Você está na página 1de 57

COLÉGIO SPEI – UNIDADE ÁGUA VERDE

ENSINO MÉDIO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

MONTAGEM E MANUTENÇÃO
DE COMPUTADORES

Guia de Hardware para iniciantes

Curitiba
Julho de 2007
André Zanatta Borgonovo
Günther Holz Ribak
Gustavo Yudi Kita Lopes
Vitor Rebellato Ussui

MONTAGEM E MANUTENÇÃO
DE COMPUTADORES

Guia de Hardware para iniciantes

Trabalho apresentado à
professora Waniza da
disciplina de Arquitetura
de Hardware do Colégio
SPEI - Ensino Médio
Técnico em Informática.

Curitiba
Julho de 2007

2
ÍNDICE
1 INTRODUÇÃO......................................................................................................... 7
2 CUIDADOS ............................................................................................................... 8
2.1 ELETRICIDADE ESTÁTICA...................................................................... 8
2.2 REDE ELÉTRICA........................................................................................ 9
2.2.1 Problemas ............................................................................................ 9
2.2.1.1 Variações na tensão (voltagem) ................................................ 9
2.2.1.2 Interferências............................................................................ 9
2.2.2 Prevenções ........................................................................................... 10
2.2.2.1 Estabilizadores ......................................................................... 10
2.2.2.2 No-Break ................................................................................. 10
2.2.2.3 Filtros de linha ......................................................................... 11
2.3 RECOMENDAÇÕES ................................................................................... 11
3 COMPONENTES ..................................................................................................... 13
3.1 GABINETE.................................................................................................. 13
3.2 FONTE DE ALIMENTAÇÃO ..................................................................... 13
3.3 COOLER ..................................................................................................... 14
3.4 DISCO RÍGIDO ........................................................................................... 15
3.5 DRIVE DE CD E DVD ................................................................................ 16
3.6 DRIVE DE DISQUETE ............................................................................... 17
3.7 PLACA-MÃE............................................................................................... 17
3.8 PROCESSADOR ......................................................................................... 19
3.9 MEMÓRIA RAM......................................................................................... 19
3.10 PLACA DE VÍDEO ................................................................................... 20
3.11 PLACA DE ÁUDIO ................................................................................... 21
3.12 PLACA DE REDE ..................................................................................... 21
4 MONTAGEM ........................................................................................................... 22
4.1 MATERIAIS ................................................................................................ 22
4.2 CONECTORES ............................................................................................ 22
4.2.1 Conectores Internos ............................................................................. 22

3
I
4.2.1.1 ISA........................................................................................... 23
4.2.1.2 PCI .......................................................................................... 23
4.2.1.3 AGP ........................................................................................ 23
4.2.1.4 PCI-Express ............................................................................ 23
4.2.1.5 IDE ......................................................................................... 23
4.2.1.6 SATA ...................................................................................... 23
4.2.2 Conectores Externos ........................................................................... 23
4.2.2.1 Porta Serial .............................................................................. 24
4.2.2.2 Porta Paralela .......................................................................... 24
4.2.2.3 PS/2 ......................................................................................... 24
4.2.2.4 Som, microfone e speaker......................................................... 24
4.2.2.5 USB ........................................................................................ 24
4.3 INSTALAÇÃO DAS PEÇAS ....................................................................... 24
4.3.1 Instalando a Fonte ............................................................................... 24
4.3.2 Instalando o HD .................................................................................. 25
4.3.2.1 Configurando os Jumpers do HD ............................................. 26
4.3.3 Instalando o Drive de CD/DVD .......................................................... 27
4.3.4 Instalando o Processador ..................................................................... 28
4.3.4.1 Instalando o Cooler e o dissipador de calor............................... 30
4.3.5 Instalando Memória RAM.................................................................... 32
4.3.6 Instalando a Grade da Placa-mãe ......................................................... 33
4.3.7 Instalando a Placa-mãe ........................................................................ 34
4.3.8 Instalando os Cabos de Alimentação ................................................... 34
4.3.9 Conectando os Cabos Power, Reset, LEDs e Speaker .......................... 36
4.3.10 Conectando os Cabos ao HD ............................................................. 38
4.3.11 Conectando os Cabos ao Drive de CD/DVD ...................................... 40
4.3.12 Instalando a Placa de Vídeo PCI-Express .......................................... 40
4.3.13 Conectando os Cabos Externos .......................................................... 42
5 CONFIGURAÇÃO ................................................................................................... 44
5.1 SETUP ......................................................................................................... 44

II 4
5.1.1 Janela Principal ................................................................................... 44
5.1.1.1 Main ........................................................................................ 44
5.1.1.1.1 System Time .............................................................. 44
5.1.1.1.2 System Date .............................................................. 44
5.1.1.1.3 Legacy Diskette A ..................................................... 44
5.1.1.1.4 Primary, Third and Fourth IDE Master ...................... 44
5.1.1.1.5 Primary, Third and Fourth IDE Slave ........................ 45
5.1.1.1.6 IDE Configuration .................................................... 45
5.1.1.1.7 System Information ................................................... 45
5.1.1.2 Advanced ................................................................................ 45
5.1.1.2.1 USB Configuration ................................................... 45
5.1.1.2.2 CPU Configuration ................................................... 45
5.1.1.2.3 Chipset ...................................................................... 45
5.1.1.2.4 Onboard Devices Configuration ................................ 46
5.1.1.2.5 PCI/PnP .................................................................... 46
5.1.1.3 Power ...................................................................................... 46
5.1.1.3.1 Suspend Mode .......................................................... 46
5.1.1.3.2 ACPi 2.0 Support ...................................................... 46
5.1.1.3.3 ACPI APIC Support .................................................. 46
5.1.1.3.4 APM Configuration ................................................... 46
5.1.1.3.5 Hardware Monitor ..................................................... 47
5.1.1.4 Boot ........................................................................................ 47
5.1.1.4.1 Boot Device Priority ................................................. 47
5.1.1.4.2 Boot Settings Configuration ...................................... 47
5.1.1.4.3 Security ..................................................................... 47
5.1.1.5 Exit ......................................................................................... 47
5.2 MEMÓRIA VIRTUAL ................................................................................ 48
6 MANUTENÇÃO ...................................................................................................... 50
6.1 UPGRADE E UPDATE ............................................................................... 50
6.2 FORMATAÇÃO E FDISK........................................................................... 51

5
III
6.2.1 Formatação por CD ............................................................................ 51
6.2.2 Formatação e FDISK por Disquete ..................................................... 53
6.3 DICAS PARA O WINDOWS ...................................................................... 54
6.3.1 Desfragmentação constante .................................................................. 54
6.3.2 Memória Virtual ................................................................................... 55
6.3.3 Limpeza de Arquivos Desnecessários ................................................... 55
6.3.4 Limpeza do Registro ............................................................................. 55
6.3.5 Programas em Excesso ......................................................................... 56
7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ..................................................................... 57

6
IV
1 INTRODUÇÃO

Para iniciarmos nosso aprendizado, é necessário, anteriormente sabermos o que é


Hardware. Podemos definir a palavra "Hardware", vinda do inglês "conjunto físico"
(placas, circuitos, cabos, chips...), como os componentes eletrônicos que processam
diversos tipos de dados, definidos como "Software".
Montagem e Manutenção de computadores exige o mínimo de conhecimento de sua
parte física, como o funcionamento, conceitos básicos e alguma prática. Para isso, este livro
irá mostrar-lhe os princípios e os fundamentos para a montagem e manutenção de
computadores pessoais (PC).

