Você está na página 1de 18
COLEGIO PEDRO II me) Concurso Pubiico para Provimento de Cargos Téonleo-Administrativos em Educagao Ecital n® 28/2017 — ASSISTENTE DE ALUNOS CONHECIMENTOS GERAIS LINGUA PORTUGUESA TEXTO! BONECA i 40 15 20 25 45 ‘Nenhumal Gansou de tanto-andar. Perguntara muito. Ouvira respostas de todo tipo. Algumas vez08, readira 8 escassa doicadeza.de carton balzonistas © mesmo As rola as, Em autos momentos fra evade autocomiserago, depois de ouvir, por exemplo: ‘into muito... te Ou: ‘Queira nos descuipar... A fébvica nao fomece, sabe... Desanimar? Nao. Nao havia por que desistc de encontrar o presente de Natal para a filha. Com 08 #08 93 anos, estava em plena forma fisica. Além disso, ea como se a pequena o conduzisse pelas ruas do Centro comercial, Continua procura, mesmo pisoteando 0 eansago, era uma misao. om entusiasmo, entrou na loja seguinte, Chola! Aguardou pacientomente. Uma mocinha branca, de larmeigo e aspecto subnuttido, indagou! ‘© sonhorjé fol atendido? ‘Nao. Por gentileza, eu estou proourando uma boneca Temos varias. Otha aqui a Barbie, a Xuxinha...- @ a oiritha fol epanhando diversas bonecas. Colocava-as sobre 0 balcdo, como so escolhesse para si. Oiha que racinha esta aqui de othos azuiel E ovidade. Chegou ontem e jé vendeu quase tudo. Chora, tom chupeta, faz pip. essa outra. aqui? NAo & uma graga? —e levou 20 colo a ruvinha de tom amarelado, bom clarinha, Moxeu-e os bracinhos-e as perninhas © indagou: Nao-gostou de nenhuma? E que estou procurando uma boneca negra Mela hora de espera. Tem sim! ~ 0 dono da Ioja dirigiu-se & empregada. Procura melhor, na prateleira de balxo, id em cima mesmo, perto da pia. ‘A moga sublu de nove a escada, depois de sorrir um submisso constcangimento. Desceu mais uma vez, recebeu novas instrugées e tomou a sort. Em segulda, do alto do mezanino, mostrOu 0 rostinho gotducho, marrom-escuro, de uma boneca. Radiante, a balconista empunhava-a como um trotéu. Assim desceu a escada. Mas, descuidando-se nos degraus, despencou-se. Todos se apavoraram. As ‘glegas de trabalho foram em socorro Nenhuma tratura. Apenas um susto. © patido exasperou-se, mas logo conseguiti se controlar, vermetho como pimenta-malagueta, A loja estava cheia. Foi atender o client: Peco desculpa pela demora ¢ pelo transtomo. Espero que o senhor nao tenha se chateado. © importante 6 que encontramos o produto. Esté om falta, sabe... Eles no entregam. Eumesmo encomendei a semana passada, Mas 0 representante disse que a firma esté exportando para a Africa, Esta certo, mas aqui também tom fregués que procura, nao 6? O:senhor & brasileiro? Sim. Entdo...~ 0 homem engoliu a frase e preparou @ nota. .J4 na rua, 0 pal, entre tantos pensamentos, alguns desagradéveis, lembrou-se da descontragéo a que fazia jus, depois de suar expectativas naquela manh de dezembro, Respirou fundo. Contemplou 6 lindo sembruiho de motivagées natalinas, om que se destacavam o Papal Noo, criangas louras e muita neve. Segui passos lentos, em direco a uma lanchonete. : Val uma loura gelada al, chefe? — pronunciou o balconista 26 vé-to sentar-se junto do baled, Sortiu, confirmando com um gesto de polegar. ‘Ao primelto gole de cervela, sentiu-se profundamente aliviado e feliz Cutl, Contos crespos. Sao Paulo: Mazza. 2012, 2* ed. COLEGIO PEDRO II vos em Educagao DAS Concurso Publica para Provimento de Cargos Técnico-Administat ve Ealital n° 28/2047 — ASSISTENTE DE ALUNOS =] narredor uiliza uma expresedo Tormada por ADJETIVO + SUBSTANTIVO, nessa ordem, para .do no coméicio. Essa expressio é [QUESTAOT {L996 no ineio do texto, ‘apresentar uma avaliagio acerca do tipo de atencimento presta WO “escassa delicadeza’ (linha 2), (B) ‘certos balconistas'(inha 2). (€) “ironias finas’(linha 2). (©) “forma fisica’(inha 8). sy (QUESTA 2 zs | Te vo Natal para a filha, Com o8 seus 33 anos. estava om. No trecho: “Nao havia por que desistir de encontrar 0 present jplena forma fisica."(texto |, linhas 7-8), a frase sublinhada (A) no se relaciona com a frase anterior. YR) jusifica a frase anterior. (©) contradiz a frase anterior. (0) exemplifica a frase anterior. ([QUESTAOS Fh se ] LQUESTAO 3 Aves a Gogo asinale aquola om que oadjelve subinnado exeice a fungto sitdica do predic 6 suet. (inhas 4-2) (a) “Algumes vezes, reagie 4 eacassa deicadeze de alguns belconstes “Com os seus 33 anos, estava em plena forma fst.” (inhas 7-8) (C) ‘Piadiante, a balconista empunhava-a como um toféu-.(inhas 29-27) {O) “Contempiou o inde embculho de motivagies natalinast....