Você está na página 1de 25

16/8/2010

Eng. Antonio Fernando Navarro, M.Sc.


navarro@vm.uff.br

Características Gerais

O processo de construção de tanques através


calandragem por impulsionamento foi
desenvolvido na década de 1980, como uma
alternativa mais segura e rápida de construção,
empregando macacos de içamento elétricos e
pneumáticos para a elevação dos anéis.
Diferentemente do processo tradicional, nesse o
tanque é construído de “cima para baixo”.

1
16/8/2010

Estaqueamento da base

Riscos associados
— Transporte e movimentação do bate estacas
— Transporte e movimentação das estacas
— Cravação das estacas
— Quebra de estacas durante a cravação
— Rompimento de cabos de aço durante a movimentação
das estacas ou da cravação
— Queda do pilão (martelo)
— Posicionamento do auxiliar do operador do bate
estacas durante a fixação da estaca, verificação de nega,
substituição do cepo (bolacha), verificação de
alinhamento das estacas

2
16/8/2010

Construção da base do tanque

Riscos associados

— Movimentação e montagem das ferragens


— Preparação e montagem das formas
— Concretagem
— Cuidados durante a cura do concreto
— Desforma
— Limpeza da área
— Preparação do piso no entorno da base para a
montagem do tanque

3
16/8/2010

Montagem dos suportes de apoio de rolagem sobre a base do tanque

Riscos associados

— O apoio de rolagem deve ser adequadamente


fixado à chapa de fundo de modo a que não
venha a se soltar ou se deslocar quando da
montagem dos anéis
— Os apoios deverão estar perfeitamente
alinhados e nivelados

4
16/8/2010

Suporte de
alinhamento

Início da montagem do 5º anel com chapas calandradas de 8,0 mm

Preparação das chapas para a montagem do 5º anel

5
16/8/2010

Riscos associados
— Descarregamento do material (chapas e estruturas
do teto)
— Acondicionamento do material na frente de obras
— Movimentação das chapas e materiais para a
montagem
— Dimensionamento do balancin
— Garras (pegas) de içamento (as garras devem ser
inspecionadas uma a uma)
— Riscos ergonômicos e de queda
— Risco das chapas se soltarem das garras durante a
movimentação das mesmas

Montagem do 5º anel

6
16/8/2010

Riscos associados
— Preparação e fixação das escoras para a montagem das
chapas calandradas
— Instalação e fixação dos suportes de travamento
longitudinal para o alinhamento das chapas e
soldagem vertical
— Soldagem das chapas
— Correta identificação das extensões elétricas dos cabos
de solda associando-os às máquinas de solda
— Danos aos cabos e extensões elétricas devido a cortes
ou esmagamentos
— Dimensionamento correto da alimentação elétrica em
função da quantidade de máquinas e equipamentos
elétricos

Apoio da estrutura
do teto

Fechamento do 5º anel

7
16/8/2010

Riscos associados

— Montagem do anel central da estrutura do teto


— Montagem dos cavaletes para içamento e fixação
dos suportes e vigas da estrutura do teto fixo
— Organização e acondicionamento dos materiais
sobre a base do tanque para a realização das
atividades

Montagem do carretel (anel central) de apoio das travessas do teto

8
16/8/2010

Montagem dos suportes do teto

Riscos associados

— Deslocamento da estrutura de apoio do carretel


— Posicionamento incorreto das vigas
— Queda dos colaboradores por diferença de
altura
— Riscos de acidentes durante soldagem das
estruturas

9
16/8/2010

Montagem das chapas do teto fixo

Riscos Associados

— Queda de suportes/vigas
— Queda das plataformas de trabalho/andaimes
— Choques elétricos devido a contatos acidentais com
a estrutura em montagem
— Soldas ou respingos de soldas caindo sobre pessoas
— Queda de ferramentas durante a montagem