7
2 CUIDADOS

2.1 ELETRICIDADE ESTÁTICA

Devido ao acumulo de estática em nosso corpo através do atrito, cria-se à


possibilidade de criar defeitos ao tocarmos em certas partes dos componentes do
computador. Quando mexemos com a parte física do PC (hardware) é bom:
- não estar usando roupas de lã;
- não estar em lugares com carpete;
- descarregar a estática encostando o dedo em algo de metal não pintado;
- usar uma pulseira antiestática, que pode ser adquirida em lojas de informática.
Caso seja necessário mexer nas peças do PC separadamente, deve-se pegar nos
lados do componente onde o metal é isolante (não sendo afetado pelas descargas estáticas),
como vemos na figura abaixo:

Fonte: http://www.guiadohardware.net/tutoriais/eletricidade-estatica/.

8
2.2 REDE ELÉTRICA

2.2.1 Problemas

Para que o computador funcione é necessária energia, a qual é levada ao PC através


da rede elétrica. Diversos problemas podem ocorrem nesse caminho, entre eles variações na
tensão fornecida, interferências produzidas por equipamentos elétricos existentes nos
arredores e pela tensão provocados na queda de raios.

2.2.1.1 Variações na tensão (voltagem):

Diferente de outros aparelhos eletrônicos, a tensão do PC não pode passar de 5%,


para mais ou para menos. Caso isso aconteça, o computador pode apresentar problemas e
até mesmo parar de funcionar. O principal motivo que leva a alteração da tensão é a grande
quantidade de aparelhos eletrônicos contidos na residência. O recomendado é chamar um
técnico para que esse possa encontrar possíveis falhas nas instalações elétricas e resolvê-
las.

2.2.1.2 Interferências:

Devido à liberação de pulsos de energia extra através de faíscas produzidas por


outros equipamentos, os quais são adicionados na rede elétrica e alteram a tensão,
causando, assim, os problemas ditos anteriomente.

9
2.2.2 Prevenções

2.2.2.1 Estabilizadores:

Dispositivos que tem como função manter a tensão estável para não danificar o
computador.

Fonte: http://www.weblivre.net/artigo/hardware/cuidados-com-o-PC/ .

Abaixo segue uma tabela com algumas informações dobre a funcionalidade dos
estabilizadores:

Fonte: http://www.PCajuda.net/.

2.2.2.2 No-Break:

O No-Break tem uma bateria interna para manter o PC ligado e funcionando quando
não há energia. Também funciona como estabilizador, pois quando a energia acaba causa
uma queda brusca na tensão, o que também pode danificar a funcionalidade do PC.

10
Fonte: http://www.weblivre.net/artigo/hardware/cuidados-com-o-PC/ .

2.2.2.3 Filtros de linha:

Esses têm função de impedir que interferências cheguem ao computador pela rede
elétrica ou o contrário, do PC para a rede.

Fonte: http://www.weblivre.net/artigo/hardware/cuidados-com-o-PC/ .

2.3 RECOMENDAÇÕES

A temperatura do PC deve estar abaixo de 30º e, de preferência, 10º abaixo da


temperatura ambiente. Também é bom sempre observar o Cooler, para ver se é o correto e
se esta funcionando como deveria.

11
Algumas dicas legais para ajudar seu PC a funcionar melhor:
- Um saquinho de sílica gel (o qual também é útil, principalmente quando
acompanhado de alguns cravos da índia, para evitar que formigas se alojem no gabinete) no
fundo do gabinete é uma boa, pois ajuda a diminuir a umidade interna.
- Cobrir o PC com capas plásticas ajudam a evitar o acúmulo excessivo de poeira e
umidade. Mas não se esqueça de removê-las ao usar o micro, caso contrário ela evitará a
correta dissipação térmica do PC. Não recomendado em locais úmidos.
- Deixar o micro aberto, sem as “tampas laterais”, pode ajudar na questão da
temperatura, mas por outro lado vai fazer com que se acumule poeira dentro do gabinete.
Como o gabinete fica aberto, há a probabilidade de, acidentalmente, algum objeto metálico
entrar em contato com as placas, causando, assim, curto-circuíto.
- Ao instalar o computador observe se não há pouca circulação de ar (dentro de
móveis ou próximos às paredes não é um bom lugar). Nunca instale o micro perto de
janelas, os raios solares e chuvas inesperadas vão comprometer a máquina.
- Se a sua conexão à internet for discada, você deve ter cuidado durante
tempestades. Raios podem causar surtos na corrente elétrica. O maior perigo é a descarga
elétrica passar pelo cabo do telefone conectado ao modem e queimar todas as placas do
micro. Quando for passar muito tempo longe de casa, ou estiver caindo uma tempestade
daquelas, desconecte o modem do cabo de telefone ou use um filtro entre o modem e a
linha telefônica.

Fonte: http://www.weblivre.net/artigo/hardware/cuidados-com-o-PC/ .

12
3 COMPONENTES

3.1 GABINETE

É o local que contém todas as placas, drives óticos e todos os componentes de um


computador. Os dois padrões de gabinetes mais comuns são o AT e ATX. O padrão mais
atual e mais recomendado é o ATX. O padrão de gabinete deve ser escolhido conforme o
padrão da placa-mãe. São características importantes na observação de um gabinete:
quantidade de baias, para abrigar drives óticos e de disquete; conexões frontais, para
facilitar o uso de dispositivos USB e saídas de áudio. No gabinete encaixamos a placa-mãe,
e sobre esta conectamos todos os outros periféricos. Sua função é proteger e resfriar os
componentes principais. Os gabinetes mais simples já possuem fonte de alimentação
integrada.
O gabinete abaixo é o modelo Vento 3600 da marca ASUS.

Gabinete normal Gabinete montado


Fonte: http://www.asus.com.br.

3.2 FONTE DE ALIMENTAÇÃO

É o equipamento responsável pelo fornecimento e distribuição de energia elétrica do


computador. Uma característica importante na observação de uma fonte de alimentação é a
potência. Dependendo da configuração presente no computador, a potência da fonte tem de

13
ser maior ou menor. Se 1 computador possui todos os componentes de última geração, a
fonte de alimentação deverá ter uma potência elevada para conseguir alimentar todos os
componentes.
A fonte de alimentação abaixo é o modelo Galaxy DXX de 1.000W da marca
Enermaxx.

Fonte: http://www.enermaxx.com .

3.3 COOLER

Coolers ou ventiladores, como são mais conhecidos com iniciantes na área de


informática, são responsáveis por resfriarem componentes tais como: processador, placa de
vídeo e até mesmo placa-mãe, evitando o superaquecimento. Processadores e placas de
vídeo de alta performance já vêm com cooler. O cooler deve ser compatível com o
componente a ser resfriado.
O cooler à esquerda é o modelo mais comum, que já vem no processador. O modelo
é AK-861CU da marca Akasa.
O cooler à direita é um cooler muito potente, que é mais caro. O modelo é o Infinity
da marca Scythe.

