Você está na página 1de 236
M a n u a l d o P r o p r i e

Manual do Proprietário

00000000000 - 1º Edição Agosto/2012

Manual do Proprietário

n u a l d o P r o p r i e t á r
n u a l d o P r o p r i e t á r
Apresentação 1 Data da Aquisição N o de Série Identificação do Proprietário Nome Endereço N
Apresentação 1 Data da Aquisição
Apresentação
1
Data da Aquisição
N o de Série
N o de Série

Identificação do Proprietário

Nome Endereço
Nome
Endereço
o de Série Identificação do Proprietário Nome Endereço N o Complemento Cidade Estado DDD Telefone CEP
N o Complemento Cidade Estado DDD Telefone CEP - - E-mail Identificação do Distribuidor Código
N o
Complemento
Cidade
Estado
DDD
Telefone
CEP
-
-
E-mail
Identificação do Distribuidor
Código
Nome
Cidade
Estado
DDD
Telefone
CEP
-
-

E-mail

do Distribuidor Código Nome Cidade Estado DDD Telefone CEP - - E-mail xxxxxxxxxxxxxxxxx – 08/12
Apresentação 1 Parabéns pela escolha e a aquisição dos caminhões pesados da marca SHACMAN .

Apresentação

1
1

Parabéns pela escolha e a aquisição dos caminhões pesados da marca SHACMAN .

Este manual descreve o uso, operação e a manutenção dos caminhões e veículos da marca SHACMAN (Motor Cummins). O nosso objetivo principal para com você

é fazer com que o seu caminhão obtenha o maior ganho e o melhor benefício,

mas isto em grande parte dependerá da sua familiaridade com o veículo e com a sua manutenção. Cuidadosa e abrangentemente esperamos sinceramente que você possa ler este manual, onde se descrevem os procedimentos operacionais, de modo acessível, antes de operar o veículo.

O que deve ser lembrado e notificado é que a SHACMAN persiste em continuar a melhorar e aperfeiçoar os seus veículos para atender às demandas dos clientes.

A SHACMAN se reserva o direito de, a qualquer momento, alterar, revisar, modificar,

descontinuar ou alterar o projeto do produto e suas características técnicas sem prévio aviso, pelo que solicitamos a sua compreensão.

Assim, as ilustrações e as instruções deste manual eram as vigentes até o momento da publicação.

Este manual faz parte do caminhão, e deve ser mantido e utilizado em conjunto com o mesmo.

Sobre a nossa garantia da qualidade dos produtos, compra de peças de reposição e outras questões, favor entrar em contato com o Centro de Atendimento ao Cliente da SHACMAN .

Este veículo está em conformidade com a legislação vigente de controle da poluição sonora para veículos automotores.

Limite máximo de ruído do escapamento na condição parado para fiscalização de veículos em circulação, conforme norma NBR 9714, a 3/4 de rotação de potência máxima.

Capítulo 2

Conteúdo

Conheça Antes de Dirigir Conteúdo 2 Introdução 3 Painel de Instrumentos 4 Comandos e Equipamentos

Conheça Antes de Dirigir

Conteúdo

2
2

Introdução

3

Painel de Instrumentos

4

Comandos e Equipamentos

5

Bancos e Sistemas de Proteção

6

Ventilação e Aquecimento

7

Condução do Veículo

Condução

8

Dados e Informações Importantes

O Que Fazer Numa Emergência

9

Manutenção e Conservação

10

Dados Técnicos

11

Código de Falhas

12

Operações de Lubrificação e Lubrificantes

13

Tabela de Manutenção

14

Garantia do Produto

15

Plano de Manutenção

16

Índice Remissivo

17

Capítulo 3

Introdução

Manuais que Compõem a Lite- ratura de Bordo Manual do Proprietário e Operador Contém informações

Manuais que Compõem a Lite- ratura de Bordo

Manual do Proprietário e Operador

Contém informações sobre o manu- seio do veículo, conselhos e indicações para se obter uma condução mais eco- nômica e segura. Antes de dirigir o seu Shacman pela primeira vez, é recomen-

dável a leitura cuidadosa deste Manual,

o qual descreve, independentemente do

modelo, todos os equipamentos equipa-

dos para sua familiarização.

Manual Básico de Segurança no Trânsito

Contém normas de circulação, infrações, penalidades e noções de direção defensi- va, bem como noções básicas de primei- ros socorros.

Lista de Distribuidores

Contém endereços e telefones, além de serviços adicionais disponíveis. Mante- nha-a sempre à mão e consulte-a sempre que necessitar.

Manual de Garantia e Manutenção

Contém dados sobre a Garantia do pro- duto além das operações constantes nas revisões normais, assim como os interva- los em que estas deverão ser efetuadas.

Deve-se lembrar que o não cumprimento do programa regular de revisão, lubrifica- ção e manutenção implica na perda da

validade da garantia. É, portanto, de fun- damental importância submeter o veículo às revisões periódicas nas quilometra- gens indicadas na Tabela de Lubrificação

e Manutenção.

Introdução

3
3

Leia-o atentamente e tenha-o sempre à mão por ocasião das revisões.

A correta manutenção do veículo, de acordo com as recomendações do fabri- cante, é fator indispensável à redução de poluição do ar ambiente.

Localização dos Assuntos no Ma- nual

Índice dos capítulos – Existente no início desta publicação, que indica os capítulos abrangidos pelo Manual do Proprietário e Operador, para uma rápida localização dos assuntos;

Índice alfabético - Localizado no final do manual, com assuntos dispostos em or- dem alfabética. Se a palavra não estiver listada no índice, procure outra que este- ja correlacionada com o assunto.

Segurança por Meio da Eletrônica

Em favor da segurança, este veículo está equipado com controles eletrônicos sofis- ticados.

Atenção Ao utilizar equipamentos eletrônicos no veículo, (por ex., telefone celular sem antena externa), podem
Atenção
Ao utilizar equipamentos eletrônicos
no veículo, (por ex., telefone celular
sem antena externa), podem criar-se
campos eletromagnéticos capazes
de causar mau funcionamento dos
componentes eletrônicos do veículo.
Por esse motivo, é importante respei-
tar as indicações dos fabricantes dos
referidos equipamentos.
3 1
3 1

Introdução

Anotações

Capítulo 4

Painel de Instrumentos

Controles e Indicadores Painel de Instrumentos 4 Item Descrição 1 Grade direcional 2 Interruptores de

Controles e Indicadores

Painel de Instrumentos

4
4
Controles e Indicadores Painel de Instrumentos 4 Item Descrição 1 Grade direcional 2 Interruptores de

Item

Descrição

1

Grade direcional

2

Interruptores de acionamento da intensidade da luz do painel, lanterna, farol e pisca-alerta

3

Instrumento combinado

4

Comutador das buzinas

5

Interruptores de acionamento

6

Painel de controle do ar-condicionado

7

Alavanca de acionamento dos indicadores direcionais / lavador / limpador de para-brisas

8

Buzina

9

Rádio

4 1
4 1

Painel de Instrumentos

4 1 Painel de Instrumentos Item Descrição 1 Grade direcional 2 Acendedor de cigarros e tomada

Item

Descrição

1

Grade direcional

2

Acendedor de cigarros e tomada de força 24 volts

3

Grade direcional

4

Conector para sistema de diagnóstico do motor (remover a tampa)

5

Tacógrafo

Painel de Instrumentos 4 Item Descrição 1 Central elétrica (remover a tampa) 2 Grade direcional

Painel de Instrumentos

4
4
Painel de Instrumentos 4 Item Descrição 1 Central elétrica (remover a tampa) 2 Grade direcional 3

Item

Descrição

1

Central elétrica (remover a tampa)

2

Grade direcional

3

Módulo do ABS (remover a tampa)

4 1
4 1

Painel de Instrumentos

Instrumento Combinado

4 1 Painel de Instrumentos Instrumento Combinado Item Descrição 1 Tacômetro 2 Hodômetro, relógio de

Item

Descrição

1

Tacômetro

2

Hodômetro, relógio de horas de trabalho do motor, consumo (L/km) e código de falhas

3

Velocímetro

4

Indicador do nível do reservatório de ARLA 32 (ureia)

5

Indicador da pressão do óleo

6

Indicador de temperatura

7

Botão de seleção

8

Painel das luzes de advertência

9

Indicador do nível de combustível

10

Indicador de pressão do ar do eixo dianteiro

11

Indicador de pressão do ar do eixo traseiro

Painel de Instrumentos 4 Símbolo Descrição Luz de advertência da trava da cabina Alarme -

Painel de Instrumentos

4
4
Painel de Instrumentos 4 Símbolo Descrição Luz de advertência da trava da cabina Alarme - PARE

Símbolo

Descrição

Luz de advertência da trava da cabina

Luz de advertência da trava da cabina

Alarme - PARE

Alarme - PARE

Alarme - FALHA

Alarme - FALHA

Luz de advertência de baixa pressão do ar no sistema pneumático

Luz de advertência de baixa pressão do ar no sistema pneumático

Luz de advertência de retorno da caçamba

Luz de advertência de retorno da caçamba

4 1
4 1

Painel de Instrumentos

Símbolo

Descrição

Luz de advertência de baixa pressão do óleo do motor

Luz de advertência de baixa pressão do óleo do motor

Luz indicadora de carga da bateria

Luz indicadora de carga da bateria

Luz de advertência de alta temperatura do motor

Luz de advertência de alta temperatura do motor

Luz indicadora de direção

Luz indicadora de direção

Luz indicadora do freio de estacionamento acionado

Luz indicadora do freio de estacionamento acionado

Luz indicadora do farol alto

Luz indicadora do farol alto

Luz indicadora de direção do reboque

Luz indicadora de direção do reboque

Luz indicadora de transmissão operando na caixa de baixa velocidade - Reduzida

Luz indicadora de transmissão operando na caixa de baixa velocidade - Reduzida

Luz indicadora do freio ABS

Luz indicadora do freio ABS

Luz indicadora do freio ABS do reboque

Luz indicadora do freio ABS do reboque

Luz indicadora do filtro de ar obstruído

Luz indicadora do filtro de ar obstruído

Luz indicadora da transmissão em marcha reduzida

Luz indicadora da transmissão em marcha reduzida

Painel de Instrumentos 4 Símbolo Descrição Luz de advertência do motor Luz indicadora do ASR

Painel de Instrumentos

4
4

Símbolo

Descrição

Luz de advertência do motor

Luz de advertência do motor

Luz indicadora do ASR

Luz indicadora do ASR

Luz indicadora do pré-aquecimento

Luz indicadora do pré-aquecimento

Luz de advertência da transmissão

Luz de advertência da transmissão

Luz indicadora de falha (ECAS)

Luz indicadora de falha (ECAS)

Luz advertência de falha (ECAS)

Luz advertência de falha (ECAS)

Luz indicadora do desacelerador

Luz indicadora do desacelerador

Luz de advertência de manutenção do motor

Luz de advertência de manutenção do motor

Luz de advertência de falha do motor

Luz de advertência de falha do motor

Luz de advertência de parada obrigatória do motor

Luz de advertência de parada obrigatória do motor

Luz de advertência de nível baixo do líquido de arrefecimento

Luz de advertência de nível baixo do líquido de arrefecimento

Luz indicadora de checagem (OBD)

Luz indicadora de checagem (OBD)

4 1
4 1

Painel de Instrumentos

Símbolo

Descrição

Luz indicadora do freio-motor acionado

Luz indicadora do freio-motor acionado

Luz indicadora do 3 o eixo traseiro suspenso

Luz indicadora do 3 o eixo traseiro suspenso

Luz de advertência do cinto de segurança

Luz de advertência do cinto de segurança

Tacômetro
Tacômetro
Tacômetro O tacômetro indica a velocidade de giro do motor em rotações por minuto, confor- me

O tacômetro indica a velocidade de giro do motor em rotações por minuto, confor- me este é solicitado, possibilitando me- lhor aproveitamento do torque e potência.

Mantenha a rotação do motor na faixa verde, na marcha mais alta que as condi- ções de carga e tráfego permitirem, a fim de obter melhor rendimento e economia de combustível.

Atenção Nunca funcione o motor continua- mente na faixa vermelha. Esta prá- tica poderá causar
Atenção
Nunca funcione o motor continua-
mente na faixa vermelha. Esta prá-
tica poderá causar danos ao motor.

