Você está na página 1de 5

Capítulo 1 – Back to the 00’s

....................................................................................

“Bateu um certo desespero. Nem tanto pelo que a


música soava. A coisa era mais pela forma como as pessoas
da minha idade buscavam esses novos sons. Aquele pagode
mela-cueca, a overdose de axé, sem contar o sertanejo com
suas duplas ganhando mídia de maneira intensa. Em
contrapartida, comecei a escutar muito grunge e rock
internacional. Enquanto nos anos 80 eu via que as bandas
tinham uma coisa leve, eu comecei a descobrir peso. Era
triste ver que até o presidente apoiava o sertanejo.
Enquanto nos anos 80 pediam "Diretas" ao som de rock, os
anos 90 foram ao som de sertanejo até o "impeachment”.
Até mesmo as bandas nacionais que surgiam (pouquíssimas
como Raimundos) tinham o som mais pesado e não eram
muitas. Sentia falta de muitas das bandas me influenciaram.
Minha fuga foi montar uma banda pra tocar o que eu
gostava e não escutava mais em rádios: Ultraje, Blitz, João
Penca... Os anos 80 ainda estavam comigo.” – Luiz Catugy,
80maníaco

- Rodrigão!!! E aí, cara? Pô cara, valeu viu? Você foi


demais!!!

- Valeu Caio Luca! Sempre às ordens... – e Rodrigo


foi andando, tentando se desvencilhar da euforia alcoólica
de Caio.

- Cara, você foi incrível! Hoje realmente não é meu


dia, sabe? Aconteceu esse problema aí, eu tô meio doente e
tal...
- Sei sim, mas você me dá licença, amigão... Eu
tenho que fazer um favor para o Rick...

- Ah, o Rick... – e Caio Luca abraçava Rodrigo, como


se não quisesse deixá-lo ir – Cara, você sabe que o Rick é
meu irmãozão, né?

- Sei sim... – e Rodrigo não tirava os olhos da porta


do banheiro feminino, onde Luísa havia entrado.

- Mas cara, eu já tive meus problemas com ele nessa


vida, sabe como é?

- Sei sim... – Rodrigo não sabia como sair de perto


de Caio Luca sem magoá-lo. Justamente naquele momento,
o guitarrista resolvia desabafar...

- Tem hora que é muita vaidade e pouca


generosidade, sabe como é, Rodrigão?

- Sei, Caio...

Neste momento, algumas fãs chegavam e rodeavam


Caio Luca. Pediam para tirar fotos com um dos grandes
guitarristas do Brasil. Rodrigo aproveita a “folga” e chega
mais perto da porta do banheiro feminino onde escuta Luísa
falando ao celular. Ok, ela ainda estava ali. Bastava esperá-
la sair.

- E para o meu grande herói dessa noite, Rodrigão,


uma dosezinha... Vem cá, Rodrigão, você merece!!! – Caio
Luca entregava uma “dosezinha” de vodca ao roadie que
havia trocado sua guitarra rapidamente, quando uma das
cordas havia arrebentado no meio do show. Rodrigo não
costumava beber quando trabalhava, mas, naquele
momento, o serviço já havia terminado. Uma “dosezinha”
não faria mal. – Esse cara salvou a minha vida hoje! Um
brinde ao Rodrigão!!! – Caio Luca, um pouco mais “alegre”
que o normal, apresentava Rodrigo às meninas que o
rodeavam. Instantaneamente, as groupies passavam a
reparar em Rodrigo, sempre tímido, sempre discreto, mas
que ficava envaidecido sendo notado por tantas moças
bonitas e que sempre tinham olhos apenas para os
rockstars.

- Aí galera, tô podre sabia? – Caio Luca reclamava do


cansaço e se sentava em um sofá do camarim – Vai mais
uma dosezinha aí, Rodrigão?

- Er... Bem... Mais uma... – aceitava Rodrigo, com


um olho no copo e outro na porta do banheiro feminino...

- Mais uma pro Rodrigão!!! Rodrigão é meu herói!


Sabe que eu me identifico muito com Rodrigão, né? –
contava Caio Luca para suas fãs.

Rodrigo começava a sentir o cansaço daquela longa


noite de trabalho chegando. Resolveu sentar-se no sofá e
esperar aquela menina sair do banheiro. Na falta de uma
amiga para levar junto, ela fofocava ao celular. Por que essa
fascinação das mulheres por fofocar no banheiro, hein?

Rick Mauro se apresentava naquela que era uma


noite especial; sua volta aos palcos após mais de vinte anos.
Nada poderia dar errado. Suas novas músicas já eram
sucesso nas rádios, o público estava ansioso pela volta do
grande ídolo dos anos 80, a banda de Rick contava com os
melhores músicos, inclusive o melhor guitarrista do Brasil,
Caio Luca.

A música mais esperada pelo público era “Apenas o


dia seguinte”, que marcava sua volta aos palcos. Quando
Rick tocava, uma multidão cantava junto seus versos,
dançando e batendo palmas. “Apenas o dia seguinte” era o
hino de toda uma geração que via seu grande ídolo
“ressuscitar”.

No auge do refrão, a correia da guitarra de Rick se


solta. Rick tenta continuar cantando e segurando o peso da
guitarra com os joelhos, mas o instrumento começa a
escorregar. Rick olha para Rodrigo, como se pedisse
socorro. Caio Luca tenta chamar o roadie para tentar
resolver aquele problema de Rick:

- Rodrigo! Rodrigo!

Rodrigo acorda assustado. Felizmente o apuro


passado por Rick no palco era apenas um sonho do roadie
que, após algumas “dosezinhas” de vodca havia adormecido
no sofá do camarim. Ao olhar para o lado, Rodrigo via Caio
Luca adormecido.

- Rodrigão... pega mais uma dosezinha... – dizia Caio


sonolento.

Rodrigo corre para a porta do banheiro feminino. Ao


perceber a pouca movimentação em volta, ele entra e
percebe que não havia mais ninguém lá...
Este foi o primeiro capítulo de “90 Maníaca”, que será
lançado no dia 3 de setembro de 2010, às 20h46, no
www.clubedosautores.com.br

:-)

Interesses relacionados