Você está na página 1de 11

PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS

Fatos contábeis

São eventos que provocam alterações nos elementos patrimoniais de uma empresa. Tais eventos podem
se constituir em:

• Fatos permutativos
• Fatos modificativos

Fatos permulativos - apenas permutam elementos patrimoniais, isto é, envolvem apenas contas de ativo e
passivo. Exemplos:

• Compra de um veículo à vista - essa operação apenas troca um ativo (dinheiro) por outro
ativo (veículo). O patrimônio líquido não se altera.
• Aquisição de mercadorias a prazo - ocorre um aumento do ativo “mercadoria” e do passivo
exigível “fornecedores”. O patrimônio líquido não se altera.

Fatos modificativos - fatos que alteram diretamente o patrimônio líquido da empresa, isto é, envolvem
contas patrimoniais e de resultado. Exemplos:

• Receita de serviços - essa operação gera um aumento no ativo (dinheiro) e um aumento no


patrimônio líquido (receita)
• Pagamento de frete - o ativo diminui pelo pagamento do frete e o patrimônio diminui pela
despesa ocorrida
• Venda de um bem com prejuízo - o ativo é reduzido pela saída do bem e aumentado pela
entrada do numerário no valor correspondente à venda. O patrimônio líquido será
aumentado pela diferença entre o preço de venda e o custo (lucro)
• Venda de um bem com prejuízo - o ativo é reduzido pela saída do bem e aumentado pelo
numerário recebido. O patrimônio líquido é reduzido pela diferença (prejuízo)
PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS

Patrimônio Quando Fica Lançamento


Ativo Recebe + Devedor Debitado
Devedor Entrega - Devedor Creditado
Passivo Recebe - Credor Debitado
Credor Entrega + Credor Creditado
Resultado
Despesa Devedor Debitado
Receita Credor Creditado

Sistema Contábil

Contas

Neste tópico, abordaremos o sistema contábil, isto é, os meios de que se utiliza a contabilidade para
registrar as transações da empresa.

As transações de uma empresa são registradas nos livros através de contas.

As contas são utilizadas separadamente para representar cada tipo de elemento do Ativo, Passivo exigível,
Patrimônio Líquido, Despesas e Receitas. Por exemplo:

• Todas as transações que envolvem movimentação de dinheiro são registradas na conta


"Caixa"
• O valor que os proprietários investem na empresa é representado pela conta "Capital"
• As obrigações da empresa decorrentes de empréstimos poderão ser registradas na conta
"Empréstimos bancários"
• As despesas com pessoal serão registradas na conta "Despesas de salários"
• As vendas de mercadorias serão registradas na conta "Receitas de vendas", ou
simplesmente "Vendas"

Dessa forma, conta é o termo que apresenta um conjunto de elementos iguais ou semelhantes. São
exemplos:

• valores e contas a receber


• móveis e utensílios
• máquinas e equipamentos

Tipos de contas

As contas são indispensáveis para que se possam efetuar os lançamentos e são classificadas em dois
tipos:

• contas patrimoniais
• contas de resultados

Contas patrimoniais - Como o próprio nome indica, são as contas destinadas a representar o patrimônio
da empresa, isto é, o conjunto de bens, direitos, obrigações e patrimônio líquido e são reunidas em dois
grandes grupos: Ativo e Passivo.

Contas de resultado - São as contas destinadas ao registro das despesas e receitas realizadas pela
empresa durante um período e são também reunidas em dois grandes grupos: Receitas e Despesas.
PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS
Plano de contas

Conjunto de contas utilizadas pelas empresas para registro de suas operações. Cada empresa tem seu
próprio plano de contas adaptado às suas características, entretanto todos respeitam as normas de
classificação de contas definidas na legislação societária conforme veremos mais adiante.

Para efeito ilustrativo, apresentaremos a seguir um modelo simplificado de plano de contas.

Plano de contas

MODELO DE PLANO DE CONTAS DE ACORDO COM LEI 11.638/07.


