Você está na página 1de 14

c 

  
 c


uV ñ   
uV „ 


uV ? ñ

   
 

  

uV ? ?   

uV „    ? 
 


uV ?  
„ !
"#

V

uV ñ   VVVVVVV

?  
 
$
ÿVà  
V V  VV  V V   V
A escravatura foi a base do Império, assim como havia sido, no passado, a base da colônia.
Com seu declínio e abolição, encerrou -se uma longa fase da história do Brasil. A proclamação
da República em 1889 prometia mudanças. Porém, ao longo de quase todo período que vai de
1889 a 1930, o poder continuou nas mãos dos grandes proprietários rurais, tal como nos
períodos colonial e império. Chamamos de essa época de ͚͛República velha͛͛ ou ͚͛Primeira
República͛͛.
Proclamada um ano depois da abolição da escravatura, a República teve como principais
personagens, além dos grandes proprietários rurais (cafeicultores), os militares. Nos primeiros
cinco anos da vida republicana, estes dominaram a cena política, razão pela qual o período foi
chamado de ͛͛República da Espada͛͛.
O marechal Deodoro da Fonseca era o chefe do governo Provisório, cargo que permaneceu
até a constituição de 1891, quando foi eleito e confirmado no cargo como presidente
constitucional. No entanto, Deodoro logo se desentendeu com civis e tentou da um golpe de
estado para fortalecer o poder Executivo. O golpe fracassou e ele renunciou. O vice, marechal
Floriano Peixoto, assumiu seu posto e teve que enfrentar uma rebelião militar - a revolta da
Armada, chefiada pelo almirante Custódio de Melo.
Com as eleições presidencias realizadas em 1º de Março de 1894, o poder transferido para os
civis, como a vitória do paulista Prudente de Morais. O formato característicos da República
Velha só foi instituído por seu suce ssor, campos Sales, a quem se deveu a prática conhecida
como͛͛política dos governadores͛͛.
Daí em diante, os grandes proprietários de São Paulo e Minas Gerais se revezaram no poder,
originando o que foi conhecido como a política do ͚͛café -com-leite͛͛. Por essa razão, a
República Velha também é chamada de República Oligárquica (de ͚͛oligarquia͛͛, que Significa
͚͛governo de poucos͛͛ no caso, os cafeicultores). Como essa oligarquia era integrada
basicamente pelos cafeicultores, houve ainda quem a denominasse d e ͚͛República do Café͛͛. É
importante lembrar que na época não existiam partidos nacionais, e sim partidos estaduais
com poderes nacional, como Partido Republicano Paulista (PPR), o partido Republicano
Mineiro (PRM) e o Partido Republicano Rio -grandense (PRR).
VVV V V
 
V VV
   V
A política dos governadores consistia num acordo entre a união e os estados: as oligarquias
estaduais garantiam das eleições em troca, a união daria sustentação às oligarquias estaduais.
O coronelismo em uma troca de favores entre oligarquia estadual e os chefes políticos locais,
os ͚͛os coronéis͛͛. O eleitorado local pertencia ao ͚͛curral eleitoral (͚͛voto de cabresto͛͛). As
mesas apuradoras, que contavam os votos, podiam uma ata (relatório de votação) totalmente
falsa. Eram chamados eleições ͚͛bico de pena͛͛

ÿVV V V 
 V V  V
Consistia em que o governo encarregado de compra a produção excedent e mediante no
empréstimo no exterior, após a primeira guerra mundial em 1917foi adotada a { 

   No ano seguinte, a geada destruiu milhares de cafeeiros, que possibilitou a venda
da produção de 1917 perdurou até 1920. Ano seguinte, os cafeicu ltores impuseram ao
presidente Epitácio Pessoa a 


