Você está na página 1de 10
1º PROCESSO SELETIVO DE MEMBROS ASPIRANTES A LIGA ACADÊMICA DE PNEUMOLOGIA- LAP/FCS/UNEMAT NOME: DATA: 03/09/2017

1º PROCESSO SELETIVO DE MEMBROS ASPIRANTES A LIGA ACADÊMICA DE PNEUMOLOGIA- LAP/FCS/UNEMAT

NOME:

DATA: 03/09/2017

1º PROCESSO SELETIVO DE MEMBROS ASPIRANTES A LIGA ACADÊMICA DE PNEUMOLOGIA- LAP/FCS/UNEMAT NOME: DATA: 03/09/2017

01.

A MATURAÇÃO DO PULMÃO É DIVIDIDA EM QUATRO PERÍODOS. QUAIS SÃO ELES?

a)

Pseudoglandular, do saco terminal, canalicular e alveolar.

b)

Canalicular, pseudoglandular, alveolar e do saco terminal.

c)

Pseudoglandular, canalicular, do saco terminal e alveolar.

d)

Alveolar, canalicular, pseudoglandular e do saco terminal.

e)

Do saco terminal, pseudoglandular, canalicular e alveolar.

02.

O DESENVOLVIMENTO TOTAL DO PULMÃO OCORRE:

a)

Até a 26ª semana.

b)

Até a 37ª semana.

c)

Até 28 dias após o nascimento.

d)

Até a infância.

e)

Até a idade adulta.

03.

OS ÓRGÃOS RESPIRATÓRIOS INFERIORES COMEÇAM A SE FORMAR DURANTE A QUARTA SEMANA DE DESENVOLVIMENTO. APÓS A 20ª SEMANA HÁ A PRODUÇÃO DE QUAIS TIPOS DE CÉLULAS E QUAIS SUAS RESPECTIVAS FUNÇÕES?

a)

Células alveolares tipo I (secreção de surfactante) e células alveolares tipo II (trocas gasosas).

b)

Células alveolares tipo III (trocas gasosas) e células alveolares tipo IV (secreção de surfactante pulmonar).

c)

Células alveolares tipo I (trocas gasosas) e células alveolares tipo III (secreção de surfactante pulmonar).

d)

Células alveolares tipo II (secreção de surfactante pulmonar) e células alveolares tipo III (trocas gasosas).

e)

Células alveolares tipo I (trocas gasosas) e células alveolares tipo II (secreção de surfactante pulmonar).

04.

OS MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM DESEMPENHAM, ATUALMENTE, UM PAPEL CENTRAL NA INVESTIGAÇÃO DAS DOENÇAS TORÁCICAS. AS RADIOGRAFIAS SIMPLES, AS ULTRASSONOGRAFIAS E AS IMAGENS DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA E DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA SÃO AMPLAMENTE DISPONÍVEIS, CABENDO AO MÉDICO-ASSISTENTE CONHECER AS SUAS INDICAÇÕES E AS SUAS LIMITAÇÕES PARA OBTER UM MELHOR RENDIMENTO DIAGNÓSTICO. A TÉCNICA DE EXAME DEVE SER O PRIMEIRO ASPECTO A SER CONSIDERADO, TANTO NA SOLICITAÇÃO QUANTO NA INTERPRETAÇÃO DA RADIOGRAFIA DE TÓRAX. ASSIM O EXAME RADIOLÓGICO DO TÓRAX DE ROTINA DEVERÁ SER FEITO, SEMPRE QUE POSSÍVEL:

a)

Nas incidências póstero-anterior e lateral esquerda, obtidas em inspiração máxima, com o paciente em ortostatismo.

b)

Nas incidências póstero-anterior e lateral esquerda, obtidas em expiração máxima, com o paciente em ortostatismo.

c)

Nas incidências póstero-anterior e lateral esquerda, obtidas em inspiração máxima, com

o

paciente em decúbito dorsal.

d)

Nas incidências ântero-posterior e lateral esquerda, obtidas em inspiração máxima, com

o

paciente em ortostatismo.

e)

Nas incidências ântero-posterior e lateral esquerda, obtidas em expiração máxima, com o

paciente em ortostatismo.

05.

