Você está na página 1de 6

FREDDIE MERCURY

Freddie Mercury nasceu como Farookh Bommi Bulsara, dia 5 de Setembro


de 1946, uma terça-feira, na pequena ilha de Zanzibar(uma ilha que atualmente faz
parte da Tanzania). Seus pais, Bomi e Jer Bulsara, eram ambos Persas. Seu pai, Bomi,
era um servidor civil, trabalhando de tesoureiro da Alta Corte do Governo Britânico. Sua
irmã, Kashmira, nasceu em 1952. Em 1954, com oito anos, Freddie foi enviado para o
colégio interno inglês de St.Peter, em Panchgani, aproximadamente 50 milhas fora de
Bombay. Foi lá que amigos começaram a chamá-lo de Freddie, um nome que a família
acabou adotando.

Como St.Peter era um colégio inglês, os esportes lá praticados eram os


típicos ingleses. Freddie detestava corridas longas, mas gostava de hockey e boxe; aos
10 anos ele se tornou o campeão de tênis de mesa na sua escola. Freddie não era
apenas um bom esportista, suas habilidades artísticas eram incomparáveis. Aos 12
anos ele ganhou um troféu na escola, premiado como "pessoa com grande variedade
de habilidades". Ele adorava arte, e estava sempre desenhando para amigos e
parentes.

Ele também era fanático por música e tocava os discos na antiga vitrola da
família, arrumando os discos para tocar constantemente. A música a que ele tinha
acesso era principalmente indiana, mas tinha também alguma música ocidental. Ele
ficava cantando sozinho e preferia a música às tarefas escolares.

O diretor da sua escola notou o talento musical de Freddie, e escreveu aos


seus pais sugerindo que eles pagassem um pouco mais à escola e o inscrevesse para
estudar música mais apropriadamente. Eles aceitaram , e Freddie começou a aprender
a tocar piano. Ele também se tornou membro do coral e participava regularmente nas
produções teatrais da escola. Ele adorava as aulas de piano e se empenhou para elas
com determinação, até receber nota "IV", tanto nas aulas práticas e teóricas.

Em 1958, cinco colegas da escola St. Peter - Freddie Bulsara, Derrick, Bruce
Murray, Farang Irani e Victory Rana - formaram uma banda de rock: The Hectics, na
qual Freddie tocava piano. Eles tocavam em festas e bailes de escola, mas pouco mais
se sabe sobre eles.

Em 1962 Freddie terminou seus estudos, retornou a Zanzibar e passou seu


tempo com amigos em praias e parques. Em 1964, muitos dos Britânicos e Indianos,
devido a distúrbios políticos em Zanzibar, deixaram seu país, embora não tenham sido
pressionados. Entre os que saíram, estavam os Bulsara, que foram para a Inglaterra.

Eles viveram inicialmente com parentes em Feltham, Middlesex, até


conseguirem ter sua pequena casa própria, na mesma área. Freddie tinha 17 anos, e
decidiu que queria ir para uma faculdade de Arte, mas precisava pelo menos um nível
"A" para garantir que ele conseguirira entrar. Em setembro de 1964, ele entrou para a
escola Politécnica de Isleworth, para estudar para um nível "A" em Arte.
Durante as férias ele arranjou vários empregos para conseguir algum
dinheiro; um foi no Aeroporto de Heathrow; outro foi num depósito em Feltham, onde
ele empilhava caixas pesadas. Seus colegas no trabalho comentavam que ele tinha
mãos "delicadas", e que certamente não eram apropriadas para tal serviço, e
perguntavam por que fazia. Ele dizia que ele era um músico que estava apenas
"preenchendo seu tempo", e seu charme era tanto que logo seus colegas estavam
fazendo o serviço mais pesado por ele.

Ele estudou muito, embora preferisse o lado artístico da vida escolar mais do
que o lado rotineiro e desinteressante. Facilmente conquistou o nível "A", deixando
Isleworth na primavera de 1966. Sua nota A e suas habilidades naturais garantiram que
ele fosse rapidamente aceito pela Faculdade Ealing de Arte e, em setembro de 1966,
Freddie começou um curso de ilustração gráfica na faculdade.