   com tempo o comprometimento com a
política ͛͛café com leite͛͛, foi forçado a abandonar a defesa do café .
ÿVV
 V V V V  V  VV V V V V
ùma parcela crescente da população passou a criticar tanto a subordinação dos interesses
gerias do país aos interesses particulares de São Paulo e Minas quanto às fraudes eleitorais,
pois as oligarquias mineiras e paulistas nem sempre se entendiam.
A crise na sucessão do presidente Afonso Pena (1906 -1909) foi um exemplo do
desentendimento entre duas elites dominantes. Como resultado, o marechal Hermes da
Fonseca venceu as eleições; seu mandato (1910-1914) foi caracterizado pela ͚͛políticas das
salvações͛͛, uma tentativa de derrubada das oligarquias. Outro momento critico aconteceu no
início da década 20. A insatisfação com o domínio oligárquico e as fraudes eleitorais deu
origem ao tenentismo (1922 -1924) um movimento armado integrado pela jovem oficia lidade
do Exército. A República velha sucumbiria com a cisão das oligarquias, que abriu caminho para
a ascensão do gaúcho Getúlio Vargas ao poder, em 1930.
Com a revolução de 30, chegaram ao fim o domínio da oligarquia cafeeira e a preponderância
de São Paulo e Minas Gerais. Nos estados, as oligarquias associadas á velha política do ͚͛café-
com- leite͛͛ foram afastadas e, em seu lugar, o governo provisório nomeou, para os governos
estaduais, interventores militares ligados ao tenentismo.
ÿVV

  V V
 V   V
O fim do domínio dos cafeicultores na política. Embora o Brasil continuasse a ser um país
agroexportador sua realidade se transformava graças a três fatores: a imigração, a
urbanização e a industrialização.
Atraídos pela lavoura cafeeira, quatro milhões de imigrantes entre italianos, portugueses e
espanhóis entre 1887 e 1930.
Os imigrantes engrossaram a fileira dos trabalhadores livres, enquanto a agricultura se
transformava em empreendimento capilatista. Seu desenvolvimento gerou demanda por
transportes, financiamento e pelos produtos manufaturados. A criação de ferrovias, bancos e
indústrias estimulou e ampliação do mercado interno, impulsionando o crescimento das
cidades.
Com a urbanização, o Brasil ingressou na modernidade e, com e la, novos problemas surgiram.

? "#  

ÿVš V VV V V
  
 V
±ashington Luís, o último presidente da República Velha, disse que a Œ { {   era um
͚͛caso de polícia͛͛. Essa opinião não levava em conta que as manifestações de protesto dos
trabalhadores eram conseqüência dos baixos salários, de longa jornada de trabalho e da total
ausência de proteção contra abusos patronais de todo tipo.
ÿVV  V
!
 V
Imaginemos um mundo sem nenhum dos atuais direitos trabalhistas - esse era o Brasil da
República Velha.
A jornada de trabalho era de nove horas diárias, inclusive mulheres e crianças de sete anos.
ÿVV

V    V V
  
VV
  
 V
No inicio do século xx, o movimento operário europeu tinha quase cem amos de experiência
na luta contra a burguesia, com isso dava-se origem a vários pensamentos a movimento
operário
  V
"V 

 V
uV A qual defendia a subordinação do operário às i ndústrias, numa política de
colaboração de classes;
uV A que defendia a independência das classes operária associada a uma política de
reformas do capitalismo;
uV A que defendia, além da independência da classe operária, abolição revolucionária do
capitalismo e sua substituição pelo socialismo.

A diferença entre Rio e são Paulo se deu o peço maior dos imigrantes entre os trabalhadores
acabou definido um caminho revolucionário
ÿV„V

 VV V V
  V
O jornal da gazeta operária, 1902 nasceu no Rio de Janeiro um movimento reformista que
defendia criação de leis, mas favoráveis, a melhoria de vida dos trabalhadores, serviços de
educação e médicos á melhoria de inspiração socialista.
Organização do movimento operário lideradas por França e silva ou Linhar es, os socialistas
diferiam destes em alguns pontos. Os dois líderes acreditavam que os objetivos dos operários
e dos industriais eram exatamente os mesmo.
Os socialistas, ao contrário, tinham um objetivo próprio - a criação de uma sociedade de
reformas sucessivas.
Por essas características, os socialistas tornaram-se uma referência para os trabalhadores,
uniram por acasião de greves anos de 1903 e 1903, e lutaram contra vacina obrigatória.
Reivindicações e greves começaram a pipocar, os governantes fecharam as portas aos
trabalhares e passaram a reprimir seus movimentos.
ÿV „V 
# 
Os anarquistas se opunham á criação de partidos políticos no século xx e á participação
operária no jogo eleitoral. Eram,ao contrário, defensores da ͚͛ação direta͛͛, isto é não
desejavam transferir para͛͛representantes͛͛ eleitos ou nomeados a incumbência de agir em
seu nome.
Conhecido também como ͚͚libertário͛͛, os anarquistas eram avessos à centralização. Para eles,
cada categoria organizada em sindicatos deveria lutar junto às empresas para concretizar suas
reivindicações.
A ͚͛ sociedade do futuro͛͛ que os anarquistas almejavam era a   {   , a
imagem dos anarquistas difundia na sociedade era de agitadores e terroristas, militantes
anarquistas levavam muito o sério a conduta moral. Seu declínio no Brasil deve -se à
sistemática e violenta repressão policial apoiada por uma sólida união das elites, fortalecidas
pelo nacionalismo.
ÿV V V $
V 
  
