Você está na página 1de 2

O Mercantilismo

A riqueza de um pas baseava-se na posse e acumulao de metais preciosos


O enriquecimento assentava numa balana comercial favorvel, conseguida com a
diminuio das importaes (taxas alfandegrias) e com o aumento das exportaes
(desenvolvimento das manufaturas nacionais e a criao das companhias comerciais)

A riqueza do Estado depende da quantidade de metais preciosos disponveis

Impedir a sua sada e estimular a entrada

BALANA COMERCIAL FAVORVEL

PROTECIONISMO: EXCLUSIVO COLONIAL


- Aposta na produo nacional, - Garantir o escoamento da
evitando a concorrncia produo nacional
estrangeira - Conseguir matrias-primas
- Aplicao de taxas alfandegrias baratas
sobre os produtos estrangeiros
- Diminuio de taxas sobre os
produtos nacionais
- Promoo da autossuficincia e
estmulo exportao

O MERCANTILISMO FRANCS

AS MEDIDAS DE COLBERT (1619-93)


o Poltica de fomento industrial de forma a obter uma balana comercial favorvel:
Desenvolvimento/introduo das manufaturas (txteis, vidros)
Apoio financeiro e concesso de privilgios s manufaturas nacionais
Contratao de tcnicos especializados
Introduo de novas tcnicas de fabrico
Regulamentao da produo nacional
Taxas aduaneiras sobre os produtos estrangeiros

o Para favorecer o comrcio, Colbert procedeu criao de companhias comercias:

o As companhias monopolistas do Levante, ndias Orientais e Ocidentais


O INSUCESSO DO MERCANTILISMO FRANCS

o Estado forte e dirigista

Descura do setor agrcola


No desenvolve os mercados internos
Asfixia da iniciativa privada e das inovaes tcnicas
Aumento dos gastos da corte, da defesa e dos apoios s manufaturas

FRACASSO DAS MEDIDAS MERCANTILISTAS

O MERCANTILISMO INGLS

o Valorizao da marinha nacional, superando a concorrncia holandesa


o Publicao dos Atos de Navegao (1651 e 1673)
Os barcos estrangeiros s poderiam trazer para a Inglaterra produtos da sua
metrpole
Os produtos coloniais de potncias estrangeiras s poderiam ser transportados em
barcos ingleses
O Fundao de companhias de comrcio (ndias Orientais)
O Proteo s manufaturas das ls
O Taxas elevadas sobre os lanifcios estrangeiros
O Proibio de entrada de alguns txteis e de sada de matria-prima nacional
O Proteo agricultura atravs da aplicao de taxas sobre os cereais estrangeiros

A INGLATERRA AFIRMA-SE COMO A PRINCIPAL POTNCIA MARTIMA NA 2 METADE DO SCULO XVII