Você está na página 1de 56

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos Conselho de Pós-Graduação Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital de Câncer de Barretos Direitos reservados a Fundação Pio XII © 2017.

F981m Fundação Pio XII. Pós-graduação em oncologia. Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos / Adhemar Longatto Filho, et al Barretos: Fundação Pio XII, 2017. 50 p.

1. Metodologia científica. 2. Normalização da documentação. 3. Teses. 4. Dissertações. 5. Documentos (Elaboração). I. Longatto Filho, Adhemar. II. Paiva, Carlos Eduardo. III. Dufloth, Rozany Mucha. IV. Fregnani, José Humberto Tavares Guerreiro.

V. Palmero, Edenir Inêz. VI. Pinheiro, Céline Marques. VII. Reis,

Ricardo dos. VIII. Reis, Rui Manuel. IX. Vazquez, Vinícius de Lima.

X. Vieira, René Aloisio da Costa. XI. Guitarrari, Silvana Rodrigues.

Título.

CDD 001.42

Elaborado por Martins Fideles Dos Santos Neto CRB 8/9570

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

FUNDAÇÃO PIO XII

Pós-Graduação Stricto Sensu

CONSELHO DE PÓS-GRADUAÇÃO (2017)

Coordenador do Programa de Pós-Graduação Adhemar Longatto-Filho

Vice-Coordenador do Conselho Carlos Eduardo Paiva

Membros Titulares Céline Marques Pinheiro Edenir Inêz Palmero José Humberto Tavares Guerreiro Fregnani René Aloisio da Costa Vieira Ricardo dos Reis Rozany Mucha Dufloth Rui Manuel Vieira Reis Vinícius de Lima Vazquez

Representantes Discentes Allini Mafra da Costa Paula Silva Felicio (suplente)

Suporte Administrativo Silvana Rodrigues Guitarrari Brenda Honda Morais

Suporte Técnico Martins Fideles Dos Santos Neto

Todos os direitos reservados a Fundação Pio XII (© 2017)

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

PREÂMBULO 3ª edição

Este manual tem por objetivo orientar o corpo discente da Fundação Pio XII Hospital de Câncer de Barretos na redação das Dissertações e Teses do Programa de Pós-Graduação em Oncologia e tem por intuito padronizar a apresentação dos trabalhos acadêmicos desenvolvidos na Instituição.

Diversos documentos foram consultados para a sua construção, destacando-se a norma Brasileira ABNT NBR 14724, versão 2011 (Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação) 3, 4 e as Diretrizes para Apresentação de Dissertação e Teses da USP: Documento Eletrônico e Impresso. Parte I (ABNT)” 2 , entre outros 1, 3, 5, 6 . As normas para as referências bibliográficas basearam-se, sobretudo, nas recomendações do International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE), mas não se limitaram a elas 7 .

Sem perder o rigor acadêmico exigido nas apresentações de dissertações e teses, este manual pautou-se em dois aspectos: objetividade e simplicidade. Colocaram-se as informações de forma organizada, com explicações objetivas e com farta apresentação de exemplos. “Quadros” e “tabelas”, com definições precisas em outros manuais (nem sempre concordantes, diga-se de passagem), aqui passam a não ter mais distinção entre si, sendo chamados apenas de “tabelas”. Cabe lembrar que as revistas internacionais não fazem esta distinção nos artigos que publicam. Da mesma forma, este manual não faz distinção entre o que se conhece tradicionalmente por “apêndice” e “anexo”. Todo material suplementar é designado “anexo”, gráficos”, “diagramas”, “fotografias”, “mapas”, etc. são todos considerados como “figuras”.

Os alunos irão se beneficiar do arquivo “HCB Ref” para o programa EndNote™ (Gerenciador de Referências), o qual contém as padronizações de citação e referências bibliográficas adotadas pelo Programa de Pós-Graduação.

Sugestões e críticas sempre serão bem vindas para o aprimoramento deste manual. Por hora, acreditamos ter alcançado o que se propôs: estabelecer normas de padronização aos trabalhos acadêmicos do Programa de Pós-Graduação em Oncologia.

Bom proveito a todos! Conselho de Pós-Graduação

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

SUMÁRIO

1

DEFINIÇÕES

1

1

FORMATAÇÃO PADRÃO

4

2

ORGANIZAÇÃO GERAL

5

2.1

Modelo clássico (dissertação / tese):

7

2.2

Modelo baseado em trabalho publicado:

7

3

ELEMENTOS EXTERNOS

3.1

Capa

8

3.2

Lombada

10

4

ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

4.1

Folha de rosto

11

4.2

Ficha catalográfica

11

4.3

Errata

12

4.4

Folha de aprovação

13

4.5

Suporte à pesquisa por agência de fomento

15

4.6

Declaração de responsabilidade dos pesquisadores

16

4.7

Dedicatória

18

4.8

Agradecimentos

19

4.9

Epígrafe

20

4.10

Índice

21

5.11

Lista de figuras

23

5.12

Lista de tabelas

25

5.13

Lista de abreviaturas

27

5.14

Lista de símbolos

28

5.15

Resumo

29

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

5

ELEMENTOS TEXTUAIS

5.1

Organização e formatação geral

32

5.2

Tabelas

35

5.3

Figuras

39

6

ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

6.1

Referências e citações

42

6.2

Lista de Referências

43

6.3

Anexos

49

7

FONTES CONSULTADAS

50

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

1

DEFINIÇÕES

ABREVIAÇÃO: é a redução ou omissão fonética de parte de uma palavra até o limite de sua compreensão, sendo o seu uso corriqueiro. Exemplos: metrô (metropolitano), cinema (cinematográfico), foto (fotografia), tv (televisão), auto (automóvel), moto (motocicleta), pólio (poliomelite), pneu (pneumático), quilo (quilograma). Vide também: abreviatura, acrônimo, sigla, símbolo.

ABREVIATURA: é a representação abreviada de uma palavra ou expressão por meio de alguma de suas sílabas ou letras com o intuito de economizar espaço ou tempo. Pode ou não ser um acrônimo ou uma sigla. Exemplos: oncol. (oncológico), anat. (anatomia), SUS (Sistema Único de Saúde), OMS (Organização Mundial da Saúde). Vide também: abreviação, acrônimo, sigla, símbolo.

ACRÔNIMO: forma especial de abreviatura em que se forma uma nova palavra pelas letras ou sílabas iniciais de palavras sucessivas de uma locução, ou pela maioria destas partes. Esta abreviatura é pronunciada como se fosse uma nova palavra. Exemplo: SUS (Sistema Único de Saúde), SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida), INCA (Instituo Nacional do Câncer), UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), CEP (Comitê de Ética em Pesquisa), CONEP (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa). Assemelha-se ao conceito de sigla. Vide também: abreviação, abreviatura, sigla, símbolo.

ANEXO: material complementar não elaborado pelo autor (texto ou documento), não sendo colocado no corpo do texto principal, mas no final. Para fins deste manual e praticidade, não se fará distinção entre os conceitos de apêndice e anexo, adotando-se o termo “anexo” para designar ambos. Vide também: apêndice.

APÊNDICE: material complementar elaborado pelo autor (texto ou documento), não sendo colocado no corpo do texto principal, mas no final. Para fins deste manual e praticidade, não se fará distinção entre os conceitos de apêndice e anexo, adotando-se o termo “anexo” para designar ambos. Vide também: anexo.

CITAÇÃO: menção, no texto, de uma informação extraída de outra fonte. Vide também:

referência.

DISSERTAÇÃO: documento que apresenta o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem delimitado em sua

- 1 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

extensão, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar informações. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do candidato. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor), visando a obtenção do título de mestre. Vide também: tese.

FIGURA: sinônimo de ilustração, representa a designação genérica de imagem, que ilustra ou elucida um texto, como por exemplo, um gráfico estatístico, fluxograma, fotografia, mapa, etc.

GLOSSÁRIO: relação de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições. Para fins deste manual e praticidade, não se adotará glossário nesta padronização. Vide também: índice e sumário.

ÍNDICE: lista de palavras ou frases, ordenadas segundo determinado critério (exemplo:

assunto ou termos), que localiza e remete para as informações contidas no texto. Exemplo:

índice remissivo de um livro. É frequentemente usado como sinônimo de sumário, embora pela ABNT não sejam a mesma coisa (vide definição de sumário). Para fins deste manual e praticidade, não se fará distinção entre os conceitos de índice e sumário, adotando-se o termo “índice” para designar ambos. Vide também: glossário e sumário.

QUADRO: frequentemente descrito como forma não discursiva de apresentar dados que não sofreram tratamento estatístico. Exemplo: quadro contendo a descrição do sistema de estadiamento de uma determinada neoplasia. Contém traços verticais nas laterais, delineando um quadro fechado (donde se depreende o termo quadro). Contudo, como a ABNT não prevê a definição de “quadro” e por não haver homogeneidade nas diversas definições existentes sobre o termo, para fins deste manual e praticidade não se fará diferença entre tabela e quadro, adotando-se o termo “tabela” para designar ambos. Vide também: tabela.

REFERÊNCIA: conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual. Vide também: citação.

SIGLA: forma especial de abreviatura em que se forma uma nova palavra pelas letras ou sílabas iniciais de palavras sucessivas de uma locução, ou pela maioria destas partes. Esta abreviatura não forma uma palavra pronunciável, sendo as suas letras faladas separadamente. Exemplo: CRM (Conselho Regional de Medicina), OMS (Organização Mundial da Saúde), CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico),

- 2 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

HCB (Hospital de Câncer de Barretos). Vide também: abreviação, abreviatura, acrônimo, símbolo.

SÍMBOLO: sinal que substitui o nome de uma coisa ou de uma ação. Exemplo: > (maior que), = (igual a). Vide também: abreviação, abreviatura, acrônimo, sigla.

SUBTÍTULO: informações apresentadas em seguida ao título de um trabalho, visando esclarecê-lo ou complementá-lo, de acordo com o conteúdo do mesmo. Por ser subordinado ao título, deve ser precedido por dois pontos. Vide também: título.

