Você está na página 1de 103

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS GERAIS INSTITUTO DE MATEMÁTICA

DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA

NÚMEROS ÍNDICES

Ana Maria Lima de Farias Luiz da Costa Laurencel

Agosto de 2008

ii

.

Conteúdo

1

Números índices

1

1.1 Introdução

1

1.2 Relativos

1

1.3 Critérios de avaliação da fórmula de um índice

 

3

1.4 Elos de relativo e relativos em cadeia

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

5

1.5 Índices agregativos simples

 

6

1.5.1 Índice agregativo simples (Bradstreet)

 

6

1.5.2 Índice da média aritmética simples (índice de Sauerbeck)

 

7

1.5.3 Índice da média harmônica simples

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

7

1.5.4 Índice da média geométrica simples

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

8

1.5.5 Propriedades dos índices agregativos simples

 

10

1.6 Índices agregativos ponderados

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

12

1.6.1 Índice de Laspeyres ou índice da época base

 

13

1.6.2 Índice de Paasche ou índice da época atual

14

1.6.3 Índice de Fisher

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

16

1.6.4 Índice de Marshall-Edgeworth

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

16

1.6.5 Índice de Divisia

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

16

1.6.6 Propriedades dos índices agregativos ponderados

 

20

1.7 Relações entre índices

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

24

1.7.1 Laspeyres e Paasche

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

24

1.7.2 Fisher, Laspeyres e Paasche

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

26

1.7.3 Marshall-Edgeworth, Laspeyres e Paasche

 

27

1.8 Mudança de base

28

1.9 Deacionamento e poder aquisitivo

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

30

1.9.1 Deator

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

31

1.9.2 Poder aquisitivo .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

36

1.10 Análise dos dados da PME

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

37

1.11 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor - INPC

 

47

1.11.1 Índice de Custo de Vida e Índice de Preços ao Consumidor

 

48

1.11.2 Conceitos básicos

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

49

1.11.3 Metodologia de Cálculo do INPC

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

49

1.11.4 Fórmulas de Cálculo dos IPCs metropolitanos

 

50

1.11.5 Cálculo do INPC

 

53

1.12 Exercícios propostos do capítulo .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

53

 

iii

CONTEÚDO

iv

2

Solução dos exercícios propostos

65

Bibliograa

99

Capítulo 1 Números índices

1.1 Introdução

De uma forma simplicada, podemos dizer que o índice ou número índice é um quociente que expressa a variação relativa entre os valores de qualquer medida. Mais especicamente, vamos lidar com índices que medem variações vericadas em uma dada variável ao longo do tempo. Quando lidamos com grandezas simples (um único item ou variável), o índice é chamado índice simples; por outro lado, quando pretendemos fazer comparações de um conjunto de produtos ou serviços, estamos lidando com o que é chamado índice sintético ou composto. É neste segundo caso que temos a parte mais complexa do problema, uma vez que desejamos “uma expressão quantitativa para um conjunto de mensurações individuais, para as quais não existe uma medida física comum” 1 . Nestas notas de aula, nossa ênfase está nos índices econômicos, que envolvem variações de preços, quantidades e valores ao longo do tempo.

1.2 Relativos

Os relativos (ou índices simples) fazem comparação entre duas épocas - época atual e época base - para um único produto.

1. Relativo de preço

Denotando por p 0 e p t os preços na época base e na época atual (de interesse), dene-se o relativo de preço - p 0,t - como:

(1.1)

p 0,t = p t

0

p

2. Relativo de quantidade

Analogamente, denotando por q 0 e q t as quantidades na época base e na época atual (de interesse), dene-se o relativo de qauntidade - q 0,t - como:

q 0,t = q t

0

q

(1.2)

1 Ragnar Frisch (1936). The problem of index numbers, Econometrica.

1

CAPÍTULO 1. NÚMEROS ÍNDICES

2

3. Relativo de valor

Vale lembrar que

Valor = Preço × Quantidade

(1.3)

1. Denotando por v 0 e v t os valores na época base e na época atual (de interesse), dene-se o relativo de valor - v 0,t - como:

(1.4)

v 0,t = v t

0

v

Atente para a notação: p 0,t faz a comparação entre o preço no mês t com relação ao preço no mês 0; denições análogas para q 0,t e v 0,t . Então, o primeiro subscrito indica o período base e o segundo subscrito, o período “atual”. Essas notações podem variar em diferentes livros; assim, é importante prestar atenção nas denições apresentadas. Das denições acima, podemos ver que:

v 0,t = v t

v 0

= p t q t

= p t

p 0 q 0 p 0

× q 0 = p 0,t × q 0,t

t

q

(1.5)

O relativo de preço nos diz quanto o preço de hoje é maior ou menor que o preço da época base. A partir dele podemos obter a taxa de variação, que mede a variação relativa. A variação relativa é denida como

p% = p t p 0 = p 0 1

p

0

t

p

(1.6)

e normalmente é apresentada em forma percentual, ou seja, multiplica-se o valor por 100. No numerador da taxa de variação temos a variação absoluta de preços: p t p 0 . Denições análogas valem para quantidade e valor.

