Você está na página 1de 1

CONTITUCIONALIZAO DO DIREITO DE FAMLIA

Adotando uma nova ordem de valores e privilegiando a dignidade da pessoa


humana a carta maior de 1988 realizou verdadeira revoluo no direito de famlia. A doutrina
afirma que essa inovao se deu sob trs eixos bsicos. Nesse sentido, em primeiro lugar, o art.
226 da CF afirma que a entidade familiar plural e no mais singular, tendo vrias formas de
constituio. O segundo vetor diz respeito alterao do sistema de filiao, de sorte a proibir
designaes discriminatrias decorrentes do fato de ter a concepo ocorrido dentro ou fora do
casamento. A terceira grande revoluo consagra o princpio da igualdade entre homens e
mulheres.

Alm disso, importante destacar que nova carta abriu ainda outros horizontes aos
instituto jurdico da famlia, dedicando especial ateno ao planejamento familiar e assistncia
direta famlia.

O Direito Civil costumava ser considerado o eixo normativo, parecendo alheio, ao


longo dos anos, s mudanas ocorridas em vrios mbitos da sociedade. Acontece que essa
viso esttica vem sendo desmistificada, retirando-se sua ideia de ser estranho s vicissitudes
sociais.

notrio que o conceito de famlia vem sofrendo diversas mudanas e, apesar de


sua evoluo, no raras vezes possvel se deparar com situaes inusitadas e ainda carentes de
uma soluo.

Diante da Constituio Federal de 1988 deu-se incio a um processo de


constitucionalizao do Direito Civil, que veio como consequncia dessa tendncia de acabar
com a precisa diferenciao entre direito pblico e direito privado que prevaleceu estanque
durante muito tempo, trazendo um novo paradigma, um novo arcabouo para o conceito de
famlia e consolidando a elaborao dos direitos da personalidade no mbito do Direito de
Famlia. Isso tudo, com base primordial na dignidade da pessoa humana.

Referncias

LENZA, Pedro. Direito constitucional esquematizado. 18 ed. So Paulo:


Saraiva, 2014.

GONALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 13 ed. So Paulo:


Saraiva, 2016.