14
Fonte: http://www.scyte.com/ .

3.4 DISCO RÍGIDO

Também conhecido como HD, é o componente responsável pelo armazenamento


não-volátil de grande capacidade, ou seja, os dados não são apagados quando o computador
não está alimentado a energia elétrica. O padrão mais atual e recomendado é o SATA II,
mas também existe SATA, IDE e o SCSI, utilizado em servidores e computadores de alta
performance. A principal vantagem do SATA II é a velocidade de transferência de dados,
sendo o dobro do SATA. Uma característica importante é a capacidade de armazenamento,
ou seja, o tamanho que varia da necessidade do usuário.
Jumpers: são usados, por exemplo, para definir um HD Master, Slave ou Cable
Select. Este último é pouco usado porque precisa de um cabo flat para ser funcionar
corretamente. O que define se um HD é slave ou Master é apenas a posição do jumper. Um
HD Master, como o próprio nome diz, é o mestre e é inicializado junto com o Sistema
Operacional, já que o próprio Master contém o Sistema Operacional em sua trilha zero. O
Master, enquanto o Windows é carregado, inicializa seus arquivos antes do Slave. O
escravo, por sua vez, se for um disco rígido o Slave utilizar um Sistema Operacional
diferente do Master, haverá uma tela, durante a inicialização que use o mesmo Sistema
Operacional do Master, será um HD dependente e poderá carregar seus arquivos somente
após o Master inicializar o Sistema Operacional. Se do PC, que perguntará se o usuário irá

15
desejar iniciar o SO (Sistema Operacional) localizado no disco rígido Slave. Se não, o SO
do Master será inicializado.
Agora veremos onde dever ser posicionado o jumper para cada situação. Se
posicionado verticalmente na primeira fileira, este será considerado Master. Se o usuário
desejar utilizar o HD em modo Cable Select, deve posicionar o jumper verticalmente na
segunda fileira. Para o Slave, é necessário que o jumper esteja posicionado na terceira
fileira.
O disco rígido abaixo é o modelo Barracuda 7200.1 da Seagate. O padrão é SATA
II e o tamanho é de 1 TB, ou seja, 1024 GB.

HD normal HD aberto
Fonte: http://www.seagate.com.

3.5 DRIVES ÓTICOS

São unidades de armazenamento ou leitura de CD, DVD, HD DVD ou Blu-Ray. Os


mais comuns atualmente são os DVD-RW, mais conhecidos como gravadores de DVD que
também gravam e lêem CD. Outro exemplo comum é o combo, que lê DVD e grava/lê CD.
Uma característica importante na observação de algum drive ótico é a velocidade de
gravação e de leitura.
O drive ótico abaixo é gravador de Blu-Ray modelo BWU-100A da Sony.

16
Fonte: http://www.sony.com/ .

3.6 DRIVE DE DISQUETE

Drive de disquete ou dirve 3 ½ é a unidade onde ocorre a leitura e gravação de


dados no disquete 3 ½. O gabinete deve possuir uma baia 3 ½ onde o drive de disquete será
colocado. Atualmente baiais 3 ½ são usadas para leitores de cartões de memória, como SD,
Micro SD, XD-Picture etc.
O drive 3 ½ abaixo possui leitor de cartões e de disquete.

Fonte: http://www.clubedohardware.com.

3.7 PLACA-MÃE

É a placa responsável pela interconexão e comunicação de todas as placas que


formam o computador. Toda placa-mãe possui a bateria, responsável pela alimentação da
memória ROM, que armazena três programas, conhecidos como firmwares, necessários

17
para o teste (POST), configuração e manutenção (SETUP) dos componentes e
armazenamento de dados essenciais (BIOS). São características importantes na observação
de uma placa-mãe: velocidade de comunicação no barramento frontal; chipsets ponte sul e
ponte norte, responsáveis pela comunicação do processador com os periféricos e também o
controle de diversos barramentos e periféricos; compatibilidade com o gabinete, ou seja, o
padrão da placa-mãe (AT ou ATX); quantidade de slots para memória RAM, conexões
IDE, SATA e SATA II, barramentos PCI, AGP, PCI-Express, USB, Firewere, SCSI etc.,
fundamentais posteriormente para upgrade, na qual é a atualização de componentes, pois
são nestes conectores internos da placa-mãe que placas lógicas (placa de vídeo, placa de
som, placa de rede, etc.) serão instaladas; tipo do socket, ou seja, tipo do encaixe do
processador; tipo de placa-mãe, ou seja, se já possui algumas placas integradas (onboard,
recomendada para usuários não exigentes, mas é preciso verificar se as placas integradas
satisfazem a necessidade do usuário) ou se não possui placas integradas (offboard,
recomendada para usuários exigentes, no qual necessitam uma boa performance),
importantes no gasto de dinheiro em placas; suporte a várias tecnologias atuais, como
DUAL SLI.
A placa-mãe abaixo é o modelo P5K3 Deluxe/WiFi-AP da marca ASUS.

Fonte: http://www.asus.com/ .

18
3.8 PROCESSADOR

É o "cérebro" do computador, que processa as operações armazenadas na memória


RAM. São características importantes na observação de um processador: quantidade de
pinos, ou seja, o socket; velocidade de clock, ou seja, a velocidade de processamento;
memória cache L2, a ponte de acesso entre a memória RAM e o disco rígido.
O processador abaixo é o modelo Core 2 Quad da marca Intel.

Fonte: http://www.intel.com.

3.9 MEMÓRIA RAM

É o componente responsável por armazenar instruções que serão processadas pelo


processador. É um tipo de armazenamento volátil, ou seja, quando o computador está
desligado, os dados são apagados. Existem vários padrões: DIMM, DDR, DDR II e DDR 3.
Os padrões DDR e DDR II são os mais utilizados atualmente. O padrão DDR 3 é o melhor,
mas ainda não está à venda na maioria das lojas e não é compatível com a maioria das
placas-mãe. Outras características importantes além do padrão e sua compatibilidade com a
placa-mãe da memória RAM são o tamanho e a velocidade, nas quais diferenciam os
padrões.
A memória RAM abaixo é o modelo Dominator da marca Corsair. O padrão é DDR
3 e o tamanho é 2 GB o kit.

19
Fonte: http://www.corsairmemory.com.

3.10 PLACA DE VÍDEO

É a placa responsável pelo processamento de vídeo, que depende conforme o


programa. Se o usuário estiver usando programas leves como WORD e EXCEL, a placa de
vídeo pode ser a mais barata para executá-los. Se o usuário for um jogador avançado ou
editor de imagem/vídeo, ele executará jogos com gráficos espetaculares ou programas que
processam muito vídeo, que requerem um processamento de vídeo bem mais alto que os
programas leves. As placas de vídeo antigas usavam o barramento AGP. Atualmente o
padrão mais utilizado e recomendado é o PCI-Express. São características importantes na
observação de uma placa de vídeo: compatibilidade com a placa-mãe; tamanho, assim
como a memória RAM; resolução suportada; entrada para TV; suporte a várias tecnologias
atuais, como HD TV.
A placa de vídeo abaixo é o modelo GeForce 8800 Ultra da marca NVidia. Esta
placa de vídeo possui 768 MB e o barramento é PCI-Express.

