Você está na página 1de 211

| 


    

| |



|  
    

Contabilidade !!!
É obrigado fazer contabilidade
de empresa inscrita no SIMPLES?

| |  a  


|  
a      

|  
    

Lei 9317/96
+
Lei 9841/99
=
LC 123/2006
| |  a  
|  
a      

|  
    
    

|





!!
| |  
!
|  
    
 $|  |   |

Pela LC 123/06
1) Apuração e recolhimento de impostos & contribuições;
2) Obrigações acessórias, trabalhistas & previdenciária;
3) Acesso ao crédito e ao mercado competitivos;
4) Preferência nas aquisições pelo Poder Público.

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 $|  |   |
årgãos de administração e políticas

%
) 

 &'(  &

!*+ !*+

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 $|  |   |
,*-.*//0

1 |2 &3 

456&78&

9 :&(& &512
 '&&


| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 $|  |   |

51;./<

Opção Manutenção

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 $|  |   |

51>./<
X: 2 &(&
X &=
X&22 4

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
    | ?    |
1. Apuração e recolhimento de impostos e contribuições mediante
uso de procedimentos & cálculos derivativos;

2. Constituição & baixa de empresas sem comprovar a


regularidade fiscal ou tributária da empresa & sócios;

3. Ao invés recomeçar o ano do zero ± BC crescendente, doravante


a BC será a RB dos 12 mêses anteriores; ou seja, na visão do
relator, uma BC decrescendente;

4. Dispensa do cumprimento de obrigações trabalhistas, algumas


delas com reflexos preocupantes ao Contador

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
    | ?    |

o. Unificação dos procedimentos ou exigências formais,


especialmente a juntada de certidões & comprovantes;

6. Tratamento diferenciado Pequeno Empresário, aquele com RB


até $ 36 mil/ano: NFs, recibos ou escrituração

7. Créditos e políticas competitivas; incentivos & apoio tecnológicos;


atividades através do cooperativismo;

8.Justiça do Trabalho, Juizados Especiais, recursos FAT,


deliberações societárias, encargos protestos de títulos;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
    | ?    |

Anunciaram e venderam um ³cordeiro´


domesticado, manso, sem vícios, bom de
montaria, porém entregaram um LEÃO
revigorado, jovem, faminto e trapalhão?

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 | ?    |  
|    @ | %  ;./<
÷ 
÷ 

  

 

|  $| ?#| $|  |  
&22 &22 | (
 (  

| A B*;/ 

"
| C B*;/  D B*!;// 

   &2(

  &  :51 

| |  a  


|   *.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    

| E | F |G

23&24229|9 B*;/
H|8

23&24229| B*;/
H|8

 | |   |  $| I


| | | E | |F

|   a  


*.;
a   
a   
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
    | ?    |
lual a diferença fundamental entre Microempresa e
Empresa de Pequeno Porte, se as regras e disposições
do Supersimples são rigorosamente as mesmas?

XRB < de 240 mil - Não é devido IR e PIS;


XAlíquotas menores nas faixas da RB para fins
enquadramento

2&1(: 51F

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
    | ?    |

Considerando-se tabelas e percentuais únicos, e à vista


de que, no caso de início de atividades e até o final do
AC, a empresa talvez não mantenha a opção original,
será que devemos cadastrar e iniciar os recolhimentos
do período na condição de ME ou EPP ± IR e PIS?

No caso de início de atividade no próprio AC, qual a


melhor opção para se cadastrar - como ME ou EPP ?

1&82J51

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
    |   K  | #  |

&2(
|H B*/7+HC|

|H B*//7+HC|7&1

82|7&1

|7&@ */L |7&9*/L


   
|7&! 8 223&2
422

+-+È ,* +-+È ,/

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
|7 ,M
 &422,>./-.*//<

&"

9 B*!///!/// 9 B*!;//!///
 B*!;//!///

   
2/,./,.*//N 2,>./-./<

| | a  


-.;
a   
a   
| |   

| "   |
 | | 
 

#   
|  
    
    |   K  | #  |

Na hipótese Estados e Municípios adotarem sublimites,


caso a RB auferida durante o AC de início das atividades
ultrapasse o limite de $ 100 ou 1o0 mil, respectivamente,
multiplicados pelos meses desse período, as ME ou EPP
neles localizados estarão impedidas recolher o ICMS e o
ISS pelo Simples, com efeitos retroativos ao início das
atividades, salvo se o excesso não for superior a 20%

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
    |   K  | #  |

Se as atividades iniciaram no AC imediatamente anterior


ao da opção pelo Supersimples, deverá observar seguinte:

1. limites $ 20 mil/ME e $ 200 mil/EPP, respectivamente,


multiplicados pelo número de meses naquele período;

EX: ME que iniciou atividade abril = limite $ 180 mil


EPP que iniciou atividade agosto = limite $ 1.000 mil

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
    |   K  | #  |

2. Os Estabelecimentos ME/EPP localizados em UF que


adotarem os sublimites, ficam impedidos recolher
ICMS e ISS pelo Simples já no ano de ingresso, caso
a RB auferida durante o AC de início das atividades
ultrapasse o limite de $ 100 mil ou $ 1o0 mil,
respectivamente, multiplicado pelos meses do período
|  E  |        |M
,O | K    #  | E | | |P|   | E
| %  |
|   K    #  | Q
*O  |  E | |   |   | |P|   | 
RS | |T| % |  |  | !

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
    |   K  | #  |

Exemplo 2:
A empresa iniciou atividades em Março de 2006.

Entre Mar e Dez/06 a RB da empresa foi $ 1.6 milhão


($ 1o0/mes x 10 - mêses período, seria = a $ 1.o milhão)

Portanto, neste caso estará automaticamente impedida


de pagar ICMS/ISS pelo Simples já no ano de ingresso.

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 |  " | || " 
Para fins de enquadramento e opção, considera-se RB
o produto da venda de bens e serviços nas operações:

1. Conta própria: aquelas efetuadas com


bens & serviços de propriedade da empresa;

2. Conta alheia: receita com a intermediação bens e


serviços de terceiros - consignação, dos quais sou
apenas intermediário. A RB será apenas o resultado.

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 " "  %  | |

1. IRPJ;
2. CSLL;
3. IPI, exceto o IPI incidente na importação;
4. COFINS, exceto a incidente na importação;
o. PIS, exceto o incidente na importação;
6. INSS, exceto no caso de PJ que prestar os serviços
dos incisos XIII a XXVI, pars 3 e 4, Art 12 Res 04;
7. ICMS;
8. ISS;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| #   |
|     U UU#

Portanto as atividades seguintes devem pagar INSS


nos termos legislação vigente, explicitado, ainda, o
direito ME/EPP que se dediquem exclusivamente à
prestação de outros serviços, ³não relacionados´,
optarem também pelas regras do Simples Nacional,

desde que não tenham sido expressamente vetados

|  |      | #  I

| |  |  


|  
    
SERVIÇOS REFERIDOS NA EXCEÇÃO DO ART. 17
; Construção de imóveis e obras de engenharia, inclusive sub-empreitada
; Transporte municipal de passageiros;
; Empresas montadoras de estandes para feiras;
; Escolas livres, línguas estrangeiras, artes, cursos técnico-gerenciais;
; Produção cultural e artística;
; Produção cinematográfica e de artes cênicas;
; Cumulativamente administração e locação de imóveis de terceiros;
; Academia de dança, capoeira, ioga e artes marciais;
; Academia de atividades físicas, desportivas, natação, escola de esportes;
; Programas computação, jogos eletrônicos, se prestados optante do Simples;
; Licenciamento, cessão direito de uso de programas de computação;
; Planejamento, confecção, manutenção páginas eletrônicas, prestado optante;
; Escritórios de serviços contábeis;
; Serviços de vigilância, limpesa ou conservação,
; |   |  |
|  |  

| |  |  


|  
    
 "  "  %  | |

1. IOF;
2. II & IE;
3. ITR;
4. IR, relativo aos rendimentos ou ganhos líquidos
auferidos em aplicações de renda fixa ou variável;
o. IR relativo aos ganhos de capital auferidos venda
de bens integrantes do ativo permanente;
6. CPMF;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "  "  %  | |

7. FGTS;
8. INSS ± parcela descontada do trabalhador;
9. INSS relativo a pessoa do empresário, na qualidade
de contribuinte individual para com a previdência;
10.IR retido sobre os pagamentos e créditos efetuados
pela pessoa jurídica em favor de pessoas físicas;
11.Cofins; PIS e IPI incidentes sobre as importações;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "  "  %  | |
12.ICMS devido:
a) operações sujeitas a substituição tributária;
b) por terceiro, a que o contribuinte estiver obrigado,
c) na entrada de petróleo, lubrificantes, combustíveis,
energia elétrica não para comércio ou indústria;
d) por ocasião do desembaraço aduaneiro;
e) na aquisição, manutenção em estoque, de mercadoria
desprovida de documento fiscal prescritas na lei
g) nas operações sujeitas ao regime de antecipação do
imposto ou à diferença alíquotas, nas aquisições em
fornecedores de outras unidades da Federação;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "  "  %  | |
13.ISS devido:
; em relação aos serviços sujeitos à substituição
tributária ou retenção na fonte;
; na importação de serviços;

14.Demais tributos de competência da União, Estados


ou Municípios, não relacionados nos itens anteriores

O IRRF APLICAÇÕES FINANCEIRAS É DEFINITIVO

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "  % P  | 
A tributação do ganho de capital será defintiva
mediante incidência de 1o% sobre a diferença
positiva entre os valores alienação e o custo da
aquisição diminuído depreciação, mesmo que a
ME/EPP não mantenha escrituração contábil
para referido instituto. (Par o, Art o, Res 04)
Neste caso, a ME/EPP optante do Supersimples
que não mantiver escrituração contábil, deverá
comprovar por documentação hábil o valor de
aquisição e comprovar cálculos da depreciação

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
    |   K  | #  |

Exemplo 3:

1. Empresa compra veículo 02/02//0o por $ 60 mil;


2. Empresa vende o veículo 30/0o/07 por $ oo mil;
3. A depreciação 20% aa em 28 meses = $ 28 mil.

Portanto, neste caso, qual o valor do Ganho de Capital


para fins de BC e pagamento dos 1o% do IR previsto?

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "  % P  | 
,
Na apuração do ganho de capital, os valores acrescidos
por reavaliação somente poderão ser considerados custos
se anteriormente foram computados na BC do imposto

*
O Imposto de Renda calculado e devido em decorrência
da alienação de ativos, deverá ser pago até o último dia
útil do mês subsequente ao do ³recebimento´ dos ganhos

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
|     " $|    

As ME e EPP optantes do Simples, ficam dispensadas


ao pagamento das contribuições instituídas pela União,
inclusive as parcelas destinadas à entidades privadas
serviço social ou de formação profissional vinculadas
ao sistema sindical - Art 240 e seguintes da CF ± ou às
demais entidades executoras serviço social autônomo

PORTANTO, ME/EPP ENlUADRADAS NO SIMPLES


NÃO PAGAM MAIS TERCEIROS: Så 20% MAIS SAT

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "     ? |   
Os valores efetivamente pagos ou distribuídos à titular
ou sócios da ME ou EPP optantes do Simples, ficam
isentos do IRRF ou então IRPF através da declaração
de ajuste anual, salvo se corresponderem à retiradas
sistemáticas: pro-labores, aluguéis e serviços prestados
A isenção acima está limitada ao valor resultante da
aplicação dos percentuais do Art 1o da lei 9.249/199o,
sobre a RB mensal, no caso antecipação de fonte, ou da
RB anual, tratando-se in casu de declaração de ajustes,
deduzido do valor devido na forma do Simples/período

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "     ? |  
& 51

Distribuição de Lucros < "  7 L  H 

Distribuição de Lucros > "  7 L  H '(4

&51 2 V

RB annual - valor devido na forma do Simples

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "     ? |   
Exemplo 4:
A RB de empresa comercial em abr/07 foi na ordem de
$ 1o0 mil e, a RB acumulada em 12 mêses $ 1.800 mil.

Logo, 8% RB = LP $ 12 mil/mes ou LP $ 144 mil/ano

Considerando o parágrafo 1, Art 6, da Res. 04, qual o


valor a ser distribuido, se pela faixa de enquadramento
o importe do Simples devido é maior que o valor LP??