Depois que Jimi Hendrix estourou nas pardas de sucesso em 1967, e


Freddie se tornou um grande fã, ele passou seu tempo desenhando seu herói -
desenhos que ele usava para decorar as paredes de seu flat em Kensington, alugado
por seu amigo Chris Smith, para onde Freddie tinha se mudado. Naquela época, essa
cidade era importante para os fãs de arte- era a base da famosa "Biba boutique" e a
cede do Mercado Kensington.

Um dos seus colegas de classe na faculdade era o baixista Tim Staffell, de


quem Freddie se tornou um grande amigo. Assim que a amizade de Tim e Freddie
aumentou, Tim levou-o para participar dos ensaios da sua banda chamada "Smile",
com Brian May na guitarra e Roger Taylor na bateria. Freddie adorava o som que o
'Smile" conseguia fazer, e ele também tinha imensa admiração e respeito por Brian e
sua habilidade na guitarra. Inspirado pelo "Smile", Freddie começou a experimentar a
música pela primeira vez desde que tinha saído da Índia.

Ele começou a praticar com Tim, com outro estudante de arte Nigel Foster, e
com Chris Smith. "A primeira vez que eu escutei Freddie cantar eu fiquei maravilhado",
relembra Chris. "Ele tinha uma grande voz. Embora seu estilo no piano era muito
influenciado por Mozart, ele dava seu grande 'toque'. Do ponto de vista de um pianista,
seu estilo era único"

"Freddie e eu acabamos escrevendo algumas canções juntos" - continua


Chris. "Faz sentido quando você considera Bohemian Rhapsody, por exemplo. Foi de
um jeito interessante, mudávamos de um ritmo para outro. Freddie certamente me
ensinou muito durante aqueles ensaios. Ele tinha um grande e natural senso de
melodia. Eu captei aquilo rapidamente. Para mim era o aspecto mais interessante do
que ele fazia."

Freddie saiu da Faculdade Ealing em Junho de 1969, com um diploma em


arte gráfica e design, e com alguns trabalhos pra fazer em anúncios de jornais. Ele se
mudou para o apartamento de Roger Taylor, e abriu um estande no Mercado
Kensington, inicialmente vendendo trabalhos de arte feitos por ele e colegas da
faculdade, depois vendeu até roupas, novas ou usadas, ou qualquer coisa que ele
colocasse a mão.

No verão de 1969 Freddie foi apresentado a uma banda de Liverpool


chamada "Ibex", que tinha ido a Londres para tentar fazer fama. Ibex era um terceto,
com o guitarrista Mike Bersin, John 'Tupp' Laytor no baixo e Mick 'Miffer' Smith na
bateria. Fazia parte também o empresário, que cuidava de toda a parte burocrática da
banda, Ken Testi. Também fazia parte Geoff Higgins, que tocava baixo no lugar de
Tupp quando esse queria tocar flauta.

Freddie encontrou o Ibex pela primeira vez em Agosto de 1969. Seu


entusiasmo era tanto, que em apenas dez dias depois ele foi chamado pela banda e
viajou com eles para se apresentarem em Bolton, Lancashire, levando consigo
algumas músicas suas novas. Essa foi a estréia de Freddie numa performance pública.
A data era 23 de Agosto, e o evento era mais uma das sessões 'Bluesology"que
aconteciam no Teatro Octogon. No dia 25 de Agosto, o Ibex se apresentou no primeiro
evento "Bluesology" ao ar livre, no parque Bolton Queen, e o evento foi até noticiado
nos jornais, mas Freddie não levava muito crédito.

Em algum ponto no tempo entre Setembro e Outubro de 1969 Ibex teve uma
espécie de 'explosão' de sucesso - detonado por Freddie. "Eu lembro dele nos
sugerindo que a banda passasse a se chamar Wreckage, mas ninguém estava
entusiasmado com isso" - revela Mike Bersin. "Então uma noite ele me ligou e disse:
'Os outros não importa; o que VOCÊ acha?' Eu disse que se se todo mundo aceitasse,
tudo bem. Quando eu fui falar com os outros, descobri que Freddie tinha ligado para
todos eles e falado a mesma coisa!"

A troca do nome aconteceu logo que o baterista Mike Smith saiu da banda.
No seu lugar entrou Richard Thompson. Apesar de todo o potencial, o final dos anos 60
também marcou o final da banda. Freddie, John Taylor e Richard Thompson ficavam
em Londres, enquanto Mike Bersin teve que voltar para um compromisso na sua
faculdade em Liverpool..além disso, as apresentações eram cada vez mais
raras...Inevitavelmente, a banda foi lentamente deixando de existir.