O anarquismo era internacionalista, num ambiente de nacionalistas militaristas em
crescimento por influência da primeira guerra mundial (1914 -1918). A exaltação nacionalista
traz sempre um efeito colateral: o xenofobismo ou ódio ao estrangeiro e quase sempre
produz as suas vítimas. No Brasil ficou a etiqu eta͛͛agitador estrangeiro͛͛ colou facilmente nos
anarquistas, sobretudo por causa de sua atuação nos anos críticos de 1917 a 1920.
Para complicar, os acontecimentos internacionais do começo do século xx estavam trazendo
mais desafios, o mais importante foi a revolução Russa de 1917, dirigida pelo partido ultra
centralizado de Lênin, que se apropriou do Estado e o transformou, em seguida, em
instrumento da ͚͛ditadura do proletariado͛͛.
O anarquismo levar a luta para o terreno político e tomar de assalto o Es tado. Ora, os
anarquistas defendiam, ao contrário, uma luta centralizada nos sindicatos e se posicionavam
contra qualquer tipo de ditadura, mesmo operária, e a favor da extinção do Estado. Mas a
impressão causada pelo êxito da revolução na Rússia estava falando mais alto do que a teoria
anarquista,
A burguesia havia tomado consciência de um fato muito simples: a exploração indiscriminada
dos trabalhadores poderia levá-los, por meio de uma reação organizada, a destruir o
capitalismo. O triunfo da Revolução R ússia estava ali para comprovar essa tese.
A primeira idéia foi racionalizar o trabalho, o que não significava abolir a exploração do
trabalhador, mas explorava de maneira eficiente, obedecendo a certos limites, evitando que
os trabalhadores fossem atirados a mais profunda miséria e se tornassem sensíveis aos apelos
do comunismo. Após a segunda guerra mundial foi criado, a Organização Internacional do
Trabalho (OIT).
ÿV V%   Vñ
   
Em 1918, a câmara dos Deputados criou a comissão de Legislação Social, redigia leis
específicas de ͚͛proteção͛͛ aos trabalhadores. Entre elas, incluíam-se as relacionadas com
acidentes de trabalho e férias remuneradas.
O declínio do anarquista deve -se a uma junção de forças que foi altamente desfavorável, com
ascensão de Stalin ao poder soviético e no Brasil igreja católica, intelectual e elite política a
derrota do anarquismo deixou um espaço aberto que foi rapidamente preenchido pelo
comunista.

„ %


    




