Você está na página 1de 6

ALÉM DE 2012

O nascimento de uma nova humanidade?


O que será a mudança de consciência?

Dr. Dieter Duhm

Traduzido por Rita Duarte

Introdução:
Exerço o meu trabalho na Oficina do Futuro Tamera em Portugal, em temas
tais como a Evolução, a História e o Futuro.
Através do meu papel como líder, tenho contactado com várias linhas de
conhecimento de diversas épocas, culturas e profecias reunidas na nossa
rede global.
Nas últimas três décadas, tem-se vindo a formar uma extensa matriz de
dados e de informação sobre o desenvolvimento do Ser Humano e da Terra.
Este quadro aprofunda-se ainda mais com o trabalho trance direccionado
para visões do futuro e por informações mediúnicas que a minha Dr. Dieter Duhm Photo: © Nigel Dickinson
companheira Sabine Lichtenfelds tem recebido.
O resultado foi um prognóstico extremamente claro.

PARTE 1: Síntese da Mensagem

O ano de 2012 do calendário Maia, não marca o fim do Mundo mas significa o auge no processo de
transformação global. A Humanidade mudará o rumo da sua evolução.
Como resultado de eventos cósmicos, o campo magnético da Terra irá mudar e com este também mudarão os
campos cerebrais do ser humano. Isto estará ligado a mudanças significativas na consciência. Novos padrões
de percepção e pensamento levarão a novas formas de vida em conjunto, incluindo uma nova relação entre
os géneros humano, baseada na verdade e na confiança.
O tema da sexualidade não estará mais ligado ao trauma colectivo do medo e da violência, mas antes ao da
gratidão e da alegria. Os canais que há muito se encontram fechados devido à história traumática da guerra,
abrir-se-ão para a compaixão e para o amor.
Um poder que pode ser chamado de “Impulso de Cristo” manifestar-se-á a nível mundial. Através de uma
cadeia global de eventos, a humanidade irá redescobrir a sua estrutura de cura interior, pois esta consiste no
seu programa genético.
Irão abrir-se muitas novas portas para o contacto com os seres da natureza. A nova conexão com a fonte
divina levará a uma conexão e solidariedade com todas as outras criaturas.
Não se trata de um sonho privado, mas dum desenvolvimento colectivo.
O padrão cósmico a que chamamos de “Matriz Sagrada” está dentro de todos nós como enteléquia definitiva
de uma nova civilização. A manifestação de uma nova civilização planetária não se realizará, é claro, de um
dia para o outro, mas antes como resultado de uma sequência progressiva de mudanças que criarão nos
próximos anos, através de poderes cósmicos e decisões humanas, um movimento global.

PARTE 2: Mensagem Detalhada

Caros amigos em todo o mundo!


Saudamos os povos da Terra. Saudamos os grupos em todos os continentes que preparam a nova Era.
Saudamos a comunidade planetária que se desenvolve. Estamos perante uma enorme transformação cósmica.
A grande paz com a qual temos sonhado em vão durante tanto tempo poderá agora concretizar-se, se a
humanidade relembrar as suas origens e construir a sua cultura em novos fundamentos. Este processo já
começou. Uma crescente parte da humanidade está a tomar consciência que os fundamentos da civilização
da Terra já não são aceitáveis. A autodestruição da humanidade já decorre há muito tempo e será irreversível
se não mudarmos o rumo da evolução humana e, para tal não requeremos uma data específica.
Um conceito mal direccionado de globalização está a levar à destruição das necessidades básicas da vida

© Verlag Meiga 1
global desde a ionosfera até ao fundo dos oceanos. Muitos dos habitantes da Terra, incluindo o mundo
animal, encontram-se neste momento num sofrimento indizível.
Aproximamo-nos do desastre e, as guerras civis, assim como as catástrofes naturais, provavelmente
continuarão a aumentar. O sofrimento global só pode ser terminado com uma mudança fundamental na
consciência colectiva, através dos poderes genéticos de cura que têm origem no centro do grande hólon a
partir do qual a Terra, o ser humano e todas as criaturas estão conectadas entre si.
A data Maia de 2012 representa uma mudança planetária de consciência. Estamos perante uma oportunidade
cósmica: uma grande porta está a abrir-se.