SUMÁRIO: enumeração das divisões, seções e outras partes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que a matéria nele se sucede (ABNT). É frequentemente usado como sinônimo de índice, embora pela ABNT não sejam a mesma coisa (vide definição de índice). Para fins deste manual e praticidade, não se fará distinção entre os conceitos de índice e sumário, adotando-se o termo “índice” para designar ambos. Vide também: índice e glossário.

TABELA: forma não discursiva e resumida de apresentar informações e dados, como por exemplo, frequência absoluta (n), frequência relativa (%), média, mediana, intervalo de confiança, valor de P, etc. Não deve conter traços verticais nas laterais. Alguns pesquisadores preferem fazer diferença entre os termos “tabela” e “quadro”. Contudo, como a ABNT não prevê a definição de “quadro” e por não haver homogeneidade nas diversas definições existentes sobre o termo, para fins deste manual e praticidade não se fará diferença entre tabela e quadro, adotando-se o termo “tabela” para designar ambos. Vide também: quadro.

TESE: documento que apresenta o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico de tema único e bem delimitado. Deve ser elaborado com base em investigação original, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor) e visa a obtenção do título de doutor, ou similar. Vide também: dissertação.

TÍTULO: palavra, expressão ou frase que designa o assunto ou o conteúdo de um trabalho. Vide também: subtítulo.

- 3 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

1 FORMATAÇÃO PADRÃO

A formatação padrão (geral) da dissertação / tese deverá ter as seguintes características:

Folha A4 (21 X 29,7 cm);

Fonte Calibri, tamanho 12, sem itálico e sem negrito;

Margens superior e esquerda = 3 cm;

Margens inferior e direita = 2 cm;

Espaçamento entre linhas = 1,5 cm (antes = 0 cm; depois = 0 cm);

Alinhamento: Justificado;

Recuo: a esquerda = 0 cm; a direita = 0 cm; recuo especial: primeira linha = 0 cm;

Tabulação padrão: 1 cm (alinhamento a esquerda, nenhum preenchimento);

Ao longo deste manual, qualquer formatação que diferir do padrão será manifesta no texto.

Recomenda-se a digitação da dissertação / tese no editor MS Word. Os passos para configurar a formatação padrão no MS Word™ estão indicados abaixo:

No menu “Página Inicial”, em “Fonte”, selecionar CALIBRI, tamanho 12, sem negrito, sem itálico;

No menu Página Inicial”, em “Parágrafo”, na aba “Recuo e Espaçamento”, configurar:

Alinhamento (Justificada), Nível do tópico (Corpo de Texto), Recuo a esquerda (0cm),

Recuo à direita (0cm), Recuo especial (primeira linha, 0 cm), Espaçamento antes (0cm) Espaçamento depois (0cm), Espaçamento entre linhas (1,5cm);

No menu “Página Inicial”, em “Parágrafo”, na aba “Recuo e Espaçamento”, no botão

configurar: Posição da parada de tabulação (em branco), Tabulação

Tabulação

”,

padrão (1cm), Alinhamento (Esquerdo), Preenchimento (Nenhum);

No menu “Configurar Página”, em “Layout de Página”, configurar: Margem superior (3cm), Margem inferior (2cm), Margem esquerda (3cm), Margem direita (2 cm), Medianiz (0cm), Orientação (Retrato), Papel (A4).

- 4 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

2 ORGANIZAÇÃO GERAL

A dissertação/tese é composta de elementos externos, pré-textuais, textuais e pós-textuais, os quais devem estar organizados sequencialmente da seguinte forma:

Elementos externos:

Elementos pré-textuais:

Elementos textuais:

Elementos pós-textuais:

- Capa (obrigatório)

- Lombada (obrigatório no exemplar final)

- Folha de rosto (obrigatório)

- Ficha catalográfica (obrigatório)

- Errata (opcional, se houver)

- Folha de aprovação (obrigatório na versão final)

- Declaração de suporte por agência de fomento (obrigatório, se houver)

- Declaração de responsabilidade dos pesquisadores (obrigatório)

- Dedicatória (opcional)

- Agradecimentos (opcional)

- Epígrafe (opcional)

- Sumário (obrigatório)

- Lista de figuras (obrigatório, se houver)

- Lista de tabelas (obrigatório, se houver) -Lista de abreviaturas (obrigatório, se houver)

- Lista de símbolos (obrigatório, se houver)

- Resumo em português (obrigatório)

- Abstract Resumo em inglês (obrigatório)

- Introdução (obrigatório) / Revisão da literatura (opcional)

- Justificativa (opcional como item separado)

- Objetivo(s) (obrigatório)

- Materiais e métodos (obrigatório)

- Resultados (obrigatório)

- Discussão (obrigatório)

- Conclusão(ões) (obrigatório)

- Referências (obrigatório)

- Anexo(s) *

(*) São anexos obrigatórios: a carta de aprovação do estudo pelo Comitê de Ética em Pesquisa e o documento comprobatório da situação do artigo científico (comprovante de submissão ou carta de aceite antes da publicação ou cópia do artigo publicado).

- 5 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

Representação da sequência de documentos:

de Barretos Representação da sequência de documentos: Obs.: Caso se opte pelo modelo baseado em trabalho

Obs.: Caso se opte pelo modelo baseado em trabalho publicado, as seções da Introduçãoe da “Discussão” deverão ser sucintas e as seções dos Materiais e Métodose dos Resultadosserão substituídas pelo artigo científico. Deve-se colocar nos anexos a carta de aceite do artigo científico pela revista (se o mesmo ainda não tiver sido publicado) ou uma cópia do artigo científico já publicado (Modificado de: da Cunha et al. 1 e Carvalho & Rocha 6 ).

- 6 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

O trabalho poderá ser apresentado em dois formatos: modelo clássico (dissertação/tese) ou modelo baseado em trabalho publicado.

2.1 Modelo clássico (dissertação / tese):

O exemplar seguirá o padrão descrito anteriormente para os elementos externos, pré- textuais, textuais e pós-textuais. Nos anexos é obrigatória a colocação de documento comprobatório acerca da situação do artigo científico (comprovante de submissão ou carta de aceite antes da publicação ou cópia do artigo publicado).

2.2 Modelo baseado em trabalho publicado:

Para esta modalidade de apresentação, é necessário que o artigo científico já tenha sido pelo menos aceito para publicação.

Segue padrão semelhante ao descrito anteriormente para os elementos externos, pré- textuais, textuais e pós-textuais, porém com algumas modificações específicas, a saber:

a) As seções da “Introdução” e “Discussão” deverão ser sucintas para situar o leitor sobre o assunto;

b) As seções dos “Materiais e Métodos” e dos “Resultados” serão substituídas pelo artigo (obrigatório);

c) Nos anexos, deve-se colocar a carta de aceite do artigo científico pela revista (se o mesmo ainda não tiver sido publicado) ou uma cópia do artigo científico já publicado (obrigatório).

- 7 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

3 ELEMENTOS EXTERNOS

3.1

Capa

Elemento externo obrigatório. Representa a proteção externa do trabalho sobre a qual se imprimem as informações indispensáveis à sua identificação. No exemplar da defesa, a capa será constituída por uma folha de papel com as informações idênticas a da Folha de Rosto, recoberta com lâmina transparente de plástico. O exemplar definitivo será em capa-dura azul, verde ou preta.

Formatação especial: espaçamento simples.

Organização: As informações serão apresentadas na seguinte ordem, de acordo com modelo apresentado:

a) Nome do aluno (em negrito, centralizado);

b) Título e, se houver, subtítulo do trabalho (letras maiúsculas, em negrito, centralizado);

O uso de subtítulo não é obrigatório

De acordo com a ABNT, o subtítulo visa esclarecer ou complementar o título do trabalho. Se houver, deve ser apresentado após o título e precedido por dois pontos.

c) No caso de dissertação, colocar a sentença: Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Fundação Pio XII Hospital de Câncer de Barretos para obtenção do Título de Mestre em Ciências da Saúde. No caso de tese, colocar a sentença: Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Fundação Pio XII Hospital de Câncer de Barretos para obtenção do Título de Doutor em Ciências da Saúde(texto deslocado para o centro da página, justificado);

d) Área de concentração: Oncologia (texto deslocado para o centro da página, justificado);

e) Nome do Orientador (texto deslocado para o centro da página, justificado);

f) Nome do Co-Orientador (texto deslocado para o centro da página, justificado);

g) Cidade, Estado (antepenúltima linha, centralizado);

h) Ano (penúltima linha, centralizado).

- 8 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO:

Maíra Degiovani Stein

DESEMPENHO DIAGNÓTICO DA CITOLOGIA CERVICAL PREPARADA EM BASE LÍQUIDA, LIDA MANUALMENTE VERSUS A LIDA DE FORMA AUTOMATIZADA E ASSISTIDA POR COMPUTADOR

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Fundação Pio XII Hospital de Câncer de Barretos para obtenção do Título de Mestre em Ciências da Saúde.

Área de Concentração: Oncologia

Orientador: Prof. Dr. Adhemar Longatto Filho Co-Orientador: Prof. Dr. Cristovam Scapulatempo Neto

Barretos, SP

2013

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 9 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

3.2

Lombada

Elemento pré-textual obrigatório no exemplar definitivo. Faz parte da capa do trabalho que reúne as margens internas das folhas, sejam elas costuradas, grampeadas, coladas ou mantidas juntas de outra maneira. Não há necessidade de sua colocação no exemplar da defesa, o qual será encadernado em espiral.

Formatação especial: espaçamento simples.

Organização: Deve estar organizada em quatro partes, de acordo com modelo apresentado.

a) Cidade, Ano (impressão horizontal, centralizada, no primeiro quarto inferior da lombada);

b) Espaço de 2,5 cm para se colocar a etiqueta de identificação da biblioteca para a localização do exemplar (no segundo quarto inferior da lombada);

c) Nome completo do pós-graduando (impressão vertical, legível debaixo para cima, recuada para baixo, no segundo quarto superior da lombada);

d) Título do trabalho (impressão vertical, legível debaixo para cima, recuada para baixo,

no primeiro quarto superior da lombada).

