Você está na página 1de 4

Olho de Hórus: Egrégora, registro de eventos

http://blogolhodehorus.blogspot.com.br/2015/02/egregora-registro-de-ev

Olho de Hórus: Egrégora, registro de eventos http://blogolhodehorus.blogspot.com.br/2015/02/egregora-registro-de-ev

PARA FRENTE E PARA O ALTO

PARA FRENTE E PARA O ALTO Egrégora, registro de eventos Tema 1121 2000 - 3353 JOSÉ
PARA FRENTE E PARA O ALTO Egrégora, registro de eventos Tema 1121 2000 - 3353 JOSÉ

Egrégora, registro de eventos

PARA FRENTE E PARA O ALTO Egrégora, registro de eventos Tema 1121 2000 - 3353 JOSÉ

Tema 1121 2000 - 3353

JOSÉ LAÉRCIO DO EGITO F.R.C.

(Palestra na XVIII Convenção Rosa-cruz)

esta palestra vamos tentar mostrar parcialmente o que em essência é um Egrégora, assim também, a sua importância nas atividades da humanidade em geral e dos Rosa cruzes em particular.

dos Princípios Herméticos bem enfatizado nos ensinamentos de nossa Ordem é o da Vibração. Todas as

coisas existentes no mundo objetivo constituem-se essencialmente de vibrações e uma das principais características físicas das vibrações é a capacidade de ser gravável em quaisquer meios adequados, por isto é que praticamente todos os tipos de registros físicos existentes, direta ou indiretamente, são resultantes de alguma forma de vibração gravada. Assim sendo, mesmo nas coisas mais densas podem ser registradas ocorrências.

Podemos dizer que a capacidade de gravar é peculiar a qualquer tipo de matéria, apenas que algumas são bem mais efetivas que outras. Coisa alguma ocorre sem que não resulte algum registro porque tudo no universo imanente essencialmente tem natureza vibratória, como conseqüência todos os eventos são passíveis de registros, desde que sejam feitas as devidas conversões eletromagnéticas.

capacidade de "ler" aquilo que está sutilmente gravado nas coisas é o que a Parapsicologia chama de Psicometria, o mesmo que a Ordem Rosa-cruz chama de Vibroturgia. As atividades biológicas em geral, e as psíquicas em particular, compõem um campo energético característico, susceptível de ser transferido para tudo aquilo com que mantiver contacto direta ou indiretamente. Isto facilmente pode ser evidenciado pela Kirliangrafia. Todas as atividades da mente se processam por meio de vibrações, e, de acordo com os princípios da mecânica ondulatória, elas podem ser gravadas em tudo quanto há, portanto todos os atos e pensamentos podem integrar o registro a nível cósmico. Vale salientar que não é somente o padrão energético da pessoa fica gravado, mas até mesmo os padrões energéticos determinados por seus pensamentos e sentimentos, independentemente de haver ou não contacto direto. Não são apenas estruturas materiais que detêm a capacidade de registro, também formas de existência não materiais o fazem, sendo a mais sutil de todas aquela que é feita naquela “essência” que algumas doutrinas costumam chamar de akasha.

antigos gregos afirmavam (Aristóteles) que existiam 4 elementos constitutivos do universo, ou seja, que

existiam quatro princípios incorpóreos envolvidos na estruturação do mundo imanente: Fogo, Água, Ar e, Terra. Afirmativa endossada pelos Rosa cruzes). A Doutrina Védica, mãe de todas as religiões orientais, já falava de um quinto elemento denominado de Akasha, como sendo a “substância” primordial que penetra todas as coisas -

correspondente, de alguma forma, à concepção do éter universal. Na verdade Akasha vai muito além disto, pois ele não só penetra, mas constitui a essência mais de todas as coisas. Portanto, todas as coisas existentes basicamente podem ser tidas como Akasha “condensado”, e que se torna visível pela mudança vibratória de seu estado supra-etéreo. Sendo Akasha parte integrante da própria constituição de tudo quanto há no mundo imanente, portanto coisa alguma se passa fora dela, e assim todos os eventos são ali registrados.