1. ATIVO
1.1 ATIVO CIRCULANTE

1.1.1 Disponível
1.1.1.01 Caixa
1.1.1.02 Banco c/Movimento
1.1.1.02.01 Banco X
1.1.1.02.02 Banco Y
1.1.1.03 Aplicação de Liquidez Imediata
1.1.1.04 Cheques em Cobrança
1.1.1.05 Numerários em Trânsito

1.1.2 Valores a Receber


1.1.2.01 Duplicatas a Receber
1.1.2.02 (-) Duplicatas Descontadas
1.1.2.03 (-) Provisão p/Devedores Duvidosos
1.1.2.04 Impostos a Recuperar
1.1.2.04.01 ICMS a Recuperar
1.1.2.05 Cheques a Receber
1.1.2.06 Adiantamento a Fornecedores
1.1.2.07 Adiantamento a Empregados

1.1.3 Estoques
1.1.3.01 Matérias - Primas
1.1.3.02 Material Secundário
1.1.3.03 Produtos em Elaboração
1.1.3.04 Produtos Acabados
1.1.3.05 Mercadorias
1.1.3.06 Material de Expediente

1.1.4 Despesas Antecipadas


1.1.4.01 Seguros a Vencer
1.1.4.02 Encargos Financeiros a Apropriar
PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS
1.1.4.03 Assinaturas e Anuidades

1.2 ATIVO NÃO CIRCULANTE

1.2.1 Realizável a Longo Prazo


1.2.2 Títulos a Receber
1.2.3 Depósitos Judiciais
1.2.4 Adiantamentos a Sócios
1.2.5 Adiantamentos a Acionistas
1.2.6 Empréstimos a Coligadas
1.2.7 Empréstimos a Controladas

1.2.8 Investimentos
1.2.8.01 Ações de Controladas
1.2.8.02 Ações de Coligadas
1.2.8.03 Ações de Outras Empresas

1.2.9 Imobilizado
1.2.9.01 Edificações
1.2.9.02 Móveis e Utensílios
1.2.9.03 Veículos
1.2.9.04 Ferramentas
1.2.9.05 Máquinas e Equipamentos
1.2.9.06 Reflorestamentos
1.2.9.51 (-) Depreciação Acumulada Edificações
1.2.9.52 (-) Depreciação Acumulada Móveis e Utensílios
1.2.9.56 (-) Exaustão Acumulada Reflorestamentos

1.2.10 Intangível
1.2.10.01 Fundo de Comércio Adquirido
1.2.10.02 Bens Incorpóreos
1.2.10.99 (-) Amortização Acumulada

2. PASSIVO

2.1 PASSIVO CIRCULANTE

2.1.1 Fornecedores
2.1.2 Duplicatas a Pagar
2.1.3 Salários a Pagar
2.1.4 INSS a Recolher
2.1.5 FGTS a Recolher
PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS
2.1.6 Provisão p/ 13º Salário
2.1.7 Dividendos a Pagar
2.1.8 Imposto de Renda a Recolher
2.1.9 Contribuição Social a Recolher
2.1.10 Provisão p /Férias
2.1.11 ICMS a Recolher
2.1.12 PIS Receita Bruta a Recolher
2.1.13 Cofins Receita Bruta a Recolher
2.1.14 PIS Importação a Recolher
2.1.15 Cofins Importação a Recolher
2.1.20 Empréstimos Bancários

2.2 PASSIVO NÃO CIRCULANTE

2.2.1 Adiantamento de Sócios


2.2.2 Adiantamento de Acionistas
2.2.3 Empréstimos de Coligadas
2.2.4 Empréstimos de Controladas

2.3 PATRIMÔNIO LÍQUIDO

2.3.1 Capital Social Subscrito e Integralizado


2.3.1.01 Capital Subscrito
2.3.1.02 (—) Capital a Integralizar
2.3.1.02.01 (—) Sócio 1
2.3.1.02.02 (—) Sócio 2

2.3.2 Reservas de Capital


2.3.3 Ajustes de Avaliação Patrimonial
2.3.4 Reservas de Lucros
2.3.4.01 Reserva Legal
2.3.4.02 Reserva de Incentivos Fiscais
2.3.5 (-) Ações em Tesouraria
2.3.6 (-) Prejuízos Acumulados
2.3.9 Resultado Transitório do Exercício em Curso

3. RECEITAS

3.1 Receitas Operacionais

3.1.1 Vendas
3.1.1.01 Receita de Vendas de Produtos
PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS
3.1.1.02 Receita de Vendas de Mercadorias
3.1.1.03 Receita de Prestação de Serviços

