Você está na página 1de 80
História da Moda e do Vestuário Europa Medieval
História da Moda
e do Vestuário
Europa Medieval
Profa. Daniela Hinerasky Tecnologia em Design de Moda Unifra - Santa Maria/RS
Profa. Daniela Hinerasky
Tecnologia em Design de Moda
Unifra - Santa Maria/RS
Tuesday, March 11, 14
[ Idade Média ] [século IV] queda do Império Romano no Ocidente (476) [séc V-X]
[ Idade Média ] [século IV] queda do Império Romano no Ocidente (476) [séc V-X]

[Idade Média]

[século IV] queda do Império Romano no Ocidente

(476)

] [século IV] queda do Império Romano no Ocidente (476) [séc V-X] [476-1000] Alta Idade Média

[séc V-X]

[476-1000]

Alta Idade Média formação e estruturação do feudalismo

Alta Idade Média formação e estruturação do feudalismo [séc XI-XV] Baixa Idade Média - renascimento comercial

[séc XI-XV] Baixa Idade Média

- renascimento comercial

- surgimento das cidades

- origem da burguesia

- crise do feudalismo

= diversos movimentos migratórios por toda a

Europa (povos nômades: godos, eslavos, germanos, celtas etc)

= esses deslocamentos têm efeito sobre os costumes dos povos de diversas

regiões europeias: indumentária mistura aspectos romanos

e orientais

indumentária mistura aspectos romanos e orientais adotam romanos a s c o m p r i
indumentária mistura aspectos romanos e orientais adotam romanos a s c o m p r i

adotam

romanos a s

c o m p r i d a s f u n ç ã o alemães

c a l ç a s

e m d o s

m p r i d a s f u n ç ã o alemães c a

França,

os

gauleses adotam as

= na

r o u p a s

e

o s

costumes romanos

= classes mais altas

t o r n a r a m - s e

romanizadas

]

[

período medieval: a tradição bizantina

[século III]

decadência do Império Romano no Oriente, recuo do helenismo (da civilização grega), despertar de nacionalismos orientais

séc IV - [324] c r i a - s e

segunda

para

u m a

capital

Império

o

R

o

m

a

n

o

,

C o n s t a n t i n o p l a

(

B

i

â

i

z

n

c

o

,

inicialmente),

que

r e s u l t a r á

n o

Império

(ou Império Cristão Oriental)

Bizantino

[séc VI] período exuberante, seguido por declínio temporário

[séc IX a XII] s e g u n d o apogeu

[século XV (1453)]

lento enfraquecimento,

c o n s u m a d o t o m a d a

Constantinopla, pelos turcos otomanos

p e l a d e

Império Bizantino foi a continuação do Império Romano durante a Idade Média

[

período medieval:

a tradição bizantina ]

vestuário bizantino

=> reflete as diversas fases

=> drapejados da indumentária antiga

=> materiais luxuosos (bordados

=> cores orientais

)

=>

túnica, a peça básica por mil anos

orientais ) => túnica, a peça básica por mil anos Teodora , com seu séquito, séc

Teodora, com seu séquito, séc V, Mosaico de São Vital, Ravena

=> trajes feminino e masculino tinham quase nenhuma diferença

O mosaico foi a característica marcante do império mais A arte passou a ser utilizada

O

mosaico

foi

a

característica

marcante do império

mais

A arte

passou

a

ser

utilizada

a

s e r v i ç o

d e

D e u s

e

d o

imperador, para propaganda da fé e

da pessoa sagrada do

exaltação

governante.

=> trajes variavam de acordo com a hierarquia, desde nenhuma (classe baixa) à extremamente ornamentada (classe alta)

[Alta Idade Média: tradição bizantina

[séc V]

]

= barras das mangas, bainha e abertura do pescoço decorados, com bordados de

rubis e pedras preciosas, tecidos brocados (na maioria

e adornos de todos

pintados à mão)

os tipos:

colares, gargantilha, maniakis (faixa de tecido bordada a ouro e enfeitada com pérolas e pedras)

de tecido bordada a ouro e enfeitada com pérolas e pedras) Justianino e Teodora , com

Justianino e Teodora, com seu séquito, séc V, Mosaico de São Vital, Ravena

[a tradição bizantina]

tablion (pedaço de tecido retangular) incrustrado na grande clâmide de púrpura de Justiniano

traje imperial:

= varia conforme o século

= trajes formais

= oscilando entre a moda romana e oriental

= quase sempre túnicas tecidas a ouro com padrão de cores variadas = com capa semicircular presa com

broche (clâmide) no ombro

direito

com padrão de cores variadas = com capa semicircular presa com broche (clâmide) no ombro direito
Imperador Justiniano séc V, Mosaico de São Vital, Ravena => rei-sacerdote => roupa tinha um

Imperador Justiniano séc V, Mosaico de São Vital, Ravena

=> rei-sacerdote => roupa tinha um ar eclesiástico => pouca praticidade e funcionalidade

=> vestuário da corte prescrito pelo “Livro das Cerimônias

traje imperial:

= formas amplas, flutuantes

= homens: usam a túnica mais curta (paragaudion)

= mulheres: usam a túnica

comprida e redes enfeitadas com miçangas e brincos

túnica comprida e redes enfeitadas com miçangas e brincos stemma (coroa de forma envasada com pingentes)

stemma (coroa de forma envasada com pingentes) para Teodora, com penacho de pedrarias

O Jovem”, Mosaico de Santo Apolinário, séc V, Ravena

“ O Jovem ”, Mosaico de Santo Apolinário, séc V, Ravena traje cotidiano: = bata ou

traje

cotidiano:

= bata ou túnica

levantada por pregas

nas laterais para facilitar

a caminhada

= calça comprida ou meiões colantes e ornamentados, os

braies

= sapatos

= barretes de origem

persa (as tocas)

tecidos

suntuosos

técnica superior de tecelagem

= sedas = tapeçaria = ou bordado com técnicas variadas

(algumas da Pérsia ou China)

temas decoratios orientais, helênicos e cristãos

O Gênesis: José e a mulher de Putifar”, séc V

cores

muito importantes

púrpura vermelho escuro

roxo-escuro e amarelo

Construindo o Império Bizantino

Construindo o Império Bizantino https://www.youtube.com/watch?v=xdvm1qyfYi0 Tuesday, March 11, 14

O mosaico foi a característica mais marcante do Império Bizantino.

<<< detalhe da peça Dolce & Gabbana Inverno 2013/14 / <<
<<< detalhe da peça
Dolce & Gabbana Inverno
2013/14 /
<<

mosaico religioso da época retratando Jesus Cristo.

Coleção Dolce & Gabbana / Mosaico Imperatriz Teodora

Coleção Dolce & Gabbana / Mosaico Imperatriz Teodora

Tuesday, March 11, 14
Tuesday, March 11, 14
Tuesday, March 11, 14

[ Europa medieval

[séc V-X]

[séc IX (800)] Carlos Magno impõe um estilo de vestuário

]

uniforme aos monarcas

= túnica ornada e colorida,

coberta por outra túnica, presa por um cinto [cortesãos]

= calças curtas ou até o joelho

= bordados em gola, bainhas e mangas

por um cinto [cortesãos] = calças curtas ou até o joelho = bordados em gola, bainhas

[ A vida medieval

[filme CNN]

]

[ A vida medieval [filme CNN] ] https://www.youtube.com/watch?v=-wjrm6lkLI0 Tuesday, March 11, 14

[

]

A Baixa Idade Média

[séc XI-XV]

as Cruzadas e as invasões árabes à Espanha, Portugal e França sul-Ocidental tiveram profundas repercussões no modo de se vestir;

= reabertura do comércio com o Oriente Próximo;

= os cruzados, ao retornarem para a Europa Ocidental,

trouxeram os tecidos orientais (seda, veludo, cetim), as roupas e a técnica de corte e de tear mais avançadas;

= no estilo românico, a roupa passou a ser mais modelada ao corpo.

cruzado prestando homenagem, séc XIII

[ A Baixa Idade Média [séc XI-XV]

revezaram-se vários estilos com variação em

largura

comprimento,

riqueza

de

e

ornamentos

]

reflexo da hierarquia da época

= até o início do séc XI, sem grandes mudanças

= houve nessa época o início da bifurcação da indumentária masculina e feminina

]

A Baixa Idade Média

[séc XI-XV]

[

= trajes masculinos

encurtaram e tornaram-se mais

exuberantes e elegantes que

os femininos [calças ou meiões - até metade da coxa]

mais exuberantes e elegantes que os femininos [calças ou meiões - até metade da coxa ]

