Você está na página 1de 29
Power Transmission and Distribution TUSA Transformadores Jundiaí, Brasil Page 1 Siemens Ltda. Usina de Inovações
Power Transmission and Distribution
TUSA Transformadores
Jundiaí, Brasil
Page 1
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007
TUSA, Jundiaí Produtos: Transformadores de força até 800 MVA / 800 kV LDT e Distribuição
TUSA, Jundiaí
Produtos:
Transformadores de força
até 800 MVA / 800 kV
LDT e Distribuição
Geafol ®
Reguladores de tensão
Reparos & Retrofit
Monitoring
Page 2
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007
Transformadores para todos os níveis de geração e distribuição de energia GSU - Geração TDMS
Transformadores para todos os níveis
de geração e distribuição de energia
GSU - Geração
TDMS
Reatores
Transformer
Monitoring
HVDC
Shunt
and Diagnostic
System
Sistemas
interconexão
FACTS
Conversores
TLM
Fornos
retificadores
Transformer
elétricos
Life
Sistemas de
Management
distribuição
Program
Tração elétrica
Distribuição imersos
em óleo mineral
Reguladores de
tensão
GEAFOL
Tração elétrica
encapsulados
Page 3
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007

Nosso mercado de atuação

Nosso mercado de atuação
Nosso mercado de atuação

ü América do Sul

ü Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Venezuela)

ü Mercosul Países Associados (Bolívia, Chile)

ü Pacto Andino - TTransformadorransformadoreess >> 100MVA100MVA e/oue/ou >> 230230kkVV (Colômbia, Equador, Peru)

ü América Central - TTransformransformaadoresdores >> 100MVA100MVA e/oue/ou >> 230230kkVV

ü Estados Unidos - TTransformransformaadoresdores >> 100MVA100MVA atatéé 800M800MVAVA

ü Canadá

ü México

ü Oceania – Austrália e Nova Zelândia

üOutros via Cross-Selling com Alemanha

Page 4

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

Transformadores de Força Page 5 Siemens Ltda. Usina de Inovações | Brazil 2007
Transformadores de Força
Page 5
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007

NossNossNossooosss produtosprodutosprodutos LinLinLinhhhaaa TFTFTF

Noss Noss Noss o o o s s s produtos produtos produtos – – – Lin
Noss Noss Noss o o o s s s produtos produtos produtos – – – Lin
produtos – – – Lin Lin Lin h h h a a a TF TF TF

Page 6

Siemens Ltda.

üü Transformadores de Força

ü Trifásicos até 800 MVA e 900 kV

ü Monofásicos até 500 MVA e 800 kV

üü Transformadores Especiais

ü Transformador HVDC

ü Transformador para retificadores

ü Transformador para fornos

üü Reatores Shunt

üü Trifásicos até 20 MVAr e 110 kV üü Monofásicos até 120 MVAr e 800 kV

üü Reatores Especiais

üüSSéérierie ccoomm ccoommutadorutador ssobob cargcargaa üPonto de aterramento para rede e neutro üü Limitador de corrente de curto circuito

Usina de Inovações | Brazil 2007

Novo campo de provas Transformadores de força Capacidade de teste de tr’s até 800 MVA
Novo campo de provas
Transformadores de força
Capacidade de teste de tr’s até 800 MVA
(trifásico/ 800 kV BIL 2400 kV
Na foto, sob teste:
525 / 25 kV - 490 MVA (monofásico)
comutador OLTC / refrigeração ODAF
Gerador de impulso
3,200 kV; 360 kJ
Divisor de tensão capacitivo
2,400 kV
Page 7
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007
GEAFOL Page 8 Siemens Ltda. Usina de Inovações | Brazil 2007
GEAFOL
Page 8
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007

Requisitos para instalação

Requisitos para instalação
Requisitos para instalação

Segurança (NR 10)!!!

