Você está na página 1de 288
Preparagdo para o (xan hie an og ee rm nan 3 an 6 a ees sean aparece Sos Se sos am ges Introdugdo tee fol eaborado com objetivo de auxllar tos os alunos ques esto a prepa rar para o Exame Nacional de Economia A do 11." ano. Os seus conteidos foram desenvolvidos de acordo com o programa em vigor, procurando-se apresentar a infor: ‘magéo deforma simples ecom uma linguagem acess to ¢composto por quatio pares: an, apresenta os conteiés do programa do primeio ano da = ‘os aparcem com frequéncia sob a forma de quads estaistcos gros ov pequencs textos. funds ‘mental nepetar coretmentewfoagio cone nese tipo de decamentosevtando dstotes que, poderamletaaconclisbeseades "Normalment, nos exams de Economia grande pate das questesincliem textos, epresentaes rcs ou quads estatisticos que servem de poeta de porta pra a eda dasrexpotas. Os exami: nandos devem exporar convenlentemants eres dador elacion os com os respetives conti pro ‘raméticos, Para se prepararem, os akunos devem teinarentéo a sua cepacldede de ansise € inerpretogo de dados,procurando contextusiz or devcement.Apezentamos 2 epi alguns exe los sobre como recolherinermagio em documentos eaborados em dives formatos. 1. Anilise de um pequeno texto ‘Ao anasarmos um txt deveros trem atengo alguns aspetos importantes. Em primeira lugar, énecessto eo com atenco e tentarcompreendero tipo de texto de que se trata: ¢ um artige de opin? Ua noticia? Oresutade de um tudo cent? | seguir, deve ser dada atenci 3 informa que & subt- mente revelada em pequenos detalhes, como o ttul, 0 autor ou a data do document. Devers procure conhecer 0 tema do texto lendo 0 seu ttle analkando a ides ‘have. Também ¢ importante Kentfcaro ip de autre, Sendo possivlprocuar informagbes complemenvares que ermitam wosaro seu perf. Alguns documentos soe auto- i individual e cuts so elaborados por organisms coet- vos Seo autor € um indivi, éconverente procurar elementos que ocracaizem nomeadamente, ‘quando & posvel,procurar deta a sua profs, aide, a ego em que vv as suas experiénias onde ecirtos qe so itos e manifestamenteinsflentes. {Endo 8 que nose poco satsfaer ode a necenads € prec hleraruiaee faze escohas, [declare nacesidades saisfze em prio ugh quai devero ser abandonadas As opgbes toma das devern permit utlzar os rcirsos de forma mas efiente e de mod a satfazer © maior nimero posse denecesidades, Daa ee ee ee Cine heron pec atlanta atwnu oer eater Saee eeenry are oar ecarte aera Secrecy Sareea eer eee Sie ie ee ee pee eee ee ae eae a ea eee eee ee ea Spann cai rain nega eee eee a es cece ares Mat ue el hanmenmreyi ee oe eee ee eae ates ie “Mas quando se ierarquizam as necessdades ee opta pla satisfac de uma, as queso sciads representa uma perda, um cust. ste & 0 chaado esto de oportunidade, que se caraceria come Sendo melhor atenativa dead de odo no momanto em qos ee fe outa econ. Os cad ver Guest ec eypregar um bern sbtisfao de uma neceztidade et 3 renunclr a oportunidede do vt zarnasatsfaio de oura, D cute opie cer a ee eae per een eee eee ees Sees oe Gea ae een all ep mips cova pa capo (Sonu tents ec nappe oan Vans else Sreesanth s Saunas ee eee gore ae Seer ee Sess S iN Sge ube tericin naman £ importante refers ainda 0s dois grandes principjos econémicos que esto na base do processo de cal: principio da raconaidace eo rnc do equi Segundo 0 principio daracionalidade, pesume-se que cada indliduoescolhe sempre © que cons ‘deca sera melhor opgio clsponive ou sla, aquela que permite 8 minima stags com o minimo ( stop, ‘ to pre do pressposto de que rodas as dectsoesecondmicasncragem ene, St A escohas, os condcionarem umas is ovtas pana poderem combinarse da melhor forma posse _cabam por evar 20 eqlxio dos sistemas. 1.4. Aatividade econémica e os agentes econémicos D nests semen aes cena oe Sa le enacen tina ewe Pe ae pea qe tania aa sans eon ee Se ee See 3S Ss ere toner tp emt neo ts ne reer er oe ea ties a ee eet Rutlesepnar nants ieaden mmol oeeboe Ss arcs A avid Anitues forces of rcus em bso pa depois ser vansfomados em bens cpazes de satafzer 5 oss necesdaes A atid econdmica craters oma oconjuna de ope ‘See r= ‘Mas os beng percorrem um longo caminho dee os fbro até. 20 momento em que S80 ‘consumidos. Noma primi fase, pasar pela 1 etapa secuinte & a distrbuigdo, que cenglobsduasatvdades.o transporte eo comér- <0, Os bens, por um lado, tem de ser anspor. ‘dor dere 0 prodtor até 90 utizads podendo, M rete ceo sero onsumidor nal ovouvo agente m {us 0 pea usr como interés no proceso de fabrico de outros bens. 0 comérco por out lado permite que os bens slam ‘dos consumidores deforma pine convener. ‘Assim, cada interveienteobtim os rendmentos de acordo com a sua rartcipacio na atividede Fodemar enti conclu que a atidade econdmica sede em quatro atviddes a Produ tibia a Repro ea Utila de Rendimentos, que nll o Consumo ea