Fonte: http://www.nvidia.com.

20
3.11 PLACA DE ÁUDIO

Placa de áudio ou placa de som é responsável pelo processamento de áudio. Se o


usuário usa um sistema de som profissional, provavelmente a placa-mãe não suportará. No
entanto surge a necessidade da compra de uma placa de som. O barramento utilizado na
placa de som é o PCI. São características importantes na observação de uma placa de áudio:
tecnologias suportadas, como Dolby Digital; canais suportados; conectores; DSP,
importante para a qualidade de áudio; taxa de amostragem; resposta de freqüência;
resolução, ou seja, número de bits que a placa de som trabalha.
A placa de som abaixo é o modelo X-Fi Elite Pro da marca Creative.

Fonte: http://www.weblivre.net/artigo/hardware/cuidados-com-o-PC/ .

3.12 PLACA DE REDE

É responsável pela comunicação do computador com outros conectados na rede. A


taxa de transferência de dados e o suporte a rede sem fio, mais conhecido como wireless,
são características importantes na observação de uma placa de rede. O barramento mais
utilizado é PCI, mas também existem placas de rede para servidores, mais caras e melhores,
que utilizam PCI-Express.
A placa de rede abaixo é o modelo PRO/1000 PT Quad Port Low Profile Server
Adapter da marca Intel. O barramento utilizado é PCI-Express.

Fonte: http://www.intel.com/ .

21
4 MONTAGEM

4.1 MATERIAIS PARA MANUTENCÃO

Os materiais utilizados para a manutenção de computadores, basicamente, são


apenas uma chave de fenda simples, para o gabinete. Mas em alguns casos é necessária a
utilização de outras ferramentas, como a de uma pinça (para pegar qualquer objeto que
possa cair dentro do computador), um pincel (para limpar a poeira, e que não produza
eletricidade estática), um alicate de bico longo (também para pegar algum objeto que possa
eventualmente cair) e um multímetro (para verificar se a tensão passando por um possível
componente queimado). O alcool isopropílico também é importante, é recomendado para
limpar componentes eletrônicos.
Portanto, é necessário que um técnico profissional tenha esses materiais e
ferramentas durante o seu trabalho.

4.2 CONECTORES

Os conectores são dispositivos que efetuam a conexão física entre o computador e


seus componentes periféricos (monitor, mouse, pen drive e etc.) ou não (placas de vídeo,
entrada IDE, e etc.). Eles podem ser divididos em dois tipos: conectores “machos”, que
apresentam pinos e conectores “fêmeas”, que apresentam orifícios onde se encaixam os
conectores machos.

4.2.1 Conectores Internos:

São os conectores que ficam no interior do computador, normalmente localizados na


placa-mãe:

22
4.2.1.1 ISA: Barramento para conexão de placas lógicas (placa de vídeo, placa de som e
etc.) com capacidade de trabalhar a 8bits ou 16bits, chegando a 133MB/s de transferência
de dados. Foram as primeiras placas a possuir o recurso Plug and Play (PnP, permite que a
placa instalada seja automaticamente reconhecida pelo computador)

4.2.1.2 PCI: Barramento para conexão de placas lógicas com capacidade de trabalhar a
32bits ou 64bits e freqüências de 33 MHz ou 66 MHz. Também com recurso PnP.

4.2.1.3 AGP: Barramento para conexão de placas lógicas, normalmente utilizado para
placas gráficas, possui as versões AGP x1, AGP x2, AGP x4 e AGP x8. Utilizando um
barramento de 32 bits operando a 66 MHz, podem ir desde 266 MB/s a 2133 MB/s,
possuindo grande superioridade sobre as placas ISA e PCI, também possuem recurso PnP.

4.2.1.4 PCI-Express: É o barramento sucessor do AGP e PCI, possui versões de x1 ate x16,
variando de 250 MBps a 4000 MBps de taxa de transferência.

4.2.1.5 IDE (ATA ou PATA): É um padrão para conectar dispositivos de armazenamento


ao computador, como discos rígidos, drives de disquete e CD-ROM. Chegam no máximo a
133 MB/s.

4.2.1.6 Serial ATA (SATA): É o sucessor do ATA, e como ele, é um padrão para conexão
de dispositivos de armazenamento ao computador, possui duas versões SATA I e SATA II,
chegando até 300 MB/s.

4.2.2 Conectores Externos:

São os conectores que ficam no exterior do computador, é possível conectar seus


periféricos sem a abertura do gabinete. Lembrando que estes conectores podem ser onboard
(diretamente da placa-mãe) ou offboard (usando de placas lógicas conectadas a placa-mãe):

23
4.2.2.1 Porta Serial: É uma interface de comunicação para conectar modens, mouses,
impressoras e etc. Possui comunicação serial, ou seja, em fila, um bit por vez. Quase não é
mais utilizada.

4.2.2.2 Porta Paralela: É uma interface de comunicação para, a principio, conectar


impressoras, mas também é utilizada para scanners, câmeras de vídeo e etc. Também
pouquíssima utilizada atualmente.

4.2.2.3 PS/2: Conector para mouse e teclado lançado pela IBM.

4.2.2.4 Som, microfone e speaker: Conector para caixas de som, microfones e speakers.

4.2.2.5 USB: È um padrão de conexão PnP que permite a conexão de periféricos (como
mp3, câmera digital, impressora, web cam e etc.) sem o desligamento do computador.

4.3 INSTALAÇÃO DAS PEÇAS

4.3.1 Instalando a Fonte:

Alguns gabinetes não vêm com sua própria fonte. Então é necessário comprar uma
compatível com o resto dos componentes.
Para posicionar a fonte no gabinete, basta colocá-la na região superior do gabinete,
no lado de trás. Após isso, parafuse os quatro cantos que prendem a fonte no gabinete.

24
Figura 4.1 – Fonte sendo instalada
Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Figura 4.2 – Parafusando a fonte


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

4.3.2 Instalando o HD:

Para colocar o HD em seu devido lugar, é necessário colocá-lo no seu espaço


oferecido pela baia frontal do PC adequada ao seu tamanho. É importante notar que o lado
do HD onde há plugs para cabos deve estar virado para o centro do gabinete.

25
Figura 4.3 – Local para o encaixe do HD
Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Figura 4.4 – HD acoplado em sua baia


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

4.3.2.1 Configurando os Jumpers do HD:

Se o HD desejado for SATA (Serial ATA), não será necessário ajustar o seu Jumper
para Master ou Slave, pois a tecnologia SATA já faz isso automaticamente. Se for IDE, o
usuário terá de configurar manualmente seu Jumper. Para configurá-lo como Master, Slave
ou Cable Select, posicione seu Jumper do HD da seguinte maneira:
\

26
Master Slave Cable Select

Figura 4.4 – Configuração do Jumper do HD


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Na primeira fileira, o Jumper configurará o HD como Máster. Conectando o Jumper


na segunda fileira, teremos o HD como Cable Select. Já na terceira fileira, o HD será
configurado como Slave. No caso a seguir o HD IDE foi configurado como Master.

