Você está na página 1de 11

Contabilidade: é objetivamente um sistema de informação e avaliação, destinado a prover seus

usuários com demonstrações e análise de natureza econômica financeira.


tratar as informações de natureza repetitiva com o máximo possível de relevância e
o mínimo de custo.
dar condições para através da utilização de informações constantes do arquivo
juntamente com técnicas da própria contabilidade e/ou outras disciplinas, fornecer relatórios.
para uns, uma ciência, para outros, uma arte, a Contabilidade é um instrumento da
função administrativa que tem como finalidades controlar o patrimônio das entidades, apurar o resultado das
entidades e prestar informações sobre o patrimônio e o resultado das entidades aos diversos usuários da
informação contábil.

Para poder concluir que chegamos a:


a) registrar os eventos;
b) controlar o patrimônio; e
c) gerar demonstrações

CAMPO DE APLICAÇÃO: aplica-se às entidades econômico administrativas. Essas entidades, para atingir
seus objetivos, sejam eles econômicos ou sociais, se utilizam de bens patrimoniais e necessitam de um
órgão administrativo que execute os atos necessários a seus fins.

Entidade: é qualquer pessoa física ou pessoa jurídica detentora de um patrimônio.

Pessoa Física: é o indivíduo ou pessoa natural.

Pessoa Jurídica: é o indivíduo de existência abstrata.

Portanto, tanto a pessoa física, como a pessoa jurídica, ao possuir um patrimônio passa assumir a condição
de entidade econômico-administrativa.

PATRIMÔNIO: é o conjunto de elementos necessários à existência de uma entidade.

1
PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS:
Representam a larga estrada a seguir rumo a uma cidade. As convenções (restrições) seriam como
sinais ou placas indicando com mais especificidade o caminho a seguir, os desvios, as estradas, as saídas,
etc...

Postulados da Entidade Contábil:


“A Contabilidade é mantida para as entidades: os sócios ou quotistas desta, não se confundem para efeitos
contábeis, com aquelas...”

Postulados da Continuidade das Entidades:


“Para a contabilidade a Entidade é um organismo vivo que irá viver por um longo período de tempo
(indeterminado), até que surjam fortes evidências em contrário...”

Custo Como Base de Valor:


“O custo de aquisição de um ativo ou dos insumos necessários para fabricá-los e colocá-lo em condições de
gerar benefícios para a Entidade, representa a base de valor para a contabilidade, expresso em termos de
poder aquisitivo constante...”

Princípio do Denominador Comum Monetário:


“As demonstrações contábeis, sem prejuízo dos registros detalhados, serão expressos em termos de moeda
nacional de poder aquisitivo da data do último Balanço Patrimonial...”

Princípio da Realização da Receita:


“A Receita é considerada e, portanto, passível de registros pela contabilidade quando os produtos ou servço
pela entidade são transferidos para outra entidade mediante pagamento ou compromisso de pagamento...”

Princípio do Confronto das Despesas com as Receitas Com os Períodos Contábeis:


“Toda despesa diretamente delineável com as receitas reconhecidas em determinado período com as
mesmas, deverá ser confrontada...”

Convenção da Objetividade:
“Para procedimentos igualmente relevantes, resultantes da aplicação do princípio, preferir-se-ão, em ordem
decrescente:

a) os que puderem ser comprovados por documentos e critérios objetivos;


b) os que puderem ser elaborados por consenso de pessoas qualificadas da profissão.

Convenção da Materialidade:
“O contador deverá sempre avaliar a influência a materialidade da informação evidenciada ou negada para o
usuário à luz da relação custo-benefício...”

Convenção do Conservadorismo:
“Entre conjuntos alternativos de avaliação para o Patrimônio, igualmente válidos segundo os princípios
fundamentais da contabilidade, escolherá o que representar o menor valor atual para o ativo e o maior para
as obrigações.”

Convenção da Consistência:
“A contabilidade de uma entidade deverá ser mantida de forma tal que, os usuários das demonstrações
contábeis, tenham possibilidade de detalhar a tendência da mesma com o menor grau de dificuldade
possível...”

2
DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Conceito: São os dados coletados pela contabilidade, apresentados periodicamente aos


interessados de maneira resumida e ordenada.

Principais demonstrações:
a) Balanço Patrimonial (BL),
b) Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)
c) Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPAC),
d) Demonstrações de Origem e Aplicação de Recursos (DOAR).

Período de apresentação das demonstrações financeiras.