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "     ? |   

A limitação ao valor da distribuição dos resultados da


ME ou EPP, não se aplica nos casos em que referidas
empresas mantenham escrituração contábil de forma à
evidenciar existência de resultado superior aquele limite

Significa dizer portanto, que se a retirada for maior que


o limite, a contabilidade deverá demonstrar em DRE/BP
que os resultados econômicos acumulados são superiores

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
|  | | | 

A opção pelo Simples Nacional será feita pela internet,


até o último dia de janeiro, sendo irretratável para todo
o período em curso, e produzirá efeitos retroativos ao
primeiro dia daquele AC, ressalvado início de atividade.

No momento da sua opção, a empresa interessada deverá


consignar declaração de que não se acha enquadrada nas
vedações previstas Art 12, independente das verificações

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
|  | | | 
Em se tratando de atividades iniciadas no AC da opção, as
ME e EPP deverão observar as seguintes disposições:
1. Após a inscrição no CNPJ; Estados e Municípios, acaso
exigíveis, terão 10 dias, contados do último deferimento
2. Formalizada a opção, a RFB disponibilizará à Estados,
DF e Municípios relação dos contribuintes para fins de
levantamentos e verificação das informações prestadas;
3. Entes federados deverão, também em 10 dias, a partir
das informações, comunicar RFB, as suas conclusões
acerca das verificações referidas no item 2 acima;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
|  | | | 
4. Confirmados dados ou então ultrapassados os 10 dias
do prazo sem manifestação årgãos Federativos, serão
consideradas válidas informações prestadas ME/EPP;
o. A opção produzirá efeitos para FG ocorrido a partir
último deferimento da IE / IM, salvo se não validadas
informações prestadas, operando-se o indeferimento;
6. Validadas as informações prestadas, considera-se data
de início de atividade a do último deferimento IE/IM;
7. A RFB enviará Estados e Municípios rol contribuintes
com opção manifesta e daqueles com opção deferida

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F
Ocorrendo a hipótese de indeferimento opção formulada,
será expedido por Autoridade Fiscal denegatória, termo
circunstanciado do impedimento, inclusive, sendo o caso,
relação dos débitos tributários existentes e vinculados:
; A negativa submete-se ao rito processual definido em
legislação específica do respectivo årgão Federativo;
; Havendo decisão administrativa ou judicial deferindo
a opção com efeitos retroativos, os tributos devidos
serão recolhidos sem multas, porém, com juros mora;
; Neste caso o ente comunicará demais áreas Federados

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
|  | | | 
; Para enquadramento e análise dos requisitos, a RFB
utilizará códigos previstos CNAE para fins do CNPJ;
; Resolução de códigos CNAE impeditivos ao Simples;
; Nesta Resolução serão informados códigos ambíguos
do CNAE: concomitantemente impedem e permitem;
; ME/EPP com atividade cuja CNAE seja considerada
ambígua, não participará da opção tácita prevista no
Art 18, devendo, entretanto, fazer opção pelo Art 7,
assegurando que apenas exerce atividade permitida.

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F
Ocorrendo alteração na relação de códigos ambíguos, ou
seja, impedem e permitem, observar as seguintes regras:

; Se determinada atividade deixar de ser considerada


impeditiva, as ME/EPP que exerçam poderão optar
pelo regime a partir do AC seguinte ao de alteração;
; Se determinada atividade passar a ser considerada
impeditiva ao Simples, as ME/ EPP optantes que as
exerçam devem efetuar exclusão obrigatória porém,
com efeitos para o AC subsequente ao de alteração.

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F

Através da Resolução 06 de 18.06, o CGSN relacionou:

1. No Anexo I - quase 300 atividades impedidas de opção


& participação na sistemática do Simples Nacional; e,

2. No Anexo II, as 74 atividades cujos códigos do CNAE


abrangem concomitantemente hipóteses impeditivas e
permitidas ao enquadramento do Simples Nacional.

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "  # | 
| 

Os valores dos impostos e contribuições relativas a


períodos anteriores à opção pelo Supersimples, cuja
tributação tenha sido diferida, deverão ser pagos em
30 dias, contados a partir do diferimento da opção

T  | | |    |


  " $| 
| | I

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 "  # | 
| 

Exemplo o:
A empresa Morangotango, tributada pelo LR, diferiu o
IRPJ sobre Lucro Inflacionário e também sobre REF.

Se permitido e fizer uma opção pelo Simples Nacional,


dentro de 30 dias contados do acolhimento da opção,
deverá recolher as parcelas do IRPJ antes postergadas.

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 W  ? |  # 
 

As ME e EPP não farão jús à apropriação nem à


transferência créditos relativos impostos e contribuições
abrangidos pelo Supersimples;

As ME e EPP não poderão utilizar ou destinar


quaisquer valores a título de incentivos fiscais;

Se a ME ou a EPP pagar valores maiores que os devidos, poderá


realizar a compensação dos importes? Como será operado isto?

| |  a  


|  
a a   
    | | 
  

#   
|  
    
| |   |   | |
NÃO PODEM OPTAR PELO REGIME, EMPRESAS:
1. Com RB no AC anterior superior a $ 2.400 mil;
2. Tenham entre os sócios, outra Pessoa Jurídica;
3. Sejam filial ou sucursal, no País, de PJ sede exterior;
4. De cujo capital participe PF sócia outra PJ, receba os
benefícios da LC 123/06, se a RB maior R$ 2.400 mil
o. Cujo sócio participe com mais de 10% do capital de
outra PJ, não beneficiada pela LC 123, desde que a
RB global ultrapasse a R$ 2.400 mil de vendas/ano;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| |   |   | |
6. Cujo sócio seja administrador ou equiparado, de PJ
com fins lucrativos, se a RB ultrapassar R$ 2.400 mil;
7. Constituídas sob forma de cooperativas, salvo as de
cooperativas de consumo e demais assemelhadas;
8. Participe do capital de outras Pessoa Jurídica;
9. Com atividades próprias banco comercial; sociedade
crédito, financiamento, investimento; imobiliário, ou
capitalização ou ainda previdência complementar;
10. Resultantes ou remanescentes desmembramento PJ
se ocorrido o evento nos o anos-calendário anteriores;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| |   |   | |
11.Constituída sobre forma de sociedade por ações;
12.Explorem prestação cumulativa e continua serviços
assessoria creditícia, gestão créditos ± FACTORING;
13.Tenham sócios domiciliados no exterior;
14.Tenham como sócios entidades públicas quaisquer;
1o.Prestem serviços de comunicação;
16.Possuam débitos com INSS; com Fazendas Federal,
Estadual e Municipal, sem a exigibilidade suspensa;
17.Realizem transporte interm/interestadual passageiros

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| |   |   | |
18.Sejam geradoras, transmissoras, distribuidoras EE;

19.Importem ou fabriquem automóveis e motocicletas;

20.Exerçam atividades de importação de combustíveis;

21.Exerçam produção ou venda no atacado de bebidas


alcoólicas, cigarros, armas, bem como produtos
tributados pelo IPI alíquota ³] ] superior
a 20% ou então com alíquotas específicas;

| |  |  


|  
    
| |   |   | |
22.Serviços decorrentes do exercício atividade intelectual,
técnica, científica, desportiva, artística ou cultural, de
profissão regulamentada ou não; serviço de instrutor,
corretor, despachante ou intermediação negócios;
23.Realizem cessão ou locação de mão-de-obra;
24.Prestem serviços ou atividades de consultoria;
2o.Se dediquem à loteamento e incorporação de imóveis
| |  X   | "   |ET 
   #  | |U|  | | I

| |  |  


|  
    
| | | |

&' 2E(7,*-./0
1 & . & & &
R& "B*!;//E
2'E& && 
&2
2 4E' 
22 2&' 8.
2 ?&'56! &'AE
175.7&E&822
 2EV :&4!
&E2ER1A
&YRZ[&&

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
P X| |  |U   |% |

; Se as atividades iniciaram no AC anterior à opção,


o limite $ 2.400 mil será proporcional ao número de
meses daquele período multiplicado por $ 200 mil;

; As vedações V e VIII não se aplicam à participação


no capital cooperativas crédito, central de compras,
bolsas subcontratação, consórcios & associações,
sociedades interesse econômico, garantia solidária e
outras com objetivo da defesa interesses ME e EPP.

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
P X| |  |U   |% |
; :&22
22  8 */L
28:& 32E
7&&23&2422Q

; :&22
2&  &&.2J51E
 N/L428
:& 32E42
= )V:&22E
7&&23&2422!
8*NE & UU2| ,*-.*//0
8*NE & UU2| ,*-.*//0

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
P X| |  |U   |% |

; Portanto, empresas do Simples poderão


ser excluídas do programa com efeitos:

1. Retroativos ao início das atividades;


2. Aplicáveis a partir do mês seguinte; e,
3. Aplicáveis a partir do AC subsequente

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
P X| |  |U   |% |
Exemplo 7:
Em 2007 a EPP Morangotango registrou:

1. Recebimentos totais $ 1.600 mil


2. Despesas diversas de $ 1.9o0 mil

; Hipótese de exclusão?
; lual o limite para fins de exclusão?
; Admitido o excesso apenas no AC inicial

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
P X| |  |U   |% |
Exemplo 8:
Em 2007 a EPP Morangotango registrou:

1. Recebimentos totais de $ 1.300 mil


2. Compras para revenda $ 1.100 mil

; Hipótese de exclusão?
; lual o limite para fins de exclusão?
; Admitido excesso quando justificado aumento dos
estoques ou caso se trate AC inicio de atividades

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
|  $| ?#| $|  |  
SåCIOS ALFA BETA GAMA OMEGA
JOÃO o0% 1o% 1o% 1o%
PEDRO o0% 30% --- o%
MARIO --- oo% --- o%
TIAGO --- --- 1o% ---
MARTA --- --- 70% 7o%
CAPITAL 100% 100% 100% 100%
RB ANUAL ? MIL ? MIL ? MIL ? MIL

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
|  $| ?#| $|  |  


 %
TIAGO 1o%
JOÃO o0% JOÃO 1o%
PEDRO o0% MARTA 70%

|%
JOÃO 1o%
PEDRO 30% PEDRO o%
JOÃO 1o% MÁRIO o%
MARIO oo% MARTA 7o%

"|
| |  a  
|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F

AS VEDAÇÕES RELATIVAS AO EXERCÍCIO DE


ATIVIDADES PREVISTAS CAPUT ART 12 RES 04,
NÃO SE APLICAM ÀS PJ lUE SE ³DEDIlUEM
EXCLUSIVAMENTE´ ATIVIDADES SEGUINTES
OU EXERÇAM EM CONJUNTO COM OUTRAS
ATIVIDADES lUE NÃO TENHAM SIDO OBJETO
DE VEDAÇÃO PELA LEI (Art 12, Parágrafo 3)

| |  |  


|  
    
 #  |     | M
1. Creche, pré-escola, estabelecimento ensino fundamental
2. Agência terceirizada de correios;
3. Agência de viagem e turismo;
4. Centro de formação condutores veículos automotores
de transporte terrestre de passageiros e de carga;
o. Agência lotérica;
6. Manutenção e reparo automóveis; caminhões, ônibus,
veículos pesados, tratores, equipamentos agrícolas;
7. Instalação, manutenção e reparo acessórios veículos;

| |  |  


|  
    
 #  |     | M
8. Manutenção e reparo motocicletas e bicicletas;
9. Serviços de instalação, manutenção e reparação de
máquinas de escritório e de informática;
10.Reparos hidráulicos, elétricos, pintura e carpintaria
residências ou estabelecimentos civis ou empresariais,
manutenção e reparação de eletrodomésticos;
11.Instalação e manutenção de aparelhos e sistemas de ar
condicionado, refrigeração, ventilação, aquecimento;
12.Veículos comunicação, radiodifusão, imagens e mídia

| |  |  


|  
    
 #  |     | M
13.Construção de imóveis e obras de engenharia em
geral, inclusive sob a forma de sub-empreitada;
14.Transporte municipal de passageiros;
1o.Empresas montadoras de estandes para feiras;
16.Escolas livres, línguas, artes, cursos técnicos e gestão
17.Produção cultural e artística;
18.Produção cinematográfica e de artes cênicas;

| |  |  


|  
    
 #  |     | M

19.Administração e locação de imóveis de terceiros;


20.Academias de dança, capoeira, ioga e artes marciais;
21.Academias atividades físicas, desportivas e natação;
22.Elaboração de programas de computadores, inclusive
jogos, desenvolvidos em estabelecimento do optante;
23.Licenciamento ou cessão de direito, uso de programas
de computação;

| |  |  


|  
    
 #  |     | M
24.Planejamento, confecção, manutenção e atualização
páginas eletrônicas, se realizados em estabelecimento
de empresa que tenha optado pela sistema Simples;
2o.Escritórios de serviços contábeis
26.Serviço de vigilância, limpeza ou conservação.
TAMBÉM PODERÃO OPTAR PELO SIMPLES, EMPRESAS
lUE SE DEDIlUEM, EXCLUSIVAMENTE, À PRESTAÇÃO
DE OUTROS SERVIÇOS NÃO EXPRESSAMENTE VEDADOS
Parágrafo 4, Art 12, Resolução 4 do CGSN

| |  |  


|  
    
| E| E | F

; 1'[ 'E
32&(&
244E '22
234&E&:7'

.&=E&(
2(&2
 &3:& |2E'A
V(222Y'Z

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F

; |8:&
(&  (
2& 22I

45Q |2
&3 2(E&
2:7E 
&4
42     8!