Painel de Instrumentos

Velocímetro

4
4
causar danos ao motor. Painel de Instrumentos Velocímetro 4 O velocímetro indica a velocidade em que

O velocímetro indica a velocidade em que o veículo está trafegando em quilô- metros por hora (km/h).

Painel de InstrumentosIndicador da Pressão do Óleo - Manômetro Em condições normais de funcionamen- to, a pressão

Indicador da Pressão do Óleo - Manômetro

de Instrumentos Indicador da Pressão do Óleo - Manômetro Em condições normais de funcionamen- to, a

Em condições normais de funcionamen- to, a pressão deve estar entre 0,7 bar em marcha lenta e 2,07 bar a 1200 rpm.

O aviso sonoro soará e a luz

O

aviso sonoro soará e a luz

indicada no painel se acenderá indicando anomalia no sistema

 

ou

quando a pressão cair abaixo

de

0,69 bar.

Se em condições normais de funcionamento o alarme de fal- ta de pressão de óleo

Se em condições normais de funcionamento o alarme de fal- ta de pressão de óleo soar, isso,

indica irregularidade na lubrifica- ção do motor por falta de óleo,

de pressão na bomba, etc.

Pare imediatamente o veículo em local seguro e verifique o nível do óleo confor- me descrito no item "Óleo do Motor", ca- pítulo Manutenção e Conservação".

Atenção Se a luz de advertência permanecer acesa mesmo após ter sido comple- tado até
Atenção
Se a luz de advertência permanecer
acesa mesmo após ter sido comple-
tado até o nível, encaminhe o veículo
a um Distribuidor.

Indicador de Temperatura

o veículo a um Distribuidor. Indicador de Temperatura Em condições normais de funcionamen- to do motor

Em condições normais de funcionamen- to do motor o ponteiro do indicador deve posicionar-se dentro da faixa normal.

Se, em condições normais de funciona- mento do motor, o ponteiro invadir a faixa

vermelha do instrumento, isso indica su- peraquecimento do motor.

O aviso sonoro soará e a luz in- dicadora do painel se acenderá indicando superaquecimento do motor.do instrumento, isso indica su- peraquecimento do motor. Pare imediatamente o veículo em local seguro sem

Pare imediatamente o veículo em local seguro sem desligar o motor e verifique o nível do líqui - do de arrefecimento conforme descrito no item motor e verifique o nível do líqui- do de arrefecimento conforme descrito no item “Sistema de Ar- refecimento”, no capítulo “Manu- tenção e Conservação”.

Indicador do Nível de Fluido do Sistema SCR (ARLA 32) Funciona com a chave de

Indicador do Nível de Fluido do Sistema SCR (ARLA 32)

Indicador do Nível de Fluido do Sistema SCR (ARLA 32) Funciona com a chave de contato

Funciona com a chave de contato na po- sição LIGADO.

32) Funciona com a chave de contato na po- sição LIGADO. Quando o ponteiro do indicador

Quando o ponteiro do indicador atingir a faixa vermelha, a luz

indicadora do painel se acenderá

e o reservatório deverá ser

obrigatoriamente reabastecido,

evitando a entrada de ar no sis- tema. Caso o veículo não seja abastecido e o volume total do tanque seja consumido, o veícu-

lo

não atenderá mais os níveis

de

emissões de poluentes exigi-

dos por lei. Nessas condições, ocorrerá perda de torque do mo- tor.

Atenção Em hipótese alguma o reservatório de ARLA 32 deverá ser abastecido com combustível, água,
Atenção
Em hipótese alguma o reservatório de
ARLA 32 deverá ser abastecido com
combustível, água, ou qualquer outro
fluído não especificado neste ma-
nual. Esta prática danificará perma-
nentemente o sistema de pós-trata-
mento acarretando altos custos, não
cobertos na garantia.

Painel de Instrumentos

4
4

Indicador do Nível de Combustível

Painel de Instrumentos 4 Indicador do Nível de Combustível Funciona com a chave de contato na

Funciona com a chave de contato na po- sição LIGADO.

Quando o ponteiro do indicador atingir a faixa vermelha, o reservatório terá apro- ximadamente 46 l (tanque 400 l) de com-

bustível.

Reabasteça-o, evitando a entrada de ar no sistema de alimentação, o que impli- cará na necessidade de sangria do sis- tema.

Painel de InstrumentosManômetro da Pressão do Ar do Eixo Dianteiro e Traseiro Indica constantemente a pressão do

Manômetro da Pressão do Ar do Eixo Dianteiro e Traseiro

Manômetro da Pressão do Ar do Eixo Dianteiro e Traseiro Indica constantemente a pressão do ar

Indica constantemente a pressão do ar existente nos reservatórios.

A pressão de funcionamento é 7,5 bar, e

a pressão de desligamento do compres-

sor é 8,1 bar; se isto não ocorrer, alguma anomalia deve existir no sistema.

Quando a pressão for insuficien- te (inferior 5,5 bar), ao ser ligada a ignição a luz indicadora no pai- - te (inferior 5,5 bar), ao ser ligada a ignição a luz indicadora no pai- nel se acenderá e exigirá que o veículo seja estacionado imedia- tamente para descobrir a razão da perda de pressão.

Capítulo 5

Comandos e Equipamentos

Funcionamento Ignição da Chave de Posicionamento da Chave de Ignição: “0” - Introduzir ou retirar

Funcionamento

Ignição

da

Chave

de

Funcionamento Ignição da Chave de Posicionamento da Chave de Ignição: “0” - Introduzir ou retirar a

Posicionamento da Chave de Ignição:

“0” - Introduzir ou retirar a chave. O motor está desligado.

“R” - Motor desligado. Alimentação de tensão somente para rádio e acessórios.

1. A ignição está ligada (alimentação das baterias).

2. Posição da chave durante a condu- ção do veículo.

3. Posição para a partida do motor.

Atenção Nunca desligue a ignição quando estiver dirigindo.
Atenção
Nunca desligue a ignição quando
estiver dirigindo.

Comandos e Equipamentos

5
5
5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Interruptor das Luzes

5 1 Comandos e Equipamentos Interruptor das Luzes Funcionamento do Interruptor Combinado 1. Ligue a ignição
5 1 Comandos e Equipamentos Interruptor das Luzes Funcionamento do Interruptor Combinado 1. Ligue a ignição

Funcionamento do Interruptor Combinado

1. Ligue a ignição antes de utilizar o in- terruptor combinado.

Movimente a alavanca do inter-

ruptor para a posição “0", e ligue

o interruptor do farol baixo dian- teiro.

Puxe a alavanca do interruptor para a posição “2” através da po- sição “1” até o ponto de pressão, neste instante a luz indicadora do farol alto (posição “10”) se acenderá e o farol alto dianteiro será ligado.

Puxe novamente a alavanca do interruptor para a posição “2” através da posição “1” até o ponto de pressão, neste instan-

te a luz de advertência do farol alto (posição “11”) se apagará e

o farol alto dianteiro será desli- gado (o farol baixo permanecerá aceso).

Puxe a alavanca do interruptor levemente para a posição “1”,

e neste instante a luz indicado-

ra do farol alto (posição “11”) se acenderá.

Comandos e Equipamentos 5 I n d i c a d o r d e

Comandos e Equipamentos

5
5

Indicador de Direção Se um reboque estiver atrelado ao veí- culo trator, então a luz de advertência verde do indicador de direção do reboque (posição “12”) também começará a piscar junto.

As luzes indicadoras de direção são equipadas com a função de reajuste au- tomático.

são equipadas com a função de reajuste au- tomático. Quando o interruptor da luz indicadora de
são equipadas com a função de reajuste au- tomático. Quando o interruptor da luz indicadora de

Quando o interruptor da luz indicadora de direção estiver ligado, a luz de ad- vertência verde do indicador de direção do veículo trator (posição “9”) começará a piscar.

Atenção Se as luzes de advertência “9” ou “12” piscarem somente uma vez, isso indicará
Atenção
Se as luzes de advertência “9” ou
“12” piscarem somente uma vez, isso
indicará indicará que ocorreu uma fa-
lha com a luz indicadora de direção.
Imediatamente verifique e substitua
a(s) lâmpada(s) queimada(s).

Movimente a alavanca do interruptor

para cima até alcançar a posição “1”.

A luz indicadora de direção do lado

direito piscará de modo contínuo.

Movimente a alavanca do interruptor para baixo até alcançar a posição “2”. A luz indicadora de direção do lado esquerdo piscará de modo con- tínuo. A alavanca retornará automa- ticamente para a posição neutra “0”

após o veículo ter executado a curva

e voltar a andar em linha reta.

Movimente a alavanca do interrup- tor para baixo/para cima, e puxe a alavanca até o ponto de pressão e mantenha-a nesta posição, a alavan- ca retornará automaticamente para a

posição neutra “0” após soltar a mão.

A luz indicadora de direção irá piscar

por um pequeno período.

5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Limpador do Para-brisa

5 1 Comandos e Equipamentos Limpador do Para-brisa Gire a manopla da alavanca do interrup- tor

Gire a manopla da alavanca do interrup- tor para a posição indicada, no sentido da seta (1), para utilizar o limpador do para- brisa.

A manopla pode selecionar as posições “0”, “J”, “I”, ou “II” para o funcionamento do limpador de para-brisa.

Quando estiver na posição “0”, o lim- pador do para-brisa estará desligado.

Quando estiver na posição “J”, o limpador do para-brisa funcionará em modo intermitente, e o tempo do ciclo será de aproximadamente 10 segundos.

Quando estiver na posição “I”, o limpador do para-brisa funcionará em baixa velocidade e quando estiver na posição “II”, o limpador do para-brisa funcionará em alta velocidade.

Para desligar o limpador, gire a ma- nopla da alavanca do interruptor até atingir a posição “0” ou desligue a ignição.

até atingir a posição “0” ou desligue a ignição. Utilizando o Lavador do Para-brisa: − Pressione

Utilizando o Lavador do Para-brisa:

Pressione o botão (2) uma vez em di- reção à coluna de direção (tempo de acionamento menor que 0,9 s), para que o lavador e o limpador do para- brisa comecem a funcionar.

Atenção Não acione o lavador do para-brisa por mais que 6 segundos ou quando o
Atenção
Não acione o lavador do para-brisa
por mais que 6 segundos ou quando
o reservatório estiver vazio.
Observação:

Regularmente examine se as palhetas do limpador estão danificadas ou com acú- mulo de poeira. Em condições climáticas onde existe a possibilidade de congela- mento, verifique se as palhetas não estão grudadas no para-brisa antes de dar a partida no veículo.

Abastecimento
Abastecimento
Abastecimento O acesso ao reservatório se dá pela late- ral esquerda traseira da cabina. Mantenha-o abastecido

O acesso ao reservatório se dá pela late- ral esquerda traseira da cabina.

Mantenha-o abastecido com água e sa- bão neutro. Esta ação irá manter o para- brisas limpo facilitando a visão do moto- rista e ocupante do veículo.

Comandos e Equipamentos

5
5
5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Display

5 1 Comandos e Equipamentos Display O Display (2) possui 6 opções, Hodôme- tro Parcial, Relógio,

O Display (2) possui 6 opções, Hodôme- tro Parcial, Relógio, Interface Opcional, Consumo de Combustível, Leitura do Código de Falhas e Horas de Trabalho. A seleção dessas opções é feita através do Botão de Seleção (Y).

Navegação no Display

Para

deve-se:

Ligar a chave de ignição;

Para alternar entre as Opções, pres- sionar o Botão de Seleção durante 2 segundos e soltar;

A próxima opção será exibida no display;

Com a ignição ligada, através do Botão de Seleção pode-se navegar pelas dife- rentes opções do display.

desejada,

selecionar

a

opção

Opção Hodômetro

display. desejada, selecionar a opção Opção Hodômetro Na opção Hodômetro têm-se as linhas, superior e

Na opção Hodômetro têm-se as linhas, superior e inferior:

Linha superior – Hodômetro parcial, indica parcialmente a quilometragem (km);

Linha inferior – Hodômetro total, in- dica a quilometragem (km) total do veículo.

Para zerar o hodômetro parcial deve- se selecionar a opção Hodômetro e pressionar o Botão de seleção durante 3 segundos.

Opção Relógio
Opção Relógio
Opção Relógio Na opção Relógio têm-se as linhas, supe- rior e inferior: • Linha superior –

Na opção Relógio têm-se as linhas, supe- rior e inferior:

Linha superior – Relógio;

Linha inferior – Hodômetro total, in- dica a quilometragem (km) total do veículo.

