Você está na página 1de 23

DEFEITO NO AMPLIFICADOR OPERACIONAL

DEFEITO NO AMPLIFICADOR OPERACIONAL Mári o CTA: Sem dizer qual o defeito, quantos tem certeza que

Mári

o CTA:

Sem dizer qual o defeito, quantos tem certeza que acharam o componente defeituoso?

Alexander Justino Dos Santos:

Eu ainda não tive essa aula , então vou ficar só :eyes::eyes::eyes:

Cristian Nunes:

eu estou ainda me adaptando com o grupo

Alexander Justino Dos Santos:

AOP só semana q vem

Mário CTA:

Quem concluiu o defeito como R4 alterado para 80k Mas vamos começar a análise do início!

...

ACERTOU!!!

Andei lendo os comentários de muitos e me surpreendi que mesmo não estando no módulo 4, acertaram e explicaram detalhadamente!!!

Mário CTAMário

CTA: Mário CTA:
CTA:
Mário CTA:

Vejam que no circuito apresentado, não foi fornecida nenhuma tensão de funcionamento normal para o amplificador ...

E essa é uma dúvida que assombra a maioria dos técnicos ...

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Eu aprendi em uma aula que o sr. Mesmo postou ai ficou facil entender como ele funciona

Miguel Vieira da Silva:

e essa tensão de 15v?

Mário CTA:

15V é a tensão de alimentação ...

Railton Silva:

tensaõ de alimentação miguel

Miguel Vieira da Silva:

não, tem uma tensão de 15v no R1

Mário CTA:

Os técnicos de uma forma geral, pensam que análise é comparar alguma forma de onda ou tensão do esquema com o que foi medido no multímetro ou osciloscópio ...

Miguel Vieira da Silva:

temos 2 tensões de 15v cert, quala de alimentação?

Mário CTA:

E antigamente tínhamos muito mais informações no esquema elétrico ...

Miguel Vieira da Silva:

desculpa, tem um divisor

Mário CTA:

Miguel, a tensão de 15V nos dois pontos é a mesma

...

já irei explicar

...

Então vamos lá ...

Miguel Vieira da Silva:

tem duas tensões iguais , tanto no p quanto no n

Mário CTA: Gostaria de saber na sequência da figura, quais seriam as três tensões em relação

Mário CTA:

Gostaria de saber na sequência da figura, quais seriam as três tensões em relação à massa ou negativo da bateria ...

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Não sei como resolver o 3

Miguel Vieira da Silva:

manda o um e does então

Railton Silva:

Malha 1 = 7.5V Malha 2 = 8.5V Malha 3 = 11.5v

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

7,5 9,2 ?

Jander:

7,5V, 8,5V e 11,5V

Alexander Justino Dos Santos:

7,5 v

8,15 v

11,5v

Mário CTA:

Muito bem a maioria

...

vamos ao primeiro e mais fácil:

Uma tensão de 15V aplicada a dois resistores ligados em série, gerando no centro deles uma tensão de 7,5V ...

7,5 v 8,15 v 11,5v Mário CTA: Muito bem a maioria ... vamos ao primeiro e

Mário CTA:

Alguém não entendeu a tensão encontrada?

Miguel Vieira da Silva:

Bastante simples!

Mário CTA:

7,5V entre os resistores?

Ok ... agora vamos a segunda malha ...
Ok
...
agora vamos a segunda malha
...

Miguel Vieira da Silva:

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Achei dificil

Mário CTA:

Não temos nenhum dos resistores ligados à massa ...

O que achou difícil Carlos

Jander:

4,5/3,

Miguel Vieira da Silva:

4.5V

Mário CTA:

É da segunda malha ou primeira malha?

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Chegar ao resultado sem referencia terra da bateroa

Miguel Vieira da Silva:

segunda é que por conta de ainda estar no módulo 1 ainda não vi, com detalhes como funciona essas malhas, mas agora ficou fácil

Mário CTA:

Pessoal, vejam que nossa análise tem que se apegar às tensões medidas em relação a massa ...

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Eu tambem

Miguel Vieira da Silva:

achava que só tinha queda de tensão quando os resistores estavam diretamente ligados ao terra, mas em algum lugar ele está ligado ao terra.

junior ( PE ):

Segunda malha 8.5

Mário CTA:

Vejam que do lado de cima de R4 há uma tensão de 11,5V medida em relação à massa ...

E do lado de baixo de R3 há uma tensão de 7V medida também em relação à massa.

E do lado de baixo de R3 há uma tensão de 7V medida também em relação

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

É um terra imaginário isso que não peguei, ..

Mário CTA:

Com isso temos uma diferença de potencial sobre os resistores de 4,5V - SOBRE OS RESISTORES ... Veja que a medição acima é o que concluo do que medi acima de R4 e abaixo de R3. Mas, por quê saber a queda de tensão sobre eles? ... Para determinar o quando cairá em cada um, definindo assim a tensão entre eles ...

