Você está na página 1de 5

CENTRO DE EDUCAÇÃO TENOLÓGICA DE TERESINA

FACULDADE TECNOLÓGICA DE TERESINA – CET

Aprovado em _________/_________/_______.(Colegiado de Curso)

Visto do Coordenador de curso: ___________________________________.

PROGRAMA DA DISCIPLINA
I-IDENTIFICAÇÃO
1. CURSO: BIOMEDICINA
2. DISCIPLINA: MICROBIOLOGIA
3. PROFESSOR: EDSON EGLEDSON ANDRADE RIBEIRO
4. CARGA HORÁRIA: 75h (40h Teórica e 35h Práticas)
5. NÚMEROS DE AULAS: 90
6. CALENDÁRIO - (DIAS DA SEMANA E HORÁRIOS): Segunda (20:50 às 22:30h) e
Quinta (20:00 às 22:30h)
7. ANO LETIVO: 2010
8. SEMESTRE LETIVO: 2º

II- EMENTA
Estudo das características morfológicas e fisiológicas das células bacterianas;
genética bacteriana e suas aplicações; controle dos microorganismos por agentes físicos
e químicos; agentes antimicrobianos e mecanismos de resistência bacteriana; microbiota
normal do homem e mecanismos regulatórios; fatores de virulência bacteriana; meios de
cultura; técnicas de semeaduras, coloração, de identificação, de avaliação da
sensibilidade a antimicrobianos e de quantificação de bactérias; estudo das principais
bactérias patogênicas para o homem. Diagnóstico laboratorial de bactérias e Infecções
Hospitalares.

III – OBJETIVOS DA DISCIPLINA


3.1-Objetivo (s) Geral (is): Os estudantes deverão adquirir o conceito e reconhecer os
diferentes tipos de microrganismo, compreender e discriminar aspectos da ecobiologia
de bactérias, fungos e vírus, avaliar a importância da microbiota indígena e valorizar a
importância de bactérias, fungos e vírus em processos patológicos e tecnológicos. Os
estudantes deverão desenvolver competências de manuseamento de instrumentos
laboratoriais e substractos ou amostras contendo bactérias, fungos e vírus, ser capazes
de planear e executar exames bacteriológicos, micológicos e virológicas, ter bases para
analisar artigos científicos e realizar relatórios técnicos.

3.2-Objetivos Específico (s):


• Fornecer ao aluno elementos para compreensão da estrutura e funcionamento
das células bacterianas, fúgicas e vírus.
• Estudar as variantes genéticas em bactérias, suas conseqüências e suas
aplicações nas áreas de diagnóstico e biotecnologia.
• Avaliar a ação dos agentes físicos e químicos sobre a célula bacteriana, visando
seu emprego em esterilização, dessinfecção e antissepcia.
• Estudar o modo de ação dos antimicrobianos sobre as células, os mecanismos de
resistência desenvolvidos pelas bactérias e capacitar ao aluno executar os testes
de sensibilidade de bactérias e antimicrobianos.
• Avaliar a participação dos diferentes componentes da virulência bacteriana na
etiopatogenia das infecções.
• Estudar os principais patógenos bacterianos para o homem, enfocando suas
características estruturais e metabólicas, seus fatores de virulência, pagogenia,
epidemiologia, bem como as medidas de prevenção e controle destas infecções.
• Capacitar o aluno a executar as técnicas básicas de microbiologia, possibilitando
a execução e preparo de materiais e meios de cultura, coloração, isolamento,
cultivo, identificação e quantificação de bactérias.
• Fornecer o conhecimento necessário ao diagnóstico microbiológico das principais
infecções bacterianas, enfatizando a coleta do material, as técnicas disponíveis
para seu processamento e a interpretação dos resultados.
• Conhecer os Centros de Referência no Estado do Piauí no diagnóstico
microbiológico.
• Executar atividades educativas com palestras e realizar oficinas de teatro
envolvendo os conhecimentos da disciplina no dia a dia do profissional de
biomedicina.

IV- DETALHAMENTO DO EMENTÁRIO


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Teórica/Pr Dia da Data/C.H
HABILIDADES COMPETÊNCIAS DOMÍNIO ática semana (horas)
4.1-Unidade I 75h
Capacitar os alunos quanto a morfologia,
fisiologia, formas de diagnóstico e tratamento
bacteriano.

