Você está na página 1de 23
Agora vamos contar A histéria de uma. viagem Feita-por dois explorados-e por um exploradar. Vejam bem o procedimento desta gente Estranhével, conquanto nao parega estranho Dificil de explicar, embora téo comum Diffcil de entender, embora seja a regra Até 0 minimo gesto, simples na aparéncia Olhem desconfiados.e perguntem 2 ¢ Se é neoessério, a comegar do mais comum. i E, por favor, nao achem natural 0 que acontece 2 torna a acontecer: Nao se deve dizer que nada 6 natural Numa époea.de confusao e sangue desordem ordenada, arbitria de propdsito fiumanidade desumanizada para que imutével nao se considere nada! 'A excegaa 2 a regra’, Bertolt Brecht SLE ESTE ZINE APRESENTA AS PRINCIPAIS ORIGENS, RAZOES E ATORES POR TRAS DA REORGANIZACAO ESCOLAR ANUNCIADA PELO GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN (PSDB) No FINAL DE 2015 E QUE TEM COMO HORIZONTE PRIVATIZAR O ENSINO PUBLICO. ENTENDER COMO NASCE, FUNCIONA E QUEM ESTA ENVOLVIDO NA REORGANIZACAO SIGNIFICA ENTENDER EM QUE CAMPO SE DA ALUTAE QUAIS ESTRATEGIAS NOS APROXIMAM MAIS DE UM HORIZONTE EMANCIPADOR, COM UMA EDUCAGAO REALMENTE PUBLICA E LIVRE DAS PRESSGES DO CAPITAL. aT as Sia L muito aém da FEOTRaniizdgae dO xSi POE eee © projeto de “reorganizagao” do ensino que o governo do es~ tado de S&o Paulo tes ou empurrar goela abaixo no final de 2015 pretendia fazer com que cada escola atendesse a um s6 ciclo: de 1° a 5° ano, de 6° a 9° © 0 Ensino Médio. Com isso, eriam fechados 94 colégios; outras unidades teriam turnos inteiros e salas de aula eliminados; alunos, funciondrios e professores seriam transferidos para bairros distantes SS E por 0 que a luta dos estudantes deu uma resposta con- dente a esse projeto: ocuparam mais de 200 escolas em todo © estado de Sao Paulo; realizaram protestos nas ruas, blo- queando importantes vias da cidade; boicotaram avaliagdes de desempenho das escolas; conquistaram apoio da sociedade © ganharam visibilidade. Ao enfrentar diregées autoritarias, a policia e o Estado, os estudantes chamaram ainda mais atengdo para o que j4 era bem conhecido: as péssimas condigdes da edu— cacao. Impuseram, assim, uma grande derrota ao governo do es- tado, obrigando 0 governador a recuar e anunciar publicamente a suspensio do projeto. [EEE 6 novimento dos estudantes também encontrou alguns desa- ‘ost internamente, por exenplo, tiveran dificuldade en mobi- dizer on iment nde némero de professores para unificar a luta e ainda mais a participagao e os vii dade em defesa do movimento. Externamente, £ oda re ssdo contra as ocupagées, sobretudo nas periferias, e tive- ram de lidar com as formas de desmobilizagao articuladas pelo a com dizetores de escolas @ pais de alunos 0 em parc rios as ocupagées, além de ameagas e perseguigoes a alu- nos © professores engajados. ‘A a biblioteca, ants fechada, fl organizada e passou 2 funciona 24hrs por dia, contando com mais doagbes de apoladores: a quadra fol aberta para a ‘comunidade de dae sada como dormitrio & note: 8) corredoresvraram pst de sate; teatro, antes fechado,passou ase aberto laramerte para atvidades (o piano que fcava li era prob para estudiantes pasaasertocado lodos os das). (C)asala de video, antes fechada,virou sala de videogame e local de assistic20s jogos de futebol eelejornais; 