Você está na página 1de 8
Universidade lúrio Faculdade de engenharia Direcção do Curso de Engenharia Civil Curso de Licenciatura em

Universidade lúrio

Faculdade de engenharia Direcção do Curso de Engenharia Civil Curso de Licenciatura em Engenharia Civil Guia de Correcção Período (Único): Laboral. 2 o Nível. Semestre I-Ano 2017. Data: 13.04.2017. Duração: 3H

Muitíssimo Importante:

Desligar o celular ou qualquer equipamento electr ónico similar;

Não conversar durante a avaliação;

Apresentar o seu B. I ou passaporte antes da avaliação;

Não compartilhar qualquer material na sala de avaliação.;

A avaliação deve ser feita em folhas devidamente carimbadas pela instituição.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Parte Téorica: sem consulta (Duração: 1:00 Hora)

1. Na Figura 1, são apresentados os gráficos de Plum, Poulsen e Idorn, nos quais se mediram expansões

e resistência das argamassas correspondentes em que variou a percentagem do inerte reactivo. Explique

a partir do gráfico o que acontece com a expansão, a resistência a compressão e a flexão da argamassa quando o teor do inerte reactivo é de 12% a 20% e quando atinge 25% (2 valores).

reactivo é de 12% a 20% e quando atinge 25% (2 valores). Figura 1: Variação da

Figura 1: Variação da tensão de rotura e da expansão de argamassas com o inerte reactivo. As setas no gráfico superior indicam expansões superiores as que foi possível medir.

1.

Resposta: Quando o teor do inerte reactivo é de 12 a 20%, a expansão é máxima (0.33 valores) e

a resistência diminui: a de compressão passa para metade (0.33valores) e a flexão chega mesmo a

anular-se (0.33 valores), mas quando o teor é superior a 25% a resistência diminui de novo (0.66

valores) não se manifestando, nessa fase, qualquer expansão (0.33 valores). Esse facto é devido à

perda de resistência da rocha reactiva em virtude das reações químicas durante a alteração.

2. Numa ponte construída antes da independência, na região próxima do Zero, na EN1, na Zambézia

mostrava fissuras não atribuíveis à sulfoaluminato de cálcio o que levou a sua ruína precoce. As

manifestações patológicas aparentes da estrutura antes da ruína eram caracterizadas por expansões

exageradas e deformações desordenadas originando fissuras em direcções que não correspondiam às

tensões instaladas na estrutura, formação de crateras mais ou menos profundas de forma cónica e

exsudação de um gel de sílica. A ANE, pretende levar a cabo a construção de uma nova ponte junto a

secção anterior, no entanto, teme que o fenómeno anterior se repita de forma precoce. Se você fosse um

membro da equipe dos projectistas desta estrutura, que considerações tomaria em conta para combater

fenómeno descrito? (2.0 valores).

2.Resposta:

Utilizar cimentos com teor de álcalis, expresso em Na 2 O, inferior a 0,6% em relação à massa do cimento (0.75 valores);

Não utilizar inertes com sílica reactiva (0,75 valores);

Utilizar pozolanas e escórias granulada de alto-forno em quantidade e qualidade suficiente (0.5 valores).

3. Explique a importância da superfície específica do cimento, no comportamento da

mistura final e no endurecimento da mesma? (1.0 valor).

3. Resposta: A superfície

material disponível para a hidratação. Quanto menor for a dimensão das partículas (finura) que

constituem um cimento, maior é a sua superfície específica, consequentemente a superfície do

material exposto à hidratação, pelo que a presa e o endurecimento serão mais rápidos (para a mesma quantidade de água de amassadura (1 valor).

específica de um cimento, é um parâmetro que avalia a quantidade de

4. O governo de Moçambique, através de MOPHRH pretende levar a cabo a construção

de uma barragem, uma estrada e um aeródromo numa região sujeita a temperaturas

muito baixas na província de Niassa. Um grupo de projectistas foi convocado para

apresentar propostas fechadas sobre o tipo de betão a utilizar. Se você fizesse parte do

grupo, qual (ais) seria (ão) a (s) sua (s) proposta (s)? (2.0 valores).

4.Resposta:

Betão de ár controlado (2 valores), porque apresenta grande resistência à acção do gelo e degelos sucessivos em regiões de temperaturas muito baixas.

5. Na parte escrita do projecto para a construҫão de um edifício habitacional para o sr. Baggio aparece a seguinte especificação técnica "Fornecimento e colocação de tecto falso em gesso, em placas de 60cm x60cm, incluindo estrutura metálica de suporte, perfil "L" periférico, e todos acessórios de montagem e fixaҫão necessários e complementares". No entanto, o dono da obra, o senhor Baggio, pediu esclarecimento ao projectista sobre as razões da escolha das placas de gesso para o tecto falso. Você como projectista que explicações daria ao dono da obra? (1.50 valores).