A lei das Sociedades por Ações (S/A), estabelece que ao fim de cada período de 12 meses a diretoria da
empresa elaborar com base na contabilidade as demonstrações financeiras. Este período é denominado
Exercício Social ou Período Contábil.

Requisição para publicação das demonstrações financeiras:


a) Denominação da empresa;
b) Título de cada demonstração financeira e,
c) Data do exercício social.

BALANÇO PATRIMONIAL: É o mais importante relatório gerado pela contabilidade através dele pode-se
identificar a saúde financeira e econômica da empresa, em qualquer data. Divide-se em duas colunas, a do
lado esquerdo é denominado Ativo, a do lado direito Passivo. A denominação é mera convenção.

ATIVO: É o conjunto de bem e direitos de propriedades da empresa, são itens positivos do patrimônio, trazem
benefícios, proporcionam ganho para a empresa.

PASSIVO: Significa as obrigações exigíveis da empresa, ou seja, as dívidas que serão cobradas ou
reclamadas a partir do seu vencimento.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO: Representa o total das obrigações dos proprietários da empresa, essa quantia
inicial concedida pelos proprietários denomina-se capital, que pode ser aumentado a qualquer momento.

O termo Capital em contabilidade de maneira geral significa recursos. Capital


Próprio, denota recursos dos proprietários. Capital de Terceiros, significa recursos de terceiros.

APURAÇÃO DO RESULTADO: Para saber se obteve lucro ou prejuízo, a contabilidade confronta a receita
(vendas), com as despesas. Se a receita for maior que a despesas, a empresa teve lucro. Se a receita for
menor que a despesa, teve prejuízo.

Despesas: Gastos necessários a manutenção da atividade.

Receita: Recuperação das despesas acrescido de uma margem de lucro.

OBS.: Ativo e Despesas são contas de natureza devedora, enquanto, o Passivo e as Receitas são
contas de natureza credora.

3
LANÇAMENTOS: É utilizado pela contabilidade para o registro do evento.

Elementos essenciais do lançamento:


1 – local
2 – data
3 - conta devedora
4 - conta credora
5 – histórico
6 - valor

Estrutura do lançamento:

1 conta devedora ________________

2 a conta credora ________________

Conta: Nomenclatura utilizada pela contabilidade para registrar eventos de mesma natureza e
características
CONVENÇÃO

Balanço Patrimonial
ATIVO PASSIVO
Natureza Bens Obrigação Natureza
D Direitos Patrimônio Líquido C
E R
V E
E D
D O
O Demonstração do Resultado do Exercício R
R Despesa Receita A
A

VARIAÇÃO DAS CONTAS:

Contas + -
Bens
Direitos D C
Despesas
Obrigações
Patr. Líquido C D
Receita

Antes de começar a verificar como devemos efetuar os lançamentos, vamos observar:

a) Identificar quais são as contas envolvidas no evento;


b) Após a identificação das contas a qual grupo cada conta pertence;
c) Após a identificar a qual grupo pertence verificar como ocorre a variação deste grupo de contas.

Exemplos de lançamentos:
1 - Compra de um carro à vista por R$ 1.200,00
4
Contas: carro = veículo (bem), à vista = caixa (bem)

1 - Conta: Débito = Veículos


2 - Conta: Crédito = Caixa R$ 1.200,00

2 - Compra de um carro à prazo por R$ 2.500,00


Contas: carro = veículo (bem), à prazo = contas a pagar (obrigação)

1 - Conta: Débito = Veículos


2 - Conta: Crédito = Contas a Pagar R$ 2.500,00

3 - Compra de mercadorias à vista por R$ 50,00


Contas: mercadoria (bem), à vista = caixa (bem)

1 - Conta: Débito = Mercadoria


2 - Conta: Crédito = Caixa R$ 50,00

4 - Recebimento de duplicata por R$ 100,00


Contas: R$ 100,00 = Caixa (bem), duplicata a receber = (direito)

1 - Conta: Débito = Caixa


2 - Conta: Crédito = Duplicata a Receber R$ 100,00

5 - Depósito bancário R$ 200,00


Contas: depósito bancário = bco c/ movimento (bem), caixa (bem)

1 - Conta: Débito = Banco Conta Movimento


2 - Conta: Crédito = Caixa R$ 200,00

6 - Venda de mercadoria à prazo por R$ 1.000,00


Contas: duplicata a receber (direito), vendas (receita)

1 - Conta: Débito = Duplicata a Receber


2 - Conta: Crédito =Vendas R$ 1.000,00

JUSTIFICATIVA:
1 - Conta: direito que aumenta pelo débito
2 - Conta: receita que aumenta pelo crédito, aumenta no sentido de acumular valor, pois é uma conta
de resultado

7 - Pagamento de um empréstimo em cheque R$ 250,00


Contas: empréstimo a pagar (obrigação), banco conta movimento (bem)

1 - Conta: Débito = Empréstimo a Pagar


2 - Conta: Crédito = Banco Conta Movimento R$ 250,00

JUSTIFICATIVA:
1 - Conta: obrigação que diminui pelo débito
2 - Conta: bem que diminui pelo crédito

8 - Recebimento de uma duplicata de R$ 400,00 com desconto de 10%


5
Contas: duplicata a receber (direito), desconto de 10% (despesa), caixa (bem)

1 - Conta: Débito = Caixa R$ 360,00


Desconto R$ 40,00
2 - Conta: Crédito = Duplicata a Receber R$ 400,00

JUSTIFICATIVA:
1 - Conta: bem que aumenta pelo débito
1 - Conta: despesas que aumenta pelo débito, trata-se de uma conta de resultado.
2 - Conta: direito que diminui pelo crédito

9 - Compra de mesa, cadeira, máquina de escrever, máquina de calcular e arquivo por R$ 650,00 sendo
pago à vista R$ 150,00 e o restante à prazo.
Contas: móveis e utensílios (bens), R$ 150,00 = caixa (bem), R$ 500,00 contas a pagar (obrigação)

1 - Conta: Débito = Móveis e Utensílios R$ 650,00


2 - Conta: Crédito = Caixa R$ 150,00
= Contas a Pagar R$ 500,00

JUSTIFICATIVA:
1 - Conta: bem que aumenta pelo débito
2 - Conta: bem que diminui pelo crédito
2 - Conta: obrigação que aumenta pelo crédito

10 – Pagamento de um conta de luz de R$ 345,00 em cheque.


Contas: conta de luz (despesa) e cheque – Banco c/ Movimento (bem).

1 – Conta: Débito = Conta de luz


2 – Conta: Crédito = Banco c/ Movimento R$ 345,00

JUSTIFICATIVA
1- Conta: despesa que aumenta débito, mas no sentido de acumular valor, pois trata-se de uma
conta de resultado
2- Conta: bem que diminui pelo crédito.

6
BALANÇO PATRIMONIAL

Colocando-se todas as contas de forma desordenada, ainda que respeitando as noções do passivo e
ativo, somando-se caixa, com máquinas, duplicatas a receber com veículos, e assim por diante haveria muita
dificuldade para interpretar e analisar o balanço. Essa é a razão porque se deve agrupar contas das mesmas
características de mesma natureza: facilitar a leitura do balanço.

CONCEITO DE CURTO E LONGO PRAZO

Normalmente curto prazo (CP) em contabilidade significa um período até um ano. Longo prazo (LP)
por sua vez identifica um período superior a um ano.

ATIVO CIRCULANTE

Nesse grupo são classificados, caixa, banco conta movimento e também todos os valores que serão
transformados (convertidos, realizados) em dinheiro a CP, normalmente duplicatas a receber e mercadorias.

ATIVO REALIZÁVEL A LONGO PRAZO

Compreende itens que serão realizados (transformados) em dinheiro a L.P., em período superior a
um ano.

ATIVO PERMANENTE

Compreende itens que dificilmente se transformam em dinheiro, pois não se destinam a venda, mas
são utilizados como meios de produção ou meios para se obter renda para a empresa. É conhecido também
como ATIVO FIXO, pois, seus valores não mudam constantemente uma vez que a empresa não compra e
vende esses bens com frequência. São bens com vida útil longa.

Divide-se em:
a) Investimentos: São aplicações que nada tem a ver com a atividade da empresa.
b) Imobilizado: São destinados a manutenção da atividade principal da empresa.
c) Diferido: São gastos normalmente com serviços de terceiros, que beneficiará a empresa por muito tempo.

PASSIVO

Evidencia todas as dívidas com terceiros que serão pagos a C.P.

PASSIVO EXIGÍVEL A LONGO PRAZO

Compreende as obrigações com terceiros que serão liquidados a Longo Prazo.

PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Demonstra o total de recursos aplicados pelos proprietários da empresa, mais resultados futuros na
forma de lucro ou prejuízo.

PLANO DE CONTAS

7
A lei das S/As (Lei 6.404/76) estabelece que as contas serão dispostas em ordem decrescente de
grau de liquidez.
ATIVO

Ativo Circulante

Caixa
Banco Conta Movimento
Aplicação Financeira
Duplicatas a Receber
(-) Duplicatas Descontadas
(-) Provisão Para Devedores Duvidosos
Antecipação de Salário
Empréstimo a Funcionário
ICMS a Recuperar
Mercadoria
Seguros a Vencer
Juros a Vencer

Ativo Realizável a Longo Prazo

Direito com mais de 365 dias

Ativo Permanente

- Investimento:
Imóvel (alugado)
Ações
Veículo
Obra de Arte

- Imobilizado:
Terreno
Imóvel
Móveis e Utensílios
Ferramentas
Máquinas e Equipamentos
Instalações
Equipamentos de Informática
Veículos
Obras em Andamento
- Diferido
Gastos Pré Operacionais
Gastos de reorganização

PASSIVO

Passivo Circulante
Contas a Pagar
Fornecedores
Salários a Pagar
Impostos a Recolher
8
Empréstimos a Pagar
INSS a Recolher
FGTS a Recolher
IRRF a Recolher
ICMS a Recolher

Patrimônio Líquido
Capital Social
Reservas
Lucros
(-) Prejuízos

ABERTURA DE CONTA BANCÁRIA

1 - Abertura de uma conta bancária de R$ 10.000,00.


D - Banco Conta Movimento
C - Caixa R$ 10.000,00

2 - Saque no valor de R$ 2.500,00.


D - Caixa
C - Banco Conta Movimento R$ 2.500,00

3 - Pagamento de despesa com a abertura da empresa ABC do Comércio Ltda, no valor de R$


280,00 em cheque.
D - Despesa Legal
C - Banco Conta Movimento R$ 280,00

AQUISIÇÃO DO IMOBILIZADO

Compra de mesa e cadeira por R$ 250,00, automóvel por R$ 12.000,00, sendo 10% à vista e o
restante à prazo.

Mesa e Cadeira = Móveis e Utensílios


Automóvel = Veículo
10% à vista = Caixa
à prazo = Contas a Pagar

D - Móveis e Utensílios R$ 250,00


D - Veículos R$ 12.000,00
C - Caixa R$ 1.225,00
C - Contas a Pagar R$ 11.025,00

Diversos: identificação de mais de uma conta débito e mais de uma conta crédito. Como fazer ?

Diversos
a Diversos
Móveis e Utensílios R$ 250,00
Veículo R$ 12.000,00
a Caixa R$ 1.225,00
a Contas a Pagar R$ 11.025,00
9
COMPRA DE MERCADORIAS

1 - Compra de mercadorias à vista R$ 100.000,00

Mercadorias = Mercadorias
à vista = Caixa

Mercadorias R$ 100.000,00
a Caixa R$ 100.000,00

2 - Compra de mercadorias à prazo R$ 120.000,00

Mercadorias R$ 120.000,00
a Duplicatas a Pagar R$ 120.000,00

RECEBIMENTO DE DUPLICATA

1 - Recebimento de uma duplicata de R$ 200,00.

Caixa R$ 200,00
a Duplicatas a Receber R$ 200,00

2 - Recebimento de uma duplicata de R$ 200,00 com desconto de R$ 10,00.

Diversos
a Duplicatas a Receber R$ 200,00
Caixa R$ 190,00
Desconto Concedido R$ 10,00

3 - Recebimento de uma duplicata de R$ 200,00 com juros de R$ 15,00.

Caixa R$ 200,00
a Diversos
a Juros Ativos R$ 15,00
a Duplicatas a Receber R$ 200,00
PAGAMENTO DE DUPLICATA

1 - Pagamento de uma duplicata de R$ 200,00.

Duplicatas a Pagar R$ 200,00


a Caixa R$ 200,00

2 - Pagamento de uma duplicata de R$ 200,00 com desconto de R4 10,00.

Duplicatas a Pagar R$ 200,00


a Diversos
10
a Caixa R$ 190,00
a Desconto Obtido R$ 10,00

3 - Pagamento de uma duplicata de R$ 200,00 com juros de R$ 15,00.

Diversos
a Caixa R$ 215,00
Duplicatas a Pagar R$ 200,00
Juros Passivos R$ 15,00

11