(impressão vertical, legível debaixo para cima, recuada para baixo, no primeiro quarto superior da lombada). -

- 10 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

Os elementos pré-textuais não têm numeração de páginas. A numeração inicia-se apenas nos elementos textuais.

4.1 Folha de rosto

Elemento pré-textual obrigatório, idêntico à capa em formatação e organização, mas impresso em papel.

4.2 Ficha catalográfica

Elemento pré-textual obrigatório, sendo disposto no verso da folha de rosto. Deverá ser elaborada pelo Bibliotecário da Biblioteca da Fundação Pio XII conforme modelo apresentado e de acordo com o Código de Catalogação Anglo-Americano. Contudo, para a elaboração da ficha, o aluno deverá listar pelo menos seis descritores (“palavras-chave”) de acordo o padrão DeCS Descritores em Ciências da Saúde (http://decs.bvs.br/).

Formatação especial: Medidas 7,5 x 12,5 cm.

S819d

Stein, Maíra Degiovani.

FICHA CATALOGRÁFICA

Preparada por (colocar o nome do bibliotecário) CRB 8/XXXX

lida manualmente versus a lida de forma automatizada e assistida por

Desempenho diagnóstico da citologia cervical preparada em base líquida,

Biblioteca da Fundação Pio XII Hospital de Câncer de Barretos

computador / Maíra Degiovani Stein. Barretos, 2013.

52 f. : il.

Orientador: Dr. Adhemar Longato Filho.

Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) Fundação Pio XII Hospital de Câncer de Barretos, 2014.

1. Citologia em base líquida. 2. Automação. 3. Surepath. 4. Focal Piont . 5. Controle de Qualidade, desempenho. 6. Neoplasias I. Autor. II. Longatto Filho, Adhemar. III. Título.

CDD 611.018

FICHA CATALOGRÁFICA Preparada por (colocar o nome do bibliotecário) CRB 8/XXXX Biblioteca da Fundação Pio XII Hospital de Câncer de Barretos

- 11 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.3

Errata

Elemento pré-textual opcional e que corresponde a uma lista de erros observados após a impressão do exemplar. Pode ser apresentada em papel avulso no exemplar.

Formatação: padrão.

Organização: as informações serão apresentadas na seguinte ordem, conforme modelo apresentado:

a) Título da seção: ERRATA (letras maiúsculas, em negrito, no centro, no topo);

b) Referência bibliográfica da dissertação/tese: Autor. Título em itálico. Dissertação (Mestrado) / Tese (Doutorado) (em negrito). Local: Instituição; ano (referência justificada);

c) Página onde ocorreu o erro, indicação do trecho a ser substituído entre aspas após o termo “onde se lê” (em negrito) e o novo trecho entre aspas após o termo “leia-se” (em negrito).

MODELO:

ERRATA

Silva RC. Qualidade de vida em pacientes com linfoma não-Hodgkin durante a quimioterapia

em regime ambulatorial: Avaliação com o questionário EORTC-QLQ-C30. Dissertação

(Mestrado). Barretos: Hospital de Câncer de Barretos; 2013.

Página 30, onde se lê “tratamento para linfoma”, leia-se “tratamento para linfoma não-

Hodgkin”.

Página 42, onde se lê “redução dos sintomas”, leia-se “redução nos escores relacionados aos

sintomas”.

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 12 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.4 Folha de aprovação

Elemento pré-textual obrigatório no exemplar definitivo, devendo ser

Secretaria de Pós-Graduação.

preparada pela

Formatação: padrão.

Organização: as informações serão apresentadas na seguinte ordem, de acordo com modelo apresentado:

a) Título da seção: FOLHA DE APROVAÇÃO (letras maiúsculas, negrito, no centro, no topo);

b) Nome do autor (em negrito, junto a margem esquerda);

c) Título da dissertação / tese (nome do trabalho em negrito, justificado);

d) Natureza do trabalho: tipo do trabalho, objetivo da titulação (mestrado/doutorado), nome da instituição, área de concentração);

e) Data da aprovação;

f) Banca examinadora: nome dos examinadores, instituição a que pertencem (incluindo o nome do orientador e do presidente da banca);

- 13 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO:

FOLHA DE APROVAÇÃO

Maíra Degiovani Stein

Desempenho diagnóstico da citologia cervical preparada em base líquida, lida manualmente versus a lida de forma automatizada e assistida

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Fundação PIO XII - Hospital de Câncer de Barretos para obtenção do Título de Mestre em Ciências da Saúde - Área de Concentração: Oncologia

Data da aprovação: 27/02/2013

Banca Examinadora:

Prof. Dr. José Eduardo Levi Instituição: Universidade São Paulo - USP

Prof. Dr. Eduardo Anselmo Garcia Instituição: Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos

Prof. Dr. José Humberto T. G. Fregnani Instituição: Fundação Pio XII Hospital de Câncer de Barretos

Prof. Dr. Adhemar Longatto Filho Orientador

Prof. Dr. Rui Manuel Vieira Reis Presidente da Banca Examinadora

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 14 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.5 Suporte à pesquisa por agência de fomento

Elemento pré-textual obrigatório se o estudo tiver sido realizado com apoio de alguma agência de fomento (FAPESP, CNPq, etc.). Sendo esta a situação, deve-se discriminar o apoio recebido.

Formatação: padrão

Organização:

a) Título de seção: SUPORTE À PESQUISA POR AGÊNCIA DE FOMENTO (letras maiúsculas, em negrito, no centro, no topo);

b) Discriminação do apoio recebido (agência de fomento, tipo de apoio, edital, número

do processo, etc.).

No caso específico de apoio recebido pela FAPESP deve-se obrigatoriamente acrescentar ao texto a seguinte sentença: “As opiniões, hipóteses e conclusões ou recomendações expressas neste material são de responsabilidade dos autores e não necessariamente refletem a visão da FAPESP”.

MODELO:

SUPORTE À PESQUISA POR AGÊNCIA DE FOMENTO

Este trabalho recebeu apoio da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo

(FAPESP) através de Auxílio à Pesquisa Regular (processo número 2001/11939-9).

As opiniões, hipóteses e conclusões ou recomendações expressas neste material são de

responsabilidade dos autores e não necessariamente refletem a visão da FAPESP.

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 15 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.6 Declaração de responsabilidade dos pesquisadores

Elemento pré-textual obrigatório. Todas as teses e dissertações devem conter a afirmação de que estão em acordo com o Regimento da Pós-Graduação em Oncologia do Hospital de Câncer de Barretos, com as normas deste Manual e com as diretrizes éticas para as atividades científicas, baseando-se no Código de Boas Práticas Científicas da FAPESP. Deve- se incluir expressamente a declaração como se segue:

“Esta dissertação (ou tese, se for o caso) foi elaborada e está apresentada de acordo com as normas da Pós-Graduação do Hospital de Câncer de Barretos Fundação Pio XII, baseando-se no Regimento do Programa de Pós-Graduação em Oncologia e no Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos. Os pesquisadores declaram ainda que este trabalho foi realizado em concordância com o Código de Boas Práticas Científicas (FAPESP), não havendo nada em seu conteúdo que possa ser considerado como plágio, fabricação ou falsificação de dados. As opiniões, hipóteses e conclusões ou recomendações expressas neste material são de responsabilidade dos autores e não necessariamente refletem a visão da Fundação Pio XII Hospital de Câncer de Barretos”.

Se as análises estatísticas foram realizadas parcial ou integralmente pelo Núcleo de Apoio ao Pesquisador do Hospital de Câncer de Barretos, deve-se incluir também a declaração que se segue em parágrafo distinto:

“Embora o Núcleo de Apoio ao Pesquisador do Hospital de Câncer de Barretos tenha realizado as análises estatísticas e orientado sua interpretação, a descrição da metodologia estatística, a apresentação dos resultados e suas conclusões são de inteira responsabilidade dos pesquisadores envolvidos.

Os pesquisadores deverão descrever os potenciais conflitos de interesse envolvidos no estudo. Se não houver, deverão declarar a seguinte frase nesta seção: “Os pesquisadores declaram não ter qualquer conflito de interesse relacionado a este estudo”. Um conflito de interesse existe quando um interesse primário (como o bem-estar dos participantes, a validade de um estudo, a análise por um revisor, etc.) pode ser influenciado por um interesse secundário (financeiro ou pessoal), mesmo que potencialmente. A percepção de potenciais conflitos de interesse é tão importante quanto à de conflitos reais. Os conflitos de interesse podem ser classificados em:

Financeiros: representam aqueles que podem advir de relacionamento financeiro de

- 16 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

qualquer natureza com empresas, como por exemplo, vínculo empregatício, financiamento de estudo (*), doação de produtos, ganhos por serviços como consultor, assessor ou palestrante, recebimento de gratificação (brindes, viagens, etc), propriedade de patentes, ganhos por ações da empresa ou royaltis, entre outros. O pesquisador também deve considerar potencial conflito de interesse se o financiamento do estudo por uma empresa acontecer não diretamente a ele, mas à instituição na qual está vinculado

(*) Aqui não se enquadram os financiamentos oriundos de agências de fomento.

Não financeiros: representam aqueles que podem advir em virtude de relacionamentos pessoais ou profissionais, presença de rivalidades, ideologias políticas, religião, crenças intelectuais ou filosóficas, pressão acadêmica, entre outros.

Formatação: padrão

Organização: a página conterá apenas a declaração (centro da página), não havendo título de seção. Se forem utilizados os dois parágrafos, deve-se deixar um espaço livre entre eles.

- 17 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.7

Dedicatória

Elemento pré-textual opcional. Corresponde à homenagem ou dedicatória do trabalho a outras pessoas.

Formatação: Embora seja livre, sugere-se o uso da formatação padrão. O tamanho da fonte deverá ser no mínimo 10 e no máximo 14.

Organização: a página conterá apenas a dedicatória, não havendo título de seção.

MODELO:

Dedicado este trabalho a minha família,

que me deu forças nas horas mais difíceis e

soube compreender os momentos em que estive ausente.

