Giulio David Leone

Disciplina: Geografia Docente: Claudemir Mazucheli Canhin mazucheli@yahoo.com.br

http://profcmazucheli.blogspot.com/

A Questão Agrária Brasileira

São Paulo Agosto de 2009

Bibliografia
A Reforma Agrária no Brasil, Clóvis Antunes Carneiro de Albuquerque Filho, acesso em: <http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=1 672> A Questão Agrária no limiar do século XXI. Bernardo Mançano Fernandes. Acesso em: <http://www.dacat.com.br/material_didatico/agr aria/Questaoagraria.pdf> Agronegócio e Reforma Agrária. BERNARDO MANCANO FERNANDES. Acesso em: <http://www4.fct.unesp.br/nera/publicacoes/Agr onegocioeReformaAgrariA_Bernardo.pdf> Questão Agrária, Pesquisa e MST. BERNARDO MANCANO FERNANDES

Bibliografia
A geografia das lutas no Campo. Ariovaldo Umbelino Oliveira. MST – Formação e territorialização. Bernardo Mançano Fernandes Violência no Campo: o latifúndio e a reforma agrária. Júlio José Chiavenato. A questão Agrária. João Pedro Stedile. O Estado e as políticas territoriais no Brasil. Wanderley Messias Costa UDR. União Democrática Ruralista. Acesso em: http://www.udr.org.br/

Raízes Históricas do Campesinato Brasileiro. Maria de N. B. Wanderley. Acesso em <http://gipaf.cnptia.embrapa.br/publicacoes/artigos-etrabalhos/nazareth96-1.pdf> A questão agrária no Brasil. João Pedro Stedle. Violência no Campo: o latifúndio e a reforma agrária, Julio José Chiavenato.

Questões Iniciais
Há problemas no campo brasileiro? O movimento dos sem-terras é um movimentos violento e terrorista? O que é violência? Precisamos de uma reforma agrária?

Vídeo

O Brasil apresenta um dos maiores índices de concentração fundiária do mundo: quase 50% das propriedades rurais têm menos de 10ha e ocupam apenas 2,36% da área do país. E menos de 1% das propriedades rurais (46.911) têm área acima de 1 mil ha cada e ocupam 44% do território. As propriedades com mais de 2.500ha são apenas 15.012 e ocupam 98,5 milhões ha: 28 milhões de hectares a mais do que quase 4,5 milhões de propriedades rurais com menos de 100ha.

(IBGE, 2006).

“500 grandes empresas Transnacionais controlam 52% do PIB Mundial e dão emprego apenas para 8% da classe trabalhadora”. João Pedro Stedile - MST

Nossa Realidade!
Classe-que-vive-do-trabalho

+ R$3.000

R$1200,00

+ 85% R$650,00
19%

20% Abaixo da linha da pobreza

Rio de Janeiro

Muita Gente e pouco espaço

Pernambuco

Muita Gente e pouco espaço

Bahia

Muita Gente e pouco espaço

Paraisópolis – São Paulo

Muita Gente e pouco espaço

Jardim Iporanga – São Paulo

Muita Gente e pouco espaço

HAITI - 2010

Vídeo

Enquanto isso nos ambientes palacianos...

Elite Vagabunda

Por ano: R$ 19.200.000 Por mês: R$ 1.818.764 Por semana: R$ 419.713 Por dia: R$ 83.940 Por hora: R$ 3.497

Por ano: R$ 56.000.000 Por mês: R$ 4.600.000 Por semana: R$ 1.500.000 Por dia: R$ 215.000 Por hora: R$ 9.000

Vadiagem na TV brasileira

Moema

América Central - Caribe

Como e porque isso ocorre?

Como Funciona a exploração

Fonte: CONSULTA POPULAR

Presidente, Governadores, prefeitos, deputados, Juizes senadores e vereadores, empresários, Comerciantes e Fazendeiros.

CAPITALISMO Nós mandamos em vocês Nós enganamos vocês Nós atiramos e matamos vocês

Papa, Bispo, Padres e Pastores

Polícia e Exercito

Artistas, Jogadores,

Nós compramos e comemos por todos

Classe trabalhadora Nós trabalhamos por todos Nós alimentamos Todos

E o campo brasileiro? É afetado por isso?

Trabalho Escravo em pleno século XXI
1° caso. O ministério do trabalho já havia flagrado mais de 450 pessoas trabalhando sob péssimas condições na usina de açúcar em Laginha, Alagoas. 2°caso - Pai de Airton Senna é acusado de trabalho escravo. Em sua fazenda foi encontrado 82 trabalhadores em condiçã o análoga à de escravo
Fonte: Ministério Público do Trabalho

Vídeo

Questão agrária
È o movimento do conjunto de problemas relativos ao desenvolvimento da agropecuária e das lutas de resistência dos trabalhadores, que são inerentes ao processo desigual e contraditório das relações capitalistas de produção.
(FERNANDES, A Questão Agrária no limiar do século XXI)

Questão agrária
Os problemas referentes a questão agrárias estão relacionados essencialmente, à propriedade da terra. E conseqüentemente...