Aplicar os conhecimentos sobre bactérias nos


mais variados ambientes de trabalho.

Elaborar relatórios técnicos de acordo com os


conhecimentos adquiridos em aulas teóricas e
práticas
Morfologia e Fisiologia Bacteriana Téorica Segunda 09/08/10
1h:40min
Mecanismos de Ação dos Antibióticos Téorica Quinta 12/02/10
2h:30min
Apresentação do Programa da Disciplina e Téorica Segunda 16/08/10
Aplicação do Questionário 1h:40min
INTERDISCIPLINARIDADE: PROCESSO Téorica Quinta 19/02/10
SAÚDE E DOENÇA 2h:30min
INTERDISCIPLINARIDADE: Téorica Segunda 23/08/10
SISTEMA IMUNE APLICADO AO 1h:40min
DIAGNÓSTICO MICROBIOLOGICO
(EDSON e CACIANE)
INTERDISCIPLINARIDADE Prática Quinta 26/08/10
Biossegurança de Laboratório e apresentação 2h:30min
dos equipamentos de Microbiologia
(EDSON E ROSEMARIE)
Microbiota normal do corpo humano e Teórica Segunda 30/08/10
mecanismos regulatórios 1h:40min
Controle de Microorganismos por agentes Prática Quinta 02/09/10
químicos e físicos 2h:30min
Controle de microrganismos por agentes físicos Teórica Segunda 06/09/10
e químicos 1h:40min
Métodos de observação microscópica de Prática Quinta 09/09/10
bactérias (coloração e Gram) 2h:30min
Fatores de virulência bacteriana Teórica Segunda 13/09/10
1h:40min
Meios de cultura, técnicas de semeadura e Prática Quinta 16/09/10
morfologia das colônias 2h:30min
Antibióticoterapia bacteriana Teórica Segunda 20/09/10
1h:40min
Fundamentos dos testes de sensilildade a Prática Quinta 23/09/10
antimicrobianos - ANTIBIOGRAMA 2h:30min
Controle de microrganismos por agentes físicos Seminário Segunda 27/09/10
e químicos 1h:40min
PRIMEIRA AVALIAÇÃO PRÁTICA Quinta 30/09/10
2h:30min
PRIMEIRA AVALIAÇÃO TEÓRICA Segunda 04/10/10
1h:40min
Contagem de Microorganismos na escova Prática Quinta 07/10/10
dental 2h:30min
Micobactérias atípicas (Tuberculose e Teórica Segunda 11/10/10
Hanseníase) e Estafilococcos 1h:40min
INTERDISCIPLINARIDADE: Seminário Quinta 14/10/10
INFECÇÃO HOSPITALAR 2h:30min
(EDSON)
Estreptococcos, Enterococcos e Espiroquetas Teórica Segunda 18/10/10
(Treponema, Borrelia e Leptospira) 1h:40min
Teste da lactose e teste do vermelho de metila Prática Quinta 21/10/10
2h:30min
Bactérias anaeróbicas (Infecções endógenas, Teórica Segunda 25/10/10
Tétano, gangrena gasosa e botulismo) 1h:40min
Teste da produção do acido sulfrítico e teste da Prática Quinta 28/10/10
produção de urease 2h:30min
Enterobacteriácea (E. coli, Shigella, Salmonella, Teórica Segunda 01/11/10
Yersinia) 1h:40min
Teste de vogues proskauer (vp) e teste de Prática Quinta 04/11/10
produção do indol 2h:30min
Enterobacteriácea (Vibrio, Helicobacter e Teórica Segunda 08/11/10
Campylobacter) 1h:40min
INTERDISCIPLINARIDADE Prática Quinta 11/11/10
Visita a laboratório da MedImagem de Teresina 2h:30min
(CCZ-Teresina)
(EDSON) - manhã
ELISA para dengue - noite
INTERDISCIPLINARIDADE Prática Quinta 18/11/10
Visita ao LACEN Teresina 2h:30min
(EDSON)
Pseudomonas e gêneros relacionados Teórica Segunda
22/11/10
1h:40min
Teste da catalase e teste do citrato e Teste da Prática Quinta 25/11/10
gelatina 2h:30min
Clasmídias, Legionella, Neisserias, Teórica Segunda 29/11/10
Haemophilus, Difteria e Infecções urinárias 1h:40min
SEGUNDA AVALIAÇÃO PRÁTICA Quinta 02/12/10
2h:30min
SEGUNDA AVALIAÇÃO TEÓRICA Teórica Segunda 06/12/10
1h:40min
PROVA FINAL Quinta 09/12/10
2h:30min
OBS.: O cronograma apresenta é meramente consultivo, estando sujeito a
alterações nas data e conteúdo, as quais serão alteradas mediantes de acordos
com alunos, professor, coordenação e diretorias, conforme se dê o andamento da
disciplina.

