Você está na página 1de 86

Concreto Armado

Concreto simples

Material

proporção de cimento, areia, brita, água e aditivos; Excelente resistência à compressão, baixa resistência à tração (cerca de 10x menos).

em

formado

pela

mistura

Introdução às Estruturas de Concreto

Ensaio do corpo de prova padrão

Ensaio do corpo de prova padrão Introdução às Estruturas de Concreto
Ensaio do corpo de prova padrão Introdução às Estruturas de Concreto

Introdução às Estruturas de Concreto

Vantagens e Desvantagens

Vantagens

Economia (mais econômico que estruturas de aço);

Moldabilidade - adaptação a qualquer tipo de forma e facilidade de execução;

Resistência a efeitos térmicos, atmosféricos e a desgastes mecânicos.

Introdução às Estruturas de Concreto

Vantagens e Desvantagens

Desvantagens

Peso próprio alto - 2,5t/m³ = 25KN/m³;

Dificuldade de reformas e demolições;

Transmissão de calor e som.

Introdução às Estruturas de Concreto

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Aderência: mecanismo de transferência de tensões que existe na interface entre a barra de aço da armadura e o concreto que a envolve. A eficiência da ligação entre os dois materiais pode ser convenientemente quantificada através da relação tensão de aderência versus deslizamento.

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Devido à aderência entre o concreto e o aço, as deformações das barras de aço e a do concreto que as envolve devem ser iguais. Tendo em vista que o concreto tracionado não pode acompanhar as grandes deformações do aço, o concreto fissura-se na zona de tração; os esforços de tração são, então, absorvidos apenas pelo aço.

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

A aderência pode ser dividida em 3 tipos:

Aderência por adesão: ligação físico- química na interface aço/concreto durante a pega (início da solidificação da mistura fresca);

da

rugosidade superficial da barra;

Aderência

atrito:

é

função

por

superficial da barra; Aderência atrito : é função → por Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Aderência mecânica: as saliências da barra mobilizam tensões de compressão no concreto.

da barra mobilizam tensões de compressão no concreto. τ b u : tensão de aderência (combate
da barra mobilizam tensões de compressão no concreto. τ b u : tensão de aderência (combate

τ bu : tensão de aderência (combate o deslizamento relativo entre concreto e aço) l b1 : comprimento de ancoragem (comprimento mínimo necessário para que a barra transmita ao concreto a força Z d ) Φ : diâmetro da barra

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Ensaio de corpo de prova com deslizamento relativo em B Considerações Pertinentes para o Concreto

Ensaio de corpo de prova com deslizamento relativo em B

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Cobrimento: O cobrimento de armadura é a espessura de concreto entre a armadura e o limite ao meio externo do elemento estrutural. Sua função é propiciar proteção física, química e mecânica ao concreto armado, além de contribuir para a durabilidade e bom desempenho da estrutura, evitando a corrosão.

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Camada de cobrimento de armadura Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Camada de cobrimento de armadura

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Classes de Resistência do Concreto

Os concretos para fins estruturais são classificados nos grupos I e II, conforme a resistência característica à compressão (fck), determinada a partir do ensaio de corpos de prova .

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Tipos de aço

Nos projetos de estruturas de concreto armado deve ser utilizado aço classificado pela NBR 7480/2007 nas categorias CA-25, CA-50 e CA-60. A nomenclatura é função do valor característico da tensão de escoamento f yk CA-50 → f yk = 50 kg/mm² = 500 MPa.

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Tabela de bitolas usuais do aço CA50 e suas áreas (cm²) e peso (kgf/m) Considerações

Tabela de bitolas usuais do aço CA50 e suas áreas (cm²) e peso (kgf/m)

Considerações Pertinentes para o Concreto Armado

Definição de Viga

São elementos lineares em que a flexão é preponderante (NBR 6118/03, item 14.4.1.1). Elementos lineares são aqueles em que o comprimento longitudinal supera em pelo menos três vezes a maior dimensão da seção transversal, sendo também denominada barras.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Flexão Simples

A flexão simples é definida como a flexão sem força normal. Quando a flexão ocorre acompanhada de força normal tem-se a flexão composta.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Solicitações normais são aquelas cujos esforços solicitantes produzem tensões normais (perpendiculares) às seções transversais dos elementos estruturais. Os esforços que provocam tensões normais são o momento fletor (M) e a força normal (N).

