Você está na página 1de 3

Aula 1

Aneis, ideais e homomorfismos

1 . anel. Um anel A e um conjunto nao vazio no qual estao definidas


duas operacoes, chamadas de soma e multiplicacao, denotadas + e e que
satisfazem as seguintes regras operatorias:

+1 associatividade : x, y, z A, (x + y) + z = x + (y + z)
+2 comutatividade : x, y A, x+y =y+x
+3 zero : 0 A tal que x A, x+0=x
+4 negativo : x A y A tal que x + y = 0
1 associatividade : x, y, z A, (x y) z = x (y z)
+ distributividade : x, y, z A, x (y + z) = x y + x z
e (x + y) z = x z + y z.

Os exemplos aqui relevantes sao o anel dos inteiros (Z), o dos polinomios
(k[x]), o das funcoes racionais (k(x)) e o das series de potencias (k[|x|])em
uma ou mais variaveis.
Em cada um desses aneis valem ainda os axiomas seguintes:

2 unidade : 1 A tal que x A, 1 x = x 1 = x


3 comutatividade do produto : x, y A, x y = y x

Convencionamos doravante que anel significa anel comutativo e com ele-


mento unidade 1 6= 0. Verifica-se facilmente que os elementos 0 (zero) e 1
2 Aneis, ideais e homomorfismos

(unidade) sao unicos; o negativo de cada x A tambem e unico; denota-se


naturalmente por x.
Diremos que um subconjunto A0 A e um subanel de um anel A se
0, 1 A0 e x, y, z A0 x y z A0 . Segue que todo subanel e
naturalmente um anel com as operacoes induzidas.

2 . Exemplos. 1) O conjunto dos numeros inteiros e um subanel dos


racionais, que por sua vez formam um subanel dos reais, ...
Z Q R C.
2) Seja A = {0, 1}, conjunto formado por dois elementos. Definamos as
operacoes de soma e produto de tal maneira que 0 funcione como zero e 1
como 1:
0 + 0 = 0, 0 + 1 = 1, 1 + 1 = 0, 0 0 = 0, 0 1 = 0, 1 1 = 1.
O leitor verificara sem dificuldades que se trata efetivamente de um anel.
Note em particular que, neste exemplo, vale a relacao 1 = 1.

3 . homomorfismos. Sejam A e B aneis. Um homomorfismo de A em B e


uma aplicacao : A B tal que (1) = 1 e x, y, z A (x + y z) =
(x) + (y) (z).
Dizemos que um homomorfismo bijetivo e um isomorfismo; neste caso,
a aplicacao inversa 1 e necessariamente um homomorfismo.
Dizemos que os aneis A, B sao isomorfos se existir um isomorfismo :
A B.
Um homomorfismo sobrejetor sera chamado de epimorfismo.

4 . Exemplos. 1) Se A0 e um subanel de um anel A, entao a aplicacao de


inclusao A0 A e um homomorfismo.
2) A aplicacao de conjugacao C C, a + bi 7 a bi e um homomorfismo
(de fato um isomorfismo).
3) Seja A = {0, 1} como no exemplo 2 e seja : Z A a aplicacao definida
por paridade, i.e., (n) = 0 se n e par, 1 se mpar. E imediato que e um
homomorfismo.

5 . exerccios.

1 . A composicao : A C de homomorfismos : A B, : B
C e um homomorfismo.
3

6 . congruencias. Dizemos que x, y Z sao congruentes modulo um inteiro


prefixado m se x y e multiplo de m. Em smbolos:

xy (m) z Z tal que x y = zm.

O inteiro m e chamado o modulo da congruencia; quando explcito no con-


texto omitiremos (m) escrevendo simplesmente x y

7 . exerccios.

2. Relembre a nocao de relacao de equivalencia. Descreva todas as relacoes de


um conjunto com dois elementos. Quais sao simetricas? Quais sao reflexivas?
Quais transitivas?

3 . A relacao de congruencia e uma relacao de equivalencia, i.e., ,

1. (reflexiva) x xx Z;

2. (simetrica) x yx, y Z;

3. (transitiva) x y e yz x z.

Você também pode gostar