Você está na página 1de 1

(Fichamento-resumo)

DUNLOP, Charles. Os meios de transporte do Rio Antigo. Rio de Janeiro: Companhia


Brasileira de Artes Grficas, 1972, p.11 16.

Parte 1 O cavalo de montaria e o carro de bois andas, redes e palanquins As serpentinas e


cadeirinhas.

No comeo (perodo colonial sc. XVI), qualquer necessidade de sair da cidade contava com
o uso de animais bestas, jumentos, cavalos ou carros de bois. Com o passar do tempo,
surgiram as andas, as redes, o palanquim, o bangue, a liteira, as serpentinas e as cadeirinhas. As
andas, redes e palanquins surgiram para as distncias menores, o bangue e a liteira consistiam
numa caixa oblonga que transportava ricos proprietrios de fazenda e senhores de engenho,
denotando distino ao seu possuidor. As oscilaes e o calor causavam mal estar ao passageiro
e em poca de chuva no conseguiam proteg-lo. As serpentinas e cadeirinhas eram conduzidas
por dois escravos.

Dificilmente uma famlia com recursos no utilizasse a cadeirinha para missas e outras
cerimnias. Eram conduzidas por pretos de cadeirinha (carregadores) muito habilidosos sempre
vestidos a capricho. Tais veculos ficavam suspensos a fim de evitar desastres e sua
popularidade chega ao auge com a chegada da Famlia Real, em 1808.

Aps as cadeirinhas, surgiram os coches, as carruagens da Realeza e da fidalguia, a sege e a


traquitana, todos de trao animal.