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
#|R |S    "  |

;  2 842 2


22:7E|2
21   &51:7
2 " & &=
 )QVE
 &:&2
22E 24(
 82E2&2M

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
#|R |S    "  |

; |2& & 51 "M


A,L :7AB,!*//
; |2& & 51 "M
A>L :7AB,!N//
; |2& & 51 "
 >LE:&'82
22:72 ".

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
#|R |S    "  |

; L & 51( 2&


'22 "%|  51Q
;  56:7 ) E
'82222
2:7 ". 2J(
: 8Q
;  51 |2 (
251:7 :

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
#|R |S    "  |
; R(2B,!*=1M
QQQQ"Q Q Q Q
Q |?Q

; R(2B,!N=1M
Q|Q| Q%QQ Q?|Q

; |2'
&2:72
| |  a  
|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
#|R |S    "  |

; || 
2&  E!
,-&E1&
 222&=   
  '
4&27&F

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 $|   X  

; 2*//<E 51 2(
J2A[2
[V=E 2J2:V(
  22Q

; ||8&
82\-,<.\04
 22 44256E
 51((&EY(&Z

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F

; '&  
&:&2567 E 2
&& 51A-,2V=
2 &4 &3:&
(2 'J2 
CONTRIBUINTES INSCRITOS NO SIMPLES NACIONAL lUE
INCORRAM lUAISlUER DAS SITUAÇÕES IMPEDITIVAS,
DEVERÃO CANCELAR AS INSCRIÇÕES NO SUPERSIMPLES

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 $|   X  


;  51 &'
2A':J2(
; A''?&'56E

%A-,!/,!/0E2
 A&   &(4Q
; W422&12A'V(
:'V2 &Q
; 4512A'A,*/ &Q

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F

; ENCAMINHAR CORRESPONDÊNCIA À TODOS


OS CLIENTES, EXPONDO A SITUAÇÃO ATUAL,
COM SIMULAÇÃO PRÁTICA E PROJEÇÕES,
APRESENTANDO AS ALTERNATIVAS, PEDINDO
lUE MANIFESTEM SUAS OPÇÕES POR SAÍDAS
DETALHADAMENTE PROPOSTAS:
;Continua no Simples ± Supersimples;
;Abandona o Simples e migra para o Presumido;
;Abandona o Simples e assume o Lucro Real.

| |  |  


|  
    
Exemplo 9 ± Enquadramento Simples Nacional:

Senhor Fulano da Silva:


Sua empresa estava enquadrada no Simples Federal, pagando até
então os seguintes encargos mensais:
1. Impostos & Contribuições do Simples $«««.
2. ICMS & ISS«««««««««««$«««.

Com a vigência da legislação sobre o Simples Nacional, já a partir


do mês de julho, sua empresa deverá suportar seguintes encargos:
1. Impostos & Contribuições do Simples $.«««
2. ICMS & ISS«««««««««««$«««.
3. Outros tributos & contribuições««..$«««.

| |  |  


|  
    
S ? |P |   |# 
|    @ | %  >./<
|  
    
S    "  |# 

; A BC para determinação do valor devido em cada


mês pelas ME e EPP optantes do Supersimples será
a RB total mensal auferida, segregada por espécie;
; Se a ME ou EPP operarem com filiais, deverão
considerar o somatório da RB de todas as unidades;
; Em substituição ao faturamento, ME/EPP poderão
utilizar regime de caixa, se valendo da RB recebida,
sendo opção irretratável para todo o período do AC

| |  |  


|  
    
S    "  |# 
; Além de segregar as receitas segundo sua natureza
macro ± Comércio, Indústria ou Serviços, deverá
observar ainda as operações com ou sem ST; com
ou sem retenções, receitas decorrentes exportações;

; As receitas relativas as operações sujeitas instituto


da ST deverão ser reportadas por tipicidade da
exação; ou seja, com ST ICMS, ISS; PIS; COFINS!

:(8856I

| |  |  


|  
    
S    "  |# 

A segregação da RB será necessária por espécie


de operações, ou seja, com ou sem incidência de
ST ± retenções antecipadas dos impostos, tendo
em vista a composição das tabelas e a forma de
partilhar o bolo tributário/mes entre os poderes
|1 2:J8851
2&I 
&
4E 2&
756E2822

| |  |  


|  
    
S    "  |# 
; ENTENDA COMO ³SUPERSIMPLES´

; Receitas do Comercio = 09 Tabelas;


; Receitas da Industria = 17 Tabelas;
; Receitas de serviços = 31 Tabelas;

;PAGAMENTOS NO SUPERSIMPLES:
;o7 Tabelas com 20 faixa específicas
;1.140 possibilidades de enquadramento

| |  |  


|  
    
| S |  |% |%   || 
; Vendas sem Substituição Tributária;
; Vendas com ST somente do ICMS;
; Vendas com ST do PIS & ICMS;
; Vendas com ST do COFINS & ICMS;
; Vendas com ST do COFINS, PIS & ICMS;
; Vendas com ST somente do PIS;
; Vendas com ST somente do COFINS;
; Vendas com ST do PIS & COFINS;
; Vendas para Exportação

| |  |  


|  
    
| E| E | F
; A simplicidade para os Contadores consiste em que,
doravante, a empresa apenas pagará impostos sobre
a RB ± ³receitas com vendas´ & ganhos de capital.

; A empresa poderá adotar Regime de Competência


ou de Caixa para fins de pagamentos dos impostos,
sempre, porém, a partir dos registros Contábeis.

2:&22(&88 "
1 "82&7F

| |  |  


|  
    
KT  S  "S 

Considera-se alíquota
O valor devido men-
salmente será deter-
O somatório dos per-
minado mediante apli-
centuais dos tributos
cação das alíquotas,
constantes das tabelas
conforme tabelas/anexos,
& respectivos anexos;
sobre a RB global no
mês;

T&

| |  |  


|  
    
|| "  Alíquota IRPJ CSLL COF PIS ICMS

120.000,00 4,00% 0,00% 0,21% 0,74% 0,00% 1,80% 1,2o%

120.000,01 a 240.000,00 o,47% 0,00% 0,36% 1,08% 0,00% 2,17% 1,86%

240.000,01 a 360.000,00 6,84% 0,31% 0,31% 0,9o% 0,23% 2,71% 2,33%

360.000,01 a 480.000,00 7,o4% 0,3o% 0,3o% 1,04% 0,2o% 2,99% 2,o6%

480.000,01 a 600.000,00 7,60% 0,3o% 0,3o% 1,0o% 0,2o% 3,02% 2,o8%

| |  |  


|  
    
| E| E | F

; Para efeito de determinação da alíquota, o sujeito


passivo utilizará a RB total acumulada nos 12 mêses
anteriores ao período de apuração ± mes a ser pago;

; No caso de início de atividade no próprio AC da


opção pelo Simples, para determinar a alíquota no
primeiro mês, o sujeito passivo utilizará, como RB
total acumulada até aqui, a receita do próprio mês
de apuração, multiplicado por 12 ± anualizada ??

| |  |  


|  
    
|%   | T |   |
Exemplo 10:
A ME Morangotango iniciou atividades Mai/2007:

1. Receita Bruta de maio/2007 - $ 60 mil


2. RB para fins enquadramento = $ 60.000 x 12
3. Faixa enquadramento alíquota = $ 720 mil
4. Alíquota para fins apuração Simples = 8,28%
o. Simples devido = $ 60.000 x 8,28% = $ 4.968,

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F

Na hipótese de início de atividade no próprio AC da


opção pelo Simples, na determinação das alíquotas
para os 11 (onze) mêses posteriores ao primeiro, o
sujeito passivo utilizará a média aritmética da RB
total dos mêses anteriores ao período de apuração,
multiplicado também por 12 ± anualizada ??

| |  |  


|  
    
|%   | T |   |
Exemplo 11:
A ME Morangotango iniciou atividades Mai/2007:
1. Receita Bruta de maio/2007 - $ 60 mil;
2. Receita Bruta de junho/2007 - $ 100 mil;
3. MA da RB = (60.000 + 100.000)/2 x 12 = 960 mil
4. Faixa enquadramento alíquota = $ 960 mil
o. Alíquota para fins apuração Simples = 8,4o%
6. Simples devido = $ 100.000 x 8,4o% = $ 8.4o0,

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F
Na hipótese de início de atividade em AC que seja
imediatamente anterior ao da opção pelo Simples, o
sujeito passivo utilizará a média aritmética da RB total
dos mêses anteriores ao período de apuração,
multiplicado também por 12, até alcançar 13 (treze)
mêses de atividade, quanto então retomará a regra da
RB total acumulada nos últimos 12 mêses ??

Sobre cada uma das receitas segregadas, aplicam-se as


alíquotas previstas nas tabelas dos anexos I a IV;

| |  |  


|  
    
|%   | T |   |
Exemplo 12:
A ME Morangotango iniciou atividades Mai/2006:
1. Receita Bruta em 2006 ± 8 mêses = $ 900 mil;
2. Receita Bruta até Fev/2007 ± 2 mêses = $ 3o0 mil;
3. Receita Bruta em Mar/2007 - $ 180 mil
4. MA RB = (900.000 + 3o0.000)/10 x 12 = 1.o00 mil
o. Faixa enquadramento alíquota = $ 1.o00 mil
6. Alíquota para fins apuração Simples = 10,13%
7. Simples devido = $ 180.000 x 10,13% = $ 18.234,

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| E| E | F

  
     
 




 
    
  ! "  #
  
 $%   & $' 
$#
   (
  )*


 +  $ $ 
)* 

  

 ,   %   -

( &.$/

 0 1÷ 2 !  3  + 4

| |  |  


|  
    
SERVIÇOS REFERIDOS NA EXCEÇÃO DO ART. 17
; Cumulativamente administração e locação de imóveis de terceiros;
; Academia de dança, capoeira, ioga e artes marciais;
; Academia de atividades físicas, desportivas, natação, escola de esportes;
; Programas computação, jogos eletrônicos, se prestados optante do Simples;
; Licenciamento, cessão direito de uso de programas de computação;
; Planejamento, confecção, manutenção páginas eletrônicas, prestado optante;
; Escritórios de serviços contábeis;
; Receitas decorrentes serviços transporte intermunicipal e interestadual de
cargas com ou sem substituição tributária do ICMS.

;Nestes casos o fator ³r´ vai determinar quais tabelas


utilizar para fins enquadramento & alíquotas:
;Seção I; Seção II; Seção III ou Seção IV, todas do Anexo
V - (Páginas 22 e seguintes da Apostila)

| |  |  


|  
    
| E| E | F

Para fins do Art. 7 Res o, considera-se folha de salários,


incluídos encargos, o montante pago nos 12 mêses
anteiores ao do período de apuração, a título de salários
e pró-labore, mais INSS e FGTS, pagos.