ÿV „
 V V   
No século XLX, ao lado das ideologias liberais, democráticas e socialistas, desenvolveu-se o
nacionalismo, que teve origem na revolução Francesa. Tradicionalmente, cada país era considerado
uma espécie de ͚͛propriedade͛͛ do rei e sua família. Por isso, cada {  de determinado do rei, e não
um   .
Como cidadãos, os franceses tinham uma identidade: eram membros de uma comunidade 
assim nasceu o {        
A política do congresso de Viena Também foi responsável pelo desenvolvimento do sentimento
nacional, à medida que a reorganização da Europa depois de Napoleão não obedeceu ao principio da
nacionalidade. Em 1815, o congresso de Viena dividiu a Polônia, entregando uma parte à Rússia e
outra à Prùssia; a Bélgica perdeu a independência e foi anexada pela Holanda; a Rússia obteve a
Finlândia; a Suécia dominou a Noruega.
A Alemanha estava dividida em 39 estados independentes, e a Itália, em sete.
ùm dos principais alvos de críticas ma Europa era a Áustria que, no passado, fora um poderoso
império. Os 39 estados alemães pertenciam formalmente ao domínio austríaco, sob o nome de
͚͛confederação Germânica͛. Além disso, a Áustria controlava parte do território Italiano, a Lombardia-
Veneza. Sob seu domínio estavam ainda muitas outras nacionalidades, como húngaros, thecos, croatas
e eslavos
ÿV V   V&   
1815 e 1830 estavam ligados aos ideais liberais. Líderes nacionais, os ͚͛patriotas͛͛, lutavam
contra domínio estrangeiro para fundar países politicamente unific ados sob regime
constitucional. Ao exemplo da Bélgica que, ao se libertar da Holanda em 1830, estabeleceu o
governo regido por uma Constituição de clara inspiração liberal. A ligação entre o ideal de
libertação nacional e a democracia proposta em 1832, no movimento jovem Itália, de
Giuseppe Mazzini, e nos movimentos revolucionários de 1848.
O fracasso das revoluções de 1848 marcou o encerramento da vinculação entre o movimento
das nacionalidades e os ideais democráticos. A nova conjuntura, que se abriu de 1848 a 1870,
caracterizou pela vitória das nacionalidades, sobre tudo por causa do êxito das unificações da
Itália e da Alemanha. A unificação nacional nesses países ocorreu em detrimento de anseios
democráticos populares.
ÿV „V&   V V  V
  
Com a unificação italiana e alemã, a vitória do princípio das nacionalidades era indiscutível.
A partir de 1870, o sentimento nacional vinculou -se ao amplo movimento de expansão das
potências capitalistas, que entraram na era do novo imperialismo e do nacionalismo e do
neocolonialismo, dando origem ao nacionalismo xenófobo, um dos principais motivos da
eclosão da Primeira Guerra Mundial.
Não interessava aos proprietários a vinculação dos movimentos das nacionalidades com o
radicalismo políticos. Isso explica por que a unificação italiana ocorreu sob a liderança da
monarquia conservadora sardo-piemontesa e a alemã, dos sete estados italianos, o reino
sardo-piemontês era o mais industrializado, o mesmo ocorrendo com a Prússia em relação
aos 39 estados alemã s.

? # 
 
ÿV ñ
"V 
Em 1860 e 1870 ocorreram não só as unificações da Itália e da Alemanha, mas também a dos EùA,
com a guerra de Secessão (1861-1865).
No caso dos EùA, embora houvesse a unidade política, a unidade econômica era prejudicada pela
existência dos poderosos estados escravistas do sul, enquanto o capitalismo se desenvolvia ao norte.
A Alemanha, inversamente, embora estivesse politicamente fragmentada, contava com uma relativa
unidade econômica, graças ao 
o nome dado a um acordo de unificação alfandegária entre
vários estados, sob a liderança a Prússia. A Itália não dispunha de unidade política nem econômica.
ÿV V V
  
 
Primeiro, a secessão (SEPARAR) dos sete estados sulistas, liderados pela Carolina do sul, que
protestaram contra presidente em 1860; depois a guerra e o decreto de abolição da escravatura, em
1863, por Lincoln.
A guerra de secessão propriamente dita iniciou-se em 1861, com bombardeio do forte sumter pela
Carolina do sul. Inicialmente, os sulistas, sob o comando do general Lee, obtiveram vantagens,
chegando até a invadir os territórios nortistas. Em 1865, o general Lee se rendeu em Appomattox. Os
estados rebeldes saíram da guerra arrasada, militar e economicamente, pois escravidão fora extinta
por Lincoln no decorrer da guerra. Para os nortistas, a vitória representou o estabelecimento de sua
hegemonia política e também a unificação do mercado nacional. Criou-se, dessa forma, um amplo
horizonte para o desenvolvimento do capitalismo industrial nos EùA.
ÿV V V    
A unificação da Itália se deu em torno do reino Sardo - Piemontês, durante o reinado de Vítor
Emanuel II, graças principalmente à habilidade se seu ministro Cavour. Compreendeu -se que a
unificação da Itália dependia do concurso de uma potência estrangeira. E isso por que Áustria,
que tinha o domínio dos territórios italianos da Lombardia - Veneza era a principal inimiga da
unificação.
Após de conseguir o apoio da França, entrou em guerra contra a Áustria em 1859 e
novamente em 1866, com ajuda prussiana, com o apoio de líderes como republicanos como
Giuseppe Garibaldi.
Desde 1867, apenas Roma continuava independente, devido à intervenção de Napoleão III,
imperador da França em favor do papa. Porém, com a guerra Franco-Prussiana (1870), que
forçou a retirada francesa, Roma foi ocupada pelas forças do Piemonte e, em seguida,
declarada capital da Itália unificada, tendo Vitor Manuel II como rei.
ÿV V V 
Três guerras marcaram as etapas da unificação.
A primeira, com auxílio da Áustria, foi a Guerra dos Ducados (1864) contra a Dinamarca, que
dominava dois ducados alemães: Scheswig e Holstein. A Prússia declarou a guerra ás Áustria e a
derrotou. Em seguida, Bismarck unificada todo o norte da Alemanha, criando a confederação
Germânica presidia pela Áustria, criada pelo Congresso de Viena.
Restavam os estados do sul, que não haviam sido anexados.
Derrotada na Guerra Franco-Prussiana (1870), a França se viu obrigada a pagar uma pesada
indenização à Prússia, conforme estipulava o tratado de Frankfurt, que pôs fim ao conflito.
A Alemanha então unificada proclamou Guilherme I Kaiser (Imperador) do império alemão.