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Nas estruturas de concreto armado são três os elementos estruturais mais importantes: as lajes, as vigas e os pilares. E dois desses elementos, as lajes e as vigas, são submetidas à flexão normal simples, embora possam também, eventualmente, estarem submetidas à flexão composta.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Dimensionamento das Vigas

Segundo a NBR 6118/03, o dimensionamento das peças devem ser feitas segundo as hipóteses do Estado Limite Último (ELU).

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Viga submetida a duas forças P. Possui armadura longitudinal (para as tensões de tração da

Viga submetida a duas forças P. Possui armadura longitudinal (para as tensões de tração da flexão) e armadura transversal (para os esforços cortantes)

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Concreto

Concreto Diagrama Tensão-Deformação adotado para o concreto (Parábola-Retângulo) → Deformação máxima permitida

Diagrama Tensão-Deformação adotado para o concreto (Parábola-Retângulo)

Deformação máxima permitida para o concreto: 3,5 ‰

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Aço

Aço Diagrama Tensão-Deformação para aço → Deformação máxima permitida para o aço : 10 ‰ Esforços

Diagrama Tensão-Deformação para aço

Deformação máxima permitida para o aço: 10 ‰

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Importante!!!

No dimensionamento a flexão simples, pelo menos um dos critérios devem ser satisfeitos:

→ O alongamento máximo de uma barra de

armadura atinge o valor de 0,01 ou 10‰ (Estado Limite de Deformação Plástica

Excessiva);

→ O encurtamento máximo de uma fibra de

concreto atinge o valor de 0,0035 ou 3,5‰

(Estado Limite de Ruptura à Compressão do Concreto). Ambos podem ser satisfeitos.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

NOTAÇÃO
NOTAÇÃO

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Linha Neutra

É a superfície material curva de um corpo deformado por flexão que separa a zona comprimida da zona tracionada.

LN Esforços e Dimensionamento de Vigas
LN
Esforços e Dimensionamento de Vigas

Linha Neutra (LN)

Domínios de Deformação

Configurações últimas do diagrama de deformações específicas ao longo da seção transversal de uma peça de concreto armado sujeita à Solicitações Normais. Define-se domínios de deformação conforme a natureza da ruptura da seção.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

*Reta a: Tração uniforme Reta b: Compressão uniforme
*Reta a: Tração uniforme
Reta b: Compressão uniforme

Configurações últimas do diagrama de deformações específicas ao longo da seção transversal de uma peça de concreto armado sujeita à Solicitações Normais

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Importante!!!

As deformações nos materiais componentes das vigas de concreto armado submetidas à flexão simples encontram-se nos domínios de deformações 2, 3 ou 4, conforme definidos na NBR 6118/14. As peças projetadas no domínio 3 são as que melhor aproveitam as resistências dos materiais; portanto, são as mais econômicas.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Seção transversal retangular e diagrama de deformações ao longo da altura → Equação de Compatibilidade:

Seção transversal retangular e diagrama de deformações ao longo da altura

→ Equação de Compatibilidade:

ϵ c

=

ϵ s

x d x

= 0,010 d x

Є c = máxima deformação de compressão (fibra mais comprimida) Є s = deformação na linha do CG das armaduras

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Estado Limite de Deformação Plástica Excessiva

Obtenção da Linha Neutra:

x =

ϵ

ϵ c + 0,01 d

c

Fazendo o ideal para se aproveitar ao máximo as resistências de ambos materiais (Є c =

0,0035 e Є s = 0,01):

0,0035

0,0035 + 0,01 d

x =

Ou:

x = 0,2593 d

Domínio 2!!!

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Estado Limite de Ruptura à Compressão do Concreto

LN:

LN:

Domínio 3!!!

0,0035 0,01 d x 0,0035

0,0035 +

0,0035 + ϵ yd

Domínio 4!!!

0,0035

d x d

0,0035 + ϵ yd

Esforços e Dimensionamento de Vigas

d

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Importante!!!

No domínio 4, a armadura trabalha com tensões inferiores às do escoamento f yd (ruptura por esmagamento do concreto).

Dimensionar no

desaconselhável e antieconômico devido ao aproveitamento inadequado do aço.