Figura 4.5 – Jumper do HD como Master


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

4.3.3 Instalando o Drive de CD/DVD:

Identifique qual o local para instalar drives de CD e DVD. Após isso, coloque o
drive de CD/DVD dentro de uma das quatro baias disponíveis dentro do gabinete. Com
isso, deve-se parafusar a baia e o drive, para que o drive não possa se soltar da baia, não
esquecendo que o lado onde há os plugs para os cabos deve estar virado para o centro
interno do gabinete, para que as conexões possam ser feitas. Normalmente há dois
parafusos para cada baia.

27
Figura 4.6 – Baia para o encaixe de um drive de CD/DVD
Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Figura 4.6 – Drive de CD/DVD sendo posicionado na baia


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

28
4.3.4. Instalando o processador:

Figura 4.7 – Localização do slot de soquete


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Localize o soquete do processador, onde será instalado o mesmo. Após isso, é


necessário puxar a trava, que localiza-se ao lado do slot, para cima, sendo possível o
encaixe do CPU no soquete. Assim, coloque o chip do processador no slot do mesmo,
orientando-se através de dois dentes que existem no CPU, encaixando-o, assim,
corretamente.

Figura 4.8 – Colocando o CPU no slot de soquete


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

29
Assim deve-se abaixar a trava do soquete, prendendo o chip ao seu slot. Após o
processador estar pronto, deve-se prosseguir para o encaixamento do dissipador de calor e
do Cooler (Fan) em cima do processador.

Figura 4.9 – Fixando o chip através da trava


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

4.3.4.1 Instalando o Cooler e o dissipador de calor:

Seguindo as instruções, devemos agora colocar o dissipador de calor e o Cooler em


cima do processador, para que este não queime, devido ao calor. Se o seu Cooler vem junto
com o dissipador de ar, deve-se encaixar os dois itens como se fossem um só. Se não, é
necessário encaixar primeiro um, para depois colocar o outro. Em alguns casos (nos
Coolers mais antigos), é necessário parafusar o Cooler nos quatros quantos do slot. Já em
modelos mais novos, é preciso apenas pressionar o Fan em cima do slot que o mesmo será
encaixado.

30
Figura 4.10 – Encaixando o Cooler no Processador
Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Agora devemos conectar o cabo do Cooler em um plug localizado logo ao lado do


mesmo. Esta conexão servirá como distribuição de energia ao Cooler, para que ele possa
ventilar o processador.

Figura 4.11 – Conectando o cabo do Cooler na placa-mãe


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

31
Figura 4.12 – Cabos da Cooler ligados ao plug
Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

É importante verificar se os cabos do Cooler estão presos e se não estão logo acima
das hélices, pois estas podem provocar algum dano aos cabos.

4.3.5 Instalando Memória RAM:

Para instalar módulos de memória RAM, é necessário localizar o slot das mesmas.

Figura 4.13 – Slot de Memória RAM


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Após isso, devemos posicionar os pentes de memória RAM da seguinte maneira:


• 1º pente: slot amarelo de cima (A1)

32
• 2º pente opcional: slot amarelo de baixo (A2)
• 3º pente opcional: slot preto de cima (B1)
• 4º pente opcional: slot preto de baixo (B2)

Figura 4.14 – Pressione o pente no slot


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Para que um pente seja efetivamente encaixado em um slot, é essencial pressioná-lo


até as travas localizadas aos lados do slot dêem um ‘clique’ e prendam o pente.

4.3.6 Instalando a Grade da Placa-mãe:

Figura 4.15 – Grade da placa-mãe


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

A Grade é utilizada para encaixar todos os conectores externos de uma placa mãe,
como entradas USB, PS/2 e paralelas, entre outras. Toda placa-mãe vem com uma grade.
Apenas retire a grade antiga e pressione a nova na saída na parte de trás do gabinete.

33
4.3.7 Instalando a Placa-mãe:

Para prender a placa-mãe ao gabinete, basta posicioná-la corretamente conforme a


foto abaixo, de acordo com os devidos lugares para parafusar e prender a mesma. Não se
esqueça que o lado onde há os conectores externos deve se encaixar na grade.

Figura 4.16 – Instalando a placa-mãe


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

4.3.8 Instalando os Cabos de Alimentação:

As placas-mãe atuais utilizam dois tipos de cabos de alimentação: um de 24 pinos, e


outro auxiliar de 4 pinos. Para conectar o de 4 pinos, é necessário pressioná-lo contra o seu
plug, com o auxílio de um dente, que impede uma conexão incorreta.

34
Figura 4.17 – Conectando o cabo de 24 pinos
Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

No conector de 4 pinos também há um dente que auxilia a conexão entre o cabo e o


plug. Após ter feito isso, a placa-mãe estará pronta para receber energia.

Figura 4.18 – Conectando o cabo de 4 pinos


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

35
4.3.9 Conectando os Cabos Power, Reset, LEDs e Speaker:

Agora vamos conectar os cabos dos botões Power e Reset, os cabos dos LEDs (luzes
verde e vermelha que aparecem na parte frontal do gabinete) da atividade do HD
(vermelho) e do PC ligado ou desligado (verde).
O local onde as conexões serão feitas possui 20 pinos, sendo duas fileiras com 10
pinos cada. Primeiro vamos conectar o cabo do LED de atividade do HD, sendo ele um
conector com duas saídas. Conectamos a saída positiva no primeiro pino da fileira inferior e
a saída negativa no segundo pino da mesma fileira.

Figura 4.19 – Conectando o cabo do LED de atividade do HD


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Agora iremos conectar os cabos de LED de energia do PC, que mostra se o mesmo
está ligado ou desligado. A saída positiva é conectada no primeiro pino da fileira superior e
o segundo é conectado no terceiro pino da mesma fileira.

Figura 4.20 – Conectando os cabos do LED de liga/desliga do PC


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Conectaremos agora os cabos de liga/desliga do PC. Conecte o cabo com saída


positiva no primeiro pino da fileira superior e o negativo no terceiro pino da mesma fileira.

36
Figura 4.21 – Conectando o cabo do botão Power
Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Vamos conectar o cabo com duas saídas que está relacionado com o botão Power.
Conecte a saída positiva no sexto pino da linha inferior, enquanto a saída neutra é colocada
no sétimo pino da mesma linha.

Figura 4.22 – Conectando o cabo Speaker


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

O cabo Speaker está relacionado ao auto falante e possui quatro entradas. Devemos
conectar a saída positiva no sétimo pino da fileira superior; já as outras três saídas devem
ser conectadas no oitavo, nono e décimo pinos.

37
Figura 4.23 – Conectando o cabo do botão Reset
Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

O cabo conectado ao botão Reset possui duas saídas e devemos conectar a saída
positiva no nono pino da linha inferior, enquanto conectamos a outra saída no décimo pino
da mesma linha.

4.3.10 Conectando os Cabos ao HD:

Para que o HD funcione, é necessário um cabo de energia diretamente ligado à


fonte. Para isso, pegue um cabo que sai da fonte com este formato (pequeno) e conecte no
plug do seu tamanho. Agora o HD receberá energia.