üRiscos de explosão e incêndio üSegurança dos operadores e público circulante

Desempenho

üMenores perdas üMaior rendimento

Otimização de espaço

üRedução da área das instalações üInstalação em áreas não usuais (subsolo,

mesanino, plataformas petróleo, instalações

móveis, etc

)

Meio ambiente

üRiscos de vazamentos e contaminação do solo / ar üReciclagem de materiais

Page 9

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

GGEEAAFFOLOL ®® -- VentilaVentilaççãoão forforççadaada CasCasooss oonnddee sese rereccoomemendndaa
GGEEAAFFOLOL ®® -- VentilaVentilaççãoão forforççadaada
CasCasooss oonnddee sese rereccoomemendndaa uuttiilizalizarr VVF:F:
Instalações com sobrecargas ocasionais
Situações emergenciais
Aumento de consumo não programado
Aumento da potência:
- 40%
- 50 % possível com utilização de
ventiladores especiais
Page 10
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007
GGEEAAFFOLOL ®® DisposiDisposiççãoão dosdos termiterminnaisais DisposiDisposiççããoo ddosos tertermminaisinais
GGEEAAFFOLOL ®®
DisposiDisposiççãoão dosdos termiterminnaisais
DisposiDisposiççããoo ddosos
tertermminaisinais ATAT
Terminais
Terminais
Terminais
superiores
inferiores
Plug-in
DisposiDisposiççããoo ddosos
tertermminaisinais BTBT
Padrão
x1
x2
x3
x0
x0
x1
x2
x3
Terminais
AT/ BT e
Neutro
superiores
Terminais
Terminais
superiores
inferiores
Usina de Inovações | Brazil 2007
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í

ComparatiComparativvoo GeafolGeafol ® XX llííqquuiidosdos isisoolantlanteses

Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í q

ITEM

LIQUIDO ISOLANTE

GEAFOL ®

1) Área ocupada

100 %

50 %

2) Economia de cabos BT (instalação próxima ao centro de carga)

Não possível

Sem restrições

3) Obras civis (portas corta fogo, poço drenagem, etc )

Conforme normas e requisitos oficiais

Não necessárias

4) Mobilidade para rearanjos na instalação

Restrita devido às obras civis

Sem restrição

5) Instalação em mezaninos

Restrita devido às obras civis

Sem restrição (economia de área ocupada)

Page 12

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í

ComparatiComparativvoo GeafolGeafol ® XX llííqquuiidosdos isisoolantlanteses

Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í q
 

ITEM

 

LIQUIDO ISOLANTE

 

GEAFOL ®

6)

Custos de manutenção

§

Análises de óleo

Isento de manutenção (apenas limpeza)

 

§

Filtragem/Termo vácuo

§

Reparos / vazamentos

 

7)

Armazenagem por longos períodos

Necessidade de testes periódicos no líquido isolante

Sem restrições (insensíveis à umidade)

8)

Segurança

Sujeitos à explosão, incêndio, etc

Não explodem; não emitem gases tóxicos

9)

Aumento de potência com V.F

25

à

33 %

40

à

50 %

10) Suportabilidade à sobrecargas e curto- circuitos

Enrolamentos em fios (Al / Cu) são menos resistentes

Construção de bobinas em chapas/fitas conferem alta resistência a esforços eletro-mecânicos

Page 13

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í
Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í

ComparatiComparativvoo GeafolGeafol ® XX llííqquuiidosdos isisoolantlanteses

Comparati Comparati v v o o Geafol Geafol ® X X l l í í q

ITEM

LIQUIDO ISOLANTE

 

GEAFOL ®

11) Terminais AT/BT/N com entrada superior ou inferior

Possível, com custos adicionais

Qualquer posicionamento, sem custos adicionais

12) Facilidades para reparo na obra

Restrito basicamente à parte externa (troca de buchas, vazamento, etc

)

Permite a montagem ou desmontagem na obra

13) Tipo de aplicação

Basicamente para instalações externas e fixas.

 

Sem restrições (pontes rolantes, guinchos, navios,

etc

)

Page 14

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

Conheça Conheça o o transformador transformador GGeafoleafol Geafol

®

®

Conheça Conheça o o transformador transformador G G eafol eafol Geafol ® ®
Conheça Conheça o o transformador transformador G G eafol eafol Geafol ® ®
 

Isento de descargas parciais de descargas parciais

 

Suportabilidade às tensões de impulso e aplicadaCapacidade de sobrecarga Resistente a umidade e tropicalizado

Capacidade de sobrecargaSuportabilidade às tensões de impulso e aplicada Resistente a umidade e tropicalizado