Não Apocalipse, mas sim Renovação:


É sabido que uma estranha atitude domina actualmente a humanidade. Cenários apocalípticos parecem ser
mais atractivos do que visões bem fundamentadas de cura. Mas a mudança cósmica e terrestre que está a
decorrer neste momento, não se refere certamente, a um apocalipse, mas sim a uma renovação e cura.
O fim do calendário Maia descreve o final dos velhos campos de consciência, que têm vindo a dominar a
humanidade há muitos anos. Não é o fim do mundo, mas pode ser o início de uma nova evolução. Entramos
numa nova era. Os padrões colectivos básicos de percepção mudam através de campos de poderes
planetários e cósmicos e novos padrões de comportamento serão criados.
O calendário Maia termina dia 23 de Dezembro de 2012. Esta data está de acordo com algumas previsões
astronómicas. Um ponto alto na actividade solar e a coincidência com outros eventos cósmicos irão trazer
uma mudança no campo magnético da Terra. Isto levará a uma mudança nos campos do cérebro humano.
Haverá uma modificação dos padrões de frequência neuronal e, com ela, mudar-se-á a forma como
recebemos e respondemos às informações do mundo exterior. Isto poderá levar a uma mudança de encontro
às frequências alfa. Os segmentos de tempo irão expandir-se e a vida tornar-se-á, de certa forma, mais
“lenta”. O ritmo de exalação irá fortalecer-se, resultando num “desarmamento” dos nossos corpos e numa
abertura aos centros sagrados da vida, localizados no abdómen. Camadas suprimidas da alma humana serão
novamente activadas. Frequências da antiga Era das Deusas poderão tornar-se efectivas a um outro nível.
Conectado a isto está uma mudança de consciência que conduzirá a humanidade a um novo nível mental e
espiritual. A nossa percepção mental e espiritual irá encontrar aspectos do mundo que até então tinham
estado fora do nosso campo de percepção e novos padrões de interpretação da nossa vida quotidiana serão
desenvolvidos.
Poderemos assim reconhecer que tudo está interligado e que acções locais pela paz podem ter efeitos globais.

Uma nova consciência e abertura do corpo físico


A literatura contemporânea refere que nos aproximamos de uma “mudança de frequência”, ou de um “salto
de consciência para uma nova dimensão”. Por exemplo, haverá uma profunda mudança na nossa relação
entre a vida e a morte, entre o aqui e o além. Mudando de frequência, uma forma de “vibração eterna” tornar-
se-á o cenário da nossa consciência. A Humanidade tornar-se-á mais receptiva a mensagens dos domínios
transcendentais do mundo.
Os órgãos de percepção irão abrir-se às influências do universo. A nova dimensão de consciência não
consiste somente na área “espiritual”, mas particularmente nos temas básicos do nosso corpo, na nossa
existência sensual e na incorporação energética da vida como um Todo.
Através da activação de poderes energéticos subtis, a nossa existência material e corporal irá mudar e tornar-
se cheia de luz. Estas mudanças que já podemos prever, dizem respeito às áreas do Eros e da religião, do
fortalecimento das energias femininas, do “desarmamento” dos homens, do desenvolvimento de novas
relações de confiança entre os géneros humano, de uma nova amizade com os animais e uma nova conexão
com a grande família da vida. Bloqueios do corpo e da alma que até agora fizeram o contacto e a compaixão
impossíveis irão dissolver-se. Surgirá uma nova vibração natural de participação, compaixão e empatia com
toda a criação.
Será uma frequência de unidade, que irá moldar o nascimento da nova consciência e assentará novas bases
para a sociedade humana. O hólon, a unidade, já não será apenas um conceito filosófico, mas sim uma
experiência elementar da alma. O hólon será, assim, o sagrado.

© Verlag Meiga 2
A experiência no deserto
Alguns representantes de grupos internacionais realizarão em 2011 uma experiência de planeamento, com a
finalidade de fundar a primeira cidade no deserto, na qual os novos poderes de consciência poderão crescer
organicamente. Os planos para este projecto têm vindo a ser desenvolvidos nos últimos 20 anos. Já existem
novos métodos de providenciar água, comida e energia em áreas desérticas.
Na segunda e terceira décadas do século XXI, cidades no deserto com 3000 a 5000 pessoas poderão
desenvolver-se e demonstrar que um completo recultivo e repovoação da Terra é possível sem mega-
tecnologias e sem destruir a natureza. Será tudo possível através de novas formas de cooperação com as
energias cósmicas, forças da natureza e com todas as criaturas. O princípio para tudo isto é comunicação
básica solidária entre todos os participantes, limpa de todos os vestígios de medo e de violência. A razão pela
qual estes novos modelos de formas de vida poderão espalhar-se surpreendentemente rápida, é devida à
mudança de frequência propagada a partir do ano de 2012 pela Terra.