Ajuste do Relógio

Para o ajuste do Relógio, deve-se:

Colocar a chave de ignição na posi- ção “0”, desligada;

Com o display na Opção Relógio, pressionar o Botão de Seleção du- rante 2 segundos, o dígito respon- sável pela exibição das Horas será selecionado;

Através do Botão de Seleção pode- se incrementar o dígito responsável pela exibição das Horas. Para incre- mentar rapidamente o dígito, deve- se segurar pressionado o Botão de Seleção;

Após o ajuste do dígito das horas deve-se ajustar o dígito responsá- vel pela exibição dos minutos, basta aguardar durante 3 segundos que o dígito de minutos será selecionado;

Comandos e Equipamentos

5
5

Com do Botão de Seleção, pode- se incrementar o dígito responsável pela exibição dos Minutos. Para in- crementar rapidamente o dígito de- ve-se segurar pressionado o Botão de Seleção;

Para conclusão, basta aguardar du- rante 3 segundos que o Horário sele- cionado será exibido no display.

Opção Interface Opcional

cionado será exibido no display. Opção Interface Opcional Na opção Interface Opcional têm-se tam- bém as

Na opção Interface Opcional têm-se tam- bém as linhas, superior e inferior:

Linha superior – É uma linha adicio- nal que pode ser utilizada na instala- ção de equipamentos eletrônicos.

Observação:

Pode ser utilizada para indicar a marcha selecionada pela Transmissão Automáti- ca (Opcional);

Linha inferior – Hodômetro total, in- dica a quilometragem (km) total do veículo;

5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Opção Consumo de Combustível

5 1 Comandos e Equipamentos Opção Consumo de Combustível Na opção Consumo de Combustível têm- se

Na opção Consumo de Combustível têm- se também as linhas, superior e inferior:

Linha superior – Consumo de Com- bustível em 100km;

Linha inferior – Hodômetro total, in- dica a quilometragem (km) total do veículo.

Para zerar o campo Consumo de Com- bustível, deve-se selecionar a opção Consumo de Combustível e pressionar o Botão de Seleção durante 3 segundos.

Opção Código de Falhas

de Seleção durante 3 segundos. Opção Código de Falhas Item Descrição   1 Código de falha

Item

Descrição

 

1 Código de falha

 

2 Total de falha

 

3 Falha selecionada

Na opção Código de Falhas têm-se as li- nhas, superior e inferior:

Linha superior – Indica o Código da Falha ocorrida no sistema de contro- le do motor;

Linha inferior – Indica o número total de falhas e dentre elas, a qual está sendo exibida.

Navegação na Opção Código de Falhas O sistema de controle do motor pode re- gistrar

Navegação na Opção Código de Falhas

O sistema de controle do motor pode re- gistrar diferentes falhas que podem ser visualizadas através do display. A figura anterior demonstra o esquema de indica- ção de falhas no display.

Para selecionar o Código de Falha dese- jado, deve-se:

Estar na Opção Código de Falhas;

Pressionar o Botão de Seleção du- rante 3 segundos para fixar o display na Opção Código de Falhas;

Para alternar entre os Códigos de Falha, pressionar o Botão de Sele- ção durante 2 segundos e soltar;

Após conclusão da consulta, pres- sionar o Botão de Seleção durante 5 segundos para sair.

Observação: Após a leitura dos Códigos de Falha, deve-se consultar a Tabela de Códigos de Falha. ( Pág.12-2).

Comandos e Equipamentos

5
5

Opção Horas de Trabalho do Motor

Comandos e Equipamentos 5 Opção Horas de Trabalho do Motor Na opção Horas de Trabalho do

Na opção Horas de Trabalho do Motor têm-se as linhas, superior e inferior:

Linha superior – Hour, significa Hora;

Linha inferior – Indica a quantida- de total de horas trabalhadas pelo Motor.

5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Interruptor de Ajuste da Inten- sidade de Iluminação do Painel

de Ajuste da Inten- sidade de Iluminação do Painel Está localizado no lado esquerdo do pai-

Está localizado no lado esquerdo do pai- nel no conjunto de interruptores.

Quando o botão é girado, altera a intensi- dade das luzes do painel.

Interruptor das Luzes

a intensi- dade das luzes do painel. Interruptor das Luzes Está localizado no lado esquerdo do

Está localizado no lado esquerdo do pai- nel no conjunto de interruptores.

Liga as luzes do painel, lanternas dian- teiras, luz da placa de licença, lanternas traseiras e luzes delimitadoras laterais e da altura do veículo;

Interruptor das Luzes Intermi- tentes de Advertência (Pisca- alerta)

das Luzes Intermi- tentes de Advertência (Pisca- alerta) Está localizado no lado esquerdo do pai- nel

Está localizado no lado esquerdo do pai- nel no conjunto de interruptores.

Quando acionado, as luzes dos indica- dores de direção funcionam simultânea e intermitentemente.

Atenção Use-o somente em caso de imobili- zação ou situação de emergência. Também funciona com
Atenção
Use-o somente em caso de imobili-
zação ou situação de emergência.
Também funciona com a ignição des-
ligada.
Interruptor do Freio-motor Para fazer uso do freio-motor, acione o interruptor. Uma luz de advertência

Interruptor do Freio-motor

Interruptor do Freio-motor Para fazer uso do freio-motor, acione o interruptor. Uma luz de advertência no

Para fazer uso do freio-motor, acione o interruptor.

Uma luz de advertência no painel dos ins- trumentos se acende indicando freio-mo- tor acionado, estando o motor do veículo com rotação superior a 1.000 rpm.

Quando a rotação do motor for menor que 1.000 rpm, o freio de escapamento deixará de funcionar automaticamente. Quando o pedal da embreagem ou o pe- dal do acelerador for pressionado, o freio de escapamento deixará de funcionar automaticamente. Quando o pedal da embreagem ou o pedal do acelerador for liberado, o freio de escapamento voltará a funcionar automaticamente.

freio-

Desligando-se

motor, o freio de escapamento não deverá funcionar.

o

interruptor

do

Comandos e Equipamentos

5
5

Interruptor de Detecção de Falhas

e Equipamentos 5 Interruptor de Detecção de Falhas Autoteste do Sistema de Contro- le Eletrônico do

Autoteste do Sistema de Contro- le Eletrônico do Motor Antes da Partida:

Posicione o interruptor de teste de falhas na posição “LIGADO”, gire a ignição para a posição “1”, todas as 3 luzes sinaliza- doras de alarme dentro do conjunto de luzes de alerta do painel de instrumentos deverão se acender imediatamente (para que o sistema de controle eletrônico do motor execute o autoteste). Se as 3 luzes sinalizadoras de alarme permanecerem acesas por 2 segundos e em seguida se apagarem (autoteste finalizado), isso in- dicará que o sistema de controle eletrô- nico do motor está normal e não existe nenhuma falha no sistema.

5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Interruptor de Ajuste da Marcha Lenta

e Equipamentos Interruptor de Ajuste da Marcha Lenta Ajuste da Marcha Lenta do Motor: Este motor

Ajuste da Marcha Lenta do Motor:

Este motor é equipado com a função de ajuste da marcha lenta, e a faixa de ajus- te é de 600 rpm a 800 rpm. O método de funcionamento é o seguinte:

Com o motor na condição de marcha lenta, pressione o botão para cima para aumentar a marcha lenta. Pressionando- se o botão uma vez, a rotação da mar- cha lenta do motor será correspondente- mente aumentada em 25 rpm, enquanto pressionando-se o botão para baixo uma vez, a rotação da marcha lenta será cor- respondentemente diminuída em 25 rpm.

Interruptor de Iluminação para Acoplamento do Semirreboque

Interruptor de Iluminação para Acoplamento do Semirreboque Este botão aciona o farol auxiliar posicio- nado na

Este botão aciona o farol auxiliar posicio- nado na parte externa superior da cabina para auxiliar o acoplamento/desacopla- mento do semirreboque.

Interruptor do Bloqueio do Diferencial O uso do bloqueio do diferencial entre as rodas deve

Interruptor do Bloqueio do Diferencial

Interruptor do Bloqueio do Diferencial O uso do bloqueio do diferencial entre as rodas deve se

O uso do bloqueio do diferencial entre as rodas deve se restringir somente a con- dições fora de estrada, em terrenos de pouca aderência, ou quando um dos ei- xos perder a aderência.

Atenção Trafegar com a trava do diferencial bloqueada, em terrenos firmes ou em alta velocidade,
Atenção
Trafegar com a trava do diferencial
bloqueada, em terrenos firmes ou em
alta velocidade, pode causar danos
ao eixo traseiro.

Comandos e Equipamentos

5
5

Interruptor do Bloqueio do Diferencial entre Eixos (6x4)

5 Interruptor do Bloqueio do Diferencial entre Eixos (6x4) O uso do bloqueio do diferencial entre

O uso do bloqueio do diferencial entre eixos deve se restringir somente a con- dições fora de estrada, em terrenos de pouca aderência, ou quando um dos ei- xos perder a aderência.

Atenção Trefegar com o bloqueio do dife- rencial entre eixos, em terrenos fir- mes ou
Atenção
Trefegar com o bloqueio do dife-
rencial entre eixos, em terrenos fir-
mes ou em alta velocidade, pode
causar danos ao eixo traseiro.
5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Interruptor de Detecção de Falhas (ABS)

e Equipamentos Interruptor de Detecção de Falhas (ABS) Autoteste do Sistema (ABS). 5 - 14 xxxxxxxxxxxxxxxxx

Autoteste do Sistema (ABS).

Tampa do Reservatório de Combustível Para abrir: Introduza a chave e gire no sentido anti-horário;

Tampa do Reservatório de Combustível

Tampa do Reservatório de Combustível Para abrir: Introduza a chave e gire no sentido anti-horário; gire

Para abrir: Introduza a chave e gire no sentido anti-horário; gire a tampa até des- travá-la e remova.

Para fechar: Inverta a sequência.

Atenção Abastecer o veículo somente com combustível Diesel S50, que possue baixo teor de enxofre.
Atenção
Abastecer o veículo somente com
combustível Diesel S50, que possue
baixo teor de enxofre.
O abastecimento com outro tipo qual-
quer de combustível Diesel que não
o específicado irá causar danos ao
motor, sistema de alimentação e ao
sistema SCR, anulando a garantia.

Comandos e Equipamentos

5
5
5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

5 1 Comandos e Equipamentos Item Descrição 1 Vareta medidora de nível de óleo do motor

Item

Descrição

1

Vareta medidora de nível de óleo do motor

2

Filtro de pólem

3

Reservatório de óleo da embreagem

Capuz
Capuz
Capuz Para abrir: Procedimento - Abra a porta do lado do motorista e puxe a manopla

Para abrir: Procedimento - Abra a porta do lado do motorista e puxe a manopla embaixo do painel de instrumentos, pró- xima da lateral da porta, para abrir a trava da grade dianteira, como indicado figura. Para fechá-la, segure nos dois lados da grade e force-a para baixo até travar.

Para fechar: Baixe o capuz normalmen- te, e pressione até que os fechos se tra- vem totalmente.

Comandos e Equipamentos

5
5
5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Espelhos Retrovisores

5 1 Comandos e Equipamentos Espelhos Retrovisores O ajuste dos espelhos é obtido movendo- os vertical

O ajuste dos espelhos é obtido movendo- os vertical ou horizontalmente em relação ao suporte. Quando necessário, dobre o braço do espelho, forçando-o para trás ou para frente.

Atenção Para cumprir a regulamentação legal quanto a campo de visão, seu veícu- lo está
Atenção
Para cumprir a regulamentação legal
quanto a campo de visão, seu veícu-
lo está equipado com espelhos de
vidro convexo que aumentam sensi-
velmente o campo de visão, reduzin-
do, entretanto, a imagem refletida.
Dessa forma, os objetos vistos nos
espelhos estão mais próximos do
que aparentam. Tal fato deve ser
considerado ao fazer o uso do es-
pelho, quando em movimento ou ao
manobrar o veículo.
Basculamento da Cabina Antes de bascular a cabina, certifique-se de que: • O veículo esteja

Basculamento da Cabina

Antes de bascular a cabina, certifique-se de que:

O veículo esteja estacionado em um local plano, onde a passagem de ou- tros veículos não seja afetada;

O freio de estacionamento esteja aplicado;

A

posição

transmissão

esteja

na

neutra;

O motor e todos os acessórios este- jam desligados e as portas correta- mente fechadas.