Questão agrária envolve:
1. 2.

3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12.

À concentração da estrutura fundiária; Aos processos de expropriação, expulsão e exclusão dos trabalhadores rurais: camponeses e assalariados; À luta pela terra, pela reforma agrária e pela resistência na terra; À produção, abastecimento e segurança alimentar; Às políticas agrícolas; Ao acesso ao mercado; Ao Campo e a Cidade; À qualidade de vida e a dignidade humana. Á renda capitalizada da terra; Á superexploração do trabalho e trabalho degradante; Ao agronegócio e agricultura de precisão; Ao impactos ambientais;

A questão agrária não será solucionada no capitalismo
È um elemento estrutural do capitalismo. O conjunto de problemas é constante; Pode-se amenizá-lo, diminuir suas escalas.

Para minimizar os efeitos da Questão agrária..
As lutas pela terra e pela reforma agrária; políticas governamentais

Teoria expropriação da da Renda da Terra
O pequeno agricultor, o camponês está em constante processo de destruição e recriação dentro do sistema capitalista.

2 Assalariado

3 Desempregado

Capitalista

1 Camponês

Luta Pela Terra
Ocupação, acampamentos, Protestos, marchas...

4 Lupem proletariado Sem-Trabalho

Como o capitalismo destrói e recria o campesinato?
Reprodução ampliada do capital na industria:
Reprodução ampliada do Capital na cidade Matéria prima Trabalho Lucro Mais-Valia Preço do Produto 40 10 20 30 10
80 100
Nas crises Os preços dos produtos caem. Diminuição dos os salários, Aumenta extração de mais-valia

Reprodução ampliada do capital no Campo Custo de produção de um produto
Capitalista Sementes Adubo Com Terra Sementes Adubo Trabalho Familiar Lucro Posse da Terra Total

Sem -Terra 10 20 20 20
Sementes Adubo Trabalho Familiar Lucro Renda da terra Total

10 20

10 20 20 20 30 100

Trabalho assalariado 10 + 10 Lucro Posse da Terra Total

20 30 100

30 100

Preço do produto para o mercado

Nas crises ou nas oscilações do mercado , os preços dos produtos caem, provocando mudanças na tabela.
Se o valor de venda do produto cair 20% excesso de produção monopólio das redes de distribuição Controle das transnacionais (bolsas)

Reprodução ampliada do capital no Campo Custo de produção de um produto
Capitalista Sementes Adubo Com Terra Sementes Adubo Trabalho Familiar Lucro Posse da Terra Total

Sem -Terra 10 20 20
20 Sementes Adubo Trabalho Familiar Lucro Renda da terra Total

10 20

10 20 20
20

Trabalho assalariado 10 + 10 Lucro Posse da Terra Total 20

30 100 80

30 80 100

30
80 100

Preço do produto para o mercado

Se o valor de venda do produto cair 50% excesso de produção monopólio das redes de distribuição Controle das transnacionais (bolsas de valores)

Reprodução ampliada do capital no Campo Custo de produção de um produto
Capitalista Sementes Adubo Com Terra Sementes Adubo Trabalho Familiar Lucro

Sem -Terra 10 20 20
e
Sementes Adubo

10 20

10 20 20
20 30 50 100

Po Co nc Co uc en mp os tr ra Lu aç t c ão er ro s Fu ras nd iá ri a

20

20 30

Posse da Terra Total

30

100 50

Posse da Terra Total

100 50

Renda da terra Total

Preço do produto para o mercado

Se m

Lucro

Lucro

-T er ra

Trabalho assalariado 10 + 10

Tr ab al Fo ho m Se de e m -T gra er d ra an t

Trabalho Familiar

O que sempre acontece ...
Esse desenvolvimento desigual e combinado gera uma diferenciação social com o enriquecimento de uma parcela e o empobrecimento da grande maioria. Quem paga a renda da terra sempre é a sociedade, preços mais altos que o produto realmente vale.

O que sempre acontece ...
Se por um lado ao entrar na competição do mercado os arrendatários ou os camponeses, pequenos produtores acabam ou sendo expropriados de suas terras se transferindo para as cidades se transformando em assalariados urbanos ou sendo assalariados do campo. Por outro lado nesse processo de diferenciação ao mesmo tempo em que o capital destrói uma parcela do campesinato em um lugar recria-o em outro lugar e em outro tempo. Seja através da resistência as tentações do mercado, produzindo somente para a subsistência ou buscando inserir-se novamente na terra por meio da luta.