A mudança das estruturas internas


A humanidade tem vindo a crer, durante muito tempo, que pode ultrapassar as deficiências societais através
de mudanças e reformas, através da democracia e de conferências, através de apelos morais e da razão. Mas
obviamente, o oposto ocorreu. A guerra global não pode ser ultrapassada enquanto os humanos não tiverem
ultrapassado as suas estruturas internas subjacentes e os seus padrões de pensamento. Em ambos os casos,
vemos as mesmas estruturas de trauma humano colectivo, originadas desde há centenas de anos de guerras,
destruição, deslocamento e amor destruído. Padrões de pensamento colectivo do medo e da violência são o
fundamento da cultura humana actual.
Padrões neuronais foram criados no cérebro pela violência e pela dor, tendo-se acumulado e transformado
em fortes crenças. Existem frases tais como “o mal tem que ser castigado”, “o inimigo só pode ser vencido
pela violência”, “a guerra faz parte da vida”, “o ciúme é parte do amor”. Os subterrâneos colectivos da alma
humana estão repletos de cenas infernais, de julgamento e vingança, de pecado e condenação eterna.
Hábitos de pensamento por norma inconscientes e automáticos estão por trás da nossa miséria quotidiana. A
este respeito, a data de 2012 terá um especial significado. Através do campo magnético modificado da Terra
e de acordo com os padrões igualmente modificados do cérebro, os velhos padrões de pensamento irão
dissolver-se e darão espaço a novas conexões. A activação de novos padrões neuronais irá iniciar novas
percepções, novas imagens, novas informações e novos impulsos orientadores no cérebro, assim como no
núcleo das células (ADN).
Os padrões entelequiais de autocura, de alegria de viver, de pertença e de amor, que há muito estão
escondidos por detrás dos padrões traumáticos, serão revelados.
Não esperamos que um único evento ocorra exactamente no dia 23 de Dezembro de 2012, mas consideramos
antes que o processo de transformação que tem vindo a desenvolver-se irá ser propulsionado por esta data
Maia. Um processo de cura que já tem vindo a tomar lugar nos bastidores do mundo, poderá ser revelado
pela conjunção de diferentes ciclos astronómicos e conexões entre poderes divinos com poderes terrenos. A
evolução tomará um claro passo em frente.
Do ano 2012 em diante, novas forças vitais dominarão o campo planetário. A longa preparação de diferentes
grupos, cósmicos e terrenos, conduziu-os na direcção da cura. Não esperamos uma mudança imediata em
todos os lugares do Planeta, visto que as novas frequências poderão entrar em colisão com as velhas, criando
uma intensa turbulência.
Os cartéis de poder político e económico irão tentar impedir a renovação planetária. Pessoas que se
adaptaram ao velho mundo irão rebelar-se contra os novos poderes. Por momentos, a colisão passará através
de igrejas, escolas e famílias. Mas não será possível parar o processo, que é suportado por uma mudança no
pensamento moral. Os poderes que sustentam o novo movimento mundial irão deixar de reagir aos ataques
com julgamento e vingança. A inimizade não será mais respondida com inimizade, mas sim através da já
fortalecida conexão com a nova frequência planetária. Os poderes de cura irão prevalecer, visto
corresponderem a uma matriz cósmica superior e serem suportados pelo Universo. A humanidade dirige-se
inevitavelmente para uma nova unidade. A frequência da emergente consciência planetária será mais forte do
que diferenças religiosas ou nacionais e mais forte do que todos os interesses da esfera privada.