Fixe ou retire de dentro da cabina todos os objetos soltos antes do bas- culamento da cabina, e certifique que não exista ninguém próximo da área de basculamento antes de iniciar o procedimento.

da área de basculamento antes de iniciar o procedimento. Comandos e Equipamentos 5 Procedimento para Basculamento

Comandos e Equipamentos

5
5
antes de iniciar o procedimento. Comandos e Equipamentos 5 Procedimento para Basculamento Manual: 1. Antes de

Procedimento para Basculamento Manual:

1.

Antes de iniciar o basculamento, re- tire todos os objetos soltos de dentro da cabina, e abra a grade dianteira.

2.

A

ninguém é permitido se manter re-

lativamente próximo da dianteira da cabina.

3.

Gire a manopla de transferência (3) da bomba de óleo do basculamento para a posição “PARA CIMA” como mostrado na figura.

4.

Introduza uma barra de acionamento

no furo (1) como indicado na figura,

e utilize a bomba de basculamento

para o procedimento de basculamen- to da cabina. A cabina deverá ser basculada até o seu ponto morto (a cabina cairá livremente até uma con- dição estacionária após o centro de gravidade da cabina superar o ponto de giro do basculamento).

5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Procedimento de Retorno da Ca- bina

1. Após girar a manopla de transferên- cia (3) da bomba de óleo do bascula- mento para a posição “PARA BAIXO” como mostrado na figura, acione a barra da bomba de basculamento até que a cabina retorne para a sua

posição original. Continue acionando

a barra até sentir um aumento óbvio

na resistência e se certificar que a cabina está travada.

2. Se a cabina não estiver travada, a luz sinalizadora do travamento, no

painel de instrumentos, se acenderá. Verifique uma vez mais e complete o procedimento até que a cabina este-

ja travada.

3. Após a cabina ter retornado a sua posição original, o cotovelo de bor- racha do circuito de admissão de ar superior deverá ser posicionado corretamente em conjunto com o cir- cuito de admissão de ar inferior, para evitar a entrada de poeira.

Atenção
Atenção

1.

É necessário que a cabina seja basculada completamente toda vez que for iniciado o procedi-

mento, e que ela tenha superado

o

seu centro de gravidade antes

de retorná-la a sua posição origi- nal. É proibido que qualquer pes- soa ou qualquer parte do corpo esteja entre a cabina e o chassi antes de a cabina finalizar o seu procedimento de basculamento!

2.

A

grade dianteira da cabina de-

verá ser aberta totalmente antes de a cabina iniciar o procedimen- to de basculamento!

3.

É

proibido que qualquer pessoa

entre na cabina enquanto ela es- tiver na condição basculada!

Abastecimento e Sangria: O sistema de basculamento poderá so- mente ser abastecido ou ser sangrado

Abastecimento e Sangria:

Abastecimento e Sangria: O sistema de basculamento poderá so- mente ser abastecido ou ser sangrado quando

O sistema de basculamento poderá so- mente ser abastecido ou ser sangrado quando a cabina estiver na sua posição original.

Deverá ser verificado se o óleo hidráuli- co está limpo antes que o sistema seja completado, e deverá seguir o seguinte procedimento.

1. Abra o bujão de óleo (2) e adicione o

óleo hidráulico especificado, até que

o nível esteja preenchido completa- mente

2. Lentamente bascule a cabina utili- zando a bomba manual enquanto o óleo vai sendo adicionado.

3. Abaixe a cabina e deixe que o exces- so de óleo seja jogado para fora.

Nota: Posicione um recipiente sob a bomba para coletar o óleo der- ramado.

4. Em seguida, bascule a cabina nova-

mente e verifique e adicione óleo até

o seu nível correto quando a cabina

retornar para a sua posição original.

5. Rosqueie o bujão de óleo (2) para finalizar.

Comandos e Equipamentos

5
5

Verificação do Funcionamento do Sistema de Basculamento

1. Bascule a cabina até o ponto mais

alto e verifique a condição de caí- da da cabina, após passar pelo seu centro de gravidade. Se o sistema funcionar normalmente, então a ca- bina deverá cair lentamente, sobre

a condição de amortecimento e sem impactos.

2. Quando a cabina for basculada por aproximadamente 30º, ela deverá manter esta posição por 20 minutos sem que nenhuma condição de mo- vimentação seja verificada.

3. Se a luz de alarme do travamento da

cabina se acender, isso indicará que

a cabina não foi corretamente trava-

da. Verifique o mecanismo de trava- mento imediatamente e certifique-se de que a cabina esteja corretamen- te travada e que a luz de alarme se apague.

5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Acendedor de Cigarros

5 1 Comandos e Equipamentos Acendedor de Cigarros Pressione o acendedor de encontro ao painel. Em

Pressione o acendedor de encontro ao painel. Em alguns segundos sua resis- tência estará incandescente, pronta para uso.

Ao reinstalá-lo, posicione-o em seu aloja- mento sem comprimir o botão.

Ajuste do Volante de Direção O volante de direção só pode ser ajusta- do quando

Ajuste do Volante de Direção

O volante de direção só pode ser ajusta-

do quando o veículo estiver estacionado.

pode ser ajusta- do quando o veículo estiver estacionado. Solte a manopla (1) para o ajuste

Solte a manopla (1) para o ajuste de altu-

ra e aperte-a novamente após o ajuste ter

sido concluído.

Comandos e Equipamentos

5
5
o ajuste ter sido concluído. Comandos e Equipamentos 5 Solte a manopla (2) para o ajuste

Solte a manopla (2) para o ajuste do ân- gulo de inclinação e aperte-a novamente após o ajuste ter sido concluído.

5 1
5 1

Comandos e Equipamentos

Funcionamento do Vidro Elé- trico (Equipamento Opcional)

Porta do Motorista

Vidro Elé- trico (Equipamento Opcional) Porta do Motorista Do lado do motorista, o interruptor do levantador

Do lado do motorista, o interruptor do levantador elétrico do vidro é do tipo du- plo, está instalado na porta esquerda e controla a elevação dos vidros das portas esquerda e direita.

Após a alimentação da tensão ser ligada, pressione a parte traseira do interruptor para fazer o vidro da porta descer, e a parte dianteira do interruptor para fazê-lo subir. O interruptor irá automaticamente voltar para sua posição original quando o mesmo for liberado e manterá o vidro da porta parado na posição desejada.

e manterá o vidro da porta parado na posição desejada. Para o lado do acompanhante, o

Para o lado do acompanhante, o inter- ruptor do levantador elétrico do vidro está instalado na porta direita e controla somente a elevação do vidro da porta direita.

Observação:

Após o vidro da porta ser devidamente levantado ou abaixado, o botão do inter- ruptor deverá ser liberado imediatamente pois, caso contrário, o levantador poderá ser danificado ou ter a sua vida útil en- curtada.

Capítulo 6

Bancos e Sistema de Proteção

Cintos de Segurança Atenção Cinto de segurança é hoje o meio mais eficaz disponível para

Cintos de Segurança

Atenção Cinto de segurança é hoje o meio mais eficaz disponível para redu- zir o
Atenção
Cinto de segurança é hoje o meio
mais eficaz disponível para redu-
zir o potencial de ferimentos gra-
ves e morte em caso de acidentes
automobilísticos. Portanto, para a
sua proteção, bem como de seus
passageiros, utilize sempre os cintos
de segurança.
Lembre-se: a utilização dos cintos de
segurança é obrigatória por lei.

Para melhor eficiência dos cintos de se- gurança, as recomendações a seguir de- vem ser observadas:

O cinto de segurança é mais eficien- te com o encosto do banco em sua posição normal de uso; assim, não o recline excessivamente;

Nunca use o mesmo cinto em mais de uma pessoa, incluindo crianças pequenas. É especialmente perigoso usar o cinto de segurança sobre uma criança que está no colo (leia instru- ções a seguir);

Não lubrifique o mecanismo do re- trator e o fecho, nem os submeta a reparos;

Nunca use o cinto sobre objetos rí- gidos ou quebráveis que estejam em seu vestuário, tais como: óculos, canetas, chaves, etc., uma vez que podem causar ferimentos.

Bancos e Sistema de Proteção

6
6
Atenção É proibido o transporte de passa- geiros no compartimento de carga, aberto ou fechado.
Atenção
É proibido o transporte de passa-
geiros no compartimento de carga,
aberto ou fechado. Em uma colisão,
as pessoas que viajam nesta área
estão mais sujeitas a sérios ferimen-
tos. Não permita que os passageiros
viajem em qualquer área do veículo
que não esteja equipada com bancos
e cintos de segurança. Certifique-se
de que todos os usuários do veículo
estejam num assento e utilizando o
cinto de segurança corretamente.
6 1
6 1

Bancos e Sistema de Proteção

Cinto de Segurança de Três Pontos Retrátil-inercial

O sistema de travamento automático é acionado somente nos casos de acele- rações/desacelerações de emergência, tais como: colisões, capotamento e fre- nagens bruscas.

Em condições normais de marcha, o sis- tema mantém-se desativado.

Posicionamento e Ajuste

o sis - tema mantém-se desativado. Posicionamento e Ajuste Posicione corretamente o cinto de segu -

Posicione corretamente o cinto de segu- rança, colocando uma alça sobre o om- bro e outra ao redor dos quadris;

Para o funcionamento correto dos cintos, a parte subabdominal deve estar sem folga, rente ao corpo;

Para fechar o cinto, introduza a lin- gueta no fecho, pressionando-a até obter seu travamento através de ruído característico.

Liberação

Quando for liberar o cinto, pressione o botão vermelho do fecho no sentido da seta conforme mostra a figura. Segure e pressione o fecho e então o cinto de se- gurança será automaticamente recolhido.

pressione o fecho e então o cinto de se - gurança será automaticamente recolhido. 6 -
Observações Importantes A total eficiência dos cintos de três pontos depende do correto posicionamento dos

Observações Importantes

A total eficiência dos cintos de três pontos depende do correto posicionamento dos mesmos.

Os cintos deverão ser usados rente ao corpo e nunca de maneira frou- xa. Jamais os utilize sob o braço. Tal fato, em caso de colisão, o lançará muito para frente, fazendo com que o cinto perca sua eficiência;

para frente, fazendo com que o cinto perca sua eficiência; Bancos e Sistema de Proteção 6

Bancos e Sistema de Proteção

6
6

O cinto deverá ser travado sempre na fivela mais próxima do seu banco, caso contrário ele ficará posicionado incorretamente e durante uma coli- são poderá pressionar regiões mais frágeis de seu corpo, causando fe- rimentos. Jamais use-o de maneira torcida, pois ele perde consideravel- mente a sua eficiência.

use-o de maneira torcida, pois ele perde consideravel - mente a sua eficiência. xxxxxxxxxxxxxxxxx – 08/12
6 1
6 1

Bancos e Sistema de Proteção

Cinto de Segurança Subabdo- minal (se equipado)

Proteção Cinto de Segurança Subabdo- minal (se equipado) Posicionamento e Ajuste • Posicione o cinto ao

Posicionamento e Ajuste

Posicione o cinto ao redor dos qua- dris e ajuste seu comprimento de maneira que não comprima excessi- vamente o abdômen;

Para fechar o cinto, introduza a lin- gueta no fecho, pressionando-o até obter seu travamento através de ruído característico.

Liberação

Quando for liberar o cinto, pressione o botão vermelho do fecho no sentido da seta conforme mostra a figura. Segure e pressione o fecho e então o cinto de se- gurança será automaticamente recolhido.

Inspeção dos Cintos de Segurança

Atenção
Atenção

Inspecione periodicamente os cintos de segurança quanto a indícios de desgastes, rasgos ou desfiados. Verifique o aperto das fixações e a ação de travamento dos mecanismos retratores.

Se os cintos tiverem sido exces- sivamente forçados durante um acidente, deverão ser substituí- dos e as suas fixações inspecio- nadas por um Distribuidor.

Nunca faça reparos nos cintos, nem modifique ou lubrifique os mecanismos retratores e as fi- velas.

Um cinto de segurança danifica- do deve ser substituído por um novo.