? ñ

   
 
 
%  

„
 
  


ÿV V  V V' 


 
Na segunda metade do século XLX, não só apareceram novas potências industriais -EùA, Itália
e Alemanha-, como o capitalismo passou por uma profunda transformação, que se
convencionou chamando de segunda guerra Revolução industrial.
A partir de 1870, foram descobertas e utilizadas novas fontes de energia - petróleo e
eletricidade- que substituíram a energia a vapor.
Os capitalistas que não conseguiram acompanhar o ritmo das inovações técnicas foram
eliminados, pois até mesmo por causas da concentração de capital, levando à monopolização
de importantes setores da produção industrial. Passou a ser do   {  

 

 
   {  
    {{ 
Na Alemanha em 1893, 87°/° concentrava a produção de carvão e 50°/° da produção do país;
nos EùA, o truste de ferro e 66°/° do aço do país. Na Inglaterra, cinco grandes bancos
concentraram a quase totalidade dos recursos financeiros do país; na Alemanha nove, na
frança três; nos EùA nove, destaques especiais para dois gigantes controladores pelos grupos
ROCKELLER e MORGAN.
„  
     


ÿV V 
 V V   
A excepcional concentração de capital determinou a procura de novos mercados pelas grandes
potências.
A busca de novos mercados, para onde seus capitais seriam exportadores e onde poderiam explorar a
mão-de-obra barata, levou as grandes potências a dividir entre si o mercado afro-asiático, originando
assim o novo imperialismo.
ÿV V
  V 
  ! 
Transferência do excelente populacional europeu para áreas colônias periférico e exportação de
capital. Concentrou-se mais na África e na Ásia do que na América. Nessa corrida colonial, participaram
a Inglaterra, a França, a Alemanha, a Itália e a Bélgica.
Em 1876, o rei belga Leopoldo II fundou a {{     
 
 e, em seguida o    
{      com objetivo de colonialista em seguida outros países fizeram o mesmo.
França | Argélia, Tunísia, parte da Ásia ocidental etc.
Inglaterra | Rodésia, ùnião sul-africana, Nigéria ETC.
Alemanha | Camarões, sudeste da África, etc.
Itália | parte da Somália, litoral da Líbia etc.
Espanha | Marrocos, Rio do Ouro, etc.
Portugal | Moçambique, Angola etc.

ÿV „VV VV  V   


Novo colonialismo do século XLX, diferentemente do antigo colonialismo cuja exploração era baseada
na procura de metais preciosos e produtos tropicais, além da escravização da população local ou
africana, o neo-colonialismo caracterizou-se pela procura de matérias-primas indústrias, como carvão,
ferro e o petróleo além dos produtos alimentícios. O capital era exportado para a construção de
estradas de ferro, exploração de minas, enfim o que interessava mais diretamente ás indústrias. Com a
revolução industrial a população cresceu rapidamente e os países europeus estimulavam a emigração
para ás áreas colônias, um escape para a pressão demográfica européia.