(inhas 99-40) (auEsTAos ‘Resinale-« alternativa em que NAO ha utiizagic da linguagem fgureda: (A) “(.) Continuara procura, mesmo pisoteando o.cansago.. (inh 8) IBY “(..) mexeusthe os bracintios ¢ as perrinhas o indagou” (inhas 17-18). (©). “(.) depois de sorrr um submisso constrengimento’ (nha 24). (0) “(..) depois de suar expectativas naquela manhé de dezembro’ (linha 99) \ [QuEsTKos No echo: "Nenhurhal Cansou do lanfo andar. Porguntara multe, Quvita respostas de todo tipo. ‘Aigumas vezes, ceagira a ‘ascasea delicadeza.. linhas 12) ‘6 tempo verbal em destaque fol ulizado pelo autor para incioar uma acdo YO anterior & outra 4 no passado. (@) no passado que jd fi concluica. (@) na passado que néo foi conclutda. (0) que comega no passado 0 20 astende até o presente. [lauESTAOS Cee e a Toparcla do verbo om deslaqua Om”. OMDIOUse da descontragio a que Tazia jus." (Inhas 98-29), / outra reosoritura CORRETA seria (A) lembrou-se a descontragao a que fazia jus. i] (6) fembrou-se & descontracao a que faziajus. y (©) lembrou da descontragao a que fazia jus. {B) lembrou a desconitragdo @ que fazia Jus. COLEGIO PEDRO I TAY, Concurso Publico para Provimento de Cargos Técnico-Administrativos em Educaga0 ff Editaln® 28/2017 — ASSISTENTE DE ALUNOS Saree se aaa nas 22737" Prosura melhor, na prateleira do bao, 1 em sina mesmo, pero da pia (inhas 22-23) ppodese concluir quo a demora dla atendente em encontrar 0 produto AL roforga a marginalizapio no contexto social 1) indica que ele ¢ caro e assim estar bem guarcado.% (C) demonstra preconceito em encontrar a boneca negra. (©) atesta o proconceito em ter de vender a boneca negra [QUESTAOS =— = Na frase: “Continua’a precura, mesma ploleando o cansago, era uma misao. sublinhads, sem alteragio de sentido, por (A) quase- (©) porém 36) embora. (0) sempre. [euESTAGs aS a O trecho: “Qiha Gos oracinna’ esa aqur 06 oos avis! E novidade. Chegou ontem @ a vend 4 ‘chupeta, faz pipi... E essa outra aqui? Né&o é uma graca?” (inhas 15-17) aparece destacado em itlico, incicando a0 leitor que jase tudo. Chora, tem no none pardgrato, eeu. Guerin TEXTO It MENINA ESCOLHE BONECA NEGRA E REBATE VENDEDORA QUE EMPURRAVA BRINQUEDO “MAIS PARECIDO COM ELA” 4 Uma menina de 2 anos emocionou jntemautas ao contestar uma vendedora que tentava convencé: laa comprar uma boneca branca, no lugar da bonéca negra escolhida pela crianga. Sophia Benner visitou a Ioja de brinquedos acompanhada dos pats, Brandi e Nick Bermner, quando abandonou as fraldas. Ela pode ia escolher uma boneca de presente e optou por um brinquedo de cor cferente da sua, 5 “Tem carteza que 6 essa que voc’ quer, querida? Ela nd se parece com voo8, Temos muitas outras ‘que’ se parecem mais com vocb’, disse a vendedora, para 0 espanto do casal que ja pagava o brinquedo no calya. ‘A furtcionéria da loja na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, ainda perguntou & pequena #e ela iria &alguma festa de anivarsério naquele dia, quorendo saber se o brinquedo era um presente para outta crianga, 19 Sophia, no entanto, confirmou que a boneca era dela corn a resposta mais fofa @ consciente. A reagao da garota fol postada pela mae no Facebook e jé tinha mais de 180 mil comparithamentos at6 a manha desta terca-foira "Sim, ela Se parece comigo. Ela ¢ uma médica, como eu sou uma médica. Eu sou uma menina bonita, @ sla 4 uma menina bonita, Vocs ve © cabelo bonito dela? E 0 estotoscépio dela", respondeu Sophia, 45 _admirada com 0 novo brinquedo. No Facebook, a mae Brandi se mostrou orgulhosa da atitude da fiha. Se vendedora elogiou depois a menina “Essa experiencia 86 confimmou a mintia erenga de que no nascemos com a dela de que a corda ele importa, A pele vem em diferentes cores, como 0 cabelo e.05 olhos, @ cada tom term a sua belova’ 20. concluiu a mae na publicagao. ' sguindo ola, a propria xia, 08/04/2017. Disponivel em: hte: fetra globe comlcllas/ralmenina-escohe-boneca-negta-ebate. ‘endedora-que-empuurrava:brinquedo-mals.-parecido-com-0la:21 156161 tial (QuEsTAO 70 : 5 Durante a leitura da noticia, fea claro para os leitores quo os pais de Sophia nao eram proconeslluosos, = + Assinale a alternativa em que aparece um trecho que evidencia isso. (A) “Sophia Benner visilou loa de brnauedos acompanhada dos pati.) (inhas 2-8) (8) “Ela poderia escolher uma boneca de presente |... (inhas 3- 4) EL_‘Tal para espanto do case, que js pagava obrinquedo no eas, (nhs 6-7) (0). “Sophia confirmou que a boneca era deta (.1".(jinha 10) 4 COLEGIO PEDRO I! ay ‘Concurso Pblico para Provimento de Cargos Técnico-Administratives em Educagao| Kulp PE Atalo® 282017 — ASsisTENTE DE ALUNOS (TQUESTAO 1 = ‘pa da leltura do texto I, pode-se inferir que ofa) redator(a) danoticia (A) nfo ouviu todos os envolvides ainda que pretenda ser objetivo. (@) privilegiou o ponto de vista infantt porque pretende ser neutto. x (RX. conou ma postagem do Facebook pois pretende ser objetivo. (0) defendeu 0 preconcelto mesmo pretendendo ser neutro™ (QUESTAO 12 ] Observe a passaigeny do losto Ik "Sim: ela se parece comigo Ela 6 uma médica, como eu sou uma médica, Eu-sou uma merina bonita, © ela é uma menina bonita. Voo® v8 o cabelo bonito dela? Eo estetoscépio dela? (lias 19-14) Nese trocho, observam-se palavras repetidas. les econtece por sero falante uma crianga que (A) tenta construir um texto sem covsio textual. () sé binca com as