Figura 4.24 – Conectando o cabo de energia ao HD


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

38
Agora, para a placa-mãe pode comunicar-se com o HD, é necessário um cabo
paralelo IDE, já que o HD é padrão IDE. Basta conectar o cabo no espaço maior na parte de
trás do HD.

Figura 4.25 – Conectando o cabo IDE ao HD


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Agora, do outro lado do cabo, é necessário conectá-lo na placa-mãe, em um local


onde há dois espaços do mesmo tamanho para serem conectados cabos IDE. Conecte o
cabo no IDE primário, pois é este o plug onde devem ser conectados os HDs.

Figura 4.26 – Conectando cabo IDE à placa-mãe


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

39
4.3.11 Conectando os Cabos ao Drive de CD/DVD:

Para conectar o cabo de energia ao drive de CD/DVD, basta achar outro cabo que
venha da fonte com o mesmo tamanho do cabo de energia do HD e conectá-lo no drive.

Figura 4.27 – Conectando cabo de energia ao Drive CD/DVD


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Agora conecte outro cabo IDE, que ligue o Drive CD/DVD ao conector de cabos
IDE secundário. Assim haverá comunicação entre o seu Drive e a placa-mãe. Agora o seu
drive está pronto para ser usado.

Figura 4.28 – Conectando cabo IDE ao Drive CD/DVD


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

40
Figura 4.29 – Conectando cabo IDE à placa-mãe
Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

4.3.12 Instalando Placa de Vídeo PCI Express:

Vamos agora instalar uma Placa de Vídeo que utiliza barramento PCI Express. Para
tal, é necessário comprar uma placa de vídeo adequada às configurações gerais do seu
computador. Note que há um dente na entrada da placa, que é o local onde conectaremos a
placa de vídeo ao barramento PCI Express.

Figura 4.30 – Localizando o barramento PCI Express


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

41
Agora posicione a placa de acordo com o dente da mesma e do barramento. Pressione-a até
encaixar corretamente a entrada com o dente e o conector do cabo de vídeo VGA na grade
de barramentos. Parafuse a placa de metal nessa grade e sua placa de vídeo estará pronta
para ser usada.

Figura 4.31 – Instalando a placa de vídeo ao barramento


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

4.3.13 Conectando os Cabos Externos:

Para ter acesso a mouse e teclado, conecte os seus cabos PS/2 ao gabinete. Caso
você possua os seus cabos em formato USB, conecte-os nas entradas USB do gabinete,
próximas às entradas PS/2.

Figura 4.32 – Conectando os cabos PS/2 ao gabinete


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

42
Para ter acesso ao seu monitor, conecte o cabo VGA do mesmo na sua entrada, com
localização próxima às entradas USB, PS/2 e outras. Esse cabo será externamente
conectado à placa de vídeo.

Figura 4.33 – Conectando o cabo VGA à placa de vídeo


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Para o seu computador ter acesso a energia, basta conectar o cabo de alimentação ao
lado externo da fonte, localizada na região superior traseira do seu gabinete, como já foi
dito antes. Basta conectar o cabo da fonte a um estabilizador ou No-Break. Não se esqueça
de ligar o cabo de energia do monitor a um estabilizador ou No-Break.

Figura 4.34 – Conectando o cabo de energia à fonte


Fonte: Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

Pronto! Agora o seu computador está pronto para ser usado. É só ativar o pequeno
botão localizado acima do cabo da fonte e ligar o seu computador.

43
5 CONFIGURAÇÃO

5.1 SETUP

Para configurar nosso BIOS dentro do SETUP utilizaremos a placa-mãe ASUS P5LD2-X.

5.1.1 Janela Principal

5.1.1.1 Main

O item Main modifica as configurações básicas do sistema.

5.1.1.1.1 System Time

Permite que o horário do sistema seja alterado no formato [xx:xx:xx]. Ex.: 17:21:55

5.1.1.1.2 System Date

Permite que a data do sistema no formato [Dia xx/xx/xxxx]. Ex.: Sat 12/05/2007

5.1.1.1.3 Legacy Diskette A

Seleciona o tipo do drive floppy (disquete) instalado. Opções de configuração: [Disabled


(desativado)] [360K, 5.25 in.] [1.2M, 2.25] [720K, 3.5 in.] [1.44M, 3.5 in.] [2.88M, 3.5 in.]

5.1.1.1.4 Primary, Third and Fourth IDE Master

Define as configurações do primeiro, terceiro e quarto dispositivos IDE Master.

44
5.1.1.1.5 Primary, Third and Fourth IDE Slave

Define as configurações do primeiro, terceiro e quarto dispositivos IDE Slave.

5.1.1.1.6 IDE Configuration

Permite a configuração do funcionamento dos dispositivos IDE instalados.

5.1.1.1.7 System Information

Exibe especificações gerais das informações do sistema.

5.1.1.2 Advanced

Modifica as configurações avançadas do sistema

5.1.1.2.1 USB Configuration

Permite alterar os recursos de USB.

5.1.1.2.2 CPU Configuration

Exibe as informações do CPU auto-detectados pela BIOS.

5.1.1.2.3 Chipset

Permite modificar as configurações avançadas de chipset.

45
5.1.1.2.4 Onboard Devices Configuration

Permite alterar os dados dos dispositivos Onboard.

5.1.1.2.5 PCI/PnP

Permite as alterações para itens avnçados de dispositivos PCI/PnP.

5.1.1.3 Power

Modifica as configurações de energia

5.1.1.3.1 Suspend Mode

Permite selecionar as opções avançadas de energia.

5.1.1.3.2 ACPi 2.0 Support

Permite adicionar mais tabelas à interface de energia.

5.1.1.3.3 ACPI APIC Support

Permite ativar ou desativar o Advanced Programmable Power Interface.

5.1.1.3.4 APM Configuration

Permite ativar ou desativar o controle de energia através de periféricos.

46
5.1.1.3.5 Hardware Monitor

Monitora a temperatura do PC e controla a distribuição de energia no computador.

5.1.1.4 Boot

Modifica as opções de boot (inicialização) do sistema

5.1.1.4.1 Boot Device Priority

Seleciona os dispositivos que carregarão dados primeiro ao inicializar o PC.

5.1.1.4.2 Boot Settings Configuration

Permite a configuração de itens avançados, carregados durante inicialização do Windows.

5.1.1.4.3 Security

Permite mudar s configurações de segurança dos dados da BIOS com senha.

5.1.1.5 Exit

Salva, carrega e/ou sai do SETUP. Há a possibilidade de carregar os dados de fabricação


dentro do SETUP.

47
5.2 MEMÓRIA VIRTUAL

A memória virtual é um tipo de memória comum na maioria dos sistemas


operacionais. Ela traz um grande benefício para os usuários a um preço bem acessível, pois
o HD possui um preço muito mais barato em cada byte que a memória RAM . Em outras
palavras, é uma extensão da memória RAM (memória principal).

Uma área do HD é utilizada para armazenar a memória virtual, na qual armazena


excedentes da memória principal. Esta área do disco rígido que armazena a memória RAM
é chamada de arquivo de paginação (page file). Ela armazena páginas da memória RAM no
seu disco rígido, e o sistema operacional move os dados sucessivamente entre o arquivo de
paginação e a RAM.