1) 2s salas de aula foram rebatizadas (sla Rosa Luxemburgo, sala Marghela etc): £ almogos coletivos foram fetas por estudantes com acesso total dispens, incuin- OFERECIMENTO DE CONSULTORIAS DE GESTAO ESCOLAR; > FORMACAO CONTINUADA DE PROFESSORES; > ELABORAGAO F MONITORAMENTO DE AVALIAGOES, CURRICULOS E PLANOS PEDAGOGICOS; se consolidar, tudo o que p Isionador de novas relagSes > PRODUGAO € DISTRISUIGAO DE MATERIAL DIDATICO, CONSERVACAO E MANUTENCAO PREDIAL; > HIGIENE E UMPEZA; sociais fica de fora do horizonte e a educacao acaba > ARIO; i 5 EE et oe eee apenas para fazer os que tém menos trabalharem mais e > FORNECIMENTO DE MERENDA ESCOLAR, ENTRE OUTROS RAMOS QUE POSSAM SURGIR. encher 03 bolsos de quem vive as nossas custas. sendo mais uma entre outras mercadcrias, que serve Para funcionarios ¢ professores PREcARIZACKO DOS VINCULOS TRABALHISTAS: FIM.DA ESTABILIDADE NO EMPREGO; RESTRICAO OU FIM DA AUTONOMIA OOCENTE; ComPROMETIMENTO DoS ViNCULOS ‘cOMUNTARIOS; 7 SOBRECARGA DE TRABALHO; V AUMENTO Da CONCORKENCIA E COMPETICRO ENTRE OS PARES; RELACAO MERAMENTE TECNICA VOLTADA PARA A PRODUCAO DE NUMEROS E MELHOR DESEMPENHO NAS AVALIAGDES; RESTRIGKO A ABORDAGEM DE CONTEUDOS CRiTICOS; \/ REDUCAO DE SUAS POTENCIALIOADES A ASPECTOS -MERAMENTE QUANTITATIVOS E DE INTERESSE PARA © MERCADO; YY ANULAGRO DO AMBIENTE ESCOLAR COMO ESPAGO DE RELACIONAMENTOS COMUNTARIOS E + Retoros politicos e financeiros pr conta da + Ampliagdo de sua legtimidade “social”: + Enormes ganhos de ysibilldad e melhorias \ FRAGMENTACAO DA CATEGORIA E-ESTIMULO EXPERIENCIAS COLETIVAS;, Boe \ INVIABILIZAGRO BA CONTRUGAO COLETIVA BO CONHECINENTD; \”EsTiMULO A CONCORRENCIA COM SEUS PARES a , Para entender o proceso de aga desta reforma no Pee Co) Acs Pesbeoss pec implemen estado de Sao Paulo, € preciso ter em mente uma teia complexa de OnaaNISMOS MULTILATERAIS ESTABELECEM METAS GLOBAIS DE DESENVOLUIMENTO” E THE WORLD BANK Bradesco passes €oneANZAGEES CoM 00816790 be cAPTURARo HER PUBLIC, DESEWOLEN wy POIs NA AEA DF EDUCIGHORELAGOHADOS natura AS TAIS “METAS GLOBAIS”. COM ESSES PROJETOS a SEMEL Acces Pico nk Won _ a, _ Geka + Realizaydo de investimentos a longo prazo fs : = Para as empresas Para a sociedade + Amulagto de um dos poueos espagas a sociedadé que permite formas de> atuagao coletiva e de construgao de ;parceria com o estados e o repasse’ sem risco {Ge verbas pailicas, * Shanes capecacpmesenitas tslages oidaran ‘ireito pablo, + Uima sociedade onde tudo e todos + Aumento do campode influéncia politica; server apenas a mera produgdo, 8 dd mimeros, no forma sujitos “tition eemaneipadores, masipenas ‘idados voltados eompetigaoe a0 damarca: individualismo exacerbado, ‘80m quase nenhun rise, a relagdes que se formam entre diferentes instani politicas, econémicas e administrativas dizer que o mecanisno de funcionamento desea tem seguido mais ou menos 0 sequinte modelo: ESSA LOGICA EMPRESARIAL CHEGA ATE AS PONTAS POR MEIO OAS REGRAS E NORMAS QUE UNIDADES DE AVALAGOES PADRONIZADOS DE DESEMPENHO. 