palavras, isto 6, epoto-a. (©) nfo conhece a estrutura sintdtica de sua lingua RD usaa ropotiao como estratéyia de convencinente. (QUESTA en ee J Releia: “ A reacdo da aaroia foi postada pela mae no Facebook”. (linhas 10-11) \Verifica-se nesse trecho a utilizagao da voz passiva, uma estratégia muito comum na midia impressa. O efeito de sentido tis © pecker do test aloangu a ela por esa stra oe eee {@) moataro qano (a Inpotate ue abe Wess eto a postage, ER cobra om evidbncts a athado da mignina 8 do a postagern da mée. cae a es ([BuESTKo ra = ‘Sobie a Cats icaGBo do predlcado da raps No FacoGGoK, a se Bend we most ov Orgone ANNs da Wha (TA 16), trata do prodieado (A) verbal, cujonicien 6 mostou 2B nominal, jo nucleo orguthosa (©) verbo-nominal,cujos nics sf "mostrou"e “attudo” i {0} verbo-nomins, cujos nicieos 820 mostou’ “orgulhosa”. [QUESTAO TS: Iiesinals a eliornativa 6m que a voz verbal a masma do seguinte recho do texto Todos se apavorarant (inha27). (A) ‘tecebsou novas instearbes.” (text I nha 25) ‘nas, desculdand-se nos degraus( texto |, (© ‘se ela la a alguna fosta’tex Il, finhas 8-9) (0) ‘come se a pequena conduzisse" (texto, linha 8-9) 5. ina 27) (lQuEsTAOTe 1 ‘Grdono da leja do texto re a vendedora do texto Item atiludes semelhantes. ‘A allemativa que informa adequadamente sobre essa semolhanga & (A) ambos elogiaram 0s novos compradiores. (B) ambos desistiram de vender boneoas loiras. {ambos tentam se destulpar pela posturainicial (0) ambos demonstram pressa por concluir a venda. ‘QUESTAO 17 | na relapao aos textos Fell, correto alirmar que eles se (A) diferenciam quanto ao género textual e quanto a ternatica, 2%) assemetham quanto ao género textual e quanto & tematica. (C) assemetham quanto co género textual, mas se diferenciam pela temética, diferenciam quanto a0 gBnero textual, mas se assemelham quanto & tematica, NS CoLEaio PEDRO 4 Gopcung Publeo para Provmento de Garoo nic: JY Stara 2eaot © aSSISTENTE DE ALUNOS iministrativos em Eduearao serve os dois pariodos.a seguir: *Chegou ontom a|é verdeu quase tudo". (Texto | linha 16) “Ela poderia escolher uma bon vea do prosonte @ opt0u por brinquedo de cor diferente da sus". (Texto il inhas ‘A eonjuingo "0" que aparece nos dole trechos aprosenta, e=pectvamente, eantide de (A) adigéo 0 adversicado, A) advorsidade o ad ©) adigto e concn (0) conclusse 0 adic. TEXTOM TABANDONAR | “nxt sEPetCEBER [= are cen copaz PREGONCEITOS, | NAREALIOADEDO | pe senvin.o al ‘AERIR A MENTE. 6 ovrRO, sev . 7 Sie ia Disponivel em: htips-/Aizasarmandinho tun o59:5 3 1827, 4 2 pee 2 200! = aT [QUESTA 29 ‘Uma pesquisa realizada com um grupo de consumidores acerca do uso de quatro produtos A,B, C & ‘Dy apresentou 0 resultado tepresentade no giatico a seauir D Wb= 507 A C407 50/1) Sabe-e que o niimero de consumidores que escolheram © produto O « ‘escolheram 0 produte © ‘© percantual de consumicores que escotheram 0 produto G é de joresponde « do quanttatve daqueles ave TR 00% 10) 20% ©) 15%. (0) 10%. [[QUESTAO 30. (p sequércla infinta de figuras a seguir (ol elaborada segundo um deteminado ‘padi de formagaor Fig li Fig.2 “ Fig 3 & Fig.4 16 Fig, 5 a5 eee oes oe oe ee . eee eee oe eee s eee ces eee ere ‘@namero total de pontos da figura 26 sera igual a (A) 25, (B) 125. (©) 228. §Q. 25. ee mimy COLEGIO PeoRO IL 2 IN, onsite Pibico pra Provinaio do Caras Ténio-Adninisvatios om Edicargo Editaln? 26/2017 - ASSISTENTE DE ALUNOS INFORMATICA _} indows 7 est disponivel uma feramenta ou programa vilizada para loalzer, vaualzar, Gerenelar stas & arqulvas, incusive fazer pias ou mover. dispostives, pa: Esta forramenta ou programa chama-so (A) Ferramenta do Sistema (8) Bara de Ferramentas (Q)_ Windows Explorer (©) Intemet Explorer. (QUESTAOs2 : = i 'No Microsc Fowor Point 2016, para aplcar a aparbncia de wma saloqlo eapaciea Gm auve conte da apresontagh, sde modo pritico, esto uma foramonta denominada (A) Layout. (8) Redefini (C) Smaart, YW) Pincel de Formatacao. (lQuESTAO ss ‘A partir dos [eones de recursos disponivels no Microsoht Windows 7, indique a allomaliva Gujo fem pode ser exclu afetar o programa, pasta oi arquivo que representa. eee ) rc) < a a) cite ©) ia oe las @ seguir: [GUEST ae a puna We ON GATES SORTIOUST Sw B Co 0 1 [ 7 49 80 60 2| 53 as 65 3| 20 55 99 4| 5 az 33 ‘A formula =MAXIMO(AT:C4), escrita em uma outta célula qualquer da planiia, apresentara como resultado (A) 60, BR 80. (@) 99. at COLEGIO PEDRO II YY, Concurso Pubico para Provimante de Gargos Téonco-Adminsratvos em Eaveatio Dy estirrasanr "saat be nes si} lve de olhares indiseretos e também para tose deseja seguranga [QUESTAO25 ‘G Windows possulferramentas que auniiam a garantrque os dados estojam as ‘economizar energia, Suponha que um usuére learé distante de seu computador durante tnta minut para os dados @ economia de energia. Para isso, a ferramenta a ser utiizada 6 (A). teinkiar. 8} dloquear. 