3.1.2 Financeiras
3.1.2.01 Juros Ativos
3.1.2.02 Juros de Aplicações Financeiras
3.1.2.03 Descontos Obtidos
3.1.2.04 Variações Monetárias e Cambiais Ativas

3.1.3 Outras Receitas


3.1.3.01 Aluguéis e Arrendamentos
3.1.3.02 Vendas de Sucatas e Resíduos

3.1.3.03 Dividendos e Lucros Recebidos


3.1.3.04 Indenizações Recebidas
3.1.3.05 Receita na Venda de Bens do Ativo Não Circulante
3.1.3.06 Resultado Positivo da Equivalência Patrimonial

4. DESPESAS

4.1 Despesas Operacionais

4.1.1 Despesas Administrativas


4.1.1.01 Honorários da Diretoria
4.1.1.02 Salários e Ordenados
4.1.1.03 Encargos Sociais
4.1.1.04 Energia Elétrica
4.1.1.05 Material de Expediente
4.1.1.06 Indenizações e Aviso Prévio
4.1.1.07 Manutenção e Reparos
4.1.1.08 Serviços Prestados por Terceiros
4.1.1.09 Seguros
4.1.1.10 Telefone
4.1.1.11 Propaganda e Publicidade

4.1.2 Despesas com Vendas


4.1.2.01 Honorários da Diretoria
4.1.2.02 Salários e Ordenados
4.1.2.03 Encargos Sociais
4.1.2.04 Energia Elétrica
4.1.2.05 Material de Expediente
4.1.2.06 Indenizações e Aviso Prévio
PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS
4.1.2.07 Manutenção e Reparos
4.1.2.08 Serviços Prestados por Terceiros
4.1.2.09 Seguros
4.1.2.10 Telefone
4.1.2.11 Propaganda e Publicidade

4.1.3 Despesas Financeiras

4.1.3.01 Juros Passivos

4.1.3.02 Variações Monetárias e Cambiais Passivas

4.1.3.03 Descontos Concedidos

4.1.4 Outras Despesas

4.1.4.01 Custo das Vendas do Ativo Não Circulante


4.1.4.02 Provisões para Perdas Permanentes
4.1.4.03 Resultado Negativo da Equivalência Patrimonial

Lançamento contábil

O lançamento é o ato de registrar contabilmente qualquer transação efetuada. Estes são resumidos em
fichas, planilhas ou "vouchers" que indicam quais contas sofrerão alteração, o valor da operação e um breve
resumo da operação denominado contabilmente de histórico.

O método das partidas dobradas

A contabilidade usa, para o registro, o método das partidas dobradas, isto é, a cada lançamento de débito
corresponde um ou mais lançamentos de créditos, de modo que o valor total dos débitos é sempre igual ao
dos créditos. Para se representar graficamente uma conta, usamos o razonete, também chamado de conta
em T; na parte superior, colocamos o nome da conta, o lado esquerdo será usado para registrar os débitos,
o direito para registrar os créditos.

Como exemplo, vejamos a movimentação da conta "Caixa". O recebimento de $ 1.200 seria assim
registrado:

por outro lado, o pagamento de $ 800 seria assim registrado:


PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS

A conta "Caixa", após o registro dessas transações, ficaria com saldo devedor de $ 400:

O mecanismo de debitar e creditar

Para entender facilmente o mecanismo de debitar e creditar uma conta, é importante conhecer conceitos de
ativo, passivo e patrimônio líquido, bem como as alterações que cada transação provoca neste, ou seja, os
aumentos e as diminuições.

As contas do ativo representam os devedores da entidade, os quais aumentam por débitos e diminuem por
créditos.

Inversamente, as contas do passivo exigível representam os credores da entidade, os quais aumentam por
créditos e diminuem por débitos.

As contas do patrimônio líquido representam os créditos dos proprietários junto à entidade e têm o mesmo
funcionamento das contas do passivo exigível, isto é, aumentam por créditos e diminuem por débitos.

Resumindo, as contas do ativo aumentam por débitos e diminuem por créditos. No passivo exigível e no
patrimônio líquido, as contas têm funcionamento inverso, isto é, aumentam por créditos e diminuem por
débitos.