7 (0s coveswos (FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL), OR SUA VEZ, SANCIONAM LEIS E PROGRAMAS QUE VABILIZM A IMPLEMENTACEO DESSAS PARCERIAS PUBUCO-PRIADAS. EM SEGUIDA, ASSINAM CONTRATOS (COM ENTIOADES PRIADAS, QUE PASSAM A GERIE AS nial —_ WE Pe oc ee ey PO CEC acters eed Ce ere Oe CRC ey Fare eee ee Nee rec Cia t ote CM Care she cence celulares, por exemplo: além de distrairem, ere Mok ert ra Ty For eee Oe rece ee cee oe Politicamente, o poder das empresas ee Cacti influéncia sobre as decisdes dos Estados ieee Prec e BECO occ ey Cee ria Pron trhece Macury Pee C} Pera Pe eee Cary CeCe ery eee cy decidem os rumos Pree rer deverdo seguir Deo eC Cee Eee ee terry as escolas foram estruturadas para disciplinar eect eect irae ec ea tae ewes eter ec th eee ees oe eo eee Ce eset eer eee © capitalismo é uma relacdo social entre aqueles que possuem e controlam os meios de produ¢ado (as indtistrias, as empresas, os bancos etc.) er aqueles que vendem sua forga de trabalho em troca de um salario. Portanto, a funcdo da escola € formar Sok FP Tol- Woe None Uas a trabalhar, garantindo assim a continuidade do sistema capitalista. BUT a TUE ee Ue ee eer 1 ae SCL PCOC EST CSE Le ROP eS pw Poi OY IROL! Os organismos multilaterais, como a ONU (Organizacao das Nacdes Unidas) e o Banco Mundial, agem com esse propésito. sio instituicies internacionais foxnad: representantes de paises ric grandes empres. a dores que planejam conjuntamente © funcisnamento global do capitalisno. Eles emprectam dinheiro, faze: financiam politicas sociais conforne estratég: pelas altas cipulas. # at: destes mecanismos que conseguen ditar metas e normas que devem ser cumpridas por todos. A partir dos anos 90, esses organismos perceberam que o desenvolvimento de uma nagdo nao podia ser medido apenas pelos indices econémicos tradicionais e alteraram suas estratégias baseando-se na ideia de “desenvolvimento humano”. Essa nova politica adota como eixo principal a redugdo da pobreza e o controle dos conflitos sociais. BE) & que ies nao pretenden injusticas asim, as metas globais de ruturais d que alegan o desenvolvimento (que aparentan se preocupar con a qualidade de v: abelecendo ob para educago, sade, inclusso social ete.) tém como interesse garantir que os indices de produtividade continuem crescendo, explorande cada vez mais o lho das pessoas, que seguem tendo uma de grandes sacrificios e dificuldades. Assim, a ne! principal desses condiges p: organismos é perpetuar ‘a que 0 5 desigualdades continuem exist indo. capitalismo e eeu & com essa virada no conceito de desenvolvimento que 4reas sociais como educagdo e cultura aparecem como a verdadeira 4 mina de ouro para o crescimento econémico a longo prazo. A aposta 6 na juventude pobre que sobrevive nas periferias urbanas, como atores da violéncia que se quer combater e também a solugdo da paz que se busca. Fla mercade findaceire OTBanizado Para erivalizar o CnSiin Peer cee Como foi dito antes, para gue as reformas recomen- dadas pelas inetituicses internacionais sejan implenentadas, elas pre- cisam ganhar © apoio de or ganizagées empresariais que pressionem os. governos. Un marco nesse sentido acontece em 2006 ~ no primeiro mandate de Lula -, quando um grupo de empre- sas privadas (especial- mente do setor financeire), lideradas pele banco Itai, ceria 0 movimento “Todos Pela Educacio" (TPE) Trata-se de un grupo que se organiza com 0 objetivo de influenciar, imple- mentar e gerir pol: piblicas de educa¢: parénetros empresariais. Grape I Browaste Jorge Gera ohanapeter aie AnaMata