Observações:

1)

A moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

2)

O texto foi colocado em itálico e deslocado à direita apenas como exemplo, não sendo mandatória esta disposição.

- 18 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.8

Agradecimentos

Elemento pré-textual opcional. É o registro de agradecimento àqueles que contribuíram para

a realização do trabalho.

Formatação: Embora seja livre, sugere-se o uso da formatação padrão. O tamanho da fonte deverá ser no mínimo 10 e no máximo 14.

Organização:

a) Título da seção: AGRADECIMENTOS (letras maiúsculas, em negrito, no centro, no topo);

b) Lista de agradecimentos

MODELO:

AGRADECIMENTOS

À Profª. Dra. Fulana de Tal, pelo carinho com que me acolheu desde o primeiro dia que nos

conhecemos. Pelos sábios ensinamentos, não só os acadêmicos, mas também os de vida.

Agradeço por ter mostrado a mim o caminho da correta metodologia, da ética nas pesquisas

e do entusiasmo acadêmico.

A minha mãe e a meu pai pelos exemplos de vida e pela educação que me ofereceram.

Aos membros da banca de qualificação, Prof. Dr. Ciclano e Prof. Beltrano, pelas sugestões e

críticas preciosas ao longo da elaboração desta tese.

Etc, etc, etc

Observações:

1)

A moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

2)

O texto foi colocado em itálico e com alguns trechos destacado em negrito como exemplo, não sendo mandatória esta disposição.

- 19 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.9

Epígrafe

Elemento pré-textual opcional. Texto em que o autor apresenta uma frase, seguida de indicação de autoria, geralmente relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho ou um pensamento para reflexão.

Formatação: Embora seja livre, sugere-se o uso da formatação padrão. O tamanho da fonte deverá ser no mínimo 10 e no máximo 14.

Organização: as informações serão apresentadas na seguinte ordem (sem título de seção):

a) Sentença

b) Autor (em negrito)

MODELO:

“Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.

Cora Coralina

Observações:

1)

A moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

2)

O texto foi colocado em itálico e deslocado à direita apenas como exemplo, não sendo mandatória esta disposição.

- 20 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.10 Sumário

Elemento pré-textual obrigatório. Representa a relação ordenada das divisões, seções e outras partes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que a matéria nele se sucede, com os respectivos números da página.

Formatação: padrão

Organização:

a) Título da seção: SUMÁRIO (letras maiúsculas, em negrito, no centro, no topo);

b) Lista contendo seção, o título e a respectiva página em que aparece no texto. A lista

deve estar organizada na mesma ordem em que os itens aparecem no texto. Sugere-se utilizar o recurso de elaboração de sumários do MS-Word™, ou ainda, o recurso de tabela ou de tabulação do MS-Word para confecção desta lista, com três colunas:

Coluna da esquerda: contém o número da seção (justificado à esquerda);

Coluna do meio: Título da seção (justificado à esquerda);

Coluna da direita: Número da página em que se inicia a respectiva seção

(justificado à direita).

c) Os ANEXOS são colocados logo abaixo da lista, sem numeração de seção, mas com indicação da página em que iniciam;

d) Antes do início de cada seção do índice, deve-se pular uma linha. As subseções não são separadas entre si;

e) Entre o título da seção e a numeração da página não há pontilhado ou traço;

f) O sumário é iniciado com a Introdução;

g) As subseções (exemplo: Delineamento do estudo, Análise estatística, etc.) devem:

Ter o título das subseções com apenas a primeira letra em maiúsculo (ex:

Análise estatística) e em negrito;

Ter o indicativo de subseção em algarismo arábico em nível hierárquico (ex:

4.1; 4.1.1; 4.1.1.1, etc.), com destaque em negrito.

- 21 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

Modelo:

ÍNDICE

1

INTRODUÇÃO

1.1

Aspectos epidemiológicos do câncer do colo do útero

1

1.2

Estadiamento do cancinoma do colo do útero

5

1.2.1

Estadiamento clínico

5

1.2.2

Estadiamento cirúrgico

7

1.3

Fatores prognósticos

10

2

JUSTIFICATIVA

15

3

OBJETIVOS

3.1

Objetivo geral

16

3.2

Objetivos específicos

16

4

MATERIAIS E MÉTODOS

4.1

Desenho do estudo

17

4.2

População do estudo

18

4.3

Estudo anatomopatológico

20

4.4

Análise molecular

22

4.5

Análise estatística

24

4.6

Aspectos éticos

25

5

RESULTADOS

5.1

Caracterização da população do estudo

26

5.2

Análise univariada

30

5.3

Análise multivariada

45

5.4

Escore prognóstico

46

6

DISCUSSÃO

47

7

CONCLUSÕES

60

REFERÊNCIAS

70

ANEXOS

Anexo A Estadiamento do câncer do colo do útero

81

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

Anexo B Formulário de coleta de dados

82

Anexo C Carta de aprovação do CEP

83

Anexo D Carta de aceite do manuscrito

84

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 22 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.11 Lista de figuras

Representa a relação ordenada das ilustrações com a indicação dos respectivos números de páginas. Embora as figuras possam ser de diversos tipos (gráficos, fotografias, mapas, fluxogramas, etc.), para fins deste manual, todas serão consideradas como “figuras”, independentemente de sua natureza.

Formatação: padrão

Organização:

a) Título da seção: LISTA DE FIGURAS (letras maiúsculas, em negrito, no centro, no topo)

b) Lista contendo o número da ilustração, o título e a respectiva página em que aparece no texto. A lista deve estar organizada na mesma ordem em que as figuras aparecem no texto. Sugere-se utilizar o recurso de tabela ou de tabulação do MS-Word para confecção desta lista, com três colunas:

Coluna da esquerda: contém o identificador da figura (“Figura X - , onde X é

o número de identificação da mesma), em negrito;

Coluna do meio: Título da ilustração tal qual aparece no texto (justificado à esquerda);

Coluna da direita: Número da página em que se encontra a figura (justificado

à esquerda);

Os itens da lista devem estar separados entre si com o espaço de uma linha.

c) Entre o título da figura e a numeração da página não há pontilhado ou traço.

- 23 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO:

 

LISTA DE FIGURAS

 

Figura 1 -

Porcentagem de pacientes com metástases em linfonodos pélvicos e peri-aórticos no carcinoma do colo do útero segundo o estadiamento proposto pela Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia. 23

Figura 2 -

Curva de sobrevida livre de doença da população estudada.

 

59

Figura 3 -

Visualização em microscópio óptico de foco de micrometástase em linfonodo pélvico de paciente com carcinoma do colo do útero. 61

Figura 4 -

Visualização ao microscópio óptico de células tumorais isoladas em linfonodos pélvicos de duas pacientes com carcinoma do colo do útero.

62

Figura 5 -

Visualização ao microscópio óptico de inclusão epitelial benigna em linfonodo pélvico de paciente com carcinoma do colo do útero. 63

Figura 6 -

Curvas de sobrevida livre de doença segundo a doença linfonodal.

 

104

Figura 7 -

Curvas de sobrevida livre de doença segundo a profundidade de invasão do tumor no colo do útero.

105

Figura 8 -

Curvas

de

sobrevida

livre

de

doença

segundo

a

intensidade

do

processo inflamatório no colo do útero.

 

106

Etc., etc., etc

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 24 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.12 Lista de tabelas

Elemento pré-textual obrigatório se houver tabelas (ou quadros). Representa a relação ordenada das tabelas com a indicação dos respectivos números de páginas.

Formatação: padrão

Organização:

a) Título da seção: LISTA DE TABELAS (letras maiúsculas, em negrito, no centro, no topo)

b) Lista contendo o número da tabela, o título e a respectiva página em que aparece no texto. A lista deve estar organizada na mesma ordem em que as tabelas aparecem no texto. Sugere-se utilizar o recurso de tabela ou de tabulação do MS-Word para confecção desta lista, com três colunas:

Coluna da esquerda: contém o identificador da tabela (“Tabela X - , onde X é

o número de identificação da mesma), em negrito;

Coluna do meio: Título da tabela tal qual aparece no texto (justificado à

esquerda);

Coluna da direita: Número da página em que se encontra a tabela (justificado

a esquerda);

Os itens da lista devem estar separados entre si com o espaço de uma linha.

c) Entre o título da tabela e a numeração da página não há pontilhado ou traço.

- 25 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO:

 

LISTA DE TABELAS

Tabela 1 -

Número

e porcentagem de pacientes segundo as variáveis

relacionadas ao tratamento e a década em que foi realizado (Hospital

 

do Câncer A. C. Camargo, 1980-1999).

57

Tabela 2 -

Número e porcentagem de casos com expressão da citoqueratina nos linfonodos pélvicos (Hospital do Câncer A. C. Camargo, 1980-1999). 60

Tabela 3 -

Número e porcentagem de casos segundo a classificação da doença linfonodal pela imuno-histoquímica (Hospital do Câncer A. C. Camargo,

 

1980-1999).

65

Tabela 4 -

Número e porcentagem de diagnósticos de doença micrometastática linfonodal (DMI) e doença macrometastática linfonodal (DMA) realizados pelos métodos de hematoxilina-eosina (HE) e imuno- histoquímica (IHQ) (Hospital do Câncer A. C. Camargo, 1980-1999).

65

Tabela 5 - Número e porcentagem de pacientes segundo a presença de metástases nos linfonodos pélvicos e as variáveis sociodemográficas (Hospital do Câncer A. C. Camargo, 1980-1999).

67

Tabela 6 - Número e porcentagem de pacientes segundo a presença de metástases nos linfonodos pélvicos e as variáveis clínicas relacionadas à anamnese, ao exame físico e ao estadiamento (Hospital do Câncer A. C. Camargo, 1980-1999).

68

Etc., etc., etc

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 26 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.13 Lista de abreviaturas

Elemento pré-textual obrigatório se houver abreviaturas. Representa a relação ordenada das abreviaturas com as respectivas explicações.