Exemplo 1.1

Na tabela a seguir temos o preço e a quantidade de arroz consumida por uma família no último trimestre de 2001:

 

Outubro

Novembro

Dezembro

Preço Quant.

Preço Quant.

Preço Quant.

Arroz (kg)

2

5

2

8

3

8

Valor

2 × 5 = 10

2 × 8 = 16

3 × 8 = 24

Tomando Outubro como base, temos os seguintes relativos:

p O,N = 2

2

p O,D = 3

2

=

=

1, 0

1, 5

q

O,N

=

8

5

= 1, 6

q O,D = 8 = 1, 6

5

Não houve variação de preços entre Novembro e Outubro, isto é, o preço de Novembro é igual ao preço de Outubro, mas o preço de Dezembro é uma vez e meia o preço de Outubro, o que

CAPÍTULO 1. NÚMEROS ÍNDICES

3

corresponde a um aumento de 50% - essa é a taxa de variação dos preços no período em questão, obtida de acordo com a equação (1.6):

50% = (1, 5 1) × 100%

Com relação à quantidade, tanto em novembro como em dezembro, houve um aumento de 60% com relação a outubro. Os relativos são, em geral, apresentados multiplicados por 100. Assim, as séries de relativos de preço e quantidade com base Outubro = 100 são:

Relativos - Out=100

Out

Nov

Dez

Preço

100

100

150

Quantidade

100

160

160

Com relação ao valor, temos que

v O,N =

10 16 × 100

=

160

= 1, 0 × 1, 6 × 100

=

p O,N × q O,N × 100

v O,D = 24

10

× 100 = 240 = 1, 5 × 1, 6 × 100 = p O,D × q O,D × 100

Se mudarmos a base para Dezembro, teremos:

p D,O = p O

D

p

p D,N = p N

p

D

q D,O = q O

D

q

q D,N = q N

D

q

2

=

3

2

=

3

5

=

8

= 8

8

= 0, 6667 p% = (0, 6667 1) × 100 = 33, 33%

= 0, 6667 p% = (0, 6667 1) × 100% = 33, 33%

= 0, 625 q % = (0, 625 1) × 100% = 37, 5%

= 1 q % = (1 1) × 100% = 0%

1.3 Critérios de avaliação da fórmula de um índice

Os relativos satsifazem uma série de propriedades, que são propriedades desejadas e buscadas quando da construção de fórmulas alternativas de números índices. Vamos representar por I 0,t um índice qualquer: pode ser um relativo de preço ou um índice de preços qualquer, por exemplo (nas seções seguintes veremos a denição de outros índices). As propriedades ideais básicas são:

1. Identidade

(1.7)

I t,t = 1

Se a data-base coincidir com a data atual, o índice é sempre 1 (ou 100, no caso de se trabalhar com base 100).

2. Reversão (ou inversão) no tempo

I 0,t =

1

I t,0 I 0,t × I t, 0 = 1

(1.8)

Invertendo-se os períodos de comparação, os índices são obtidos um como o inverso do outro.

CAPÍTULO 1. NÚMEROS ÍNDICES

4

3. Circular

I 0,1 × I 1,2 × I 2, 3 ×···× I t1,t = I 0,t I 0,1 × I 1,2 × I 2, 3 ×···× I t1,t × I t, 0 = 1

(1.9)

Se o intervalo de análise é decomposto em vários subintervalos, o índice pode ser obtido como o produto dos índices nos subintervalos. A propriedade circular é importante no seguinte sentido: se um índice a satisfaz e se conhecemos os índices nas épocas intermediárias, o índice de todo o período pode ser calculado sem que haja necessidade de recorrer aos valores que deram origem aos cálculos individuais. Note que, como decorrência desta propriedade, podemos escrever:

I 0,t = I 0,t1 × I t1,t

Se o índice satiszer também o princípio de reversibilidade, então (1.9) é equivalente a

(1.10)

I 0, 1 × I 1,2 × I 2,3 ×···× I t1,t × I t,0 = 1

4. Decomposição das causas (ou reversão dos fatores)

Denotando por I V ,I P e I Q os índices de valor, preço e quantidade respectivamente, o critério da decomposição das causas requer que

5. Homogeneidade

I V = I P × I Q

Mudanças de unidade não alteram o valor do índice.

