Você está na página 1de 4

Pndulo Simples

Introduo

Um pndulo um sistema composto por uma massa acoplada a um piv que permite
sua movimentao livremente. A massa fica sujeita fora restauradora causada pela
gravidade.

Este pndulo consiste em uma massa presa a um fio flexvel e inextensvel por uma de
suas extremidades e livre por outra, representado da seguinte forma:

Figura 1 - Pndulo Simples

Quando afastamos a massa da posio de repouso e a soltamos, o pndulo realiza


oscilaes. Ao desconsiderarmos a resistncia do ar, as nicas foras que atuam sobre o
pndulo so a tenso com o fio e o peso da massa m. Desta forma:

Figura 2 - Foras em um pndulo oscilante

A componente da fora Peso que dado por cos se anular com a fora de Tenso
do fio, sendo assim, a nica causa do movimento oscilatrio a sen . Ento:

= sen Eq. (1)


No entanto, o ngulo , expresso em radianos que por definio dado pelo quociente
do arco descrito pelo ngulo, que no movimento oscilatrio de um pndulo x e o raio de
aplicao do mesmo, no caso, dado por , assim:

=

Logo:

= sen Eq. (2)

Assim possvel concluir que o movimento de um pndulo simples no descreve um


Movimento Harmnico Simples (MHS), j que a fora no proporcional elongao e sim ao

seno dela. No entanto, para ngulos pequenos, , o valor do seno do ngulo
8
aproximadamente igual a este ngulo.

Ento, ao considerarmos os casos de pequenos ngulos de oscilao:



= sen


= Eq. (3)

Como P= , e m, g e l so constantes neste sistema, podemos considerar que:



= , onde =

Sendo assim, a anlise de um pndulo simples nos mostra que, para pequenas oscilaes, um
pndulo simples descreve um MHS.

Como para qualquer MHS, o perodo dado por:


= 2


E como =
, temos que:


= 2 Eq. (4)

Objetivo
Determinar o valor da acelerao da gravidade.

Material Utilizado
Barbante fino, esfera, cronmetro e rgua.

Parte experimental
O experimento consiste em se medir o perodo do pndulo em funo de seu
comprimento. Para isso, deve-se usar uma montagem como a representada na Figura 1.
Estabelecendo um comprimento inicial 2,00, e reduzindo estes valores, medimos o
perodo () do pndulo. O perodo ser medido deixando que ocorram dez oscilaes, e
dividindo-se o tempo total por dez. Os valores encontram-se na tabela abaixo:

(0,01) (0,01)
2,00 2,80
1,76 2,64
1,55 2,51
1,30 2,25
1,00 1,99
0,86 1,82
0,60 1,53
0,49 1,45

Pelo grfico 1, percebemos que a relao entre no linear. Utilizaremos o


processo de linearizao, conforme descrito abaixo:

Da Eq. (4), elevamos ambos os lados ao quadrado e obtemos:

4 2
2 =

42
Fazendo =
, temos que:

2 = Eq. (5)

Aplicando ln 2 e ln , temos que:

ln 2 = ln + ln

Percebemos que esta equao assume a forma = + , da podemos construir um


grfico com base na tabela abaixo:

2
ln( 2 ) ln()

2,06 0,69
1,94 0,57
1,84 0,44
1,62 0,26
1,37 0
1,20 -0,15
0,85 -0,51
0,74 -0,71

Pelo grfico temos que b, ou seja, ln , vale:

ln = 1,381 0,012
4 2
(1,3810,012) =

4 2
=
(1,3810,012)

4 2
= 1,369

= 10,042

4 2
=
1,393
= 9,804

+
=
2
= 9,923 2


=
2
= 0,119 2

= (9,92 0,12) 2

Concluso
O valor da gravidade atende as expectativas e corresponde a um valor bem prximo da
realidade. Assim sendo, consideramos que o objetivo da prtica foi alcanado, e que os erros
so devidos no garantia de um ngulo em que o valor do seno do ngulo aproximadamente
igual a este ngulo, erros de paralaxe, arredondamentos e tambm ao fato do barbante no se
movimentar paralelamente, devido a extrema dificuldade de uma pessoa fazer este ajuste
manualmente.

Você também pode gostar