10
16/8/2010

Elevação do último anel e do teto fixo pelos macacos elétricos

Montagem do penúltimo anel

11
16/8/2010

Fechamento do penúltimo anel

Entrada do anel sob o tanque

12
16/8/2010

Tracionamento do anel

Soldagem dos pontos de pega para o apoio dos cabos

13
16/8/2010

Chapa na impulsionadora, presa pelos cabos de controle do arqueamento

Funcionário controlando a impulsionadora de chapas

14
16/8/2010

Ajuste da chapa no rolete de montagem

Ajuste da chapa junto à impulsionadora

15
16/8/2010

Fechamento do anel

Instalação de dispositivos de montagem e alinhamento das chapas

16
16/8/2010

Montagem do 1º anel

Montagem do 1º anel

17
16/8/2010

Montagem da Boca de Visita

Realização de soldas internas

18
16/8/2010

Soldagem horizontal do 1º anel

Montagem de todos os anéis

19
16/8/2010

Cuidados Gerais

Apesar dos avanços conseguidos na área de SMS com a


implantação dessa nova tecnologia de montagem torna-
se importante observar as questões elencadas a seguir:

Cuidados Especiais
— Durante a cravação das estacas deverá ser criada uma zona de
segurança ao redor do equipamento com raio mínimo de uma vez e
meia a altura da torre do bate estacas
— Deve-se assegurar que na área onde será montado o tanque não seja
permitido o acesso de pessoas que não tenham sido
adequadamente orientadas sobre os riscos do local
— Os circuitos elétricos deverão ser dimensionados de modo a
atender à demanda máxima da atividade, protegidos por quadros
de disjuntores setorizados. Deve-se verificar a a adequação dos
disjuntores à carga e aos equipamentos, assegurando-se que não
exista risco de choque elétrico, mesmo que acidental, para os
trabalhadores envolvidos
— Os andaimes deverão ser tubulares para uso industrial, montados
por profissionais qualificados
— Os andaimes externos deverão estar apoiados sobre sapatas
metálicas e escorados por perfis ou tubos metálicos travados no
solo
— Os andaimes internos deverão estar posicionados e apoiados de
modo que não haja possibilidade de serem deslocados por impacto
com objetos transportados

20
16/8/2010

Cuidados Especiais
— Deverá ser instalado cabo de aço como linha de vida,
devendo estar todos os colaboradores que trabalhem nos
andaimes com cinto de segurança com talabarte preso à
linha de vida
— Ao redor do tanque em montagem deverá ser colocada
manta que restrinja a queda ou projeção de solda
— As ferramentas portáteis de montagem deverão ter corda
que possibilite serem presas aos punhos dos colaboradores
— Todas as ferramentas elétricas deverão estar conectadas a
cabos elétricos novos e com conectores industriais
— Os cabos elétricos de alimentação das ferramentas portáteis
e equipamentos deverão ser adequadamente sinalizados, de
maneira que se possa identificar rapidamente o dispositivo
de proteção do circuito para desligamento imediato

Cuidados Especiais
— Os lixadores deverão ter a mesma proteção dos soldadores,
exceto pela máscara de solda
— Os aventais de raspa de couro deverão ser de boa qualidade,
com couro grosso na altura do tronco do trabalhador
— Durante todo o içamento ou movimentação de carga deverá
ter um único “rigger” posicionado em local que assegure
plena visualização do operador do equipamento de guindar
e da carga
— As chapas de aço deverão ser transportadas com “prensa
chapas” presas aos cabos de aço
— Os cabos de aço deverão estar conectados de acordo com
padrão Petrobras contido nas Normas N-2161 e N-2170

21
16/8/2010

Cuidados Especiais
— Depois da cobertura do 5º anel deve ser providenciada
ventilação que permita aos colaboradores um ambiente
salubre
— A partir do momento da montagem do teto fixo do tanque o
espaço interno será considerado como espaço confinado,
devendo-se atender ao disposto nas normas N-2637 e NBR-
14787
— As luvas de segurança para os colaboradores que estejam
trabalhando com as chapas de aço deverão ser de raspa de
couro
— Os trabalhadores de montagem deverão estar com botinas
de segurança com biqueira de aço ou com proteção que
assegure o menor dano possível ao trabalhador devido à
queda de objetos sobre seus pés

Cuidados
Especiais

22
16/8/2010

Defeitos nos cabos de aço

Defeitos nos cabos de aço

23
16/8/2010

Defeitos nos cabos de aço

Trançado Flamengo

24
16/8/2010

Posicionamento dos Grampos

25