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Muito legal estes cálculos mas sem uma base de exercícios deste fica bem dificil

Mário CTA:

Vejam que o resistor R4 de 20k possui o dobro do valor de R3 que é de 10k ... Temos então uma proporção de 2x para R4 e 1x para R3 ... Assim a tensão que está sobre os resistores que é de 4,5V deverá ser dividida por 3 (soma das proporções) ... Resultando em 1,5V que será a queda sobre o menor que é R3 de 10k ... Até aqui chegamos a conclusão da queda sobre R3 que será de 1,5V, mas ainda não é a tensão em relação ao terra ... Como temos definido que abaixo de R3 há uma tensão de 7V, somando a queda de tensão que há sobre ele de 1,5V, teremos um total de 8,5V que agora sim está em relação ao terra.

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Fiquei um tempão e não entendia agora sim que legal nossa até facil mas sem como saber aplicar as tecnicas sem chance .. Agora entendi como fazer que legal O 3 foi o pior par mim

Francisco Mota:

A entrada não inversora para efeito de corrente é nula ... e a porta não inversora não para lembrando que porta não inversora "não drena corrente"

Mário CTA:

O Francisco já está pensando nas malhas com o operacional

...

calma

...

Mário CTA: Agora vamos à última malha acima ... Agora temos outra malha série, formada por

Mário CTA:

Agora vamos à última malha acima ... Agora temos outra malha série, formada por R4 e R3 ... Mas não temos a tensão aplicada no lado de cima de R4 ... Mas temos indicada a tensão do lado de baixo de R3 com 7V E acima dele com 7,5V ... Isso representará uma queda de tensão de 0,5V sobre R3 ...

Miguel Vieira da Silva:

r3 tem uma queda de 0.5v

Mário CTA:

Isso mesmo Miguel!

Miguel Vieira da Silva:

e R4 oito vezes maior tem uma queda de 4v

Mário CTA:

Agora, quantas vezes R4 é maior que R3?

Miguel já disse ...

seu valor é 8 vezes maior

... Isso significa que deve ter uma queda de tensão 8 vezes maior do que caiu sobre R3 ...

Multiplicando portando 0,5V que é a queda sobre R3 por 8, teremos uma queda de 4V sobre R4 ...

Miguel Vieira da Silva:

7+0.5+4=11.5v

Mário CTA:

Como temos uma tensão de 7,5V abaixo de R4 (tensão em relação ao terra), somando a queda de tensão sobre R4 que é de 4V, resultará em 11,5V acima de R4, tensão essa em relação ao terra.

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins: Otimo já vi tenho que melhorar nas proporçoes e analisar as quedas

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Otimo já vi tenho que melhorar nas proporçoes e analisar as quedas de tensao

Mário CTA:

Mas pera aí!!! o que isso tem a ver com o defeito e principalmente com o operacional?Tudo!!!

Miguel Vieira da Silva:

sim, mas quero saber porque o operacional está distorcendo

Mário CTA:

Normalmente as análises de todos os circuitos são feitos transformando os semicondutores em resistências equivalente e daí determinando as tensões de todas as malhas.

Miguel Vieira da Silva:

esse operacional é igual as portas lógicas?

Mário CTA:

Não Miguel, é um dispositivo que faz diversas operações ... Por isso o nome OPERACIONAL ...
Não Miguel, é um dispositivo que faz diversas operações
...
Por
isso o nome OPERACIONAL
...

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Nossa muito legal analisar assim ,os circuitos como

resistores.

..

Mário CTA:

Agora, vamos analisar um pouco o operacional por dentro de forma bem simplificada, para então juntas todas as peças ... Esse triângulo é um operacional ...

Edson Leao Dias: estes operacionais sao fantasticos Railton Silva: da para acionar um monte de coisas

Edson Leao Dias:

estes operacionais sao fantasticos

Railton Silva:

da para acionar um monte de coisas com isso ai

Mário CTA:

Sim, pode ser usado como comando - schmitt trigger - como pré-amplificador simples, como pré-amplificador diferencial (LVDS), compressor, expansor, etc, etc, etc.

Francisco Mota:

foi fabricado a principio para computadores analógicos ...

Edson Leao Dias:

o ceu é o limite!!!!

Mário CTA:

A maioria dos técnicos que trabalham com inversores não sabem utilizar a entrada com

operacionais destes equipamentos, isso digo para projetos

...

é uma pena

...

Edson Leao Dias:

eu ja me aventurei em um projetinho com operacinal e é fantastico

Mário CTA:

Gostaria que me respondessem o seguinte no circuito abaixo ...

Qual seria a tensão de saída? Peço as alunos que já conhecem a resposta que deem

Qual seria a tensão de saída?