O que resta aos trabalhadores ?
Políticas públicas por parte do Estado; Luta dos trabalhadores.

Luta dos trabalhadores
só lhes resta lutar para mudar esse “destino”. “Em sua reprodução ampliada, o capital não pode assalariar a todos, sempre excluindo grande parte dos trabalhadores. A manutenção do exercito de reserva, por meio do controle do desemprego , e o interesse do capital em se apropriar da renda da terra ocasionam as condições de luta contra o capital”.
(FERNANDES, A Questão Agrária no limiar do século XXI)

Estratégia de Luta
Organização dos camponeses expropriados ou em processo de exclusão Formação dos movimentos socioterritoriais de luta pela terra

Políticas públicas por parte do Estado
Nesse contexto o Estado vem amenizar as escaramuças entre o capital e os trabalhadores. O estado tem o papel determinante na elaboração de políticas públicas que garantam a diminuição das desigualdades geradas pelo processo de diferenciação. Nos países que o estado cumpre seu papel (Europa), com políticas públicas de controle fundiário, crédito, e subsídios para os camponeses, o processo de expropriação é menos intenso.

No Brasil...
O Estado e o Congresso são controlados pelos interesses do empresariado e dos ruralistas, são raríssimas as políticas públicas que contribuam para o desenvolvimento da agricultura camponesa.

Reforma agrária
A reforma agrária não é contra a propriedade privada no campo. Ao contrário, descentraliza-a democraticamente, favorecendo as massas e beneficiando conjunto da nacionalidade. É um imperativo da realidade social atual, devendo atender a função social da propriedade, evitando-se assim, as tensões sociais e conflitos no campo. Uma no País, moderada e sábia, será uma das causas principais do progresso nacional

Função Social
O Estado mesmo reconhecendo o direito à propriedade privada tem o poder de intervir em todos os bens que se encontram em seu território. São meio de intervenção na propriedade: a desapropriação, a servidão administrativa, a ocupação, a requisição e a limitação administrativa.

Reforma agrária - Mundo
EUA – 1862 – 65 ha de terras para cada colono; Japão – feita pelos EUA depois da 2ª Guerra Mundial; Coréia – Década de 1950; México – O único país que realmente fez a reforma agrária: 1910, 1934, 1940 e 1960. Egito – 1952, 1942 fixação do limite máximo de propriedades (42 ha)

Tamanhos médio das propriedades no mundo
Inglaterra – 68 ha Finlândia – 19 ha Irlanda – 16 há França – 24 ha Itália – 7 ha Suécia – 17 ha Holanda - 16 ha Dinamarca – 20 ha

Eua depois do processo de mecanização 200 ha Brasil – 600 ha

Estrutura Fundiária

Estrutura Fundiária

Principais Agentes Envolvidos...
Agro-empresários (agronegócio) Camponeses (pequenos agricultores, arrendatários, parceiros, meeiros, colonos, quilombolas, ribeirinhos, pantaneiros, caiçaras, indígenas, seringueiros, quebradeiras de coco de babaçu, entre outros).

Campesinato / Camponês
Enquanto, a agricultura capitalista se realiza a partir da exploração do trabalho assalariado e do controle político do mercado; a agricultura camponesa ou familiar é intensamente explorada por meio da renda capitalizada da terra, ficando somente com uma pequena parte da riqueza que produz, a maior parte é apropriada pelas empresas que atuam no mercado.

Porque Lutamos?

Campesinato
As agricultura camponesa representam, hoje, cerca de 5 milhões de famílias (84% do total); Ocupam 20% da área ocupada do Brasil. Ocupa 77% da mão-de-obra no campo
O “Agronegócio” para cada 200 ha = 1 posto de trabalho Agricultura camponesa, para cada 8 ha = 1 posto de trabalho Reforma agrária = Emprego (+20x)
OLIVEIRA, Ariovaldo. A Agricultura Camponesa no Brasil

Porque fazer a Reforma Agrária?
Produção nas pequenas Propriedades arroz - 39% feijão - 79% café - 70% Leite - 55% mandioca - 93% tomate - 77% batata-inglesa - 74% banana - 85% trigo - 61% mamão - 60%
Uva - 97% soja - 34% laranja - 51% guaraná - 92% algodão - 56% Milho - 55% cacau - 75% pimenta - 74% Caju - 72% Coco - 67% maçã - 35%

OLIVEIRA, Ariovaldo. A Agricultura Camponesa no Brasil

Porque fazer a Reforma Agrária?
Produção nas pequenas Propriedades
Quanto as principais commodities produz: 27% do rebanho bovino 87% do rebanho suíno 88% do plantel das aves 64% da produção dos ovos Detêm também a maioria absoluta (mais de 90%) da produção dos hortigranjeiros.
OLIVEIRA, Ariovaldo. A Agricultura Camponesa no Brasil