1) suspender. (0) fazer logot (QUESTAO 36 Gonsidere as marcas a seguir 1. Basic 11 Apple I. Microsoft WW. Linux Bill Gates esta relactonado & ciagdo das maroas (8) let 36) Lol, (© Met © Wer. ] ((QUESTAO 97 = anes = See te ic clUnaS adequadamarte levando em consideragio as caracteristicas dos recursos dsponiveis no Microsoft Windows 7: A leone cer B, Area de Notificagso ce) Eo linkpara abr um programa, pasla Ou arquivo. Mostra qua anelas esto abertas, peritindo altemar onto eas. ©, leone de Atalho (0) Dé acesso a menus que acionam programas instalados 1D. Botdo Iniciar (A) Earepresentagko orden de um arquivo, pasta ou programa, E Bamade Tarefas (B) Mostra reléglo, feones temporéries como 0 da impressora, nolifeagbes do Windows ete. ‘A soquéncia correia é @) AE8,C,D © D.B.E,CA (©) EB.C.D.A PLCEDAB ] apoTialmente Wiel por esiarem associadas a agdes exccvladas com requéncia pelo usuatio oto Iniciar © para alternar entre os programas (QUESTAO 38 ‘Algumas teclas de atalno sao e de um computador, Este 6 0 caso das teclas de atalho para acesso 20 abertes, ‘Assinale a elternativa que indica, respectivamente, essas teclas de ata. ‘Acesso ao oto INICIAR ‘Alternar entre programas abertos &% CTAL+ESC ou fw ALT+TAB ou igs TAB @ CTAL+ TAB ou ALT+TAB ou jaige + TAB ©) ALT+TAB ov ager TAS ec] ALT} TAB ob Bh (0) aE STAB ou CTRL +ESC COLEGIO PEDRO II see SAY, Soreures tc para Pownce onigo Técnico eminiravs om Econ Edital n° 28/2017 ~ ASSISTENTE DE ALUNOS Set : ‘QUESTAO 9 = STAT do MierosoR Word Ports Spa pt an DOU os (Tove Goa PRGNK A 2o1e: J PAawamicat | eo fimeNewes[io JA x | Aa ES Copiar peas Cotar NET eee (ACOA + ¥Pincel deFormatagto | i ia —Aesdetansternca a) rente f af pte . ie ay a'@ 08 ParOntases, olacionand cada elemento numarade com alguma(s) de sua(s) roapectva(s uncionalidado(6) (2) Aumentaro rocuo (aistancia da margom, (3) Aplicar ofeito subserito ao texto soiecionsdo, (GC) Miidar’a cor atras do toxto selecionado ou paragrato (4) Griar uma lista com matcadores (4) Aplica® eteites visuais 20 texto selecionado, (5). _Allerar o eepacamonto entre as inhas do texte ou pardgealo A sequéncia correta 6 () 1-2-4-5-6-3, (©) 2-3-6-4-1-5. 1) 2-3-6-1-4-5 (©) 5-1-4-3-6-2, (QUESTA a0 ‘Anaiiee 38 alirmiagGes referentes aos valores contidos em Gélulas de uma plana consiniida no Mierosol Excal BOTS: Ir © resultado da formula (42/2) * P3) + 18 6 igual a 20, se 08 valores nas céluias M2,N2 6 P3 forem, Tespectivamente, 10,563. 52 Il ata calelar a médla arimética dos valores contos nas céulas do interval A10 até A30, devemos wilizar a ‘formula ou fungdo: =MEDIA(AT0-A30) 5. Ii Bare feluar a soma dos valeres contidos om uma falxa de células continua, potlomos usar 0 botdolcomando Totalizacdo Automética, representaco por EstA(éo) correta(s) Ne £ 2326415291 (C) Netix (0) Hott. LEGISLAGAO QUESTAO 41 Si Nos teres da Consttigao Federal do 1988 a adinisvagé publica ota gavin de qUaRUaY BS Poderas da Unido, dos Estados, do Distrito Federale dos Municipios obedecera aos principios do s (A) Eficiéncia, lquaidade, publicidade, probidiade administrativae impessoatidade. (Gy Probidade Administrativa, moraidade, legaidaco, publicidad o iqualdade, 3) Legalidade, impessoalidade, moraliade, publicdade 0 ofiiéncia, (©) Moralidade, pubcdade o efcincia, igualdade e pessoaidade.¢ i pas: PEDRO I ‘ ncurso Publico para Provimente de Car Senico-Administrativos em Educag&o ED amet aretanne capri nmncontnen (auEstAoa 4 Com base ne ioxto expresso da Conant Fodoval de 1988, a Tavosllra en cargo Gu oiprov@ pUBICO Sapende do -aprovacao prévia em concurso piblico de provas ou de provas « titulos, de acordo com a —__(1)_ —— ea (2). do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeagoes para cargo em comissfio decarado om fei dre nomeagao e exonaragso, is lacinas (1) (2) Assinale a akernatva que proonche corrtarn 28F (1) natureza ~ (2) compiondado, (©) (1) complexidado — @ rospensabitdade (C) (1) natureza — (2) eficidncia. (0) (1) respensabilidade ~ (2) ciificuldade. (auEstaows == | {Lei n® 8.4 12/1900 dlapGo cobre o reginejurldico des servidores piblicos cWvie da Unie, das autarqulas e das fundagSes pblicas feiorais,e estabelece que a invesidura em cargo pico ocovreré com a 28) posse. (@) vactne. (©) promos (0) nomeacso, ([OuESTAO aa aE i De acorde com o Cédiga de Etica Profissional do Servidor Pablico Civil do Poder Executive Federal (Decreto n° 1.171/1994), "0 servidor pitolico no poderd jamais desprezar 0 elemento éteo de sua conduta, Assn, nfo tord que deckr somente ene 0 legal e 0 llega, 0 justo ¢ 0 injust,o conventonte eo inconveniente, 0 opartuno e 0 ingpartuno, mas prine/palmente ‘entre 0 honesto 6 0 desonesto: [Neste sentigo, a pena aplicvel ao servider pic pela Comissso de thisa 6 a (a) muta {B) censura. (CG) suspensio. (0) advorténcia [ouESTAG a =: = Nos termos. da Lel n® 6 112/180) 6 Felorno @ allvdade de server aposertado por Invalidez, ou no Interesee da Administrago, observados alguns requisites, 6 definido como YA) reversio. (@) estabilidade. (C) reintegracao. (0) readaptagao. ] [QUESTAO 46 lua a Fede Faderal do Educag&o Profissionat, Centifica 6 Tecnolégica, a Conforme disp6e a Lei n? 11.692/2008, que i administragdo dos Institutos Federals terd como drgios superiores (A) @ Ouvidoria e a Corregedoria. (6) ©Conselho Superior © a Reitoria, (C) 0 Colégio de Dirigentes ¢ a Reitoria. 