Você está na página 1de 3

PORTARIA Nº 075 , de 30 de junho de 2009.

O SECRETÁRIO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DOS RECURSOS HUMANOS,


no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 37, inciso I, alínea “a”, da Lei
Complementar Estadual nº 163, de 05 de fevereiro de 1999, e, tendo em vista o que
foi constituído no processo 28262/2009-2, considerando a necessidade de implantar o
Programa de Capacitação em Administração Pública a Distância,

R E S O L V E:

Art. 1º. Esta Portaria dispõe sobre os termos e condições para realização do Programa
de Capacitação em Administração Pública a Distância.

Art. 2º. O Programa de Capacitação em Administração Pública a Distância será


implementado pela Escola de Governo.

§ 1º. O Programa de Capacitação em Administração Pública a Distância contemplará


dois tipos de curso:
I - Curso de atualização, oferecidos a todos os servidores públicos da administração
direta e indireta do Estado,
II - Curso de extensão, ofertados a todos os servidores públicos graduados da
administração direta e indireta do Estado, após validação da sua pré-inscrição pela
Escola de Governo.

§ 2º. O pré-requisito para ingresso nos cursos de atualização é ser servidor público
estadual ativo, e para os cursos de extensão, além de ser servidor público estadual
ativo, é necessário ter escolaridade mínima de graduação e correlação com sua área
de atuação.

§ 3º. Os Cursos do Programa de Capacitação em Administração Pública a Distância


serão oferecidos exclusivamente na modalidade a distância, sem a necessidade do
servidor se ausentar do local de trabalho para frequência no curso.

Art. 3º. Serão disponibilizadas setenta mil vagas para os cursos de atualização e duas
mil vagas para os cursos de extensão, distribuídas em três ofertas em calendário a ser
fixado e divulgado no site www.escoladegoverno.rn.gov.br/ead.

Art. 4º. A Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos custeará


integralmente o Programa de Capacitação em Administração Pública a Distância por
intermédio do Fundo de Desenvolvido do Sistema de Pessoal do Estado – FUNDESPE.

Art. 5º. As inscrições nos Cursos de Extensão deverão ser feitas, consideradas as
datas definidas no cronograma de oferta dos cursos, por meio do sistema on-line.

§ 1º. Os Cursos de Atualização não contemplarão formação de turmas, mas limite de


quinhentos acessos simultâneos por curso.

§ 2º. As turmas dos Cursos de Extensão serão constituídas de, no mínimo, 40 alunos
e, no máximo, 50 alunos.

§ 3º. A Escola de Governo se reservará o direito de, excepcionalmente, alterar datas


ou cancelar cursos que não atendam ao requisito de número mínimo de alunos
inscritos ou por outro motivo de força maior.
§ 4º. No caso de cancelamento da ocorrência de um Curso de Extensão, ficará
assegurado ao aluno o direito de efetuar nova inscrição, a critério da Escola de
Governo, ou transferir sua inscrição para a oferta seguinte do mesmo curso.

Art. 6º. O aluno somente poderá inscrever-se, a cada vez, em um Curso de


Atualização.

§ 1º. A inscrição em outro Curso de Atualização ficará bloqueada até que o aluno
realize a prova on-line do curso em que está inscrito.

§ 2º. O aluno poderá realizar simultaneamente um Curso de Atualização e um Curso


de Extensão.

§ 3º.O aluno que estiver cursando em uma oferta e desejar participar da próxima
oferta deverá ter sua pré-inscrição autorizada pela Escola de Governo.

Art. 7. No ato da pré-inscrição on-line, o aluno deverá declarar estar de acordo com o
Regulamento e com o Termo de Compromisso.

§ 1º. O Termo de Compromisso será assinado digitalmente pelo aluno com o registro
de data, hora e IP do computador utilizado na inscrição.

§ 2º. O Termo de compromisso assinado digitalmente pelo aluno só terá validade após
validação da inscrição pela Escola de Governo.

Art. 8. O aluno poderá desistir de sua pré-inscrição no Curso de Extensão, até o final
do prazo de inscrição, sem que incorra em qualquer custo, mediante autorização da
Escola de Governo.

Parágrafo único – É vedada a desistência do inscrito para o curso de atualização,


ressalvada a existência de motivos relevantes, assim considerados pela Escola de
Governo, para fins de justificação.

Art. 9. O aluno que desistir do Curso de Extensão, até o 15º dia após seu início, terá o
direito de solicitar, por meio do Requerimento do Servidor à Secretaria Acadêmica da
Escola de Governo e por
meio do e-mail cancelamentoead@rn.gov.br, o cancelamento de sua inscrição.
§1º - O ato de desistência autoriza, por si só, o desconto na remuneração do
desistente, em favor do FUNDESPE, da quantia de R$ 126,00 (cento e vinte seis
reais), correspondentes a 30% do custo unitário de sua vaga no curso.
§2º - Havendo justo motivo capaz de impedir a regular freqüência ao curso o aluno
deve dirigir requerimento fundamentado ao Secretário de Estado da Administração e
dos Recursos Humanos que o apreciará e decidirá a respeito.

Art. 10. É considerado abandono de curso:


I - O caso em que o aluno não frequentar o Curso de Extensão até o 15º dia após seu
início, devendo por tal ser retirado seu acesso ao ambiente on-line,mediante
autorização da Escola de Governo.

II - O caso em que o aluno, a partir do 16º dia após o início do curso, participar do
Curso de Extensão, mas não entregar alguma das atividades on-line pontuadas
previstas até o encerramento do curso.

Parágrafo Único. Em caso de abandono não justificado ou desistência após 16º dia, o
aluno deverá reembolsar a Escola de Governo em R$ 421,00 (quatrocentos e vinte e
hum reais), valor correspondente à 100% do custo unitário de sua vaga, aplicando-se
à hipótese o disposto no inciso § 1º do art. 9º,quando couber.
§ 2º. Este valor será descontado em folha da remuneração pessoal do servidor e
depositado na conta do FUNDESPE.

Art. 11. Em caso de desistência e abandono do Curso de Extensão, o servidor ficará


impedido de inscrever-se em qualquer outro curso do Programa de Capacitação em
Administração Pública a Distância.

Parágrafo único – Não haverá a possibilidade de o aluno trancar sua matrícula


efetivada em um curso para realizá-la em outra oferta.

Art. 12. Em caso de reprovação nos cursos de extensão por não obtenção de média
final igual ou superior a 7,0, o aluno terá direito a se inscrever na próxima oferta, no
mesmo curso ou em outro que
desejar, se e somente se, sua reprovação não tiver se dado por não realização de
alguma das atividades pontuadas do curso.

Art. 13. Fica a Escola de Governo autorizada a editar atos complementares que se
façam necessários à fiel execução da presente Portaria.

Art. 14. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

PUBLIQUE. REGISTRE-SE. CUMPRA-SE.

Paulo César Medeiros


SECRETÁRIO DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO
E DOS RECURSOS HUMANOS

Publicado no Diário Oficial do Estado nº 11997 de 02 de julho de 2009.