Poupanca ‘Agentes eccnémicos ‘Cea ud ns partcpa de sium forma na ative econdmica, que sea porque consome, quer Para melhor se compreenderem esta ntergactes rocede-se& css de todosos agentes em catego tig de aco com a principal fungo que desempenham. Eira cada incvduc oss exercer mais do ‘que uma funsio 20 mesmo tempo, ee s6 poderdpertencerauma categoria aque que melhor rere sera sua fureioprncpak Assim, desinam-se por agentes econdmicos toda as entidades inviduis o3coletas que sa: ‘9am numa catagara, por deeempenharem e memo fungio a atvidade econdrica Os agentes ecend- eos sbalicenrse nas Sequntes categorie =] Familias -¢ a ategora que di especial atencio 0 consumo, it & agrega Indes enquanto consumidores de um pal. No entarto, € deste gente que prea forga de vabato ou a capac Cade de empreendimentoneceisis & roduso e bens e sergos Acontece que ums bea porte dos rendimenis que as fami recebem éerre- ‘gue em consumo, fazendo entdo com que esta s@)3.252 princpal func Empress rest catego elven odes. a5 “dads produives de um pe que cortbuem pan a cragode beni eerie send 9 prod (BoaprinepaAngo eercsa. 1 Aetitetamicine scan eon Eade (Aminiraco Pb) - globe» Admisacte Cental a Atarqus Locs9 Sequroa mover satsfogio dsnecessiades les Osa dees = prado de ber e seve eo parce nomamete no eb depots lr eq, ot) “rss. ti de ser prea porenidsdes iets, So za erpl a eda. acaudeate a, detec. a _apreserttando as relaces econémices que se operam entre um pals @ o Resto do Mundo, Também pode Sa D Conceitos a reter ‘vida econémica~ Conjunto de eperacbes que visa a produto de ben serdgos capes de ‘atsfnr ar necosiades humanas.Engiobe a atvidaes de Produc, Dsus, Repartao e 3 sac de Rendmentos na qual so ncidos Consume ea Poupana. Agente econdmicos-Entdades individu ou colts qu eagregam numa categoria por desempe shat mesma fngio na aivdade condi, Considerar agentes ecandmios a aia 2s Empress 3 Admini Pia eo Resto do undo. Canis Socal - lec qe deca 0 esto dos fnsmenos relacionados com vide ds ind thos em vcedade Economia, De, Scioiogh, Hite, Geogtata ete) custo de oportunidade- Represents osacifico dh melhor serrata debada por satsfany rsutante ‘deumaexoha em que daca prada outa necesidade, Fenémenoteconémieos Fendmenos socal bordados uma perspeaecondmica. Fenémenosodl total ~ Cartes apresentads pos endmenos soca, dacorrante d sus comple- "ade ¢purdimensionaliéade,fazendo com que seja necssirioaralish-os em todas as suas Fenémenos sociis-Aconecmantor sul es da via em sociedad, Principio da racanadade- Ns sins decide, cada procuaescolero que conser se mah opsiodsponie. Princip do equlro- A combina ds delsesecondmicas de tos os ndvduos condi bo equ oo doesttemas. Prablema econdmico(scasen)~ Problema que sua da escasex dos recursos neces pare sats ‘ara lites necescadeshumaras. ste problema eige que, depos de as necessiades est ‘rm beracuizadae 2 faa ero, ols nem ods podedosersasttas. Conjunto de fndmnot soit que podem se abserades numa sociedad em cada 10.° ano Tema Il Aspetos fundamentais da atividade econdmica 2. Necessidades e consumo Conceitos a reter 3. A produgéo de bens e servicos Conceitos a reter 4. Comércio e moeda Conceitos a reter 5. Precos e mercados Conceitos a reter 6. Rendimentos e reparticao dos rendimentos Conceitos a reter 7. Poupangae investimento Conceitos a reter Tema ll Aspetos fundamentais da atividade econdmica 2. Necessidades e consumo 2.1. Necessidades - nso e classificag3o ‘Todos os dasa pat do momento em que acordamos somes invades por um enorme conn def necestdades pasando plas mais biscas, como respira ou comer, até Squelas mais dspensivels como Ir ao enema ou comprar um CD. Mas 5 necesidades das pessoas nao so todas igual vam em fu «0 domomento en questo senidos. Uma necesidade asim um seimeno dccaréncia que ocome sempre que somes prvados de um ‘bem ou serio de que precomes, No entanto,o masta gerado pee auséncie estes bens Ou erKo8 [Bode ser suprimido através de aos de consumo, Pr fe, para aprofunds este concita importa ainda ‘analsarascaractrsias das necesiades, que passames a apresenar y i y y | Multpcdade —seenbihdade———Hirarquizacio —_—Substtubidade Multipiekdade as necesiades exter m grande nimera eso lfinitas, pal, na malo das vere, a ;arecem algum tempo aps serem atisfetas, com do so ‘Outer bense senor « Ey oo 1008 No exerpo spread, 0 rendimente do agregado fall aumento 100 euros do primar parao segundo ano. Se anasarmos es vaiagbes em termos absolut (valor das despesas em euros) e em termos relatives (coeintes came), podemosconstata ue so bastante iferenes Por exemplo, ‘no caso da classe aimentagioe bebidas, apesar de ter ocnid um aumento de 160 euros 400-240) em termosabsouts, hou uma diinuig de 15% 40%-25H) do total despenddo naquela categoria Seja, em termes reas. Jd nas categrias de lazer cultura @ outos bens e ervios quero vl

Você também pode gostar