dos Sano Dit ston Cesar Rus Callega Atrio Matias Bear ohaongete Dane eter Dano Santos iands Dense gua Aare FentoBracer ost Franco Seres est bert Mario dana Das Montero isa Fascal ie 4) Mar Nees Ramos iad Hemiqus Vian enna anda Engel Adan ‘cRupo eROML PRO DEAGOCAR x-SECRETARIO MUNICIPAL DEEDUCAGAODESP. Bead -RuPO ERDAL suzano si BrADESCO mao [XPRESIDENTE DO NEP aco nc. eesTnas EreSgUEAS BUCKS marexet 61080 GRUPO SANTILLANA PASCHOAL nore mo MSTITUTOAYRTON SENNA InstiTuTO UMBANCD STITT AYRTON SENNA InstmuTo uuRANCo 0 “Todos Pela Educagao” influencia as politicas piblicas ac fazer pesquisas e relatorios sobre educagao, fornecer as privadas para gestores publicos e fazer articulagoes politicas no executivo, legislative e judic: Sempre tendo em mente a implantacao da légica empresarial nos 6rgaos Pi Licos: Valores como eficiéncia, produtividade, avaliagao, meritocracia e responsa— bilizagaéo estado presentes nas metas e diretrizes propostas pelo TPE. Suas-metas-s&o-replicadas-pelas-gesttes eas, tanto en nivel federal quanto stadual e municipal. Basta pensar no foco das politicas Licas em ranqueamentos, como © Programa Internacional de Avaliagao de Alunos (0 PISA, na sigla em inglés), para citar apenas um deles. Ou, ainda, na Enfase em avaliagdes como o Sare: que vinculam ¢ resultado do exame a bonizicagac de professores e funcionarios numa clara importagao da meritocracia. Tso sem falar no foco de investimente piblico em ensino basico ena formagao para o trabalho, diretrizes do TPE = que sequem as orientacées do Banco Mundial - replicadas pelo go: meio do Plano Nacional de zno federal por ucagaio (PNE) © das metas determinadas para a educagao até 2024. adaptade do mundo corporative "e entendide como un conjunte de processos, valores @ regulamentos que orientam a gestao de uma empresa, & outra das diretrizes do TPE replicadas em politicas publicas de educacao. A abertura para que Organizagoes Sociais (05) assumam a gestao de instituigées publicas de ensino, bem cono a terceirizacao de servicos tipicos da rede escolar, como a producéo de material didético, limpeza, seguranca e foraecimente de alimentagao é uma das faces mais explicitas da transposigao da governanca ‘corporativa para o ambito-da educacao: Aqui a racionalidade neoliberal mostra sua principal ambigao: transformar em diversas mercadorias o que deveria ser um direito. Embora seja um movimento de enpresdrios, 6 TPE no funciona fora das estruturas pUblicas. Entre os sécios-fundadores do TPE esta 0 atual prefeito de sao Paulo, Fernando Haddad (PT) que, & época da fundagao do TPE, em 2006, era ministre da Educago do governo Lula. Haddad batizou 0 Plano de Desenvolvimento da Educacao (PDE) com 0 nome Compronisse Todos pela Educagao. Nao_foi apenas uma nomea¢ao simbélica: o PDE tem como horizonte implementar as metas do Todos Peta Educagac- Para além da conexdo préxima com © governo federal, o TPE também esta vinculado a outros grupos "empresariais similares espalhados por 14 paises latino-americanos por meio da Reduca (Rede Latino- Americana pela Educagdo). A xede comegou a funcionar com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) logo apés um encontro realizado em Brasilia (DF) em 16 de setembro de 2011. LALLA LAAN LIeA MALIN LAI \ f be il, BN ye " ies oe K Rh soucncae irrests se SeKIPREES | ie x N a experiencia da “Privalizicae Branca” n&$ CScOLas Pau Stas 5 8 See eee ee steamers cea Sa eaae aaa oko nates a g eihde : as publicas 4 ed = a aa, § gpg ae ly = f28 i Wreaaeigiccatlastentee & bul GE? ecu ghs . 