9B} 0 Colégio de Dirigentes © 0 Consetho Superior. ‘QUESTAO 47 ae ] A Lein® 9.394/1996 eslabelece as diretiizes @ bases da educayeio nacional, © disp6e quo o ensino sera ministrado com ‘observancia a varios principios, EXCETO (A) iquatdacie de condigdes para 0 acesso e permanéncia na escola. (53. gratuidade do ensino nas instituigdes publicas ¢ privadas. (C) pluralismo de ideias @ de concepcoes pedagdgioas. (0) respeito a liberdace e apreco a tolerancia.. coLesioPeDRON ee « My, Sores tes pra Povnnia ceCargn heco-Aammntatn Eaital 2672017“ ASSISTENTE OE ALUNOS area dos CarG08 5 a0 Ministério 42 * TORT2008; que Gps sobre a SetuTUTagSO eonceto do cargo nos temas dao if Fee eiaveaee on os ce Fadeais de Encino vinculadas ativos om Educagio, no Ambito das Inst ‘Educacto, & datinito como. eos eee (A) positio do servdor na Matrix Hierérquica dos Padiése de Veneimento, em decree profesional para o exercicio das atvidades. Se cxracinte ona co (@) posipo do servidor na escaia do vencimento da caroira em Fungo do ni elacsficagto. 1G) connto de atibuigbes e responsabildéades provi sender. (©) conjunte de prineipos, drettzes © norm ye 880 cometides a uri sna. eetrutura organizacional ([QuEsTaG 45. Be acordo com o isposto ein" 8. 1412/1900, 6 INCORRETO (A) promorae. (B) falecimento, (©) exoneragia $2) redistibicso Consttuleto Federal da 1085, 6 WNCORRETO alimnar que (A) 98 provonios de aposentadorla « as pensées no podorkc exceder a remunoragio do sewidor, no cargo ofetivo 67m guie Se deu a apocontadorin ou do relerdncia para a concossho da pons (8) 08 Podores Executivo, Logisiativo Jusicidrio publicartio anuaimente os valores do subeido © da rem dos cargos © empregos publicos. (©) 6 ascogurado o reaju cortérios estabelecidos om ll {PD so estaveis apds dois anos de efetivo exercicio os sorvidores nomeados par ‘ato Ministerial, «80 mento dos bencticios para preservar-thes n cardtor permanente, 6 Valor ‘ea, contorme cargo em comisse fom vitucio 4 CONHECIMENTOS ESPECIFICOS (QUESTAO ST oe = } De scordo com Papal Olds e Feld 2010), "..) © parade da lerGeka MfUnGa, Gos @ aos 11 anes Ghamalo Tem tacolates™ Nessa fase, o desenvolvimento iio © cognlivo parnite que a cionca aprovelteoencine oacoler. Para Payer por volta dos gota anos, as criangas atngom o ostégio das operagGes concretas (PAPALIA, DizneE OLDS, Sally We hos; FELDMAN, Ruth Duskin, Desenvolvimento humane. 19° Sigso, Porto Alegre, AMGH, 2010.) Na idaide referida por Piaget, pode-se dizer quo as criangas (A) ainda nde estéo preparadas para so ervolverem om operagses lagicas, (8) dosenvotvem sua personalidede na passagem do controle extorno para o autocontroo (C) aprendem sobre si mesmas ¢ sobre o mundo mediante suas atividades cencoriais, © motoras 32) pensam foicamente por srem menos egostntieas@fsiadas astungdes ta Is no aqui-o-agora, 13 sq COLEGIO PEDRO Il 3 ° pe "rovimento de Cargos Técnico-Acministratives em Educagao (GUESTAO sz = mil De modo goral, 0s pesquisadares da psicologia do desenvalvimento concordam que a parsonalidade na iafancia @, mals tard, durante a vida, pode éer descita como um conjunto de variagdes através de cinco dimensbes priméclas: extfoversao, sosiablidado, intelecto, escrupulosidad; @ ins/ostablidade emocional, (Bee & Boy, 2011) (GEE, Holen 4 BOY, Denise, erlanga em desenvoivimento. 12" 60. Porto Algt®, ARTMED, 2081) Um dos cinco ragos da personalidade, a dimensdo primdvia extroversdio possul camo aspecto basico © grau com que uma pessoa (A) contiola a forea do cou impulso IRF Se envatve ativamente no mundo (C) experimenta 6 mundo como angustiante ou ameagador (©) catacteriza suas intoragdoe interpossoaie per corciaidado 6 compaix, QUESTAO 5: De maneira geral, “a Gullura escolar continua fo giea da homogensizacag.s da unlfomizacso das estratégias pedagégicas* (Candau, 2011). Isso significa que, embora ocorra a presenga cada vez maior de estudantes orfundos ele grupos socioculturals os mais diversos no cotidiano oeeslar, a perspectiva intercultural na educagde ainda tom um fongo caminho para se consoliar nas praticas cotidianas das escotas, (CANDAU, Vera Maria Ferre, Dilerongas cultural, covaiane escolar o préticas pedagégic vente marcada pela Gurreulo sem Fronteras, v.11, n2, pp-240-256, Juho/Dozembeo 2011) Para incrementar a perspectva intercultural de cua acio ddético-pedagégica, a escola deve 8} combater toda forma de preconceito e discriminacdio no contexto escolar. (B) reconhecer ¢ valorizar os principios norteadores de sua ago educativa, (©) favorecer a construe de identidades culturais, de acordo com as