é

domínio

4

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Resumo das Características dos Domínios de Deformação

Resumo das Características dos Domínios de Deformação Esforços e Dimensionamento de Vigas

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Domínios de Deformação da Flexão Simples

Domínios de Deformação da Flexão Simples Esforços e Dimensionamento de Vigas

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Evolução da Deformada conforme posição da LN

Evolução da Deformada conforme posição da LN Esforços e Dimensionamento de Vigas

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Seção Retangular com Armadura Simples

Da Resistência dos Materiais, tem-se que:

1) ΣN = 0 2) ΣM = 0

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Distribuição de tensões de compressão segundo os diagramas parábola-retângulo e retangular simplificado. Esforços e

Distribuição de tensões de compressão segundo os diagramas parábola-retângulo e retangular simplificado.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Flexão simples com armadura simples para seção retangular Esforços e Dimensionamento de Vigas

Flexão simples com armadura simples para seção retangular

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Equações de equilíbrio:

1) R c = R s → 0,85f cd b(0,80x) =

A s σ s 2) R c z = R s z

0,85f cd b(0,80x)[d-(0,80x/2)] = A s σ s z = M d

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Equação de compatibilidade:

ϵ c

x

=

ϵ s

d x

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Dividindo todos os termos da eq (2) por 0,85f cd bd² tem-se:

cd bd 2 = 0,80 ( d x )( 1 0,40

d

M

0,85 f

d )

x

Adotando as seguintes simplificações:

k =

M

d

0,85 f cd bd 2 ; α = 0,80

x

d

k = α ( 1 α

2 )

*k = momento reduzido; α = coef. proporcional à altura da LN

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Considerações sobre k:

k é uma equação do 2º grau em α e permite analisar a variação do momento fletor resistente em função da posição relativa da LN.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Relação entre momento reduzido e posição relativa da LN Esforços e Dimensionamento de Vigas

Relação entre momento reduzido e posição relativa da LN

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Cálculo da Armadura

( α − α 2 ) k = 0 → α = 1 ( 1 2 k )

2

Sendo uma equação do 2º grau, o valor α > 1 (outra raiz da equação) não interessa por não ter significado físico. Logo, a armadura A s pode ser obtida por:

A s = 0,85 f cd bd α = 0,85 f cd bd

σ s

σ s

Esforços e Dimensionamento de Vigas

( 1 ( 1 2 k ) )

O valor de σ s é função da deformação Є s do aço. Logo, obtém-se usando a Equação de Compatibilidade. Para os domínios 2 e 3, é desnecessário fazer qualquer operação, pois, por definição, σ s = f yd . Logo:

A

s = 0,85 f cd bd

f yd

( 1 ( 1 2 k ) )

Obs.: no domínio 4, σ s ≠ f yd . Assim, σ s deve ser obtida a partir da relação σ x Є!

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Exercícios

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Momento Limite ou k lim

Como já dito, no domínio 4, a armadura trabalha com tensões inferiores às do escoamento f yd (ruptura por esmagamento do concreto). Trabalhando com momento fletor reduzido k, pode-se verificar o valor do momento máximo que a seção suportaria sem atingir o domínio 4, momento máximo esse denominado k lim .

Esforços e Dimensionamento de Vigas

A posição da Linha Neutra correspondente ao domínio 4 será:

x lim = 0,0035 0,0035 + ϵ yd

d

Que corresponde a um valor α lim igual a

α lim = 0,8 x lim = 0,8

d

0,0035

0,0035 + ϵ yd

Esforços e Dimensionamento de Vigas

α lim depende apenas do aço utilizado yd ). Logo, utilizando a equação

k

= α ( 1 α

2

)

pode-se obter também os valores de k lim para diversos tipos de aço.

α 2 ) pode-se obter também os valores de k l i m para diversos tipos

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Determinação da Altura Útil

As considerações feitas até agora levam em conta que a altura útil d é conhecida inicialmente. Mas nem sempre se conhece d e o número de variáveis passa a aumentar. Evita-se dimensionar vigas no domínio 4. Logo, pode-se obter um valor chamado d lim , correspondente a k lim , onde d ≥ d lim .

