toyota

JOÃO MONLEVADE

2017

Questões:

1. Descreva a operação da Toyota utilizando o modelo entrada-processamento-

saída. Identifique os recursos de transformação, os recursos transformados, o tipo de processo de transformação, e o output.

o tipo de processo de transformação, e o output. 2. De acordo com o texto qual

2. De acordo com o texto qual o composto de bens e serviços oferecidos pela

empresa? Atualmente a Toyota tem a imagem de vender apenas produtos importados e

caros, além de oferecer serviços de manutenção do veículo.

3. Identifique a estratégia da empresa de acordo com o texto.

A estratégia da Toyota é modificar a imagem, focando em um público inédito para a empresa, o consumidor de baixa renda e jovem. E mostrar que a Toyota também está produzindo carro brasileiro.

4. De acordo com a estratégia da empresa, qual a produção de cada uma das três

funções centrais das organizações (Marketing/Vendas, Desenvolvimento de produto, Produção) a fim de implementar a estratégia? Marketing/Vendas: estão utilizando as redes sociais para atingir o novo público e contratação de artistas brasileiros para atrair mais atenção. Desenvolvimento de Produto: diferencial entre os concorrentes, o veículo possui destaque pelo tamanho interno e desempenho superior aos concorrentes de mesmo valor, com o motor 1.3. Produção: atender os pedidos dos clientes sem atraso na produção para que não ocorra fila de espera nas concessionárias.

5.

Baseado na estratégia, qual(is) deve(m) ser o(s) objetivo da função de

produção? Explique. Confiabilidade, porque a empresa trabalha de uma maneira que não há fila nas concessionárias, ou seja, cumpre os prazos de entrega. Custo, porque a organização está focada em um novo público, de baixa renda.

6. Em uma notícia da revista Exame (08/05/2013), afirma-se que a “Toyota decidiu

manter sua estratégia de crescimento de baixo risco, e ao contrário da Honda que está rapidamente ampliando capacidade produtiva no mundo, a empresa decidiu não construir nenhuma fábrica nova nos próximos três anos. A força motriz do crescimento sustentável vem da produção de carros cada vez melhores. ” Em sua opinião como a Toyota pode fazer frente à concorrente? Expansão de volume se iguala a crescimento? Não necessariamente, vai depender do mercado, não adianta a empresa produzir muito, sendo que não está tendo uma alta demanda pelos consumidores. A estratégia da Toyota em não criar mais fábricas pode ter relação com essa avaliação do mercado e acabar cortando gastos desnecessários por esse período de queda, e priorizar outras áreas, como por exemplo, a qualidade por qual ela é tão conhecida.

7. De acordo com a questão anterior, qual(is) o(s) objetivos priorizados pela

função de produção em cada um dos casos. Em cada um dos casos são priorizados objetivos diferentes pela função de produção, no caso da Honda, ela prioriza expandir sua capacidade produtiva e se ampliar rapidamente no mundo. Já a Toyota, no momento, está focada em conquistar um público diferente do seu atual, manter a sua qualidade com baixo custo, investir em marketing, atraindo assim os jovens e pessoas de baixa renda.

Exercícios de Fixação

1. Explique a importância da dimensão volume-variedade como forma de entender as operações e o seu projeto. A posição volume-variedade influencia os aspectos das atividades de cada projeto. No caso de produtos com pouca padronização, os detalhes variam em cada trabalho, a tecnologia utilizada se adapta em diferentes trabalhos, e a característica mais importante é a habilidade do profissional, que é altamente valorizada. Em casos de produtos com muito volume e pouca variedade, a tecnologia utilizada é especifica para aquela atividade, não tem serventia em outra coisa e a habilidade individual não interfere diretamente no processo.

2. Descreva como os cinco objetivos de desempenho variam entre:

a. O RU e o Búfalo Bill

 

Búfalo Bill

RU

Qualidade

Melhor comida, bom atendimento e ambiente agradável.

A comida e ambiente não são tão favoráveis quanto o Búfalo.

Rapidez

Espera reduzida em filas, intervalo mínimo de reabastecimento e atendimento a solicitações em tempo mínimo.

Grandes filas e não possui a opção de ser atendido rapidamente em sua mesa para solicitação de um suco, por exemplo, pois, nesse caso o próprio cliente deve se servir.

Confiabilidade

Procedência, qualidade e falta mínima de alimentos.

Pode ocorrer falta de algum alimento desejado, devido ao cardápio reduzido.

Flexibilidade

Constante atualização com novos pratos, diferentes opções de carnes e saladas, foca em atender com qualidade.