Freddie começou a procurar por outra banda sozinho. Ele encontrou a "Sour
Milk Sea" por um cartaz que dizia "Precisa-se de vocalista" no "Melody Maker", e foi
fazer testes para ver se era aceito. Toda a pompa da banda o impressionou, mas seus
integrantes chegaram a conclusão que ele era o homem certo, especialmente quando o
viram cantar. Freddie tinha uma grandiosa voz, com um alcance incrível. Mas não era
apenas sua voz que o tornou suas apresentações tão atrativas para as pessoas. "Ele
sabia como conduzir um show" - lembra Ken Testi. "Era sua maneira de expressar
aquele lado de sua personalidade. Tudo que ele fazia no palco mais tarde com o
Queen, ele já fazia no Ibex em sua primeira performance. Não era o tipo da coisa que
podia ser desenvolvido. Era seu carisma natural, seu dom puro que entrava em perfeita
harmonia com sua voz, sua aparência ,seu gosto delicado e sua musicalidade. O fato
dele mesmo ter percebido isso o tornou completamente fascinante!"
Eles ofereceram-no o emprego, e no final de 1969 Freddie já era o vocalista
oficial do Sour Milk Sea. Os outros integrantes da banda eram Chris Chesney nos
vocais e guitarra, o baixista Paul Milne, Jeremy Gallop na guitarra e Rob Tyrell na
bateria. Eles faziam ensaios e algumas apresentações em Oxford, a cidade natal de
Chris.

Freddie e Chris, que tinha dezessete anos na época, se tornou seu grande
amigo, e mudou-se para a casa onde Freddie morava. Os outros componentes da
banda Sour Milk Sea começaram a sentir incomodados porque Chris e Freddie
passavam muito tempo juntos, e se sentiram inseguros sobre o futuro da banda. Após
dois meses, Jeremy, que era o dono de praticamente todo o equipamento, resolveu
acabar com a banda.

Em abril de 1970, Jim Staffel decidia abandonar a banda "Smile", e Freddie


então assume o lugar de vocalista. Freddie decide mudar o nome da banda para
Queen, e é também aí que resolve mudar seu sobrenome para Mercury.

Em 1970 Freddie conheceu Mary Austin. Eles viveram juntos por sete anos,
mas se mantiveram bons amigos até o final.

Em 1971 John Deacon entra para a banda e Queen estava completo.


Freddie criou o símbolo da banda usando símbolos dos seus signos: dois duendes para
ele (Virgem), dois leões para Roger e John (Leão) e um caranguejo para Brian
(Câncer). Freddie foi o autor da primeira canção do Queen que entrou nas paradas de
sucesso da Inglaterra (Seven Seas of Rhye), do primeiro grande sucesso (Killer Queen)
e da música mais famosa do Queen que ficou em primeiro lugar por 9 semanas
(Bohemian Rhapsody). Freddie sempre foi considerado o integrante principal da banda.

Em 1975 Queen fez turnê no Japão. A multidão de fãs gritava e os seguia


por toda parte. Eles ficaram surpresos com uma recepção tão calorosa. Freddie se
apaixonou pelo Japão e se tornou um colecionador fanático de arte e antiguidade
japonesas.

Em 7 de outubro de 1979 Freddie se apresentou com o Balé Real. Ele nunca


tinha feito balé antes, mas era uma coisa que sempre quis fazer. As canções
escolhidas foram "Crazy Little Thing Called Love" e "Bohemian Rhapsody". As músicas
eram tocadas pela orquestra com Freddie fazendo os vocais ao vivo. Sua primeira
dança foi "Bohemian Rhapsody", e ele a fez com muita habilidade na frente de uma
casa lotada, que adorou, e retribuiu com uma grande ovação por suas duas
apresentações.

Em 1980 Freddie mudou sua imagem. Cortou o cabelo e deixou crescer o


bigode. Seus fãs começaram a mandar presentes como esmaltes e giletes de barbear.