„  
 
?$
&
 


ÿV V  
V
V V
V%   
A massa de imigrantes que na segunda metade do século XIX deixou a Europa echegaram à América
latina, como Argentina, o ùruguai e o sul do Brasil receberam grandes contingentes de imigrantes
europeus.
A Argentina, tradicional importadora de cereais, passou á posição de trigo. No Brasil, a cafeicultura
paulista resolveu seu problema de mão-de-obra e fez São Paulo a mais rica das províncias.

?   
'# 
(#
 )*+*,*+*-.
V
  V 
  

No início do século XX, a Inglaterra era a maior potência capitalista do mundo. Porém, desde a
segunda Revolução industrial surgiram outras potências indústrias, dentre as quais devemos destacar
a Alemanha.
A concorrência entre as várias potências conduziu á liquidação do livre-cambismo, na medida em que
cada país elevou as tarifas alfandegárias com a finalidade de proteger seu parque industrial da
concorrência estrangeira, uma disputadíssima competição pela aquisição de colônias. Todavia, grande
parte colonial encontrava-se com Inglaterra e secundariamente com a França. O livre-cambismo foi
substituído pelo protecionismo.
A Alemanha, que despontava como a mais séria rival da Inglaterra, adotou uma política extremamente
agressiva utilizando o  - concorrência por meio da baixa dos preços.
ÿV V V
 V V V(  V)# V O chauvinismo (nacionalismo exacerbado) e o xenofobismo (ódio
ao estrangeiro) e ainda a corrida pela corrida colonial na Ásia e na África, o choque interimperalista
desdobrou-se rápida e perigosa numa desenfreada corrida armamentista.
No início do século xx, tecnologias indústrias a serviço da guerra. A belle Époque, como ficou
conhecida o período entre 1870 e 1914, foi uma época de muita riqueza, desenvolvimento tecnológico
e científico e prestígio das artes e culturas. A guerra destruía os sonos dourados da elite européia.
ÿV „V   V V  V Tendo Inglaterra e Alemanha como as duas maiores potências rivais, os
demais países aglutinaram-se em torno dos líderes de acordo com seus interesses particulares,
formando os sistemas de alianças.
A Europa dividida em dois blocos:
uV A tríplice aliança, formada por Alemanha, Áustria, Hungria e Itália;
uV E a tríplice entende, integrada por Inglaterra, França e Rússia.
Qualquer conflito entre dois países desses blocos rivais tornaria-se uma guerra européia, pois cada
país arrastaria seus aliados para o campo de batalha. Como esses países eram também grandes
potências colônias, a guerra poderia expandir-se para áreas extra-européias e transformar o confronto
armando em guerra mundial. Foi o que aconteceu.
ÿV  V V  V Começava, assim, a Primeira Guerra Mundial. Quando á Itália, que pertencia à
tríplice aliança, permaneceu neutra no início, já que tinha diferenças com a Áutria-Hungria, que
dominava territórios que os italianos denominavam ͚͛Itália Iredenta͛͛. No fim, a Inglaterra prometeu
entregar-lhe esses territórios, caso ingressasse no conflito a favor da Entende. A Itália aceitou a oferta,
rompendo a neutralidade em 1915.
ÿV V*

VNo 
 europeu, a guerra começou com a Alemanha invadindo a Bélgica, por onde entrou
na França em 1917, a situação indefinida da guerra começou a mudar a favor da Entende, com a saída
da Rússia motivada Revolução Russa liderada bolchevique- e a decisiva entrada dos EùA. A Alemanha,
sozinha foi derrotada em novembro de 1918 rendeu-se com base nos 14   {propostos pelo
presidente ±ilson, dos EùA. Mas o tratado de Versalhes, que Alemanha foi obrigada assinar em 1919,
ignorava os 14   { impunha condições tão dura que, no final, acabaram preparando a segunda
guerra.
? ?   

„     /  #
 
  !
 0

ÿV V V
!
V VV  
À medida que a industrialização se fundia ma Europa, crescia o número de operários. No começo do
século XIX, eles eram brutalmente explorados. Começaram a protestar contra os salários ínfimos e a
longa jornada de trabalho, e passaram a exigir melhores condições de trabalho.
Não era apenas para fazer greve que os operários se viram forçados a se organizar, essa foi a origem dos
sindicatos operários.
A Inglaterra foi o berço do movimento operário, e compreenderam rapidamente que suas reivindicações
só seriam cumpridas se tivessem a força da lei, por meio de um documento conhecido como 
 