dirotriz0s gerais da escola, / (©) aplicar com eficdcia ¢ combatividade as normas disciplinares, reforcando 6 comportamento ético dos estudantes. [QUESTAO Sa 1 "A escola contomportnea, em razio da dwersidade e da pluraldade de alunos, 6 paleo conslante de conites nterpassoals Embora sejam na meloria des vezes, de pequena gravidade, esses contitos desagregam ¢ perurbam o ambiente escolar. (NUNES, 2014, p88) (NUNES, Antonio Carlos de Oséro, Disleos « medlapso de confites na escola guia pits para oducadores. Consul Nacional do Ministerio Pobico,Bralie, 2014) Para a escola atuar como mediadora eficaz na solugdo dos contltos interpessoais, deve (A) combater os atos infracionais ¢ toda forma de indisciptina na escola, (6) lidar com as transgressdes de maneira efetiva, acionando os dispositives disciplinares. {@) distanciar-se das praticas punitivas © aproximar-se das préticas consensvais e restaurativas, (0) convocar os pais © notificd-los sobre as sangées aplicadas para.o comportamento dos estucantes. [QUESTAO 55 = | Na escola ocorrem confiios de relacionamento porque nela "convivem passoas de variadas Wdades, onigens, sev0s, etnias, ‘e condig6es socieecondmicas e culturais’. Em razAo disso, todos devem eslar preparados pera conviver com as diterengas @ tensdes proprias do ambiente escolar, “que muitas vezes podem gerar dissenso, desarmonia e alé desordem" (Nunes, 2014, pg. 18), (NUNES, Antonio Catlos de Osétio. Didlogos © mediagso ee conftos na escola: gua price para educadores, Consetho Nacional da Ministéio PUblics, Brasita, 2014) Conn o objetivo de lidar com esses contltos e melhorar os relacionamentos da escola, uma das ferramentas que tem sido utlizadas por educadores so as chamadas préticas restaurativas, que podem Ser compreendidas como (A), dlagndsticos dos principais problemas de relacionamento interpessoais. 48}. técnicas de gerenciamento de contlitos por meio de processes dialégicos. (©) lorramentas didético-pedagdgicas para Instrugéo de padrées discipinares. (0) ‘estratégias de gestio do trabalho escolar para reprimir comportamentos violentos. 14 COLEGIO PEDRO savas om Eaucae50 DY Concurso Paibtico para Provimento de Cargos Técnico-Adminis! Kaus Ectalne eszot7 ~ ASSISTENTE DE ALUNOS ae Fae asia conn 6 Tenia par © tenon! de sects OB ANAS ZA capacidade de media conftos 6 fundamental para o profisioney da osesla: O= mater esaniondimente 9 de vilbncia fazer bastante dfeenga e ajudary a ini futuro Jos das etoagees equ 1s turmas do 8° ‘estudantes de duas ™ Considerande que durante 0 ecrelo de uma escola tenha havido uma biga one alguns ostiea 2.6 ztiva do mediagao de contito ‘ano do Ensino Fundamental, 03 procedimentos recomendaveis, uma perspectva de meciag =e {©) entender os tov Ga brig, rou o8 extant (©) emenderos motos ca tiga, eptcar advontncia« combnicaro cast ao Coneao Tela: (©) identncaros perscpanes aba, apieareupensio os responsaveis ofientagso ¢ adverténcia © con Gomuricar fata aoe responsdves [auestaos7 — == = = Sous profiesionars pode © buillyng 0 0 eyborbuliving estio presentes no colidiano de multas escolas. A nepigencia dos cous profissionas Po ontribuir para a intensificacdo dessas praticas, tomando © ambiente escolar cada vez mais host para os estudantes. Sobre: esa problematica, 6 corto alirmar quo (A) 68 aiferentes tipos de preconcelto © de discriminagtio que ocorrem na escola devem ser traiados sempre como buliying. (B) © Brasil ainda no poseui uma legisiagso que imponha as escola a obrig eyberbullying, 0 que limita a aco da escola (R08 termos bullying e cyberbullying se relorem ds formas eistemaiicas de inimidaglo, que dover ser enfrentadas ola escola por meio de estratégias vaviacas. jacle de combator 0 bullying ® © (©) © cyberbullying pode ocorrer em redes sociale ou om aplicativos de mensagens Instantineas de aparelhos Celulares, sendo, por isso, invidvel para a escola tratar deca questo, [QUESTAO SS = a Gracismo, a viewencia contra desrespaitos aos diretos humanos 6 poem om xeque 08 ptinafplos de igualdade e de respeite as difereneas, preconizados no artigo 5° da Constituicao Federal (1988). A ‘escola, cofo parte integrante da sociedade, também 6 palco desse conjunto de tenses e, porisso, precisa estar preparada ‘para o sou enfrentamento, wuiher 6 a homofobia configuram grav Embora @ igualdade entie os cidadfos ¢ 0 respeiio as dilerencas estejam assoguradas pela Consitugao Federal, fo necessétia a elaboracia do Leis, Resolucses ¢ Decretos: para que os disitos das chamadas minorias fossem reforcacios © garentidos, pois (A) 08 direitos preconizados pela Constiuigdo Federal néo tinham abrangéncia em todos os entes federativos {8) os dispositves consttcionais néo tém validade se nfo forem regulamentados por Leis, Resolugses e Decrotos ‘especttcos. (#) 08 cas0s de dearospeito oraram a nocossdade do tratariquamente os igus e desigualmente os desiguat foxata medida das desigualdactes. (©) csmovimentossociai=histvcoe