Você está na página 1de 12
MINISTERIO DA FAZENDA } C TesouroNAcionaL Parecer n° 02/2017/COREM/SURIN/STN/MF-DF Em 14 de agosto de 2017. Assunto: Regime de Recuperagio Fiscal — Pedido do Estado do Rio de Janeiro de adesio ao RRF — Parecer de avaliagio da admissibilidade ao Regime de Recuperagio Fiscal. Carater meramente opinativo do presente parecer. 1 0 Estado do Rio de Janeiro apresentou a Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda pedido' de adesio ao Regime de Recuperagio Fiscal (RRF) de que trata a Lei Complementar n° 159, de 19 de maio de 2017, contendo o Plano de Recuperagio, o conjunto de leis aprovadas ¢ a indicagdo dos dois membros, titular ¢ suplente, para representar 0 Estado no Conselho de Supervisio do Regime. Em seu pedido, o Estado solicita que a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) elabore parecer que avalie se a documentagio encaminhada e se os requisitos de habilitagao 20 RRF atendem ao disposto no §1° do art. 15 do Decreto n° 9.109, de 27 de julho de 2017, que prevé: An 1S.) § 1°A Secretaria do Tesouro Nacional do Ministerio da Fazenda, no prazo de cinco dias, contado da data de recebimento do pedido de que tata 0 caput, elaborard parecer que avaliars: 1.- se a documentagdo apresentada nos termos do inciso Ido caput atende ao disposto na Segdo I do Capitulo Ise I~ se 0 Estado atende aos requisitos de habilitago para adestio ao Regime de Recuperaco Fiscal Pprevistos neste Deereto e no art. 3° da Lei Complementar n° 159, de 2017. Ds De inicio, torna-se importante ressaltar que a conclusao a ser consignada no presente parecer acerca do pedido de adesio ao RRF sob exame esté limitada to somente a verificagtio da adequagiio da documentagdo apresentada pelo Estado a forma prevista na Seo I do Capitulo I do Decteto n° 9.109, de 2017, eo atendimento pelo Estado dos requisitos de habilitagao ao RRF previstos no art. 3° da Lei Complementar n° 159, de 2017, cujo acolhimento ou no caberd exclusivamente autoridade competente 3 Nesse sentido, esclarecemos que a andlise da viabilidade financeira do Plano de Recuperagao e, em especial, do atingimento ou nao do equilibrio das contas piblicas devera ser objeto de parecer especifico da STN, que somente sera elaborado nas hipdteses de a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional emitir opinido favordvel a adequagdo juridica das leis aprovadas pelo Estado as exigéncias previstas no Decreto n° 9.109 e no art. 2° da Lei Complementar n° 159, ambos de 2017; ¢ " Pedido encaminhado pelo Sr. Governador do Estado por meio do Oficio GG n° 299/2017, de 31 de julho de 2017, e registrado na Seeretaria do Tesouro Nacional sob Protocolo n° 01 179446.004 148.201.000.000, em 31 de julho de 2017. Espana dos Mists, loo P, 2" andar, 7008-90 - Basia - DF he \ ‘wara.iesourafazenda.govbr-sin@fazenda.gov br Pg. 2 de 11 do Parecer n® 02/2017/COREM/SURIN/STN/MF-DF, de 14/08 / 2017 de 0 Ministro da Fazenda publicar despacho reconhecendo a condigfo de anélise em andamento do Plano de Recuperacdo apresentado pelo Estado. DOS REQUISITOS DE HABILITACAO AO REGIME DE RECUPERAGAO FISCAL 4. Os requisitos de habilitagao ao regime de recuperagao fiscal sao os previstos no art. 3° da Lei Complementar n° 159, de 2017, a saber: Art, 3° Considera-se habilitado para aderir ao Regime de Recuperagao Fiscal 0 Estado que atender, cumulativamente, aos seguintes requisitos: | -receita corrente liquida anual menor que a divida consolidada ao