emos então que de uma forma lata há dois patamares de registros, um é aquele que ocorre a nível mais denso, aquele que compreende as inúmeras formas que compreende gravuras, fotografias, discos de vinil, registros eletromagnéticos, etc. e um outro de natureza muito mais sutil que se faz ao nível do Akasha. Nessa “essência” todos os eventos ocorridos no universo estão registrados desde que ela sempre se fez presente em todos os tempos e em todos os lugares do mundo imanente.

palavra “Akasha” deriva o termo “akasha” e os registros nelas efetivados são chamados de “Registros

Olho de Hórus: Egrégora, registro de eventos

http://blogolhodehorus.blogspot.com.br/2015/02/egregora-registro-de-ev

Akáshicos”. Como em tudo no universo existe uma ordenação, assim também os registros não ocorrem de forma aleatória, de forma caótica, mas sim de forma bem estruturada. É a própria natureza vibratória dos registros que estabelece um agrupamento, eles se processam como que ordenados em arquivos, algo semelhante aos arquivos de um computador. São exatamente tais arquivos que constituem a base dos chamados “egrégoras”, daí se poder definir um “egrégora” como “Registro Akáshico Classificado”.

egrégora ” como “ Registro Akáshico Classificado ”. Vibroturgia mostra que aquilo que é registrado em

Vibroturgia mostra que aquilo que é registrado em nível sutil é passível de ser detectado e conseqüentemente acessado. As vibrações de uma mesma natureza de evento tende, portanto, a serem registradas formando arquivos, e estes quando iniciado tende a se ampliar constantemente pela repetição de um determinado evento. Como vimos antes, todas as atividades mentais são registradas, e como determinados registros são constituídos por um número muito grande de mentes conseqüentemente vai criando uma força enorme, um poder que de certa forma pode agir como se fosse consciente, ou seja, vai se estabelecendo um egrégora cada vez mais poderoso. Na realidade, um egrégora não é uma coisa consciente, um ser vivo, mas sim um registro de eventos que uma mente pode entrar em sintonia e acessar informações nele contidos e passar a agir de conformidade com aquela força. Assim sendo, é como se a pessoa desse vida ao registro, ou seja, ativasse o egrégora, lhe desse a capacidade de agir como se ele fosse um ser dotado de consciência. Na verdade, um egrégora nada mais é do que um registro que pode ser alimentado por tudo quanto estiver vibrando na sua freqüência. É assim que as informações vibratórias vão se somando, podendo terminar constituindo-se um enorme registro.

fim de que um bom entendimento possa ser estabelecido, vamos exemplificar praticamente o que é um egrégora. Tomemos como exemplo o carnaval, uma festa pagã que existe há milênios sob diferentes formas. A partir do surgimento do carnaval se originou um registro das vibrações das mentes nele em envolvidas, dos sentimentos das pessoas que nele se envolviam. Assim se estabeleceu um egrégora que ano a ano vai se

ampliando e a pessoa que entra em sintonia com ele tanto o amplia quanto acessa o que ali existe registrado. Toda

coisa ocorrida em carnavais passada quer se tratem de atos ou mesmo de pensamentos, foram registradas constituindo-se assim um egrégora. Como resultado, quando uma pessoa se liga àquela festa ela entra automaticamente em sintonia com o egrégora, harmoniza as suas vibrações com aquele registro e

conseqüentemente torna-se sujeita a sofrer as influencias dos registros contidos. Assim é que se pode afirmar que

universo imanente está repleto de egrégoras das mais diversas naturezas.

