Você está na página 1de 1

Contestao (Penal)

P. 123/04.5TBMTS Exmo. Senhor


Juiz do 1 Juzo Criminal do
Tribunal da Comarca de Matosinhos

Artur Machado, arguido j id. nos autos de Processo Comum


margem referenciados vem apresentar a sua
Contestao
nos termos e fundamentos seguintes:

1
No dia hora e local referidos na acusao o arguido era de facto o condutor do veiculo ligeiro de pas-
sageiros matricula 00-00-AA.
2
No entanto, e bem ao contrrio do alegado na mesma acusao, o arguido conduzia aquele veculo
observando todas as cautelas exigidas e exigveis a quem conduz veculos na via pblica, nomeadamente
no que velocidade de circulao respeitava.

3
Mas porque s o arguido observava tais normas no foi possvel evitar o acidente.
4
Isto porque aquele se ficou a dever unicamente ao facto de o malogrado condutor do velocpede ter,
de forma inesperada e repentina, surgido na frente do veiculo conduzido pelo arguido.
5
Cruzando a via em que este seguia da direita para a esquerda do arguido.
6
No se apercebendo sequer que o veiculo conduzido pelo arguido se encontrava j muito perto do
cruzamento.
7
Pelo seu lado o arguido, quando repentinamente se lhe deparou o velocpede e na tentativa de evitar
o acidente, desviou o seu veiculo para a respectiva esquerda.
8
Mas, porque o condutor do velocpede no havia tomado quaisquer precaues para a transposio
do cruzamento, nomeadamente verificando se algum veiculo prioritrio circulava na Rua do Facho, e
tambm porque foi capaz de deter a sua marcha dentro da metade direita da via, no foi possvel evitar
o acidente.
9
Face ao exposto demonstrado fica que o acidente aqui em causa no ocorreu por facto imputvel ao
arguido.
10
Pelo que se impe a sua Absolvio.
11
A isto acresce que o arguido um condutor diligente, prudente e cuidadoso
12
Por outro lado sendo certo que, e conforme o supra exposto, nenhuma responsabilidade no acidente
imputvel ao arguido/demandado nenhuma responsabilidade indemnisatria lhe poder ser exigida.

Termos em que dever a presente acusao ser julgada


improcedente por no provada e o Arguido absolvido, bem
como julgado improcedente o pedido de indemnizao contra
si formulado, com todas as legais consequncias.
Arrola como Testemunhas
1 - Nuno ____________, solteiro, maior, residente na Rua ___________________________, em Matosinhos
2 - Albina _______________________, solteira, maior, residente na Rua _________ _________, em Matosinhos
Testemunhas (art. 128, n2 do CPP)
3 Anbal ___________________, casado, residente na Rua _______________________, em Matosinhos
4 Maria ___________________, casada, residente na Rua _______________________, em Matosinhos
Junta: Duplicados legais
O Advogado:
Pg. 1 de 1

Você também pode gostar