[ A Baixa Idade Média [séc XI-XV]

]

[ A Baixa Idade Média [séc XI-XV] ] = roupas ganham detalhes de joias, bordados e

= roupas ganham detalhes de joias,

bordados e acabamentos de pele

= algumas vestes alongaram e tudo era largo e longo até tocar o chão

ROUPAS DE BAIXO Anteriores ao séc XIV, esta forma de braies (meiões) prolongou-se com o

ROUPAS DE BAIXO Anteriores ao séc XIV, esta forma de braies (meiões) prolongou-se com o traje comprido; subindo até a metade da coxa são enroladas

“Reis Magos no altar de Espinol”, final do século XIII [Museu Episcopal Vich]

eles usam sob sua bata curta, braies coloridos bem curtos sobre a coxa, onde uma presilha lateral as prende num cinto invisível

[séc XII (1130) - séc XIV] - surgimento do corpete do vestido, moldado, bem justo

[séc XII (1130) - séc XIV]

- surgimento do corpete do

vestido, moldado, bem justo até os quadris

- formas variadas de traje

longo: saia ampla, caindo em pregas até os pés [às vezes, formava uma cauda]

As roupas elaboradas de um cavaleiro e sua dama, séc XIV

(1335-1340)

[ A Baixa Idade Média [séc XI-XV]

]

tecidos

[século XI]

criação do tear horizontal

(possível tecer peças com até 30m X 2m de largura - comprimento que permitia que as peças fossem cortadas para se adaptar ao corpo)

= eram peça central da economia

= a mecanização da produção têxtil deu origem a guildas especializadas de tintureiros, pisoeiros e cardadores;

especializadas de tintureiros, pisoeiros e cardadores; = árabes novos exóticos trouxeram tecidos de e Jerusalém

= árabes

novos

exóticos

trouxeram

tecidos

de

e

Jerusalém

estilos

qualidade

dos

tecidos

é

a

que

=

diferenciava as clases sociais:

seda, damasco, veludo e cetim

(nobreza)

em

cores

vivas,

tramas

trabalhadas; (burgueses)

Europa Medieval:

[séc XIV]

mudanças sociais consideráveis

= o homem começou a questionar o domínio de Deus e da Igreja sobre as esferas das atividades humanas (valorização da racionalidade) = nova visão da natureza e do desenvolvimento

= desenvolvimento das cidades, tornam-se centros de comércio = classe camponesa liberta-se dos senhores

= aburguesia começa a prosperar

= as profissões se organizam em grupos econômicos = a divisão rígida entre Clero, Nobres e Plebeus começa a se diluir

urbanidade, comércio, prosperidade

Europa Medieval

prosperidade

Europa Medieval prosperidade busca de participação política d e realização i d e i a pessoal

busca de participação política

Medieval prosperidade busca de participação política d e realização i d e i a pessoal uma
Medieval prosperidade busca de participação política d e realização i d e i a pessoal uma

d e

realização

i d e i a

pessoal

participação política d e realização i d e i a pessoal uma nova mentalidade social e

uma nova mentalidade social e cultural

nova noção de “eu” e de beleza

moda por volta de 1340-1350 d.C
moda
por volta de 1340-1350 d.C

[ Europa Medieval: [séc XIV] nova mentalidade

conceito de beleza

]

= c o n s c i ê n c i a

corporal maior do que em épocas anteriores

= i m p o r t â n c i a

à

aparência: corpos v a l o r i z a d o s evidenciados

e

à aparência : corpos v a l o r i z a d o s evidenciados

= transfere-se para a

roupa a busca

de uma beleza das formas

d o s evidenciados e = transfere-se para a roupa a busca de uma beleza das

sistema de moda

[

]

Europa Medieval: mudanças

a burguesia recém surgida e o advento das cidades transformaram-nas em um entre centro as de atividades comércio, das cujas cidades atividades incluíam-se incluíam ofícios ligados à moda:

ofícios vendedores ligados de à tecidos moda:

vendedores de tecidos

costureiros

costureiros

sapateiros

sapateiros

fabricantes de meias

fabricantes de meias

chapeleiros

chapeleiros

fabricantes de aviamentos

fabricantes de aviamentos

alfaiates

alfaiates

em pouco tempo, as roupas desejáveis tornaram-se acessíveis para um maior

pouco

tempo,

as

roupas

desejáveis

em

número de pessoas de todas as classes sociais

acessíveis

para

um

maior

tornaram-se

número tecidos: de peça pessoas central da de economia todas as medieval classes (lã) sociais