Formatação: padrão

Organização:

a) Título da seção: LISTA DE ABREVIATURAS (letras maiúsculas, em negrito, centrada, no topo)

b) Lista contendo a abreviatura e a respectiva explicação. A lista deve estar organizada

em ordem numérico-alfabética. Sugere-se utilizar o recurso de tabela ou de tabulação do MS-Word para confecção desta lista, com duas colunas:

Coluna da esquerda: contém a abreviatura (justificado à esquerda);

Coluna da direita: explicação da abreviatura (justificado à esquerda);

MODELO:

 

LISTA DE ABREVIATURAS

6-GPD

Deficiência da 6-glicose-fosfato-desidrogenase Centímetro cúbico Food and Drug Administration Organização Mundial da Saúde Raio ao quadrado

cm 3

FDA

OMS

R 2

V

Volume

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 27 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.14 Lista de símbolos

Elemento pré-textual obrigatório se houver símbolos. Representa a relação ordenada dos símbolos com as respectivas explicações.

Formatação: padrão

Organização:

a) Título da seção: LISTA DE SÍMBOLOS (letras maiúsculas, em negrito, centrada, no topo)

b) Lista contendo o símbolo e a respectiva explicação. A lista deve estar organizada na mesma ordem em que os símbolos aparecem no texto. Sugere-se utilizar o recurso de tabela ou de tabulação do MS-Word para confecção desta lista, com duas colunas:

Coluna da esquerda: contém o símbolo (justificado à esquerda);

Coluna da direita: explicação do símbolo (justificado à esquerda);

MODELO:

 
 

LISTA DE SÍMBOLOS

Sigma Beta Igual

=

Menor ou igual Semelhante Porcentagem

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 28 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

4.15 Resumo

Elemento pré-textual obrigatório que trás de forma organizada um resumo do trabalho.

Formatação: padrão

Organização: as informações serão apresentadas na seguinte ordem, conforme modelo:

a) Título da seção: RESUMO (letras maiúsculas, em negrito, no centro, no topo);

b) Referência bibliográfica da dissertação / tese para indexação;

c) Resumo estruturado com até 1.000 palavras, dividido em: Justificativa, Objetivos, Materiais e Métodos, Resultados, Conclusões (itens em negrito). Poderá ser confeccionado em um só parágrafo (seções contínuas) ou em parágrafos separados (seções separadas). O corpo do resumo não deve conter qualquer citação de referência bibliográfica;

d) Palavras-chave: no mínimo, seis palavras-chave no padrão DeCS Descritores em Ciências da Saúde (http://decs.bvs.br/) separadas por ponto e vírgula.

4.16 Abstract

Elemento pré-textual obrigatório. Corresponde à tradução do resumo em português para a língua inglesa.

Formatação: padrão

Organização:

a) Deve ser idêntica ao do Resumo, mas em inglês;

b) Os seguintes termos em inglês deverão ser empregados em correspondência aos da língua portuguesa: Abstract (Resumo), Background (Justificativa), Aims (Objetivos), Materials and Methods (Materiais e Métodos), Results (Resultados), Conclusions (Conclusões), Keywords (Palavras-chave).

c) As palavras-chave devem ser as correspondentes em inglês no padrão DeCS Descritores em Ciências da Saúde (http://decs.bvs.br/).

- 29 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO:

RESUMO

Silva RC. Qualidade de vida em pacientes com linfoma não-Hodgkin durante a quimioterapia em regime ambulatorial: Avaliação com o questionário EORTC-QLQ-C30. Dissertação (Mestrado). Barretos: Hospital de Câncer de Barretos; 2013.

JUSTIFICATIVA: A quimioterapia é a mais importante modalidade terapêutica para os linfomas não-Hodgkin (LNH). Pacientes submetidos à quimioterapia experimentam vários efeitos colaterais do tratamento que podem provocar deterioração considerável na qualidade de vida. Além disso, pacientes com LNH frequentemente experimentam sintomas da doença, tais como, sudorese noturna, perda de peso, febre, dor e fadiga, que também diminuem sua qualidade de vida. OBJETIVO: Avaliar a qualidade de vida dos pacientes com LNH longitudinalmente durante a quimioterapia ambulatorial. MATERIAIS E MÉTODOS:

Estudo de coorte prospectivo com 48 pacientes com LNH que foram admitidos no Departamento de Hematologia do Hospital de Câncer de Barretos sem tratamento prévio e submetidos a regime de quimioterapia ambulatorial. Todos os pacientes foram avaliados do primeiro ao sexto ciclo de quimioterapia. EORTC QLQ-C30 versão 3.0 em português foi usado para avaliar a qualidade de vida dos pacientes. Os escores das escalas do questionário foram calculados de acordo com o manual do EORTC. A tendência de melhora ou piora no escore ao longo do tempo foi avaliada pelo coeficiente da regressão linear (beta). RESULTADOS:

Um aumento significativo nos escore foi observado durante os seis ciclos de quimioterapia na escala de saúde global (P <0,001; beta = 2,1) e na escala funcional (P = 0,015; beta = 0,9). Uma diminuição significativa foi notada ao longo do tempo na escala de sintomas (P = 0,003, beta = -1,3). Duas das escalas da saúde funcional mostraram um aumento significativo nos escores: função física (P = 0,010; beta = 0,8) e função emocional (P = 0,010; beta = 1,8). Em relação à escala de sintomas, somente a dor (P < 0,001; beta = - 4,0) e insônia (P = 0,023; beta = -3,0) apresentaram melhora significativa. CONCLUSÃO: A qualidade de vida dos pacientes melhorou nas três escalas do questionário (global, funcional e de sintomas) durante os seis ciclos de quimioterapia, especialmente após o primeiro ciclo.

PALAVRAS-CHAVE: Qualidade de vida; Linfoma; Quimioterapia; Questionários; Dor; Insônia.

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 30 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO:

ABSTRACT

Silva RC. Quality of life in patients with non-Hodgkin lymphoma during outpatient chemotherapy: assessment with questionnaire EORTC-QLQ-C30. Dissertation (Master´s degree). Barretos: Barretos Cancer Hospital; 2013.

BACKGROUND: Chemotherapy is the most significant therapeutic approach for non- Hodgkin´s lymphoma (NHL). Patients who are undergoing chemotherapy experience several treatment side effects that may cause considerable deterioration of the quality of life.

Furthermore, NHL patients often experience disease symptoms, such as night sweats, weight loss, fever, pain and fatigue, which also decrease their quality of life. AIM: To assess non- Hodgkin´s lymphoma (NHL) patients’ quality of life longitudinally during outpatient chemotherapy. MATERIAL AND METHODS: This is a prospective cohort study on 48 patients with NHL who were admitted to the Hematology Department of Barretos Cancer Hospital (Brazil) without prior treatment and submitted to outpatient chemotherapy regimen. All patients were assessed from the first to the sixth cycle of chemotherapy. EORTC QLQ-C30 version 3.0 in Portuguese was used to assess the patients’ quality of life. The scores for the scales of the questionnaire were calculated according to the EORTC manual. The trend of improvement or worsening in scores over time was assessed by the linear regression coefficient (beta). RESULTS: A significant increase in scores was observed over the six cycles

of chemotherapy on the global health scale (P < 0.001; beta = 2.1) and the functional scale (P

= 0.015; beta = 0.9). A significant decrease in scores was observed over time on the

symptom scale (P = 0.003; b = -1.3). Two of the subscales within the functional scale showed

a significant increase in scores: physical function (P = 0.010; beta = 0.8) and emotional

function (P = 0.010; beta = 1.8). Regarding the symptom scale, only the pain (P < 0.001; beta

= -4.0) and insomnia (P = 0.023; beta = -3.0) subscales showed significant improvement.

CONCLUSIONS: Patients’ quality of life improved in the three scales of the questionnaire (global, functional and symptom) over the six cycles of chemotherapy, especially after the first one.

KEYWORDS: Quality of life; Lymphoma; Drug therapy; Questionnaires; Pain; Insomnia.

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 31 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

5 ELEMENTOS TEXTUAIS

5.1 Organização e formatação geral

Os elementos textuais são obrigatórios e devem se dividir em seis seções principais:

Introdução, Justificativa, Objetivos, Materiais e Métodos, Resultados, Discussão e Conclusões. A Revisão da Literatura e a Justificativa do estudo poderão ser colocadas como seções à parte da Introdução. Neste caso, a Revisão da Literatura deverá ser disposta logo após a Introdução e a Justificativa do estudo imediatamente antes dos Objetivos. A critério dos pesquisadores, os objetivos podem ser subdivididos em geral e específicos.

As seções principais poderão se dividir em subseções de acordo com a natureza de cada trabalho.

As tabelas, os quadros e as figuras poderão estar dispostos ao longo do texto (o mais próximo possível de sua citação) ou reunidos nos anexos.

Formatação:

a) Formatação padrão

b) As páginas devem ser numeradas com algarismos arábicos, no canto superior direito (fonte 10), iniciando em 1 a partir da Introdução;

c) As seções principais (Introdução, Justificativa, Objetivos, Materiais e Métodos, Resultados, Discussão e Conclusões) devem:

Iniciar-se em uma nova página;

Ter o título da seção com todas as letras em maiúsculo (ex: INTRODUÇÃO), com destaque em negrito;

Ter o indicativo de seção em algarismo arábico inteiro (ex: 1, 2, 3, 4, etc.), com destaque em negrito;

Ter o texto iniciado abaixo do título da seção e com separação correspondente ao espaço de uma linha.

d) As subseções (exemplo: Delineamento do estudo, Análise estatística, etc.) devem:

Ter o título das subseções com apenas a primeira letra em maiúsculo (ex:

Análise estatística) e em negrito;

Ter o indicativo de subseção em algarismo arábico em nível hierárquico (ex:

4.1; 4.1.1; 4.1.1.1, etc.), com destaque em negrito.

- 32 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

e)

O

indicativo de seção / subseção é alinhado na margem esquerda, precedendo o título.