Resistente a umidade e tropicalizadoSuportabilidade às tensões de impulso e aplicada Capacidade de sobrecarga

 

Instalado nos centros de carga permite otimização do projeto de instalaçãoMaior simplicidade nas eventuais mudanças de lay-out das instalações Torna desnecessária a construção de obras

Maior simplicidade nas eventuais mudanças de lay-out das instalaçõesde carga permite otimização do projeto de instalação Torna desnecessária a construção de obras civis ou

Torna desnecessária a construção de obras civis ou proteções especiaispermite otimização do projeto de instalação Maior simplicidade nas eventuais mudanças de lay-out das instalações

Alta suportabilidade à curtos circuitos   

   

EcEcoollógógicoico

A potência pode ser aumentada em atéEc Ec o o l l óg óg ico ico

Sem líquidos isolantes 

 

Resistente a chamas e auto-extinguível  40% com a simples instalação de ventilação forçada Facilidade no posicionamento de terminais

 

40% com a simples instalação de ventilação forçada

Facilidade no posicionamento de terminais40% com a simples instalação de ventilação forçada

Não emite gases tóxicos   

   

Totalmente reciclávelMenor área requerida para instalação

Menor área requerida para instalaçãoTotalmente reciclável

Page 15

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

Reguladores de Tensão P a g e 1 6 S i e m e n
Reguladores de Tensão P a g e 1 6 S i e m e n

Reguladores de Tensão

Reguladores de Tensão P a g e 1 6 S i e m e n s

Page 16

Siemens Ltda.

Reguladores de Tensão P a g e 1 6 S i e m e n s

Usina de Inovações | Brazil 2007

Por quê Reguladores de Tensão ?

Por quê Reguladores de Tensão ?
Por quê Reguladores de Tensão ?

Métodos de correção para problemas com a tensão na distribuição:

§ Trocar ou redimensionar o condutor (redução da resistência e/ou reatância)

§ Adicionar alimentadores ou subestações (redução de corrente)

§ Adicionar capacitores (correção fator de potência)

§ Adicionar reguladores de tensão

Vantagens dos Reguladores de Tensão

§Controle Automático - Acima ou abaixo §Regulação de circuitos trifásicos ou monofásicos da subestação §Regulação de fase analisadas individualmente §Controle da tensão distribuída Down Line §Controle da tensão de carga crítica On-Site

Page 17

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

Exemplo de instalação Subestação Mestre B B B B B R R R R R
Exemplo de instalação Subestação Mestre B B B B B R R R R R
Exemplo de instalação Subestação Mestre B B B B B R R R R R

Exemplo de instalação

Exemplo de instalação
Exemplo de instalação

Subestação

Mestre B B B B B R R R R R R R R R
Mestre
B
B
B
B
B
R
R
R
R
R
R
R
R
R
R
Área
Residencial

MTMT--RedeRede dede DistribuiDistribuiççãoão

Disjuntor de distribuição Seccionadora Regulador de TensãoMT - - Rede Rede de de Distribui Distribui ç ç ão ão Distribuição automatizada B

Distribuição automatizadade distribuição Seccionadora Regulador de Tensão B Parque Industrial S Centro de carga industrial S

B
B
Regulador de Tensão Distribuição automatizada B Parque Industrial S Centro de carga industrial S
Regulador de Tensão Distribuição automatizada B Parque Industrial S Centro de carga industrial S

Parque Industrial

S Centro de carga industrial

S

S Centro de carga industrial
S Centro de carga industrial
S Centro de carga industrial
S Centro de carga industrial
S Centro de carga industrial

Centro de carga industrial

S Centro de carga industrial
S Centro de carga industrial

S

S
S Centro de carga industrial
S Centro de carga industrial

Centro de carga industrial

Centro de carga industrial
S Centro de carga industrial

S

S Centro de carga industrial

Centro de carga industrial

Page 18

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

Reguladores de Tensão Monofásicos Tipo JFR

Reguladores de Tensão Monofásicos Tipo JFR
Reguladores de Tensão Monofásicos Tipo JFR
Reguladores de Tensão Monofásicos Tipo JFR P a g e 1 9 S i e m

Page 19

Siemens Ltda.

§ De 2,5 kV a 23 kV

§ +/- 10% regulação, em 32 degraus 5/8%.