Para efeito desses cálculos, consideram-se salários os


valores de ³salário-de-contribuição´, conforme o
disposto no Artigo 28 da Lei 8.212 de julho de 1991.

| |  |  


|  
    
| E| E | F

PARA EFEITO DO PIS, COFINS, IRPJ e CSLL:


; Se ( r ) for = ou > que 0,40: Tabelas da Seção I do Anexo V;
; Se ( r ) for = > 0,3o e < 0,40: Tabelas da Seção II do Anexo V;
; Se ( r ) for = ou > 0,30 e < 0,3o: Tabelas da Seção III do Anexo V
; Se ( r ) for < que 0,30: Tabelas da Seção IV do Anexo V

RECEITAS DOS ESCRITåRIOS SERVIÇOS CONTÁBEIS FICAM


SUJEITAS AS ALÍlUOTAS DA TABELA 4, MAIS VALOR DO ISS

| T||   |P | 

| |  |  


|  
    
| E| E | F
CONTRIBUIÇÃO AO INSS NÃO INCLUÍDA SIMPLES
Se a ME ou EPP auferir receitas previstas nos incisos I a
XII do parágrafo 3, concomitante com receitas dos incisos
XIII a XXVI e no parágrafo 4, todos do Art 12 da
Resolução 4/2007, o valor do INSS a cargo da Pessoa
Jurídica, não incluído no Simples, deverá ser pago
conforme orientação de norma específica, emitida RFB

8N2 51% >.*//<

| |  |  


|  
    
|U|  | || @    

; Se o contribuinte optante pelo Simples ultrapassar o


limite de $ 2.400 mil, a parcela da RB total mensal
que exceder o limite estará sujeita alíquotas máximas
previstas nas tabelas & anexos, majoradas em 20%;
; Aplica-se a regra na hipótese da ME ou EPP no AC
de início de atividade ultrapassar o limite de $ 200
mil multiplicados pelos meses compreendidos entre
aquela e o final respectivo AC. Frações igual um mês

| |  |  


|  
    
|U|  | || @    
; luando optante do Simples ultrapassar o sub-limite
dos Estados, a parcela RB total mensal que exceder:
1. Esse sub-limite mas não ultrapassar os $ 2.400 mil,
sujeitará a alíquota própria dessa faixa, subtraída do
ICMS/ISS da faixa e acrescida do ICMS ou ISS da
faixa do referido sub-limite, majorado em 20%;
2. O limite $ 2.400 mil, sujeitará a alíquota máxima das
tabelas & anexos, subtraída do ICMS/ISS dessa
faixa e acrescida do ICMS/ISS da faixa do referido
sub-limite, resultado majorado em 20%;

| |  |  


|  
    
|U|  | || @    
; O excesso de receita & adicional, conforme exposto,
no caso de início de atividade, aplica-se:

3. O inciso I se ultrapassar sub-limites $ 100 / $ 1o0 mil,


multiplicado pelos mêses entre o início e o final do
AC, consideradas frações de mêses como mês inteiro

4. O inciso II se ultrapassar o limite $ 200 mil, pelos


mêses compreendidos entre início atividade e o final
AC, consideradas frações de mês como mês inteiro.

| |  |  


|  
    
| E| E | F

A temática dos excessos e majorações das alíquotas se


apresenta com bastante complexidade e está regulada
pelos arts 9 a 11 da Resolução CGSN o/07, merecendo
portanto dos interessados, detidos estudos conclusivos
dentro das várias particularidades apresentadas, tendo
em vista a tipicidade dos diferentes casos examinados,
não comportando por enquanto abordagens genéricas.

| |  |  


|  
    
| M    |   F
; Estados & Municípios poderão, independente da RB
auferida no mes pelo contribuinte, adotar valores fixos
mensais para recolhimentos do ICMS/ISS devidos por
ME com RB no AC anterior de até $ 120 mil, ficando a
ME sujeita a esses valores durante do AC:
;Valores fixados em um AC somente serão aplicáveis a
partir do AC seguinte;
;Valores fixados não poderão exceder o0% do maior
recolhimento possível do tributo para aquela faixa
| |  |  
|  
    
| M    |   F
;ME com mais de um estabelecimento ou então no AC
de início atividades estão impedidas utilizar a opção;
;Para fins alíquotas Simples, utilizar as tabelas dos
anexos, excluindo-se percentuais ICMS ou ISS;
;Valores fixados nesta condição serão devidos ainda que
tenha ocorrido retenção ou ST dos impostos;
;No caso ISS devido a outro Município, o imposto será
pago sem prejuízo do valor fixo devido ao Município;
;O valor fixo - incluso no valor devido ME ao Simples

| |  |  


|  
    
| M    |   F
€Na hipótese de Estados & Municípios concederem, a
partir julho/07, isenção ou redução em relação ao ICMS
e ISS, será realizada a redução proporcional,
relativamente à receita estabelecimento localizado no
ente federado que concedeu o benefício:
€Sobre as receitas sujeitas a isenção, desconsiderados os
percentuais do ICMS ou ISS, conforme o caso;
€Sobre as receitas sujeitas a redução, será realizada a
redução proporcional dos percentuais do ICMS/ISS
| |  |  
|  
    
S |%|     "
O CÁLCULO DO VALOR DEVIDO AO
SIMPLES NACIONAL SERÁ EFETUADO
ATRAVÉS DE UM SISTEMA DISPONÍVEL NA
INTERNET;

O DOCUMENTO ÚNICO DE ARRECADAÇÃO


PARA RECOLHIMENTO DO VALOR DEVIDO
TAMBÉM SERÁ GERADO PELO APLICATIVO

| |% |%  |UK F

| |  |  


|  
    
S |%|     "

; OS TRIBUTOS DEVIDOS, APURADOS NA FORMA


DESTA RESOLUÇÃO, DEVERÃO SER PAGOS ATÉ
O ÚLTIMO DIA ÚTIL DA PRIMEIRA lUINZENA
DO MÊS SUBSElUENTE AO DE COMPETÊNCIA;

; CASO DE FILIAIS, CENTRALIZADOS MATRIZ;

; VALORES IMPAGOS VENCIMENTOS SUJEITOS


INCIDÊNCIAS ENCARGOS FIXADOS PARA IRPJ

| |  |  


|  
    
| T | ?| | 

; Para efeito de determinar a alíquota, o contribuinte


deverã utilizar a Receita Bruta acumulada nos 12
meses anteriores ao período de apuração; o que
significa dizer, dispor e alimentar, mensalmente,
um quadro com 24 meses do faturamento empresa.

| |  |  


|  
    
| T | ?| | 
; Empresas com início atividade no ano calendário da
opção pelo SN, para efeito de determinar a alíquota
no primeiro mês, o sujeito passivo utilizará, como
RB total acumulada, a receita auferida neste mês,
multiplicado por 12 ± princípio da isonomia;

; Para efeito de alíquotas nos 11 mêses subsequentes


ao início das atividades, o sujeito passivo utilizará a
média aritimética da RB total dos meses anteriores
ao do período de apuração, multiplicado por 12

| |  |  


|  
    
| T | |S

| | || "    ]  


,*| |  |    |#| |    |
 |  | | #  E | | I

,! 882 :23I
*! ( &282  2^&I
-! &3 :
2:&512 &I
;! #'27 7 I

| |  |  


|  
    
| T | ?| | 

; A sistemática de anualisar a Receita Bruta com base


em regras aritiméticas, poderá implicar numa
redução de alíquotas em períodos subsequentes?

| |  |  


|  
    
| T | ?| | 
Regras Básicas:
1. Empresas com no mínimo 13 mêses atividades:
; RB total acumulada nos últimos 12 mêses

2. Empresas com menos de 13 mêses atividades:


; Se iniciadas no AC da opção, para o primeiro
mês, a RB do mês multiplicado por 12;
; Para os 11 mêses seguintes, a média daqueles,
multiplicado por 12;

| |  |  


|  
    
| T | ?| | 
Regras Básicas:
3. Empresas com no mínimo 13 mêses atividades:
; Se iniciadas no AC anterior ao da opção, vale a
média aritimética dos meses, desde o início das
atividades, até o mês anterior, multiplicado
sempre por 12, até que se atingir os 13 mêses.

| |  |  


|  
    
ANEXO I - COMÉRCIO ALFA
MES Rec Bruta RB Acum
| T | |S
AGO.6 x   x  
SET.6    x  
OUT.6      
 "&2,*
NOV.6 xx       B,!*;/E 
DEZ.6    
  7 & 2:7
JAN.7    
 
FEV.7 x      2\E\>L!
MAR.7 x     
ABR.7 x     
MAI.7      
M
JUN.7 x   xxx  
JUL.7 x   1.240.000,00
AGO.7 130.000,00 x  
,! " B,-/!///E//
SET.7 *! 37  \E\>L
OUT.7 -! 
   B,*!\->E//
NOV.7
DEZ.7

| |  |  


|  
    
ANEXO I - COMÉRCIO BETA
MES Rec Bruta RB Acum
| T | |S
AGO.6
SET.6      
OUT.6    x  
 "&2,*
NOV.6 xx       B,!,N/E 
DEZ.6    
  7 & 2:7
JAN.7      
FEV.7 x   
  2\E,*L!
MAR.7 x     
ABR.7 x     
MAI.7      
M
JUN.7 x   x x  
JUL.7 xx   xx  
AGO.7   1.180.000,00
,! " B;/!///E//
SET.7 40.000,00 x   *! 37  \E,*L
OUT.7 -! 
   B-!0;NE//
NOV.7
DEZ.7

| |  |  


|  
    
| T | ?| | 

; Empresas que iniciam atividades ano calendário da


opção, os valores para fins RB total acumulada será
proporcional ao número de meses de atividade no
período e, neste particular, deverá ser anualizada
sempre pela média aritimética entre os períodos:
; No primeiro mês, a RB por 12
; Nos 11 mêses subsequentes, a média por 12

| |  |  


|  
    
ANEXO I - COMÉRCIO GAMA
MES Rec Bruta RB Acum
| T | |S
AGO.6
SET.6
 "&2,*M
OUT.6
NOV.6 R B\/!///
DEZ.6
JAN.7       U,*H,!/N/!///E
FEV.7 x   x  
MAR.7 x   
 
ABR.7  
 

MAI.7  
 
JUN.7  
  ,!
7,!/N/!///
JUL.7  
 
AGO.7  
  *! 3\E/-L
SET.7  
  -! "B\/!///E
OUT.7
  

 
NOV.7      ;! 
   BN!,*<E
DEZ.7 x    

| |  |  


|  
    
ANEXO I - COMÉRCIO GAMA
MES Rec Bruta RB Acum
| T | |S
AGO.6
SET.6
 "&2,*M
OUT.6
NOV.6
4 B\/!///9B,*/!///E
DEZ.6
JAN.7       *,/!///.*U,*H,!*0/!///E
FEV.7 x   x  
MAR.7 x   
 
ABR.7  
 

MAI.7  
 
JUN.7  
  ,!
7,!*0/!///
JUL.7  
 
AGO.7  
  *! 3\E\>L
SET.7  
  -! "B,*/!///E
OUT.7
  

 
NOV.7      ;! 
   B,,!\;/E
DEZ.7 x    

| |  |  


|  
    
ANEXO I - COMÉRCIO GAMA
MES Rec Bruta RB Acum
| T | |S
AGO.6
SET.6
 "&2,*M
OUT.6
NOV.6 
DEZ.6
JAN.7       _\/!///9,*/!///9,;/!///O
FEV.7 x   x   ->/!///.-U,*H,!;//!///E
MAR.7 x   
 
ABR.7  
 
MAI.7  
  
JUN.7  
 
JUL.7  
 
AGO.7  
  ,!
7,!;//!///
SET.7  
  *! 3,/E/;L
OUT.7
  

 
NOV.7      -! "B,;/!///E
DEZ.7 x     ;! 
   B,;!/>0E

| |  |  


|  
    
| T | ?| | 

; Empresas que iniciam atividades ano calendário, os


valores para fins RB acumulada será proporcional
ao número de meses de atividade no período. Neste
particular, no próximo ano, poderá ocorrer uma
redução de alíquotas em função da eventual queda
na média do faturamento dos últimos doze mêses ?
(art. 18, parágrafo 2)

| |  |  


|  
    
ANEXO I - COMÉRCIO BATERIAS
MES Rec Bruta RB Acum
| T | |S
AGO.6
SET.6
 "&2,*M
OUT.6
NOV.6 4.*//<
DEZ.6
JAN.7       _\/!///9,*/!///9,;/!///
FEV.7 x   x   9>!///OH->>!///.,/U,*
MAR.7 140.000,00 350.000,00
ABR.7  
  H;*0!///E
MAI.7  
 
JUN.7  
 
JUL.7  
 

AGO.7  
  ,!
7;*0!///
SET.7  
  *! 3<E>;L
OUT.7
  

 
NOV.7      -! "B>!///E
DEZ.7 x     ;! 
  . 4H B-<<E

| |  |  


|  
    
ANEX I - C MÉRCI
MES Rec Br ta RB Ac m
   KT
JAN.7
EV.7
MAR.7 x   x  
ABR.7  x  
MAI.7  x  
JUN.7  x  
JU .7  x  
A .7  x  
SET.7  x  
UT.7
  x
  |   |
N V.7   x
 