O

titulo é iniciado a 1 cm distante do indicativo da seção;

f)

Depois do indicador da seção / subseção não se utilizam ponto, hífen, travessão ou qualquer outro sinal separando o mesmo do título (ex: 4.1 Delineamento do estudo);

g)

Os parágrafos devem iniciar-se 1 cm distante da margem (tabulação de 1 cm). O início

do parágrafo fica alinhado com o título da seção / subseção. As linhas subsequentes do parágrafo alinham-se junto à margem esquerda;

h)

Espaçamentos entre parágrafos, seções e subseções:

 

Entre parágrafos: sem espaçamento adicional (espaçamento padrão de 1,5 cm);

Entre o título de uma subseção e o texto suprajacente: espaçamento adicional de uma linha (espaçamento de 3,0 cm);

Entre o título de uma subseção e o texto subjacente: sem espaçamento adicional (espaçamento de 1,5 cm);

Entre o título de uma seção o texto subjacente: espaçamento adicional de uma linha (espaçamento de 3,0 cm).

i)

Palavras escritas em outra língua que não a portuguesa devem ser destacadas em itálico (exemplo: World Health Organization);

j)

É

permitido o uso de abreviaturas para palavras de ocorrência frequente. Para tanto,

deve-se definir a abreviatura logo na primeira vez que aparecer no texto, colocando-se

o nome por extenso, seguido pela abreviatura entre parênteses. Exemplo: Organização

Mundial da Saúde (OMS). Recomenda-se fazer uso de abreviaturas o mínimo necessário. O seu uso abusivo pode tornar o texto truncado e de difícil compreensão.

- 33 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO:

1

INTRODUÇÃO

1.1

Aspectos epidemiológicos do câncer do colo do útero

Nos países desenvolvidos, o carcinoma do colo do útero representa cerca de 5% de todos os tumores em mulheres e ao sexto tipo mais frequente de câncer na população. Nos países em desenvolvimento

etc., etc., etc

1.2 Estadiamento do carcinoma do colo do útero O sistema de estadiamento mais utilizado para o câncer do colo do útero é o proposto

pela Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO) e etc., etc., etc

1.2.1 Estadiamento clínico

O sistema de estadiamento da FIGO baseia-se no exame físico da mulher com câncer do colo do útero. Os critérios utilizados etc., etc., etc

1.2.2 Estadiamento cirúrgico

Embora a FIGO preconize o estadiamento clínico do câncer do colo do útero, muitos autores tem investigado o papel da cirurgia para avaliar a extensão da doença

etc., etc., etc

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 34 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

5.2

Tabelas

A finalidade das tabelas é resumir ou sintetizar as informações do texto. Podem ser colocadas ao longo do texto (o mais próximo possível de sua citação) ou ainda organizadas todas em um dos anexos.

Dividem-se em quatro partes principais:

a) Título precedido pelo indicador de tabela (número da tabela);

b) Cabeçalho;

c) Corpo;

d) Notas explicativas de rodapé.

Padronização: sugere-se a formatação padrão nas quatro partes acima descritas, mas é aceitável a redução do tamanho da fonte e a utilização de espaçamento simples para acomodar os dados. Neste caso, o tamanho da fonte não pode ser inferior a 10;

Organização:

a) O cabeçalho da tabela deve ser delimitado por traços horizontais, bem como a última linha da tabela (traço finalizador). Devem ser evitados outros traços horizontais na tabela, a não ser que para melhor visualização dos dados;

b) O cabeçalho poderá ser destacado do restante da tabela com outra cor (não obrigatório). Sugerem-se tons de cinza;

c) Os textos nos cabeçalhos devem ser destacados em negrito;

d) As colunas não devem ser delimitadas por traços verticais;

e) Em relação ao título da tabela:

Deve ser precedido pelo indicador de tabela, o qual é constituído pela palavra Tabela (apenas com a inicial T maiúscula), seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos inteiros e um hífen (exemplo:

“Tabela 1 -”) (em negrito);

Posiciona-se acima da tabela, junto à margem superior da tabela;

Se ocupar mais do que uma linha, as demais devem estar alinhadas a esquerda, abaixo da palavra “Tabela” (texto justificado).

O título deve ser o mais elucidativo possível, dispensando a necessidade de se consultar o texto principal para compreender a tabela;

Sugere-se colocar no final do título, entre parênteses, o local da coleta de dados bem como o período em que ela ocorreu.

f) A tabela deve ser colocada preferencialmente em posição vertical, facilitando a leitura dos dados. Caso não haja espaço suficiente, deve ser colocada em posição horizontal

- 35 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

com o título voltado para a margem esquerda da folha;

g) Quando houver necessidade, a tabela pode continuar na folha seguinte. Nesse caso, o

final da tabela na folha não será delimitado pelo traço horizontal finalizador, devendo- se colocar o seguinte dizer logo abaixo da tabela incompleta: “(continua na próxima

(canto inferior direito). Na página seguinte deve-se repetir o título e o

cabeçalho da tabela. Logo após o indicativo de tabela e antes do título deve-se

O traço

página

)

acrescentar o termo “(continuação)”. Exemplo: “Tabela 1 (continuação)

”.

horizontal indicará o final da tabela.

h) Abreviaturas e símbolos utilizados na tabela devem ser colocados no rodapé da mesma, o qual se situa abaixo do traço horizontal finalizador.

i) Se as informações da tabela foram retiradas de outra fonte, deve-se colocá-la nas notas de rodapé com a seguinte normatização:

Coloca-se a palavra “Fonte” logo abaixo da tabela, em negrito, seguida por dois pontos, junto à margem esquerda.

Após a palavra “Fonte:” coloca-se o nome dos autores seguidos pelo número da referência, sem negrito, sem negrito, em sobrescrito (exemplo: Silva 5 ). Se houver apenas dois autores, os sobrenomes serão separados pelo sinal &, que significa “and” em inglês (exemplo: Carvalho & Reis 7 ). Se houver mais do que dois autores, coloca-se apenas o primeiro sobrenome seguido pela expressão “et al.”, sem negrito, sem itálico e com ponto no final (exemplo: Longatto- Filho et al. 9 ). A expressão “et al.” é abreviatura para a expressão latina et alii, que significa “e outros”.

- 36 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO:

Tabela 10 Número e porcentagem de pacientes segundo a presença de metástase nos linfonodos pélvicos e as variáveis histopatológicas relacionadas ao câncer do colo do útero (Hospital do Câncer A. C. Camargo, 1980-1999).

 

Sem metástase

Com metástase

 

linfonodal

linfonodal

Variável

Categoria

Valor de P

 
 

n (*)

 

(%)

n (*)

 

(%)

 

Profundidade de invasão do tumor

Terço superficial

58

93,5

4

6,5

0,011

Terço médio

79

81,4

18

18,5

 

Terço profundo

64

74,4

22

25,6

Embolização capilar

Não

110

(88,0)

15

(12,0)

0,014

Sim

92

(76,0)

29

(24,0)

Invasão perineural

Não

176

(81,5)

40

(18,5)

0,487

Sim

26

(86,7)

4

(13,3)

Padrão de invasão

Pequenos blocos

79

(76,7)

24

(23,3)

0,148

Grandes blocos

80

(85,1)

14

(14,9)

Pushing

44

(88,0)

6

(12,0)

(*) Casos com valores ignorados foram excluídos da análise.

Observações:

1)

A moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

2)

Não é obrigatório o destaque do cabeçalho da tabela em outra cor.

3)

Se as informações da tabela foram retiradas de outra fonte, deve-se colocá-la nas notas de rodapé de acordo com as normas descritas neste manual.

- 37 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO:

Tabela 4 - Critérios para o diagnóstico diferencial entre micrometástases e células tumorais isoladas.

CRITÉRIO

CÉLULAS TUMORAIS ISOLADAS

MICROMETÁSTASES

Tamanho

Células isoladas ou pequenos agrupamentos (clusters)

2 mm (maior diâmetro)

Contato com a parede de vasos ou seios linfáticos

Não

Sim

Extravasamento (*1)

Não

Sim

Reação estromal (*2)

Não

Sim

Proliferação celular

Não

Sim

Fonte: Silva 5 , Carvalho & Reis 7 , Longatto-Filho et al. 9 . (*1) Invasão e penetração de vasos ou seios linfáticos (*2) Extravascular ou extra-sinusoidal

Observações:

1)

A moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

2)

Não é obrigatório o destaque do cabeçalho da tabela em outra cor.

3)

Se as informações da tabela foram retiradas de outra fonte, deve-se colocá-la nas notas de rodapé de acordo com as

4)

normas descritas neste manual. As citações colocadas no modelo são fictícias.

5)

Para alguns programas de pós-graduação, o modelo acima representaria um “quadro”. Para fins de simplificação, este manual não fará diferenciação entre quadro e tabela.

- 38 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

5.3

Figuras

A finalidade das figuras é ilustrar algum aspecto descrito no texto. Embora as figuras possam ser de diversos tipos (gráficos, fotografias, mapas, fluxogramas, etc.), para fins deste manual, todas serão consideradas como “figuras”, independentemente de sua natureza.

As figuras podem ser colocadas ao longo do texto (o mais próximo possível de sua citação) ou ainda organizadas todas em um dos anexos.

As figuras devem estar organizadas como se segue:

a) Figura;

b) Fonte (se houver);

c) Título precedido pelo indicador de figura (número da tabela).

Padronização:

a) A figura deve ser colocada preferencialmente em posição vertical, facilitando a

visualização da mesma. Caso não seja possível, deve ser colocada em posição horizontal com o título voltado para a margem direita da folha;

b) Em relação ao título da figura:

Deve ser precedido pelo indicador de figura, o qual é constituído pela palavra Figura (apenas com a inicial F maiúscula), seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos inteiros e um hífen (exemplo:

Figura 1 -”);

Posiciona-se abaixo da figura, junto à margem da folha;

Se ocupar mais do que uma linha, as demais devem estar alinhadas a esquerda, abaixo da palavra “Figura” (texto justificado).

Deve conter a fonte de origem da figura, caso haja. Será descrita após a

figura, como se segue: “Fonte: modificado de

”.