final do exercicio financeiro anterior ao do pedido de adesao ao Regime de Recuperagao Fiscal, nos termos da Lei Complementar n® 101, de 4 de maio de 2000; II - despesas liquidadas com pessoal, apuradas na forma do art. 18 da Lei Complementar n° 101, de 4 dde maio de 2000, com juros e amortizagdes, que somados representem, no minimo, 70% (setenta por cento) da receita corrente liquida aferida no exercicio financeiro anterior ao do pedido de adesto 20 Regime de Recuperagio Fiscal; ¢ IIL - valor total de obrigagdes contraidas maior que as disponibilidades de caixa e equivalentes de caixa de recursos sem vinculagio, a ser apurado na forma do art, 42 da Lei Complementar n° 101, de 4 de maio de 2000. 5 Na verificagdo dos requisitos, em atendimento a0 que prevé o art, 2° do Decreto n° 9,109, de 2017, foram utilizadas as informagdes disponibilizadas pelo Estado no Sistema de Informag6es Contébeis e Fiscais do Setor Piblico Brasileiro ~ SICONFI, e como fonte subsidiria de informagao foram consultadas as informagdes e dados contibeis, orgamentarios e fiseais do iltimo balango publicado e dos Relatérios de Gestao Fiscal de que trata a Segdo IV do Capitulo IX da Lei Complementar n° 101, de 2000 — Lei de Responsabilidade Fiscal. 6. Sendo assim, verificou-se se o Estado estaria habilitado para adesiio ao Regime de Recuperagdo, por meio do atendimento cumulativo dos seguintes requisitos: a) Possuir receita corrente liquida anual menor que a divida consolidada ao final do exercicio financeiro de 201 Y Atendido. Os dados disponiveis no SICONFI indicam que a receita corrente liquida em 2016 foi de R$ 46.228.984.468,73, enquanto que a divida consolidada ficou em RS 108,103.232.139,00. b) Apresentar montante de despesas liquidadas com pessoal, com juros ¢ amortizagdes, que somados representem, no minimo, 70% (setenta por cento) da receita corrente liquida no exercicio financeiro de 2016; e ¥ Atendido. A apuragao realizada com base nos dados langados pelo Estado no SICONFI, indica que a soma das despesas liquidas com pessoal (informagdes do Poderes Executivo, Judicidrio ¢ Ministério Pablico), no valor de RS 32.166.641.744,05 das despesas com juros, no valor 2.729.723.372,00, e com amortizagdies, no valor de R$ 1.986,664.158,00, alcanga o montante de RS a Pg, 3 de 11 do Parecer n° 02/2017/COREM/SURIN/STN/MF-DF, de 14 / 08 /2017, 36.883.312.097,64; que equivalente a 79.78% da RCL. Portanto, o montante & superior & 70% (setenta por cento) da RCL de 2016, que corresponde & RS 32.360.289.128,30 (70% x R$ 46.228.984.468,73), c) Apresentar valor total de obrigagdes contraidas maior que as disponibilidades de caixa ¢ equivalentes de caixa de recursos sem vinculagdo no final do exercicio financeiro de 2016. ¥ Atendido. Os dados do SICONFI (informagées do Poderes Executivo, Judicidrio € Ministério Piblico) indicam que o valor total de obrigacdes contraidas em 2016 foi de RS 10.941.362.863,53. Portanto, superior as disponibilidades de caixa e equivalentes de caixa de recursos sem vinculagao, que ficaram em R$ 927.112.210,72. 7. Da verificagdo acima exposta, entende-se que o Estado atende aos requi habilitagio previstos no art. 3° da Lei Complementar n° 159, de 2017, se considerada a informag: de despesas com pessoal publicada e disponibilizada pelo Estado em seu Relatério de Gestao Fiscal. itos de Il- DO EXAME DA DOCUMENTAGAO APRESENTADA PELO ESTADO. 