DE .7 x  x
 
JAN.8 x  x  
EV.8 x
  181.000,00
MAR.8 20.000,00  x 
     
ABR.8
MAI.8 | # || |I

| |  |  


|  
    
|U|  | || @ |% %| 

; Se o valor da RB auferida durante o ano-calendário


ultrapassar o limite de R$ 200 mil, multiplicado pelo
número de meses do período de atividade, a parcela
que exceder ao montante assim determinado ficará
sujeita às alíquotas máximas previstas nos Anexos I a
V, proporcionalmente conforme for o caso, acrescido
de mais 20%. (Parágrafo 16, artigo 18 da LC 123/06)

| |  |  


|  
    
ANEX I - C MÉRCI
MES Rec Br ta RB Ac m
JU .6      
| | ET| | S
A .6 x   x   |  "   |
SET.6        P|  | | 
UT.6      
N V.6 xx   
  # | | | |M
DE .6    
     | | |
JAN.7 210.000,00   
EV.7 220.000,00 
     I |
FF
MAR.7 205.000,00 xx

 
ABR.7 195.000,00 x
 
MAI.7 190.000,00 x
    WP|% 
JUN.7 210.000,00 1.750.000,00 P  | |#|  | 
JU .7 202.000,00 x
 
A .7 R | ?  
SET.7
|  "| F
UT.7
N V.7

| |  |  


|  
    
S |%|     "
Exemplo 13:
Empresa que realiza industrialização sob encomenda,
aplicando somente serviços, com materiais fornecidos
pelo encomendante. Neste caso, o valor cobrado:

1. Será RB decorrente da venda de Produtos?


2. Será RB decorrente da venda de Serviços?
3. Como enquadrar para fins de tabela e tributação?

| |  a  


|   -.;
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
|U|  || S  |

; Na hipótese dos Estados e Municípios adotarem o


disposto incisos I e II Art 19 e no Art 20, a parcela da
RB auferida durante o AC que ultrapassar ao limite
R$ 100 e 1o0 mil, respectivamente, multiplicado pelo
número de meses do período de atividade, estará
sujeita, em relação aos % ICMS e ISS, às alíquotas
máximas correspondentes a essas faixas previstas nos
Anexos I a V, proporcionalmente conforme for o caso,
acrescido de 20% (Par. 17, art 18 da LC 123/06)

| |  |  


|  
    
|%  | |  |  | |K


NOS CASOS DE ATIVIDADES INDUSTRIAIS; DE


LOCAÇÃO DE BENS MåVEIS E DE PRESTAÇÃO
SERVIÇOS, OBSERVAR AS SEGUINTES REGRAS:

; Atividades industriais ± tributar pelo Anexo II


; Serviços dos incisos I a XII ± tributar pelo Anexo III
; Locação de bens móveis ± pelo Anexo III, deduzido
da alíquota o percentual relativo ao ISS lá previsto

| |  |  


|  
    
|%  | |  |  | |K

; Serviços dos incisos XIII a XVIII ± pelo Anexo IV,
mais contribuição ao INSS, a ser recolhida nos termos
da legislação aplicável para os demais contribuintes;
; Serviços dos incisos XIX a XXVIII ± pelo Anexo V;
mais contribuição ao INSS, a ser recolhida nos termos
da legislação aplicável para os demais contribuintes;
; Serviços transporte intermunicipal e interestadual,
pelo Anexo V, acrescido das alíquotas ICMS do Anexo
I, mais contribuição INSS, a ser recolhida nos termos
da legislação aplicável para os demais contribuintes;

| |  |  


|  
    
| E| E | F

Para fazer uso do Anexo V e portanto, identificar as


alíquotas relativas ao PIS, COFINS, IRPJ e CSLL, é
necessário antes calcular a relação (r) entre a FOPAG
e a RB dos últimos 12 meses, mediante a fórmula:

r = FOPAG + ENCARGOS / RECEITA BRUTA

Considera-se Folha & Encargos, o valor pago, nos 12 meses, a título


salários & pro-labores, mais efetivo recolhimento para INSS e FGTS

| |  |  


|  
    
| E| E | F
PARA EFEITO DO PIS, COFINS, IRPJ e CSLL:
; Se ( r ) for = ou > que 0,40: Anexo V pela faixa da RB;
; Se ( r ) for = ou > 0,3o e < 0,40: Alíquota única de 14%;
; Se ( r ) for = ou > 0,30 e < 0,3o: Alíquota única 14,o0%;
; Se ( r ) for < que 0,30: Alíquota única de 1o%;
ÀS ALIlUOTAS lUE FOREM ENCONTRADAS NA FORMA DO
ACIMA SOMAR A PARCELA RELATIVA AO ISS DO ANEXO IV

| T||   |P | 

| |  |  


|  
    
|| " %X  

Os serviços previstos no È 2º art. 6º da LC nº. 116,


de 31 de julho de 2003, conforme listagem, que
forem prestados por ME ou EPP, terão os valores
referentes ao ISS retidos pelo tomador; tendo em
vista exigências da legislação aplicável. Portanto o
prestador que sofrer a retenção deverá descontar o
valor abatido do total do Simples a ser recolhido

| |  |  


|  
    
   |S   "
; O tributo será calculado através de programa da SRF;
; Com base em tabelas de incidência para cada situação;
; Alíquotas diferentes para quem revende mercadorias;
presta serviços, opera substituição tributária, exportar,
; Não transferência de créditos ou incentivos fiscais;
; Possibilidade adoção de normas próprias em relação ao
ICMS e ISS para Estados e DF, nos casos empresas com
faturamento ano-calendário até R$ 120 mil, tudo
conforme dispuser o Comitê Gestor de Tributação;

| |  |  


|  
    
   |S   "
; A atividade escritórios de serviços contábeis recolherá
o ISS em valor fixo, na forma da legislação municipal.

; Na execução das obras de construção civil, quer por


administração, empreitada ou sub-empreitada; e ainda

; Reparação; conservação e reforma de edifícios, pontes,


e assemelhados, deverá ser abatido da BC do ISS o
material fornecido pelo prestador na execução serviços

| |  |  


|  
    
|P |    |    
1. O tributo será recolhido por meio de DARF, com
códigos a serem disciplinados pelo Comitê Gestor,
específico em relação às receitas decorrente da:
X revenda de mercadorias; de produtos que forem
industrializadas pelo contribuinte; prestação de
serviços; locação de bens móveis; decorrentes da
venda com substituição tributária; exportação,

| |  |  


|  
    
|P |    |    
2. Data do recolhimento
X Último dia útil da primeira quinzena do mês
subseqüente àquele de ocorrência do fato gerador
3. Local de Recolhimento
X Em banco da rede, salvo melhor opção requerida
ao Comitê, capaz de simplificar o procedimento;
X O não pagamento no prazo implicará atualização,
juros e multa, com observância ainda das normas
a serem definidas relativamente ao ICMS e ISS

| |  |  


|  
    
REPASSE DOS VALORES ARRECADADOS
; Os valore arrecadados serão distribuídos nas datas
que serão disciplinadas pelo Comitê, relativamente:
Município - o valor do ISS arrecadado;
Estados - o valor do ICMS arrecadado;
INSS - o valor da Contribuição Seguridade Social

RESTITUIÇÃO E RESSARCIMENTO
; O Comitê Gestor regulará a forma de restituição ou da
compensação de valores indevidamente pagos

| |  a  


|  
a a   
    | | 
  

#   
|  
    
" %$| | X   | 
Com normas ainda a serem disciplinadas pelo Comitê,
as empresas devem entregar as seguintes declarações.

;Declaração consolidada, junto órgãos de fiscalização,


também obrigada às declarações referentes terceiros

;A LC não exime a ME e EPP da entrega de outras


declarações a serem disciplinadas pelo comitê Gestor

| |  a  


|  
a a   
    | | 
  

#   
|  
    
" %$| | X  M|   | 

As declarações que não cumpram as formalidades


legais serão consideradas não entregues; ficando o
sujeito passivo intimado a apresentar nova declaração
no prazo de 10 dias, contados da ciência da intimação e
ainda à uma multa de 2% ao mês-calendário ou fração,
limitada a 20%, incidentes sobre o montante dos
tributos e contribuições informados na Declaração
Simplificada da PJ, ainda que integralmente pagos,
observado um mínimo de R$ o00,00 (art 38 LC nº 123).

| |  a  


|  
a a   
    | | 
  

#   
|  
    
" %$| | X   | 

DEVERÃO TAMBÉM AS EMPRESAS DO SIMPLES:


;Primar pela emissão documentos fiscais obrigatórios;
manter em boa guarda e ordem os que serviram de
base para a escrituração mercantil e apuração dos
impostos, enquanto não prescritos os prazos legais.
;Entregar declaração eletrônica com movimentação de
serviços tomados, ou então, prestados a terceiros.
;Escriturar e manter Livro Caixa.

| |  a  


|  
a a   
    | | 
  

#   
|  
    
" %$| | X   | 
Empreendedores individuais, com Receita Bruta anual
de até R$ 36 mil, terão tratamento favorecido, podendo:
;Optar por fornecer notas fiscais avulsas, obtidas nas
Secretarias de Fazenda dos Estados ou Municípios;
;Comprovar sua RB mediante simples registro vendas,
independentemente dos documentos fiscais de vendas
ou prestação serviços ou da escrituração simplificada;
;Mediante solicitação ao Município, será franqueado
NFs ou registro simplificado, aos que não a utilizam.

| |  a  


|  
a a   
    | | 
  

#   
|  
    
|%   |U   | 
1. A exclusão será feita de ofício ou por solicitação da
empresa, considerando desenquadramento por opção
ou obrigatoriedade, cabendo a fiscalização destes atos
à SRF e às Fazendas Estaduais de jurisdição.

2. Tratando-se de prestação de serviços inclusos na esfera


municipal, a competência será também do respectivo
Município e SRP, inclusive através de convênios que
venham a ser firmados, observando normas próprias

| |  |  


|  
    

BENEFÍCIOS PREVISTOS
PELAS NOVAS REGRAS
DO SUPER SIMPLES 2007

| |  |  


|  
    
PROCESSO DE JULGAMENTO TRIBUTÁRIO E JUDICIAL

; O processo administrativo será julgado pelo órgão que


efetuar o lançamento ou a exclusão de ofício, podendo o
município, por convênio, transferir esta atribuição, com
exclusividade, ao Estado de sua vinculação territorial.
; Caso o contribuinte exerça atividades inclusas no campo
do ICMS e do ISS e seja apurada omissão de receita de
que não se consiga identificar a origem, a autuação será
feita utilizando a maior alíquota prevista na LC 123, e a
parcela autuada, que não seja correspondente à exações
federais, rateada entre Estados e Municípios, cabendo o
julgamento, neste caso ao Estado de jurisdição da PJ.

| |  |  


|  
    
CONSULTAS & JULGAMENTOS DE SUPERSIMPLES
; As consultas relativas ao Simples serão solucionadas:
;Pela SRF, quando tratarem de tributos federais;
;Secretaria da Fazenda, se tributos estaduais e
;Fazenda Municipal, se sobre tributos municipais.
; Os processos Judiciais, relativos a exações abrangidas
pelo Simples serão ajuizados pela União, que será
representada pela PGFN, com auxílio dos Estados e
Municípios, quanto à tributos de suas competências.
; Créditos não quitados serão inscritos em DA da UF e
cobrados juízo pela PGFN. Relativamente a tributos
estaduais e municipais, a PG poderá delegar a cobrança

| |  |  


|  
    
LICITAÇÕES PÚBLICAS
; As ME e EPP terão tratamento favorecido em relação à
participação mercado quanto às licitações públicas;
; Cabendo, entretanto comprovação de regularidade fiscal, para
efeito de assinatura respectivo contrato;
; Deve apresentar a documentação exigida para efeito de
comprovação, ainda que existam restrições;
; Havendo restrição na comprovação da regularidade:
; Assegurado o prazo de 2 dias úteis após o encerramento do processo, para
regular pendências e entregar as certidões.
; O não cumprimento do prazo implica em perda do direito da contratação
e convocação do próximo licitante na ordem de convocação, ou até
revogação da licitação em questão.

| |  |  


|  
    
LICITAÇÕES PÚBLICAS
1. Ocorrendo empate no processo da licitação:
; Terá preferência a empresa optante pelo simples
2. Considera-se empate as situações em que propostas
apresentadas pelas ME e EPP:
; Sejam iguais ou até 10% superior à proposta mais bem classificada para
licitações padrão, ou
; Até o% superiores que tiver melhor preço caso de pregão
3. Vencido o certame por empresa outra tributação, a empresa do
simples melhor colocada poderá lançar uma melhor oferta de
preço passando a ser vencedora. O mesmo direito assiste as
demais empresas do simples
4. Não havendo empresa simples para cumprir proposta

| |  |  


|  
    
LICITAÇÕES PÚBLICAS
; A ME ou EPP titular direitos creditórios decorrentes
de empenhos junto órgãos e entidades públicas, não
pagos em até 30 dias contados da data de liquidação,
poderão emitir cédula de crédito microempresarial.