O título deve ser o mais elucidativo possível, dispensando a necessidade de se consultar o texto principal para compreender a figura;

c) Abreviaturas e símbolos utilizados na figura devem ser explicados ao longo do título.

d) Se houver, deve-se colocar a fonte original da figura. Deve-se seguir a seguinte normatização:

Coloca-se a palavra “Fonte” logo abaixo da figura, em negrito, seguida por dois pontos, junto à margem esquerda.

Após a palavra “Fonte:” coloca-se o nome dos autores seguidos pelo número

- 39 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

da referência, sem negrito, sem negrito, em sobrescrito (exemplo: Silva 5 ). Se houver apenas dois autores, os sobrenomes serão separados pelo sinal &, que significa “and” em inglês (exemplo: Carvalho & Reis 7 ). Se houver mais do que dois autores, coloca-se apenas o primeiro sobrenome seguido pela expressão “et al.”, sem negrito, sem itálico e com ponto no final (exemplo: Longatto- Filho et al. 9 ). A expressão “et al.” é abreviatura para a expressão latina et alii, que significa “e outros”.

MODELO:

A
A

Fonte: Fregnani et al. 5

B
B

Figura 5 Visualização ao microscópio óptico de inclusão epitelial benigna em linfonodo

pélvico de paciente com carcinoma do colo do útero. A) Avaliação por imuno-histoquímica

(anticorpo AE1/AE3), magnificação original = 400 vezes; B) Avaliação por hematoxilina-

eosina, magnificação original = 400 vezes.

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese. A referência colocada no modelo é fictícia.

- 40 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

MODELO: 1,0 DMO ,9 ,8 ,7 DMA ,6 ,5 DMI ,4 ,3 ,2 ,1 0,0
MODELO:
1,0
DMO
,9
,8
,7
DMA
,6
,5
DMI
,4
,3
,2
,1
0,0
0
12
24
36
48
60
72
84
96
108
120
meses

Figura 6 Curvas de sobrevida livre de doença segundo o tipo de doença encontrada nos linfonodos pélvicos. DMO (Sem doença linfonodal metastática), DMI (Doença micrometastática linfonodal), DMA (Doença macrometastática linfonodal).

Observação: a moldura foi colocada apenas para a ilustração do modelo e não deve ser colocada na dissertação / tese.

- 41 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

6 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

Os elementos pós-textuais não recebem numeração de seção, mas devem ter suas páginas numeradas, seguindo a sequência dos elementos textuais.

6.1 Referências e citações

As referências deverão ser citadas no sistema de numeração sequencial, após o ponto final:

a) A citação será realizada por algarismos arábicos, consecutivos, na ordem de aparecimento no texto;

b) A citação deverá ficar junto ao texto principal, sem negrito, sem itálico, em sobrescrito (exemplo: A Organização Mundial da Saúde estima que no mundo haja cerca de 440 milhões de indivíduos com a infecção genital pelo papilomavírus humano 1 );

c) Quando houver mais de uma citação, elas deverão ficar separadas por vírgula e organizadas em ordem crescente (exemplo: As alterações celulares induzidas pelo HPV iniciam-se nas camadas mais profundas do epitélio do colo do útero 1,3,4 );

d) Quando houver mais de duas citações e elas forem sequenciais, a primeira e a última citações serão separadas por um hífen, sem espaço (exemplo: A infecção pelo HPV pode trazer transtornos na qualidade de vida das mulheres portadoras deste vírus 1, 3-

9 );

e) Se houver necessidade de se citar nominalmente o(s) autor(es) no corpo do texto, deve-se fazê-lo da seguinte forma:

A referência poderá ser colocada junto ao sobrenome dos autores ou no final da sentença (exemplo: “Longato descreveu os mecanismos de carcinogênese 5 ” ou “Longato 5 descreveu os mecanismos de carcinogênese”);

Se houver apenas dois autores, os sobrenomes serão separados pelo sinal &, que

significa “and” em inglês (exemplo: Carvalho & Reis descreveram os principais mecanismos relacionado à progressão tumoral 7 );

Se houver mais do que dois autores, coloca-se apenas o primeiro sobrenome seguido pela expressão “et al.”, sem negrito, sem itálico e com ponto no final (exemplo: Fregnani et al. 9 concluíram que a idade não representou um fator prognóstico). A expressão “et al.” é abreviatura para a expressão latina et alii, que significa “e outros”. Um erro gramatical muito comum é o uso da expressão “et al.” e a conjugação incorreta do verbo na sentença correspondente. Como a expressão “et al.” implica em mais de um autor (sujeito composto), o verbo da sentença deverá ser conjugado na terceira pessoa do plural. Desta forma, o

correto é afirmar que “Silva et al. avaliaram

”,

ao invés de “Silva et al. avaliou”.

- 42 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

f) Não se recomenda o uso de citação de acordo com outra citação (“citação de citação”). Isto indica que o pesquisador não teve acesso ao documento fonte citado. Caso seja extremamente necessário este tipo de citação, emprega-se a expressão latina “apud”, que significa “de acordo com”. Coloca-se a citação principal seguida da palavra “apud” e a citação de onde ela foi retirada (Exemplo: Carvalho 1998 apud Longatto-Filho et al. 2000) Exemplo: Martin 56 apud Elliot 16 chegou as mesmas conclusões dos estudos.

g) A lista de referências deverá ser numerada de forma crescente, de acordo com a ordem de aparecimento no texto;

Recomenda-se o uso de um sistema gerenciador de referências como o programa EndNote™ disponibilizado pela Biblioteca do IEP. A Pós-Graduação do Hospital de Câncer de Barretos disponibiliza em sua Secretaria o arquivo a ser importado pelo EndNote™ (“HCB Ref) com a padronização recomendada para as referências e citações numéricas seqüenciais.

6.2 Lista das referências

A lista das referências deverá estar numerada de forma crescente, de acordo com a ordem de aparecimento no texto.

Formatação :

a) Formatação especial: fonte Calibri, tamanho 10 a 12, espaçamento simples; texto justificado;

b) A referência é numerada com algarismo arábico seguido por ponto (Exemplo: 1. Mauad EC,) e o texto da referência iniciado 1 cm distante da margem esquerda. Se o texto ocupar mais de uma linha, as demais devem estar junto à margem esquerda.

As referências deverão ser confeccionadas de acordo com o padrão Vancouver modificado (versão “HCB Ref”, com adaptações de formatação de acordo com este manual). Para informações detalhadas acerca do padrão Vancouver, recomenda-se consultar o site do National Library of Medicine (US National Health Institute):

http://www.nlm.nih.gov/bsd/uniform_requirements.html. Seguem abaixo alguns modelos para a confecção das referências bibliográficas. Nos exemplos, na coluna do lado direito encontram-se instruções breves para a utilização do estilo “HCB Ref” no EndNote, enfatizando-se a ordem de entrada de informações no mesmo. Nestas instruções, consta o tipo de referência a ser utilizada para cada situação (Jornal, Livro, Pós-graduação, Website, Congressos) e os campos que minimamente devem ser preenchidos para a adequada confecção da lista de referências bibliográficas.

- 43 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

ARTIGOS EM PERIÓDICOS:

Situação

Situação Formato da referência Ordem de entrada da informação no EndNote ™

Formato da referência

Ordem de entrada da informação no EndNote

Com até 6 autores (todos autores são listados):

Com mais de 6 autores (os seis primeiros autores são listados seguido por “, et al.”.):

Organização / Instituição como autor:

Sem autor definido:

Escrito em língua não inglesa:

Halpern SD, Ubel PA, Caplan AL. Solid-organ transplantation in HIV-infected patients. N Engl J Med. 2002;347(4):284-7.

Rose ME, Huerbin MB, Melick J, Marion DW, Palmer AM, Schiding JK, et al. Regulation of interstitial excitatory amino acid concentrations after cortical contusion injury. Brain Res.

2002;935(1-2):40-6.

Diabetes Prevention Program Research Group. Hypertension, insulin, and proinsulin in participants with impaired glucose tolerance. Hypertension. 2002;40(5):679-86.

21st century heart solution may have a sting in the tail. BMJ.

2002;325(7357):184.

Ellingsen AE, Wilhelmsen I. [Disease anxiety among medical students and law students]. Tidsskr Nor Laegeforen. 2002;122(8):785-7. Norwegian.

Volume com suplemento: Geraud G, Spierings EL, Keywood C. Tolerability and safety of frovatriptan with short- and long-term use for treatment of migraine and in comparison with sumatriptan. Headache. 2002;42 Suppl 2:S93-9.

Fascículo com suplemento:

Glauser TA. Integrating clinical trial data into clinical practice. Neurology. 2002;58(12 Suppl 7):S6-12.

EndNote™: Journal Article Author, Year, Title, Journal, Volume, Issue, Pages.

EndNote™: Journal Article Author, Year, Title, Journal, Volume, Issue, Pages.

EndNote™: Journal Article Year, Title, Journal, Volume, Issue, Pages, Name of database (nome da instituição ou organização). Não se deve preencher o campo “Author”.

EndNote™: Journal Article Title, Journal, Year, Volume, Issue, Pages.

EndNote™: Journal Article Year, Title (colocar o título em inglês, entre colchetes), Journal, Volume, Issue, Pages. No campo Pages, após o ponto final, colocar a língua. Exemplo: “. Norwegian”.

EndNote™: Journal Article Author, Year, Title, Journal, Volume, Issue, Pages. No campo Volume, acrescentar a palavra “Suppl”.

EndNote™: Journal Article Author, Year, Title, Journal, Volume, Issue, Pages. No campo Issue, acrescentar a palavra “Suppl”.

- 44 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

ARTIGOS EM PERIÓDICOS: (continuação)

Situação

Formato da referência

Ordem de entrada da informação no EndNote™

Volume com parte:

Abend SM, Kulish N. The psychoanalytic method from an epistemological viewpoint. Int J Psychoanal. 2002;83(Pt

EndNote™: Journal Article Author, Year, Title, Journal, Volume, Issue, Pages. No campo Volume, acrescentar a palavra “Pt”.

2):491-5.