das minosas contntam um dscurco segroyactor, 4U0 fo < 9 forgoU os legsiadon criarem leis especificas para garantir 0 principio republicano de convivéncia pacifica.. " ee STAO 5 Diferentes tipos de acidentes podem ocorter na escola, Iso porque, da rmancira geval, "a Giang : ia abresenta interesse em explorar sitiagbes novas, para as quals nem sempre estd preparada, o que facia a oconncia do : S ero a de acidentos” (FRANGOSO (FRANCOSO, Lucinar Apareciia & MALVESTIO, Marisa Amaro, Manual de prevengiio de acide ‘Secretaria da Saide, Coordenagao de Desenvolvimento de Programas e Poliicas de Sa lentes primeios socoros nas escolas ido, CODEPPS, S80 Paulo, Sus, 2007) Tendo em vista que © éstudante é um ser imaturo,inquieto, curioso e com muita ene , norgia, ui . sorem aclonadas para a faa etéria de 10 a 19 anos 6 aS) uma das medidas preventivas a (A) mantero estudante sob superieéo continua (@) iniciar educapio ambiental e educagao para 0 trinsio. (C) ter cuidado cons objetos quentes ¢ fos léticas, cobras tomadas, 1%) fameceronntagdas para ovlar eomportamentos de reco (agressbos, vio) 13 COLEGIO PEDRO IL UM c Shan CO) Sominesetemens gee Bie (QUESTAO 60 * ] meersaies Kdentificagio do estado da respiragio de um acidentado de qualquer tipo de afeceao 6 conduta oreene de Primos scores, Mates dooneas, prebloma chicos cians de mito mone’ propor aterm a;sialmente ou completamente 0 processo respiratorio. Fatores divarsos como secrogSes, vomito, corpo estranho, edema @ até mesmo a prépria lingua podem ocasionar a obstrugio das vias agreas. A obstrugio produz asfvia que, se prolongada, resuita em parada cardiorespiratéria’ (Manual do Primelres Sesevros.p. 26, Rio de Janero: Fundapao Oswaldo Crur, 2008.) Sobre os ciferentes tipos de respiraglio 6 INGORRETO atirmar que a © taaupnein a, aclragto dos movinonasrespatns / HF eupneia 6 a difculdade na execucio dos movimentos respiratsvios (G) bradipneia 6 a ciminuigdo na frequéncia média dos movimentos respirat6rios, (0) apnela 6 a ausSncia dos movimentos respirat6rios, equivale a parada respiratoria.7 QUESTAO G1 1 Reonwlséo, ou er racleriza-so pola ocoriGncla da uma sévie de conivagbos rapidas © involuntéias dos masculos, ocasionando movimentos desordenados, geralmente acompanhada de perda da consciéncia. Decorre de alteragdes elétricas no cérebro 6 pode tor vias causas, entre elas epilepsia (principal causa), infocgdes, tumares cerebra, ‘abuse de drogas ou dicool, traumas na cabeca, febre om criangas pequenas etc Em relacio aos primeitos socortes durante a crise de convulso, o procedimento NAK DAL colocarlquatquel objeto ou tecido entre as dentes ou dentro da boca da vitima, (©) manter a cabega lateralizada para evitar o engasque com a saliva. (C) proteger a caboga contra pancadas no cho. (0) afrouxar as roupas e retrar 08 6culos.c OMENDAVEL 6 (euEsTAoes a = (Cada vez mais tem ocorrido a uilizacdo de subst 6 0180 abusive de alcool pelos estudantes lancias psicoativas nas escolas publicas, © uma das faces desse problema, Como agai potenciaimente preventiva do uso de tals substincias, no sentido da reduc de danos, a escola deve (A)acionar 0 Consetho Tutelar e comunicar as familias: (B)desenvolver 0 cumprir um programa de medidas disciplinares. (C) ancaminhar os casos ikentiicados a. uma unidade de satde publica, {§Q) sapacitar profssionais, adotando agtes compreensivas @inclusivas na lida com os estudanies. QUESTA 63. De acordo com 0 artigo 16, da Let eistema federal de ensino (A) 05 6rgdos federals de educacdo. (@) as instituigdes de ensino mantidas pela Unio. 2) 0s colégios de aplicagéio das universidades piblicas brasileira. (0) as institulgdes de educaeso superior criadas © mantidas pela ii iva privada, [lQUESTAO 64_ S. real Lol do Direlrizes 6 Bases da Educagao, LOB n° 9994/1996, estabelece 0 dever do Estado brasileiro. com a Educagao. 0 Att 12.da LDB determina que os estabolecimentos de ensino terdo a incumbéncia de 58) velar pelo plano de trabalho de cada docente. (6) terceirizar a administraedo do possoal e de recursos materials. x (C) claborat e executar 0 fuxo vdrio na entrada e na saida dos esvdantes. ¢ {0) arieutar-se com os estabelecimentos corerciais da comunidade,ciando processos de colaboragao das com a escola. x1 dade 16 meng UsO PEDRO BY, Sones ra para Prwnano de cron Tbk Ra) ccaieaoesir asomiaarue ates jucagao nistrativos em Edt (QuEsTAo ss = ‘A logisiagso educaciona braatoira a wabadades coms 6d regime colaborativo, rolagdio & organizagao De acorco com © atige 8°, da Lol de Dirtizas 0 Bases da Educazde Nacional (LeiN* 8.594700), {da Eduicagdo nacional 6 incumbyéncia da Unido (9) autorizar, reconhecer, crecenciar, supervisionar @ avaiay, rexpoctvar ledmentos do eeu sictoma de ensino hes ¢ pré-escolas, 6, com priodade, 0 ensin doa icamente 10 ensino io, 08 cursos das instiuiz6es de edtscagio superior © 05 estab 4®) olerecer a educaeao infant om e (©) aseogurar.6 ensino fundamental