8. Para atender ao que prevé a Segaio I do Capitulo 1 do Decreto n° 9.109, de 2017, 0 Plano de Recuperagao deverd ser elaborado e apresentado, em formatos fisico e eletrdnico, com a estrutura e 0 conjunto de informagdes ali previstas. 9. Sendo assim, tendo por base aquilo que prevé o referide Decreto e do exame da documentagdo enviada pelo Estado, fazemos as seguintes observagdes sobre a estrutura © as informagdes inseridas no Plano de Recuperagio: Artigo 1° — 0 Plano de Recuperagao sera formado por: 1 conjunto de leis do Estado que desejar aderir ao Regime de Recuperagio + Na composigdo de seu Plano de Recuperagdo, o Estado indicou o seguinte conjunto de leis autorizativas, todas em vigor nesta data: © Autorizagio de privatizagaio de empresas dos setores financeiro, de energia, de saneamento € outros, na forma do inciso TI do § 1o do art. 4o, com vistas & utilizagaio dos recursos para quitagdio de passivos; > Lei Estadual n? 7.529, de 7 de margo de 2017. © Adogéo pelo Regime Préprio de Previdéncia Social mantido pelo Estado, no que couber, das regras previdencidrias disciplinadas pela Lei no 13.135, de 17 de junho de 2015. > Lei Estadual n° 7.628 de 09 de junho de 2017. © Redugdo dos incentivos ou beneficios de natureza tributéria dos quais decorram rentincias de receitas institufdos por lei estadual ou distrital, de, no minimo, 10% aa. (dez por cento a0 ano), ressalvados aqueles concedidos por prazo certo € em fungao de determinadas condigdes € aqueles instituidos na forma estabelecida pela alinea “g” do inciso XII do § 20 do art. 155 da Constituiga Federal. Pg. 4 de 11 do Parecer n® 02/2017/COREM/SURIN/STN/MF-DF, de 14 / 08 / 2017. > Lei Estadual n° 7.593 de 23 de maio de 2017. © Revisio do regime juridico tinico dos servidores estaduais da administracZo piiblica direta, autérquica e fundacional para suprimir beneficios ou vantagens nao previstos no regime juridico tinico dos servidores piblicos da Unido. > Estado se utilizou da prerrogativa de aprovar lei de responsabilidade fiscal estadual que conteri regras para disciplinar o crescimento das despesas obrigatorias (LCE n° 176, de 2017), em substituigo a exigéncia prevista no inciso IV do § 1o do artigo 2° da Lei Complementar n° 159/2017; © Instituigao, se cabivel, do regime de previdéncia complementar a que se referem os §§ 14, 15 ¢ 16 do art. 40 da Constituigao Federal > Lei Estadual n° 6.243, de 21 de maio de 2012, com redagdo dada pela Lei Estadual n° 7.628 de 09 de junho de 2017. © Proibigdo de realizar saques em contas de depésitos judiciais, ressalvados aqueles permitidos pela Lei Complementar no 151, de 5 agosto de 2015, enquanto nao houver a recomposigao do saldo minimo do fundo de reserva, de modo a assegurar © exato cumprimento do disposto na referida Lei Complementar. > Lei Estadual n° 7.629 de 09 de junho de 2017 (Artigo 2°). © Autorizagao para realizar leildes de pagamento, nos quais seré adotado o critério de julgamento por maior desconto, para fins de prioridade na quitacao de obrigagdes inscritas em restos a pagar ou inadimplidas. > Lei Estadual n° 7.629 de 09 de junho de 2017 (Artigo 3°). © Oprazo de vigéncia do Plano de Recuperagao sera fixado na lei que o instituir, conforme estimativa recomendada pelo Conselho de Supervisio, e serd Jimitado a 36 (trinta e seis) meses, admitida 1 (uma) prorrogacao, se necessirio. por periodo nao superior aquele originalmente fixado. > Lei Estadual n° 7.629 de 09 de junho de 2017 (Artigo 1°). © O conjunto de dividas a ser submetido aos leildes de pagamento