Peço as alunos que já conhecem a resposta que deem um tempo ...

Miguel Vieira da Silva:

7.5v

Mário CTA:

Peço as alunos que já conhecem a resposta que deem um tempo ...

Railton Silva:

15v

Miguel Vieira da Silva:

caso os resistors r3 e r7 sejam do mesmo valor acho que não, o 15v está entre os does resistores, acho que o Railton tá certo

Paulo Chagas (PA):

Seria 4,5Volts!

Mário CTA:

 

Edson

...

tens a resposta?

Edson Leao Dias:

indefinida, VO pode ser 15V ou zero

Mário CTA:

Isso não é combinado não!

Railton Silva:

verdade, vai depender do estado em que se encontra Q3, de acordo com o valor da tensão de referencia.

Mário CTA:

Sim, a saída fica indefinida

pode ser qualquer tensão entre 15 e 0V e ainda poderá estar

... variando muito rapidamente, ou gerando o que poderíamos chamar de um grande ruído!!!

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Em situação desta o acontece com o que está controlando na saida?entao os projetos dever ser definidos para que isso nunca aconteçao?

Francisco Mota:

um transistor inibi o outro ...

Mário CTA:

Carlos, isso mesmo!

Edson Leao Dias:

Exatamente Carlos

Mário CTA:

Essa condição, nunca pode acontecer

mas há muitos projetos que saem no mercado assim

... Pessoal, está sendo muito pesado para um dia só?

...

Francisco Mota:

q1 despolariza q2 e vice versa ...

Mário CTA:

Vamos ver o que o Francisco disse em detalhes ...

Miguel Vieira da Silva:

Então esse amplificador recebe uma tensão na entrada de qualquer valor e regula de 0 acordo com a tensão na entrada/

a 15v de

é isso?

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Nossa muito interessante os opamps

Miguel Vieira da Silva:

como se variasse de acordo coma frequencia ?

Mário CTA:

Assim como está a ligação que apresentei acima, não!

Necessitará de uma realimentação negativa

...

mas antes vou fazer outras considerações!

Mário CTA:

Considerando que temos R1 igual a R2 e os transistores Q1 = Q2

...

qual deles estará polarizado?

Mário CTA:

> Miguel Vieira da Silva

> sim Mário, quem regula isso é o potenciometro?

Quase Miguel, responda o que perguntei acima ...

Railton Silva:

q1

Mário CTA:

Por quê Raillton? Pessoal, é fundamental que baixem os esquemas para poderem estar acompanhando o raciocínio ...

Railton Silva:

tensão na base maior que seu emissor

Mário CTA:

Mas e o transistor Q2, não está recebendo na base a mesma tensão?

Railton Silva:

está

Jander:

É verdade.

Mário CTA:

Isso, então qual deles estaria polarizado?

Jander:

Os dois?

Mário CTA:

Sim, Jander os dois!!! Mas veja que se um estiver polarizado subirá sua tensão de emissor e também subiria a tensão de emissor do outro! Isso significa que qualquer ruído que entrasse em uma das entradas, faria com que um dos transistores amplificasse isso, saindo na saída uma variação entre 5V e 0V!!!

Nesta configuração não se sabe qual será a tensão de saída!!!

Jander: Os dois? Mário CTA: Sim, Jander os dois!!! Mas veja que se um estiver polarizado

Pessoal, alterei a tensão de alimentação para 12V para agilizar a explicação (já tenho esses arquivos) ...

Qual seria agora a tensão de saída do operacional?

Miguel Vieira da Silva:

Tá na saida 12v

Jander:

Isso.

Mário CTA:

Tá escrito na saída

...

mas é isso mesmo?

Jander:

Neste caso Q2 estrá cortado, certo?

Mário CTA:

Qual a tensão de saída Jander?

Jander:

Eu ainda estou engatinhando, terminando o módulo 1 rsrsrsrsrs.

Mas eu acho que vai ser 12 mesmo

Mário CTA:

É tão bom dar uns apertos!!!

Ademilson Nunes:

Acho que Q3 está saturado

Jander:

abaixo de R3 vai estra com 0V certo?

Ademilson Nunes:

Vee é o terra

Denilson Araújo (MG):

Eu diria que continua indefinido

Jander:

Acho que justamente o contrário, Q3 deve estar cortado.

Miguel Vieira da Silva:

mas Jander, a tensão da base de Q2 B e menor que a tensão da base de Q 1 A é assim Mário?

Railton Silva:

Q3 está em corte pela tensão em seu coletor

Miguel Vieira da Silva:

quandoa tensão na porta B for maior que na porta A o operacional para de funcionar?

Jander:

> Miguel Vieira da Silva

> mas Jander, a tensão da base de Q2 B e menor que a tensão da bas

Pois é por isso acho que ele estará cortado, a tensão de emissor estará mais alta que a base por

causa de Q1,

mas como eu disse eu ainda tô engatinhando nisso.