[ Europa medieval:]

[séc XIV] nova mentalidade

=> surge na Itália o desenhista de moda - artistas que criam figurinos e

desenham padrões de tecido

(Pisanello, Pollaiuolo e Jacopo Bellini)

que criam figurinos e desenham padrões de tecid o (Pisanello, Pollaiuolo e Jacopo Bellini) Tuesday, March

[a partir do século XIV] o trajes se distanciaram da silhueta simples em estilo camponês

]

Uma figura coroada, ao centro, cercada por músicos da corte, usando a cotehardie simples em forma de T. [imagem do século XIII-XV]

= roupas com mais ênfase

nos aspectos estéticos e ornamentais e menos

nos utilitários

= influência da corte

francesa - as roupas começaram a ser moldadas

c o n t o r n o s corporais

a o s

da corte francesa - as roupas começaram a ser moldadas c o n t o r

[ Europa moderna: dos séculos XIV ao início do XVI]

=> a transformação do vestuário [séc XIV e

XV] surge como a expressão de um grupo de nações de uma cultura

similar, mas diversa (não como de uma civilização geral)

universal

uniforme

impessoal

(não como de uma civilização geral) universal uniforme impessoal particular pessoal nacional Tuesday, March 11, 14

particular

pessoal

nacional

[Europa moderna:

séc XIV- início séc XVI

a partir do século XIV, surgimento

de elementos

novos

no

vestuário, fruto antes da fantasia que da necessidade

GIBÃO
GIBÃO

COTA ou cotehardie

]

[

[

Europa Medieval: mudanças

]

[ [ Europa Medieval: mudanças ] surgimento do traje curto constitui a 1a manifestação da moda

surgimento do

traje curto

constitui a 1a manifestação da moda

a noção de traje curto anuncia o

1a manifestação da moda a noção de traje curto anuncia o particularismo do vestuário europeu =>

particularismo

do vestuário europeu

=> começa-se abandonar o traje longo e folgado, comum aos dois sexos

=> curto para homens, comprido para mulheres

o traje longo subsistiu na corte, nos meios eclesiásticos e universitários

o traje longo subsistiu na corte, nos meios eclesiásticos e universitários Tuesday, March 11, 14

homens

homens calções e gibão (casaco curto): componente chave do guarda-roupa deles, variando apenas no estilo e

calções e gibão

(casaco curto):

componente chave do guarda-roupa deles, variando apenas no estilo e nos detalhes

= calções longos presos por cordões (estaches), costurados em seu forro, ou por agulhetas (fivelas metálicas que passam por ilhós)

homens

Com o tempo os calções foram encurtando deixando as pernas cobertas pelas meias que ficaram bastante aparentes. >>>>>

Vários modelos de gibão, alguns em forma de colete

bastante aparentes. >>>>> Vários modelos de gibão, alguns em forma de colete Tuesday, March 11, 14

homens

a

sobreveste

[séc XIV] 1340

é

substituída

pelo

gibão ou pourpoint

(casaco justo rígido com botões na frente com cinto/acinturado na altura dos quadris)

usado até meados do séc XVII

na altura dos quadris) usado até meados do séc XVII gibão das cavas amplas exemplo único
na altura dos quadris) usado até meados do séc XVII gibão das cavas amplas exemplo único

gibão das cavas amplas

exemplo único de gibão do séc 14, usado sem sobreveste:

de seda, com brocados de

ouro. Corte com cavas amplas; fechado com 32 botões, dos quais 15 abaulados e os demais achatados

Tuesday, March 11, 14
Tuesday, March 11, 14
ESMOLEIRAS Tuesday, March 11, 14

ESMOLEIRAS

ESMOLEIRAS Tuesday, March 11, 14
história da jaqueta [final do séc XIII e durante o séc XV] do traje militar,
história da jaqueta [final do séc XIII e durante o séc XV] do traje militar,

história da jaqueta

[final do séc XIII e durante o séc XV]

do traje militar, começou a usar- se o jaque (figuras), espécie de gibão justo e bem acolchoado, terminado numa saia curta cobrindo os quadris

[meados séc XIV]

principalmente os camponeses começaram a usar um traje de forma análoga, mas menos justo, ao qual apelidaram de Jacques. Trata-se da jaqueta (jaquette).