Extintor de Incêndio Está localizado na lateral do banco do motorista. Se o plástico transparente

Extintor de Incêndio

Extintor de Incêndio Está localizado na lateral do banco do motorista. Se o plástico transparente que

Está localizado na lateral do banco do motorista.

Se o plástico transparente que envolve o extintor para o transporte ainda estiver colocado, remova-o para que não cause obstrução em caso de eventual utilização do extintor.

Deve-se fazer inspeção visual periódica, verificando se o indicador e a carcaça não estão danificados, se o gatilho está em condições de operação e se não há qualquer obstrução na saída do extintor.

Deve-se respeitar o prazo de validade que se encontra no extintor, observan- do as recomendações de verificação no mesmo.

Atenção As instruções para seu uso são en- contradas no próprio extintor. Sua manutenção é
Atenção
As instruções para seu uso são en-
contradas no próprio extintor. Sua
manutenção é de responsabilidade
do proprietário, portanto, deverá ser
feita seguindo as instruções do fa-
bricante impressas no equipamento.

Bancos e Sistema de Proteção

6
6

Triângulo de Segurança e Ferra- mentas

O triângulo de segurança, alavanca de acionamento do macaco, o macaco hi- dráulico, chave de rodas e pino de engate encontram-se nos compartimentos locali- zados abaixo da cama inferior, atrás do motorista e acompanhante.

Alavanca do Freio de Estacio- namento

e acompanhante. Alavanca do Freio de Estacio- namento Para a operação de movimentação do veículo posicione

Para a operação de movimentação do veículo posicione a alavanca do freio de estacionamento (1) para baixo, na posi- ção indicada para a movimentação, e ao mesmo tempo a luz de advertência do freio de estacionamento se apagará.

e ao mesmo tempo a luz de advertência do freio de estacionamento se apagará. xxxxxxxxxxxxxxxxx –
6 1
6 1

Bancos e Sistema de Proteção

Para a operação de parada, posicione

a alavanca do freio de estacionamento

para cima, na posição indicada, e a luz

de advertência do freio de estacionamen-

to se acenderá.

de advertência do freio de estacionamen - to se acenderá. Atenção Mantenha a válvula moduladora do
Atenção Mantenha a válvula moduladora do freio de estacionamento aplicada (alavanca para cima) sempre que
Atenção
Mantenha a válvula moduladora do
freio de estacionamento aplicada
(alavanca para cima) sempre que es-
tacionar o veículo.

A válvula do freio do reboque (2) é utili-

zada para freiar o semirreboque bastan- do para tanto puxar o manete da válvula para trás (cima). Ele é um freio indepen- dente e atua somente no semirreboque.

Chave Elétrica Geral

dente e atua somente no semirreboque. Chave Elétrica Geral Gire a manopla do lado externo da

Gire a manopla do lado externo da caixa de bateria no sentido horário, para ficar

na horizontal a fim de ligar a chave elétri-

ca geral e alimentar todo o veículo. Gire-

a no sentido anti-horário para desligar a chave elétrica.

Atenção Nunca desligue a chave elétrica com o motor funcionando.
Atenção
Nunca desligue a chave elétrica com
o motor funcionando.
Bancos
Bancos
Bancos Como indicado no banco do motorista este é um banco com suspensão pneu - mática.

Como indicado no banco do motorista este é um banco com suspensão pneu- mática. O banco pode somente ser ajus- tado desde que o mesmo não esteja sobrecarregado, a pressão do sistema pneumático seja de 7 bar e o veículo es- teja estacionado.

Certifique-se de ouvir o som do dispositi- vo de ajuste confirmando que o banco foi travado na posição escolhida.

1. Dispositivo de regulagem do encosto com 3 posições.

2. Regulagem da inclinação do assento

(80°~121°).

Bancos e Sistema de Proteção

6
6

3. Regulagem da altura traseira (0~60 mm) com 7 posições.

4. Regulagem da altura dianteira (0~60 mm) com 7 posições.

5. Ajuste das condições do amorteci- mento de choques.

6. Manopla de regulagem do trilho (des- locamento de 160 mm).

Na condição com a almofada pneumáti- ca acionada, haverá um processo adap- tativo de carga ou descarga de ar de acor- do com o peso do motorista após estar naturalmente sentado.

1 - Regulagem do Encosto:

Pressione o botão (1) e recline o encosto até uma das 3 posições disponíveis.

2 - Regulagem da Inclinação do As- sento:

Movimente a manopla (2) para regular a inclinação do assento.

3 e 4 - Regulagem da Altura Dian- teira / Traseira do Assento:

Movimente para cima / baixo a manopla de regulagem da altura dianteira (4) para erguer / abaixar a frente do assento, e a manopla (3) para cima / baixo para er- guer / abaixar a parte traseira do assento.

6 1
6 1

Bancos e Sistema de Proteção

5 - Ajuste das Condições do Amor- tecimento de Choques:

Quando a manopla (5) estiver na horizontal, o banco está configura- do com a função da suspensão a ar para a absorção dos impactos.

Gire a manopla (5) no sentido horá- rio e aplique força para baixo contra o assento, o banco ficará fixo assim que a manopla ficar travada.

Quando for necessário sair da condi- ção de absorção de impactos, gire a manopla (5) no sentido anti-horário e aplique força para baixo contra o as- sento para efetuar o destravamento.

Atenção Quando o veículo estiver sendo con- duzido em uma estrada em condi- ções ruins,
Atenção
Quando o veículo estiver sendo con-
duzido em uma estrada em condi-
ções ruins, a condição de absorção
de impactos deverá ser travada para
evitar a possibilidade de o banco ser
danificado.

6 - Manopla de Regulagem do Tri- lho:

Levante a alavanca (6) e ajuste o banco mais próximo ou mais afastado do volante.

O banco do passageiro é o mostrado na figura. O banco do passageiro é do tipo comum, disponível somente com as fun- ções de ajuste do encosto e de inclinação do assento. Consulte os itens relativos a esses ajustes do banco para poder efe- tuá-los.

1. Regulagem da inclinação do assento

(80°~121°).

2. Regulagem da altura traseira (0~60 mm) com 7 posições.

3. Regulagem da altura dianteira (0~60 mm) com 7 posições.

mm) com 7 posições. 3. Regulagem da altura dianteira (0~60 mm) com 7 posições. 6 -
Encosto da Cama Inferior Uma das extremidades da cama inferior pode ser transformada em encosto,

Encosto da Cama Inferior

Encosto da Cama Inferior Uma das extremidades da cama inferior pode ser transformada em encosto, ou

Uma das extremidades da cama inferior pode ser transformada em encosto, ou seja, a parte do lado do motorista pode ser levantada em um ângulo apropria- do de modo que você possa se reclinar sobre ele, assim que o suporte da cama estiver travado.

Se quiser abaixá-lo, levante o encosto até o seu ponto máximo, para destravar, e em seguida abaixe rapidamente até a sua posição original.

Basculamento da Cama Superior

até a sua posição original. Basculamento da Cama Superior Bancos e Sistema de Proteção 6 As

Bancos e Sistema de Proteção

6
6

As etapas são as seguintes:

Primeiro, abra a presilha da fivela na bei- rada da cama, e pressione o botão da cama com a outra mão.

rada da cama, e pressione o botão da cama com a outra mão. Segure a fivela

Segure a fivela de trava do cinto de sus- tentação da cama e encaixe-a no gancho superior até ouvir o ruído característico de travamento e em seguida solte para confirmar que ele está devidamente tra- vado.

O funcionamento dos cintos de susten-

tação da cama é idêntico em ambos os lados.

de susten - tação da cama é idêntico em ambos os lados. A figura mostra como

A figura mostra como ficam os cinto de

sustentação após serem conectados.

6 1
6 1

Bancos e Sistema de Proteção

6 1 Bancos e Sistema de Proteção Segure a cama com as duas mãos e pressione

Segure a cama com as duas mãos e pressione os botões da cama, respecti- vamente, com os dois polegares.

Levante a cama até a altura necessária,

e em seguida libere os botões da cama.

Neste instante os cintos de sustentação vão retornar para serem travados inter- namente no mecanismo de travamento. Finalmente solte as mãos após ter con- firmado o travamento, isto é mostrado na figura.

Se você quiser abaixar a cama, em pri- meiro lugar segure a cama com as duas mãos e pressione o botão. Em seguida abaixe a cama lentamente até o ponto mais baixo, e em seguida solte as mãos.

Se você quiser desconectar as fivelas dos cintos de sustentação da cama, se-

gure as fivelas dos cintos de sustentação

e pressione com força o botão vermelho

da fivela, em seguida, o gancho pode ser retirado e os cintos de sustentação da cama ser desconectados.

Funcionamento da Rede de Prote- ção

ser desconectados. Funcionamento da Rede de Prote- ção Normalmente a rede de proteção está enrolada. Primeiro,

Normalmente a rede de proteção está enrolada.

Primeiro, abra as presilhas das fivelas nos cintos de sustentação da cama que estão localizadas nas duas extremidades da barra de apoio que segura a rede de proteção.

da barra de apoio que segura a rede de proteção. Em seguida, levante a rede de

Em seguida, levante a rede de proteção até a altura desejada e trave a presilha.

Travando as presilhas, a rede de prote- ção estará completamente fixa.

Atenção Ao utilizar a cama superior, a rede de proteção deverá ser levantada até uma
Atenção Ao utilizar a cama superior, a rede de proteção deverá ser levantada até uma
Atenção
Ao utilizar a cama superior, a rede de
proteção deverá ser levantada até
uma altura adequada e travada, para
evitar que a pessoa caia da cama su-
perior.
travada, para evitar que a pessoa caia da cama su- perior. A cama superior pode ser

A cama superior pode ser vista na figura.

Pontos Importantes:

1. A fim de garantir a segurança, a cama superior somente poderá ser utilizada enquanto o veículo estiver parado. Não utilize a cama superior enquanto o veículo estiver em movi- mento.

2. Quando for utilizar a cama superior para descansar, os cintos de susten- tação da cama deverão ser travados no gancho superior e a rede de pro- teção ser travada na posição mais alta.

Bancos e Sistema de Proteção

6
6

3. Antes de conduzir um veículo novo, remova o filme plástico da cama; caso contrário, a cama e a placa de base não se encaixarão corretamen- te.

4. Ao inclinar o encosto da cama in- ferior, o mecanismo de travamento estará travado somente quando se ouvir o ruído característico de tra- vamento. Somente utilize a cama inferior após se certificar de que os suportes dos dois lados estejam bem travados.

5. Para subir na cama superior, sugere- se utilizar o banco e a cama inferior como se fosse uma escada de aces- so.

6. As camas superior e inferior devem ser mantidas limpas utilizando-se para isto somente um pano úmido.

7. Para a cama inferior, o colchão pode ser separado da placa de base e a capa do colchão pode ser removida através da abertura do zíper e pode- rá ser lavada com sabão neutro.

8. Ao fumar, não deixe cair cinza de ci- garro na cama para evitar incêndio.

9. O material do colchão da cama é de poliuretano, e pode ser lavado com água. No entanto, a lavagem ocasio- nará nele uma pequena deformação.

6 1
6 1

Bancos e Sistema de Proteção

Anotações

Capítulo 7

Ventilação e Aquecimento

Circulação de Ar Interna Grades Direcionais Laterais As grades direcionais laterais e centrais são reguláveis

Circulação de Ar Interna

Grades Direcionais Laterais

As grades direcionais laterais e centrais são reguláveis verticalmente e horizon- talmente.

O volume de ar interno do veículo é tam- bém regulado girando-se os botões de comandos para a esquerda ou direita.

O direcionamento, bem como o fluxo do ar, são comandados pelo painel de con- trole do ar-condicionado.