abe-se que a mente tem facilmente condições de entrar em sintonia com qualquer tipo de egrégora, bastando para isto que ela vibre em uníssono com ele. Por isto é que se deve ter muito cuidado com os próprios pensamentos para que sintonias espúrias e indesejáveis não sejam estabelecidas. Os pensamentos devem ser constantemente “policiados”, porque em decorrência de ser veiculo para acesso aos egrégoras eles podem ser mais perigosos que as próprias palavras. A palavra, por exemplo, sem que seja acompanhada do pensamento não acessa o egrégora, mas a mente através do pensamento o faz. Desde que egrégora é uma forma de registro

podemos compreender que tanto existem os negativos quanto positivos. As coisas boas, os atos positivos são registrados e formam egrégoras, evidentemente neste caso é algo bom a pessoa entrar em sintonia com ele. É isto

que acontece quando pensamos, estudamos, analisamos, meditamos, oramos, etc. segundo uma atitude

positiva, pois assim podemos colher melhores frutos para nossas existências. Este tipo de egrégora se constitui um "protetor". Cada religião, cada doutrina, confraria, ciência, arte, etc. cria seus próprios egrégoras e ao mesmo

tempo as pessoas que pensam de acordo com tais organizações automaticamente se incorporam ao egrégora.

elo que dissemos acima é fácil se entender a razão pela qual, consciente ou inconscientemente, desde a mais remota Antigüidade, houve legiões de demônios e de deuses. Há citações de deuses da plantação, deuses da guerra, deuses das flores, dos pomares, enfim, deuses das mais diversas profissões e nações, e não podemos dizer que eles não existam de alguma forma, pois são egrégoras. Vemos que um egrégora pode constituir uma imensa fonte de mal, ou de bem que, consciente ou inconscientemente pode ser acessada pelas pessoas. Entrar em sintonia com o registro akáshicodo mal é algo muito perigoso por isto concordamos plenamente quando Al Ghazali e Clemente de Alexandria diziam que até mesmo se pensar em satanás sem que a pessoa tenha conhecimento do como se guarnecer devidamente é perigoso.

xistem inúmeros egrégoras adormecidos, isto é que não estão mais sendo evocados, mas que continuam “vivos”

a razão pela qual eles podem agir a qualquer momento, bastando para isto que alguém entre em sintonia com

eles. Na vida é muito importante o posicionamento mental de uma pessoa, no agir, no falar e no pensar, pois que a pessoa com certeza através de cada pensamento, palavra ou ato permanentemente está sujeito a estar se ligando

algum egrégora e se deixar influenciar pelas informações registradas acabar por ficar a mercê dele. Tem-se

ciência da existência de objetos, alguns oriundos de civilizações antigas, são amuletos e fetiches que, se uma pessoa sensível os tocar, podem causar sensações desagradáveis, de nojo, de mal estar. Aquilo acontece exatamente porque tais objetos estão impregnados com vibrações mentais de que os construiu, intencionalmente ou não, ou de que os usou através do tempo.

onsideramos agora fazer um esclarecimento bem significativo. Do que falamos nesta palestra pode surgir a seguinte indagação: Se eventos são graváveis em objetos assim como seus registros acessados, então objetos maléficos como amuletos e fetiches podem agir. - A Ordem Rosa-cruz procura mostrar que tais coisas só agem através da sugestão e isto é o que vamos esclarecer. O “poder” de um amuleto não vai além do poder da mensagem gravada. Tratando-se de um objeto no qual está gravada uma mensagem que pode ser acessada ele tem um poder, mas que não vai além daquele contido numa mensagem escrita num papel que pode ser acessada pela leitura. O que acontece é que uma pessoa suficientemente sensível pode sentir a mensagem e se deixar

influenciar por ela. Um fetiche não age desde que a pessoa entenda o que ele é, mas pode agir se a pessoa ignora

natureza dele se deixando, portando, influenciar pela mensagem vibroturgicamente detectada. Um amuleto diretamente não é capaz de causar qualquer dano, mas indiretamente sim.