de que trata 0 inciso VII do § 1o deste artigo € a frequéncia dos leildes serao definidos no Plano de Recuperagao. > Lei Estadual n° 7.629 de 09 de junho de 2017 (Artigo 3°). © E facultado ao Estado, em substituigtio ao previsto no inciso IV do § 10 deste artigo, aprovar lei de responsabilidade fiscal estadual que contera regras para disciplinar o crescimento das despesas obrigatorias. > Lei Complementar Estadual n° 176, de 30 de junho de 2017 CONCLUSAO Como as leis exigidas pela Lei Complementar n° 159/2017 foram aprovadas pela Assembleia Legislativa do Estado, esto em vigor e constam do Plano de Recuperagdo Fiscal enviado do Estado a formalidade foi considerada como atendida. Il. Diagnéstico em que seja reconhecida a situagdo de desequilibrio financeiro; © O diagnéstico da situagao de desequilibrio financeiro é apresentado pelo Estado nas paginas de 7 a 28 do seu Plano de Recuperagilo, contendo detalhamento dos seus impactos sobre a arrecadagao tributaria, a folha de pagamento de pessoal, o endividamento, os restos a pagar, as obrigagdes inadimplidas ¢ 0 patriménio pe Pg, $ de 11 do Parecer n° 02/2017/COREM/SURIN/STN/MF-DF, de 14 / 08 / 2017. estadual. Destacamos, a seguir, 0 trecho onde 0 Estado reconhece e sintetiza a situagdo de desequilibrio financeiro: “pagina 7. 0 ERJ reconhece 0 desequilibrio financeiro de suas contas piiblicas conforme determina o art. 2°da LC n° 159/2017 e solicita adeso ao RRF por meio do presente Plano que ird permitir a recondugdo ao equilibrio necessério para 0 cumprimento de suas obrigagdes assumidas e a assumir, no sentido de preservar 0 oferecimento de bens ¢ servicas indispensciveis 4 populacao fluminense.” CONCLUSAO Tendo em vista que o Estado apresenta o diagnéstico em que reconhece a situagdio de desequilibrio financeiro a formalidade foi considerada como atendida IIL Detalhamento das medidas de ajuste, impactos esperados e prazos para a sua adogao. * As medidas de ajuste, impactos esperados e prazos de adogio, so discriminados nas paginas 29 a 42 do Plano de Recuperagio, CONCLUSAO Para efeito da verificagio do envio da documentagao, a formalidade foi considerada como atendida. gre §2° O Plano de Recuperagtio de que trata o caput seré elaborado e apresentado, em formatos fisico ¢ eletrdnico, com a estrutura e 0 conjunto de informagées seguintes: 1—A segao de apresentagao do Plano de Recuperagio e de diagndstico da situagio de desequilibrio financeiro deve conter: a) Diagnéstico sobre a situagdo da arrecadagao tributéria, da folha de pagamentos de pessoal ativo, inativos e pensionistas, do endividamento, dos restos a pagar ¢ das obrigagdes inadimplidas e do patriménio estadual; © Arrecadagio tributéria ~ Paginas 7 a 11. Folha de pagamentos de pessoal ativo, inativos e pensionistas ~ Paginas 11 a 13. Endividamento ~ Paginas 13 a 21 Restos a pagar e das obrigagGes inadimplidas ~ Pagina 21. Patriménio estadual ~ Pagina 22. CONCLUSAO Tendo em vista que o Plano de Recuperagao do Estado apresenta os diagnosticos solicitados a formalidade foi considerada como atendida. b) Comprovagio do cumprimento dos requisitos de habilitagio ao Regime de Recuperaco Fiscal estabelecidos no art. 3° da Lei Complementar n° 159, de 19 de maio de 2017; «A comprovagdo acima consta das paginas 23 e 24 do Plano de Recuperagao. jp VU Pg, 6 de 11 do Parecer n° 02/2017/COREM/SURIN/ STNIMF-DF, de 14 / 08 /2017. © Receita corrente liquida anual menor que a divida consolidada ao