5 S388ss fea de edveasao e ake eeiati A influéncia do setor privado nesse a 223 Seueoe a : : . Seo rs $ tare programa ndo termina ai: os empresdrios ce ass. eg Zo BSeege foram nomeados como conselheiros =o Gf: <3 33 gaat consultivos do programa “Educagaéo — > age 3a aa é gee Compromisso de Sdo Paulo”. Assim, == So) a5 va geek? ‘eles atuam nae duas pontast primeizo, mH ses 4 i¢ apontam os “problemas” da educagao — Ey : 23 ptblica; depois, apresentam a “solugdo” Se iss & 3 para o gestor publico implant4-la. ef is aon 3 = sen transparé! alizagdo publica. ae Ho ‘ : ile =x iz; : aaa Sig go 33 Ze 385 gee EMPRESARIOS Sa i sfid DO EDUCACAO - ‘ | Bi iris ge gees COMPROMISSO DE SP | bw 2558 ge q geee gs" ° med CE DE Saas = & Por meio de um decreto, Aono Matas FUNDAGAOTTAD SOCAL gees gitiais ogoverno de Sao Paulo he eel ae Sean) saisais nomeou como coaselheiras Fibopites ——_apaevagia wegekR Sees ees coasultivas do programa os Guihermeteal ——_INSTITUTONATURA = 8 83 5s st . sequintes emprésérios: Miodfagd AURA med 528s 0 Bags ESE S508 Amadradie — GauFO RODE ACHR bel 558: e2ggece Seeks s r Coke PEASE Be 2: poised e=8ee3 (ritincedtin Sopene centers er s228 2 PS 238 LOSCIP 9 erselgdar — unoachoweaesco, @. 325 gc fgee Cancetss Oe} jee eaae a a gos izes i ‘aren SAMCNDLS LAs ao FP: bGets? Big a” eee ee una das agSes do programa lucagao ~ Compronisso de Sao Paulo" para aumentar a atratividade do ens foi a eriagdo de escolas referancia de tempo integral, cujo modelo foi copiado das escolas charter dos Estados Unidos. 0 modelo pedagéyico @ de gestfio dessas escolas foi 0 nédio desenvelvide pelo Instituto de Co-responsabilidade pela Educagdo (ICE), en Pernanbu privada sem criada em 2000 que reine aplicar a légica dos negécios as politicas piblicas de educagao em nivel nacional © ICE mantin! uma eq cuando como consultora na sem qualquer acordo formal. 0 custo da consultoria do ICE foi pago pelo Instituto Natura, que fez a ponte Be Secretaria de Educagdo de Sio Paulo. Sao mais exemplos de relacdes pouco transparentes do gestor piblico com os empresdrios Pee eee od Prser tenn Pode parecer irreal, mas 0 modelo de gestao proposto pelos empresdrios para as escolas de ensino médio se inspira om uma... empreiteira. Isso mesmo. Os documentos fo ICE sobre suas metodologias produzidos pelo pré; pedagégicas e adninistrativas para as escolas em tempo integral revelam isso sem nenhum constranginento. E sabe quem serviu de inspirago para esse modelo? Nada mais, nada menos do que a Odebrecht, empreiteira envolvida em intimeros escandalos de corrupgao. gestao de uma escola em pouco difere da gestao de uma empresa”, escreve 0 empresario e presidente do ICE, Marcos Magalhaes, na introduc&o do “Manual Operacional — Modelo de Gestao TESE”. E continua: “na realidade, em muitos aspectos, a gestao de uma escola apresenta nuances de complexidade que nao se encontram em muitas empresas. Assim sendo, nada mais légico do que partir da experiéncia gerencial empresarial acumulada para desenvolver ferramentas de gestao escolar. O presente