Você está na página 1de 1

O processo de infeco e algumas doenas de importncia epidemiolgica.

O sistema parasito-hospedeiro-ambiente e suas propriedades esto submetidos ao da


seleo natural ao longo do processo evolutivo. As mudanas ocorridas nesse sistema podem
ocasionar diferentes resultados de acordo com as caractersticas dos estmulos. Esses estmulos
podem resultar em doena parasitria, manifestada devido ocorrncia de fenmenos naturais
onde os eventos provocam a alterao de um dos componentes do sistema, e a reao
especfica dos hospedeiros manifestam sintomas de um comportamento modificado do sistema
(COURA, 2005).

Para se previr o comportamento de um subsistema parasito-hospedeiro, deve-se analisar a


composio da populao parasitria. A existncia de infeco mltipla, onde h outras espcies
de parasitos no hospedeiro que podem estar competindo entre si, ou em processo de
cooperao deve ser considerada, assim como, a energia gasta do hospedeiro para manifestar
sua resposta imune (Rigby et al., 2002).

Na associao parasita-hospedeiro, os parasitos evoluem incessantemente para melhorar sua


virulncia, ou seja, sua capacidade de multiplicar-se e transmitir genes, enquanto os hospedeiros
para sobreviver a processos de infeco parasitria. Precisam desenvolver mecanismos para
minimizar a infectividade e a virulncia dos parasitos (COURA, 2005). Essa associao inclina-se
para o equilbrio, pois a morte do hospedeiro prejudicial para o parasito (NEVES et al., 2004).
Sendo assim, importante para o desenvolvimento e multiplicao do parasita, bem como de
suas geraes futuras, a sobrevivncia de seu hospedeiro. Portanto, a reduo da virulncia
resultante do processo de co-adaptao parasito-hospedeiro. (GIORGIO et al., 1995)