Como exemplo, podemos citar que duas pessoas formam uma sociedade, cada qual entregando $ 10.000
ao gerente da empresa, que deposita o valor em um banco.

A empresa passou a ter a propriedade de $ 20.000 surgindo, portanto, o seu ativo.

Como o ativo aumenta por débito, devemos debitar uma conta que também representa o dinheiro à
disposição da empresa. No caso, "Banco - conta - movimento" pois o banco recebeu o dinheiro e se tornou
devedor da entidade. No passivo exigível, não houve variação, portanto nenhuma conta será debitada ou
creditada.

A empresa deve registrar o valor investido pelos proprietários, o que representa um aumento no patrimônio
líquido; este aumenta por créditos, logo, devemos creditar uma conta que represente o investimento dos
proprietários, isto é, devemos creditar a conta de capital pois os proprietários entregaram o dinheiro e se
tornaram credores da entidade. Em razonetes teríamos o seguinte lançamento:

débito crédito

Vejamos como é contabilizada uma compra de mercadorias a prazo no valor de $ 10.000.

débito crédito

As variações ocasionadas por essa transação são as seguintes:

• Foi aumentado o ativo da empresa; a conta "Estoque de Mercadorias" será debitada em $


10.000 porque o estoque recebeu a mercadoria e se tornou devedor da entidade.
• No caso, não houve variação no patrimônio líquido.
PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS
Observe que, nos dois exemplos dados, o total de débitos é exatamente igual ao total de créditos,
atendendo o método das partidas dobradas. As receitas aumentam o patrimônio líquido, e as despesas o
diminuem.

Dessa forma, a determinação dos débitos e créditos nas contas de despesas e receitas é feita do mesmo
modo que para as contas do patrimônio líquido, observando-se que:

• um aumento nas contas de receitas representa uma diminuição no patrimônio líquido;


assim, as contas de despesas aumentam por débitos. As despesas diminuem a riqueza real
de uma entidade (patrimônio líquido) e, conseqüentemente, diminuem o crédito dos
proprietários.
• um aumento nas contas de receitas representa um aumento no patrimônio líquido, o que
significa dizer que as contas de receita aumentam por créditos. As receitas aumentam a
riqueza real de uma entidade e, conseqüentemente, aumentam o crédito dos proprietários.

Como exemplo desse caso, citamos que a empresa paga, em dinheiro, o salário dos empregados devido no
mês no valor de $1.000.

débito crédito

• A conta "Despesas de salário" será debitada por $ 1.000 (aumento das despesas). O
patrimônio líquido será reduzido e, conseqüentemente, diminui o crédito dos proprietários.
• A conta "Caixa" será creditada por $ 1.000 (diminuição do ativo). O caixa entregou o
dinheiro e se tornou menos devedor da entidade.

Outro exemplo é o de que a empresa recebe $ 2.000 referentes a serviços prestados no mês:

débito crédito

• A conta "Caixa" será debitada por $ 2.000 representando um aumento no ativo. O caixa
recebeu o dinheiro e se tornou mais devedor da entidade.
• A conta "Receitas de serviços" será creditada por $ 2.000 representando um aumento das
receitas, logo, aumento também do patrimônio líquido. O patrimônio líquido será aumentado
e, conseqüentemente, os proprietários se tornam mais credores da entidade.

Livros Contábeis

Falaremos agora sobre os livros utilizados para registro das transações.

O Diário Geral é o nome dado ao registro legal das transações de uma empresa. Nele devem ser
registradas, em ordem cronológica, todas as transações da empresa que possam ser expressa em termos
monetários.

Ele deve conter de abertura e encerramento na primeira e na última página; deve ser numerado
tipograficamente, redigido a tinta e, finalmente, registrado na junta comercial.

Atualmente, a maioria das empresas utiliza sistema de processamento eletrônico de dados e os livros
contábeis são substituídos por fitas ou discos magnéticos.

Vejamos como seriam contabilizados, no diário, o saque para suprimento de caixa e a cobrança de uma
duplicata a receber.
PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS
Em primeiro lugar, deve constar a data da operação, depois a conta debitada e conta creditada; em
seguida, valor da operação e, finalmente, um breve histórico da transação.

