Você está na página 1de 3

Relatório da Administração

De acordo com dados do IBGE, no primeiro trimestre de 2008, a indústria, vem


exibindo a maior taxa de crescimento do PIB em relação ao mesmo período do
ano anterior desde 2004. Na atividade industrial os destaques foram para a
construção civil (8,8%) que registrou a maior alta desde o segundo trimestre de
2004 e a indústria de transformação (7,3%). O crescimento do investimento é
explicado principalmente pelo aumento da produção e da importação de máquinas
e equipamentos.
Tal expansão econômica tende a gerar cada vez mais uma crescente demanda
por energia, expressando assim um cenário positivo para Renova Energia S.A.

Desempenho

No primeiro trimestre de 2008, a Renova não auferiu receita, uma vez que sua
controlada indireta Energética Serra da Prata ainda se encontrava em fase pré-
operacional. As despesas operacionais no total de R$ 1.389,2 mil, representam a
soma dos gastos com a estrutura administrativa e comercial, incorremos ainda em
despesas tributárias de R$ 86,8 mil, bem como obtivemos receitas líquidas de R$
339,9 mil decorrentes de aplicações financeiras. Por fim, tivemos um resultado
negativo de equivalência patrimonial no montante de R$ 3.804,8 mil, resultando
em um prejuízo de R$ 4.941,6, em comparação a um prejuízo operacional de R$
2.895,3 mil no exercício de 2007.

Ressaltamos que esse resultado não reflete as perspectivas da Companhia que


tem previsão de entrada em operação comercial dos empreendimentos do
Complexo hidrelétrico Serra da Prata em meados de 2008, o que resultará em um
fluxo de dividendos expressivo para nossa Companhia, em vista do contrato de
compra e venda de energia elétrica celebrado com as Centrais Elétricas
Brasileiras – ELETROBRÁS, através do PROINFA – Programa de Incentivo as
Fontes Alternativas de Energia Elétrica , onde a ESPRA venderá toda a sua
produção de energia elétrica passível de ser contratada por um prazo de 20 (vinte
anos). A receita anual estimada é de aproximadamente R$ 34 milhões por ano,
considerando a correção pelo IGPM desde jun/04.

Investimentos

Possuímos investimentos na Cia Enerbras, cuja participação é de 100%. A


Enerbras por sua vez, controla diretamente a Energética Serra da Prata S/A com
99,99%, que possui as PCHs Cachoeira da Lixa, Colino I e Colino II, integrantes
do Complexo Hidrelétrico Serra da Prata. O nosso ativo imobilizado evoluiu de R$
168,2 milhões em dez/07, para R$ 181,1 milhões em mar/08 (incremento de 8%) e
nosso ativo diferido evoluiu de R$ 20,9 milhões em dez/07 para R$ 24,1 milhões
em mar/08 (incremento de 15,5%).

Financiamentos e Patrimônio Líquido

Para financiar estes investimentos, além de nossos próprios recursos, acessamos


linhas de créditos disponíveis e obtivemos novos desembolsos do contrato de
financiamento firmado com o Banco do Nordeste do Brasil em 30 de junho de
2006. O endividamento bruto da empresa, representado pelos empréstimos e
financiamentos, de curto e longo prazo com instituições financeiras, atingiu o valor
de R$ 191,2 milhões em mar/08, comparado ao saldo de R$ 173,3 milhões em
dez/07.

Nosso patrimônio líquido encerrou o exercício em R$ 28,9 milhões, com


crescimento de 746% em relação ao resultado de dez/07, de R$ 3.880,1 mil. Em
16 de janeiro de 2008, o acionista RRI Participações S.A, integralizou o capital
social em R$ 30 milhões, mediante a emissão de 700.245 novas ações ordinárias,
nominativas e sem valor nominal ao preço de emissão por ação de R$ 42,84212.

PORTFÓLIO DE PROJETOS

Além dos investimentos realizados no Complexo Serra da Prata, no primeiro


trimestre de 2008 a Companhia seguiu investindo na prospecção e
desenvolvimento de novos potenciais para a construção de PCHs, tendo
incrementado significativamente sua carteira desses projetos. Acreditamos que o
mercado de energia apresenta condições favoráveis para o investimento em PCHs
e pretendemos seguir investindo neste segmento. Investimos também no
desenvolvimento de um importante projeto eólico no Nordeste.

SUSTENTABILIDADE E MEIO AMBIENTE

Compreendendo o seu negócio como a geração de energia com respeito ao meio


ambiente, a Renova Energia está empenhada em assegurar a perenidade das
suas atividades, possuindo plena consciência do seu papel e da sua
responsabilidade socioambiental. Somos comprometidos, portanto, com os
princípios que regem o desenvolvimento sustentável, e seus pilares social,
ambiental e econômico. No primeiro trimestre de 2008 demos continuidade aos
programas ambientais e de relacionamento com as comunidades onde atuamos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A Renova Energia segue confiante no desenvolvimento de suas atividades e


envidando seus melhores esforços para ampliar sua carteira de projetos e
desenvolvê-los de forma sustentável ao longo dos próximos anos.

A diretoria.