Ecologia profunda e cooperação com todos os seres


No campo da ecologia, haverá um desenvolvimento interessante: o início de uma cooperação com os

© Verlag Meiga 3
espíritos da natureza, Devas e muitos outros seres com alma, cujo conhecimento da sua existência passa
descuidadamente ao lado da maioria dos seres humanos. Iremos tornar-nos colectivamente aptos a ver estes
seres, pois a percepção humana é agora energeticamente refinada e rarefeita. Inicia-se um novo tipo de
cooperação. O ser humano não tem que fazer tudo sozinho.
Abundantes poderes de ajuda surgem e estão dispostos a cooperar se os humanos os percepcionarem e
comunicarem com eles. Todo um exército de ajudantes está pronto para libertar o mundo da guerra. Os
poderes cósmicos da luz que têm vindo a chegar ao nosso planeta nos últimos tempos são também sinais da
sua presença e disponibilidade para ajudar.
Um aspecto essencial da nova dimensão é a reintegração da existência humana em ciclos de vida planetária.
Este processo terá enormes consequências no desenvolvimento de futuras condições de vida, na água, nas
energias e nos ecossistemas. Estas dimensões estão interligadas num subtil contexto de informação e de
energia que até agora não podem ter sido vistas num mundo mecanizado.
Seres que até agora foram vistos como um estorvo, como formigas, larvas, ratos, moscas e muitos outros, são
reconhecidos como seres que acarretam informação e estarão integrados em novos biótipos. São parceiros de
cooperação natural do ser humano no seu caminho em direcção a um planeta sanado. E são, como os seres
humanos, órgãos do todo da vida. Neste aspecto, a consciência humana irá receber um verdadeiro impulso
ético. Não se mata ou tortura órgãos que pertencem ao mesmo corpo, como um só. A dor que o ser humano
inflige nas outras co-criaturas volta para ele. Seguindo um estilo de vida não violento, deixa de ser uma
questão moral, mas passa a ser uma questão nuclear de auto-preservação e autocura.

A água
O tratamento da água mudará também profundamente. A água é vida líquida. Os seres humanos irão
aprender a purificar e a fortalecer as forças vitais da água e a usar os seus poderes de cura. A aquacultura nos
novos centros não só servirá apenas como fornecimento de água e alimento, mas também de informações
vitais de cura às paisagens circundantes, visto que a água é uma transmissor central de informação na Terra.
O correr da água, sobre e sob o solo serve como distribuidor de campos de informação e pode ser
naturalmente usada para a nova informação em toda a Terra. A nova economia é a da ecologia planetária.
Parte deste fenómeno é a descoberta de como a água pode surgir através da acção combinada de poderes
terrenos e cósmicos. Os tempos de seca, rarefacção da água e desertificação irão acabar para sempre quando
o ser humano aprender a usar as possibilidades dadas pela cooperação com a natureza.

Catástrofes Naturais
Em conexão com a nova ecologia planetária surge uma nova relação com as catástrofes naturais. Na
emergente consciência para a unidade de vida, prevalece uma nova descoberta: a profunda ligação entre o
corpo terrestre e o corpo humano.
Através do bloqueio e da agitação de energias elementares da vida (orgónicas), estes corpos começam a
tremer. No caso da Terra, terramotos, erupção de vulcões e inundações e, no caso do ser humano, doenças,
psicoses e excessos de violência.
Através da reorganização de padrões de energia orgônica nas questões nucleares humanas, especialmente no
que diz respeito à relação entre os géneros humano, uma nova ordem emerge na cooperação entre todos os
seres e também em relação aos poderes da terra, água e clima.
Vivemos num sistema unificado de energia tanto na Terra como no Universo e, por isso, existe uma clara
direcção para evitar catástrofes naturais: evitem as catástrofes humanas!
Libertem a alma e o corpo humano dos conflitos desesperados do passado. Desenvolvam uma nova
civilização na qual o terrestre e o cósmico, as energias espirituais e sensuais possam se harmonizar.
O ano 2012 aponta para um poderoso início para este novo nível de evolução.

Um novo campo de poder feminino e um novo amor entre os géneros humano


Uma parte essencial da elevação de consciência que está por vir é o novo papel das mulheres na sociedade
humana. Mudanças neuronais irão revelar padrões colectivos no pensamento e acção femininas, padrões
presentes em civilizações arcaicas altamente desenvolvidas voltarão agora com um novo nível. Trata-se de
uma re-conexão com a fonte feminina e com a autoridade feminina.