SOBRE AS INDICAÇÕES E TÉCNICAS DE EXAMES DA RADIOGRAFIA DE TÓRAX ASSINALE A ALTERNATIVA

INCORRETA:

a)

A radiografia simples de tórax é o método de imagem mais utilizado na prática clínica

b)

O posicionamento incorreto do paciente pode causar assimetria nas densidades entre os hemitórax e deslocamento dos contornos das estruturas normais.

c)

A inspiração é considerada satisfatória quando a extremidade anterior do 6º arco costal ou a extremidade posterior do 10º arco costal são identificadas acima do diafragma.

d)

A baixa penetração aumenta a possibilidade de uma anormalidade não ser detectada pela sobreposição de outra estrutura, enquanto a penetração excessiva resulta em perda da visibilidade de lesões de baixa densidade.

e)

Os exames obtidos com os pulmões pouco insuflados são excelentes para a estimativa da área cardíaca.

06.

A COLUNA DA ESQUERDA APRESENTA ALGUNS TRANSTORNOS RESPIRATÓRIOS E A DA DIREITA, OS CONCEITOS DESSES TRANSTORNOS. NUMERE A COLUNA DA DIREITA DE ACORDO COM A DA ESQUERDA.

1-

Pneumonia

(

) Fechamento ou colapso dos

 

alvéolos

2-

Atelectasia

) Processo inflamatório crônico das vias aéreas.

(

3-

Enfisema pulmonar

) Distensão anormal dos espaços aéreos distais aos bronquíolos terminais, com destruição das paredes alveolares.

(

 

(

) Processo inflamatório que

4-

Asma

acomete o parênquima pulmonar, geralmente causado por microrganismos patogênicos.

5-

Bronquiectasia

(

) estrutura pulmonar lesada de

MARQUE A SEQUÊNCIA CORRETA:

a)

4, 2, 1, 3, 5

b)

2, 1, 3, 4, 5

c)

2, 4, 3, 1, 5

d)

5, 3, 1, 4, 2

e)

5, 4, 3, 1, 2

uma maneira irreversível e como resultado se tornam anormalmente dilatados, com paredes engrossadas, irregulares e não se afilam normalmente.

07. SÃO FATORES QUE PODEM AUMENTAR A PACO 2 E ELEVAM A CONDUÇÃO RESPIRATÓRIA.

a)

sepse

b)

Hiperalimentação

c)

Espaço morto diminuído

d)

ventilação minuto diminuída

e)

febre

08.

QUAL DOS ELEMENTOS DA AUSCULTA PULMONAR SUGERE UMA PNEUMOPATIA INTERSTICIAL?

a)

Pectorilóquia fônica.

b)

Frêmito tóraco-vocal aumentado.

c)

Aumento do murmúrio vesicular.

d)

Estertores finos ou em velcro.

e)

Aumento do timpanismo.

09.

O TRAÇADO DE ESPIRÔMETRO ABAIXO MOSTRA OS VOLUMES PULMONARES E AS CAPACIDADES. DÊ O NOME CORRESPONDE A CADA NÚMERO APRESENTADO E ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA:

CADA NÚMERO APRESENTADO E ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA : ( ) Capacidade residual funcional ( )

(

) Capacidade residual funcional

(

) Capacidade pulmonar total

(

) Capacidade inspiratória

(

) Capacidade vital

(

) Volume de reserva inspiratório

(

) Volume residual

(

) Volume de reserva expiratório

a)

3-4-6-5-1-7-2

b)

7-4-6-5-1-2-3

c)

2-4-5-6-3-1-7

d) 7-4-5-6-1-3-2

e) 7-4-5-6-2-1-3

10.

SOBRE SONS RESPIRATÓRIOS, ASSINALE A AFIRMATIVA INCORRETA:

a)

No som traqueal, diferenciam-se com facilidade os componentes inspiratório e expiratório.

b)

Ausculta-se o murmúrio vesicular em todo o tórax, sendo este homogêneo, ainda que em patologias respiratórias.

d)

Os estertores grossos ou bolhosos têm frequência menor e maior duração que os finos e sofrem nítida alteração com a tosse.

11. SOBRE SONS OU RUÍDOS ANORMAIS DA RESPIRAÇÃO, RELACIONE AS COLUNAS E ASSINALE A

RESPOSTA CORRETA:

1.

Roncos

2.

Sibilos

3.

Estridor

4.

Sopros

5.

Estertores finos ou crepitantes

6.

Estertores grossos ou bolhosos

A.