5.Resposta:

O tecto falso em placas de gesso:

Apresenta excelente isolamento térmico (0.60) valores;

Apresenta excelente isolamento acústico e (0.60) valores;

Apresenta excelente impermeabilidade ao ar (0.30 valores).

6. Pretende- se que um betão fabricado com um inerte grosso proveniente de uma pedreira que nunca foi explorada, tenha um abaixamento de Cone de Abrams de 8 a 10 cm. Que ensaios realizaria sobre o inerte? Qual é o objetivo do ensaio de Cone de Abrams? Explique os procedimentos do ensaio. Ao que se designa por tempo de presa de um cimento e como se determina (3.0 valores).

6.Resposta:

Ensaio de determinação da tensão de rotura da rocha originária (0.5 valores);

O objetivo do ensaio do Cone de Abrams serve para avaliar a trabalhabilidade do betão (0.25 valor); Procedimentos do ensaio: Num molde de chapa metálica, com forma de tronco- cónico de 20 cm de diâmetro na base, 10 cm no topo e 30 cm de altura, apoiado numa superfície rígida, o betão fresco é moldado em três camadas iguais, compactadas, cada uma com 25 golpes, por uma barra de 16 mm de diâmetro e 60 cm de comprimento. Em seguida o molde é retirado verticalmente, deixando o betão sem suporte lateral. Sob a força de gravidade, a massa abaixa, mais ou menos simetricamente, aumentando o seu diâmetro médio, enquanto sua altura diminui. O abaixamento ou slump corresponde à diferença entre 30 cm e a altura após a remoção do molde (0.75 valores).

Tempo de presa do cimento é o tempo necessário para à passagem do estado líquido ao sólido, ou melhor, para a rigidificação da pasta de cimento (0.25 valores). Para a sua determinação mede-se a resistência de uma pasta de cimento à penetração de uma agulha com 1 mm 2 de secção, sob a acção de um peso de 300 g (0.25 valores).

Parte prática: Com consulta (Duração: 2: 00 Horas)

7. Da análise granulométrica de três inertes obteve-se os seguintes resultados (vide a Tabela 1):

a) Determine o módulo de finura da brita 2 (0.5 valores).

7 a. Resposta: Módulo de finura=4 (0.5 valores)

valores). 7 a. Resposta: Módulo de finura=4 (0.5 valores)   Material Retido no peneiro [g]  
 

Material Retido no peneiro [g]

     

%Passada-

Abertura

 

%Retida

%Acumulada

%Passada

Mistura

da malha

[mm]

                       

35%Brita

Brita

Brita

Brita

Brita

Brita

Brita

Brita

Brita

1+40%Brita

 

1

2

Areia

1

2

Areia

1

2

Areia

1

2

Areia

2+25%Areia

38.1

     

-

-

 

0

0

0

100.0

100.0

100.0

100.0

25.4

337.0

   

6.7

-

 

6.7

0

0

93.3

100.0

100.0

97.6

19.1

671.8

   

13.4

-

 

20.2

0

0

79.8

100.0

100.0

92.9

12.7

2135.4

112.1

 

42.7

11.2

 

62.9

11.2

0

37.1

88.8

100.0

73.5

9.52

1627.2

379.5

 

32.5

38.0

 

95.4

49.2

0

4.6

50.8

100.0

46.9

4.76

156.1

337.6

4.9

3.1

33.8

2.5

98.6

82.9

2.5

1.5

17.1

97.6

31.7

2.38

67.6

117.5

16.5

1.4

11.8

8.3

99.9

94.7

10.7

0.1

5.3

89.3

24.5

1.19

4.9

32.4

27.7

0.1

3.2

13.9

100.0

97.9

24.6

0.0

2.1

75.5

19.7

0.595

 

18.1

96.5

-

1.8

48.3

-

99.7

72.8

0.0

0.3

27.2

6.9

0.297

 

2.8

44.9

-

0.3

22.5

-

100.0

95.3

0.0

0.0

4.8

1.2

0.149

   

7.6

-

-

3.8

-

 

99.1

0.0

0.0

1.0

0.2

0.075

   

1.9

-

-

1.0

-

 

100.0

0.0

0.0

0.0

0.0

TOTAL

5000.0

1000

200

100.0

100.0

100.0

483.7

535.6

404.8

-

-

-

 

M.FINURA A.

     

%RETIDA

4

b) Faça a designação da classe do inerte-brita 1 (0.5 valores).

7 b)

d/D=9.52/25.4

(0.5 valores)

Nota: O inerte pode conter 10% de partículas com dimensão superior a D e 5% de partículas com dimensão inferior d.

c) Trace a curva granulométrica da areia (0.5 valores).