6. Proporcionalidade

(1.11)

Se todas as variáveis envolvidas no índice tiverem a mesma variação, então o índice resultante terá a mesma variação.

Todas essas propriedades são satisfeitas pelos relativos. De fato:

identidade

reversibilidade

circular

decomposição das causas

p 0,t = p t

0

p

p t,t = p t

t

p

p t,0 = p 0

t

p

= 1

= 1

p t

p 0

= p t

p

t1

× p t1

t2

p

×···× p 2 × p 1

p

1

p

0

p 0,t × q 0,t = p t

0

p

× q t

q

0

=

p t q t p 0 q 0

= v t

v

0

CAPÍTULO 1. NÚMEROS ÍNDICES

5

Mudanças de unidade envolvem multiplicação por uma constante (quilo para tonelada, reais

para milhões de reais, etc). Tais operações não alteram o valor do relativo, uma vez que numerador

e denominador são multiplicados pelo mesmo valor.

Exemplo 1.2 (continuação)

p O,N =

2

2

p N,D = 3

2

q O,N = 8

5

q N,D = 8

8

=

=

=

=

1, 0

1, 5

1, 6

1, 0

p O,D = 1, 0 × 1, 5=1, 5

= p D

p O

q O,D = 1, 6

× 1, 0=1, 6 = q D

q O

=

=

3

2

8

5

1.4 Elos de relativo e relativos em cadeia

Na apresentação da propriedade circular, aparecem índices envolvendo épocas adjacentes. No caso de relativos, tais relativos são, às vezes, denominados elos relativos, ou seja, os elos relativos estabelecem comparações binárias entre épocas adjacentes

p

t

p

t1

q

t

q

t1

v

t

v

t1

Esta mesma propriedade envolve a multiplicação desses índices; para os relativos, tal operação

é denominada relativos em cadeia e como a propriedade circular é satisfeita pelos relativos, tal multiplicação resulta no relativo do período.

Exemplo 1.3

elos relativos :

relativos em cadeia :

p 1,2 ;

p 2,3 ;

p 3,4 ;

;

p t1,t

p 1,2 × p 2,3 × p 3, 4 ×···× p t1,t = p 1,t

Na tabela a seguir temos dados de preço para 5 anos e calculam-se os elos de relativos e os relativos em cadeia, ano a ano.

Ano

Preço

Elos relativos p t /p t1

Relativos em cadeia

1995

200

   

1996

250

250/200 = 1, 25

1, 25 = p 95, 96

1997

300

300

/ 250

= 1, 20

1, 2 × 1, 25

= 1, 5 = p 95, 97

1998

390

390

/ 300

= 1, 30

1, 2 × 1, 25 × 1, 3=1, 95 = p 95,98

1999

468

468

/ 390 = 1, 20

1, 2 × 1, 25 × 1, 3 × 1, 2=2, 34 = 9 95,99

CAPÍTULO 1. NÚMEROS ÍNDICES

6

o que está em concordância com:

Ano

 

Relativo de preço Base: 1995 = 100

1995

100

1996

100

× 250 / 200 = 125 25%

1997

100

× 300 / 200 = 150 50%

1998

100

× 390 / 200 = 195 95%

1999

100

× 468 / 200 = 234 134%

1.5 Índices agregativos simples

Consideremos agora a situação em que temos mais de um produto e estamos interessados em estudar variações de preços ou quantidade para todos os produtos conjuntamente. Vamos utilizar a seguinte notação:

p t ,q ,v - preço, quantidade e valor do produto i no mês t;

i

p

i

t

i

i

t

i

0,t ,q 0,t ,v

0,t i - relativos de preço, quantidade e valor do produto i no mês t com base em t = 0.

Note que o sobrescrito i indica o produto; vamos assumir que temos n produtos.

1.5.1 Índice agregativo simples (Bradstreet)

Uma primeira tentativa para resolver o problema de agregação de produtos diferentes foi o índice agregativo simples, que é a razão entre o preço, quantidade ou valor total na época atual e o preço, quantidade ou valor total na época base. Mais precisamente,

PA 0,t = p p 0

t

1

1

+

2

p + ··· + p

t

n

t

2

+ p 0

+ ··· + p n

0

 

1

+

2

q + ··· + q

t

n

QA 0,t = q

t

t

1

2

+ q + ··· + q

0

n

 

q

0

0

 

1

2

n

VA 0,t = v

t

+

v + ··· + v

t

t

 