Esforços e Dimensionamento de Vigas

O valor de d lim pode ser obtido da seguinte forma:

k =

M d

2

0,85 f cd bd 2 d lim

=

M d

0,85 f cd bk lim

d lim = (

cd bk lim )

d

M

0,85 f

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Sistematização de Cálculo

Formulário geral de dimensionamento para seções retangulares com armadura simples

Formulário geral de dimensionamento para seções retangulares com armadura simples Esforços e Dimensionamento de Vigas

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Exercícios

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Seção Retangular com Armadura Dupla

A ideia inicial é evitar o dimensionamento no

domínio 4. Para contornar esse problema, foi

visto que pode-se aumentar a altura útil d (ou

a largura b, pelo mesmo princípio, mas é

menos efetivo). Porém, nem sempre é permitido essa alteração das dimensões da peça e, portanto, emprega-se o artifício da

armadura dupla.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

A ideia é simples. Suponha dimensionar uma seção com altura conhecida e que o momento fletor solicitante M d seja superior ao momento correspondente ao k lim . Divide-se M d em duas parcelas:

M d = M dc + Δ M d

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Dimensiona-se, então, uma seção com armadura simples para M dc e, para resistir ao momento “extra”, duas seções de aço, sendo uma situada na região comprimida e a outra na região tracionada

de aço, sendo uma situada na região comprimida e a outra na região tracionada Esforços e

Esforços e Dimensionamento de Vigas

O valor de M dc pode ser qualquer parcela do

momento

absorvido pela armadura simples. Para melhor aproveitamento, costuma-se adotar o valor de M d,lim , ou seja, M dc = M d,lim . E, da mesma

ser

total

M d ,

desde

que

possa

forma

que

para

armadura

simples,

são

utilizadas

as

equações

de

equilíbrio

e

compatibilidade de deformações.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Importante!!!

Nesse

momento,

da

deve-se

considerar

a

a

influência

distância d' da fibra mais comprimida; Com isso, a deformada da seção foi fixada ao se arbitrar o valor de M dc . Isso significa que as parcelas adicionais de armadura terão suas deformações conhecidas a partir de sua posição na seção.

uma

armadura A s '

situada

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Flexão simples com armadura dupla para seção retangular

Flexão simples com armadura dupla para seção retangular

Equações de equilíbrio:

1) R c = R s → 0,85f cd b(0,80x) + A s s ' = A s σ s

2) R c z = R s z

0,85f cd b(0,80x)[d-(0,80x/2)] + A s s '(d-d') = A s σ s z = M d

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Equação de compatibilidade:

ϵ c

x

ϵ s

= d x =

'

ϵ s

x d '

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Ao se considerar M dc = M d,lim , a equação de equilíbrio de momento pode ser atualizada, uma vez que M dc é conhecido.

0,85f cd b(0,80x)[d-(0,80x/2)] + A s s '(d-d') = A s σ s z = M d

Eq. original

A s s '(d-d') = ΔM d = M d - 0,85f cd b(0,80x lim )[d-(0,80x lim /2)]

Eq. atualizada

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Importante!!!

Também, ao se considerar M dc =

M d,lim , os valores de x, α e k são

seus

respectivos valores limite.

conhecidos

iguais

e

aos

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Cálculo da Armadura A s1

A armadura A s1 é facilmente obtida, já que ela é a armadura de uma seção retangular (seção S c ) com armadura simples, para a qual o momento a ser absorvido é exatamente o seu momento limite, ou seja,

A s 1 = 0,85 f cd bd

f yd

( 1 1 2 k lim )

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Adimensionalizando a equação

A s s '(d-d') = ΔM d = M d - 0,85f cd b(0,80x lim )[d-(0,80x lim /2)]

tem-se:

'

'

A s σ s

( d d ' )

0,85 f cd bd 2

= k k lim =

Δ M d

0,85 f cd bd 2

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Cálculo da Armadura A s2

armadura A s2 é

obtida de acordo com Δm d , e com a

deformada da seção que está na posição limite entre os domínios 3 e 4, ou seja, σ s = f yd em

Observando a

seção S s ,

a

A s2 .