A velocidade de leitura/escrita de um HD é muito mais lenta do que a da memória


RAM, e sua tecnologia não é ajustada para acessar pequenas quantidades de dados de cada
vez. Se você depende muito da memória virtual, você notará uma queda significativa no
desempenho, pois o sistema operacional terá que trocar constantemente informação entre a
RAM e o disco rígido. Isso é chamado de thrashing (degradação), e pode deixar seu
computador incrivelmente lento.

O recomendado é ter uma quantidade de memória RAM suficiente, sendo assim, o


único momento em que a lentidão da memória virtual é observada é quando existe uma
pequena pausa na mudança de tarefas. Quando é este o caso, a memória virtual é perfeita.

Quando a quantidade de memória RAM não é suficiente para executar algum(s)


programa(s), é necessário mais espaço para que a memória RAM armazene informações
necessárias para que o processador possa executá-las.

A memória virtual funciona a partir da junção da memória RAM com a memória


secundária – memória de massa, auxiliar, ou seja, memória não volátil, na qual é usada para
grandes armazenamentos, como, por exemplo, o HD.

O Windows 98 e as versões seguintes são exemplos típicos de sistemas operacionais


que possuem memória virtual. O Windows 98 e sucessores apresentam um gerenciador de

48
memória virtual inteligente que usa uma configuração padrão para auxiliar o Windows a
alocar espaço no disco rígido para a memória virtual à medida que é necessário. Para a
maioria dos casos, isso soluciona as necessidades do usuário, mas pode ser que você queira
configurar manualmente a memória virtual, especialmente se você tiver mais que um disco
rígido físico ou aplicações críticas quanto à velocidade de processamento.

Para configurar manualmente a quantidade de memória virtual, no Windows


XP/2000, é simples. Vá em Painel de Controle Æ Sistema Æ Avançado Æ Desempenho Æ
Configurações Æ Avançado Æ Memória Virtual Æ Alterar.

Um truque que pode melhorar o desempenho da memória virtual e


consequentemente do computador, especialmente se uma grande quantidade for necessária,
é configurar os tamanhos máximo e mínimo do arquivo de memória virtual de forma
idêntica. Esse procedimento força o sistema operacional a alocar o arquivo de paginação
inteiro quando você inicia a máquina, evitando que ele tenha de aumentá-lo enquanto os
programas estão sendo executados, melhorando assim o desempenho.

Outro fator que influencia o desempenho da memória virtual é o local do arquivo de


paginação. Se o seu sistema possui vários HDs (não confunda com várias partições do HD),
você pode dividir o trabalho entre eles fazendo paginações menores em cada disco. Essa
simples modificação acelerará significativamente qualquer sistema que faz um uso
demasiado da memória virtual.

49
6 MANUTENÇÃO

6.1 UPGRADE E UPDATE

Upgrade é a troca dos componentes do computador para melhorar o desempenho


(hardware), como a troca de um processador Pentium 4 para um Core 2 Duo; ou a
substituição de alguma versão melhor de algum programa (software), como, por exemplo,
qualquer substituição de software versão 2006 para outro versão 2007 ou versão 10 para 11.

Update é atualização de algum software por meio de algum programa, como o


Windows Update, no qual, com o computador conectado a Internet, transfere arquivos no
computador para atualizar o Windows, corrigindo erros e falhas.

Qualquer upgrade exige gastos financeiros, mas update não exige.

Para melhorar o desempenho do computador é altamente recomendável fazer


upgrade de hardware, formatar o computador se este estiver com vírus, mas nunca se
esqueça de fazer backup dos dados.

Dependendo da configuração anterior com a configuração desejada após o upgrade


compensará mais comprar um computador novo e vender o velho, pois muitas vezes o
usuário deseja fazer upgrade num computador muito lento, que provavelmente é muito
velho. A placa-mãe deste não suportará as configurações desejadas. Se for este caso,
compre um computador novo com uma placa-mãe muito boa, para fazer upgrade depois.

Sempre pesquise em várias lojas as configurações finais do computador após o


upgrade e um computador novo com quase as mesmas configurações após o upgrade.
Posteriormente, analise qual é a configuração mais recomendada e os preços entre o
computador novo e o velho com o upgrade.

50
6.2 FORMATAÇÃO E FDISK

Formatação é a forma que o disco rígido é organizado para que nele possam ser
lidos e gravados dados pelo sistema operacional.
Existem dois tipos de formatação: a física e a lógica. A formatação física é feita
apenas na fábrica ao final do processo de fabricação, e consiste em dividir o disco virgem
em trilhas, setores e clusters (divisão do disco de gravação do HD). A formatação física é
feita apenas uma vez, e não pode ser desfeita ou refeita através de software. Mas, apesar
dos HDs virem fisicamente formatados já de fabrica, é preciso particioná-los e formatá-los
logicamente para que a leitura e gravação possam ser efetuadas pelo sistema operacional,
esta é a formatação lógica. Ela pode ser desfeita e refeita quantas vezes for preciso, através
do comando FORMAT do DOS, por exemplo, lembrando que ao ser efetuada ela
reescreverá a tabela lógica de alocação e isso resultara na exclusão de todos os dados do
HD. O processo de formatação é quase automático, basta executar o programa formatador
que é fornecido junto com o sistema operacional. A seguir veremos os passos a serem
seguidos para que seja efetuada corretamente uma formatação de um HD para utilização do
sistema operacional Windows XP.

6.2.1 Formatação por CD

1. Insira o CD-ROM do Windows XP e reinicie seu computador.


2. Aperte qualquer tecla assim que o micro religar.

Caso a mensagem para dar boot pelo CD não apareça, reinicie o computador, aperte
DEL ou F8 e ative essa opção no setup (veja a parte de setup).

3. Neste momento, aguarde e não aperte nenhuma tecla.


4. De novo, apenas espere o programa de Setup ser carregado.
5. Para formatar, aperte ENTER.

51
As outras opções são: R, para reparar eventuais danos no sistema operacional, e F3,
para cancelar a formatação. Atenção: reparar o sistema não é o mesmo que formatar
o HD e instalá-lo de novo.

6. Para formatar, aperte ESC.

Se apertar R, o programa irá reparar a atual cópia do Windows, e não formatará o


HD.

7. Aqui, tecle D para apagar a partição existente.

Essa opção é a RECOMENDÁVEL porque, assim, o sistema faz nova verificação


do HD e pode encontrar defeitos físicos no disco. Mas é possível começar já a
formatação. Para isso, tecle ENTER.

8. Aperte ENTER para confirmar que pretende deletar a partição existente.


tecla ESC faz retornar à tela anterior.
9. Aperte L para, de novo, confirmar que quer deletar a partição existente. O Windows
pergunta isso duas vezes porque, a partir deste ponto, todos os dados serão perdidos.
A tecla ESC faz retornar à tela anterior.
10. Aperte C para criar a partição nova. Existe aqui uma opção de criar mais de uma
partição. Você pode, por exemplo, usar uma partição para instalar o sistema, e outra,
para guardar dados.
11. Aqui, enfim, é o início da formatação.

O recomendado é fazer a formatação completa, e não a rápida (Quick), utilizando


preferencialmente o sistema NTFS, que é mais seguro.