Tabela 1: Abertura da malha e material retido

Abertura da malha [mm]

Material Retido no peneiro [kg]

Brita 1

Brita 2

Areia

38.1

     

25.4

0.3370

   

19.1

0.6718

   

12.7

2.1354

0.1121

 

9.52

1.6272

0.3795

 

4.76

0.1561

0.3376

0.0049

2.38

?

0.1175

0.0165

1.19

0.0049

?

0.0277

0.595

 

0.0181

?

0.297

 

0.0028

0.0449

0.149

   

0.0076

0.075

   

0.0019

 

5.0

1

0.2

7 c) Resposta: 0.5 valores

Curva Granulométrica da Areia

100.0 90.0 80.0 70.0 60.0 50.0 40.0 30.0 20.0 10.0 0.0 0 5 10 15
100.0
90.0
80.0
70.0
60.0
50.0
40.0
30.0
20.0
10.0
0.0
0
5
10
15
20
25
30
35
40
45
%Passada

Abertura das malhas [mm]

D^(1/5)

d) Trace a curva granulométrica da mistura dos inertes nas seguintes proporções: 35% da brita 1, 40% da brita 2 e 25% da areia (2.0 valores).

7d) Resposta: (1.5 valores para as % e 0.5 valores para a curva)

Nota: o estudante deve traçar as curvas granulométricas em folhas apropriadas.

Curva Granulométrica da Mistura 100.0 90.0 80.0 70.0 60.0 50.0 40.0 30.0 20.0 10.0 0.0
Curva Granulométrica da Mistura
100.0
90.0
80.0
70.0
60.0
50.0
40.0
30.0
20.0
10.0
0.0
0
5
10
15
20
25
30
35
40
45
Abertura das malhas [mm]
D^(1/5)
%Passada

8. Cada uma das partículas (vide Tabela 2) foi introduzida numa proveta graduada com água, o volume de água deslocado por cada uma das partículas consta na coluna 3 da referida tabela. Classifique as amostras, segundo a sua esfericidade e comente (1.0 valor).

Tabela 2: Classificação das amostras do agregado grosso, segundo a sua esfericidade

N.

o

Maior dimensão [dm]

Volume de água deslocado [mm 3 ]

Classificação

1

0,254

3180

 

2

0,381

2200

 

3

0,0476

20

 

4

0,191

1800

 

8 Resposta:

Cálculo de coeficiente volumétrico 0.125 valores por cada amostra.

Tabela 3: Classificação das amostras do agregado grosso, segundo a sua esfericidade

   

Volume de

Determinacao

 

água

do

N.

o

Maior

deslocado

coeficiente

Classificação

dimensão [mm]

=volume do

volumétrico

 

inerte

Ɣ=1.19

 

[mm

3 ]

V/(N)^3

1

25.4

3180

0.37

Partículas cúbicas- Inerte muito bom

       

Partículas achatadas-inerte

2

38.1

2200

0.08

bom- afectam desfavoravelmente o betão

3

4.76

 

20

0.35

Partículas cúbicas- inerte muito bom

       

Partículas em forma de ovo-inerte

4

19.1

1800

0.49

excepcionalmente bom

Nota: A forma das partículas iunflui muito sobre as propriedades do betão tais como a trabalhabilidade, ângulo de atrito interno, compacidade, e em última análise sobre todas as que dependem da quantidade de água da amassadura.

Comentário: 0.125 valores por cada amostra.

9. A amostra n. o 2, do exercício anterior, poderia ser utilizada para confeccionar um betão armado para a construção das paredes da caixa forte de uma cave da Filial do Banco de Moçambique, no Centro da Cidade de Xai-Xai? Comente (suponha que o nível freático é muito elevado e considere as normas francesas P.18-301 de 1941) (2.0 Valores).

9. Resposta

A amostra n. o 2, apresenta um coeficiente volumétrico inferior a 0.25 para um betão de baixa permeabilidade (normas francesas P.18-301 de 1941) (1 valor), pelo que o inerte não podia ser utilizado (1. Valor).

10. Supondo que o módulo de elasticidade da amostra n. o 2 é muito menor que o módulo de elasticidade da amostra n. o 1, que implicações isso teria para o betão mencionado na pergunta anterior, do ponto de vista da distribuição de tensões e deformações entre o inerte e a pasta de cimento? (2.0 valores).

10. Resposta:

Se, no mesmo betão, há inertes com diferentes módulos de elasticidade, tais diferenças podem ser suficientemente grandes para provocar desiguais distribuições de tensões e de deformações entre o inerte e a pasta de cimento, quando se dá a expansão ou contracção do betão devidas quer às tensões aplicadas quer a alterações de temperatura ou acções de molhagem e secagem ( 2 valores).

BOM TRABALHO

/Amâncio Cabral e Nelson Traquinho/

Estudar é uma faculdade comum, aprender é uma comunhão sublime.