1

2

+ v + ··· + v

0

n

 

v

0

0

=

=

=

n

P

i=1

i

p t

n

P

i=1

n

P

i=1

p i

0

q

i

t

n

P

i=1

n

P

i=1

q

i

0

v

i

t

n

P

i=1

v

i

0

n

P

i

p t

i=1

n

= =

n

=

=

P

p

i

0

i=1

n

n

P

i=1

q

i

t

n

n

P

i=1

q

i

0

=

n

n

P

i=1

v

i

t

n

n

P

i=1

v

i

0

=

n

p t

P i =1 q i 0 = n n P i =1 v i t n

p 0

q

t

i 0 = n n P i =1 v i t n n P i =1

q 0

v t

i =1 v i t n n P i =1 v i 0 = n p

v 0

Então, o índice de Bradstreet é um relativo das médias aritméticas simples.

CAPÍTULO 1. NÚMEROS ÍNDICES

7

O índice de Bradstreet tem sérias limitações, a principal sendo o fato de se estar somando preços ou quantidades expressas em diferentes unidades. Note que apenas o índice de valor não apresenta esse problema, uma vez que todos os valores estão expressos na mesma unidade monetária. Em função disso, esse é o índice usado para comparar valores em diferentes épocas, ou seja, o índice de valor é denido como

V 0,t =

n

P

i=1

p

i

t

q

i

t

n

P

i=1

p

i

0

q

i

0

(1.12)

Uma solução para resolver essa limitação do índice agregativo foi a proposta de se trabalhar com os relativos de preço e quantidade, que são números puros, adimensionais.

1.5.2 Índice da média aritmética simples (índice de Sauerbeck)

Sauerbeck propôs que se trabalhasse com a média aritmética dos relativos, dando origem aos seguintes índices:

p 0,t - índice de preço baseado na média aritmética simples dos relativos

p 0,t =

p

1

0,t + p

2

0,t + ··· + p n

0,t

n

=

n

P

i=1

p

i

0,t

n

q 0,t - índice de quantidade baseado na média aritmética simples dos relativos

q 0,t =

q

1

0,t + q

2

0,t + ··· + q n

0,t

n

=

n

P

q

i=1

i

0,t

n

(1.13)

(1.14)

1.5.3 Índice da média harmônica simples

A mesma idéia se aplica, trabalhando com a média harmônica dos relativos.

H

p 0,t - índice de preço baseado na média harmônica simples dos relativos

H

p 0,t =

 

n

 

1

1

1

1

+

2

+

··· +

n

p

0,t

p

0,t

p

0,t

=

n

P 1

n

i=1

p

i

0,t

=

n

P p i

n

0

i

i=1 t

p

=

n

n

P

p

i=1

i

t,0

H

q 0,t - índice de quantidade baseado na média harmônica simples dos relativos

q

H

0,t =

 

n

 

1

1

+

1

2

+

··· + 1

n

q

0,t

q

0,t

q

0,t

=

n

n

P

i=1

1

q

i

0,t

=

n

n

P

q

q

i

0

i

i=1 t

=

n

n

P

q

i=1

i

t, 0

(1.15)

(1.16)

CAPÍTULO 1. NÚMEROS ÍNDICES

8

1.5.4 Índice da média geométrica simples

Aqui considera-se a média geométrica dos relativos.

G

p 0,t - índice de preço baseado na média geométrica simples dos relativos

G

p 0,t =

s

n

p

1

t

p

1

0

2

n

× p ×···× p =

t

p

2

0

t

p

n

0

s

n

n

Q

i=1

p 0,t i

G

q 0,t - índice de quantidade baseado na média geométrica simples dos relativos

 

s

n

 

1

2

n

s

n

n

q

G

0,t =

q

t

1

×

q

t

2

×···× q

t

n

=

Q

i

q 0,t

 

q

0

q

0

q

0

i=1

Produto

 

1999

 

2000

   

2001

P

 

Q

 

P

Q

P

Q

Carne (kg)

8,50

 

10

8,50

12

9,00

15

Feijão (kg)

1,20

 

5

1,80

6

1,80

7

Pão (unid.)

0,10 200

0,12 220

0,14 240

Exemplo 1.4

Considere os dados da tabela a seguir:

(1.17)

(1.18)

Vamos calcular os índices de preço, quantidade e valor, com base em 1999, baseados nas três médias vistas. Os valores gastos com cada produto estão calculados na tabela abaixo.