  (1938). Esse movimento ficou conhecido como
 { 
ÿV V V 
VV    
As lutas foram se intensificando até se converterem em lutas contra o sistema capitalista.
ùm importante passo nesse sentido foi dado por Karl Marx - filósofo socialista alemão-que, liderou a
fundação da Associação Internacional dos Trabalhadores ou


  como ficou
conhecida, com finalidade era a revolução socialista em todo o planeta, mas não desenvolveu após a
derrota da Comuna de Paris (1871).
ÿV „V  
O movimento socialista pode ser dividido em duas partes em socialismo !  o socialismo moderno
ou "  .
Segundo os marxistas, o socialismo utópico diferia do científico em dois pontos: os utópicos julgavam
poder atingir o socialismo com base na boa vontade dos homens, enquanto os científicos ou marxistas
não viam alternativa que não fosse o confronto entre operariado e a burguesia, ou seja, luta de classes.
Os socialistas científicos, ao contrário dos utópicos, baseavam sua ação numa análise científica do
capitalismo, cujos fundamentos julgavam ter sido lançado por Karl Marx.
ÿV V  V V
V+,-.,/ V
Pela primeira vez na história um movimento de caráter socialista chegou ao poder por meios
revolucionários, após a derrota de Napoleão III, Thiers membro do governo provisório assumiu o poder
transferiu para Versalhes a sede do governo deixando Paris desprotegida. A população parisiense
organizou-se para defender a cidade contra o invasor. Thiers traiu o governo, o povo pegou armas e
tomou o poder, dando origem à comuna de Paris que durou apenasdois meses, com a participação do
povo na condução do governo. A comuna foi um autogoverno dos trabalhadores.


?   # #
)*+*1.

ÿV V# V V 

Em pleno século XX, a Rússia era governada pelo um imperador absolutista que se intitulava 

Em 1905, a derrota russa na guerra contra o Japão somou-se ao descontentamento contra o czarismo. A
insatisfação deu origem a um levante popular em todo o país, depois que uma manifestação pacífica foi
reprimida a tiros pelo czar. O episódio ficou conhecido como ͚͛ Domingo Sangrento͛͛, e o levante, como
͚͛ Revolução de 1905͛͛.
Para o regime czarista, a conjunção do movimento na cidade (operariado) e no campo (campesinato) foi
fatal.
Com a queda do imperador, formou-se um governo Provisório, sustentado por alianças partidárias. Elas
englobavam partidos burgueses, como o dos liberais-constitucionais (conhecidas como ͚͛ cadetes͛͛), e
partidos ao movimento operários, como o dos mencheviques e socialistas revolucionários que, apesar
do nome, se caracterizavam por extrema moderação.

ÿV „V  
O povo se organizava espontaneamente em sovietes de deputados operários, camponeses e soldados.
Com isso, instalava-se na Rússia a dualidade de poderes: Governo Provisório versus- isto é burguesia
versus operariado.
ÿV „V(   # 
Quando a Revolução de Fevereiro eclodiu, Lênin, que liderava o partido Bolchevique, defendia a
conquista do poder pelos sovietes e a instalação da ͚͛ ditadura do proletariado͛͛, com apoio e aliança dos
camponeses.
Puseram-se contra Stalin e Kamenev, em compensação, Lênin recebeu apoio e adesão de um
menchevique, Trotski.
Em outubro, os Bolcheviques organizavam uma insurreição vitoriosa contra o governo provisório, depois
de uma fracassada tentativa de contra-revolução chefiada por um oficial czarista, Korniov.
Em 1921, Lênin instituiu a Nova Política Econômica (NEP), que permitiu a privatização de alguns setores
e restaurou em parte a economia de mercado, conseguindo uma discreta recuperação das produções
agrícola e industrial.
Em 1922, enfim, foi fundada a ùnião das Repúblicas Socialistas Soviéticas (ùRSS) que além da Rússia,
incluía a ùcrânia, as repúblicas transcaucasiana e outros territórios do antigo império russo,
transformados em regiões autônomas ou repúblicas socialistas.
ÿV „V0   
Com a morte de Lênin, o sonho de uma sociedade livre, igualitária e socialista converteu-se num
pesadelo.
Quanto a Stalin, este apenas se aproveitou da circunstância para organizar o primeiro Estado totalitário
moderno. Que acabou transformando a ͚͛ditadura sobre o proletariado numa ditadura sobre
proletariado. Em termos econômicos, foi dado um novo rumo com os planos qüinqüenais. O primeiro
(1928-1932), com mais capital e melhores técnicas, diversificou a planificação nos vários setores da
economia, mas privilegiar a indústria pesada.
ÿV Vñ