As aletas das saídas laterais, quando direcionadas para os vidros das portas, evitam embaçamento.

direcionadas para os vidros das portas, evitam embaçamento. Ventilação e Aquecimento 7 Grades Direcionais Centrais

Ventilação e Aquecimento

7
7
portas, evitam embaçamento. Ventilação e Aquecimento 7 Grades Direcionais Centrais xxxxxxxxxxxxxxxxx – 08/12 7

Grades Direcionais Centrais

portas, evitam embaçamento. Ventilação e Aquecimento 7 Grades Direcionais Centrais xxxxxxxxxxxxxxxxx – 08/12 7 - 1
7 1
7 1

Ventilação e Aquecimento

Painel de Controle do Ar-condicionado

e Aquecimento Painel de Controle do Ar-condicionado Item Descrição 1 LCD 2 Temperatura

Item

Descrição

1

LCD

2

Temperatura “+”

3

Temperatura “-”

4

Circulação interna / externa

5

Modo

6

Aquecimento

7

OUTSIDE (EXTERIOR)

8

OFF (DESLIGADO)

9

A/C

10

Desembaçamento forçado

11

Volume de ar -

12

AUTO

13

Volume de ar +

Ventilação e Aquecimento 7 Como indicado na figura, o usuário é capaz de selecionar o

Ventilação e Aquecimento

7
7

Como indicado na figura, o usuário é capaz de selecionar o ajuste da temperatura de ventilação, regular o fluxo de ar do ventilador, ajustar os modos de distribuição de ar

(ventilação para o rosto, ventilação para o rosto e pés, ventilação para os pés, venti- lação para os pés e desembaçamento, e apenas desembaçamento), ar-condicionado com refrigeração aberta e fechada, interruptor da condição de circulação de ar interna

e externa, desembaçador do vidro do para-brisa aberto e fechado, função da válvula

d’água aberta e fechada e mostrador da temperatura externa através do funcionamento do controle do ar-condicionado, portanto, todo o sistema de ar-condicionado funciona normalmente de acordo com as necessidades do usuário.

Todas as funções são selecionadas e efetuadas por meio do acionamento de teclas, e obtidas através de controle eletrônico.

Ao mesmo tempo, um LCD de alta definição é utilizado no controle do ar-condicionado,

o qual foi construído numa plataforma de controle interativa homem-máquina, para que as condições de funcionamento do ar-condicionado possam ser mostradas na tela de LCD num piscar de olhos e em tempo real.

As funções detalhadas das teclas são descritas abaixo:

Orientações do Funcionamento das Teclas

 

Símbolo

Descrição

 
  Tecla AUTO

Tecla AUTO

1.

Quando o sistema do ar-condicionado estiver desligado, pressione a tecla AUTO e o sistema do ar-condicionado irá ser ligado e automaticamente entrará em modo Manual.

2.

Quando o ar-condicionado é ligado, o sistema entra no modo de funcionamento manual. Pressione esta tecla para o sistema do ar-condicionado entrar em modo automático e a indicação “AUTO” será mostrada na tela. Acione esta tecla nova- mente para sair do modo automatico, e a tela que mostra “AUTO” irá ser fechada. Acione a tecla “AC”, tecla válvula d’água (aquecimento), tecla de distribuição de ar, tecla de descogelamento, tecla de circulação interna/externa e tecla “MODE” para sair do modo automático.

3.

No modo automático, o sistema irá automaticamente ajustar a temperatura de saída do ar, o volume de ar, o modo de saída de ar, o modo de circulação, a con- dição de funcionamento do AC e a condição de funcionamento da válvula d’água (aquecimento), etc. de acordo com as temperaturas externa e interna.

4.

Quando a tecla de temperatura +/- é acionada no modo automático, o sistema não irá sair do modo automático, mas a termperatura interna não irá mais ser ajustada automaticamente depois.

7 1
7 1

Ventilação e Aquecimento

Símbolo

Descrição

 
  Tecla Volume de Ar +/-

Tecla Volume de Ar +/-

1.

Acione a tecla de volume de ar + cada vez que desejar aumentar o volume de ar, escalonadamente da posição 1 à posição 4, e ele permanecerá inalterado na posição máxima.

2.

Acione a tecla de volume de ar - cada vez que desejar reduzir o volume de ar, escalonadamente da posição 1 à posição 0, e ele permanecerá inalterado na po- sição 0, com o compressor parado e não mostrando os padrões de refrigeração.

3.

Na condição DESLIGADO, acione a tecla de volume de ar + para o sistema ligar no modo manual e o ajuste padrão da temperatura será 20°C.

 
  Tecla Temperatura +/-

Tecla Temperatura +/-

1.

O ajuste de temperatura interna será aumentado em 0,5°C cada vez que a tecla de temperatura + for acionada, até chegar à posição máxima e ele permanecerá inalterado.

2.

O ajuste de temperatura interna será diminuído em 0,5°C cada vez que a tecla de temperatura - for acionada, até chegar a posição mínima e ele permanecerá inalterado.

3.

Na condição DESLIGADO, quando a tecla de volume de ar + for acionada, o sistema de ar-condicionado será ligado, entrará no modo manual, o volume de ar será ajustado para a primeira posição, a temperatura será a padrão de 20°C, em modo híbrido e com os motores de circulação interna/externa permanecendo na mesma condição de quando foi desligado.

Tecla Circulação Interna/Externa

Tecla Circulação Interna/Externa

1.

A condição de funcionamento do ar interno/externo será alternada cada vez que

a tecla Circulação Interna/Externa for acionada.

2.

A circulação interna terá a duração de 15 minutos e a circulação externa a du-

ração de 1 minuto quando a válvula da circulação do ar interno/externo estiver nesse modo.

Ventilação e Aquecimento 7 Símbolo Descrição Tecla “OUTSIDE” (EXTERIOR) 1. A temperatura externa será

Ventilação e Aquecimento

7
7

Símbolo

Descrição

Tecla “OUTSIDE” (EXTERIOR)

Tecla “OUTSIDE” (EXTERIOR)

1. A temperatura externa será mostrada na tela do LCD cada vez que esta tecla for acionada, e automaticamente a temperatura interna será mostrada a cada 3 segundos.

Tecla “OFF” (DESLIGADO)

Tecla “OFF” (DESLIGADO)

1. Na condição LIGADO, quando a tecla “OFF” for acionada, o sistema do ar-condi- cionado será desligado, a tela do LCD será apagada e todos os mecanismos de funcionamento ficarão parados.

2. Na condição DESLIGADO, quando a tecla de volume de ar + for acionada, o sistema de ar-condicionado será ligado, entrará no modo manual, o volume de ar será ajustado para a primeira posição, a temperatura será a padrão de 20°C em modo híbrido e com os motores de circulação interna/externa permanecendo na mesma condição de quando foi desligado.

Tecla Desembaçamento Forçado

Tecla Desembaçamento Forçado

1. O modo de desembaçamento forçado é ativado quando a tecla é acionada uma vez: O modo de ventilação está na condição desembaçamento, com circulação interna, com o volume de ar na posição 4 (máxima), com a válvula d’água aberta, com o AC ligado e todas as válvulas de ar hibridas na condição de aquecimento.

2. O sistema do ar-condicionado entrará no modo de desembaçador quando esta tecla for pressionada, e o sistema irá sair da condição de desembaçador quando a tecla for pressionada novamente, voltando para a condição de funcionamento anterior ao primeiro acionamento.

7 1
7 1

Ventilação e Aquecimento

 

Símbolo

Descrição

 
  Tecla MODO

Tecla MODO

5.

Modos de ventilação são definidos para o sistema, ou seja, ventilação para ros- to, ventilação para rosto e pés, ventilação para os pés, ventilação para os pés e desembaçamento, e apenas desembaçamento. O modo da saída de ar será alte- rado cada vez que esta tecla for acionada. A condição de mudança será alterada na sequência:

Ventilação Rosto → Ventilação Rosto e Pés → Ventilação Pés → Ventilação Pés e Desembaçamento → Desembaçamento → Ventilação Rosto, e serão imediatamente acionadas conforme forem aparecendo na tela do LCD. Após a tecla MODO ser acio- nada o sistema entrará no modo Ventilação Pés, se a válvula de ar não estiver em qualquer um dos 5 modos antes de a tecla ser acionada pela primeira vez.

 
  Tecla A/C

Tecla A/C

1.

Quando estiver no modo manual, o compressor irá ser acionado/desacionado apenas uma vez, toda vez que a tecla for pressionada.

2.

Avalie a situação do volume de ar quando o AC é ligado, e posicione o volume de ar na segunda posição caso esteja na posição zero, qualquer outra será mantida inalterada.

3.

Com o sistema funcionando, pressione a tecla AC demoradamente (mais que 5 segundos), o compressor é forçado a ligar (ícone de refrigeração aparecerá). O compressor irá automaticamente se desligar em 5 minutos. Caso ele não se desligue dentro de 5 minutos, e neste período a tecla AC (ou qualquer outra te- cla aleatoriamente) for pressionada rapidamente, o compressor será desligado (icone de refrigeração desaparecerá), independente do controle da temperatura do evaporador, apenas para uso de abastecimento manual de líquido de arrefeci- mento quando a temperatura estiver baixa no inverno.

4.

Quando a temperatura do evaporador for ≤ 0°C, o AC irá se desligar automatica- mente e irá automaticamente voltar a funcionar, após a temperatura do evapo- rador subir por ≥ 3°C. A condição original será mantida entre estes 2 limites de temperatura. (AC é limitado por estes dois modos, AUTO e manual, para evitar que o evaporador venha a ser congelado.)

 
  Tecla Válvula d’Água (aquecimento)

Tecla Válvula d’Água (aquecimento)

No modo manual, o status de operação irá mudar uma vez (ícone de aquecimento aparecerá) quando a tecla for acionada.

Função Autoteste 1. Itens do Autoteste: A informação de falha é mostrada após ser executado

Função Autoteste

1. Itens do Autoteste:

A informação de falha é mostrada após ser executado uma vez o funcionamento automático dos respectivos mecanismos atuadores.

O funcionamento dos mecanismos atua- dores segue a seguinte sequência:

a)

Inicialmente mostra a tela cheia (aparecem todos os símbolos a se- rem exibidos);

b)

Ventilação do rosto e circulação in- terna na posição 1;

c)

Ventilação do rosto e pés, circulação externa e velocidade do ar aumenta- da da posição 1 para a posição 3;

d)

Ventilação dos pés, circulação ex- terna e velocidade do ar aumentada para a posição máxima;

e)

Mostra código de falha;

f)

Sai automaticamente do procedi- mento de Autoteste. O tempo de per- manência que cada item é mostrada na tela não é menor que 1,5 s, para facilitar a observação.

2.

Modo de Saída do Autoteste Força- do:

a)

Sai automaticamente após a tela es- tar completa;

b)

Acione novamente a partida do veículo ou pressione a tecla “OFF”;

c)

Volta para a condição de funciona- mento antes do autoteste ser aciona- do.

Ventilação e Aquecimento

Pontos a Observar

7
7

1.

Na condição desligado, o ar-condi- cionado irá ser ligado quando a tecla “Volume Ar +” for pressionada.

2.

O A/C será automaticamente desli- gado quando o volume de ar estiver na posição “0”.

3.

A

tecla temperatura – não fará sair

do modo automático, quando a tecla Temperatura + for pressionada, o sis- tema entrará no modo automático.

4.

Quando a temperatura do evapo- rador for ≤ 0°C, o AC se desligará automaticamente, e não poderá ser ligado manualmente. Ele automati- camente voltará a funcionar após a temperatura do evaporador subir por ≥ 3°C.

5.

Determine a condição do volume de

ar quando o A/C for ligado, posicione

o

volume de ar na posição 2 se esti-

ver na posição 0. Caso não esteja na posição 0, o sistema manterá a posi- ção previamente selecionada.

6.

A

válvula d’água (aquecimento) será

forçada a se desligar quando a tem- peratura interna for ≥ 25°C.

7.

Com o A/C ligado, quando a tempe-

ratura do ar externo for menor do que 3°C, a válvula d’água (aquecimento)

é forçada a se ligar (alimentação de

água), e quando a temperatura do ar externo for maior que 6°C, a válvula d’água (aquecimento) é forçada a se desligar.

7 1
7 1

Ventilação e Aquecimento

Teto Ventilante

Abertura:

7 1 Ventilação e Aquecimento Teto Ventilante Abertura: Abertura e Fechamento do Teto Ventilante Abertura: Acione

Abertura e Fechamento do Teto Ventilante

Abertura: Acione a alavanca puxando-a para baixo no sentido da seta mostrada na figura e o teto irá destravar. Apoie a mão no teto forçando para cima para bas- cular. Volte a alavanca para a posição de descanso.

Fechamento:

Volte a alavanca para a posição de descanso. Fechamento: Fechamento: Puxe a alavanca para baixo no

Fechamento: Puxe a alavanca para baixo no sentido da seta mostrada na figura de abertura. Puxe o teto com força até sentir que as travas foram acionadas. Volte a alavanca na posição de descanso.

Capítulo 8

Condução

Condução Segura Sempre que necessitar sair da via em que estiver trafegando (dentro da cidade

Condução Segura

Sempre que necessitar sair da via em que estiver trafegando (dentro da cidade ou em estradas, para o acostamento), li- gue as setas direcionais e diminua a velo- cidade do veículo gradativamente.

Evite a aplicação súbita do freio ou movi- mentos bruscos do volante. Essa atitude poderia levá-lo à perda do controle do veículo.

Ao retornar à pista, não o faça subitamen- te ou em altas velocidades. Isto poderia provocar deslizamento lateral, descontro- le do veículo ou até mesmo capotamento.

Manobras de Segurança

Em situações de emergência, como em uma curva rápida e fechada, lembre-se de somente virar o volante com a rapidez necessária para superar a emergência.

Excessivas movimentações do volante resultarão num menor controle do veícu- lo. No caso de uma frenagem de emer- gência, o deslizamento ou derrapagem dos pneus poderá, eventualmente, ser evitado com o acionamento gradual do freio. Neste caso, não tente qualquer mo- vimentação brusca do volante.

Por medida de segurança, não transporte nenhuma pessoa na caçamba ou com- partimento de carga.

Atenção Utilização de “banguela” (trafegar em declives com a alavanca de mudan- ça de marchas
Atenção
Utilização de “banguela” (trafegar em
declives com a alavanca de mudan-
ça de marchas em neutro, ou com o
pedal da embreagem pressionado),
é um procedimento perigoso e ilegal.

Condução

8
8

Em tais condições, o veículo pode atingir velocidades acima daquela para a qual foram projetados o sistema de freios, suspensão, direção, rodas e pneus, po- dendo causar acidentes e/ou danos ao veículo.

Além disso, no momento em que for de- saplicado o pedal da embreagem ou que uma marcha for engatada em tal veloci- dade, o motor ira exceder a rotação má- xima, o que poderá causar graves danos

ao motor.

Orientações Gerais

Nunca retire as válvulas termostáticas; tal fato acarreta perda de potência do motor e redução de sua vida útil. Evite acelera- ções excessivas ou sobrecarga ao motor, que causam assentamento incorreto dos anéis.

Sistema de Controle Eletrônico do Motor Cummins Série ISM

O motor Cummins Série ISM é um mo-

tor com controle eletrônico automático e integralmente controlado pelo módulo de controle eletrônico (ECM) montado no corpo do motor baseado em sinais for- necidos pelos diversos sensores instala- dos no motor. Este motor não é fornecido apenas com a função de controle avan- çado automático, mas também com um sistema interno de autoteste e autodiag- nóstico para a identificação de falhas.

Além das vantagens de funcionamen- to, novos recursos proporcionam uma facilidade maior em detectar e resolver eventuais falhas no funcionamento, atra- vés das luzes no painel dos instrumen- tos: Três luzes indicadoras de alarme especial para motor estão montadas no instrumento combinado do painel de ins- trumentos.

8 1
8 1

Condução

Símbolo

Descrição

Vermelha - Luz de Alarme Vermelha (Luz de Parada do Motor).

Vermelha - Luz de Alarme Vermelha (Luz de Parada do Motor).

Acende por alguns segundos, com a chave da ignição na posição LIGADO, apagando em seguida, confirmando que o sistema está operacional.

Esta luz indica que o sistema de proteção está ativado. Se acende quando houver ocorrência de uma falha grave (ex: alta temperatura do ar no coletor de admissão, baixa pressão de óleo no cárter ou alta temperatura do líquido de arrefecimento). Nes- ta condição pode-se iniciar o despotenciamento do motor, ou seja, o motor começa a perder potência, visando autoproteção. Caso se acenda com o veículo em movi- mento, reduza a velocidade e pare tão logo as condições de tráfego sejam seguras. Procure imediatamente os serviços de um Distribuidor.

Amarela - Luz de Alarme Amarela (Luz de Alarme do Motor).

Amarela - Luz de Alarme Amarela (Luz de Alarme do Motor).

Se acenda por alguns segundos com a ignição ligada. Caso se acenda com o motor em funcionamento, existe algum problema que deve ser verificado em um Distribuidor.

Azul - Luz de Alarme Azul (Luz de Manutenção do Motor).

Azul - Luz de Alarme Azul (Luz de Manutenção do Motor).

Se acende por alguns segundos, após a chave de ignição ser girada para a posição LIGADA, apagando em seguida, confirmando que o sistema está operacional. Caso se acenda com o motor em funcionamento, existe algum problema que deve ser veri- ficado em um Distribuidor.

Revisões Periódicas O Motor Cummins Série ISM não requer nenhum cuidado especial para seu fun-

Revisões Periódicas

O Motor Cummins Série ISM não requer

nenhum cuidado especial para seu fun- cionamento ou para que apresente seu melhor desempenho. As recomendações de manutenção e cuidados com o veículo são, em geral, as mesmas dos caminhões

convencionais. Deve-se sempre respeitar

os intervalos de manutenção recomenda-

dos, de acordo com o tipo de utilização

do veículo. Os filtros de óleo, combustível

e separador de água devem ser substituí-

dos dentro dos intervalos recomendados,

e somente por peças originais.

Durante o reabastecimento, é possível que o óleo diesel contaminado por água seja bombeado para o reservatório de combustível. O sistema de combustível do veículo é equipado com um filtro de combustível / separador de água, cuja função é remover a água do óleo diesel. Quando o reservatório do filtro tiver uma quantidade significativa de água, desli- gue o motor e escoe a água do filtro.

É possível confirmar a presença de água observando-se o reservatório transparen- te do filtro.

Atenção Deixar a água no sistema pode resul- tar em sérios danos ou falha do
Atenção
Deixar a água no sistema pode resul-
tar em sérios danos ou falha do siste-
ma de injeção de combustível.

Condução

8
8

Operação

em

Baixas

Tempera-

turas

Em clima extremamente frio, durante o in- verno, drene os sedimentos acumulados no interior do reservatório de combustível e substitua os filtros de combustível, a fim de prevenir falhas no sistema por conge- lamento do combustível com resíduos de água.

Equipamento de Freio

Em locais com clima frio é necessário verificar periodicamente e substituir, se necessário, o secador de ar do sistema de ar comprimido do veículo bem como drenar a água condensada existente nos reservatórios de ar comprimido.

Bateria

É necessário regularmente verificar o ní-

vel e a densidade do eletrólito da bateria.

O nível do eletrólito deve ficar sempre de

10-15 mm mais alto que as placas inter- nas e sua densidade deve estar acima

de 1,24 g/cm 3 . Se o veículo não for uti- lizado por um tempo relativamente longo

e a temperatura ambiente estiver baixa,

é aconselhável retirar a bateria e deixá- la em um local comparativamente mais quente.

8 1
8 1

Condução

Amaciamento do Veículo Novo

A quilometragem de amaciamento espe- cificada é de 2.000-2.500 km. A Inspe- ção de Rotina deve ser executada para garantir que o veículo está em condição normal de trabalho.

Nota: A Cummins irá fornecer, gra- tuitamente, uma verificação dos motores para os veículos novos. Contate o representante da Cummins o mais rápido pos- sível, antes de colocar o seu veículo em operação.

Observações:

1. Evite acelerar imediatamente o mo- tor frio após o mesmo entrar em funcionamento. A rotação do motor não deverá ser aumentada até que a temperatura normal de funcionamen- to seja atingida.

2. Durante o período de amaciamen- to o veículo deverá ser conduzido somente em estradas planas e em boas condições.

3. Em toda mudança de marcha, a em- breagem deverá ser totalmente libe- rada para evitar acelerações repenti- nas.

4. Sempre efetue as trocas de marcha respeitando a sequência, evitando assim que o motor trabalhe em velo- cidades fora da faixa de torque reco- merndada.

5. Durante o periodo de amaciamento não trafegar com cargas que exce- dam a 70% da capacidade de carga do veículo.

6.

Verifique e controle a pressão do óleo do motor e a temperatura nor- mal do líquido de arrefecimento do motor. Frequentemente observe as temperaturas da transmissão, dos ei- xos dianteiro e traseiro(s), dos cubos das rodas e dos tambores de freio. É necessário descobrir as razões que ocasionaram o aquecimento e ime- diatamente ajustar ou repará-las.

7.

As porcas das rodas devem ser apertadas com o torque especificado após os primeiros 50 km rodados, ou depois de ter efetuado qualquer troca de roda.

Após o período de amaciamento ser completado, execute a inspeção e a manutenção para os itens conforme a “1 a Inspeção” especificada na manuten- ção do veículo.

Turbocompressor Para proteger os mancais do turbocom- pressor durante a partida do motor, não acelere

Turbocompressor

Para proteger os mancais do turbocom- pressor durante a partida do motor, não acelere até que o indicador da pressão do óleo registre pressão normal fora da faixa vermelha ou a luz de advertência se apague.

Uma vez em funcionamento, mantenha o motor em marcha lenta por aproxima- damente quinze segundos, após o que a luz de advertência da pressão do óleo se apagará ou o indicador registrará a pres- são especificada fora da faixa vermelha.

Atenção Os motores equipados com turbo- compressor devem ser mantidos em rotação de marcha lenta
Atenção
Os motores equipados com turbo-
compressor devem ser mantidos em
rotação de marcha lenta por aproxi-
madamente trinta segundos, antes
de desligados, para sua adequada
lubrificação.

Ajuste da Marcha Lenta

para sua adequada lubrificação. Ajuste da Marcha Lenta Condução 8 Ajuste da Marcha Lenta do Motor

Condução

8
8

Ajuste da Marcha Lenta do Motor

Este motor é equipado com a função de

ajuste da marcha lenta, e a faixa de ajus-

te é de 600 rpm a 800 rpm. O método de

funcionamento é o seguinte:

Com o motor na condição de marcha

lenta, pressione o botão para cima para aumentar a marcha lenta. Pressionando

o botão uma vez, a rotação da marcha

lenta do motor será correspondentemen-

te aumentada em 25 rpm, enquanto pres-

sionando o botão para baixo uma vez, a rotação da marcha lenta será correspon- dentemente diminuída em 25 rpm.

8 1
8 1

Condução

Instruções de Funcionamento para a Utilização da Transmis- são de 12 Velocidades

para a Utilização da Transmis- são de 12 Velocidades O mecanismo de controle que equipa e

O mecanismo de controle que equipa e é utilizado para as transmissões de 12 ve- locidades é do tipo simples “H” e as po- sições da alavanca de mudanças estão indicadas conforme a figura anterior.

Para o mecanismo de controle tipo sim- ples “H”, R1, e as velocidades 1- 2-3-4- 5-6 estão no setor de velocidades baixas enquanto que R2, e as velocidades 7-8- 9-10-11-12 estão no setor das velocida- des altas.

Atenção Antes da mudança de velocidades a embreagem deve ser totalmente acionada. Na mudança de
Atenção
Antes da mudança de velocidades
a embreagem deve ser totalmente
acionada. Na mudança de velocida-
de a alavanca de mudanças deve
ser levada para a posição desejada
para que a luva do sincronizador da
engrenagem possa ser totalmente
encaixada.
da engrenagem possa ser totalmente encaixada. A seleção das caixas de velocidades deve ser feita

A seleção das caixas de velocidades deve ser feita através da válvula pré- seletora da manopla, conforme a figura anterior.

Na posição “2”, a alavanca de mudança

pode engatar as velocidades 1-2-3-4-5-6

e R1.

Na posição “1”, poderão engatar as mar- chas 7-8-9-10-11-12 e R2. Ou seja, na posição 1 pode-se controlar as velocida- des altas e na posição 2 controla as velo- cidades baixas. O uso correto do sincro- nizador é de extrema importância.

Iniciar a movimentação do veículo sem- pre pela primeira marcha. Se o veícu- lo estiver sem carga e as condições da

estrada forem favoráveis, pode-se iniciar

a movimentação do veículo em 3ª ou 4ª marcha.

Instruções de Funcionamento para a Utilização da Transmis- são de 16 Velocidades O mecanismo de

Instruções de Funcionamento para a Utilização da Transmis- são de 16 Velocidades

para a Utilização da Transmis- são de 16 Velocidades O mecanismo de controle que equipa e

O mecanismo de controle que equipa

e

16 velocidades é do tipo duplo “H” e as posições da alavanca de mudanças es-

tão indicadas conforme a figura anterior.