Sons graves (baixa frequência) originados nas vibrações das paredes brônquicas e do conteúdo gasoso quando há estreitamento desses ductos.

B.

Final da inspiração, comparados ao ruído produzido pelo atrito de um punhado de cabelos junto ao ouvido

C.

Som produzido pela semiobstrução da laringe ou traqueia, pode ser provocado por difteria, laringites agudas, câncer de laringe, estenose da traqueia

D.

Sofrem nítida alteração com a tosse, ocorrem no início da inspiração e durante toda a expiração

E.

Som brando, mais longo na expiração que na inspiração, acontece como uma verificação normal, mas ocorre em certas situações patológicas. Podem ser tubários, cavitários e anfóricos.

F.

Quando localizados em determinada região, indicam semiobstrução por neoplasia ou corpo estranho

a)

1-F;2-C;3-A;4-B;5-D;6-E

b)

1-A; 2-F;3-C;4-E;5-B;6-D

c)

1-A;2-F;3-E;4-D;5-B;6-C

d)

1-F;2-C;3-B;4-E;5-A;6-D

e)

1-A;2-B;3-D;4-C;5-F;6-E

12. QUANTO AOS MOVIMENTOS RESPIRATÓRIOS, PODEM SOFRER ALTERAÇÕES DEPENDENDO DO USO DA MUSCULATURA ACESSÓRIA. UMA RESPIRAÇÃO CARACTERIZADA POR APRESENTAR APNEIA SEGUIDA DE INSPIRAÇÃO E EXPIRAÇÃO MAIS INTENSAS É CHAMADA DE:

a)

Respiração de Biot.

b)

Respiração normal.

c)

Respiração de Kusmaul.

d)

Respiração de Cheyne-Stokes.

e)

N.D.A

13.

O TROMBOEMBOLISMO PULMONAR É UMA COMPLICAÇÃO TEMIDA NOS PACIENTES CIRÚRGICOS, PRINCIPALMENTE NO PÓS-OPERATÓRIO. SÃO FATORES DE RISCO PARA TROMBOEMBOLISMO

PULMONAR, EXCETO:

a)

Obesidade e traumas em membros inferiores

b)

Varizes de membros inferiores e alguns tipos de câncer

c)

Uso de anticoncepcional e idade > 40 anos

d)

Voos de longa distância e pós-parto

e)

Fraturas ósseas e alcoolismo

14. ASSINALE A ALTERNATIVA QUE COMPLETA AS LACUNAS CORRETAMENTE.

O SURFACTANTE COMEÇA A SER PRODUZIDO EM TORNO DE

ESTÁGIO DE MATURAÇÃO DO PULMÃO. EM RECÉM-NASCIDOS (RN) PREMATUROS A DEFICIÊNCIA DE

SURFACTANTE E A VENTILAÇÃO COLATERAL POUCO DESENVOLVIDA CORROBORAM PARA COMPLACÊNCIA

PULMONAR ESTÁTICA E DINÂMICA

SEMANAS E TERMINA NO

E

RESPECTIVAMENTE.

a)

20/terceiro/elevada/baixa

b)

20/terceiro/baixa/elevada

c)

25/quarto/baixa/baixa

d)

25/quarto/elevada/elevada

e)

25/segundo/inalterada/baixa

15.

OS ESPAÇOS DE 1 A 4 CORRESPONDEM A:

15. O S ESPAÇOS DE 1 A 4 CORRESPONDEM A : a) 1-Normal, 2-ausente, 3-maciço, 4-diminuído

a)

1-Normal, 2-ausente, 3-maciço, 4-diminuído ou ausente

b)

1-Normal, 2-normal, 3-timpânico, 4-diminuído ou ausente

c)

1-Diminuído, 2-normal, 3-maciço, 4-normal ou aumentado

d)

1-Normal, 2-diminuído, 3-claro, 4-normal

e)

1-Diminuído, 2-ausente, 3- claro, 4-diminuído ou ausente

16.

SÃO CARACTERÍSTICAS PRESENTES NA DPOC, EXCETO:

a)

Relação VEF 1 /CVF reduzida.

b)

Quadro de obstrução irreversível ou pouco reversível.

c)

CPT reduzida.

d)

Dispneia.

e)

Turgência jugular, edema de membros inferiores e hepatomegalia, em casos graves.

17.