São Paulo, 21 de abril de 19X3


Caixa...................................................................................................100
a Bancos – contas movimento.........................................................100

Os mesmos passos seriam seguidos para o registro da cobrança da duplicata a receber.

A data da operação, conta debitada e conta creditada, valor da operação e um breve histórico da transação

São Paulo, 21 de abril de 19X3


Bancos – conta – movimento a duplicatas a receber ...............................................200
Recebimento de duplicatas nº 483 de JHP S.A ..........................................................200

Outro livro indispensável para o registro contábil é o Razão. Pode ser um livro ou, o que é mais comum, um
conjunto de fichas ou folhas numeradas seqüencialmente. No livro Razão, há uma ficha para cada conta e
nessa ficha são registrados todos os lançamentos de débito e crédito apurando-se o saldo da conta a cada
lançamento.

O razão tem, no mínimo, uma folha para cada conta. Essas folhas, no conjunto, formam o Livro Razão.

Existe uma grande variedade de modelos de fichas de razão. Uma ficha adequada deve conter:

• título da conta movimentada;


• código da conta movimentada;
• código da conta recebeu a contrapartida;
• número do lançamento.

Atualmente, na maioria das empresas, a contabilidade é registrada através de sistema eletrônico de


processamento de dados, o qual emite periodicamente (normalmente é mensal) o Livro Razão e o Diário
Geral.

Demonstração do Resultado do Exercício

Esta peça contábil sintetiza as operações realizadas pelas entidades em determinado intervalo de
tempo, permitindo a apreciação de diversos aspectos de eficiência empresarial, sejam eles
operacional, administrativo ou financeiro. Sua elaboração se processa na mesma época do
fechamento do Balanço Patrimonial, mas precede-o e se reveste de elevada importância pois os
acionistas aguardam notícias sobre dividendos, o Governo espera por impostos, os empregados
desejam sua justa participação nos lucros e ainda há outros interessados, pelos mais diversos
propósitos e interesses pela informação.
Esta é a demonstração contábil que mais fornece indicadores para o planejamento e o
acompanhamento dos planos estratégicos na dimensão econômico-financeira da organização,
especialmente no que se refere a receitas, despesas e resultado (lucro ou prejuízo). Através de seus
números, também é possível chegar a causas operacionais e comportamentais, face à riqueza de
informações. Evidentemente que, quando elaborada a partir de um plano de contas bem estruturado
e sintonizado com as peças orçamentárias e de planejamento, seus dados expõem o grau de
competência da alta administração e dos gerentes da companhia na tarefa de criar valor para os
acionistas.
Ao discriminar as diversas rubricas que formaram o lucro ou prejuízo do período, esse relatório
retrata para a história da companhia como as estratégias, as medidas e as metas de todos os níveis
organizacionais contribuíram para a criação de valor para os acionistas ou proprietários. A
Demonstração do Resultado do Exercício – DRE, pode Ser resumida conforme modelo a seguir:
PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS

Estrutura da Demonstração do Resultado do Exercício

RECEITA BRUTA
(-) Deduções à receita bruta
Impostos Faturados
Devoluções e Abatimentos
RECEITA LÍQUIDA
(-) CUSTO DAS VENDAS
RESULTADO BRUTO
(-)DESPESAS OPERACIONAIS
Despesas de Vendas
Despesas Administrativas e Gerais
Despesas Financeiras - Líquido
OUTRAS RECEITAS E DESPESAS OPERACIONAIS
Resultado de Participações em Outras Sociedades
Venda de Sucatas e Resíduos
RESULTADO OPERACIONAL
RESULTADO NÃO OPERACIONAL
Ganhos e Perdas de Capital nos Investimentos
Ganhos e Perdas na Alienação do Imobilizado
RESULTADO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA E DA
CONTRIBUIÇÃO SOCIAL
Contribuição Social
Provisão para o imposto de renda
RESULTADO ANTES DAS PARTICIPAÇÕES E DAS
CONTRIBUIÇÕES
Debênturistas
Empregados
Administradores
Partes Beneficiárias
Fundos de Assistência ou Previdência a Empregados
LUCRO (PREJUÍZO) DO EXERCÍCIO
LUCRO POR AÇÃO

Fonte: Lei 6.404/76, artigo 187