final do exercicio financeiro anterior ao do pedido de adesio ao Regime de Recuperagao Fiscal, nos termos da Lei Complementar n° 101, de 4 de maio de 2000. > Segundo o Plano de Recuperagdo, “a receita corrente liquida do ERJ, no exercicio de 2016, acumulou um total de RS 46,228.984.469, enquanto a divida consolidada acumulou no mesmo periodo um total de RS 108.103.232.139. ARCL ficou, portanto, 42,8% menor que a divida consolidada no referido periodo”. © Despesas liquidadas com pessoal, apuradas na forma do art, 18 da Lei Complementar n° 101, de 4 de maio de 2000, com juros ¢ amortizagées, que somados representem, no minimo, 70% (setenta por cento) da receita corrente liquida aferida no exercicio financeiro anterior ao do pedido de adestio a0 Regime de Recuperagiio Fise > Segundo o Plano de Recuperagao, “a despesa liquidada de pessoal, segundo © Demonstrative Consolidado da Despesa com Pessoal ~ RGF do 3° quadrimestre de 2016 (ANEXO 02), totalizou RS 33.426.453.815, somada & despesa com juros e amortizacies, de acordo com 0 Demonsirativo da Execugdo da Despesa Consolidada do Estado, de RS 4,716.670.354, representa 82,51% da RCL do mesmo perfodo, Excedeu, portanto, em 12,51% 0 limite previsto para habilitag@o ao RRF. ‘© Valor total de obrigagdes contraidas maior que as disponibilidades de caixa e equivalentes de caixa de recursos sem vinculagao, a ser apurado na forma do art. 42 da Lei Complementar n° 101, de 4 de maio de 2000. > Segundo o Plano de Recuperagio Fiscal, “observa-se no Demonstrative Consolidado de Disponibilidade de Caixa e dos Restos a Pagar ~ RGF do 3° quadrimestre de 2016 (ANEXO 03), 0 valor de disponibilidade de caixa bruta de recursos sem vinculagéio de R$ 862.772.448 sendo 0 valor total das obrigagdes contraidas de RS 11,093.821.793.” CONCLUSAO. Tendo em vista que 0 Plano de Recuperagao do Estado indica o cumprimento dos requisitos de habilitagao ao Regime de Recuperacao Fiscal a formalidade foi considerada como atendida. ) Duragdo esperada para o Regime de Recuperagao Fiscal, considerada, se necessaria a0 atingimento do equilibrio fiscal durante a vigéncia do Regime, a prorrogagao por periodo nao superior aquele originalmente fixado; € * Segundo o Plano de Recuperagio, o Estado estima a vigéneia do Plano por “tr anos, embora o fluxo de caixa apresentado considere as projegdes por mais trés anos, ow seja, considerando uma possivel prorrogagdo pelo prazo mdximo permitido, de forma a atingir 0 resultado esperado”, conforme pagina 24 do documento enviado. 101 7/COREM/SURIN/STN/MF-DF, de 14 /08/ 2017. Pg. 7 de 11 do Parecer n® CONCLUSAO Tendo em vista que 0 Plano de Recuperagdo do Estado indica 0 seu prazo esperado de vigéneia a formalidade foi considerada como atendida, 4d) Recetas e despesas realizadas dos iltimos trés exereicios ¢ projegao do fluxo de caixa mensal estadual para o exercicio corrente e os seis exercicios seguintes, desconsiderados os efeitos das medidas de ajuste do Plano de Recuperagao apresentado; * As informagdes solicitadas acima constam das piginas 25 a 28 do Plano de Recuperag&o, Adicionalmente, 0 Plano de Recuperaco informa que “o detathamento das projegdes do cendrio base da receita encontra-se descrito no ANEXO 05 ¢ ANEXO 33. As projecdes de despesa foram repartidas em 3 grupos, a saber: (j) despesa de pessoal ativo (ANEXO 06); (ii) despesa de pessoal inativo (ANEXO 07); ¢ (iii) demais despesas correntes (ANEXO 08). Para efeito do cdtewlo dos