detectada. Um amuleto diretamente não é capaz de causar qualquer dano, mas indiretamente sim. 2 de

Olho de Hórus: Egrégora, registro de eventos

http://blogolhodehorus.blogspot.com.br/2015/02/egregora-registro-de-ev

s estudiosos da metafísica sabem o quanto intenso pode ser uma impregnação. Alguns livros sobre o Tibet, entre eles “Mistérios e Magia do Tibet” de Chiam Cinge e “Tibet - Magia e Mistérios” de Alexandra David Neale, citam vários tipos de impregnações vibratórias em objetos. Vamos destacar um deles como ilustração, que uns dizem se tratar de uma lenda, mas outros dizem que não. A mãe de um mercador tibetano que sempre viajava para a Índia certa vez pediu-lhe que trouxesse alguma relíquia do Budismo, da Índia onde viveu Buda. O mercador foi e voltou por duas vezes sem que houvesse se lembrado do pedido materno, o que sem dúvidas entristecera a velha senhora. Na terceira viagem, mais uma vez o mercador, esquecera de conseguir alguma "relíquia" e próximo de casa ele encontrou uma solução quando inesperadamente avistou uma mandíbula de um cachorro. Extraiu, então um dos dentes, o envolveu cuidadosamente num lenço de seda e o entregou à mãe como sendo um dente de Sariputra, discípulo de Buda. A Senhora guardou-o com respeito, veneração e carinho, entronando-o num pequeno oratório. A partir de então milhares de pessoas anos seguidos foram venerar a "relíquia". O mais interessante foi que após o processo de veneração por anos seguidos, em que mentes e mais mentes fixavam a sua devoção no dente, este começou a emitir raios de luz. Disto nasceu o seguinte ditado tibetano: “Emite luz, até o dente de um cão quando há veneração”. O que descrevemos pode até ser tido como um mito, mas em essência há nele uma grande verdade: Os objetos podem ser fortemente impregnados com as emissões psíquicas que podem ser acessadas depois.

gora podemos entender porquê de toda religião, seita, ordem, confraria, sociedade, estado, nação, filosofia, partido político, em suma de tudo aquilo que consiste de mentes direcionadas num mesmo sentido, sempre gerar um egrégora. Podemos ter a certeza de que a Antiga Mística Ordem Rosa Cruz através dos séculos vem criando um poderosíssimo egrégora que se constitui um verdadeiro escudo protetor para todos nós que comungamos dos ideais e propósitos desta Venerável Organização. Trata-se de um cabedal imenso de registros místicos, de conhecimentos de diversas naturezas acumulados por milênios, que podem facilmente ser acessados onde e quando se fizer necessário. Para isto é mister que a pessoa não apenas esteja integrada socialmente à Ordem, mais que isto, é essencial que ela esteja integrada aos propósitos, ao verdadeiro trabalho místico da Rosa-cruz. Não é o nome registrado num livro de sócios que confere o direito de acesso ao egrégora. Nenhum mestre pode conceder isso com benesse à alguém, pois se trata de uma condição ditada pelo padrão vibratório da própria pessoa. A chave de acesso não é coincidível por qualquer meio a não ser a vibração da mente da própria pessoa e isto se processa segundo um principio inerente ao Principio da Vibração. É pela vibração mental que se estabelece a ligação entre a pessoa e o egrégora. É através da harmonização que a interação entre a pessoa e o egrégora é estabelecido, e isto só é possível através do trabalho, dos rituais, dos exercícios propostos, das diversas atividades individuais e coletivas da Ordem. Sem dúvidas, quanto mais intensa for a interação da pessoa com a Ordem, tanto mais fácil e amplo é o acesso ao egrégora.