A cédula de crédito microempresarial é um título de


crédito regido, subsidiariamente, pela legislação
prevista para as cédulas de crédito comercial, tendo
como lastro o empenho do poder público, cabendo ao
Poder Executivo sua regulamentação no prazo de 180
dias a contar da publicação da LC nº 123 de 2006.

| |  |  


|  
    
LICITAÇÕES PÚBLICAS

; Nas contratações públicas poderá ser concedido


tratamento diferenciado e simplificado para ME
e EPP, objetivando promoção e desenvolvimento
econômico e social âmbito municipal e regional;
ampliação da eficiência das políticas públicas ou
incentivos às inovações tecnológicas, desde que
fixado e regulamentado em leis respectivo poder

| |  |  


|  
    
LICITAÇÕES PÚBLICAS
; Visando facilitar as ME e EPP em aquisições públicas,
serão realizadas licitações exclusivas para aquelas, nas
contratações de valor até R$ 80 mil, com mínimo três
concorrentes e o projeto reste vantajoso ao Erário;
; Nas licitações com exigências de que os participantes
subcontratem ME e DPP para execução, o repasse fica
limitado a 30% do total licitado;
; Licitações que estabeleçam cotas de até 2o% do objeto
para a contratação de ME e EPP, em certames para a
aquisição de bens e serviços de natureza divisível, fica
limitado a 2o% do total licitado em cada ano civil.

| |  |  


|  
    
SIMPLIFICAÇÃO DAS RELAÇÕES DE TRABALHO

1. SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO


As ME serão estimuladas pelo poder público e
Serviços Sociais Autônomos à formar consórcios
para acesso a serviços especializados nas áreas de
segurança e medicina do trabalho.

2. ACESSO À JUSTIÇA DO TRABALHO


É facultado ao empregador de ME e EPP fazer-se
substituir ou representar na Justiça do Trabalho
por terceiros que conheçam dos fatos, ainda que
não possuam vínculo trabalhista ou societário.

| |  |  


|  
    
SIMPLIFICAÇÃO DAS RELAÇÕES DE TRABALHO

Ao empresário com RB anual no ano-calendário


anterior até R$ 36 mil é concedido ainda, o seguinte
tratamento especial, até 31 de dezembro do segundo
ano subseqüente ao de sua constituição legal:
; Faculdade do empresário ou sócios da sociedade
contribuir para a Previdência com 11% e não com
20% da sistemática atual, alterada pela LC
; Dispensa pagamentos das contribuições sindicais
patronal obrigatória.

| |  |  


|  
    
SIMPLIFICAÇÃO DAS RELAÇÕES DE TRABALHO

; Dispensa do pagamento das contribuições a favor


entidades privadas de serviço social e de formação
profissional vinculadas ao sistema sindical, como
por exemplo, contribuições chamado sistema S;

; Dispensa do pagamento dos 10% sobre o depósito


do FTTS mensal e sobre a multa rescisória

Os benefícios referidos neste artigo somente poderão


ser usufruídos por até 3 anos-calendário.
| |  |  
|  
    
SIMPLIFICAÇÃO DAS RELAÇÕES DE TRABALHO

›BR ÇÕ R B H
FORAM DISPENSADAS CONTINUAM OBRIGADAS

8 Anotações na CTPS;
8 Afixação de luadro de Trabalho
8 Arquivamento dos comprobatórios de
8 Anotação das férias dos empregados
cumprimento obrigações trabalhistas e
nos respectivos livros ou fichas;
previdenciárias, não prescritas;
8 Empregar e matricular aprendizes nos
8 Apresentação GR do FGTS e demais
cursos Serviços de Aprendizagem
Informações Previdência ± GFIP;
8 Manter Livro Inspeção do Trabalho e
8 Apresentação das Relações Anuais de
8 Comunicar ao MTb e Emprego a
Empregados; RAIS e Cadastro Geral
concessão de férias coletivas
Empregados Desempregados,/CAGED

| |  |  


|  
    
FISCALIZAÇÃO ORIENTADORA
; luanto aspectos trabalhistas, metrológico, sanitário,
ambiental e segurança, a fiscalização terá natureza
prioritariamente orientadora quando a atividade ou situação,
por sua natureza, comportar grau de risco compatível com
procedimento proposto pela LC;
; Será observado o critério da dupla visita à lavratura do PAF,
salvo quando constatada infração por falta de registro de
empregado ou anotação na CTPS, ou, reincidência, fraude,
resistência ou embaraço;
; Em 12 meses serão definidas, as atividades e situações cujo
grau de risco seja considerado alto, às quais não se aplicarão
as regras acima sugestionadas

| |  |  


|  
    
ASSOCIATIVISMO
CONSåRCIO SIMPLES
; As ME e EPP que optarem pelo Simples poderão realizar
negócios de compra e venda de bens e serviços, para
mercados nacional e internacional, por meio de consórcio,
por prazo indeterminado, nos termos e condições fixadas
Executivo Federal;
; Deve ser composto exclusivamente por ME e EPP
aderentes Simples; direcionando-se ao aumento de
competitividade e sua inserção em novos mercados internos
e externos, por meio de ganhos de escala; redução de
custos, gestão estratégica, capacitação, acesso a crédito e à
melhores e novas tecnologias

| |  |  


|  
    
ASSOCIATIVISMO
CONSåRCIO SIMPLES
; Desenvolver facilidades de acesso para ME e EPP aos
mercados de crédito e de capitais, objetivando a redução do
custo de transação, diminuindo os critérios e exigências,
inclusive apoio ao crédito para exportação, através normas
do MERCOSUL;
; Os Bancos manterão linhas de crédito para as ME e EPP,
devendo o montante disponível e condições acesso ser
expressos nos orçamentos e divulgados. Deve ser publicado
junto com balanços, relatório detalhado recursos alocados e
aqueles efetivamente utilizados, consignando justificativas
desempenho

| |  |  


|  
    
ASSOCIATIVISMO
ACESSO AOS DEPåSITOS ESPECIAIS DO FAT
;FAT é um fundo de natureza contábil-financeira,
vinculado ao MTE, destinado ao custeio do Seguro
Desemprego; Abono Salarial e ao financiamento
de Programas de Desenvolvimento Econômico;
;O CODEFAT, tem por objetivo a gestão do FAT;
podendo disponibilizar recursos por meio criação
programas específicos para cooperativas de crédito
de cujos quadros de cooperados participem ME e
EPP, assim como as empresas de que participam
;Recursos destinados exclusivamente às ME e EPP

| |  |  


|  
    

ESTÍMULO À INOVAÇÃO

Inovação:    %        


&%       ( (%   
& $

  ,

     

5 $5 
 $' 
  
 &  ('  5$  
    
$         

| |  |  


|  
    
REGRAS CIVIS E EMPRESARIAIS

PElUENO EMPRESÁRIO

;Considera-se pequeno empresário, para efeito de


aplicação do disposto nos arts. 970 e 1.179 da Lei
no 10.406, de 10 de janeiro de 2002, o empresário
individual caracterizado como microempresa na
forma desta LC que aufira Receita Bruta anual de
até R$ 36.000,00 (trinta e seis mil reais)

| |  |  


|  
    
REGRAS CIVIS E EMPRESARIAIS
DELIBERAÇÕES SOCIAIS E ESTRUTURA
;As deliberações sociais podem ser tomadas sem
realiação de assembléia ou reuniões, desde que em
deliberação representativa de mais da metade do
capital social; não se aplicando esta regra no caso
de previsão contratual em contrário; exclusão de
sócio por justa causa e sócio que ofereça riscos à
sociedade, fatos que obrigam realizar a reunião
ou assembléia, conforme previsto legislação civil
;Empresários e sociedades enquadradas ME e EPP
nos termos da legislação civil, ficam dispensados
da publicação de quaisquer atos societários

| |  |  


|  
    
REGRAS CIVIS E EMPRESARIAIS

NOME EMPRESARIAL
;As ME e EPP, nos termos da legislação civil em
vigor, acrescentarão à sua firma ou denominação
as expressões ³Microempresa´ ou ³Empresa de
Pequeno Porte´, ou respectivas abreviações, ³ME´
ou ³EPP´, conforme o caso, sendo facultativa a
inclusão do objeto da sociedade.

| |  |  


|  
    
REGRAS PARA PROTESTOS DE TÍTULOS
Os protestos de títulos contra ME ou EPP, sujeitos à condições:

1. Sobre os emolumentos do tabelião não incidirão quaisquer


acréscimos a título de:
; Taxas;
; Custas e contribuições para o Estado ou Distrito Federal;
; Carteira de previdência;
; Fundo de custeio de atos gratuitos;
; Fundos especiais do Tribunal de Justiça, bem como de
associação de classe, criados ou que venham a ser criados
sob qualquer título ou denominação;
; Ressalvada a cobrança do devedor das despesas de correio,
condução e publicação de edital para a intimação.

| |  |  


|  
    
REGRAS PARA PROTESTOS DE TÍTULOS
2. O pagamento poderá ser consignado por meio de
cheque não administrativo, ficando quitação todavia
condicionada à efetiva liquidação daquele cheque. O
devedor deverá provar a condição de ME ou EPP
perante o tabelionato protestos de títulos, mediante
documento expedido pela Junta Comercial ou pelo
Registro Civil das Pessoas Jurídicas;

3. luando os protestos forem pagos com cheques sem


fundos, serão imediata e automaticamente suspensos
pelos Cartórios de Protestos, por 1 ano, todos os
benefícios em favor do devedor, independentemente
da lavratura e registro do respectivo protesto
| |  |  
|  
    
As ME e EPP terão acesso aos Juizados Especiais, as quais,
assim como as pessoas físicas capazes, passam a ser admitidas
como proponentes de ação perante aquele Poder, excluídos os
cessionários de direito de pessoas jurídicas.

; CONCILIAÇÃO PRÉVIA, MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM


Estimulo a utilização dos institutos de conciliação prévia, mediação e
arbitragem para solução dos seus conflitos, onde serão reconhecidos de
pleno direito os acordos celebrados no âmbito das comissões próprias;

; APOIO E REPRESENTAÇÃO
O poder público, em consonância com o Fórum Permanente das ME e
EPP, sob a coordenação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e
Comércio Exterior, deverá incentivar e apoiar a criação de fóruns
regionais com participação órgãos públicos competentes e entidades
vinculadas ao setor, como forma de desenvolver e acompanhar políticas
públicas voltadas àquelas Pessoas Jurídicas

| |  |  


|  
    
BAIXA DA EMPRESA
1. As ME e EPP que se encontrem sem movimento há mais de 3 (três) anos
poderão dar baixa nos registros dos órgãos públicos federais, estaduais e
municipais, independentemente pagamento débitos tributários, taxas ou
multas devidas pelo atraso entrega respectivas declarações nesses períodos

2. Os órgãos públicos federais, estaduais e municipais terão o prazo de 60


dias para efetivar a baixa nos respectivos cadastros. Ultrapassado este
prazo, sem manifestação do órgão competente, presumir-se-á a baixa dos
registros das microempresas e as das empresas de pequeno porte.