NA DPOC, OCORRE INFLAMAÇÃO CRÓNICA DAS VIAS AÉREAS CENTRAIS E PERIFÉRICAS, PARÊNQUIMA E VASOS PULMONARES EM RESPOSTA À INALAÇÃO DE PARTÍCULAS E GASES NOCIVOS, COM ACÚMULO PRINCIPALMENTE DE MACRÓFAGOS, NEUTRÓFILOS E LINFÓCITOS T (SOBRETUDO CD8). ESSAS CÉLULAS INFLAMATÓRIAS, QUANDO ATIVADAS, LIBERAM VÁRIOS MEDIADORES (LEUCOTRIENO B4, INTERLEUCINA 8, FATOR DE NECROSE TUMORAL ALFA, ENTRE OUTROS), QUE SÃO CAPAZES DE LESAR ESTRUTURAS PULMONARES E MANTER A INFLAMAÇÃO NEUTROFÍLICA, LEVANDO A UM CÍCLICO PROCESSO DE DESTRUIÇÃO E REPARAÇÃO. OUTROS PROCESSOS IMPORTANTES NA FISIOPATOLOGIA DA DOENÇA SÃO O DESEQUILÍBRIO ENTRE PROTEINASES E ANTIPROTEINASES NOS PULMÕES (COM PREDOMÍNIO DAS PRIMEIRAS) E O ESTRESSE OXIDATIVO.

DENTRE OS FATORES DE RISCO, O PRINCIPAL FATOR AMBIENTAL E O PRINCIPAL FATOR DO HOSPEDEIRO PARA DPOC SÃO, RESPECTIVAMENTE:

a)

Exposição à poeira ocupacional e hiperresponsividade brônquica.

b)

Exposição à poluição extra e intradomiciliar e deficiência de alfa-1-antitripsina.

c)

Infecções respiratórias e asma.

d)

Tabagismo e deficiência de alfa-1-antitripsina.

e)

Exposição a irritantes químicos e estresse oxidativo.

18.

A EMBOLIA PULMONAR (EP) REFERE-SE AO MATERIAL ENDÓGENO OU EXÓGENO QUE, UMA VEZ NA CIRCULAÇÃO, SEGUE PARA OS PULMÕES E CAUSA UM ESPECTRO POTENCIAL DE CONSEQUÊNCIAS. TROMBOS PROVENIENTES DE VEIAS PROFUNDAS DE MEMBROS INFERIORES SÃO, DE LONGE, O MATERIAL MAIS COMUM A EMBOLIZAR PARA O PULMÃO; A TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP) E A EP REPRESENTAM O CONTÍNUO DE UMA DOENÇA, O TROMBOEMBOLISMO VENOSO (TEV).

REFERENTE A EP AGUDA, O PRINCIPAL SINTOMA É:

a)

Tosse.

b)

Edema de membros inferiores.

c)

Dor pleurítica.

d)

Dispneia.

e)

Sibilância.

19.

DADAS A AMPLA VARIEDADE DE APRESENTAÇÕES CLÍNICAS (DESDE O ACHADO INCIDENTAL DE TROMBOEMBOLISMO EM PACIENTES ASSINTOMÁTICOS ATÉ CASOS DRAMÁTICOS DE MORTE SÚBITA POR TROMBOEMBOLISMO PULMONAR MACIÇO), BAIXA ESPECIFICIDADE DOS SINAIS E SINTOMAS E AS LIMITAÇÕES DOS MÉTODOS DIAGNÓSTICOS DISPONÍVEIS (SOBRETUDO AS GRANDES VARIAÇÕES DE SEUS VALORES PREDITIVOS EM CENÁRIOS DE DIFERENTES PROBABILIDADES CLÍNICAS), DIVERSAS DIRETRIZES E CONSENSOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS SUGEREM QUE A ABORDAGEM DIAGNÓSTICA DE PACIENTES COM SUSPEITA CLÍNICA DE TROMBOEMBOLISMO PULMONAR SEJA GUIADA POR ALGORITMOS. OS OBJETIVOS DESSES ALGORITMOS SÃO A RÁPIDA IDENTIFICAÇÃO DE PACIENTES COM TEP - PARA O INÍCIO IMEDIATO DO TRATAMENTO ANTICOAGULANTE (E MENOR RISCO DE DETERIORAÇÃO HEMODINÂMICA OU RECORRÊNCIA FATAL) - E A EXCLUSÃO SEGURA DESSA POSSIBILIDADE DIAGNÓSTICA NOS DEMAIS PACIENTES COM UM MÍNIMO DE TESTES ADICIONAIS, A UM BAIXO CUSTO E LIMITADO RISCO DE IATROGENIA. DIANTE DE UM QUADRO SUSPEITO DE TEP, MAS COM ESCORE DE WELLS (OU ESCORE DA REGRA DE DECISÃO) MENOR OU IGUAL A 4, QUAL CONDUTA DEVE SER ADOTADA?