Agricultura Camponesa
Foi responsável por 46% do valor da produção agropecuária e por 43% da renda gerada no campo. Enquanto isso, as grandes propriedades que controlam mais de 44% da área ocupada total, foram responsáveis por apenas 21% do valor da produção e 23% da renda gerada. As médias propriedades que controlam 36% da superfície ocupada ficaram com a diferença, ou seja, 32% do valor da produção e 34% da renda.
OLIVEIRA, Ariovaldo. A Agricultura Camponesa no Brasil

Nossa Luta..
Superar a pobreza, o desemprego e a desigualdade social que existem no meio rural brasileiro;

Nossa Luta..
Que tire da pobreza os 30 milhões que vivem em condições de pobreza absoluta, e de calçados aos 20 milhões nunca tiveram um par de sapatos, que de comida aos 50 milhões de brasileiros passam fome todos os dias. Que dê condições para os 92% da população brasileira chega à universidade, que de oportunidade aos 60 % de nordestinos que reside no meio rural para livrar-se só analfabetismo.

“Pela democratização da propriedade da terra. Fixar limites do tamanho máximo da propriedade. Priorizar a desapropriação de todos os latifúndios. Depois implementar um plano de Estatização todas as terras brasileiras; Expropriar os grandes transnacionais que controlam a produção de alimentos; Expropriar as redes de hipermercados no brasil;

Garantia de renda mínima, a partir da valorização do trabalho do agricultor, a todas as famílias que vivem no meio rural... Criação de linha de crédito subsidiada para todos os pequenos produtores... Recursos de crédito especial e subsidiado para agroindústria associativa e cooperativada... Suspensão do pagamento da dívida externa brasileira: que consome bilhões de dólares anuais, e proibição de remessa de lucros, e aplicação desses recursos nesse plano de desenvolvimento rural... Ampliação e execução do Imposto Territorial Rural como forma de tributar os latifúndios, e aplicar esses recursos na reforma agrária”

O que deixamos para discussão
padrão tecnológico sob controle dos trabalhadores (do agronegócio ao consórcio modular, ao condomínio industrial, etc. A imprescindibilidade da Reforma Agrária: autônoma, soberana e sob controle dos trabalhadores; fortalecimento da agricultura camponesa, familiar, a organização coletiva e demais formas comunitárias de org. dos trabalhadores ; soberania alimentar como referência de autonomia e emancipação dos povos, com base na policultura; abaixo as monoculturas e os desertos verdes; e por um mundo rural vivo e livre dos transgênicos

O que deixamos para discussão
conservação da biodivesidade; rechaçar o formato único de mundo (padronização de hábitos, consumo, consensos) - mcdonaldinzação aprofundar reflexões sobre o destrutivismo do capital, apostar e investir em alternativas anti-capital; Estreitar as relações com os movimentos Sociais, trabalhadores(as), sindicalistas, pesquisadores(as), estudantes:;
Buscar novas formas de uso e exploração do território

Sociedade livre, solidária e para além do capital

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Art. 1º Todos os homens nascem livres e iguais

em dignidade e direito. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

MST – Objetivos Gerais
objetivos gerais: 1. Construir uma sociedade sem exploradores e onde o trabalho tem supremacia sobre o capital; 2. A terra é um bem de todos. E deve estar a serviço de toda a sociedade; 3. Garantir trabalho a todos, com justa distribuição da terra, da renda e das riquezas; 4. Buscar permanentemente a justiça social e a igualdade de direitos económicos, políticos, sociais e culturais; 5. Difundir os valores humanistas e socialistas nas relações sociais; 6. Combater todas as formas de discriminação social e buscar a participação igualitária da mulher.

MST - síntese de seu programa de reforma agrária
7. Modificar a estrutura da propriedade da terra; 8. Subordinar a propriedade da terra à justiça social, às necessidades do povo e aos objetivos da sociedade; 9. Garantir que a produção da agropecuária esteja voltada para a segurança alimentar, a eliminação da fome e ao desenvolvimento econômico e social dos trabalhadores; 10. Apoiar a produção familiar e cooperativada com preços compensadores, crédito e seguro agrícola; 11. Levar a agroindústria e a industrialização ao interior do país, buscando o desenvolvimento harmônico das regiões e garantindo geração de empregos especialmente para a juventude; 12. Aplicar um programa especial de desenvolvimento para a região do semi-ãrido; 13. Desenvolver tecnologias adequadas à realidade, preservando os recursos naturais, com um modelo de desenvolvimento agrícola auto-sustentável; 14. Buscar um desenvolvimento rural que garanta melhores condições de vida , educação, cultura e lazer para todos;

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful