Você está na página 1de 2

Comicidades das tirinhas

Freitas, M. L.

Um dos fatores que permite a comicidade das tirinhas é a utilização de registros incomuns
a um determinado contexto. Pela gramática funcional, como aponta Donna Miller (2004:10),
registros são “típicos conglomerados recursos lingüísticos usados no texto, que são resultantes de
certos tipos de contextos e propósitos”, isto é, os registros seriam expressões e palavras
comumente utilizadas numa situação específica, considerando os aspectos históricos, sociais e
culturais. Quanto aos propósitos referidos na definição supracitada, estes seriam os objetivos
esperados pelos usuários dos registros: agradecer, criticar, admirar entre outros.

Os registros podem ser utilizados adequando-se ou não ao contexto de sua produção,


entretanto outros fatores determinam sua utilização, são eles Field, Tenor, Mode (Miller,
2004:10). O primeiro fator se refere á temática do evento produzido, que neste trabalho será a
comunicação verbal em histórias em quadrinhos. O segundo considera os indivíduos que
produzem tal evento bem como suas atitudes e relação entre eles. Já o último diz respeito à
forma como o texto está sendo transmitido na interação: de forma escrita ou falada.

Observe a tirinha abaixo, para que esses conceitos de comicidade, através do uso de
registros, fiquem mais clarificados:

Tirinha 1

No primeiro quadro da tirinha 1, percebe-se que a personagem principal, Lola, pratica


uma brincadeira e lança mão de um enunciado comum à criança quando está brincando: “Go,
Clarice, Go!” . Já no segundo quadro, são as crianças quem se apropria dos registros comuns aos
adultos, demonstrando uma preocupação com Lola, uma vez que andar de skate pode apresentar
riscos à saúde de um idoso: “It’s fun until someone gets hurt”.

Nesta tirinha de Lola, produzida por Todd Clark, a comicidade consiste na utilização de
registros inesperados que a idosa incorpora no seu discurso. Isso ocasiona uma troca de papéis
entre Lola e os outros personagens mais jovens no contexto situacional em que se inscrevem.
Ressalva-se que, nesta tirinha, a comicidade também é obtida pelos recursos visuais, e
não somente pela utilização dos registros, conforme abordado até este ponto, pois tanto os
recursos visuais, como os registros em situação inesperada, constituem o contexto da cena
representada.

Observe agora esta tirinha:

Tirinha 2

Já, o que traz a comicidade, nesta segunda tirinha, além dos elementos visuais, é a
utilização inesperada de um registro pertencente à linguagem tecnológica, e não um registro
referente à idade dos personagens, como na tirinha 1. O registro “Dial-up” utilizado por Madam
Scamz, para justificar a demora no inicio do ritual, aponta a apropriação de um recurso lingüístico
comum ao contexto tecnológico, que vai de encontro à terminologia de rituais próprios às casas
em que se prevê o futuro.

Segundo Eisner (1999:7), as histórias em quadrinhos comunicam numa linguagem que


precisa ser compreendida pelo público leitor pela decodificação da mistura “imagem-palavra”
além da decodificação do texto em si (linguagem verbal). Acrescenta-se, no que tange à
comicidade, que tal decodificação ocorrerá à medida que o público perceba os registro fora de
seus contextos comuns.

Referências Bibliográficas:

MILLER, D. R., 2004, Language as purposeful: Functional varieties of texts, Bologna, Serie Editor.

EISNER, Will., 1999, Quadrinhos e Arte Sequencial. São Paulo. Martins Fontes.

http://comics.com/lola/?DateAfter=2010-04-012&DateBefore=2010-04-
24&Order=&PerPage=1&Search=&x=45&y=17&Page=3

http://comics.com/lola/?DateAfter=2010-04-012&DateBefore=2010-04-
24&Order=&PerPage=1&Search=&x=45&y=17&Page=6