juros, encargos e amortizagdes da divida piiblica estadual foi considerado 0 flueco atual detathado no ANEXO 09° CONCLUSAO, Para efeito da verificacio do envio da documentagdo, a formalidade foi considerada como atendida IA segao de detalhamento das medidas de ajuste deve conter: a) Lista de dividas com a Unio administradas pela Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda afetadas pela redugo extraordinaria de que trata o art, 9° da Lei Complementar n® 159, de 2017, com os respectivos fluxos de pagamentos; * 0 Plano de Recuperagdo menciona a existéncia de quatro contratos na pagina 29, no valor total de RS 76,49 bilhdes, enquanto 0 detalhamento dos contratos ¢ 0s fluxos de pagamentos so apresentados no ANEXO 10. CONCLUSAO Para efeito da verificago do envio da documenta considerada como atendida, ). a formalidade foi b) Lista de dividas garantidas pela Unio para as quais o Estado pretende usar a prerrogativa de suspensao da execugdo de contragarantias de que trata o art, 17 da Lei Complementar n° 159, de 2017, com os respectivos fluxos de desembolsos ¢ de pagamentos; * 0 Plano de Recuperago menciona a existéncia de 40 operagdes de crédito na pagina 29, enquanto o detalhamento das operagdes ¢ os fluxos de pagamentos so apresentados no ANEXO 10. CONCLUSAO Para efeito da verifieagao do envio da documentagao, a formalidade foi considerada como atendida ©) Lista de empresas que serdo privatizadas e dos passivos que serdio quitados, ordenados por prioridade de pagamento, com estimativas dos seus valores e do prazo miximo para privatizagdo, observado o disposto no § 3°; Pg. 8 de 11 do Parecer n° 02/2017/COREMISURIN/STN/MF-DF, de 14 / 08/2017, * Segundo a pagina 30 do Plano de Recuperagio, “o Estado do Rio de Janeiro pretende alienar ax agdes da Companhia Estadual de Aguas e Exgotos ~ CEDAE no prazo maximo de 3 anos. De acordo com a Lei Estadual n° 7.529/2017, que autoriza 0 Poder Executivo a alienar as aces representativas do Capital Social da referida empresa, os recursos resultantes da operagao de crédito auiorizada, no valor de RS 3,5 bilhdes, (..) serdo obrigatoriamente ulilizados para quitagio da mesma, Ainda segundo a mesma Lei, 0 saldo do resultado da alienagdo serd destinado ao abatimento de dividas, na seguinte ordem, observado 0 disposto no artigo 44 da lei Complementar n° 101, de 4 de maio de 2000: I ~ dividas rrefinanciadas com bancos federais garantidas pela Unido; e II dividas do Estado com a Unido”. CONCLUSAO Para efeito da verificagao do envio da documentagao, a formalidade foi considerada como atendida. 4) Lista de operagdes de crédito que serdio contratadas, reestruturadas ou aditadas durante a vigéncia do Regime de Recuperagio Fiscal com as finalidades, as datas previstas para a contratagao, as garantias envolvidas, os valores, os desembolsos € os fluxos de pagamentos; + A lista das operagdes de erédito de interesse do Estado ¢ apresentada nas paginas 30 31 do Plano de Recuperacao, jé as datas previstas para a contratagdo, as garantias, envolvidas, os valores, os desembolsos ¢ os fluxos de pagamentos so apresentados nos ANEXOS 11, 34 ¢ 35. Segundo o Plano de Recuperagao, as operagies de crédito serdio assim destinadas: Destinagio dos Financiamentos (em milhes) Bor _[3018 [3005 Programa de desligamento voluntrio de pessoal = ‘Auditoria do sistema de processamento da folha de pagamentos 10 | a0 Leildes de que wata 0 inciso VII do § 1° do A 3.060 Reestruturagio de dividas com