A s 2 f yd ( d d ' ) = Δ M d A s 2 =

Δ M d

f yd ( d d ' )

Esforços e Dimensionamento de Vigas

E, finalmente, juntando com

'

'

A s σ s

( d d ' )

0,85 f cd bd 2

Tem-se:

= k k lim =

Δ M d

0,85 f cd bd 2

A s 2 = 0,85 f cd bd 2 ( k k lim ) = 0,85 f cd bd ( k k lim )

f

yd ( d d ' )

f yd

( 1 d '

d )

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Cálculo da Armadura A s '

Considerando somente a seção S s e a equação de equilíbrio de forças, tem-se:

A s ' σ s ' = A s 2 f yd A s ' = A s 2

Φ

Onde Φ é um termo adimensional que indica o nível de tensão na armadura comprimida em relação à tensão de escoamento, e vale

Φ = σ s '

f yd

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Avaliando Φ para diversos aços usuais, temos que Φ = 1, ou seja, a tensão na armadura comprimida é igual à tensão de escoamento (aços tipo A. Nos aços tipo B antigamente, isso não era válido)

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Resumindo, o dimensionamento com utilização de armadura dupla consiste no cálculo separado de uma seção com armadura simples (S c ) e de uma seção de aço sem concreto (S s ), sendo que a deformada é conhecida e as armaduras totais tracionadas devem ser somadas. Esse tipo de superposição só é possível por ter sido adotada a mesma deformada para as seções separadas.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Sistematização de Cálculo

Formulário geral de dimensionamento para seções retangulares, caso geral

Sistematização de Cálculo ● Formulário geral de dimensionamento para seções retangulares, caso geral

Exercícios

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Prescrições Construtivas e de Norma (6118/03)

Nos projetos, as dimensões externas da seção são especificadas, e a altura total h é o fator relevante. Para os cálculos da flexão simples, a altura útil d é o valor com que se trabalha, sendo que d = h – δ.

*δ é a distância da base da viga até o CG das armaduras.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

O valor de d = h – δ depende de:

Cobrimento do concreto, c; Diâmetro da armadura transversal, Φ t (estribos);

Número

e

escolhidas.

disposição

das

Esforços e Dimensionamento de Vigas

barras

O cobrimento c é a espessura de concreto que deve revestir externamente a seção e tem como finalidade principal proteger as armaduras contra corrosão. É especificado normalmente em função do grau de agressividade do meio ambiente onde a peça será executada (tabela de classe de agressividade).

Esforços e Dimensionamento de Vigas

O diâmetro da armadura transversal Φ t depende de cálculos feitos para o dimensionamento da viga ao cisalhamento e de algumas prescrições de norma. Considerando um pré dimensionamento, para vigas comuns de edifícios as armaduras usadas para estribos possuem diâmetros de 5 ou 6,4

mm.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

O parâmetro δ é a distância da face externa da viga na zona de tração até o CG da seção total de armadura. Só se pode conhecer o exato posicionamento do CG após a escolha da quantidade e bitolas das barras de flexão simples. O valor da posição do CG é dado por

y = As i

¯

¯

y i

As i

*y i é a posição do CG de uma determinada barra de área As i

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Representação gráfica de c, Φ t e δ Esforços e Dimensionamento de Vigas

Representação gráfica de c, Φ t e δ

Esforços e Dimensionamento de Vigas

O valor correto de δ (e portanto d) não pode ser conhecido no início do cálculo da armadura de flexão. Faz-se, então, uma estimativa desse valor para se iniciarem os cálculos (para vigas comuns de edifícios 40- 70cm e cobrimento 2-3cm, δ varia normalmente entre 4-6cm).

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Assim, ao final do detalhamento deve ser feita uma confirmação dos valores adotados e, caso necessário, recalcular a armadura (face à mudança de d). Caso o novo detalhamento seja diferente, a posição do CG das armaduras será recalculado, gerando um novo δ e um novo d até que os valores se estabilizem.

Esforços e Dimensionamento de Vigas

Armaduras Mínimas de Flexão

Nos casos em que a armadura calculada for muito pequena deve-se empregar sempre uma armadura mínima de flexão nas seções submetidas a momentos fletores. O valor a ser adotado é o correspondente a um momento de cálculo mínimo

W 0 = Módulo de resistência da seção bruta de concreto F ctk,sup = resistência característica superior do concreto à tração

M d , min = 0,8 W 0 f ctk , sup

W 0 = bh 2 ; f ctk , sup = 1,3 x 0,3 f ck

6

( 2 / 3 )

Esforços e Dimensionamento de Vigas