3. Posteriormente, poderá haver cobrança por débitos ou irregularidades


levantadas e pelos tributos ou contribuições que não tenham sido pagos,
inclusive multa de mora ou de ofício, conforme o caso, e juros de mora;
reputando-se solidariamente responsáveis, em qualquer das hipóteses
referidas neste artigo, os titulares, os sócios e os administradores do
período de ocorrência dos respectivos fatos ou em períodos posteriores.

| |  |  


|  
    
PARCELAMENTO DE DÉBITOS

1. Será concedido, para ingresso no regime diferenciado e favorecido


previsto nesta LC, parcelamento, em até 120 prestações mensais e
sucessivas, dos débitos relativos aos tributos e contribuições previstos no
Simples Nacional, de responsabilidade da ME ou EPP e de seu titular ou
sócio, relativos a fatos geradores até 31.01.06, inclusive inscritos em DA;

2. O valor mínimo de cada parcela mensal será de R$ 100,00 considerados


isoladamente os débitos para com a Fazenda Nacional; para com a
Seguridade Social e para com a Fazenda dos Estados; DF e Municípios;

3. O parcelamento será requerido à respectiva Fazenda para com a qual o


sujeito passivo esteja em débito, aplicando-se demais regras vigentes para
parcelamento de tributos e contribuições federais, na forma
regulamentada pelo Comitê Gestor de Tributação das ME e EPP.

| |  |  


|  
    

TABELAS PREVISTAS
PARA FINS DO
SUPERSIMPLES 2007

| |  |  


VN ›  - C›RC›
Receita Bruta em 12 meses ALÍlUOTA IRPJ CSLL COFINS PIS INSS ICMS

Até 120.000,00 4,00% 0,00% 0,21% 0,74% 0,00% 1,80% 1,2o%


De 120.000,01 a 240.000,00 o,47% 0,00% 0,36% 1,08% 0,00% 2,17% 1,86%
De 240.000,01 a 360.000,00 6,84% 0,31% 0,31% 0,9o% 0,23% 2,71% 2,33%
De 360.000,01 a 480.000,00 7,o4% 0,3o% 0,3o% 1,04% 0,2o% 2,99% 2,o6%
De 480.000,01 a 600.000,00 7,60% 0,3o% 0,3o% 1,0o% 0,2o% 3,02% 2,o8%
De 600.000,01 a 720.000,00 8,28% 0,38% 0,38% 1,1o% 0,27% 3,28% 2,82%
De 720.000,01 a 840.000,00 8,36% 0,39% 0,39% 1,16% 0,28% 3,30% 2,84%
De 840.000,01 a 960.000,00 8,4o% 0,39% 0,39% 1,17% 0,28% 3,3o% 2,87%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 9,03% 0,42% 0,42% 1,2o% 0,30% 3,o7% 3,07%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 9,12% 0,43% 0,43% 1,26% 0,30% 3,60% 3,10%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 9,9o% 0,46% 0,46% 1,38% 0,33% 3,94% 3,38%
De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 10,04% 0,46% 0,46% 1,39% 0,33% 3,99% 3,41%
De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 10,13% 0,47% 0,47% 1,40% 0,33% 4,01% 3,4o%
De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 10,23% 0,47% 0,47% 1,42% 0,34% 4,0o% 3,48%
De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,32% 0,48% 0,48% 1,43% 0,34% 4,08% 3,o1%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,23% 0,o2% 0,o2% 1,o6% 0,37% 4,44% 3,82%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,32% 0,o2% 0,o2% 1,o7% 0,37% 4,49% 3,8o%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 11,42% 0,o3% 0,o3% 1,o8% 0,38% 4,o2% 3,88%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 11,o1% 0,o3% 0,o3% 1,60% 0,38% 4,o6% 3,91%
De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 11,61% 0,o4% 0,o4% 1,60% 0,38% 4,60% 3,9o%
VN ›  - NDÚ RV
Receita Bruta 12 meses ALÍlUOTA IRPJ CSLL COFINS PIS INSS ICMS IPI

Até 120.000,00 4,o0% 0,00% 0,21% 0,74% 0,00% 1,80% 1,2o% 0,o0%
De 120.000,01 a 240.000,00 o,97% 0,00% 0,36% 1,08% 0,00% 2,17% 1,86% 0,o0%
De 240.000,01 a 360.000,00 7,34% 0,31% 0,31% 0,9o% 0,23% 2,71% 2,33% 0,o0%
De 360.000,01 a 480.000,00 8,04% 0,3o% 0,3o% 1,04% 0,2o% 2,99% 2,o6% 0,o0%
De 480.000,01 a 600.000,00 8,10% 0,3o% 0,3o% 1,0o% 0,2o% 3,02% 2,o8% 0,o0%
De 600.000,01 a 720.000,00 8,78% 0,38% 0,38% 1,1o% 0,27% 3,28% 2,82% 0,o0%
De 720.000,01 a 840.000,00 8,86% 0,39% 0,39% 1,16% 0,28% 3,30% 2,84% 0,o0%
De 840.000,01 a 960.000,00 8,9o% 0,39% 0,39% 1,17% 0,28% 3,3o% 2,87% 0,o0%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 9,o3% 0,42% 0,42% 1,2o% 0,30% 3,o7% 3,07% 0,o0%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 9,62% 0,42% 0,42% 1,26% 0,30% 3,62% 3,10% 0,o0%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 10,4o% 0,46% 0,46% 1,38% 0,33% 3,94% 3,38% 0,o0%
De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 10,o4% 0,46% 0,46% 1,39% 0,33% 3,99% 3,41% 0,o0%
De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 10,63% 0,47% 0,47% 1,40% 0,33% 4,01% 3,4o% 0,o0%
De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 10,73% 0,47% 0,47% 1,42% 0,34% 4,0o% 3,48% 0,o0%
De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,82% 0,48% 0,48% 1,43% 0,34% 4,08% 3,o1% 0,o0%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,73% 0,o2% 0,o2% 1,o6% 0,37% 4,44% 3,82% 0,o0%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,82% 0,o2% 0,o2% 1,o7% 0,37% 4,49% 3,8o% 0,o0%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 11,92% 0,o3% 0,o3% 1,o8% 0,38% 4,o2% 3,88% 0,o0%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 12,01% 0,o3% 0,o3% 1,60% 0,38% 4,o6% 3,91% 0,o0%
De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 12,11% 0,o4% 0,o4% 1,60% 0,38% 4,60% 3,9o% 0,o0%
VN ›   R Ǜ  › VÇÛ D BN 
 › N UÛ N
Receita Bruta 12 meses ALÍlUOTA IRPJ CSLL COFINS PISP INSS ISS

Até 120.000,00 6,00% 0,00% 0,39% 1,19% 0,00% 2,42% 2,00%


De 120.000,01 a 240.000,00 8,21% 0,00% 0,o4% 1,62% 0,00% 3,26% 2,79%
De 240.000,01 a 360.000,00 10,26% 0,48% 0,43% 1,43% 0,3o% 4,07% 3,o0%
De 360.000,01 a 480.000,00 11,31% 0,o3% 0,o3% 1,o6% 0,38% 4,47% 3,84%
De 480.000,01 a 600.000,00 11,40% 0,o3% 0,o2% 1,o8% 0,38% 4,o2% 3,87%
De 600.000,01 a 720.000,00 12,42% 0,o7% 0,o7% 1,73% 0,40% 4,92% 4,23%
De 720.000,01 a 840.000,00 12,o4% 0,o9% 0,o6% 1,74% 0,42% 4,97% 4,26%
De 840.000,01 a 960.000,00 12,68% 0,o9% 0,o7% 1,76% 0,42% o,03% 4,31%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 13,oo% 0,63% 0,61% 1,88% 0,4o% o,37% 4,61%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 13,68% 0,63% 0,64% 1,89% 0,4o% o,42% 4,6o%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 14,93% 0,69% 0,69% 2,07% 0,o0% o,98% o,00%
De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 1o,06% 0,69% 0,69% 2,09% 0,o0% 6,09% o,00%
De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 1o,20% 0,71% 0,70% 2,10% 0,o0% 6,19% o,00%
De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 1o,3o% 0,71% 0,70% 2,13% 0,o1% 6,30% o,00%
De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 1o,48% 0,72% 0,70% 2,1o% 0,o1% 6,40% o,00%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 16,8o% 0,78% 0,76% 2,34% 0,o6% 7,41% o,00%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 16,98% 0,78% 0,78% 2,36% 0,o6% 7,o0% o,00%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 17,13% 0,80% 0,79% 2,37% 0,o7% 7,60% o,00%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 17,27% 0,80% 0,79% 2,40% 0,o7% 7,71% o,00%
De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 17,42% 0,81% 0,79% 2,42% 0,o7% 7,83% o,00%
2VBV - VN ›   R Ǜ ›  UÛ D› N
Receita Bruta 12 meses ALÍlUOTA IRPJ CSLL COFINS PIS/PASEP ISS
Até 120.000,00 4,o0% 0,00% 1,22% 1,28% 0,00% 2,00%
De 120.000,01 a 240.000,00 6,o4% 0,00% 1,84% 1,91% 0,00% 2,79%
De 240.000,01 a 360.000,00 7,70% 0,16% 1,8o% 1,9o% 0,24% 3,o0%
De 360.000,01 a 480.000,00 8,49% 0,o2% 1,87% 1,99% 0,27% 3,84%
De 480.000,01 a 600.000,00 8,97% 0,89% 1,89% 2,03% 0,29% 3,87%
De 600.000,01 a 720.000,00 9,78% 1,2o% 1,91% 2,07% 0,32% 4,23%
De 720.000,01 a 840.000,00 10,26% 1,62% 1,93% 2,11% 0,34% 4,26%
De 840.000,01 a 960.000,00 10,76% 2,00% 1,9o% 2,1o% 0,3o% 4,31%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 11,o1% 2,37% 1,97% 2,19% 0,37% 4,61%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 12,00% 2,74% 2,00% 2,23% 0,38% 4,6o%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 12,80% 3,12% 2,01% 2,27% 0,40% o,00%

De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 13,2o% 3,49% 2,03% 2,31% 0,42% o,00%


De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 13,70% 3,86% 2,0o% 2,3o% 0,44% o,00%

De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 14,1o% 4,23% 2,07% 2,39% 0,46% o,00%


De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 14,60% 4,60% 2,10% 2,43% 0,47% o,00%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 1o,0o% 4,90% 2,19% 2,47% 0,49% o,00%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 1o,o0% o,21% 2,27% 2,o1% 0,o1% o,00%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 1o,9o% o,o1% 2,36% 2,oo% 0,o3% o,00%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 16,40% o,81% 2,4o% 2,o9% 0,oo% o,00%
De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 16,8o% 6,12% 2,o3% 2,63% 0,o7% o,00%
VN › - PVRV V2›R (r) V›R ›U = V  UVRN2V N2›
Receita Bruta em 12 meses em R$ IRPJ, PIS, COFINS E CSLL
Até 120.000,00 4,00%

De 120.000,01 a 240.000,00 4,48%

De 240.000,01 a 360.000,00 4,96%

De 360.000,01 a 480.000,00 o,44%

De 480.000,01 a 600.000,00 o,92%

De 600.000,01 a 720.000,00 6,40%

De 720.000,01 a 840.000,00 6,88%

De 840.000,01 a 960.000,00 7,36%

De 960.000,01 a 1.080.000,00 7,84%

De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 8,32%

De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 8,80%

De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 9,28%

De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 9,76%

De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 10,24%

De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,72%

De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,20%

De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,68%

De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 12,16%

De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 12,64%

De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 13,o0%


VN › - PVRV V2›R (r) N›R U  N2›
IRPJ, PIS, COFINS E CSLL, JÁ COM % DO ISS PREVISTO ANEXO IV
Receita Bruta 12 meses 0,3o e 0,40 = 14%, MAIS 0,30 e 0,3o = 14,o%, 0,30 e 0,00 = 1o%
em R$ ISS ANEXO IV MAIS ISS ANEXO IV MAIS ISS ANEXO IV
Até 120.000,00 16,00% 16,o0% 17,00%
De 120.000,01 a 240.000,00 16,79% 17,29% 17,79%
De 240.000,01 a 360.000,00 17,o0% 18,00% 18,o0%
De 360.000,01 a 480.000,00 17,84% 18,34% 18,84%
De 480.000,01 a 600.000,00 17,87% 18,37% 18,87%
De 600.000,01 a 720.000,00 18,23% 18,73% 19,23%
De 720.000,01 a 840.000,00 18,26% 18,76% 19,26%
De 840.000,01 a 960.000,00 18,31% 18,81% 19,31%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 18,61% 19,11% 19,61%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 18,6o% 19,1o% 19,6o%
De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 19,00% 19,o0% 20,00%
a  
a   
a   
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
 |  S   | | *//<

÷ 
÷ 

  

 

|  
    
| |   % %       
   "  
     
     
       
       
      
      

      
       
      
       
       
       
      
!      
       
       
      
      

      

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
  % %W   |%| |   | K  
VTURVM NT› S  |`  R | 
MÊ RB RB VCUM
VN  "&2,*
MVR  B;,N!*0<E 
VBR 7 & 2:7
MV    
UN   2<E>;L!
U     
V›   
T   M
›UT  
N›    
D    ,! " B,,/!///E//
VN   
 *! 37 @ <E>;L
MVR
VBR
-! 
   BN!*\;E//
MV 

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
  % %W   |%| |   | K  
"   !" S |`  
|#| | 
   
!  "&2,*
  
     B>,/!0//E 
  
   
7 & 2:7
!   2<E0/L!
  
  
"   M
"  
!   
# $  
!  
,! " B,N/!///E//
   *! 37 @ <E0/L
 
 -! 
   B,-!0N/E//
 

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
  % % ]   |ST  % K 
VTURVM NT›
S  |`   
MÊ RB RB VCUM
VN  "&2,*

MVR  
 B000!;//E 
VBR   7 22
MV    
UN   :72NE<NL!
U      
V›  
T   M
›UT   
N›    
D    ,! " B**/!///E//
VN   
    *! 37 @ NE<NL
MVR    -! 
   B,\!-,0E//
VBR
MV 

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
  % %W   |%| |   | K  
"   !"
   
!

 

   
!  
  
  
"  
"  
!   
# $  
!  
  
   
   
    

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
  % %@ | T |  ,*-

W  @ KT  |U

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
ALÍlUOTAS DAS ATIVIDADES COMERCIAIS ± ANEXO I
Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA

Até 120.000,00 4,00% De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 9,9o%


De 120.000,01 a 240.000,00 o,47% De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 10,04%
De 240.000,01 a 360.000,00 6,84% De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 10,13%
De 360.000,01 a 480.000,00 7,o4% De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 10,23%
De 480.000,01 a 600.000,00 7,60% De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,32%
De 600.000,01 a 720.000,00 8,28% De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,23%
De 720.000,01 a 840.000,00 8,36% De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,32%
De 840.000,01 a 960.000,00 8,4o% De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 11,42%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 9,03% De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 11,o1%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 9,12% De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 11,61%

| |  |  


|  
    
  % %@ | T |  ,*-

]  @ KT  |U

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
ALÍlUOTAS DAS ATIVIDADES INDUSTRIAIS ± ANEXO II

Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA

Até 120.000,00 4,o0% De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 10,4o%


De 120.000,01 a 240.000,00 o,97% De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 10,o4%
De 240.000,01 a 360.000,00 7,34% De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 10,63%
De 360.000,01 a 480.000,00 8,04% De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 10,73%
De 480.000,01 a 600.000,00 8,10% De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,82%
De 600.000,01 a 720.000,00 8,78% De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,73%
De 720.000,01 a 840.000,00 8,86% De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,82%
De 840.000,01 a 960.000,00 8,9o% De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 11,92%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 9,o3% De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 12,01%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 9,62% De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 12,11%

| |  |  


|  
    
  % %@ | T |  ,*-

| #  @ T  | #  I

| #  | T | 


 |
   # E >E ,NM

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| T | 
 |  | # 
Incisos I a XII ± Anexo III
Locação de bens móveis ± Anexo III, deduzido da
alíquota o percentual relativo ao ISS, do Anexo III
Incisos XIII a XVIII ± Anexo IV, mais INSS;

Incisos XIX a XXVIII ± Anexo V; mais o INSS;


Transporte interm/interes - Anexo V; ICMS Anexo
I, mais INSS aplicável para demais contribuintes;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| T | 
 |  | # 

Incisos I a XII ± Anexo III

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
| #        U M
1. Creche, pré-escola, estabelecimento ensino fundamental
2. Agência terceirizada de correios;
3. Agência de viagem e turismo;
4. Centro de formação condutores veículos automotores
de transporte terrestre de passageiros e de carga;
o. Agência lotérica;
6. Manutenção e reparo automóveis; caminhões, ônibus,
veículos pesados, tratores, equipamentos agrícolas;
7. Instalação, manutenção e reparo acessórios veículos;

| |  |  


|  
    
| #        U M
8. Manutenção e reparo motocicletas e bicicletas;
9. Serviços de instalação, manutenção e reparação de
máquinas de escritório e de informática;
10.Reparos hidráulicos, elétricos, pintura e carpintaria
residências ou estabelecimentos civis ou empresariais,
manutenção e reparação de eletrodomésticos;
11.Instalação e manutenção de aparelhos e sistemas de ar
condicionado, refrigeração, ventilação, aquecimento;
12.Veículos comunicação, radiodifusão, imagens e mídia

| |  |  


|  
    
ALÍlUOTAS DOS SERVIÇOS ± ANEXO III
Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA

Até 120.000,00 6,00% De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 14,93%


De 120.000,01 a 240.000,00 8,21% De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 1o,06%
De 240.000,01 a 360.000,00 10,26% De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 1o,20%
De 360.000,01 a 480.000,00 11,31% De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 1o,3o%
De 480.000,01 a 600.000,00 11,40% De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 1o,48%
De 600.000,01 a 720.000,00 12,42% De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 16,8o%
De 720.000,01 a 840.000,00 12,o4% De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 16,98%
De 840.000,01 a 960.000,00 12,68% De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 17,13%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 13,oo% De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 17,27%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 13,68% De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 17,42%

| |  |  


|  
    
| T | 
 |  | # 

Locação de bens móveis ± Anexo III, deduzido da


alíquota o percentual relativo ao ISS, do Anexo III

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
LOCAÇÃO DE BENS MåVEIS † ANEXO III MENOS % ISS

Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA

Até 120.000,00 4,00% De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 9,93%


De 120.000,01 a 240.000,00 o,42% De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 10,06%
De 240.000,01 a 360.000,00 6,76% De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 10,20%
De 360.000,01 a 480.000,00 7,47% De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 10,3o%
De 480.000,01 a 600.000,00 7,o3% De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,48%
De 600.000,01 a 720.000,00 8,19% De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,8o%
De 720.000,01 a 840.000,00 8,28% De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,98%
De 840.000,01 a 960.000,00 8,37% De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 12,13%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 8,94% De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 12,27%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 9,03% De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 12,42%

| |  |  


|  
    
| T | 
 |  | # 

Transporte interm/interes - Anexo V; ICMS Anexo


I, mais INSS aplicável para demais contribuintes;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
    
TRANSPORTE INTERMUNICIPAL E INTERESTADUAL

; Aplicável a tabela seguinte, englobando o IRPJ, PIS,


COFINS e CSLL (Anexo V) , mais o ICMS incidente, na
forma do disposto no anexo I da LC nº. 123/2006:

1 1 21 1
%&%'() *+() %, ,%-%- .%, /0 . ! 0
!

(3 4 4
#% ) 4 4
#% ) 4 4
#% ) 4 4
à

| |  |  


|  
    
| T | 
 |  | # 

Incisos XIII a XVIII ± Anexo IV, mais INSS;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
 
SERVIÇOS INCISOS XIII a XVIII ± ANEXO IV

; XIII ± construção de imóveis e obras de engenharia em


geral, inclusive sob a forma de subempreitada;
; XIV ± transporte municipal de passageiros;
; XV ± empresas montadoras de estandes para feiras;
; XVI ± escolas livres, de línguas estrangeiras, artes, cursos
; técnicos e gerenciais;
; XVII ± produção cultural e artística;
; XVIII ± produção cinematográfica e de artes cênicas;

MAIS A CONTRIBUIÇÃO AO INSS A SER CALCULADA

UPR P
|  
    
| T | 
 |  | # 

Incisos XIX a XXVIII ± Anexo V; mais o INSS;

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#   
|  
 
INCISOS XIX A XXVIII - ANEXO V
; XIX ± cumulativamente administração e locação de imóveis de terceiros;
; XX ± academias de dança, de capoeira, de ioga e de artes marciais;
; XXI ± academias atividades físicas, desportivas, natação e escolas esportes;
; XXII ± elaboração de programas de computadores, inclusive jogos
eletrônicos, desde que desenvolvidos em estabelecimento do optante;
; XXIII ± licenciamento ou cessão de direito uso programas de computação;
; XXIV ± planejamento, confecção, manutenção e atualização de páginas
eletrônicas, desde que realizados em estabelecimento do optante;
; XXV ± escritórios de serviços contábeis
; XXVI ± serviço de vigilância, limpeza ou conservação;

NOTA: OS INCISOS XXII E XXVIII FORAM VETADOS NA LEI

Demais pessoas jurídicas não elencadas na LC, que queiram


optar pela sistemática do Simples Nacional - Supersimples.

UPR P
|  
    
SERVIÇOS - ANEXO V
Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA Receita Bruta 12 meses em R$ ALÍlUOTA

Até 120.000,00 4,00% De 1.200.000,01 a 1.320.000,00 8,80%


De 120.000,01 a 240.000,00 4,48% De 1.320.000,01 a 1.440.000,00 9,28%
De 240.000,01 a 360.000,00 4,96% De 1.440.000,01 a 1.o60.000,00 9,76%
De 360.000,01 a 480.000,00 o,44% De 1.o60.000,01 a 1.680.000,00 10,24%
De 480.000,01 a 600.000,00 o,92% De 1.680.000,01 a 1.800.000,00 10,72%
De 600.000,01 a 720.000,00 6,40% De 1.800.000,01 a 1.920.000,00 11,20%
De 720.000,01 a 840.000,00 6,88% De 1.920.000,01 a 2.040.000,00 11,68%
De 840.000,01 a 960.000,00 7,38% De 2.040.000,01 a 2.160.000,00 12,16%
De 960.000,01 a 1.080.000,00 7,84% De 2.160.000,01 a 2.280.000,00 12,64%
De 1.080.000,01 a 1.200.000,00 8,32% De 2.280.000,01 a 2.400.000,00 13,o0%

| |  |  


|  
    
| E| E | F

Para fazer uso do Anexo V e portanto, identificar as


alíquotas relativas ao PIS, COFINS, IRPJ e CSLL, é
necessário antes calcular a relação (r) entre a FOPAG
e a RB dos últimos 12 meses, mediante a fórmula:

r = FOPAG + ENCARGOS / RECEITA BRUTA

Considera-se Folha & Encargos, o valor pago, nos 12 meses, a título


salários & pro-labores, mais efetivo recolhimento para INSS e FGTS

| |  |  


|  
    
| E| E | F
PARA EFEITO DO PIS, COFINS, IRPJ e CSLL:
; Se ( r ) for = ou > que 0,40: Anexo V pela faixa da RB;
; Se ( r ) for = ou > 0,3o e < 0,40: Alíquota única de 14%;
; Se ( r ) for = ou > 0,30 e < 0,3o: Alíquota única 14,o0%;
; Se ( r ) for < que 0,30: Alíquota única de 1o%;
ÀS ALIlUOTAS lUE FOREM ENCONTRADAS NA FORMA DO
ACIMA SOMAR A PARCELA RELATIVA AO ISS DO ANEXO IV

| T||   |P | 

| |  |  


|  
    

#|R % 
 $|

| |  |  



!


 
l 

   
   
 

 
  
       
   

       
      
     
     
     !
      ! 
  "  " ! 
 "    
     "
 "    " 
 "       
"   "  
  " "  "
    " " 
  "     
      
       
   "    
        "
  "  " 
   "   !
      
      !"
  "    !
     " ! 
  "   !"


!


 

l 

   
   
 

 
  
       
   

       
      
   "     "
         
       !
  "     
 " "   
 "    
 "     
    "  
   "  
" "  "   ""
  " "   
      " "
    "   
      "
   "     
    ""    
       
 "  " "" 
  "   ! 
 "      
    " !"
   ""    !
  " "   ! 
     !" 

# 
$   #%&
' (

l 
  
   
 

 
  
       
   

       
      
    !   ! "  "
 " !   !    !  !
  "  !   "!  
! !   !  ! "! ! 
 !    !   "! ! 
  " !   !    !    
  "  ""   !  "   "
       ! "     
    " !!"    !  !""
"  "!  "  " ! "! !
  ! !!          !
    " " ! "  
   "  !  !!    " 
  "      !  
  "     ! ! " "
   !   ! ! !      "
!    "    "  
 !     ! "!   ! !"  !
 !        !  
 !" "  !! ! ! !  
       !!  !  "     
    !  !! !! " ""  " 
   !      !    "  !
  " !   !  ! !  !  "

! 
$   !%&
' (

l 
  #
   
 

 
  
       
   

       
      
    ""      " "
  "  ""       " 
     ""    "   
     ""   "  "    
 "    ""   " "    
    ""      "
    ""    "  
     "     
    " """    "
"    "   ""   "  " 
  "       ""
    "   """ "  "
            
           
          " 
 " "      "    
   "  "     "  
 " "            " 
 "          ""
 "         "     
  "        " "  
       "   ""  
       "   " ""
               "
|  
    
 $| |     S 

FATOS PRETÉRITOS INTERFERINDO NAS BASES


MAPAS E CONTROLES DE RECEITAS & DESPESAS
FåRMULAS, CÁLCULOS DERIVATIVOS, CASCATA
FOPAP & ENCARGOS APENAS REGIME DE CAIXA
VERBAS RESCISåRIAS FICAM FORA DAS BASES?
GESTÃO EFICAZ FOPAG PUNIDA COM TRIBUTOS
OBRIGAÇÕES ADICIONAIS: MAIS HONORÁRIOS!!

| |  |  


|  
    

SIMPLES OU
COMPLICADO?
CASO A CASO,
VOCÊ DECIDE

| |  |  


|  
    


     | #| 
&a !'

| |  a  


|  
a a   
  
| |   
| "   | 
 | | 
 

#