V- METODOLOGIA E RECURSOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS E


TECNOLÓGICOS
• Aulas teóricas com auxílio de projetor (datashow) e discurssivas com Aulas
teóricas com auxílio de projetor (datashow) e discurssivas com
interdisciplinaridade;
• Aulas práticas: laboratório, Seminários, oficinas e visitas técnicas;

VI- METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO


• Serão realizadas 2 provas teóricas, todas dissertativas totalizando 16 (dezesseis)
Serão realizadas 2 provas teóricas, todas dissertativas totalizando 20 pontos; 2
Seminários, totalizando 20 pontos; 2 provas práticas, totalizando 20 e visitas
técnicas, totalizando 20 pontos.
• Aluno será aprovado quando obtiver nota igual ou superior a 56 pontos
• O exame final realizado ao fim do período letivo e destinado a aluno que tendo
obtido nota inferior a 56 e igual ou superior a 24 pontos.
• O aluno estará reprovado quando obtiver nota inferior a 24 pontos.
• O aluno deverá possui freqüência igual ou superior a 75% (68 aulas) para
aprovação.
• O aluno será notificado a cada 10% de faltas;
• Aluno que estiver fora de sala de aula no horário de aula, não terá a presença do
dia registrada.
• Aluno não terá tolerância de atraso nas aulas práticas e terá 10 (dez) minutos de
tolerância de atraso na entrada das aulas teóricas, sendo assim computado como
falta.
• Nos seminários serão sorteados 2 apresentadores, os quais o desempenho será
dado através 20% apresentação e 80% pos-teste.
• So participará das aulas práticas em laboratório e visitas técnicas o aluno que
estiver de jaleco (bata);
• Será obrigatória a presença dos alunos a todas visitas técnicas, bem como a
confecção de relatório;
• O aluno que não puder comparecer as alunas terá que apresenta um relatório
sobre o órgão visitado, escrito manualmente, com pelo menos 3 páginas de
conteúdo;
• O modelo de relatório seguirá o modelo da Faculdade CET;
• A PROVA FINAL contemplara os seguintes assuntos: Controle de
microrganismos por agentes físicos e químicos, Antibióticoterapia e
Enterobacteriáceas;

VII – REFERÊNCIAS
7.1- REFERÊNCIAS BÁSICAS
• BELO HORIZONTOE. Manual de normas e rotinas técnicas central distrital de
material esterilizado smsa/pbh. Disponível em:
http://www.pbh.gov.br/smsa/biblioteca/protocolos/esterilizacao.pdf. Acessado em:
06/02/2010.
• FRANCO, B.D.G.M; LANDGRAF, M. Microbiologia dos alimentos. São Paulo:
Servier, 2005.
• MOURA, MEB; CAMPELO, SMA; BRITO, FCP; BASTITA, OMA; ARAÚJO, TME;
OLIVEIRA, ADS. Infecção hospitalar: estudo de prevalência em um hospital
público de ensino. Disponível em: http://www.cet.edu.br/Infeccao.pdf; acessado
em: 06/02/2010.
• MURRAY, P.R. et al. Microbiologia Médica. 5º ed. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2006.
• OPLUSTIL, C.P.; ZOCCOLI, C.M. Procedimentos básicos em microbiologia
clínica. 2 ed. São Paulo: Ateneu, 2004.
• PELCZAR JUNIOR, M. Microbiologia: Conceitos e Aplicações. Volumes I e II. 2
ed. São Paulo: Makron Books, 1996.
• ROITT, I.M. Imunologia. 6º ed. São Paulo: Ateneu, 2006.
• TRABULSI, L. R. Microbiologia. 5º ed. Rio de Janeiro: Ateneu, 2008.

Edson Egledson Andrade Ribeiro


Teresina 02 de Agosto de 2010