a)

Tratar paciente com trombolíticos.

b)

Realizar exame de imagem, sendo arteriografia pulmonar a primeira escolha.

c)

Dosar Dímero D.

d)

Iniciar anticoagulação com varfarina.

e)

Realizar exame de imagem, sendo TC helicoidal a primeira escolha.

20.

COM RELAÇÃO A PNEUMONIA ADQUIRIDA NA COMUNIDADE, FAZ-SE AS SEGUINTES AFIRMAÇÕES:

I.

Pneumonia adquirida na comunidade é aquela que acomete o indivíduo fora do ambiente hospitalar ou que surge nas primeiras 48h da admissão, incluindo pacientes que residem em casa de repouso ou tratam-se em clínicas de hemodiálise.

II.

Apenas um patógeno específico é responsável pela PAC, sendo sempre possível isolar o agente causador

III.

Dentre os agentes etiológicos mais frequentes, o pneumococo é o germe mais isolado em todas as idades e faixas de risco

IV.

Idade >65 anos ou < 5 anos indica um fator de risco para PAC por pneumococo resistente

SÃO CORRETAS AS AFIRMATIVAS:

a)

I, II, III, IV

b)

I, II, IV

c)

II, III, IV

d)

II, IV

e)

III, IV

21.

SOBRE PAC, ASSINALE A ALTERNATIVA INCORRETA:

a)

O diagnóstico de pneumonia baseia-se em achados clínicos (febre, tosse, expectoração, dor torácica) e achados de exame físico (estertores crepitantes, sinais de consolidação, taquipnéia, taquicardia), sendo o conjunto de sinais e sintomas acurado o bastante para o diagnóstico preciso.

b)

Em idosos, os sinais e sintomas podem ser mais sutis e menos específicos

c)

Pacientes imunossuprimidos ou desidratados podem apresentar-se inicialmente sem alterações radiológicas

d)

A escolha do esquema de tratamento da PAC é influenciada pela gravidade do paciente, presença de comorbidades e condições de risco

22.

A PNEUMONIA ADQUIRIDA NO HOSPITAL (PAH) OU NOSOCOMIAL É DEFINIDA COMO AQUELA QUE OCORRE APÓS 48 HORAS DA INTERNAÇÃO. ASSINALE A ALTERNATIVA CORRETA:

a)

É considerada de início precoce quando surge entre o 3 e o 5 dia.

b)

A PAH de início tardio possui mais risco de envolver agentes multirresistentes, com graves implicações terapêuticas e prognósticas

c)

A pneumonia hospitalar é habitualmente de etiologia viral

d)

A correta assepsia e higienização hospitalar não interfere na incidência de PAH

e)

A intubação traqueal diminui as chances de pneumonia hospitalar

23. JULGUE AS INFORMAÇÕES A SEGUIR:

( ) A análise do sangue arterial permite avaliar se o pulmão está realizando sua função primordial

( ) Em baixas altitudes, há baixa concentração do O 2 inspirado, causado pela diminuição da pressão barométrica, o que também pode ocorrer em consequência de ajuste inadequado de ventiladores mecânicos

( ) Distúrbios da relação ventilação-perfusão são a causa mais comum de hipoxemia em pacientes com doenças pulmonares

( ) Os distúrbios acidobásicos metabólicos afetam a acidez do sangue mudando a pressão de CO 2 e os distúrbios respiratórios são causados por alteração na concentração do bicarbonato

(

) Os aparelhos de gasometria medem diretamente o pH e a pressão de CO 2

a)

VFVFV

b)

VFFVV

c)

FFVVF

d)

VVVVV

e)

VFVFF

24.

SOBRE TUBERCULOSE, JULGUE AS AFIRMATIVAS:

II.