ooforecer, com prioridade, 0 ensino | (0) assegurar proceseo nacional de avakagle do rencimento escolar expect n colaboracso com os sistemas de ensino, objetvando a defines de proxidades © « melhor 36 fundamental. a da qualidade do (SuEsTA —— AUSli 6 OOIS00,comreaeR Soro Buiie satianes odessa Not drotos assoourades polo Ant 4 do ECA, enone (A) a progressiva oxeneic da obiatoedads 0 graidade ao erin nda Ne) siren noe eri crectn e frocece toc arta cea creo eros (G) s Siri co oot veeneito, ndeginad ba evaroes comstosare ibaa {81 6 atencinienio aducelenal eopenalzado aon poladores da dotclbncla, preteen Imante ma rede regular de [ues Se 1 (OE statuo da Criangare do Adolescente dope acerca de vabalho qe POs it CouorwOWiGo ped BTSHEETIG ONPIOTR, ‘aprendiz, em regime familar de trabalho. aluno de excola técnica, ascistdo em enliade govemameniat ou io ‘governamental, ‘A pattir do dieposto no artigo 67 do ECA, foram felias as soguintes afimagSes acerca dos tipos de trabalho proibidos para adolescentes: |. perigoso, insalubre ou penose. Il. noturno, realizado entre as vinte ¢ duas horas de um cia ¢ as cinco horas. do la seguinte,(~ Ill, remunorada, abalxo de um valor equivalonto a { salério minimo.>< IV. realizado em locals prejudiciae & sua formagio © ao seu desenvclvimento lisico, psiquice, moral’e social.“ Esto corretas (A) Item. B |, tle lv. (© Lier ©) hive, (QUESTAOSs a [A tel 19,146/2076, 6 Estatuto da Poseoa Gam Dalicienca, assogura © Giraio da pessoa com dehel todos 08 nivel © aprendizado 20 longo de toda a vida, Em seu Ant 28, cao poder pobieo encaregado de asseguar, er, cesenvohr, implementa ineenvay, acompanna 0 avaiiar a (A) oferta de profissionais da Psiquiairia para acompanhamento psicolégico do processo de incluso. (©) fomacdo. disponibilzagio de profisionais em novas tocnologias, para alendimento espociatizado (2 paricipag dos estudanes o do cua familias nas dvereaeinlancia do atuago da comunidade excok (©) oferta de ecucanso bling, na modaldade esc em poruguts,e inglés como segunda lingua, ag bilingues, 2m escolas, encia & educagao em v i det atc Para Provimento de Gargas Téenico-Administrativos em Educagao se COLEGIO PEDRO II YY, Concurso Papiico Editaln® 28/2017 ~ ASSISTENTE DE ALUNOS [auestAo 69 i = = ml Um dos documentos noiteadores da pratiee edveacional visando a alendor ostidanies com nseeseidades copeciae, ppubicad om 2003, fl intivlado “Saberes e prices da incluso na educacéo Infanti” (in BRUNO, 2000) (@RUNO, Maria Moraes Garcia, Saberes@ prtas ds Inusto: educapto inant Ministre da Exveaglo, Sevielaria de Ecicaeto special Orastia, 2006) {Um dos prineipios e fundamentos para construgio de uma escola inclusiva 6 a (A) construgo da pessoa humana a sor buscada om todos of seus aspectosinteloctuis (8) obvigatoriodade do criar setores independenies da escola para manulengée dos equinamentos pedagégicos especial J) construciio de lagos de soltdariedade, titudes cooperativas © abalhos coletivos objetivando maior aprencizagor para todos, (0) assuncde integral da responsabilidad da Inck classe regular. jlo do estuciante com necessidades especiais pelo professor da (OUSThO 7) Sareea as = {J uma perspecliva de escola indusiva, © ambiente escolar deve repreaenlar, com @ maior fdeldads posslvel, @ iversidade dos individuos que compcem a sociedade. Sao a3 dierengas. que possblltam enriquecer as experiéncias curticulaces @ que afudam a methor assimilar 0 conhecimento que se materializa nas disciplines do curriculo. Somente uma escola em que a sociedade, compre plural © heteroge 0a, esipja equitativamente representada, com alunos com deficiénelas ou no, 6 que © curricuio escolar pode cumprir sua fungao: construir a cidadania e proparar 06 alunos para, ‘yivetem em harmonia fora da escola, dotados de habilidades o compaténcias que a experidncia do escola 0 oconhecimento niola construido as ajudou a desenvolver (SARTORETTO, Mara Lica. Os undementos da educapio inc a. Dsponive! em TCIA30 oesiva po) ‘Sobre a temética da educagio inclusiva e de acordo com a legisiacdo para as pessoas com deficiéncia, analise as afirmativas a seguir: 1. A tecnologia ascletiva corresponds a um conjunto do produtos, recursos, motodolocias, ostratégias, priticas ¢ ‘servigos que do mais aulonomia, indopondéncia © qualidade de vida a pessoas com deficiéncia, incepacidades ‘ou mobilidade reduzida. 7 II, Aacessiblidade corresponde a possibildade © conci¢do de alcance para utlizagao, com seguranga e autonoria, de espacos diversos por pessoa com deficincia ou corn mobilidade reduzida. Iii, A avaliagso da doficléncla, quando necesséria, sera biopsicol6gica, realizada por equipe interdisciptinar, ~< IV. As barreiras de caréter atitudinals correspondem as atitudes ou aos comportamentos que. impegam ou prejudiquem a particioagdo socal da pessoa com deficiéncia em igualdade de condigGes e oportunidades com as demais pessoas. Esto coretas (A) |, He tl 4a) el. (0) lew. (D) tl, Wey.