mulheres - mangas e cinturas muito justas (até séc XV) forma originária do corpete -

mulheres

- mangas e cinturas muito

justas

(até

séc

XV)

forma

originária do corpete

- saias longas ao chão

- côte-hardie

(cotardia, cota)

- opalanda (houppelande)

vestidos

superpostos

corpo

-

modelam

(Itália e França)

que

o

superpostos corpo - modelam (Itália e França) que o Botticelli uso de modelos diferentes de vestidos

Botticelli

uso de modelos diferentes de vestidos para modelar o corpor

(gamurra, cota etc)

Tuesday, March 11, 14

[

vestuário medieval-moderno

]

[ vestuário medieval-moderno ] côte-hardie (cotardia, cota) túnica ou vestido, justa e abotoada na frente com
[ vestuário medieval-moderno ] côte-hardie (cotardia, cota) túnica ou vestido, justa e abotoada na frente com

côte-hardie (cotardia, cota)

túnica ou vestido, justa e abotoada na frente com a bainha serrilhada com pele ou detalhes, para homens e mulheres usada embaixo dos casacos e mantôs

= uma das mais elegantes criações da Idade Média = durou quase dois séculos

= decotada para as mulheres

= o comprimento vai diminuindo

= as mangas vão ficarando mais largas

(tão amplas a ponto de chegar até os joelhos ou até mais embaixo - cotoveleiras)

= foi substituída pela jaqueta cada vez mais justa

côte-hardie masculina e feminina
côte-hardie masculina e feminina

côte-hardie

= chegou a ter gola (em 1375)

= vai mudando os decotes até ficar

em ponta, acentuado na frente até a cintura e menos ousado atrás -

então usa-se o tassel, faixa de

tecido, geralmente preta, para diminuir a profundidade

exemplos de côte-hardie femininos modelados e decotados “Breviário italiano”, 1380 Tuesday, March 11, 14

exemplos de côte-hardie femininos modelados e decotados

“Breviário italiano”,

1380

exemplos de côte-hardie femininos modelados e decotados Tuesday, March 11, 14

exemplos de côte-hardie femininos modelados e decotados

exemplos de côte-hardie femininos modelados e decotados Tuesday, March 11, 14
[ o luxo das cortes O monarca João de Berry usa um com brocados de

[

o luxo das cortes

O monarca João de Berry usa um

com

brocados de ouro, forrado de pele, uma gargantilha com pingente e um chapéu com pala invertida

pala

(garde-corps)

houppelande

o u

séc XV

]

“opalanda” cor-de-rosa

forrada

de

1400-1410)

branco

(séc

XV:

[

o luxo das cortes -

séc XV

]

[ o luxo das cortes - séc XV ] Opalandas cotê-hardie femininas sobre Tapeçarai de Arras

Opalandas

cotê-hardie

femininas

sobre

Tapeçarai de Arras francesa - “A Ofertante do Coro” (séc XV: 1400-1410) Jovem cavaleiro com manto de tecido escarlate, tingido co “graine de kermès”, um vermelho intenso, considerado a cor mais prestigiosa e um símbolo do poder feudal. A mulher, objeto de sua paixão veste azul, cor então associada à fidelidade.

[1360] houppeland ou opalanda

[túnica ampla, aberta na frente, folgada e comprida até o chão, com mangas largas evasês, franzida na cintura por um cinto sob o qual formam-se pregas regulares em cilindros - gironnés. Terminava no decote, com uma gola levantada, bem alta]

criou uma silhueta em voga até 1425

Terminava no decote, com uma gola levantada, bem alta] criou uma silhueta em voga até 1425
Tuesday, March 11, 14
opalanda masculina ampla, em geral alemão, é dotada de uma gola alta chamada pele, às
opalanda masculina ampla, em geral alemão, é dotada de uma gola alta chamada pele, às

opalanda masculina

ampla, em geral

alemão, é dotada de uma gola alta chamada

pele, às vezes em estilo

forrada de

carcaille. possui manga largas, decoradas e pesadas

manga do gibão que “manguito”

a

cobre a

mão é

em forma de

mulheres

amplas opalandas com ou sem cinto, com

filigranas e chapéu de flores

sc XV

As mulheres, como os homens,

usam amplas opalandas com ou sem

cinto, com largas mangas pendentes e abertas ou fechadas

“As heroínas” (final do séc XIV) afrescos do castelo de Manta, Piemonte:

Livro dos Torneios do Rei Renato,

1450

tabardo:

manto de gala, geralmente curto e folgado, com mangas curtas e frequentemente abertas nos torneios, podia ser usado:

- tanto ao comprido, pelos arautos de armas, quanto atravessado/enviesado, pelos subordinados.