A transmissão principal é controlada ma-

nualmente enquanto a caixa auxiliar tra- seira é controlada através de um sistema pneumático.

As figuras mostram respectivamente os diagramas: Posições da Alavanca Ma- nual do Mecanismo de Mudança de Mar- chas com o Duplo-H e Interruptor de Con- trole na Manopla.

é utilizado para as transmissões de

Atenção Antes da mudança de velocidades a embreagem deve ser totalmente acionada. Na mudança de
Atenção
Antes da mudança de velocidades
a embreagem deve ser totalmente
acionada. Na mudança de velocida-
de a alavanca de mudanças deve
ser levada para a posição desejada
para que a luva do sincronizador da
engrenagem possa ser totalmente
encaixada.

Condução

8
8
da engrenagem possa ser totalmente encaixada. Condução 8 A seleção das caixas de velocidades deve ser

A seleção das caixas de velocidades deve

ser feita através da válvula pré-seletora da manopla, conforme a figura anterior.

Na posição “1”, a alavanca de mudança pode engatar as velocidades 2-4-6-8-10- 12-14-16 e R2.

Na posição “2”, poderão engatar as mar- chas 1-3-5-7-9-11-13-15 e R1. Ou seja,

na posição “1” pode-se controlar as mar- chas pares e na posição “2” as marchas ímpares. O uso correto do sincronizador

é de extrema importância.

Iniciar a movimentação do veículo sem- pre pela primeira marcha. Se o veícu- lo estiver sem carga e as condições da

estrada forem favoráveis, pode-se iniciar

a movimentação do veículo em 3ª ou 4ª marcha.

8 1
8 1

Condução

Exigências e Cuidados na Utili- zação das Transmissões Série 12 e 16 Velocidades

Exigências na Utilização

O funcionamento correto e a utilização racional bem como a manutenção da transmissão são pontos muito importan- tes para garantir a segurança e a con- fiança na condução do veículo além de aumentar a sua vida útil. Por conta disso, não se esqueça de ter em mente os se- guintes pontos fundamentais:

1. Tipo do Lubrificante

A transmissão deve sempre ser abastecida com o óleo para trans- missão de alta qualidade, e suas características nunca deverão ser in- feriores ao óleo de transmissão tipo SAE 85W/90 API GL-5.

2. Posição do Nível de Óleo

O nível de óleo deve ser verificado através do visor de vidro na lateral da transmissão. O óleo deve estar ni- velado com a extremidade inferior do visor e o nível mínimo não pode estar mais que 5 mm abaixo do indicador inferior.

não pode estar mais que 5 mm abaixo do indicador inferior. O abastecimento excessivo de óleo

O abastecimento excessivo de óleo lubri-

ficante elevará a temperatura de trabalho da transmissão e possibilitará o início de vazamentos.

Enquanto que o nível demasiadamente baixo ocasionará uma lubrificação defi- ciente das peças internas e assim provo- cando desgaste nas peças internas.

O volume de abastecimento é de aproxi-

madamente de 19L.

Atenção O Nível do Óleo deverá sempre ser verificado com o veículo estacionado em um
Atenção
O Nível do Óleo deverá sempre ser
verificado com o veículo estacionado
em um local plano e com a transmis-
são em temperatura ambiente. Nun-
ca verifique nível de óleo em locais
inclinados em com a transmissão
quente.

3.

Complementação do Lubrificante

Deve-se certificar que o lubrificante utilizado para completar o nível de óleo da transmissão é do mesmo tipo do lubrificante original, isto evitará re- ações químicas entre lubrificantes de tipos diferentes.

4.

Ciclo de Troca do Lubrificante

O lubrificante original da transmissão deve ser primeiramente totalmente drenado sempre que for feita a troca. A primeira troca de lubrificante deve ser executada conforme a tabela de manutenção. É necessário verificar o nível e possíveis vazamentos de lubrificante, a cada 10.000 km ro- dados. Sempre quando necessário deve-se completar o nível.

5. Temperatura de Funcionamento A temperatura máxima da transmis- são durante trabalhos contínuos não deve

5. Temperatura de Funcionamento

A temperatura máxima da transmis-

são durante trabalhos contínuos não deve exceder 120°C, e a tempera- tura mínima não deve ser inferior a -40°C. Quando a temperatura de funcionamento exceder 120ºC oca-

sionará a degradação do lubrificante

e encurtando a vida útil da transmis-

são. Qualquer uma das seguintes situações pode fazer com que a tem- peratura de funcionamento da trans- missão suba acima de 120°C.

Trabalho contínuo sob condi- ções de velocidade de condução menor que 32 km/h.

Alta rotação do motor.

Alta temperatura ambiente.

Corrente eletromagnética ao re- dor da transmissão.

Sistema de escapamentomuito próximo da transmissão.

Operação em altíssimas veloci- dades.

6. Inclinação de Trabalho

Quando o ângulo de trabalho da transmissão excede 12°, a lubrifica- ção pode possivelmente ser insu-

ficiente. O ângulo de inclinação é a soma do ângulo normal de monta- gem da transmissão no chassi mais

o ângulo da rampa. Se exceder 12°,

uma bomba do óleo lubrificante ou dispositivo de refrigeração deverá ser instalado na transmissão para garantir uma boa lubrificação.

Condução

8
8

7. Tração ou Reboque

Quando a transmissão estiver em operação, o eixo e as engrenagens da transmissão não devem parar de girar, pois pode ocasionar uma lubri- ficação insuficiente para a mesma.

Entretanto, quando o veículo for re- bocado na condição das rodas tra- seiras estarem apoiadas no solo e o sistema de transmissão conectado, a engrenagem do eixo intermediário e em muitos casos a engrenagem do eixo principal não gira, enquanto isto o eixo principal está girando em alta rotação acionado pelas rodas trasei- ras.

Para evitar tais situações, deverão ser observados os seguintes pontos:

Nunca permita que o veículo se movimente com a transmissão na posição neutra e com o motor desligado.

Nunca pressione o pedal de em- breagem para que o veículo se movimente com a transmissão na posição neutra.

Quando o veículo estiver sendo rebocado, o semi-eixo deverá ser retirado, ou o eixo de trans- missão desconectado.

Condução 8 1 Observações:
Condução
8 1
Observações:

Durante a troca de marchas, a embrea- gem deverá ser totalmente acionada e a alavanca de mudança de marcha posicio- nada na marcha selecionada.

A alavanca de mudança de marchas pos-

sui duas posições neutras, uma para as marchas altas e outra para as baixas: ou seja, uma posição neutra para as mar- chas 9-10-11-12 no setor das marchas altas, e uma posição neutra para as ve- locidades 5-6-7-8 no setor das marchas

baixas. Quando o veículo estiver parado,

a alavanca de mudança de marchas de-

verá ser posicionada na posição neutra no setor das marchas baixas. Para en- gatar a marcha baixa ou a marcha ré, é necessário parar o veículo antes do en-

gate para evitar que sejam danificadas as partes internas da transmissão. Quando

a marcha ré for engatada será neces-

sário utilizar uma força relativamente

maior para superar a resistência da tra- va da marcha ré. Durante as descidas é proibido fazer a mudança do setor das marchas baixas / altas. A marcha “1” ou

a marcha “2” devem ser utilizadas para

iniciar o movimento do veículo, conforme

a

condição da estrada.

O

freio deverá ser primeiramente libera-

do, antes da partida do veículo.

O veículo só deverá se movimentar após

a pressão de ar subir até o valor neces-

sário para a liberação do freio (Pressão especificada no capítulo de Freios). É ne- cessário parar o veículo imediatamente para uma verificação caso haja qualquer ruido irregular enquanto a transmissão estiver em uso.

Atenção Não é permitido que a transmissão seja desmontada e montada por ter- ceiros durante
Atenção
Não é permitido que a transmissão
seja desmontada e montada por ter-
ceiros durante o período de garantia.

Freios de Serviço

O freio de serviços é do tipo pneumático

de duplo circuito controlado pela válvula de pedal de freio. A pressão de funciona- mento é de 7,5 bar (0,75 Mpa).

1 o circuito atua sobre as rodas do eixo

traseiro (ou duplo eixo traseiro) e o 2 o cir- cuito nas rodas do eixo dianteiro. Caso

a pressão de ar do reservatório em um

dos dois circuitos caia abaixo de 5,5 bar (0,55 MPa), a luz de advertência do re-

servatório de ar irá se acender no painel

e exigirá que o veículo seja estacionado

para descobrir a razão da perda de pres- são. A utilização sucessiva do freio em um curto período de tempo poderá tam- bém ser a razão da queda da pressão de

ar abaixo de 5,5 bar.

O

Verificação de Vazamentos:

Após o motor ter sido desligado e o freio de estacionamento acionado, a queda de pressão máxima dentro de 2 horas deve-

rá ser de 0,5 bar (0,05 MPa) ou o máximo

de 0,1 bar (0,01 MPa) a cada 30 minutos.

MPa) ou o máximo de 0,1 bar (0,01 MPa) a cada 30 minutos. Quando a pressão

Quando a pressão for insufi- ciente (inferior a 5,5 bar) ao ser ligada a ignição, a luz indicadora no painel se acenderá e exigirá que o veículo seja estacionado imediatamente para descobrir a razão da perda de pressão.

Alavanca do Freio de Estaciona- mento / Semirreboque Alavanca do Freio de Estaciona- mento O

Alavanca do Freio de Estaciona- mento / Semirreboque

Alavanca do Freio de Estaciona- mento / Semirreboque Alavanca do Freio de Estaciona- mento O freio

Alavanca do Freio de Estaciona- mento

O freio de estacionamento age sobre as rodas traseiras do veículo, aplicado atra- vés de mola.

A pressão de ar é usada para recuar as molas e liberar o freio.

Para liberar o freio: posicione a alavan- ca do freio de estacionamento (1) para baixo, na posição indicada para a movi- mentação, e ao mesmo tempo a luz de advertência do freio de estacionamento se apagará.

Para aplicar o freio: posicione a alavanca do freio de estacionamento para cima, na posição indicada, e a luz de advertência do freio de estacionamento se acenderá.

Atenção Mantenha a válvula moduladora do freio de estacionamento aplicado (alavanca para cima) sempre que
Atenção
Mantenha a válvula moduladora do
freio de estacionamento aplicado
(alavanca para cima) sempre que es-
tacionar o veículo.

Condução

8
8

Freio do Reboque e/ou Semirrebo- que:

A válvula do freio reboque (2) é utilizada

para freiar o freio do reboque e/ou semi- reboque bastando para tanto puxar o ma- nete da válvula para cima.

O freio de serviço do freio do reboque e/

ou semirreboque atua independentemen-

te

dos freios de serviço e estacionamen-

to

do cavalo mecânico. A sua utilização

em descidas, principalmente em pisos de pouca aderência, garante o alinhamento do conjunto cavalo mecânico/semirrebo- que, evitando o efeito “L” do semirrebo- que.

Acione o freio do reboque e/ou semirre- boque antes de aplicar o freio de serviço (freio de pedal), a fim de evitar o efeito “L” do freio do reboque e/ou semirreboque sobre o cavalo mecânico.

8 1
8 1

Condução

Sistema de Segurança dos Freios

Perda do Circuito Dianteiro

Em caso de perda de pressão no circui- to dianteiro, válvulas de proteção entram em ação e os circuitos traseiro e do rebo- que e ou semirreboque não são afetados.

Perda do Circuito Traseiro

Em caso de perda de pressão no circuito traseiro, os circuitos dianteiro e do rebo- que e ou semirreboque não são afetados.

Atenção Embora os freios continuem a fun- cionar com um nível de desempenho reduzido, o
Atenção
Embora os freios continuem a fun-
cionar com um nível de desempenho
reduzido, o veículo não deverá ser
operado até que o sistema seja re-
parado e ambos os circuitos de freio
estejam funcionando perfeitamente.

Acoplamento do Semirreboque

funcionando perfeitamente. Acoplamento do Semirreboque Atenção O semirreboque deverá estar com as rodas
Atenção O semirreboque deverá estar com as rodas firmemente calçadas para evi- tar que se
Atenção
O semirreboque deverá estar com as
rodas firmemente calçadas para evi-
tar que se movimente no momento
do acoplamento.
Instalação

Destravar o dispositivo de trava da quinta-roda.

Ajustar a quinta-roda com no mínimo 50 mm mais baixa do que a base do semirreboque, assim como demons- tra a figura anterior.