V'
  
Os partidos ligados A segunda Internacional apoiavam seus respectivos governos no esforço naguerra.
Em 1919, com a Terceira Internacional ou Internacional Comunista (IC Où Komintern), que funcionava
como centro de diversos partidos comunistas de várias nacionalidades, era o reflexo da posição de Stalin
que, ao contrário de Trotski, defendia a tese do socialismo em um só país.
Com a eclosão da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a IC perdeu a utilidade para Stalin, que a
dissolveu em 1934 para facilitar a aliança da ùRSS com os países capitalistas ocidentais, na guerra contra
Hitler.
ÿV Vš
 V'
  
A partir de 1933, data da ascensão de Hitler ao poder, Trotski e seus partidários concluíram pela falência
da terceira Internacional e passaram a organizar uma nova direção revolucionária, que desembocou na
formação de quarta internacional, em 1938. Trotski foi assassinado em 1940, no México, mando de
Stalin.

„

"# 
ÿV „V1 
V V  
Marxistas e anarquistas são anticapitalistas e vêem a burguesia como principal inimigo. Contudo, apesar
da afinidade política e histórica, constituíram, desde o princípio, agrupamentos rivais.
O anarquismo valorizava o movimento espontâneo do operariado contra a tendência centralista dos
marxistas (hierarquização e ditadura do proletariado).
Outros traços característicos do anarquista são a importância conferida ao sindicato e a aversão a
qualquer forma de autoridade

„    ? 
 


? 

 
 

ÿV „V*
V
 2
V+,--3 ,-3,/
Ao longo da República Velha- denominação convencional para o período que vai da proclamação da
República (1889) até ascensão de Getúlio Vargas (1930)-o, o Brasil conheceu treze presidentes. Essa
primeira fase republicana teve como característica o domínio da política pela oligarquia cafeeira, em
cujo nome e interesse o poder foi exercido. Contudo, a oligarquia não assumiu o poder imediatamente.
Na mesma noite da proclamação da República, formou-se o Governo Provisório, tendo à frente o
marechal Deodoro da Fonseca. O novo governo decretou o regime republicano e federalista e a
transformação das antigas províncias em estados de federação. O império do Brasil passava a chamar-
se, com a República ͚͛Estados ùnidos Do Brasil͛͛- o seu nome oficial.
Em caráter de urgência, o governo provisório decretou também as seguintes medidas: a ͚͛grande
naturalização͛͛, que ofereceu a cidadania a todos os estrangeiros residentes; a separação entre igreja e o
Estado e o fim do padroado (de indicar sacerdotes para cargo eclesiásticos receber dízimo, em troca da
defesa e da propagação da fé católica.); a instituição do casamento e do registro civil. Porém, entre
várias medidas, destacou-se particularmente o ͚͛encilhamento͛͛ adotado por Rui Barbosa, então
ministro da fazenda.
ÿV „VV    
 # (tira de pano ou de ouro) a sela do cavalo. Por analogia, chama-se ͚͛encilhamento͛͛ a política de
emissão de dinheiro em grande quantidade, que causou uma desenfreada especulação na Bolsa De
Valores.
Com o trabalho livre e assalariado, o dinheiro passou a ser utilizado por todos. Para atender à nova
necessidade, o Governo Provisório emissionista, dividiu o Brasil em quatro regiões e autorizou o
funcionamento de um Banco emissor em cada uma das regiões, com objetivo decobrir as necessidades dos
pagamentos dos assalariados.
Essa desenfreada política emissionista produziu uma inflação incontrolável, pois os ͚͛ papéis pintados ͚͛
(dinheiro) não tinham como lastro outra coisa senão a garantia do governo. Os especuladores criavam
projetos mirabolantes e irrealizáveis, lançavam suas ações na Bolsa de Valores, onde eram vendidas a alto
preço.
Desse modo, algumas pessoas fizeram fortunas da noite para o dia, enquanto seus projetos permaneciam
apenas ano papel.

?  
„ !
"#

? ! 

 #  
ÿV VV V V