Tabardo dos arautos de Borgonha, meados do séc XV

Comédias de Terêncio, Paris [séc XV]

capelo (capuz/touca) com gargantilha ou gorjal (espécie de colar) subindo na cabeça de diversas maneiras

traje popular As amarrado. Bebês sempre enfaixados mulheres usam a “ sorquenie” ou corpete é

traje popular

As

amarrado. Bebês sempre enfaixados

mulheres

usam

a

sorquenie”

ou

corpete

é

amarrado na frente, o que o diferencia da cota e mangas justas do corpete descem sobre a mão

c o r p e t e

m o d e l a d o

“A Virgem e o Menino cercado por Anjos” [1450-1460]

Europa medieval

Filmes de referência ao vestuário da época

“O Feitiço de Áquila” (1985) “1492 – A Conquista do Paraíso” (1992) “Hobin Hood – O Príncipe dos Ladrões” (1991) “Lancelot – O Primeiro Cavaleiro” (1995) “Coração Valente” (1995) “Joana D’Arc” (1999) “Para Sempre Cinderela” (1998) “Lutero” (2003) “Tristão & Isolda” (2006)

Alexander McQueen Inverno 2010 e um ilustração medieval

ILUSTRAÇÃO tirada de “Costumes de Paris à travers les siècles”, de H. Gourdon de Genouillac (séc XV: 1480):

[início do século XV] silhueta masculina se alargou gradualmente nos ombros

surgem as poulaines (sapatos ou botas pontudas e afuniladas que realçam as pernas esguias)

jovem elegante calçando os sapatos de pontas exageradas (poulaines)

realçam as pernas esguias) jovem elegante calçando os sapatos de pontas exageradas ( poulaines ) Tuesday,
pernas de fora exigem meias altas , mais justas e presas à medida que sobem

pernas de fora exigem meias altas, mais justas e presas à medida que sobem mais [há meias

forradas, meias especiais para cavalgar e outros solados que substituem os sapatos]

As meias sobem até o alto das coxas, onde ligas as prendem ao gibão.

Nas meias eram costuradas palmilhas de couro

[

Europa Medieval

]

adornos de cabeça

- o capuz (chamado capelo)

se transformou em peça independente

- às vezes, o capuz era um manto que cobria os ombros, outras

vezes em forma de gorro cônico, de ponta caída

- com o tempo, o capelo se transformou em chapéu

Capelo inicialmente usado como capuz, arregaçado por uma prega para o uso cotidiano [1], puxado para a frente para o luto [2]

Mais tarde, começou-se

a enrolar a ponta

c o m p r i d a

cornette” em torno

e m

da

cabeça [4], e a cobrir

o

c a b e l o

c o m

u m

barrete, enfiando-o com

a gargantilha e subindo

na cabeça de maneiras [3]

diversas

[1]

[3]

[4]

[2]

adornos de cabeça diversificados conforme posição social moda das peças mi-parti ou semicoloridas (dois tons)

moda das peças mi-parti ou semicoloridas (dois tons) “ A filosofia apresenta a Boethius as sete

A filosofia apresenta a Boethius as sete artes liberais”, de Coëtivy

(1460-1470)

volumosas e compridas saias de vários estilos de traje, como a opalanda e o cotê-hardie (sobrecasaco) multicor

[séc XIV e XV] adornos de cabeça - véus que saiam da extremidade da cabeça,

[séc XIV e XV]

adornos de cabeça

- véus que saiam da extremidade da cabeça, desciam como cauda até o chão

- cabelos escondidos por uma faixa de pano pregueada em volta do pescoço

- também alternava-se chapéus e tocas

cornes adereço com chifres - estrutura de arame na qual se enrolava o véu, apelidado

cornes

adereço com chifres - estrutura de arame na qual se enrolava o véu, apelidado de “pão cortado”

o véu afastado do rosto por grampos

A ilustração mostra dois tipos de adereços de cabeça: o véu e o cornes

hennin é um tipo de chapéu alto, francês, em forma de campanário - mais alongado

hennin é um tipo de chapéu alto, francês, em forma de campanário - mais alongado e inclinado para trás

Detalhe de um típico Portinari de Hugo Van der Goes (1480-1483) mostra Maria Portinari usando

um hennin

de um típico Portinari de Hugo Van der Goes (1480-1483) mostra Maria Portinari usando um hennin

[

final da Idade Média

]

= mangas cresceram muito e ficaram muito amplas na altura dos punhos.