o sistema financeiro Modemizagio da administragio wibutaria 30200 “Anieeipagho da receita da privatizagio da CEDAE 3300 Precalorios e pagamento de rescisto Empresas Estlais ‘o| 200 | 1,000 TOTAL 3560 [3.500 1.000 CONCLUSAO Para efeito da verificagdo do envio da documentagao, a formalidade foi considerada como atendida. €) Lista de medidas de ajuste propostas e prazos méximos para a sua adogdio; ¢ + As medidas de ajuste foram elencadas nas paginas 32 a 42 do Plano de Recuperago, com os detalhamentos metodologicos sendo apresentados nos ANEXOS 12 a 30, 32, 36 € 37. CONCLUSAO. Para efeito da verificagdo do envio da documentagdo, a formalidade foi considerada como atendida. Pg. 9 de 11 do Parecer n° 02/201 7/COREM/SURIN/STN/MF-DF, de 14 / 08/2017, £) Impacto esperado de cada medida de ajuste proposta sobre a projegao do fluxo de caixa estadual para 0 exercicio corrente ¢ os seis exercicios seguintes. + De modo semelhante ao Item anterior, os impactos de cada uma das medidas de ajuste foram elencados nas paginas 32 a 42 do Plano de Recuperagio, com os detalhamentos desses impactos sobre o fluxo de caixa estadual sendo apresentados nos ANEXOS 12 a 30, 32, 36 37. CONCLUSAO Para cfeito da verificagao do envio da documentagdo, a formalidade foi considerada como atendida. IIL—A segao de apuragiio do equilibrio fiscal, que conterd a projec mensal do fluxo de caixa estadual para 0 exercicio corrente € os seis exercicios seguintes, considerados os efeitos das medidas detalhadas na segiio de que trata o inciso II deste pargrafo; © A apuragtio do equilibrio fiscal consta das paginas 43 a 46 do Plano de Recuperagao. Destacamos, a seguir, 0 trecho onde o Estado indica que alcangara 0 equilibrio financeiro: “pagina 43. E possivel perceber a convergéncia ao equilfbrio fiscal do Estado do Rio de Janeiro. Pode-se destacar, sobretudo, a trajetéria do Resultado Nominal constante do demonstrativo de Resultados Fiscais da Planitha Gerencial, que evoluiu de um déficit de RS -10,86 bilhaes em 2017, RS -4,89 bilhdes em 2020 ara um superdvit de RS 10,88 bilhdes em 2023. Importante notar que a partir de 2020 inicia-se o retorno do pagamento de juros, encargos ¢ amortizagdo da divida CONCLUSAO. Para efeito da verificagiio do envio da documentagao, a formalidade foi considerada como atendida. IV - Comprovagio de que as privatizagdes de empresas estatais autorizadas pelo Estado para atender ao disposto no inciso I do § 1° do art, 2° da Lei Complementar n° 159, de 2017, geraréo recursos suficientes para a quitagdo de passivos, segundo os critérios definidos pelo Ministério da Fazenda; * O Plano de Recuperagéio Fiscal apresentado pelo Estado do Rio de Janeiro elenca na segdo 2.2 as medidas de ajuste condicionantes para adeso, entre elas “a autorizagao de privatizagdo de empresas dos setores: financeiro, de energia, de saneamento e outros, na forma do inciso II do § 1° do art. 4°, com vistas d utilizagao dos recursos para quitagéo de passivas”. A comprovagio do patrimdnio liquido positivo da CEDAE encontra-se no ANEXO 12, citado no texto do Plano na pagina 33. CONCLUSAO, ‘Tendo em vista o que determina a Portaria do Sr. Ministro da Fazenda n° 690 de 11 de agosto de 2017, que previu que “deverdo ser consideradas pela Secretaria do Tesouro Nacional como adequadas ao disposto no inciso II do §1° do art. 4° da Lei Complementar n° 159, de 2017, as privatizagoes de empresas estatais que possuirem patriménio liquido positivo, a