Ao fim de 1982, todo mundo do Queen concordou que eles deveriam dar
uma pausa. Eles anuciaram que eles não estariam fazendo turnê até o final de 1983.
Freddie já estava pensando em fazer um álbum solo há algum tempo, e finalmente ele
tinha tempo para fazê-lo. Ele reserveu seu tempo para o estúdio e começou o trabalho
no começo de 1983. Durante esse período ele foi apresentado para Georgio Moroder,
que estava num relançamento do filme mudo de ficção científica Metropolis, de Fritz
Lang. Ele queria pôr música moderna no filme, e então perguntou a Freddie se ele
estava disposto a colaborar com uma faixa para o filme, e ele concordou. Ele nunca
tinha co-escrito nenhuma música com alguém fora do Queen e nunca gravado
composições de outras pessoas (exceto com Larry Lurex). O resultado dessa
cooperação foi a música "Love Kills".

Em 1983 Freddie foi assistir a performance de Verdi's Un Ballo na Casa Real


de Ópera em Maschera. Foi aí a primeira vez que viu a diva da ópera espanhola
Montserrat Caballe, e a potência e beleza de sua voz o hipnotizou.

Em 10 de Setembro de 1984 o primeiro single solo foi lançado. Era a faixa


que tinha sido co-escrita com Georgio Moroder para o filme Metropolis, "Love Kills".

O primeiro single que iria entrar no seu futuro solo álbum, "I Was Born To
Love You", chegou às lojas dia 8 de Abril de 1985. Três semanas depois, o primeiro
álbum solo de Freddie, Mr. Bad Guy, era lançado pela CBS Records.

Dia 13 de Julho de 1985 foi um dia especial para o Queen e Freddie. Foi o
dia do "Live Aid", um imenso show no Estádio Wembley em frente a 72 mil pessoas.
Live Aid também foi transmitido para mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo.
Queen assegurou seu lugar na História esse dia, uma vez que a mídia, os jornalistas os
fãs e a crítica em unânimidade concordaram que o Queen roubou a cena.

O início do ano de 1987 foi bem quieto para o Queen, então Freddie
aproveitou a oportunidade para ir pros estúdios e fazer algum trabalho solo. Resultou
num remake da ótima e antiga música "The Great Pretender". O single foi lançado dia
23 de Fevereiro.

Em Março de 1987 Freddie foi a Barcelona para encontrar Montserrat


Caballe. Ele a entregou uma fita cassete com duas ou três canções. A diva da ópera
gostou das músicas e até cantou uma delas numa apresentação. Freddie ficou
surpreso. Em Abril, Freddie começou a trabalhar um álbum que seria gravado junto
com Monserrat Cabelle.

Em Maio a ilha de Ibiza cediou um imenso festival no "Ku Club". Freddie


concordou em ser o convidado de honra e fechou o evento cantando com Monserrat a
música que ele tinha escrito para ela e sua cidade: Barcelona.

Em 8 de Outubro Freddie e Monserrat apareceram no gigantesco festival "La


Nit" em Barcelona. Eles cantaram juntos três canções presentes no álbum que eles iam
lançar - "How Can I Go On", "The Golden Boy" e "Barcelona" - acompanhados por Mike
Moran no piano. O tão esperado álbum, Barcelona, finalmente saiu dia 10 de Outubro.

Oito de Outubro foi a última vez que Freddie se apresentou em um palco.


Ele já estava terivelmente doente, tinha AIDS, embora não quisesse que as pessoas
soubessem disso. Ele anunciou sua doença um dia antes de morrer. Mesmo doente,
continou escrevendo e gravando música e até fazendo vídeos. Na minha opinião "I'm
Going Slightly Mad" é sua obra-de-arte.

Dia 24 de Novembro de 1991 Freddie morreu em paz na sua casa em


Londres, de pneumonia relacionado à AIDS. Em 20 de Abril de 1992 houve um show
em tributo a ele no estádio Wembley, e várias estrelas do rock participaram. Mas o
melhor tributo a Freddie foi o álbum Made In Heaven, lançado dia 6 de Novembro de
1995 pelos três outros componentes do Queen. Podemos ouvir as últimas músicas que
Freddie compôs e gravou.

Obrigado Freddie. Nós te amamos.

Escrito por Jacky Gunn e Jim Jenkins

Traduzido por Fernando Silva Botelho

Biografia retirada da página de Marcos V. C. Taylor dedicada ao Queen


URL: http://www.geocities.com/BourbonStreet/Quarter/1835/Index.html

www.sti.com.br

Interesses relacionados