© Verlag Meiga 4
Para tornar a mulher governável e submissa ao patriarcado, a sua conexão com a fonte teve que ser
amputada, os seus antigos santuários destruídos, a sua relação natural com todas as co-criaturas reprimida e a
sua selvagem natureza sexual domesticada. A potência sexual do homem pode só desdobrar-se para com
mulheres suprimidas. Estas estruturas ainda existem e resistirão a todas as tentativas de reforma enquanto o
seu núcleo não for reconhecido. São parte do trauma colectivo.
Está na natureza da transformação presente que cada vez mais mulheres reconheçam estas conexões e
deixem de reagir com ódio e vingança. Observamos que dentro de alguns anos um novo campo feminino irá
estender-se sobre a Terra, no qual as mulheres irão redescobrir o seu papel entelequial na criação e com a sua
força gentil irão quebrar as suas estruturas endurecidas para criar novos campos de poder para amar e para a
solidariedade com todos os viventes.
Os homens irão experienciar o milagre da aceitação do feminino e largarão os seus papéis tradicionais de
macho. Não irão mais para a guerra. Talvez este seja o aspecto mais profundo que todos podemos prever:
toda a guerra irá terminar, terminando a histórica guerra entre os géneros humano. Iremos experienciar estes
fenómenos logo na primeira metade do século XXI.

Conclusão
Todos estes processos em conjunto levam a uma mudança no paradigma básico dos nossos pensamentos e
acções. Ciência, religião, arte e Eros, desenvolvimento urbano, tecnologia e ecologia irão tornar-se
fundamentalmente diferentes no fim do século XXI, comparativamente com o seu início.
Todo o processo traz luz à existência corporal e ao mundo material, que se tornou demasiado denso. Agora
está a tornar-se mais permeável, mais transparente e mais subtil. Isto é verdadeiro para toda a matéria, e
também para o corpo humano. Uma sabedoria antiga revela-se: o mundo material não é comandado apenas
por energias físicas mas também por energias do corpo e espírito e da alma, e pode por isso, ser mudado
através do corpo e do espírito.
A humanidade tornar-se-á também capaz de mudar rapidamente e facilmente as estruturas materiais através
do poder do pensamento. Inicia-se um novo movimento de pesquisa e de descobertas sem fim, comparável
com o desenvolvimento contemporâneo dos computadores. Os corpos já não são pesados por causa do velho
trauma. O amor tornou-se o poder universal. As suas frequências curam velhas feridas. O “não” colectivo aos
impulsos da vida, originados pela longa guerra histórica serão substituídos pelo “sim” colectivo.
A amnésia colectiva será dissolvida por um processo colectivo de recordação. A humanidade irá voltar à sua
fonte comum a partir de um elevado nível: à profunda ligação com tudo o que vive. A caminho do Um.
Assim como Deus age na conexão com todos os seres.
A data de 2012 representa também a unificação dos poderes de consciência que até agora não puderam
encontrar conexão. Como parte desta tendência para a unidade, poderes cósmicos irão ligar-se a poderes
terrenos, poderes do corpo e do espírito com poderes corpóreos, forças Marianas com forças sexuais, os
poderes de Cristo com os poderes políticos, os poderes científicos com os poderes mitológicos, os poderes
técnicos com os poderes da arte. A partir destas novas conexões denominadas pela ciência como “estruturas
dissipativas”, emergirão novas e até então desconhecidas composições e sínteses.
Uma nova sociedade planetária desenvolver-se-á através da sinergia destas correntes, consistindo em
diversos elementos dos habitantes da Terra. Este movimento já começou. Consiste na conexão da mística
oriental com a ciência ocidental, de Hopis com europeus, de Xamãs com modernos especialistas em alta
tecnologia, de músicos de São Paulo, Lisboa, Jerusalém e Tamera.
Formam-se agora comunidades, em que das ditas conexões surgirão os modelos para a nova cultura
planetária. A informação destes modelos espalhar-se-á por toda a Terra, conduzindo à fundação de novos
centros comunitários. Vemos uma rede brilhante de tais centros comunitários pela Terra já em 2020, nos
quais os novos fundamentos serão definitivamente estabelecidos para um novo mundo sem medo e sem
guerra.
Trabalhemos juntos por uma nova visão da era pós-apocalíptica.
A nova Terra encontra-se actualmente em preparação.
Damo-vos graças, em nome de toda a criação, pela vossa colaboração.

-------

© Verlag Meiga 5
Para mais informações, por favor contactar:
Institute for Global Peace (IGP)
Tamera, Monte do Cerro
P-7630-303 Colos
Portugal

Tel.: 283 635 484


Fax: 283 635 374
Email: info@dieter-duhm.de
www.dieter-duhm.de

Pode baixar este texto em formato PDF a partir de: www.verlag-meiga.org


Distribuição é fomentada e permitida ao citar a fonte.

© Verlag Meiga 6