Fascículo com parte:

Ahrar K, Madoff DC, Gupta S, Wallace MJ, Price RE, Wright KC. Development of a large animal model for lung tumors. J Vasc Interv Radiol. 2002;13(9 Pt 1):923-8.

EndNote™: Journal Article Author, Year, Title, Journal, Volume, Issue, Pages. No campo Issue, acrescentar a palavra “Pt”.

Periódico sem volume e sem fascículo:

Silva A. Outreach: bringing HIV-positive individuals into care. HRSA Careaction. 2002:1-6.

EndNote™: Journal Article Author, Year, Title, Journal, Pages. Não colocar nada nos campos Volume e Issue.

Artigo publicado eletronicamente antes da impressão:

Yu WM, Hawley TS, Hawley RG, Qu CK. Immortalization of yolk sac-derived precursor cells. Blood. [Epub 2002 Jul 5]

EndNote™: Journal Article Author, Year, Title, Journal. No campo Volume, colocar entre colchetes “Epub + data”. Exemplo: [Epub 2002 Jul 5]. Não colocar nada em Issue e Pages.

- 45 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

LIVROS E OUTRAS MONOGRAFIAS:

Situação

Situação Formato da referência Ordem de entrada da informação no EndNote™

Formato da referência

Ordem de entrada da informação no EndNote™

Autores, sem editores:

Murray PR, Rosenthal KS, Kobayashi GS, Pfaller MA. Medical microbiology. 4th ed. St. Louis: Mosby; 2002.

Editores como autores: Operative obstetrics. Gilstrap LC 3rd, Cunningham FG, VanDorsten JP, editors. 2nd ed. New York: McGraw-Hill;

2002.

Autores e editores: Breedlove GK, Schorfheide AM. Adolescent pregnancy. 2nd ed. Wieczorek RR, editor. White Plains (NY): March of Dimes Education Services; 2001.

Capítulo de livro: Meltzer PS, Kallioniemi A, Trent JM. Chromosome alterations in human solid tumors. In: Vogelstein B, Kinzler KW, editors. The genetic basis of human cancer. New York: McGraw-Hill; 2002. p. 93-113.

Organização / Instituição como autor:

Autor corporativo:

Advanced Life Support Group. Acute medical emergencies:

the practical approach. London: BMJ Books; 2001.

Brasil. Ministério da Saúde. Um agravo inusitado à saúde. Brasília: Ministério da Sáude; 1978.

EndNote™: Book Author, Year, Title, Place Published (cidade), Publisher (editora), Edition

EndNote™: Edited Book Editor, Year, Title, Place Published (cidade), Publisher (editora), Edition

EndNote™: Book Author, Year, Title, Series Editor (editor), Place Published (cidade), Publisher (editora), Edition

EndNote™: Book Section Author, Year, Title (título do capítulo), Editor, Book Title, Place Published (cidade), Publisher (editora), Pages, Edition

EndNote™: Book Section ou Book Year, Title (título do capítulo), Editor, Place Published (cidade), Publisher (editora), Pages, Edition, Name of database (nome da instituição)

EndNote™: Book Section ou Book Year, Title (título do capítulo), Editor, Place Published (cidade), Publisher (editora), Pages, Edition, Name of database (autor corporativo)

- 46 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

DISSERTAÇÃO E TESE:

Situação

Situação Formato da referência Ordem de entrada da informação no EndNote™

Formato da referência

Ordem de entrada da informação no EndNote™

Dissertação (Mestrado): Souza JM. Estudo da expressão de fatores de crescimento em câncer gástrico. Dissertação (Mestrado). São Paulo:

Universidade de São Paulo; 2007.

Tese (Doutorado): Fregnani JH. Micrometástase nos linfonodos pélvicos no carcinoma do colo do útero: diagnóstico e risco de recorrência. Tese (Doutorado). São Paulo: Fundação Antônio Prudente; 2005.

MEIOS ELETRÔNICOS:

EndNote™: Thesis Author, Year, Title, Place Published (cidade), University (Instituição), Thesis Type. No campo Thesis Type, coloque “Dissertação (Mestrado)”.

EndNote™: Thesis Author, Year, Title, Place Published (cidade), University (Instituição), Thesis Type. No campo Thesis Type, coloque “Tese (Doutorado)”.

Situação

Formato da referência

Ordem de entrada da informação no EndNote™

Site:

International Agency for Research on Cancer. [Internet] Lyon:

EndNote™: Web Page Year (ano dos direitos autorais), Title (site), Place Published (cidade), Publisher, Access Date (Ano mês dia), URL (endereço eletrônico).

IARC; 2013 [cited 2013 Mar 20];Available from:

http://www.iarc.fr.

Página de site:

IARC Monographs. International Agency for Research on Cancer. [Internet] Lyon: IARC; 2013 [cited 2013 Mar 20];Available from: http:// www.iarc.fr/en/publications/list/monographs/index.php

EndNote™: Web Page Year (ano dos direitos autorais), Title (página + site), Place Published (cidade), Publisher, Access Date (Ano mês dia), URL (endereço eletrônico).

Monografia na internet: Foley KM, Gelband H, editors. Improving palliative care for cancer [Internet]. Washington: National Academy Press; 2001

[cited

Available

2002

Jul

9].

from:

EndNote™: Web Page Authors, Year (ano dos direitos autorais), Title (página + site), Place Published (cidade), Publisher, Access Date (Ano mês dia), URL (endereço eletrônico).

- 47 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

APRESENTAÇÕES EM CONGRESSOS

Situação

Situação Formato da referência Ordem de entrada da informação no EndNote™

Formato da referência

Ordem de entrada da informação no EndNote™

Resumos publicados em

Anais de Congresso

(publicação não indexada)

Resumos publicados em

revistas indexadas

(publicação indexada)

Simoes K, Longatto Filho A, Pinheiro C, Schmitt FC, Ressio RA, Baltazar F, Alves VAF. Increased apoptosis in gastric carcinogenesis progression can be influenced by mechanisms involved in tumoral microenvironment pH control. In: 27th International Congress of the International-Academy-of- Pathology. Athens (Greece); 2008. Oct 12-17.

Fukuda E, Begnami MD, Fregnani JH, Silva EM, Soares FA, Coudry RA. DNA Repair proteins MLH1, MSH2, MSH6, and MGMT in 495 gastric and esophageal adenocarcinomas. In:

97th Annual Meeting - United States and Canadian Academy of Pathology. Denver (USA); 2008. Mar 1-7. Mod Pathol. 2008; 21: 119A.

EndNote™: Conference proceedings Author, Year of Conference, Title (nome da aula), Conference Name (nome do congresso), Conference Location (cidade, país), Date (mês dia)

EndNote™: Conference proceedings Author, Year of Conference, Title (nome da aula), Conference Name (nome do congresso), Conference Location (cidade, país), Publisher (nome do periódico), Volume, Issue, Pages, Date (mês dia), Year Published (ano de publicação).

- 48 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

6.3

Anexos

Comportam os materiais complementares ao texto principal (material suplementar).

É obrigatório colocar em um dos anexos:

a) Carta de aprovação do estudo pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Se houver mais de uma instituição envolvida, colocar a carta de todos os Comitês.

b) Documento comprobatório da situação do artigo científico:

Artigo já submetido, mas ainda sem parecer da revista: anexar o comprovante de submissão;

Artigo aceito para publicação pela revista, mas ainda não publicado: anexar a carta de aceite da revista para publicação;

Artigo já publicado: anexar a cópia do artigo.

Padronização: sugere-se a formatação padrão, mas é aceitável a redução do tamanho da fonte para acomodar os dados nos anexos. Neste caso, o tamanho da fonte não pode ser inferior a 10.

Organização:

a) Cada anexo será iniciado em uma nova página;

b) Em relação ao título do anexo:

Deve ser precedido pelo indicador de anexo, o qual é constituído pela palavra Anexo (em negrito, apenas com a inicial A maiúscula), uma letra (em negrito, maiúscula) e um hífen (exemplo: “Anexo A -”);

Posiciona-se no topo da página, junto à margem esquerda da página;

Se todas as 26 letras do alfabeto forem utilizadas, deve-se acrescentar letras sequenciais ao indicador (exemplo: “Anexo AA -).

c) O anexo deve ser colocado preferencialmente em posição vertical, facilitando a leitura dos dados. Caso não haja espaço suficiente, deve ser colocado em posição horizontal com o indicativo do anexo voltado para a margem esquerda da folha.

- 49 -

Manual de Apresentação de Dissertações e Teses do Hospital de Câncer de Barretos

7 FONTES CONSULTADAS

1. da Cunha AC, Freddi MJ, Crestana MF, M.S. A, Cardoso SC, Vilhena V. Guia de apresentação de dissertações, teses e monografias. 2ª ed. São Paulo: SBD-FMUSP;

2005.

2. Funaro VM, Pestana MC, Garcia EM, Rebello MA, Ayello MA, Carvalho MJ, et al. Diretrizes para apresentação de dissertações e teses da USP: documento eletrônico e impresso. Parte I (ABNT). São Paulo: Sistema Integrado de Bibliotecas da USP; 2009.

3. ABNT. Norma Brasileira - ABNT NBR 12225:2004. Lombada - Apresentação. 2ª ed. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Normas Técnicas; 2004.

4. ABNT. Norma Brasileira - ABNT NBR 14724:2011. Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação. 3ª ed. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Normas Técnicas; 2011.

5. ABNT. Norma Brasileira - ABNT NBR 6024:2012. Informação e documentação - Numeração progressiva das seções de um documento - Apresentação. 2ª ed. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Normas Técnicas; 2012.

6. Carvalho MJ, Rocha MS. Diretrizes para apresentação de dissertações e teses do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo: documento eletrônico:

ABNT. São Paulo: SBiB/ICB/USP; 2012.

7. International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE) Uniform Requirements for Manuscripts Submitted to Biomedical Journals: Sample References. [Internet] Bethesda: U.S. National Library of Medicine; 2013 [cited March 27th, 2013];Available from: http://www.nlm.nih.gov/bsd/uniform_requirements.html.

- 50 -