Poucas opções de alimentos, apenas uma opção de carne e salada por dia, foca em volume/quantidade para atender a demanda.

Custo

Alto custo com diferentes tipos de alimentos, e elevado número de funcionários.

Baixo custo com os alimentos e poucos funcionários.

b. O Hiper Comercial e uma mercearia de bairro

 

Hiper Comercial

Mercearia de Bairro

Qualidade

Bom atendimento, ambiente espaçoso e organizado, boa conservação dos alimentos.

Poucos funcionários para atendimento, ambiente reduzido com pouca organização, sem estrutura e espaço para conservação de alimentos perecíveis.

Rapidez

Possui vários caixas gerando espera reduzida em filas, reabastecimento constante das prateleiras, atendimento a solicitações em tempo mínimo.

Geralmente possui apenas um caixa, o que gera filas para pagamento, reabastecimento e atendimento lento pelo baixo número de funcionários com várias funções.

Confiabilidade

Alta procedência e qualidade dos produtos, mínima falta de produtos.

Falta constante de alguns produtos.

Flexibilidade

Sempre possui novas opções de produtos, ampla variedade, alto volume para compras em grande quantidade. Opção de entrega dos produtos.

Baixa variedade, pouca quantidade de cada produto. Não possui opção de entrega.

Custo

Custo menor por adquirir os produtos em grandes quantidades, o que possibilita promoções e menor preço.

Custo maior por adquirir os produtos em pequena quantidade.

c. A Ferrari e a FIAT

 

Ferrari

Fiat

Qualidade

Ótimo atendimento, boa durabilidade, excelente design.

Bom atendimento, boa durabilidade.

Rapidez

Mínimo tempo de espera entre pedido/entrega. Mínimo tempo para assistência técnica.

Baixo tempo de espera entre pedido/entrega. Baixo tempo para assistência técnica.

Confiabilidade

Cumprimento de prazo estipulado para entrega e prestação de serviço. Ótimo atendimento em garantia e fornecimento de peças.

Cumprimento de prazo estipulado para entrega e prestação de serviço. Ótimo atendimento em garantia e fornecimento de peças.

Flexibilidade

Baixa produção e baixa variedade em modelos de carros.

Ampla variedade de carros e alta produção.

Custo

Alto custo das peças, o que implica alto custo no veículo.

Médio custo, o que possibilita a compra de carros por pessoas de classe média/baixa.

d. Bob’s e Caniço Burguer

 

Bobs

Caniço Burguer

Qualidade

Bons hambúrgueres, bom atendimento, ambiente agradável, espaçoso e organizado.

Hambúrguer com qualidade inferior.

Rapidez

Espera reduzida em filas, rapidez no preparo dos alimentos.

Maior tempo de espera durante o preparo dos alimentos.

Confiabilidade

Procedência e qualidade. Falta mínima de alimentos.

Pode ocorrer falta de alimentos.

Flexibilidade

Frequente novidade em alimentos. Ampla variedade de hambúrgueres, refrigerantes e molhos. Não possui a opção de entrega.

Pouca variação dos alimentos. Variedade reduzida de hambúrgueres e molhos. Possui opção de entrega.

Custo

Alto custo com diferentes tipos de ingredientes. Elevado número de funcionários.

Baixo custo com ingredientes. Baixo número de funcionários.

3.

Explique a relação entre variedade e volume, e o tipo de sistema de produção.

Porque é improvável encontrar operações de alto volume e variedade? As operações de produção podem variar desde produzir volumes muito elevado de produtos ou serviços, com baixa variedade até volumes muito baixos com variedade elevada. Esta relação é sempre inversamente proporcional, quando volume alto, variedade baixa e vice-versa. É improvável encontrar operações de alto volume e variedade, pois as operações que possuem uma alta variedade de produtos e serviços, consequentemente apresentarão um baixo volume devido ao fato de que não tem como trabalhar com grandes quantidades quando a operação exige atenção a detalhes.

4. Porque as organizações que trabalham com baixo volume e alta variedade

enfatizam o projeto do produto/serviço e não o projeto do processo? As organizações que trabalham com baixo volume e alta variedade enfatizam no projeto do produto/serviço pois o processo não é padronizado, a alta variedade torna o processo variável e a empresa não conseguiria controlar o projeto baseando apenas no processo.

5. Porque as organizações que trabalham com alto volume e baixa variedade a

tecnologia do processo tem um propósito específico e não geral? A tecnologia do processo não tem um propósito geral pela questão da alta demanda de um mesmo produto, portanto é necessário um propósito específico para realizar apenas uma função/tarefa várias vezes, pelo fato da alta padronização dos produtos.