= alguns personagens usavam “huques” (mantôs) bem curtas

“As bodas de Boccaccio Adimari (meados séc XV) - traje florentino

=> na foto, diferentes chapéus, entre os quais, um com copa abalonada (italianos), chapéu de pavão, bem como o capelo com “cornette” comprida

[

final da Idade Média

outros atributos do traje medieval:

filet (chapéu de duas pontas)

meias coloridas e/ou partidas (às vezes uma perna diferente da outra)

predominou a silhueta verticalizada e magra (como representado na arquitetura)

]

diferente da outra) predominou a silhueta verticalizada e magra (como representado na arquitetura) ] Tuesday, March

[

final da Idade Média

]

silhueta magra e ajustada chapéus ecléticos e diferentes acessórios postura aristocrática tornozelos escondidos

e ajustada chapéus ecléticos e diferentes acessórios postura aristocrática tornozelos escondidos Tuesday, March 11, 14

Zac Posen Inverno 2010 e ilustrações Idade Média

Zac Posen Inverno 2010 e ilustrações Idade Média Tuesday, March 11, 14

início do século XV:

os trajes elegantes passaram a ser cada vez mais usados para diferenciar membros da elite, das classes mercantil, artesãos e camponeses

processo controlado pela criação das leis

suntuárias por governos de toda a Europa(em especial na Itália) para restringir o uso de determinadas peças de roupas e reduzir excessos inadequados

==> o Rei Mago (figura) parece usar um cáftã abotoado na frente com saia ampla

==> o Rei Mago (figura) parece usar um cáftã abotoado na frente com saia ampla

o traje italiano

=> opalandas curtas

com amplas mangas são de brocado de veludo com desenhos

==> o “capuccio” em

turbante é sustentado por um suporte de cortiça

==> primeiro exemplo desse traje oriental trazido pelos gregos expulsos de Constantinopla

==> primeiro exemplo desse traje oriental trazido pelos gregos expulsos de Constantinopla Tuesday, March 11, 14

traje veneziano feminino [final do séc XV]

=> mulheres usam o vestido com amplo decote e mangas com nesgas => cabelos louras, cor na moda, arranjados em coque no cocuruto

amplo decote e mangas com nesgas => cabelos louras, cor na moda, arranjados em coque no

o traje italiano

[2a metade séc XV]

=> novos atributos nos vestidos, sempre em sedas estampadas: para as

mulheres, o cinto alto, com os toucados deixando livres os cabelos cacheados onde se misturam joias e veus leves

os cabelos cacheados onde se misturam joias e veus leves para homens e mulheres, as mangas

para homens e mulheres, as mangas fines-trella, deixando

passar a camisa bufante (são as

primeiras nesgas) - os pequenos barrets são em cores vivas

passar a camisa bufante (são as primeiras nesgas) - os pequenos barrets são em cores vivas
o vestuário espanhol [2a metade séc XV] => subsistem algumas inflências francesas: na forma dos

o vestuário espanhol [2a metade séc XV]

=> subsistem algumas inflências francesas: na forma dos vestidos e na das sobrevestes debruadas (bordas) com peles, bem como nos penteados com enchimentos e rodilhas das mulheres => os ricos tecidos e os barretes de seda dos homens são inspirados na Itália (à esquerda)

o vestuário na Inglaterra => os ingleses residentes na França usaram um traje semelhante ao

o vestuário na Inglaterra

=> os ingleses residentes na França usaram um traje semelhante ao dos

franceses: opalandas acolchoadas de todos os comprimentos - com

mangas fechadas ou amplas mangas pendentes; => cabelo à escudela => as mulheres também usam os chapéus de chifres sobre enchimentos postiços (ou truffeaux)

[Renascimento

]

Como estes trajes são diferentes dos trajes medievais?

[ Renascimento ] Como estes trajes são diferentes dos trajes medievais? Tuesday, March 11, 14