§ Montagem com base de arrasto, com cavalete ou com suporte para poste

§ Controle Múltiplos (MJ-X L )

§ Ideal como fonte de dados e para controle automatizado da distribuição.

Usina de Inovações | Brazil 2007

PainelPainel ddee controlecontrole dodo ccoomutadormutador tipotipo MJMJ--XX LL

Painel Painel d d e e controle controle do do c c o o mutador mutador
Painel Painel d d e e controle controle do do c c o o mutador mutador
§ Microprocessador 16 bits

§ Microprocessador 16 bits

§ Utilizável por Siemens e concorrentes como Cooper e GE

§ Capacidade para medição e registro de dados (eventos ou em intervalos)

§ Conectável a sistemas SCADA/ RTU via RS232/485 ou por ligação com fibra óptica.

§ Embutido, seleção de uso de protocolos (DNP, UCA, 2179, 2200, SEAbus)

Page 20

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

ReguladReguladooresres TTipoipo JFRJFR

Regulad Regulad o o res res T T ipo ipo JFR JFR
Regulad Regulad o o res res T T ipo ipo JFR JFR
Regulad Regulad o o res res T T ipo ipo JFR JFR P a g e

Page 21

Siemens Ltda.

1. Robusto, pintura para intempérie

2. Fixação da tampa

3. Tanque selado com dispositivo de alívio de pressão

4. Para-raio externo MOV by-pass

5. Indicador de nível de óleo de fácil visualização;

6. Condensador do motor no painel de controle

7. Bloco terminal único e polarizado

8. Caixa de terminais da tampa

9. Dispõe de controle com múltiplos microprocessadores

10. Bobina e comutador robustamente projetados

11. Buchas

Usina de Inovações | Brazil 2007

Reparos Retrofits TLM Page 22 Siemens Ltda. Usina de Inovações | Brazil 2007
Reparos
Retrofits
TLM
Page 22
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007
Reparos & Retrofit Transformador Equipamento mais crítico em subestações Page 23 Siemens Ltda. Usina de
Reparos & Retrofit
Transformador
Equipamento mais crítico em subestações
Page 23
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007
Monitoring P a g e 2 4 S i e m e n s L
Monitoring P a g e 2 4 S i e m e n s L
Monitoring P a g e 2 4 S i e m e n s L

Monitoring

Page 24

Siemens Ltda.

Monitoring P a g e 2 4 S i e m e n s L t

Usina de Inovações | Brazil 2007

TMDS Diagnostico e monitoramento

TMDS Diagnostico e monitoramento
TMDS Diagnostico e monitoramento
Nível de óleo Temperatura dos enrolamentos Condição das buchas Temperatura do óleo Tensão SITRAM Corrente
Nível
de óleo
Temperatura dos
enrolamentos
Condição
das buchas
Temperatura
do óleo
Tensão
SITRAM
Corrente
Sala de controle
Subestação
Temperatura
ambiente
Ventilação
forçada
Monitoramento
OLTC
Umidade
Gases no
no óleo
óleo
Internet
Page 25
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007
TMDS 2000 – Arquitetura geral (interconexão com sistemas SCADA) Page 26 Siemens Ltda. Usina de
TMDS 2000 – Arquitetura geral
(interconexão com sistemas SCADA)
Page 26
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007
TMDS 3000 Segunda geração em desenvolvimento Wireless – sem cabos, sem obras civis Page 27
TMDS 3000
Segunda geração em desenvolvimento
Wireless – sem cabos, sem obras civis
Page 27
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007

Monitoring com sensores Wireless

Monitoring com sensores Wireless
Monitoring com sensores Wireless
Parcerias & Brand Labeling Station Manager

Parcerias & Brand Labeling

Parcerias & Brand Labeling Station Manager
Parcerias & Brand Labeling Station Manager
Station Manager
Station
Manager
Parcerias & Brand Labeling Station Manager
Wireless Parcerias & Brand Labeling Station Manager Vlink P a g e 2 8 S i

Vlink

Page 28

Siemens Ltda.

Usina de Inovações | Brazil 2007

Obrigado!!!!! Page 29 Siemens Ltda. Usina de Inovações | Brazil 2007
Obrigado!!!!!
Page 29
Siemens Ltda.
Usina de Inovações | Brazil 2007