   

Valor

1999

2000

2001

Carne

8, 5 × 10 = 85 1, 2 × 5=6 0, 1 × 200 = 20

8, 5 × 12 = 102, 0 1, 8 × 6 = 10, 8 0, 12 × 220 = 26, 4

9 × 15 = 135 1, 8 × 7 = 12, 0, 14 × 240 = 33,

6

6

Feijão

Pão

Total

85 + 6 + 20 = 111

102 + 10, 8 + 26, 4 = 139, 2

135 + 12, 6 + 33, 6 = 181, 2

Como os relativos satisfazem a propriedade da identidade, no ano base todos são iguais a 1 ou 100, se estivermos trabalhando com base 100. Para os oustros anos, os relativos com base 1999=1 são:

Relativos -1999 = 1

Produto

2000

2001

P

QPQ

Arroz (kg)

8, 5/8, 5=1, 0 1, 8/1, 2=1, 5 0, 12/0, 10 = 1, 2

12/10 = 1, 2 6/5=1, 2 220/200 = 1, 1

9/8, 5=1, 0588 1, 8/1, 2=1, 5

15/10 = 1, 5 7/5=1, 4

Feijão (kg)

Pão (unid,)

0, 14/0, 10 = 1, 4 240/200 = 1, 2

CAPÍTULO 1. NÚMEROS ÍNDICES

9

e os índices, com base 1999=100, baseados nas três médias são:

p 99,00 = 1, 0+1, 5+1, 2

3

× 100 = 123, 33

p 99,01 = 1, 0588 + 1, 5+1, 4

3

× 100 = 131, 96

p

p

q 99, 00 = 1, 2+1, 2+1, 1

3

q 99, 01 = 1, 5+1, 4+1, 2

3

× 100 = 116, 67

× 100 = 136, 67

p

p

H 3

99,00 =

1 1,0 +

1,5 + 1,2

1

1

× 100 = 120, 00

H 3

99,01 =

1,0588 + 1,5 + 1, 4

1

1

1

× 100 = 129, 01

q

q

H 3

99,00 =

H

99,01 =

1 1, 2 +

1,2 + 1, 1

1

1

3

1 1, 5 +

1,4 + 1, 2

1

1

× 100 = 116, 47

× 100 = 135, 48

G

99,00 =

G

99,01 =

p 3 1, 0 × 1, 5 × 1, 2 × 100 = 121, 64

p 3 1, 0588 × 1, 5 × 1, 4 × 100 = 130, 52

q

q

G

99,00 =

G

99,01 =

p 1, 2 × 1, 2 × 1, 1 × 100 = 116, 57

3

p 3 1, 5 × 1, 4 × 1, 2 × 100 = 136, 08

Já o índice agregativo de Bradstreet é:

PA 99, 00 = 8, 5+1, 8+0,12

8, 5+1, 2+0, 10

PA 99, 01 = 9, 0+1, 8+0, 14

8, 5+1, 2+0, 10

× 100 = 106, 33

× 100 = 111, 63

QA 99, 00 = 12 + 6 + 220

10 + 5 + 200

QA 99, 01 = 15 + 7 + 240

10 + 5 + 200

× 100 = 110, 698

× 100 = 121, 86

CAPÍTULO 1. NÚMEROS ÍNDICES

10

e o índice de valor é

V 99,00 = 139, 2

111

V 99,01 = 181, 2

111

×

×

100 = 125, 41

100 = 163, 24

Resumindo:

   

Preço

 

Quantidade

 

Valor

1999

2000

2001

1999

2000

2001

1999

2000

2001

Média aritmética Média geométrica Média harmônica Agregativo

100

123, 33 131, 96

 

100

116, 67

136, 67

 

100

121, 64 130, 52

100

116, 57

136, 08

100

120, 00 129, 01

100

116, 47

135, 48

100

106, 33 111, 63

100

110, 7

121,86

100

125, 41 163, 24

 

pp

G p

H

Como visto na parte inicial do curso,

1.5.5 Propriedades dos índices agregativos simples

1. A propriedade de identidade é obviamente satisfeita por todos os índices agregativos simples.

2. Vamos mostrar com os dados do exemplo anterior que os índices das médias simples e har- mônica não satisfazem a propriedade de reversibilidade. Vamos calcular esses índices com base em 2000.

p 00,99 =

8,5

8,5 + 1,2

1,8 + 0,12

0, 1

3

× 100 = 83, 33 6=

1

1 , 2 1 , 8 + 0 , 12 0 , 1 3 × 100

p 99,00

=

1

1, 2333 × 100 = 81, 08

Note que

Logo,

H

p 00,99 =

3

1

H
H

p 99,00

100

× 100 = 81, 081 6=

8,5

8,5 + 1,8

1,2

1

100 × 100 = 81 , 081 6 = 8 , 5 8 , 5 +

p

0,t

+ 0,12

0,1