documento trata exatamente disto. Com base na Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO) foi sistematizada uma variante a ser utilizada no ambiente escolar (...) Concluo com uma palavra de agradecimento ao Dr. Norberto Odebrecht, por permitir que utilizassemos a TEO como matriz para a sistematizacao do presente modelo.” Até 2015, 0 sistema de educagae integral dos os 34 estava en 257 escolas da rede paulista. Como © estado possui poucas unidades de ensino médio exclusivo (a maior parte dos estabelecimentos oferece também ensino fundamental), a implantacdo do modelo ficava prejudicada. foi por acaso que a tentativa de reorganizacio encabecada por Geraldo A. in (PSDB) en fins 2015 teve como foce a ampliacdo do nimero de escolas de ciclo dnico. Peo Foi criado 0 Mm POPULATE CLs que ja foram concretizadas, em P Pe erg os ~ E criada a OSCIP OUP U rT ete as {comm crapaio éo Banco Muni) Py a Emenda Constitucional quando elas ver acontecendo 14, que estabelece a divisdo r da educacdo entre municipi estado e governo federal: ; municipio com educacao infantil Pa rceiro: sda e fundamental 1; estado com Educacao fundamental 2 ¢ ensino médio; governo federal com ensino superior. Municipios passam a responder localmente pelas metas educacionais e a atender © maior volume de matriculas na educacdo basica que permite parcerias entre as escolas piiblicas © as organizacdes privadas que repassavam recursos as unidades por meio da Associagao de Pais e Mestres (APM) “1998. © 2004- 1) Banco Mundial faz um empréstimo de 600 milhdes de dlares para a SEE-SP, financiando transformacées na educagao basica, Uma das novi foi a idealizacdo do SARESP isi 2) Empresa Foi criado 0 Sistema de PORTO — Avaliacao da Educagao \ i — asic ( SAEB). \\\ Foi criade SEGURO formulado pelo INEP e com we craw des comeca a fazer apoio financeiro do Programa mem i; parcerias com das Nacoes Unidas para o também 2 escolas estaduais Desenvolvimento ( formulado 33 da regiao de pelo INEP Paraisopolis através da Associacdo Crescer Sempre Foi criado o movimento ‘Tovos PELA EDUCACAO que é formado por empresarios de diversos setores e recebe financiamento de mais de 2,2 Pr EE) sites ce reso BID EL) BBA A Pee) ii &} ec outros investidores, sendo natura 500 mil da Samsung, 400 emerarten mil do ) Natura, 400 mil do Itati BBA © 400 mil da | Telefénica 1) Foi criado 0 Programa 2) ASEE-SP criou um plano de metas comum para todas as SF escolas, Os resultados de cada MAIS EDUCAGAO escola, medidos pela Prova do Ministério da Educacao, que consiste no desenvolvimento de atividades de educacao integral que expandem 0 tempo diario de escola para (© minimo de sete horas. 0 projeto de Escola Integral ‘vem sendo planejado como uma parceria entre escolas iblicas e organizagées da sociedade civil, encabecadas pelo Cenpec © IB risers ‘Social 2007 Brasil, Censo Escolas, Enem etc., passam a ser tabelados e controlados pelo itaii BBA e pela Fundacao Leman 3) E criado o indice de Desenvolvimento da Educagao Basica, para medir a eficiéncia das escolas em cumprir as ‘metas estabelecidas por grandes. empresérios ¢ politicos, através do. Movimento Todos Pela Educacao ay Aconvite da UNESCO, Brasil, india, China e Africa do Sul escrevem um documento com medidas que deverao ser implantadas nos