O bacilo M. tuberculosis é frágil e após a saída do corpo do indivíduo, torna-se inviável em poucos minutos.

III. A tuberculose pulmonar é diagnosticada quando há tosse por mais de 2 semanas

IV. As formas extrapulmonares da TB apresentam, além das manifestações sistêmicas, sintomatologias relacionadas a localização da doença.

a)

Todas as afirmativas estão corretas

b)

I, II e IV são corretas

c)

I e IV são corretas

d)

II e IV são corretas

e)

II, III e IV são corretas

25.

J.S.S, 65 ANOS, CHEGA AO POSTO DE SAÚDE COM QUEIXA DE TOSSE HÁ 4 SEMANAS, DOR NO PEITO, DIFICULDADE AO RESPIRAR E HEMOPTISE NOS ÚLTIMOS DIAS. PACIENTE REFERE QUE ÀS TARDES TEM SENTIDO MAIS FRIO E QUE SUAS ROUPAS TÊM FICADO MAIS FOLGADAS. FOI SOLICITADO AO PACIENTE O EXAME DE PESQUISA DE BAAR NO ESCARRO, COM DUAS AMOSTRAS POSITIVAS. QUAL A SUA CONDUTA E COMO ELA SE JUSTIFICA?

a)

Iniciar o tratamento padrão para tuberculose, já que apenas duas amostras positivas de BAAR no escarro são necessárias para confirmação do diagnóstico.

b)

Iniciar o tratamento padrão para tuberculose, realizando uma amostra de escarro mensal até o sexto mês de tratamento

c)

Solicitar ao paciente a realização de uma cultura aguardando o seu resultado definitivo para confirmação do diagnóstico e tratamento.

d)

Solicitação de raio X de tórax e cultura, já que somente a tríade: exame de pesquisa de BAAR no escarro, cultura e raio X de tórax trazem o diagnóstico conclusivo e seria muito perigoso tratar o paciente sem estes resultados.

26.

SOBRE O TRATAMENTO PARA TUBERCULOSE, É INCORRETO O QUE SE DIZ EM:

a)

A evolução do tratamento deve ser notificada ao Serviço de Vigilância Epidemiológica

b)

Em todos os pacientes que iniciam o tratamento, é preconizada a realização de sorologia para HIV

c)

O tratamento é diretamente observado (DOT) e deve ser prioritariamente hospitalar, sendo o paciente sempre encaminhado para unidades de saúde de alta complexidade

d)

Os fármacos antituberculose considerados de primeira linha (rifampicina, isoniazida, etambutol e pirazinamida) em geral são bem tolerados

27.

SOBRE A ETIOLOGIA E FATORES DE RISCO PARA DESENVOLVIMENTO DA ASMA, ESTÁ CORRETO O QUE SE DIZ EM:

a)

As infecções virais são fatores desencadeantes comuns das exacerbações da asma bem como comprovadamente as principais responsáveis pela etiologia da doença.

b)

Apenas a predisposição genética é responsável pelo desenvolvimento da asma, sendo os fatores ambientais pouco relevantes

c)

A chamada “hipótese da higiene”, com suporte epidemiológico expressivo, sugere que níveis mais baixos de infecção poderiam ser um fator importante para o aumento do risco de asma

28. AS

AFIRMATIVAS

A

SEGUIR

INDICAM

DESENCADEAR AS CRISES, EXCETO:

a)

Fatores hormonais

b)

Infecções virais

c)

Estresse

d)

Obesidade

e)

Exercício físico

FATORES

DESENCADEANTES

DA

ASMA,

PODENDO

29. EM PACIENTES COM DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA (DPOC), O MELHOR INDICADOR ISOLADO DE RISCO DE EXACERBAÇÕES DA DOENÇA É:

a)

a PaO 2 .

b)

o tempo de doença.

c)

história de exacerbações prévias.

d)

o grau de obstrução do fluxo aéreo.

e)

a PaCO 2 .

30. QUAL DOS SEGUINTES EVENTOS DEVE SER DESCARTADO COMO CRITÉRIO DE PROBABILIDADE

CLÍNICA DE TROMBOEMBOLISMO PULMONAR?

a)

Cirurgia recente.

b)

Hemoptise.

c)

Neoplasia maligna atual.

d)

Episódio prévio de TVP/TEP.

e)

Nenhuma das alternativas.

BOA SORTE!!!