Muitas vezes o associado diz assim: O que leio nas monografias são coisas comuns, muitos ensinamentos são até mesmo encontráveis em publicações vendidas em bancas de revistas. Isto pode acontecer, mas afirmamos que não se compra ali o egrégora da Ordem e tenha-se em mente que os grandes ensinamentos não constam das monografias. Basicamente as monografias visam preparar o discípulo para que ele possa ter acesso aos ensinos mais elevados, exatamente aqueles que não constam em publicações comerciais. Também podemos dizer que o simples se associar à Ordem não confere a capacidade de acesso ao seu egrégora e aos verdadeiros mistérios, poderes e elevados conhecimentos dos autênticos rosa cruzes. Para isto se faz preciso o preenchimento de mais dois importantes itens: O desenvolvimento mental, obtido por meio da prática dos exercícios; e aharmonização mental, obtida através da integração às atividades rosa cruzes.

eem-se pessoas que chegam aos elevados graus desta organização sem que apresentem quaisquer progressos pessoais. Daí elas começam a duvidar da autenticidade e do poder da Ordem, mas sem se darem conta de que praticamente não realizaram nenhum dos exercícios psíquicos indicados; se, se darem conta de que não cumpriram a parte delas no processo do desenvolvimento mental. Se não o fizeram, como então esperar por capacitações almejadas se suas mentes não estão devidamente preparadas? São pessoas que não se dão conta de que nunca se integraram ao trabalho rosa-cruz, e nem mesmo ao estilo e maneira de ser condizente com a de um autêntico Rosa-cruz. Como ter acesso acessar o Egrégora da Rosa-cruz se não houve o estabelecimento da imprescindível harmonização mental conseguível através dos rituais, das iniciações e outras práticas místicas. A integração às diversas atividades nos corpos subordinados favorece a harmonização com a própria Ordem. Poucos são os que sentem o quanto uma iniciação, por exemplo, pode favorecer a harmonização com o egrégora rosa-cruz. Uma iniciação é um ato de tão elevado poder de harmonização que nenhum de nós perderia uma sequer, pois é um ato litúrgico em que circula uma energia que harmoniza não apenas o iniciando com a Ordem, mas também os iniciadores e os assistentes.

ma iniciação condiciona a mente à naturalmente entrar em sintonia com o egrégora. Achamos que a maior força da Ordem reside no seu egrégora. Sendo assim todo aquele que desejar atingir os elevados níveis e propósitos da Rosa-cruz deve preencher os requisitos que mencionamos afim de que possa sempre que preciso se manter em sintonia com o egrégora. O Rosa-cruz deve entender que pode tirar muito do egrégora, mas também que este egrégora precisa crescer cada vez mais, e que esse crescimento é um trabalho a ser feito por todos nós. Tanto maior se tornar o egrégora mais benefícios a Ordem poderá conceder. O que podemos hoje usufruir o egrégora rosa-cruz nos foi dado pelos que nos antecederam e nós temos o dever de fazer a nossa parte para reforçá-lo afim de que os que nos sucederem possam cada vez mais contar com o manto protetor da PAZ PROFUNDA da A.M.O. R. C.

Contato: peregrinodethoth@gmail.com

Postado por Peregrino de Thoth às 20:33

da A.M.O. R. C. Contato: peregrinodethoth@gmail.com Postado por Peregrino de Thoth às 20:33 3 de 4

Olho de Hórus: Egrégora, registro de eventos

http://blogolhodehorus.blogspot.com.br/2015/02/egregora-registro-de-ev

Nenhum comentário: Postar um comentário Comentar como: Publicar Assinar: Postar comentários (Atom)
Nenhum comentário:
Postar um comentário
Comentar como:
Publicar
Assinar: Postar comentários (Atom)
como: Publicar Assinar: Postar comentários (Atom) Blog Olho de Hórus Estudos Herméticos ©2015

Blog Olho de Hórus Estudos Herméticos

©2015

www.blogolhodehorus.blogspot.com

Tema Espetacular Ltda

Imagens de tema por mammuth. Tecnologia do Blogger.