quatro paises. Entre essas medidas estio a expansao e modernizagao do ensino tcnico secundario e superior, e 0 fornecimento de incentivos para que as empresas formem seus funcionérios. O principal objetivo é expandir o mercado econémico desses paises, e para isso é preciso adaptar a formacao dos trabalhadores para um capitalismo mais moderno e mais lucrativo ces cry ee ee eae Mas OS ESTUDANTES CONSEGUIRAM ATRAPALHAR OS PLANOS DOS EMPRESARIOS! & st Quando os estudantes ocuparam as escolas em 2015, demonstraram que a educacéo oferecida atualmente ndo € a que querem, e talvez nenhuma proposta pedagégica alternativa e aparentemente mais democratica desse conta dos anseios que se manifestaram naqueles mais de 30 dias de mobilizacao. Ao ensaiarem formas préprias de organizarem a vida e o cotidiano escolar, experimentaram a possibilidadé de serem verdadeiramente sujeitos de sua prépria histéria. Nos 8 estados (SP, GO, RJ, CE, BA, PR, RS e MT) em que houve ocupagées de escola, os secundaristas ensaiaram uma educagéo anticapitalista. 53] importante manter-se de olho 5] importante também se nas tentativas de privatizag&o organizar, e lembrar sempre do ensino ptblico, e que nenhuma instituigado trocar informagées a servigo do capitalismo com secundaristas, esta disposta a mudar pais, professores para melhorar a vida e pessoas que de quem estuda. apoiam a luta. O que interessa aos empresdrios reformadores do ensino é apenas o lucro. SOB HCA Le LISTA DIE SIGLAS APM: Associagto DE Pas € MesTRES BID: Baco INTERAMERICANO De DESENOLMMENTO BM: Banco Muna. [EFAP- Esco14 oF Foruaclo € APERFEICOAMENTO ‘De PROFESsoRES PauLo REnaro Costa FHC: Femyaioo Henrique Canosa FMI: Funco Moneximo InveRNACIONAL ICE: ivsrmuro 0¢ Co-Responsamiuoaoe PELA Eoucacko DEB: hice o€ Desewvouwento 08 Eoucagio Bisica IDESP- Inoice De Desenvo.mnENTO DA Enucacio 00 Esiapo oF SA0 Pauto NEP. InstTuTo NACIONAL 0€ EstuDOs & Pesquisas Eouctcionas ANisio TeWeiRa LAL: Leo Acesso& Inrorwacko [NMETI: Novo Movexo ne Escous 0 Teneo InreaRA (ONG: Onawuzacto Nio-GovernawentaL ONU: Crcanzacio oas Nagoes UAS OS: Orcanacto Socia. OSCIP: Oncanizacto oa SocieDAce Cont OE Inreresse PUBUCO ISA: ProceaMa INTERNACIONAL DE AVRLAGAO DE Estuaweres (ha sit Ew ines) PND: Procaaua Naciond. oc Desesranzagho NE: Pano NacionA. D€ EDUcAGO PNUD: ProcRwar o1s Nagoes UNIOAS PARA 0 DESENVOWIMENTO SAEB: Sistema oF AVALAGHO D4 Eoveacto Bisica SSARESP: Sistema De AUALACKO DE RENDIMENTO scout oo Estioo o& Sto Pato SEE-SP: Sconeviaa ESTADUAL be EoucAcho De Sho Pauto ‘TESE: Tecno.ocia EMPRESARAL SSoCIGEDUCACIONAL ‘TPE: Tovos Peta EovcAsio UNESCO: Oncanzacio OAS NaGoES UNAS PARA | Foucacto, A CiENCI EA CULTURA CREDITCS Pesquisa © Toxo DANIELLE MAciEL € SABRINA DURAN PRO,Eo ken, HGRAMHO €LUSRAGHO Luzs Pou Franco e Raguer Thome scoua sew Eure LHTPS://H.FACEBOOK.COM/ ESCOLASEMEMPRESA/ Fraga oowm.onD 00 ZINE E ASSIST AO vioEO SOBRE A PRINATIZAGKO DO ENSINO: Lun curro: sre /Jarcur/acCs6ua Lun oma: TTS: wn. oR0PBOX COM! se /orou7maNsgi4! AAL2KotcoM J2aUcvZKVaXuoL=0 Esta Pusuicacio Fo! REAUza0A CoM 0 APOIO a Funoacko Rosa Luxemsurco € 0 FUNDOS DO MINISTERIO FEDERAL PARA ‘A CooPenacio EconoMstca EOE DeSENVOLMIMERTO DA ALEMANA (BNIZ) (CREATIVE COMMONS CC BY:NC-ND 2.0 BR HPs: /CRERTWECOMMONS.ORG/ UCENSES/-NC- No/2.0/8R/ Ay WV