12. Início da formatação.


13. Final da formatação. Apenas acompanhe.
14. Parabéns! A formatação está concluída. Com o disco já formatado, o Windows
inicia o programa de instalação. Apenas acompanhe.
15. Antes de reiniciar o sistema, o programa pede para, se for o caso, retirar disquete do
drive A. Mas, atenção, não retire o CD de instalação.
16. Começa a instalação do Windows.

52
6.2.2 Formatação e FDISK por Disquete

1. Crie um disco de boot.

Vá em Iniciar > Configurações > Painel de Controle > Adicionar ou Remover


Programas > Adicionar Novos Programas e siga as instruções.

2. Configure o setup para que a inicialização seja feita pelo disquete.


3. Então reinicie seu computador em modo MS-DOS.
4. No prompt digite FDISK e aperte ENTER (o FDISK serve para apagar a partição
atual e criar uma nova.).
5. Agora digite “Y” se você possui um HD's acima de 2GB de capacidade, a menos
que você queira utilizar junto ao Windows XP, o 95 ou uma versão anterior, se for o
caso digite "N" e aperte Enter.
6. Você chegou ao menu principal do FDISK:
6.1. Create DOS partition or Logical DOS Drive;
6.2. Set Active partition;
6.3. Delete partition or Logical DOS Drive;
6.4. Display partition information.
7. Escolha “1” e aperte ENTER para criar uma nova partição, mais um menu
aparecerá:
7.1. Create Primary DOS Partition;
7.2. Create Extended DOS Partition;
7.3. Create Logical DOS Drive(s) in the Extended DOS Partition.
8. Escolha novamente “1” para criar a partição primária, seu disco será verificado,
para ver se não há nenhum problema com ele.
9. Terminada a verificação digite “Y” se você for utilizar somente uma partição ou
“N” se você for usar mais de uma partição. Mais uma vez o disco será verificado.
10. O programa lhe mostrará o tamanho total de seu HD e o tamanho disponível para
essa partição. Então digite o tamanho da sua partição primária. Pode ser o tamanho
que você quiser ou pode ser uma porcentagem.

53
11. Escolhido o tamanho, a partição será criada e vão ser exibidas as informações sobre
ela. Tecle ESC para continuar.
12. Agora você está de volta ao menu principal do FDISK, digite “2” e aperte ENTER
para escolher a partição ativa.
13. Escolha o número da partição que você quer tornar ativa.
14. Depois de ter criado a partição primária e tornado ela ativa, você pode criar as
partições extendidas e as unidades lógicas.
15. Como neste caso faremos uma única partição agora você já pode sair do FDISK. Ao
sair do programa, uma mensagem vai ser exibida, informando
que você precisa reiniciar o computador. Isto é muito importante!
16. Reinicie o computador, e faça o boot novamente com o disquete de boot.

Depois, digite o comando FORMAT C: para iniciar a formatação. Ainda assim,


depois, você precisará do CD para instalar o Windows.

6.3 DICAS PARA O WINDOWS

6.3.1 DESFRAGMENTAÇÃO CONSTANTE

Desfragmente, pelo menos uma vez por mês, todas as partições do seu HD para que
esse trabalhe mais rápido e melhor, alem de evitar futuros problemas. Caso seu HD for
grande você pode desfragmentar em momentos em que o computador não esta em uso,
como de madrugada.
Para desfragmentar o disco do Windows é simples. Vá em Iniciar Æ Programas Æ
Acessórios Æ Ferramentas do Sistema Æ Desfragmentador de disco.

54
6.3.2 MEMÓRIA VIRTUAL

Memorial virtual é uma expansão da memória RAM, ou seja, quando a RAM esta
cheia o sistema usa a virtual temporariamente. No Windows Me o recomendado é deixar
ate 256MB reservados para a virtual, caso a versão que você utiliza seja inferior é bom
deixar 384MB. Caso você queira alterar a memória virtual é só clicar com o botão direito
do mouse em Meu Computador e selecione Propriedades Æ Desempenho Æ Memória
Virtual. Altere os tamanhos Máximo e Mínimo para o valor desejado (recomendável que
ambos os valores sejam iguais). Se você usa Windows XP/2000 o caminho é um pouco
diferente, Propriedades Æ Avançado Æ Desempenho Æ Configurações Æ Avançado Æ
Memória Virtual.

6.3.3 LIMPEZA DE ARQUIVOS DESNECESSÁRIOS

Para deixar o sistema mais leve você pode excluir os arquivos considerados “lixo”
pelo sistema, como arquivos com extensão .bak, .tmp, .chk, entre outros. Você pode excluir
também os “lixos” da Internet. Para efetuar essa limpeza existem dois modos, o 1º é usar
programas como o Easy Cleaner, mas caso você não o tenha, pode ir em Iniciar Æ
Programas Æ Acessórios Æ Ferramentas do Sistema Æ Limpeza de disco para os arquivos
do computador, e para os da Internet vá em Ferramentas Æ Opções da Internet Æ Excluir
arquivos e exclua os arquivos off-line.

6.3.4 LIMPEZA DO REGISTRO

Fazer a manutenção de tempo em tempo do registro do Windows melhora o


desempenho do sistema e ajuda a evitar o surgimento de problemas mais graves. O Easy
Cleaner é recomendado para essa situação pois tira do Registro entradas inválidas. Já o
utilitário RegClean, da Microsoft, corrige erros e otimiza o Registro. O RegClean é gratuito
e pode ser baixado em sites da Microsoft.

55
6.3.5 PROGRAMAS EM EXCESSO

Quando você for instalar programas no Windows procure se informar antes,


procurando varias opiniões na Internet e entre amigos. Não instale programas
desnecessários e repetidos , ou seja, 2 ou mais com a mesma função, a não ser que seja
necessário, caso contrário procure saber qual desses é o mais indicado. Existem programas
configurados para abrir junto com o sistema operacional, o que usam uma certa quantidade
de memória, sem necessidade.

56
7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

APOSTILANDO, Montagem e Manutenção de Computadores (90pg). Disponível em:


<http://www.apostilando.com/download.php?cod=194>. Acesso em: 10/09/2007
PUC-RIO, Organização de Computadores. Disponível em: <http://wwwusers.rdc.puc-
rio.br/rmano/index.html>. Acesso em: 10/09/2007.
WEBLIVRE.NET. Cuidados com o PC. Disponível em:
<http://www.weblivre.net/artigo/hardware/cuidados-com-o-PC/>. Acesso em: 12/09/2007.
PC AJUDA.NET. A Rede Elétrica e o Computador. Disponível em:
<http://www.PCajuda.net/index.php/2007/06/11/a-rede-eletrica-e-o-computador/>. Acesso
em: 12/09/2007.
GUIA DO HARDWARE.NET. Eletricidade Estática. Disponível em:
<http://www.guiadohardware.net/tutoriais/eletricidade-estatica/>. Acesso em: 16/09/2007.
INFOWESTER. Dicas de Manutenção para o Windows. Disponível em:
<http://www.infowester.com/dicasmanutencao.php>. Acesso em: 15/10/2007.

Curso INFO Faça – Monte Seu PC.

57