ser apurado a partir do Balango Patrimonial do iiltimo exercicio”, esta STN considerou a Jonte Pg, 10 de 11 do Parecer n* 02/2017/COREM/SURIN/STN/MF-DF, de 14 / 08 / 2017. formalidade atendida em fungio da empresa apresentar patriménio liquide positivo de RS 5,8 bilhdes, conforme balango patrimonial constante do Anexo 12 do Plano de Recuperag&o. Ademais, informa-se que a andlise da viabilidade econémica da operago de antecipagdo ainda sera objeto de avaliagao especifica pela STN. V - Conjunto de leis estaduais que permitam ao Estadi propostas; € * As leis aprovadas pelo Estado foram listadas na segfo 1 - Do Exame da Documentagao Apresentada Pelo Estado, neste parecer. CONCLUSAO Para efeito da verificagao do envio da documentagao, a formalidade foi considerada como atendida, plementar as medidas de ajuste VI - Anexo de riscos fiscais e passivos contingentes que, ao se materializar, poderiam afetar a efetividade do Plano de Recuperagao e ensejar alteragdes no Plano originalmente elaborado. * O ANEXO 31 contém quadro na pagina 5 listando riscos associados as prineipais medidas de ajuste incluindo medidas que impactarao o fluxo apés 2018. No mesmo anexo, nas paginas 6 e 7, foram listadas possiveis medidas de contingéneia no previstas originalmente no plano de forma a compensar frustrag3o das medidas propostas. CONCLUSAO Para efeito da verificago do envio da documentagao, a formalidade foi considerada como atendida. 10, Do posicionamento acima exposto, entende-se que a documentago apresentada pelo Estado atende totalidade do disposto na Seeao I do Capitulo I do Decreto n° 9.109, de 2017. II - CONCLUSOES mn E importante ressaltar que a andlise da viabilidade financeira do Plano de Recuperagao ¢, em especial, do atingimento ou ndo do equilibrio das contas piblicas devera ser objeto de parecer ‘especifico da STN. que somente sera elaborada nas hipsteses de a Procuradoria Geral da Fazenda ‘Nacional emitir opinido favoravel & adequagdo juridica das leis aprovadas pelo Estado as exigéncias previstas no Decreto n°9.109 eno art. 2° da Lei Complementar n® 159, ambos de 2017; e de o Ministro da Fazenda publicar despacho reconhecendo a condigtio de andlise em andamento do Plano de Recuperagdo apresentado pelo Estado. 12. A partir do exame da documentagio enviada pelo Estado ¢ seu atendimento as formalidades previstas na Segdo I do Capitulo I do Decreto n° 9.109, de 2017, bem como a sua adequagdo aos requisitos de habilitagao previstos no art. 3° da Lei Complementar n° 159, de 2017, sugere-se 0 encaminhamento do processo n° 17944,000636/2017-51 a Procuradoria-Geral da p> Pe. 11 de 11 do Parecer n® 02/201 7/COREM/SURINISTN/MF-DF, de 14/08 / 2017, Fazenda Nacional, drgdo responsével pela verificagdo da conformidade juridica das leis aprovadas pelo Estado, 13, Com essas consideragées, submete-se este parecer a aprovagéio do Sra. Secretaria do ‘Tesouro Nacional oe =e —— ac LOBO PIRES Coordenation Sera REM Bera A consideragao superior. SARAH TARSILA ARAUJO ANDREOZZI Coordenadora da COREM A consideragiio da Senhora Secretaria dq, Tesouro Nacional. PRICILLA MARIA SANTANA. Subsecretaria de Relagdes Financeiras Intergovernamentais De acordo. Encaminhe-se & PGEN para posterior avaliagio do Exmo. Sr. Ministro da Fazenda. Apés a publicagdo que se refere o § 2° do art, 4° da LC n° 159/2017, divulgue-se este parecer no sitio eletronico da STN. Em44/O§ / 2017. : ANG rata VITALI JANES VESCOVI ecretaria do Tesouro Nacional