Mário CTA:

Isso mesmo Miguel

isso fará com que Q1 sature e cortará o transistor Q3 elevando a saída do

... operacional para 12V!!! É isso aí Jander!!!

> Miguel Vieira da Silva > mas Jander, a tensão da base de Q2 B e

Mário CTA:

Quem está acompanhando que não estuda ainda na CTA, deve estar pensando entendendo!!!

...

estou

Mas a assimilação mesmo, que traga firmeza para análise e projetos, dependerá de muitos, muitos exercícios de dimensionamento e análise de defeitos ...

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Gatinhando Já faz estas travessuras e quando tiver andando o prof.Mario tem correr atraz kkkk

Mário CTA:

Não é Edson???

Miguel Vieira da Silva:

quem já estuda tem dificuldades , imagina quem não estuda!

Jander:

Pois é os blocos são fundamentais para assimilação, isso

eu tenho certeza.

Denilson Araújo (MG):

Fiquei com uma dúvida

Mário CTA:

Acho que o Edson já foi dormir ... Vejam este exemplo do bloco M4-19 ...

Jander: Pois é os blocos são fundamentais para assimilação, isso eu tenho certeza. Denilson Araújo (MG):

Miguel Vieira da Silva:

vou ai não, vou me preocupar apenas no momento com meu modulo 1 kkkkkk

Mário CTA:

Denilson, se o projeto fosse bem feito, a saída daria 12V ...

Denilson Araújo (MG):

> Denilson Araújo (MG) > Dependendo dos valores dos resistores de base, mesmo havendo dif

Não digo saturarem ao mesmo tempo, mas qualquer um dos dois também não poderia saturar?

Mário CTA:

Mas se a impedância do circuito externo ao operacional for alta, daí ruídos poderão fazer a saída

cair de tensão

...

mas ruídos muito fortes

...

Denilson Araújo (MG):

Dependendo dos valores dos resistores de base, mesmo havendo diferença de 2v de tensão, ainda assim não seria possível que os dois transistores da entrada saturassem?

Mário CTA:

Mas se a impedância do circuito externo ao operacional for alta, daí ruídos poderão fazer a saída

cair de tensão

...

mas ruídos muito fortes

...

Que podem ocorrer quando o nosso circuito em questão está perto de um grande motor de indução ou pior, de corrente contínua!

> Não digo saturarem ao mesmo tempo, mas qualquer um dos dois tamb

Com 8V em uma entrada e 6V na outra

...

não!

Gostaria que abrissem rapidamente o arquivo PDF doo bloco M-19 e vão da página 1 à 7 rapidamente ...

Denilson Araújo (MG):

Então a tensão mais alta na base de Q1 necessariamente obriga ele a saturar primeiro, cortando Q2 e Q3

Miguel Vieira da Silva:

M-19?

Mário CTA:

Isso mesmo

...

e há muitos projetos no mercado assim

...

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Chega arrepiar o tecnico dominar isso é um sonho de todos os que amam a profissao de tecnico

em

eletronica.

..

muito

diferente de tudo mesmo a CTA

Mário CTA:

Mas um circuito de comando, não poderá trabalhar assim apenas como comparador de tensão e sim terá que trabalhar como schmitt trigger.

São mais de 400 exercícios envolvendo amplificadores operacionais!!!

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

As fontes de tvs lcd led tem estes circuitos com opamps como comparadores e circuitos de proteção circuitos digitajs eles estao lá tambem

Jander:

Ainda chego lá!

Mário CTA:

Pessoal, mas ainda estamos longe de concluir o defeito continuação disso ...

...

desta forma, vamos deixar para quinta a

Francisco Mota:

A CTA É ÚNICA NO MUNDO QUE ANALISA UM CIRCUITO NA INTEGRA!

Mário CTA:

Quinta as 20h!!! neste mesmo grupo continuaremos e trataremos da realimentação negativa ...

não percam ...

será muito interessante!

Muito obrigado Francisco

...

Railton está por aí?

Carlos Tecnovídeo Eletrônica Martins:

Otima aula boa noite a todos Já penso 20 anos na bancada assistindo uma aula desta por dia ....

Mário CTA:

Carlos, bastará uma por semana e 200 exercícios após cada uma

...

e em 16 meses

...

Mas será que ele mataria este defeito do operacional???

Ah

...

Einsten viveu no tempo das

válvulas...

mas elas já faziam as operações que estou me

referindo aqui ...

Francisco Mota:

já li vários livros cada um com sua característica,mas nenhum ensina analise de defeitos, e é o mais complicado da eletrônica

Mário CTA:

Ah

esqueci de dizer que meu maior prazer será conhecer cada um de vocês pessoalmente e

... trocarmos informações e principalmente lições de vida!!!